programa mai-dez 2014 - Fundação Manuel António da Mota

Сomentários

Transcrição

programa mai-dez 2014 - Fundação Manuel António da Mota
Culturaviva
ENTRADA
LIVRE
CICLO
DE MÚSICA
PROGRAMA
MAI-DEZ
2014
CICLO DE MÚSICA
MAI-DEZ 2014
MÚSICA, POESIA, MASTERCLASSES
E ENSAIOS ABERTOS
Culturaviva
ÍNDICE
OBJETIVOS DO PROGRAMA
04
CALENDÁRIO 2014
06
ARTISTAS & FORMAÇÕES Pedro Rodrigues 10
22
26
30
32
34
36
PROGRAMAÇÃO
40
Lusitanae Ensemble Coro Anonymus Tríssono Eugénio Amorim Pedro Lamares Isabel Alcobia OBJETIVOS
DO PROGRAMA
4
Ciclo de Música
Culturaviva é um ciclo de eventos culturais
com a chancela da Fundação Manuel António
da Mota com um programa de música, poesia,
masterclasses e ensaios abertos.
A promoção da cultura e o apoio aos agentes culturais constituem
para a Fundação Manuel António da Mota um importante objetivo
estratégico.
Na vasta pluralidade das suas manifestações e formas de expressão,
a Fundação procura acolher iniciativas que promovam uma maior
aproximação entre os cidadãos e a cultura.
Desenvolvendo projetos próprios que enriqueçam o panorama
cultural nacional e num quadro de transversalidade com os seus
demais objetivos estratégicos, a Fundação procura ainda tirar
partido da centralidade da sua localização no renovado Mercado
do Bom Sucesso, ele próprio espaço de grande qualidade e tradição
na cidade do Porto.
A par do Artes – Programa de arte contemporânea, iniciado em
2012 visando refletir novas formas de expressão artística e facilitar
o acesso às artes em diálogo com a comunidade, a Fundação
apresenta em 2014 o programa “Culturaviva”.
De maio a dezembro o auditório da Fundação será palco de uma
programação eclética do ponto de vista estilístico, envolvendo
intérpretes portugueses que se têm distinguido pela sua qualidade
e originalidade e proporcionando a interação e diálogo entre
diferentes expressões artísticas acessíveis a todos os públicos.
“Culturaviva” resulta da colaboração com o Curso de Música Silva
Monteiro, prestigiada escola de música da cidade do Porto,
e com a Novas Tessituras Associação Cultural, responsável pelo
Coro Anonymus, a quem a Fundação agradece todo o esforço
desenvolvido na concretização deste programa.
Venha viver ao ritmo da cultura no auditório da Fundação.
Objetivos do Programa / Culturaviva
5
CALENDÁRIO
2014
06 JUL
DOM / 18H00
CORO
ANONYMUS
Venha viver ao ritmo
da cultura no auditório
da Fundação.
Cantar e Contar
o Amor
pág. 42
20 JUL
DOM / 16H00
CONCERTO
DE GUITARRA
A SOLO
17 MAI
01 JUN
CORO
ANONYMUS
COMEMORAÇÃO
DO DIA MUNDIAL
DA CRIANÇA
SÁB / 21H30
Pedro Rodrigues
DOM / 16H00
Cantar e Contar
o Amor
pág. 41
Pedro Lamares
pág. 43
6
21/22 JUL
SEG-TER / *
MASTERCLASS
DE GUITARRA
Entre Nós
e as Palavras
(Recital)
A Fábrica
de Palavras
(Oficina)
Pedro Rodrigues
pág. 41
Informações no
Curso de Música
Silva Monteiro
([email protected]
cmsilvamonteiro.
com / 22 600 21 50)
pág. 43
(*) HORÁRIO A DEFINIR
6
Ciclo de Música
ENTRADA
LIVRE
15 NOV
SÁB / 16H00
ENSAIO ABERTO
pág. 44
20 SET
01 OUT
16 NOV
13 DEZ
ENSAIO ABERTO
COMEMORAÇÃO
DO DIA MUNDIAL
DA MÚSICA
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
E CANTO
ENSAIO ABERTO
SÁB / 16H00
QUA/ 16H00
pág. 43
Lusitanae Ensemble
DOM / 16H00
Lusitanae Ensemble
Eugénio Amorim
(Comentários)
Eugénio Amorim
(Comentários)
21 SET
Isabel Alcobia
pág. 44
17/18 NOV
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
Fado Revisitado
Pedro Lamares
(Leituras)
pág. 43
30 SET
SEG-TER / *
MASTERCLASS
DE CANTO
19 OUT
14 DEZ
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
Lusitanae
Ensemble
Concerto grosso
de Natal
pág. 45
Isabel Alcobia
DOM/ 16H00
VIAGEM COM
A GUITARRA
PORTUGUESA
Tríssono
TER / 19H00
pág. 45
As Estações de
Vivaldi e Piazzolla
pág. 43
Lusitanae Ensemble
SÁB / 16H00
pág. 44
Informações no
Curso de Música
Silva Monteiro
([email protected]
cmsilvamonteiro.
com / 22 600 21 50)
pág. 45
(*) HORÁRIO A DEFINIR
ENSAIO ABERTO
pág. 43
Calendário 2014 / Culturaviva
7
ARTISTAS &
FORMAÇÕES
8
Ciclo de Música
Culturaviva apresenta uma
programação eclética do ponto
de vista estilístico, envolvendo
intérpretes portugueses que se têm
distinguido pela sua qualidade
e originalidade.
O Lusitanae Ensemble, criado em 2013, é uma formação de jovens
músicos de grande qualidade, todos professores do Curso de Música
Silva Monteiro, que se tem vindo a afirmar pelo impacto que todas
as suas atuações têm tido junto da crítica e público em geral.
O Coro Anonymus nasceu no Porto, em Janeiro de 2007, fruto
da paixão pela música de um núcleo de elementos com larga
experiência coral, à qual se aliou a vontade de preencher um espaço
menos explorado no panorama coral da região e do país, enquanto
coro de câmara centrado na divulgação de música portuguesa
contemporânea. Cantar e Contar o Amor faz a sua estreia absoluta
neste ciclo musical.
Tríssono constitui, com outros, a Tertúlia do Fado de Coimbra, grupo
com cerca de 4 décadas, com atuações nos cinco continentes, tendo
uma discografia que contempla desde os chamados temas “clássicos”
de Coimbra (Relíquias CD) aos originais do próprio grupo (Amanhecer
em Coimbra CD).
O compositor e maestro Eugénio Amorim, o ator, encenador
e formador Pedro Lamares, a cantora lírica Isabel Alcobia
e o intérprete de guitarra completam o elenco de Culturaviva.
Artistas & Formações / Culturaviva
9
ARTISTAS & FORMAÇÕES
LUSITANAE
ENSEMBLE
21 SET
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
Lusitanae Ensemble
Fado Revisitado
Pedro Lamares (Leituras)
01 OUT
O Lusitanae Ensemble, criado
em 2013, é uma formação de jovens
músicos de grande qualidade, todos
professores do Curso de Música
Silva Monteiro, que tem vindo
a afirmar-se pelo impacto que todas
as suas atuações têm tido junto
da crítica e do público em geral.
Assumindo uma postura eclética, tanto do ponto de vista
da formação, que pode ir do duo à orquestra de câmara, como
do repertório, que abrange obras que vão do barroco até ao fado,
dá a conhecer o património musical camerístico de uma forma
apelativa para um público diversificado.
QUA/ 16H00
COMEMORAÇÃO
DO DIA MUNDIAL
DA MÚSICA
Lusitanae Ensemble
As Estações de Vivaldi
e Piazzolla
Eugénio Amorim
(Comentários)
16 NOV
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
E CANTO
Lusitanae Ensemble
Isabel Alcobia
Eugénio Amorim
(Comentários)
14 DEZ
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
Lusitanae Ensemble
Concerto grosso
de Natal
10
Ciclo de Música
Lusitanae Ensemble / Culturaviva
11
LUSITANAE ENSEMBLE
ANA PATRÍCIA LOPES
VIOLINO
Nasceu em França, tendo iniciado
os estudos musicais aos 12 anos
na ARTAVE – Escola Profissional
Artística do Vale do Ave na classe
do professor António Soares.
Prosseguiu os estudos na ESMAE – Escola Superior de Artes
do Espetáculo do Porto na classe de violino com Zofia Wóycicka.
Frequentou masterclasses de violino com Boris Kuniev, Alexei Mijlin,
Rainer Sonne, Aníbal Lima, Roman Nodel, e música de câmara com
António Saiote e o Quarteto Borodin. Já colaborou com a Orquestra
do Porto Casa da Música, Orquestra das Beiras, Orquestra
do Algarve, Orquestra Metropolitana de Lisboa, Orquestra do Norte,
Orquestra Raízes Ibéricas, Orquestra Sine Nomine, Orquestra
do Centro, com os maestros António Saiote, Yuri Nasushkin, Bruno
dal Bon, Cesário Costa, Robertas Severnikas, Rodolfo Saglimbeni,
Joahnnes Skudlik, Filipe Veríssimo, Toby Hoffman, Cesário Costa,
Pedro Neves, Jean-Marc Burfin, Sérgio Alapont, Emilio Pomarico.
Enquanto membro da Orquestra Aproarte acompanhou os solistas
Mischa Maisky e Boris Berezovsky. É membro da Orquestra Clássica
de Espinho desde 2006. Apresenta-se em concertos de música
de câmara, tendo atuado na Ordem dos Médicos, nos serões
da Quinta de Bonjóia, no auditório da FEUP, Multiusos de Espinho,
Palacete Viscondes de Balsemão, Fundação Cupertino de Miranda,
Theatro Circo, Teatro de Vila Real, entre outros.
Atualmente é professora de violino no CMSM – Curso de Música
Silva Monteiro.
12
Ciclo de Música
LUSITANAE ENSEMBLE
EMANUEL VIEIRA
VIOLA DE ARCO
É licenciado em Viola de Arco
pela Escola de Artes Aplicadas
de Castelo Branco, sob a orientação
do professor Jorge Alves.
Frequentou diversos cursos de aperfeiçoamento técnico-musical
e masterclasses com: Ana Bela Chaves, Marc Tooten, Ryszard
Wóycicki, Pedro Muñoz e David Wyn Lloyd. Participou em trabalhos
com a Orquestra do Conservatório de Música do Porto, Orquestra
Académica, Ensemble de Cordas do Vale do Sousa, ESART Ensemble,
EvorEnsemble Contemporâneo, Orquestra de Câmara do Minho,
Orquestra Sinfónica da ESART, Orquestra Filarmonia de Gaia,
Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra do Norte, Orquestra
Clássica da Madeira, Orquestra do Algarve e Orquestra Filarmonia
das Beiras.
É membro da Orquestra Clássica de Espinho.
Realizou três concertos a solo com o Ensemble de Cordas da ESART,
que foram transmitidos em direto pela Antena 2. Em julho de 2011
tocou a solo em Cascais com a orquestra barroca da ESART.
Desde agosto de 2011 é membro fundador do Lusitanae Ensemble.
Já realizou vários concertos a solo com o Ensemble. Leciona aulas
de Viola de Arco no Conservatório de Música da Maia
e no CMSM - Curso de Música Silva Monteiro.
Lusitanae Ensemble / Culturaviva
13
LUSITANAE ENSEMBLE
ELISEU SILVA
VIOLINO
Natural do Porto, nasceu em setembro
de 1983. Começou os estudos musicais
aos 5 anos e matriculou-se aos 11 anos
no Conservatório de Música do Porto.
Tanto os 5º e 8º anos do Conservatório de Música do Porto como
os bacharelato e licenciatura foram concluídos com 20 valores.
Foi convidado pelo professor Uwe-Martin Heiberg para integrar
a sua classe na Hochschule für Musik Hanns Eisler Berlin.
Foi galardoado com diversos prémios em concursos a nível nacional
e internacional. Obteve em 2005 uma Bolsa de Mérito do IPP Instituto Politécnico do Porto, como melhor aluno desse ano.
Foi o primeiro violinista português a ser membro da Gustav Mahler
Jugend Orchester (GMJO), para uma tour na Europa
e no Japão com Pierre Boulez.
Realizou uma pós-graduação em Performance e terminou um
mestrado em Pedagogia e outro em Ensino de Música. Atualmente
é doutorando no Curso de Doutoramento de Música e Musicologia,
vertente de Interpretação na Universidade de Évora.
Apresentou-se a solo, com alguma regularidade, com variadas
orquestras e ensembles, tendo em muitos casos desempenhado
o cargo de concertino. Já atuou no Coliseu do Porto a solo com
orquestra, dirigido pelo maestro António Saiote.
Destaca-se o concerto de Beethoven sobre a regência musical
de Ernst Schelle. Fez vários recitais pelo país e no estrangeiro,
a solo e com piano.
Orientou masterclasses em várias escolas do país.
É diretor artístico e maestro da Orquestra Juvenil da Bonjóia,
orquestra com parcerias com a Câmara Municipal do Porto, a Bial,
14
Ciclo de Música
o BPI e a Fundação Manuel António da Mota.
Em 2010 ingressou na licenciatura na FPCEUP.
Recentemente tem tido a orientação de Phillipe Aiche em França,
concertino e maestro da Orquestra de Paris, aluno
de Christian Ferras.
LUSITANAE ENSEMBLE
FILIPE RORIZ
VIOLONCELO
Nasceu em 1991 e é natural de Santo
Tirso. Em 2003 iniciou os seus estudos
em violoncelo, na Escola Profissional
Artística do Vale do Ave – ARTAVE,
com o professor António Ferreira.
Ingressa em 2009 na ESMAE (Escola Superior de Música, Artes
e Espetáculo), na classe do professor Jed Barahal, com quem
atualmente estuda, juntamente com Filipe Quaresma, professor
assistente.
Participou em vários cursos de aperfeiçoamento e masterclasses
com os professores: Jed Barahal, Paulo Gaio Lima, Márcio Carneiro,
Anatoli Krastev, Aage Kvalbein e Carolina Landriscini.
Em orquestra, trabalhou já com vários maestros, tais como: Jaroslav
Mikus, Luís Machado, António Sérgio Ferreira, Emílio de César,
Cesário Costa, Pedro Neves, Rui Massena, Harry Lith e Ernst Schelle.
Presentemente frequenta a orquestra Sinfonieta da ESMAE
sob direção do maestro António Saiote.
Em 2007, frequentou o 2º estágio da Orquestra Sinfónica Piaget
– Mirandela, sob direção do maestro Christopher Bochmann.
Frequentou o 8º e 9º estágio nacional de orquestra APROARTE.
Lusitanae Ensemble / Culturaviva
15
Em música de câmara trabalhou com Luís Machado, Raquel Costa,
José Ricardo Reis, Jaime Mota, Florian Pertzborn, Marta Eufrázio,
Teresa Correia e Pedro Burmester, tendo participado recentemente
com esta formação nas manifestações paralelas do 32º Festival
Internacional de Música da Póvoa de Varzim.
Atualmente frequenta o 3º ano de licenciatura na ESMAE, e leciona
a disciplina de Violoncelo no Curso de Música Silva Monteiro.
LUSITANAE ENSEMBLE
BRUNO SOUSA
VIOLA DE ARCO
Nasceu a 26 de maio de 1989 em
Bellinzona – Ticino (Suíça). Aos 9
anos começou a estudar piano, sob
orientação de Anna Galassetti.
Veio para Portugal aos 11 anos, altura em que ingressou,
no Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga, a Classe
de Viola de arco do professor Luís Norberto, com quem estudou seis
anos. No oitavo grau de viola de arco, integrou a classe do professor
Dírio Alves. Em 2010 concluiu a licenciatura na Escola Superior de
Música, Artes e Espetáculo, sob a orientação do professor Ryszard
Wóycicki. Neste momento encontra-se no 2º ano de mestrado em
Ensino de Música na Universidade de Aveiro.
Ao longo do seu percurso musical frequentou diversos cursos
e classes de aperfeiçoamento com violetistas consagrados, tais
como Wilfried Strehle, Ryszard Wóycicki, Barbara Friedhoff,
Ana Bela Chaves, Jorge Alves, Avri Levitan, Diemut Poppen, Tatjana
Masurenko, Gérard Caussé, Toby Hofmann, Rainer Moog e David Wyn
Lloyd. Em 2010, frequentou a formação “Uníssono” – I Jornadas de
Pedagogia de V. N. Famalicão, sob a orientação de Jenny Spanoghe.
16
Ciclo de Música
Em 2005 e 2006, participou em estágios de orquestra: I Estágio da
Orquestra Juvenil “Barcelos 2005”, sob a orientação de Florin Totan
e V Estágio da Orquestra dos Conservatórios Oficiais de Música
(onde desempenhou o cargo de chefe de naipe), sob a orientação
do maestro Martin André. Executou sob a batuta de outros maestros
como António Baptista, Pio Salotto, Pedro Neves, Cesário Costa,
Rodolfo Saglimbeni, António Saiote, Christopher Bochmann, German
Cárceres, Jorge Salgueiro, Harry Lith, Yuri Nasushkin, Ernst Schelle,
Jean-Sébastien Béreau, Rui Massena, Gyüdi Sándor, entre outros.
Esporadicamente, trabalha com a Orquestra de Câmara de Braga,
Orquestra Clássica de Espinho, Orquestra Clássica da Madeira,
Orquestra da Universidade do Minho e Orquestra Filarmonia de
Gaia. No Concurso de Viana do Castelo de instrumentos de cordas
(2008), conseguiu obter o 3º prémio ex aequo, na variante de viola
de arco, na classe E. Como professores de música de câmara,
teve a oportunidade de trabalhar com Basílio Silva, Jaime Mota,
Ryszard Wóycicki, Marta Eufrázio e Florian Pertzborn. Entre 2006
e 2010, foi membro da Orquestra de Jovens de Portugal Momentum
Perpetuum, com a qual se deslocou a Itália, representando Portugal
no Festival Internacional de Orquestras Juvenis, em 2009 (Florença,
Montecatini, Perugia e ilha Ischia), sob a direção do maestro Martin
André. Em julho de 2009, colaborou com a Orquestra de Câmara
de Braga numa viagem à Venezuela programada pela embaixada
portuguesa no país. Em abril de 2011, foi convidado para tocar num
teatro musical organizado pelo Teatro “O Bando”, chamado A Morte
do Palhaço. Desde agosto de 2011 é membro do Lusitanae Ensemble,
realizando vários concertos a solo com o Ensemble. Em julho
de 2013, participou no “Festival de Orchestre Sinfoniche Giovanili
na Fondazione William Walton e la Mortella” com a Camerata
con Brio, sob direção do maestro Martin André. É docente no
Conservatório de música Calouste Gulbenkian de Braga e na
Companhia da Música (Braga), onde leciona a disciplina de Viola
de Arco e Música de Câmara.
Lusitanae Ensemble / Culturaviva
17
LUSITANAE ENSEMBLE
ANA FILOMENA SILVA
VIOLONCELO
Natural do Porto, nasceu em janeiro
de 1990. Começou os estudos musicais
aos 6 anos sob a orientação
do professor Vicente Chuaqui.
Matriculou-se aos 8 anos no Conservatório de Música do Porto,
na classe de Violoncelo do prof. Vicente Chuaqui. Obteve,
no 5º Grau, 19 valores e concluiu o 8º Grau do Conservatório
de Música do Porto com 20 valores, na classe do mesmo professor.
Em 2008 obteve o 1º Prémio de Cordas do Conservatório de Música
do Porto. No mesmo ano ganhou também o prémio do Concurso
Guilhermina Suggia, em Nível Complementar. No recital de entrega
do mesmo prémio, tocou com o violoncelo Montagnana que
pertenceu à violoncelista Guilhermina Suggia, no novo Auditório
do Conservatório de Música do Porto. Ainda no mesmo ano
recebeu o 3º prémio ex aequo do Concurso de Cordas do Alto Minho.
Apresentou-se a solo em diversos locais como Casa da Música,
Casa das Artes, Centro de Congressos da Ordem dos Médicos,
Museu Guerra Junqueiro, no Porto; Centro Cultural de Belém,
em Lisboa; Conservatórios de Música do Porto de Coimbra,
entre outros.
Tocou em diversas orquestras: Orquestra Sinfonieta da ESMAE,
Orquestra Filarmonia das Beiras, Orquestra do Conservatório
de Música do Porto, OJCOM (selecionada vários anos consecutivos),
Momentum Perpetuum atuando em diversas cidades, de norte
a sul de Portugal e no arquipélago dos Açores, sob a orientação
de diversos maestros como: Ernst Schelle, Martin André, Vytautas
Lukocius, Yuri Nasushkin, António Saiote, Pio Salotto, Rui Massena,
Kamen Goleminov, Nicholas Kok. Entrou, em 2008, na Escola
Superior de Música do Porto (ESMAE), em 1º lugar na classe
de violoncelo. Terminou este ano letivo a licenciatura na mesma
escola sob a orientação do prof. Jed Barahal, com classificação
18
Ciclo de Música
elevada. Participou em masterclasses internacionais em Espanha,
Itália e Portugal, com os violoncelistas Romain Garioud, Stefan
Popov, Ilia Yourevich Laporev, Ernst Reijseger, Carolina Landriscini,
entre outros.
Atualmente é aluna finalista no mestrado em Ensino de Música
na Universidade de Aveiro e professora no Curso de Música Silva
Monteiro, no Porto. É também membro do Lusitanae Ensemble
CMSM/CMP, apresentando-se em público, regularmente, em vários
eventos importantes por todo o país. Frequenta regularmente aulas
com violoncelistas de renome internacional.
LUSITANAE ENSEMBLE
ANDRÉ SILVA
VIOLINO
Natural da cidade do Porto, nasceu
em 2 de setembro de 1983. Estuda
violino desde os 8 anos e ingressa
no Conservatório de Música do Porto
em 1996.
No Conservatório de Música do Porto, onde ingressou em 1996,
teve aulas com os professores José Paulo Jesus e Suzanna Lidegran.
Entretanto tem aulas com o professor Pedro Rocha. Mais tarde,
no Curso de Música Silva Monteiro termina o 8º grau com o professor
Eliseu Silva, estando atualmente a frequentar a ESMAE, em Violino
- Performance, sobre a orientação do mesmo professor e do
professor Radu Ungarianu.
Conta com participações frequentes na Sinfonieta da ESMAE,
trabalhando com o maestro António Saiote. Durante o seu percurso
musical, participou em várias orquestras e ensembles, com
destaque para a Orquestra Sine Nomine, Orquestra Foco Musical
e a Orquestra da Academia de Música Fernandes Fão. Conta com
Lusitanae Ensemble / Culturaviva
19
atuações em vários eventos, sendo um dos últimos a solo
com a “História do Tango de Piazzolla” na Quinta de Bonjóia,
em conjunto com o guitarrista Francisco Bereny.
Leciona atualmente no Curso de Música Silva Monteiro.
LUSITANAE ENSEMBLE
JULIANA SANTOS
VIOLINO
Nasceu em 1987. Iniciou os seus
estudos musicais em 1995 na classe
de Órgão com o professor Mesquita,
na Musical Trofa.
Em 1997 ingressa no Centro de Cultura Musical – CCM – na classe
de Piano com o professor Eduardo Rocha e em 1999 é admitida na
Escola Profissional Artística do Vale do Ave – ARTAVE – na classe
de Violino do professor José Manuel Costa Santos.
Participou nas orquestras Artavinhos sob direção dos maestros
Jaroslav Mikus e Francisco Ribeiro. Integra a Orquestra Artave
em 2002, trabalhando com os maestros António Soares, Manuel
Ivo Cruz, Vasco Pierce Azevedo, Emílio de César, Ernst Schelle,
António Saiote, Juan Trillo, Ricardo Tacuchian, José Atalaya, Jean-Sebastien Béreau e Roberto Pérez. Em 2004 ingressou na Orquestra
APROARTE sob a direção do maestro Ernst Schelle. Frequentou
masterclasses na ARTAVE com os professores Boris Kuniev,
Aníbal Lima, Alexei Mijlin. Fora do âmbito da escola profissional
frequentou masterclasses com os professores Sergey Kravchenko,
Eliseu Silva e Nuno Soares. Em 2005 ingressa na Escola das Artes
20
Ciclo de Música
da Universidade Católica do Porto – Polo da Foz, na classe do
professor Aníbal Lima e como membro do coro da Universidade
Católica Portuguesa – Polo da Foz, realizou concertos sob a direção
da professora Barbara Frank. Em 2007 ingressou na Universidade
de Aveiro, onde completou a licenciatura em Ensino de Música, na
classe do professor Zoltan Santá. Estagiou no Conservatório de
Música de Aveiro Calouste Gulbenkian. Como membro da orquestra
da Universidade de Aveiro realizou concertos sob a direção de
António Vassalo Lourenço, David Lloyd, Luís Carvalho e Ernst Schelle.
Como reforço na Orquestra Filarmonia das Beiras já trabalhou sob
a direção dos maestros António Vassalo Lourenço, Paulo Lourenço,
Luís Carvalho, António Sérgio, Ernst Schelle, António Saiote, David
Giménez e António Victorino d’Almeida. Já lecionou no Conservatório
de Música de Barcelos, no Conservatório Artes e Comunicação de
Oliveira do Bairro e na Academia de Música de Cantanhede. No ano
letivo 2011/2012 completou o mestrado em Música/Performance
especialidade de violino.
Atualmente leciona no Curso de Música Silva Monteiro e é membro
efetivo da Orquestra Filarmonia das Beiras.
Lusitanae Ensemble / Culturaviva
21
ARTISTAS & FORMAÇÕES
CORO
ANONYMUS
17 MAI
SÁB / 21H30
CORO
ANONYMUS
Cantar e Contar o Amor
06 JUL
DOM / 18H00
O Coro Anonymus nasceu
no Porto, em janeiro de 2007, fruto da
paixão pela música de um núcleo
de elementos com larga experiência
coral, à qual se aliou a vontade
de preencher um espaço menos
explorado no panorama coral
da região e do país, enquanto coro
de câmara centrado na divulgação
de música portuguesa contemporânea.
Na temporada 2009/10 o Coro participou na 1ª Competição
Internacional de Coros de Freamunde, concorrendo em ambas
as categorias a concurso, música folk e música sacra, tendo
alcançado dois diplomas de bronze, o que constituiu um meritório
culminar para o intenso trabalho desenvolvido para o efeito.
Na temporada 2010/11 o Coro Anonymus lançou-se a um inovador
desafio, o de promover um Concerto de Maestros-Compositores,
reunindo, numa mesma performance, quatro compositores
portugueses que assumem a direção do Coro na interpretação
das suas obras: Alfredo Teixeira, Eugénio Amorim, Fernando C. Lapa
e Rui Paulo Teixeira.
Com uma formação de 14 elementos e inserido na Novas Tessituras
Associação Cultural, desde 2011/12 que atua sob a direção musical
22
Ciclo de Música
CORO
ANONYMUS
Cantar e Contar o Amor
FOTOGRAFIA: CHRISTIAN SEABRA
do maestro Rui Paulo Teixeira. Neste enquadramento, alimentado
pelo desejo de contacto com novos horizontes musicais e artísticos
como meio para o crescimento global do seu projeto, integrou o Ciclo
de Concertos de Páscoa e o Ciclo de Primavera, a convite da Câmara
Municipal do Porto, e apresentou-se na 2ª Competição Internacional
de Coros de Freamunde, em julho de 2012, tendo concorrido na
categoria de música sacra, na qual alcançou o diploma de prata.
Convicto de que “criar é dar forma ao próprio destino”, a temporada
2012/13 culminou com a apresentação do concerto “Fernando
Pessoa, no 125º aniversário do seu nascimento”, um evento único
com estreia absoluta de oito obras sobre poesia e textos do poeta,
da autoria dos compositores Alfredo Teixeira, David Miguel, Edward
Ayres d’Abreu, Eugénio Amorim, Eurico Carrapatoso, Fernando Lapa,
Gonçalo Lourenço e Rui Paulo Teixeira.
No presente, o Coro Anonymus mantém o compromisso
de continuar a fazer o que de melhor tem para dar: música
coral contemporânea de compositores portugueses em projetos
inovadores e de matriz singular.
Coro Anonymus / Culturaviva
23
CORO ANONYMUS
RUI PAULO TEIXEIRA
MAESTRO
FOTOGRAFIA: CARLOTA LEITÃO
Todas as noites da sua infância
adormecia embalado pelo radiozinho
da bisavó a tocar música clássica.
Hiperdinâmico nos dias de juventude, prepara-se para seguir Gestão,
mas o apelo da música troca-lhe as voltas. Especializa-se em
direcção coral, dedica-se à composição e assina obras encomendadas
como Polígono de quatro peças corais (Universidade de Aveiro Fundação João Jacinto de Magalhães / Dia Nacional da Cultura
Científica) e Celebratio (C.M. de Coimbra / 100 Anos da República
Portuguesa). Os amigos dizem que deixa um rasto de fogo por onde
passa, ele diz que onde precisa de estar é lá que se encontra.
É diretor musical no Coro Anonymus (Porto). Sob a perspetiva
de um emergente momento histórico da criação musical portuguesa,
a que o compositor e historiador Eurico Carrapatoso denomina
2nd Renaissance of Portuguese Composition, dinamiza um projeto
coral estruturado nas obras de compositores contemporâneos
portugueses, das quais várias em estreia absoluta.
É diretor musical no Coro Académico da Universidade do Minho
(Braga). Baseado numa pesquisa e análise de mercado musical
contemporâneo aliado à cultura universitária associativa, tem
desenvolvido uma ação musicalmente estruturada na “eruditização”
do repertório ligeiro, numa abordagem pluriestilística.
É diretor musical na Aspera Hartmann – Spirit & Strategy
(Lisboa), empresa de criatividade que incide o seu trabalho nos
planos concetual e filosófico formalizados pelo design de excelência.
24
Ciclo de Música
CORO ANONYMUS
BRUNO GALVÃO
ATOR CONVIDADO
Trabalha regularmente enquanto
ator e cantor.
Tem realizado nos últimos anos um trabalho intenso na produção
de espetáculos e gestão de eventos, destacando-se a produção na
área do teatro musical, tendo sido o produtor de Zorro, A Verdadeira
História da Cigarra e da Formiga e A Ilha do Tesouro, entre outros.
Também enquanto produtor, já produziu e promoveu uma série de
concertos na área da música erudita e ligeira.
Trabalha regularmente enquanto ator e cantor. Fez parte do elenco
de várias obras e peças, como são exemplo Rent, Jesus Cristo
Superstar, Violino no Telhado, Piaf, A Casa do Lago, Feiticeiro de Oz
ou Annie.
É cantor em diversos projetos, nomeadamente de música a cappella,
destacando-se a sua ligação ao grupo vocal Canto Nono.
Formou-se em Gestão de Recursos Humanos e, paralelamente,
estudou música, canto e teatro musical.
Coro Anonymus / Culturaviva
25
ARTISTAS & FORMAÇÕES
TRÍSSONO
19 OUT
DOM / 16H00
VIAGEM COM
A GUITARRA
PORTUGUESA
Tríssono
Para além deste programa
instrumental intitulado 12 peças e 12
autores, os elementos do TRÍSSONO
constituem, com outros, a Tertúlia
do Fado de Coimbra, grupo com cerca
de quatro décadas, com atuações
nos cinco continentes, tendo uma
discografia que contempla desde
os chamados temas “clássicos”
de Coimbra (Relíquias CD) aos originais
do próprio grupo (Amanhecer
em Coimbra CD).
Álvaro Aroso, José Santos Paulo e Eduardo Aroso fizeram parte
do grupo Quatro Elementos, tendo gravado o CD intitulado O meu
lugar, com músicas originais sobre poemas de António Arnaut. José
Santos Paulo e Eduardo Aroso gravaram também, recentemente,
a obra completa de Flávio Rodrigues, guitarrista de Coimbra.
26
Ciclo de Música
Tríssono / Culturaviva
27
TRÍSSONO
ÁLVARO AROSO
GUITARRA PORTUGUESA - COIMBRÃ
Nasceu em Coimbra, em 1954.
Licenciado em Economia. Fez parte
de grupos musicais académicos.
Colaborou em programas de televisão. É intérprete e compositor
de guitarra de Coimbra.
TRÍSSONO
EDUARDO AROSO
VIOLA DEDILHADA - GUITARRA CLÁSSICA
Nasceu em Coimbra, em 1952.
Licenciado em Música (ensino
genérico). Fez parte de grupos
musicais académicos.
Colaborou em programas de televisão. Intérprete de viola dedilhada
(guitarra clássica), autor de poemas e fados/baladas, bem como
de música para guitarra de Coimbra e guitarra clássica. Publicou,
entre outros, A Guitarra Portuguesa – Património Cultural.
28
Ciclo de Música
TRÍSSONO
JOSÉ SANTOS PAULO
GUITARRA PORTUGUESA - COIMBRÃ
Nasceu em Nova Freixo, Moçambique,
em 1960. Fez parte de grupos musicais
académicos.
Colaborou em programas de televisão. Diplomado com o Curso
de Canto do Conservatório, intérprete de guitarra de Coimbra,
é professor deste instrumento no Conservatório de Música
de Coimbra. Publicou Método de Guitarra Portuguesa, obra
que contempla um ensino progressivo, desde simples exercícios
a peças para instrumento solista e orquestra.
Tríssono / Culturaviva
29
ARTISTAS & FORMAÇÕES
EUGÉNIO
AMORIM
Nasceu em 1963 em São João da
Madeira, tendo vindo a concluir no
Conservatório de Música do Porto
os Cursos Superiores de Piano
e Composição. De 1988 a 1993
frequentou a Escola Superior de
Música de Würzburg (Alemanha),
tendo aí obtido o bacharelato em
Direção de Orquestra e a licenciatura
em Música Sacra.
Foi maestro do Coro da Sé Catedral do Porto de 1994 a 2010, tendo
nesse contexto dirigido a Orquestra Clássica do Porto, a Orquestra
do Norte, a Orquestra Brandon Hill de Bristol, a Orquestra Sine
Nomine, a Orquestra Sinfónica de Zlin e o Ensemble de Música Antiga,
Musica Florea de Praga e promovido a edição de dois CD com música
portuguesa.
Exerce atividade regular como compositor. Do conjunto das suas
obras salientam-se as mais recentes, do ano 2011: Ave Maria para coro
a cappella e Omnia tempus habent para coro a cappella (encomenda
do Coro Anonymus), em colaboração com António Serginho Onde
param as castanholas para banda sinfónica (encomenda do serviço
educativo da Casa da Música), e ainda Onde para o tempo... para tuba
e acordeão (encomenda de Sérgio Carolino).
30
Ciclo de Música
01 OUT
QUA/ 16H00
COMEMORAÇÃO
DO DIA MUNDIAL
DA MÚSICA
Lusitanae Ensemble
As Estações de Vivaldi
e Piazzolla
Eugénio Amorim
(Comentários)
16 NOV
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
E CANTO
Lusitanae Ensemble
Isabel Alcobia
Eugénio Amorim
(Comentários)
Escreveu ainda as cinco pequenas peças para Piano solo, que serão
peças obrigatórias do Concurso de Piano da Academia de Música
Fernandes Fão de Vila Praia de Âncora.
A sua atividade estende-se ainda à investigação no âmbito
da música portuguesa, sendo neste contexto membro do CITAR –
Centro de Investigação em Ciências e Tecnologias das Artes
da Universidade Católica Portuguesa.
Encontra-se neste momento a concluir doutoramento em
Musicologia histórica, na Universidade Católica Portuguesa,
com uma tese sobre a música sacra em Lisboa na primeira
metade do século XVIII.
Foi membro da Comissão Instaladora da Escola das Artes,
onde lecionou desde a sua fundação até 2003. Leciona atualmente
na área de Composição da Escola Superior de Música, Artes
e Espetáculo, do Instituto Politécnico do Porto.
Eugénio Amorim / Culturaviva
31
ARTISTAS & FORMAÇÕES
PEDRO
LAMARES
Nasceu em 1979. Estudou música
e teatro (Escola de Jazz do Porto,
Universidade Católica e Academia
Contemporânea do Espetáculo).
É ator, encenador e formador.
Teatro: Integrou o elenco de Madalena, dramaturgia de Frei Luís
de Sousa de Almeida Garrett (Ensemble, Sociedade de Atores,
encenação de Jorge Pinto); Édipo Rei, de Sófocles (Teatro do
Bolhão, encenação de Kuniaki Ida); O Gato Malhado e a Andorinha
Sinhá, de Jorge Amado, bem como Os Saltimbancos na versão de
Chico Buarque (Ginasiano, encenação de Marcelo Ferreira), B612,
adaptação de O Principezinho, de Saint-Exupéry (Teatro do Campo
Alegre, encenação de Joana Providência), Tio Vânia, de Howard
Barker (As Boas Raparigas..., Encenação de Rogério de Carvalho).
Cinema: Integrou o elenco de Filme do Desassossego, de João
Botelho, A Vida Invisível, de Victor Gonçalves, 4ª Divisão de
Joaquim Leitão, Os Gatos não Têm Vertigens, de António-Pedro
Vasconcelos, para além de várias curtas-metragens, algumas das
quais premiadas (de José Miguel Moreira, Marcos Cosmo, David
Bonneville, Nuno Prudêncio, entre outros).
Televisão: Integrou o elenco fixo de cinco telenovelas (quatro em
Portugal e uma no Brasil), protagonizou dois telefilmes da TVI e
participou em quatro séries da RTP. Foi protagonista na minissérie
República, de Jorge Paixão da Costa, para a RTP.
32
Ciclo de Música
01 JUN
DOM / 16H00
COMEMORAÇÃO
DO DIA MUNDIAL
DA CRIANÇA
Pedro Lamares
Entre Nós e as Palavras
(Recital)
A Fábrica de Palavras
(Oficina)
21 SET
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
Lusitanae Ensemble
Fado Revisitado
Pedro Lamares (Leituras)
Leituras: Dedica-se à leitura de poesia como um dos seus ofícios
principais, sendo leitor regular do Centro Cultural de Belém
(Lisboa), Poesia à Mesa (São João da Madeira), Quintas de Leitura
(Teatro do Campo Alegre, Porto) e Casa Fernando Pessoa (Lisboa),
onde criou com Eunice Muñoz o ciclo de leituras encenadas Pessoa
em Diálogo, assumindo frequentemente a coordenação e seleção
de textos.
Direção/Encenação: Criou e/ou dirigiu espetáculos de teatro,
música e poesia (O Fraseador, Os Saltimbancos, Música no
Coração, Diário de Bordo, entre vários outros). Integrou a direção
artística do disco Canções de Lemúria de Marina Pacheco e Olga
Amaro, assumindo também a encenação do espetáculo homónimo
e de Viagem a Buenos Aires.
Atualmente, dirige o Em Cena: um projeto de formação cénica
na Academia de Música Fernandes Fão. É professor convidado da
escola Balleteatro. Codirige com o pianista Álvaro Teixeira Lopes
o projeto COiNCIDÊNCIA. Trabalha como consultor e formador na
área comportamental, bem como em projetos de formação para
alunos e professores.
Pedro Lamares / Culturaviva
33
ISABEL
ALCOBIA
16 NOV
Iniciou os seus estudos de canto
no Conservatório Nacional de Música
de Lisboa com Filomena Amaro.
17/18 NOV
ARTISTAS & FORMAÇÕES
DOM / 16H00
CONCERTO
DE MÚSICA
DE CÂMARA
E CANTO
Lusitanae Ensemble
Isabel Alcobia
Eugénio Amorim
(Comentários)
SEG-TER / *
MASTERCLASS
DE CANTO
Isabel Alcobia
Diplomou-se, como bolseira do governo espanhol, na Escola
Superior de Canto de Madrid com Marimi del Pozo. Já como bolseira
do Ministério da Cultura, concluiu o mestrado na Universidade
de Cincinnati (EUA) com Barbara Honn.
Desenvolve intensa atividade solística, tendo participado em diversos
espetáculos em Portugal e no estrangeiro, tais como a ópera
Amor de Perdição, a convite do Teatro Nacional de São Carlos
(com representações em Lisboa e Bruxelas no âmbito da Europália),
Auto del Lirio y de la Azucena, de José Peyro, no Museu do Prado, em
Madrid, Naufrágios e Milagres, de José Alberto Gil, onde interpretou
o papel principal no Centro Cultural de Belém, para o Festival dos
100 Dias. Realizou um recital a solo com o pianista Francisco Sassetti
e um concerto dirigido pelo maestro John Leman no Teatro Camões
(dia dos EUA), integrados na Expo’98.
Foi selecionada para interpretar Gilda (Rigoletto, de Verdi) no Festival
de Ópera da Cidade de Lucca, em Itália.
No domínio da ópera destacam-se, ainda, as interpretações
de Eurídice (Orfeo), Pamina (A Flauta Mágica), Adele (O Morcego),
Musetta (La Bohème), Giannetta (O Elixir do Amor), Norina
(D. Pasquale), Julieta (Romeu e Julieta), Gilda (Rigoletto), Violeta
(La Traviata) e Isabel (Floresta), de Eurico Carrapatoso.
34
Ciclo de Música
(*) HORÁRIO A DEFINIR
Dedica parte da sua carreira à divulgação da música portuguesa,
tendo estreado um ciclo de canções para soprano, trompa, piano
e orquestra de Eurico Carrapatoso e a obra Aver-A-Ria do mesmo
compositor. Deu um recital em Macau integrado nas comemorações
do Dia de Portugal e interpretou Sibila na estreia absoluta da ópera
Auto de Coimbra, de Manuel Faria, do qual resultou o lançamento
de um CD. Da sua discografia faz também parte um trabalho em
conjunto com o cravista Mário Trilha, com Modinhas Portuguesas
do século XIX e as Canções para canto e piano de Frederico de Freitas
com a pianista Helena Marinho.
Tem participado com regularidade nos principais festivais e
temporadas de música do país, em concertos, recitais e em galas
de ópera sob direção dos maestros Michael Corboz, James Colon,
Donato Renzetti, Frans Brüggen, Christopher Hogwood, Michael
Zilm, David Jimenez, Ernst Schelle, Adriano Martinolli, António
Saiote, Fernando Eldoro, Jorge Matta, Vasco Pearce de Azevedo,
António Vassalo Lourenço e César Viana, e ainda com os pianistas
Gabriela Canavilhas, João Paulo Santos, Carla Seixas, Ilda Ortin
e Shao Ling.
Para além dos concertos com diversas orquestras por todo o país,
em que se inclui a interpretação de obras como Carmina Burana,
Requiem de Mozart e 9ª Sinfonia de Beethoven, realiza,
com regularidade, gravações para a RTP, RDP e RTP Açores.
Obteve diversos prémios em concursos de canto, sendo de salientar
o 1º prémio no concurso de canto em “Cleveland International
Einsteddfod” (Inglaterra) e no concurso “Three Arts scholarship”
(EUA).
Recentemente, atuou no Coliseu do Porto ao lado de José Carreras
num espetáculo transmitido em direto pela RTP. Na sequência desta
atuação realizou, a convite deste prestigiado tenor, um concerto
onde interpretaram árias e duetos de ópera e zarzuela.
No campo da pedagogia, tem realizado masterclasses a convite de
universidades e conservatórios Portugueses. É, desde 1998, docente
do Departamento de Comunicação e Arte da Universidade de Aveiro.
Isabel Alcobia / Culturaviva
35
ARTISTAS & FORMAÇÕES
PEDRO
RODRIGUES
20 JUL
DOM / 16H00
CONCERTO
DE GUITARRA
A SOLO
Pedro Rodrigues
21/22 JUL
“A rising star of the classical guitar”
-20th Century Guitar Magazine
(USA) “Rodrigues’ transcription
manages to retain the heroicism
and cerimony this music radiates. From
the superb French-style Ouverture
(in which Pedro Rodrigues shows
his remarkable dexterity in the Grave
and adroit use of staccato to bring
out the “voices” in the three-part
fugue which follows) through to the
final movement, the Gigue which
provide a wonderfully exciting
climax, the player retains the sense
of majesty this work requires.” Classical Guitar Magazine (UK).
“Destaquem-se ainda os espetaculares intérpretes Monika Streitová
(flauta) e Pedro Rodrigues (guitarra), que mostraram que a música
contemporânea tem hoje em Portugal soberbos intérpretes
à disposição.” - Jornal Público (Portugal)
36
Ciclo de Música
SEG-TER / *
MASTERCLASS
DE GUITARRA
Pedro Rodrigues
(*) HORÁRIO A DEFINIR
“In both cases, Rodrigues’ skilful transcription very evocatively
transported us into the Baroque sound-world, preserving the public
grandeur of Händel as well as the private meditative style
of Bach. The ability to do justice to multiple melodic lines occurring
simultaneously in the bass and upper registers is quite a feat even
on a keyboard instrument, but Rodrigues was able to masterfully
convey this complex contrapuntal texture on the guitar. It
underscored why he is so highly respected in the music world for
his transcriptions.” - The Navhind Times (India)
“Pour la soirée d’ouverture, le guitariste portugais Pedro Rodrigues
faisait découvrir à l’assistance une partie de sa vaste palette avec,
entre autres, d’excellents arrangements de son cru; cela dans des
domaines aussi différents qu’une imposante suite de Haendel ou
que les colorées Quatro peças de son compatriote António Pinho
Vargas, l’ensemble étant donné avec une sonorité pleine et une
justesse de ton jamais prise en défaut.” - Guitarre Classique (França)
Vencedor do Artist’s International Auditions (Nova Iorque), Concorso
Sor (Roma), Prémio Jovens Músicos e premiado nos concursos
de Salieri-Zinetti, Paris, Montélimar, Valencia, Sernancelhe, entre
outros, Pedro Rodrigues iniciou o seu percurso musical aos 5 anos
de idade, tendo estudado com José Mesquita Lopes na Escola de Música
Pedro Rodrigues / Culturaviva
37
do Orfeão de Leiria, onde terminou os estudos com a classificação
máxima. Participou em masterclasses com David Russell,
Leo Brouwer, Joaquin Clerch e Darko Petrinjiak.
Posteriormente estuda com Alberto Ponce na École Normale
de Musique de Paris, onde recebe os diplomas superiores de Concertista
em Música de Câmara e Guitarra, este último com a classificação
máxima, unanimidade e felicitações do júri.
Sob a orientação de Paulo Vaz de Carvalho e Alberto Ponce concluiu
em 2011 o doutoramento na Universidade de Aveiro como bolseiro
da Fundação para a Ciência e Tecnologia.
Apresentou-se a solo em salas reconhecidas internacionalmente,
como Carnegie Hall de Nova Iorque, Salle Cortot de Paris, National
Concert Hall de Taipei, Ateneo de Madrid, Endler Hall de Cape Town,
India International Centre de Nova Deli, Sala Raúl Juliá de San Juan,
Centro Cultural de Belém, Casa da Música e ainda o Grande Auditório
da Fundação Gulbenkian.
Fez gravações para RTP, RDP, RTM, SABC, Cesky Rozhlas, WIPR
e gravou discos com as editoras Numérica, Nuova Venezia, Portugaler,
Slovart Music e JNS Music e foi solista com a Orquestra Gulbenkian,
Filarmonia das Beiras, Orquestra do Algarve, Orquestra Artave
entre outras. Colaborou com a Orchestrutópica, Grupo de Música
Contemporânea de Lisboa, Grupo Música Nova e Miso Music Portugal.
É igualmente convidado com regularidade para lecionar masterclasses
em conservatórios e universidades na Europa, América do Norte e Sul,
África e Ásia.
As suas transcrições estão editadas pela Mel Bay Publications
e Notação XXI.
38
Ciclo de Música
Pedro Rodrigues / Culturaviva
39
PROGRAMAÇÃO
40
Ciclo de Música
17
MAIO
SÁB / 21.30H
CORO ANONYMUS
CANTAR E CONTAR O AMOR
I. AMOR PURO
QUANDO EU SONHAVA
Almeida Garrett (1799-1854)
VAI INDO, AMOR, VAI INDO
Melodia e texto: Popular de Trás-os-montes
Arranjo: Fernando Lapa (*1950)
QUANTO, QUANTO ME QUERES?
Antonio Botto (1897-1959)
DO CICLO “E AS VOZES EMBARCAM...”
de Alfredo Teixeira (*1965)
- Benditos
- Que amor não me engana
UMA COISA INOCENTE
José Tolentino Mendonça (*1965)
DAS CANÇÕES TRADICIONAIS DO
FOLCLORE PORTUGUÊS
de F. Lopes-Graça (1906-1994)
- Ó meu amorzinho
- Senhora do Livramento
II. PAIXÃO
SONETO DO CATIVO
David Mourão-Ferreira (1927-1996)
MALES DE AMÔR - TROVAS POPULARES
Cláudio Carneyro (1895-1963)
- Por te amar deixei a Deus
- Lágrimas
- Fui à fonte dos amores
- Hei-de te amar ‘té à morte
- Assubi ao teu sentido
- Suspiros
ERGO UMA ROSA
José Saramago (1922-2010)
TENHO O NOME DE UMA FLOR
Eugénio de Andrade (1923-2005)
Mário Nascimento (*1972)
ENTRE DUAS FOLHAS
Eugénio de Andrade (1923-2005)
Filipe Pires (*1934)
III. AMOR ETERNO
POEMA MELANCÓLICO A NÃO
SEI QUE MULHER
Miguel Torga (1907-1995)
O SILÊNCIO
Eugénio de Andrade (1923-2005)
David Miguel (*1979)
NÃO POSSO ADIAR O AMOR
António Ramos Rosa (1924-2013)
GRAVA-ME COMO SELO
CÂNTICO DOS CÂNTICOS 8, 5-7
Alfredo Teixeira (*1965)
DÁ-ME A TUA MÃO
José Gomes Ferreira (1900-1985)
SONETO DO AMOR E DA MORTE (*)
Vasco Graça Moura (1942-2014)
David Miguel (*1979)
QUANTO MAIS AMADA MAIS DESISTO
Natália Correia (1923-1993)
PEQUENO POEMÁRIO DE SOPHIA
Sophia de Melo Breyner (1919-2004)
Eurico Carrapatoso (*1962)
1. Apesar
2. Pudesse
3. Se
(*) estreia absoluta
01
JUNHO
DOM//14H
16H
SÁBADO
COMEMORAÇÃO DO DIA
MUNDIAL DA CRIANÇA
PEDRO LAMARES
ENTRE NÓS E AS PALAVRAS (RECITAL)
A FÁBRICA DE PALAVRAS (OFICINA)
ENTRE NÓS E AS PALAVRAS
(Título retirado de um poema de Mário Cesariny).
Recital que assenta exclusivamente na poesia
em língua portuguesa.Focado principalmente
no século XX e XXI, de Pessoa até hoje, mas
revisitando Camões e Gil Vicente, é uma
partilha intimista das referências poéticas de
Pedro Lamares. O objectivo é, através das suas
experiências, partilhar a sua paixão pelo universo
poético, tentando desmistificar a relutância que
a maioria das pessoas (não só os adolescentes,
porque estes se tornam adultos e a distância
permanece) tem em relação à poesia.
Lê poemas, conta histórias sobre os autores ou
sobre a forma como fez a aproximação a esses
textos, peripécias do ofício, circunstâncias que lhe
pareçam relevantes para ajudar a uma adequação
mais tangível da poesia à nossa vida enquanto
cidadãos, agentes sociais, pessoas pensantes e
emocionais. Segue-se um momento de debate,
com perguntas da plateia que podem ter que ver
com a poesia, as escolhas do recital, o ofício de
ator, ou o que surgir espontaneamente.
Programação / Culturaviva
41
UMA COISA INOCENTE
José Tolentino Mendonça (*1965)
A FÁBRICA DE PALAVRAS
Oficina de palco e leitura que visa a
sensibilização para a leitura poética e a eficácia
na comunicação verbal e não verbal, bem como
a disciplina e concentração necessárias a um
comunicador.
Projeto criado por encomenda da campanha
Poesia à Mesa, em São João da Madeira em 2013,
onde foi levado a cabo com todos os quartos
anos das escolas do concelho. Tendo em conta
o sucesso da sua missão pedagógica e a grande
recetividade de que foi alvo, tem sido adotado
frequentemente por outras escolas, sendo
sempre adaptado ao contexto específico de cada
instituição, bem como à idade dos participantes.
A proposta consiste numa aula de 1h30, numa
sala ampla e sem mesas, onde são trabalhados
conceitos como o código de silêncio, a disciplina
e consciência corporal, a visão periférica e o
trabalho em equipa, sempre na perspetiva do
que é necessário a um intérprete de palco, mas
transversal à atitude em sala de aula, bem como
à comunicação com professor e colegas.
O primeiro passo é a integração de um código de
silêncio baseado na “folha branca”. É feito depois
um aquecimento físico e vocal, onde se trabalha
a respiração e articulação (de forma iniciática,
mas suficiente para despertar a atenção para
a ferramenta vocal) e abordam-se algumas
dinâmicas simples de deslocação no palco.
Por fim, é feita uma curta leitura de textos e
trabalha-se um texto coletivo a ser dito pelos
alunos, altura em que fica claro o benefício das
técnicas até então exploradas.
06
JULHO
DOM / 18H
CORO ANONYMUS
CANTAR E CONTAR O AMOR
I. AMOR PURO
QUANDO EU SONHAVA
Almeida Garrett (1799-1854)
VAI INDO, AMOR, VAI INDO
Melodia e texto: Popular de Trás-os-montes
Arranjo: Fernando Lapa (*1950)
QUANTO, QUANTO ME QUERES?
Antonio Botto (1897-1959)
DO CICLO “E AS VOZES EMBARCAM...”
de Alfredo Teixeira (*1965)
- Benditos
- Que amor não me engana
42
Ciclo de Música
DAS CANÇÕES TRADICIONAIS DO
FOLCLORE PORTUGUÊS
de F. Lopes-Graça (1906-1994)
- Ó meu amorzinho
- Senhora do Livramento
II. PAIXÃO
SONETO DO CATIVO
David Mourão-Ferreira (1927-1996)
MALES DE AMÔR - TROVAS POPULARES
Cláudio Carneyro (1895-1963)
- Por te amar deixei a Deus
- Lágrimas
- Fui à fonte dos amores
- Hei-de te amar ‘té à morte
- Assubi ao teu sentido
- Suspiros
ERGO UMA ROSA
José Saramago (1922-2010)
TENHO O NOME DE UMA FLOR
Eugénio de Andrade (1923-2005)
Mário Nascimento (*1972)
ENTRE DUAS FOLHAS
Eugénio de Andrade (1923-2005)
Filipe Pires (*1934)
III. AMOR ETERNO
POEMA MELANCÓLICO A NÃO
SEI QUE MULHER
Miguel Torga (1907-1995)
O SILÊNCIO
Eugénio de Andrade (1923-2005)
David Miguel (*1979)
NÃO POSSO ADIAR O AMOR
António Ramos Rosa (1924-2013)
GRAVA-ME COMO SELO
CÂNTICO DOS CÂNTICOS 8, 5-7
Alfredo Teixeira (*1965)
DÁ-ME A TUA MÃO
José Gomes Ferreira (1900-1985)
SONETO DO AMOR E DA MORTE
Vasco Graça Moura (1942-2014)
David Miguel (*1979)
QUANTO MAIS AMADA MAIS DESISTO
Natália Correia (1923-1993)
PEQUENO POEMÁRIO DE SOPHIA
Sophia de Melo Breyner (1919-2004)
Eurico Carrapatoso (*1962)
1. Apesar
2. Pudesse
3. Se
20
JULHO
DOM//14H
16H
SÁBADO
MÚSICOS
ELISEU SILVA
Violino I
PEDRO RODRIGUES
CONCERTO DE GUITARRA A SOLO
ANA PATRÍCIA LOPES
Violino II
PINHO VARGAS
EMANUEL VIEIRA
Viola I
4 peças
BRUNO SOUSA
Viola II
A. BARRIOS
ANA FILOMENA SILVA
Violoncelo I
- Mazurka Apasionatta
- El Ultimo Tremolo
FILIPE RORIZ
Violoncelo II
PEDRO LAMARES
Leituras
G. ROCHEBERG
Textos de David Mourão-Ferreira, Fernando
Pessoa, Sofia de Mello Breyner, etc.
AMERICAN BOUQUET
- My heart stood still
- I only have eyes for you
PROGRAMA
J. S. BACH
MOVIMENTO PERPÉTUO
Carlos Paredes - arr. Manuel Maio
PARTITA BWV 828
- Ouverture
- Allemande
- Courante
- Aria
- Sarabande
- Menuet
- Gigue
DESPERTAR
Carlos Paredes - arr. Manuel Maio
FADO PORTUGUÊS
Amália Rodrigues - arr. Fernando Lapa
21/22
JULHO
A NOITE, SOBRE UM TEMA DE CARLOS
PAREDES
Óscar Rodrigues
SEG
TER
/*
PEDRO RODRIGUES
MASTERCLASS DE GUITARRA
Informações no Curso de Música Silva Monteiro
(E.: [email protected] /
T.: 22 600 21 50)
20
SETEMBRO
SÁB / 16H
ENSAIO ABERTO
21
SETEMBRO
DOM / 16H
FOI DEUS
Amália Rodrigues - arr. Fernando Lapa
30
SETEMBRO
TER / 19H
ENSAIO ABERTO
01
OUTUBRO
QUA / 16H
LUSITANAE ENSEMBLE
COMEMORAÇÃO DO DIA
MUNDIAL DA MÚSICA
AS ESTAÇÕES DE VIVALDI
E PIAZZOLLA
LUSITANAE ENSEMBLE
CONCERTO DE MÚSICA DE CÂMARA
FADO REVISITADO
(*) HORÁRIO A DEFINIR
Programação / Culturaviva
43
ANOS 20/30
Valsa em Sol maior (Flávio Rodrigues)
Variações em Lá menor (Jorge Morais
“Xabregas”)
Variações em Sol maior (Artur Paredes)
MÚSICOS
ELISEU SILVA
Violino I
ANA PATRÍCIA LOPES
Violino II
ANOS 30/40
Variações em Lá maior (António Carvalhal)
Variações em Ré menor (Armando Carvalho
Homem)
Variações em Lá menor (José Amaral)
ANDRÉ SILVA
Violino III
EMANUEL VIEIRA
Viola
FILIPE RORIZ
Violoncelo
ANOS 50/60
Variações em Lá menor (João Bagão)
Estudo em Lá (António Brojo)
COMENTÁRIOS
Eugénio Amorim
ANOS 70
Renascer (Álvaro Aroso)
PROGRAMA
CARLOS PAREDES
Variações sobre uma dança popular
(Carlos Paredes)
ANTÓNIO VIVALDI
La Primavera
I. Allegro
II. Largo e pianissimo
III. Allegro pastorale
ANTÓNIO VIVALDI
L’autunno
I. Allegro
II. Adagio molto
III. Allegro
DOM / 16H
VIAGENS COM A GUITARRA
PORTUGUESA
MÚSICOS
ÁLVARO AROSO
Guitarra portuguesa (coimbrã)
JOSÉ SANTOS PAULO
Guitarra portuguesa (coimbrã)
EDUARDO AROSO
Viola dedilhada (guitarra clássica)
PROGRAMA
12 PEÇAS E 12 AUTORES
Verdes Anos (Carlos Paredes)
SÉC XIX/XX
Bailados do Minho (Anthero da Veiga)
Ciclo de Música
NOVEMBRO
CONCERTO DE MÚSICA
DE CÂMARA E CANTO
TRÍSSONO
44
16
LUSITANAE ENSEMBLE
ISABEL ALCOBIA
ASTOR PIAZZOLLA
Invierno Porteño
OUTUBRO
NOVEMBRO
SÁB / 16H
ENSAIO ABERTO
ASTOR PIAZZOLLA
Verano Porteño
19
15
MÚSICOS
ISABEL ALCOBIA
Soprano
ELISEU SILVA
Violino I
ANA PATRÍCIA LOPES
Violino II
EMANUEL VIEIRA
Viola
ANA FILOMENA SILVA
Violoncelo
EUGÉNIO AMORIM
Comentários
PROGRAMA
ANTONIN DVORAK
Quarteto Americano
I. Allegro ma non troppo
II. Lento
III. Allegro vivaci
IV. Finale. Vivace ma non troppo
DOM / 16H
GIOVANNI B. PERGOLESI (DE STABAT MATER)
Ária - Cujus animam gementem
Ária - Vidit suum dulcem natum
GEORG F. HÄNDEL (DE O MESSIAS)
Ária – He shall feed His flock like a shepherd
Recitativo - Thy Rebuke hath broken His heart
Ária – Behold, and see if there be any sorrow
Recitativo - He was cut out of the land of the living
Ária – But Thou didst not leave his soul in hell
JOHANN SEBASTIAN BACH (DE ORATÓRIA DE
PÁSCOA)
Ária – Seele, deine Spezereien
JOÃO DE SOUSA CARVALHO (DE TE DEUM)
Ária - Tibi omnes angeli
17/18
SEG
TER
NOVEMBRO
/*
ISABEL ALCOBIA
ANA FILOMENA SILVA
Violoncelo I
FILIPE RORIZ
Violoncelo II
PROGRAMA
ARCANGELO CORELLI
Concerto per la notte di natale
I. Vivace, Grave
II. Allegro
III. Adagio, Allegro, Adagio
IV. Vivace
V. Allegro
VI. Largo - Pastorale ad libitum
ANTONIO VIVALDI
Concerto para quatro violinos RV 550
I. Andante
II. Allegro Assai
III. Allegro
MASTERCLASS DE CANTO
Informações no Curso de Música Silva Monteiro
(E.: [email protected] /
T.: 22 600 21 50)
13
DEZEMBRO
SÁB / 16H
ENSAIO ABERTO
14
DEZEMBRO
DOM / 16H
LUSITANAE ENSEMBLE
CONCERTO DE MÚSICA DE CÂMARA
CONCERTO GROSSO DE NATAL
MÚSICOS
ELISEU SILVA
Violino I
ANA PATRÍCIA LOPES
Violino II
JULIANA SANTOS
Violino III
ANDRÉ SILVA
Violino IV
EMANUEL VIEIRA
Viola I
BRUNO SOUSA
Viola II
(*) HORÁRIO A DEFINIR
Programação / Culturaviva
45
INFORMAÇÕES
ÚTEIS
COMO
CHEGAR
MAIS
INFORMAÇÕES
Culturaviva decorre no auditório da Fundação Manuel António da Mota
Entrada livre, limitada ao número de lugares disponíveis
Não é permitida a entrada no auditório após o início dos espetáculos
Programação sujeita a alterações sem aviso prévio
METRO
www.metrodoporto.pt
COORDENADAS GPS
41° 9’ 21.0918”N, 8° 37’ 43.845”W
Fundação Manuel António da Mota
Praça do Bom Sucesso, 74-90, piso 1
4150-146 Porto
Tel.: +351 226 079 100
Fax.: +351 225 191 220
Email: [email protected]
www.fmam.pt
46
Ciclo de Música
AUTOCARRO
www.stcp.pt
Título Culturaviva Ciclo de Música
Autor Fundação Manuel António da Mota
Conceção e Design WHITE_Brand Services
Tiragem 1.000 exemplares
Informações úteis / Culturaviva
47
Culturaviva
FUNDAÇÃO MANUEL ANTÓNIO DA MOTA
PRAÇA DO BOM SUCESSO, 74-90, PISO 1
4150-146 PORTO
PORTUGAL
T.: +351 226 079 100
F.: +351 225 191 220
E.: [email protected]
48
Ciclo de Música

Documentos relacionados

Música na Escola 2015 - Centro Cultural de Ílhavo

Música na Escola 2015 - Centro Cultural de Ílhavo Lourenço, Vasco Pearce de Azevedo, Alessandro Murzi, Rui Pinheiro, António Saiote, Christopher Bockman, Álvaro Cassuto, Martin André, Chris Redsell, Jean Sébastien Béreau, Ernst Schelle, Pedro Neve...

Leia mais

programa mai-dez 2016 - Fundação Manuel António da Mota

programa mai-dez 2016 - Fundação Manuel António da Mota Joahnes Skudlik, Filipe Veríssimo, Toby Hoffman, Cesário Costa, Pedro Neves, Jean-Marc Burfin, Sérgio Alapont, Emilio Pomarico. Enquanto membro da Orquestra Aproarte acompanhou os solistas Mischa M...

Leia mais