Pet Shop - Center Pel - ETEc Paulino Botelho

Сomentários

Transcrição

Pet Shop - Center Pel - ETEc Paulino Botelho
ELLEN PRISCILA SACILOTI
FERNANDA DIAS DE SOUZA ELEOTÉRIO
FLAVIA CAROLINE GATTI
KELY GIANE CASALE
NATÁLIA DA SILVA LINHARES
NAYARA ISABELE SOTO
PET SHOP: CENTER PET
SÃO CARLOS
2015
2
ELLEN PRISCILA SACILOTI
FERNANDA DIAS DE SOUZA ELEOTÉRIO
FLAVIA CAROLINE GATTI
KELY GIANE CASALE
NATÁLIA DA SILVA LINHARES
NAYARA ISABELE SOTO
PET SHOP: CENTER PET
Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Centro Paula Souza – ETEC Paulino Botelho para
obtenção do título de Técnico em Administração.
Professor Responsável: Antônio Carlos Maria Júnior
SÃO CARLOS
2015
2
3
ELLEN PRISCILA SACILOTI
FERNANDA DIAS DE SOUZA ELEOTÉRIO
FLAVIA CAROLINE GATTI
KELY GIANE CASALE
NATÁLIA DA SILVA LINHARES
NAYARA ISABELE SOTO
Trabalho de Conclusão de Curso apresentado ao Centro Paula Souza – ETEc
Paulino Botelho para obtenção do título de Técnico em Administração.
Professor Responsável: Antônio Carlos Maria Júnior
PET SHOP: CENTER PET
Professor Responsável: Antônio Carlos Maria Júnior
Professor da UE:
Professor da UE:
São Carlos, ___ de julho de 2015
3
4
4
5
AGRADECIMENTOS
Agradecemos quem nos deu apoio durante toda a
caminhada, a nossa família e amigos, professores,
e ao pet shop “Amigocão e Cia” pelo apoio com os produtos
para montagem do trabalho.
5
6
EPÍGRAFE
“Eles vivem menos porque já nascem sabendo amar
de um jeito que nós levamos a vida inteira para aprender.”
6
7
RESUMO
Neste trabalho abordaremos o planejamento e o desenvolvimento de um Pet Shop
com o nome Center Pet, que oferecerá produtos para pet, como acessórios, rações
e medicamentos e serviços de hotelaria, banho e tosa com serviço de leva e traz,
delivery de produtos, dog walker e adestrador.
No primeiro capítulo, serão abordados todos os temas ligados à Constituição,
Legalização da Empresa e o processo de aprovação nos órgãos competentes. No
segundo capítulo será voltado a estabelecer tópicos importantes para a Gestão
Empresarial, como a missão, visão, valores e ética da empresa, a responsabilidade
social nela existente e o quão importante ela poderá se tornar para a economia local,
visto que o ramo de serviços para animais está em alta na economia mundial. No
terceiro capítulo, Gestão de Marketing, enfatizaremos o quanto a área de gestão de
marketing afeta a vida da empresa, apresentaremos algumas ações e estratégias,
como: campanhas publicitarias, a fidelização do cliente, identificamos nossos
principais concorrentes, as pesquisas de mercado e a logomarca. No próximo
capitulo Gestão de Materiais, Operações e Logística, definiremos rotinas de
seguranças, a importância da CIPA, nossos principais fornecedores, o arranjo físico
da nossa empresa, além dos principais equipamentos que serão necessários para
as áreas de atuação da nossa empresa. O quinto capítulo, Gestão de Pessoas, trata
de como nossa empresa se preocupa com o colaborador, as relações das funções
com o organograma, a folha de pagamento, além das normas regulamentadoras e o
sindicato de classe. O sexto capítulo o leitor terá uma visão do sistema de Gestão
Ambiental, ou seja, todos os processos e atividades que nossa empresa irá
reproduzir no âmbito da responsabilidade socioambiental. O último capitulo abordará
a Gestão Financeira, de importância total para a empresa existir, abordará as
principais ações que uma empresa deve realizar para manter-se saudável e
conseguir arcar com seus custos e alcançar o principal objetivo de uma empresa,
gerar lucro.
Palavras-chave: Pet Shop, Banho e Tosa, Hotel, Animais.
7
8
ABSTRACT
In this paper will discuss the planning and development of a Pet Shop with the name
Center Pet, that offer pet products, like accessories, diets and medications and hotel
services, bathing and grooming with lev Service and brings, delivery products, dog
walker and trainer.
In the first chapter will be covered all topics related to the Constitution, Legalisation of
the Company and the approval process with the competent agencies. The second
chapter will be dedicated to establishing important topics for Business Management,
as the mission, vision, values and business ethics, social responsibility and how
important it may become to the local economy, since the branch of service to animals
is on the rise in the global economy. In the third chapter, Marketing Management, we
will emphasize how much the area of marketing management affects the company's
life, will present some actions and strategies, such as advertising campaigns,
customer loyalty, we identified our key competitors, market research and logo. In the
next chapter Materials Management, Operations and Logistics, will define security
routines, the importance of CIPA, our main suppliers, the physical arrangement of
our company, and such major equipment that will be needed for the business areas
of our company. The fifth chapter, Personnel Management, discusses how our
company cares about employee and relations of functions of the organization chart,
payroll, and standards regulatory class union. In the sixth chapter the reader will
have a vision of environmental management system, that is, all processes and
activities that our company will reproduce in the social and environmental
responsibility. The last chapter deals with the Financial Management of the total
amount for the company exists, will address the main actions that a company must
do to stay healthy and to afford its costs and reach the main objective of a company
to generate profit.
Keywords: Pet Shop, Bath and Groom, Hotel, Pets.
8
9
SUMÁRIO
CONSTITUIÇÃO E LEGALIZAÇÃO DA EMPRESA ................................................ 12
1.1 Pesquisa de Mercado .......................................................................................... 12
1.2 Razão Social ....................................................................................................... 13
1.3 Localização da Empresa ..................................................................................... 13
1.4 Enquadramento e Porte da Empresa .................................................................. 15
1.6 Ramo de atividade .............................................................................................. 15
1.7 Objeto Social da Empresa ................................................................................... 15
1.8 Quantidade de Sócios ......................................................................................... 16
1.9 Capital social e Participação dos sócios.............................................................. 16
1.10 Contrato Social .................................................................................................. 16
1.11 Abertura da Empresa ........................................................................................ 17
1.12 Código Brasileiro de Defesa do Consumidor..................................................... 19
GESTÃO EMPRESARIAL ............................................... Erro! Indicador não definido.
2.1 Missão ................................................................................................................. 21
2.2 Visão ................................................................................................................... 21
2.3 Ética .................................................................................................................... 21
2.4 Valores ................................................................................................................ 22
2.5 O organograma da empresa e suas definições ................................................... 22
2.6 A empresa em relação à globalização ................................................................ 23
2.7 A empresa em relação à economia do país ........................................................ 23
2.8 Responsabilidade social da empresa .................................................................. 24
2.9 Ação social praticada pela empresa .................................................................... 25
2.10 Prever a necessidade de adaptação da empresa à tecnologia. ........................ 25
GESTÃO DE MARKETING....................................................................................... 27
3.1 Produtos ou serviços ........................................................................................... 27
3.1.1 Produtos ........................................................................................................... 27
3.2 Identificação da concorrência .............................................................................. 27
3.3 A pesquisa de mercado ....................................................................................... 28
3.4 Identificação das necessidades do clientes......................................................... 28
3.5 Criação da logomarca ......................................................................................... 29
9
10
3.6 Desenvolvimento da embalagem e suas funções ............................................... 30
3.7 Tipos de propaganda .......................................................................................... 30
3.8 A criação de mensagens ..................................................................................... 31
3.9 Escolha da mídia: televisão, rádio, mala direta, imprensa escrita ....................... 32
3.10 Promoção de vendas......................................................................................... 32
3.11 Ações de pós venda .......................................................................................... 32
3.12 Canais de distribuição ....................................................................................... 33
3.13 Descontos ......................................................................................................... 33
3.14 Condições de pagamento.................................................................................. 33
GESTÃO DE MATERIAIS, PRODUÇÃO E LOGÍSTICA .......................................... 35
4.1 Elaboração do físico ............................................................................................ 35
4.2 Diagrama de fluxo de processo de produção ou serviço ..................................... 35
4.3 Política em relação a estoques de matéria prima e produtos acabados ............. 36
4.4 Definição dos equipamentos necessários ........................................................... 37
4.5 Descrição do processo produtivo ........................................................................ 40
4.6 Definição das rotinas de proteção de segurança ................................................ 40
4.7 Definição dos fornecedores ................................................................................. 41
GESTÃO DE PESSOAS ........................................................................................... 43
5.1 Recrutamento e seleção de pessoal ................................................................... 43
5.2 Treinamento e desenvolvimento organizacional ................................................. 43
5.3 Benefícios sociais e relações trabalhistas ........................................................... 44
5.4 Sistemas de informações de RH ......................................................................... 44
5.5 Elaboração da folha de pagamento..................................................................... 45
5.7 Segurança e medicina no trabalho ...................................................................... 46
5.8 Descrição de cargo em relação ao organograma................................................ 47
5.9 Sindicato de classe ............................................................................................. 49
GESTÃO AMBIENTAL ............................................................................................. 50
6.1 Prever possíveis impactos ambientais e propor soluções para minimizá-los ...... 50
6.2 Prever um SGA (sistema de gestão ambiental) de caráter permanente ............. 51
10
11
6.3 Prever alguns projetos de responsabilidade sócio ambiental .............................. 51
6.4 Programa de prevenção de riscos ambientais (PPRA- NR9) .............................. 52
GESTÃO FINANCEIRA ............................................................................................ 55
7.1 A importância e a responsabilidade da gestão financeira na empresa ............... 55
7.2 Investimento inicial .............................................................................................. 55
7.3 Depreciação dos equipamentos .......................................................................... 58
7.4 Despesas fixas .................................................................................................... 59
7.5 Determinação dos valores dos impostos ............................................................. 60
7.6 Definição do preço de venda ............................................................................... 61
7.7 Balanço patrimonial ............................................................................................. 62
7.8 Fluxo de caixa ..................................................................................................... 64
ANEXOS ................................................................................................................... 65
ANEXO 1: Contrato Social ........................................................................................ 65
ANEXO 2: Organograma ........................................................................................... 68
ANEXO 3: Produtos e serviços ................................................................................. 69
ANEXO 4: Pesquisa de mercado .............................................................................. 87
ANEXO 5: Diagrama de Processo de Atendimento ao cliente .................................. 90
ANEXO 6: NORMA REGULAMENTADORA 6 - NR 6 .............................................. 95
ANEXO 7: NR 17 - NORMA REGULAMENTADORA 17 ......................................... 100
Referências Bibliográficas ................................................................................... 106
11
12
CAPITULO 1
CONSTITUIÇÃO E LEGALIZAÇÃO DA EMPRESA
1.1 Pesquisa de Mercado
O objetivo da pesquisa de mercado é definir as expectativas da venda de um
produto no mercado e indicar qual é o melhor meio de se obter bons resultados.
Todas as decisões relacionadas a novos empreendimentos possuem certo grau de
incerteza, assim, a pesquisa de mercado é uma ferramenta de orientação para as
decisões a serem tomadas. Porém, a informação por si só não leva a decisão e nem
ao sucesso: é preciso escolher um curso de ação que ajude a identificar os
problemas e as oportunidades.
Os animais de estimação representam um valioso mercado para vários segmentos
de negócios: Pet Food (alimento), Pet Vet (medicamentos veterinários), Pet Serv
(serviços e cuidados com os animais), e Pet Care (equipamentos, acessórios e
produtos para higiene e beleza).
O pet shop tem como objetivo oferecer serviços e produtos de ampla variedade,
desde serviços de hotelaria 24 horas, banho e tosa com serviço de leva e traz,
consultório veterinário, dog walker (passeio com cães), adestramento e delivery de
produtos, como rações, coleira, roupas, caminhas, casinhas, shampoos, remédios,
vitaminas, vacinas, entre outros. Além disso de produtos e serviços é importante
fornecer informação aos clientes, tirar dúvidas e trazer novidades para o mercado.
Segundo dados da ABINPET (2013), no Brasil existem cerca de 37,1 milhões de
cães, 26,5 milhões de peixes e 21,3 milhões de gatos, com o país ficando em 4º
lugar no ranking mundial de animais de estimação. Dados da ASSOFAUNA (2013)
indicam que 63% das famílias brasileiras de classe A e B possuem algum tipo de
animal de estimação e os considera como membros da família.
De acordo com os dados citados acima, há uma maior procura por estabelecimentos
voltados para este setor, que deve estar sempre em busca de um diferencial.
12
13
1.2 Razão Social
Razão social é a denominação e a assinatura pelos quais é conhecida uma empresa
comercial. É o atributo legal que consta na escritura ou documento de constituição
para identificar uma pessoa jurídica e demonstrar sua constituição legal.
No momento de registro de uma razão social, o órgão competente ao registro da
empresa deverá pesquisar se algum nome semelhante ou parecido já existe com a
opção escolhida. Se houver nomes semelhantes, não é possível cadastrar. É o
nome que a empresa fornece a junta comercial e é reconhecido juridicamente.
Também chamada de Firma social, compõe-se individual de um, alguns, ou de todos
os sócios, acrescido da sigla social que pode ser Ltda., S/S, & Cia., conforme o tipo
de sociedade de que se tratar.
Definimos que a Razão Social da nossa empresa é Center Pet Comercial Ltda,
conforme a prévia consulta realizada no portal da Junta Comercial do Estado de São
Paulo (JUCESP).
1.3 Localização da Empresa
O ponto comercial é fundamental para o bom desempenho de vendas do negócio. A
escolha do ponto ideal consiste em considerar prioritariamente a concorrência, a
visibilidade, o perfil dos consumidores locais, entre outros.
No caso do serviço de hotelaria, é preciso que o local escolhido tenha um certo
isolamento de áreas residenciais, já que a noite os animais podem ficar mais
agitados e provocarem barulho, ocasionado por ruídos em geral. Caso isso ocorra,
os vizinhos podem reclamar e inviabilizar o funcionamento da hotelaria.
A empresa está localizada na Rua Doutor Duarte Nunes, esquina com a Avenida
Sallum, no bairro Vila Prado, São Carlos – SP. Atualmente é um importante centro
comercial da cidade.
A localização da empresa pode ser vista nas figuras 1 e 2.
13
14
Figura 1: Localização da empresa
Figura 2: Vista frontal da localização da empresa
14
15
1.4 Enquadramento e Porte da Empresa
O Empresário poderá se enquadrar como Microempresa (ME) ou Empresa de
Pequeno Porte (EPP), desde que atenda aos requisitos da Lei Complementar 123,
de 14 de dezembro de 2006. O enquadramento será efetuado mediante declaração
para essa finalidade, cujo arquivamento deve ser requerido em processo próprio.
O enquadramento pode ser dividido quanto a receita bruta anual em:
I- Empreendedor Individual - EI - Lei 123/06 - Até R$ 60.000,00;
II- Microempresa - ME - Lei 123/06 – De R$60.000,01 até R$ 360.000,00;
III- Empresa de Pequeno Porte - EPP - Lei 123/06 - De R$ 360.000,01 até
R$ 3.600.000,00.
De acordo com os parâmetros citados, a empresa Center Pet Comercial Ltda
enquadra-se como EPP, Empresa de Pequeno Porte.
1.6 Ramo de atividade
O ramo de atividade de uma empresa é a área do mercado em que ela atua a
atividade por ela prestada ou exercida.
Nosso ramo de atividade é atender as necessidades em produtos e serviços do
mercado de Pet Shop.
1.7 Objeto Social da Empresa
Gêneros
- Comércio
Espécies
- De produtos de
embelezamento e acessórios
para pets
- De produtos para
alimentação animal
- De medicamentos
veterinários (remédios e
vacinas)
15
16
- De banho e tosa, com leva
e traz
- De clínica veterinária
- De dog walker
- De adestramento
- De delivery de produtos
- De hotelaria para cães e
gatos
- Serviços
Tabela 1: Objeto social da empresa
1.8 Quantidade de Sócios
A empresa Center Pet terá 2 sócios.
1.9 Capital social e Participação dos sócios
O capital social é o valor inicialmente investido na empresa. O capital social do
Center Pet é de R$211.400,00, divididos em cotas de R$1,00 (um real) cada,
sendo dividido entre os sócios da seguinte forma:
SÓCIO
Nº DE COTAS
%
CAPITAL
FLAVIA GATTI
105700
50
R$105.700,00
105700
50
R$105.700,00
211400
100
R$211.400,00
NATÁLIA
LINHARES
TOTAIS
Tabela 2: Capital social e participação dos sócios
1.10 Contrato Social
O contrato social é um documento que estabelece as normas de uma empresa,
visando o relacionamento entre os sócios e a sociedade formada.
Nosso contrato social detalhado está disposto no anexo 1.
16
17
1.11 Abertura da Empresa
Sabemos que a abertura, registro e legalização de uma empresa é um processo
complexo, pois envolve a análise e registro desta em diversos órgãos públicos,
como registro na Junta Comercial e inscrições em outros órgãos como Receita
Federal (CNPJ), Secretaria de Fazenda do Estado (inscrição estadual e ICMS) e
Prefeitura Municipal (Alvará de funcionamento). Para isso, primeiramente definimos
o ramo de atividade e localização da empresa, e a partir dessas decisões iremos
seguir os passos citados abaixo para legalizarmos a abertura da empresa Center
Pet.
1º passo:
Para iniciar a abertura da empresa, primeiramente devemos escolher o tipo
societário. Nós escolhemos o tipo Sociedade Limitada, ou seja, todos os sócios
respondem de forma limitada pelas obrigações, de acordo com as quotas de cada
sócio.
2º passo:
Definir o nome da empresa. Antes de fazer o requerimento para o registro, é
necessário realizar uma pesquisa prévia de nome empresarial para evitar o registro
de duas empresas com o mesmo nome. Essa consulta pode ser realizada através
do site da Junta Comercial do Estado de São Paulo (JUCESP).
3º passo:
Nessa fase é necessário providenciar todos os documentos necessários, tanto dos
sócios quanto do imóvel, para que seja elaborado o contrato social.
4º passo:
Elaborar o contrato social. Depois de elaborado, é necessário apresenta-lo na Junta
Comercial.
17
18
5ª passo:
Providenciar as documentações nos órgãos de registro.
- Junta Comercial (JUCESP): Deve ser entregue o Contrato Social juntamente com
todos os documentos exigidos pelo órgão;
- Receita Federal: Deve ser solicitado o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa
Jurídica);
- Secretaria da Fazenda do Estado: Já que iremos comercializar produtos, iremos
recolher o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), o que,
consequentemente, faz que seja obrigatório o registro na Secretaria da Fazenda do
Estado.
- Prefeitura Municipal de São Carlos: Será realizado o cadastro Municipal (inscrição
municipal)
- Cadastro INSS
- Registro em sindicato
- Inscrição no conselho de classe: Conselho Regional de Medicina Veterinária
(CRMV)
Por contar com o serviço de um médico veterinário, a empresa terá que firmar um
contrato com ele como responsável técnico, cuja finalidade de se submeter à análise
no que concerne ao prisma ético-profissional. O profissional médico veterinário
deverá ser portador de carteira profissional expedida pelo Conselho Federal de
Medicina Veterinária ou pelos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária,
conforme dispõe a Lei nº 5.517/68.
- Departamento de Defesa Animal da Secretaria de Defesa Agropecuária do
Ministério da Agricultura: Deve-se fazer, obrigatoriamente, o registro todo
estabelecimento que fabrique, manipule, fracione, comercie, armazene, importe ou
exporte produtos veterinários para si ou para terceiros.
- Alvará de Funcionamento: documentação que autoriza o funcionamento de
atividades comerciais, industriais, institucionais, de prestação de serviços e similares
pretendidas pelo interessado.
- Licenciamento CETESB;
- Corpo de Bombeiros;
- Vigilância Sanitária.
18
19
Seguidos os processos de andamento e aprovação da empresa nos órgãos públicos
a empresa está pronta para comercialização e atuação no mercado.
1.12 Código Brasileiro de Defesa do Consumidor
Dos Direitos Básicos do Consumidor
Art. 6º São direitos básicos do consumidor:
II - a educação e divulgação sobre o consumo adequado dos produtos e serviços, asseguradas a
liberdade de escolha e a igualdade nas contratações;
III - a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação
correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que
apresentem;
IV - a proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais,
bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços.
O código de defesa do consumidor regido pela lei n° 8.078, de 11 de setembro de
1990, abrange as relações de consumo em todas suas esferas:
Penal: fazendo- se uma análise e estabelecendo novas formas de crime e as
devidas punições para as mesmas.
Administrativa: elaborando os mecanismos necessários para o poder público aturar
nas relações de consumo.
Civil: estabelecendo as responsabilidades e os meios para a reparação de danos
causados aos consumidores.
As empresas que fornecem serviços e produtos no mercado de consumo devem
observar as normas de proteção ao consumidor estabelecidas pelo Código de
Defesa do Consumidor (CDC). O CDC foi instituído pela Lei nº 8.078 em 11 de
setembro de 1990, com o objetivo de regular a relação de consumo em todo o
território brasileiro, em busca do reequilíbrio na relação entre consumidor e
fornecedor, seja reforçando a posição do primeiro, seja limitando certas práticas
abusivas impostas pelo segundo. (SEBRAE, 2004, p.27).
A Center Pet estará sempre em busca de fazer o melhor, atendendo as
necessidades de seus clientes e deixando-os o mais satisfeito possível com nossos
serviços. Estabeleceremos uma relação saudável com nossos clientes, baseada na
19
20
honestidade, respeito e principalmente, dentro da lei, que inclui o Código Brasileiro
de Defesa do Consumidor.
Citamos no início um trecho do Código Brasileiro de Defesa do Consumidor. Iremos
mantê-lo disponível para consulta em nossa loja, caso o cliente necessite de alguma
informação.
20
21
CAPÍTULO 2
GESTÃO EMPRESARIAL
2.1 Missão
Segundo Oliveira, missão é a razão de ser da empresa, a conceituação do
horizonte, dentro do qual a empresa atua ou poderá atuar no futuro.
A missão da nossa empresa é oferecer produtos e serviços de alta qualidade para
os animais de estimação, sendo uma empresa responsável em dar conforto, bom
atendimento e segurança aos seus clientes.
2.2 Visão
A visão pode ser percebida como a direção desejada, o caminho que se pretende
percorrer, uma proposta do que a empresa deseja ser a médio e longo prazo e,
ainda, de como ela espera ser vista por todos.
Seguindo esse conceito, a visão do Center Pet é ser reconhecida como um pet shop
com amplos serviços, desde hotelaria a clínica veterinária, com excelência e alta
qualidade no atendimento e comodidade aos animais de estimação e seus donos.
2.3 Ética
Num cenário globalizado de hoje, percebe-se que há muitas cobranças e as
exigências por parte da sociedade, pela transparência dentro das organizações.
Essa exigência cobre a forma de relacionamento com os clientes, fornecedores, e
qualquer coisa ligada à empresa, para que não sejam enganados. Terra (2008)
afirma que a ética empresarial pode ser a alma do negócio para combater a acirrada
concorrência do mundo globalizado.
21
22
Com isso, a ética da empresa será se concentrar em cumprir as obrigações legais
dentro de normas preestabelecidas e ter seus serviços com clientes satisfeitos
sempre com transferência e respeito.
2.4 Valores
Os valores organizacionais podem ser definidos como princípios que guiam a vida
da organização, tendo um papel tanto de atender seus objetivos quanto de atender
às necessidades de todos aqueles a sua volta.
Os valores da empresa Center Pet são:
- Compromisso com a satisfação do cliente;
- Ética na condução das atividades;
- Excelência no atendimento a clientes, animais, fornecedores e colaboradores;
- Trabalho em equipe na busca constante de inovação de produtos e serviços.
2.5 O organograma da empresa e suas definições
O organograma é a representação gráfica da estrutura de uma organização ou
instituição, que representa os elementos que a constituem, as relações entre eles e
as suas funções.
Num organograma, os órgãos são dispostos em níveis que representam a hierarquia
existente entre eles. Em um organograma vertical, quanto mais alto estiver o órgão,
maior a autoridade e a abrangência da atividade.
O organograma da nossa empresa está organizado pelas funções que são previstas
durantes todos os processos e está disposto no anexo 2.
22
23
2.6 A empresa em relação à globalização
O mercado de Loja de Animais – Pet Shop no Brasil é um mercado que cresce 17%
ao ano e movimenta cerca de 14 bilhões de reais. O setor foi impulsionado,
principalmente, devido ao investimento das indústrias de rações em publicidade e
aprimoramento dos canais de distribuição.
O Brasil é o segundo país com a maior população de pets do mundo. A ração
industrializada, que era privilégio de animais de pessoas das classes A e B, passou
também a ser consumida pela classe C.
De acordo com a Anfalpet - Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos para
Animais de Estimação no Brasil, existem 100 mil pontos de venda de produtos
direcionados aos bichos de estimação no Brasil. Desse total, aproximadamente 40
mil são Lojas de Animais - Pet Shops. O gasto médio com produtos e serviços per
capita/ano é de R$ 390,00 (raças pequenas) a R$ 760,00 (raças grandes) entre
insumos farmacêuticos, vacinas, embelezamento e acessórios, que no total
representam R$ 14 bilhões de faturamento para o setor.
Hoje, há 32 milhões de cães, 19,5 milhões de pássaros, 16 milhões de gatos, 7,5
milhões de peixes no país. Esses números levam o Brasil, no mercado mundial, ao
segundo lugar em população de cães e gatos, quarto lugar em população de
animais de companhia, o segundo em volume de produção e o sétimo em
faturamento.
Diante desse mercado competitivo a nossa empresa busca sempre diversos
diferenciais, prestando serviços de alta qualidade, possuindo atendimento
qualificado e diferenciado.
2.7 A empresa em relação à economia do país
A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação
(Abinpet) calculou que o Brasil faturou em 2013 em torno de R$ 15,4 bilhões. Um
aumento de 8,3% em relação a 2012, permanecendo em segundo lugar em nível
mundial, atrás dos Estados Unidos.
Em termos de mercado doméstico, quanto à população de animais de estimação, o
Brasil se classifica em quarto lugar no ranking mundial: a Abinpet estima que são
37,1 milhões de cães, 26,5 milhões de peixes, 21,3 milhões de gatos, 19,1 milhões
23
24
de aves e 2,7 milhões de outros animais que movimenta o setor. De acordo com a
pesquisa, o Sudeste detém uma participação de 46%, seguido pelo Nordeste, com
23%. O Sul e Centro-Oeste representam cada um 15% do total.
Segundo a Assofauna, 63% das famílias brasileiras de classe A e B possuem
animais de estimação e os consideram como membros da família.
O Brasil possui a terceira maior população de cães do mundo, ficando somente atrás
dos Estados Unidos e China, e 90% do volume de pet food é destinada a eles.
Estima-se que em 3 anos o percentual de cães e gatos alimentados com ração no
Brasil avance da atual faixa para 50%, para depois crescer a taxas menores.
Com esse cenário favorável no mercado pet brasileiro, podemos ressaltar que a
empresa Center Pet além de oferecer produtos e serviços de qualidade, irá trazer
um aquecimento na economia da cidade de São Carlos.
2.8 Responsabilidade social da empresa
A empresa socialmente responsável é aquela que possui a capacidade de ouvir os
interesses das diferentes partes (acionistas, funcionários, prestadores de serviço,
fornecedores, consumidores, comunidade, governo e meio ambiente) e consegue
incorporá-los no planejamento de suas atividades, buscando atender as demandas
de todos e não apenas dos acionistas ou proprietários. (MAÑAS, 2007, p.181).
Sabemos o quanto é importante e valorizada essa questão, e por isso iremos adotar
2 medidas relacionadas à responsabilidade social:
- Castração a baixo custo: buscando solucionar o problema de excessos animais
abandonados nas ruas, iremos realizar castrações de cães e gatos à baixo custo
para famílias com baixa renda, cobrando somente o custo fixo com as cirurgias.
Além disso, uma vez por ano, iremos recolher animais das ruas e abrigos/canis
também para fazer a cirurgia de castração.
- Auxilio a ONGs e abrigos que cuidam de animais: faremos campanhas de doação
de alimentos para doação a ONG’s da cidade e abrigos que cuidam de animais
abandonados e que estão para adoção.
24
25
2.9 Ação social praticada pela empresa
Sabemos da importância da ação social para a melhora da sociedade em que
vivemos. Em São Carlos temos várias entidades que retiram animais abandonados
das ruas, cuidam e posteriormente os coloca para adoção.
Para ajudar essas entidades da cidade, iremos distribuir porções de ração para as
pessoas que nos visitarem, para que distribuam para os cães e gatos que
encontrarem abandonados nas ruas. Também iremos orientar como poderão entrar
em contato com as entidades da cidade, caso encontrem esses animais
abandonados, para que possam ser recolhidos, amparados e destinados à adoção.
2.10 prever a necessidade de adaptação da empresa à tecnologia
Existem vários softwares no mercado que possibilitam a automação em
estabelecimentos comerciais. Entretanto, o mais indicado é que o empresário invista
em softwares específicos para Lojas de Animais – Pet Shop que permitirão a gestão
mais eficiente, contemplando detalhes específicos do negócio. Dentre outros podese destacar os seguintes benefícios oferecidos pelos softwares automação
comercial:
- Controle de medicamentos;
- Agenda Eletrônica - é possível incluir a data para retorno do animal para o dono do
animal ser avisado previamente;
- Controles de prontuário, histórico de visitas, relatório de produtos alérgicos, datas
das tosas, banhos, vacinações;
- Controle de despesas médicas e medicações feitas para cada animal;
- Reservas para Banho e Tosa;
- Controle dos serviços utilizados, produtos consumidos e histórico de cada animal:
Por exemplo, o animal entrou as tantas horas, fez banho, tosa, corte de unhas, o
dono do animal comprou uma transportadora e um talco importado. No final, basta
digitar o nome do animal, ou o código, ou o nome do dono e o sistema fornece
exatamente o que aquele cliente consumiu de produtos e/ou serviços;
- Itens de maior sucesso de vendas;
- Indicação da margem de contribuição de cada produto e/ou serviço;
- Possibilidade de Comunicação Loja/Escritório;
25
26
- Controle de caixa e estoque;
- Programa para acompanhamento por vídeo dos animais que estão hospedados no
hotel.
Esse tipo de softwares que serão utilizados será comprado de terceiros
especializados nesse tipo de serviço.
26
27
CAPÍTULO 3
GESTÃO DE MARKETING
3.1 Produtos ou serviços
Para que se tenha maior eficiência na abordagem de uma campanha de marketing,
torna-se necessário conhecer os seus compostos. Compões os compostos: produto,
preço, praça e promoção. Para Casas (2006, p.164) “os produtos podem ser
definidos como o objeto principal das relações de troca que podem ser oferecidos
num mercado para pessoas físicas ou jurídicas, visando proporcionar satisfação a
quem os adquire ou consome”. Segundo Kotler (2006) um produto pode ser
entendido como tudo que pode ser oferecido a um mercado para satisfazer seu
desejo ou necessidade.
Já os serviços podemos definir como qualquer ato ou desempenho, essencialmente
intangível, que uma parte pode oferecer a outra e que não resulta na propriedade de
nada. O setor de serviços é muito variado.
A empresa Center Pet oferece produtos para pet, como acessórios, rações e
medicamentos. Serviços de hotelaria, banho e tosa com serviço de leva e traz,
delivery de produtos, dog walker e adestrador.
3.1.1 – Produtos
A empresa oferecerá um ambiente agradável e com estacionamento próprio, fácil e
seguro, para que nossos clientes tenham à sua disposição linhas de rações,
medicamentos e acessórios para seus pets.
Todos os produtos e serviços estão dispostos anexo 3.
3.2 Identificação da concorrência
A concorrência de mercado está presente no cotidiano de qualquer empresa, por
isso a empresa necessita conhecer muito bem seus concorrentes para,
27
28
comparando-se com eles, poder determinar áreas de que possa retirar vantagens
competitivas e se destacar no meio empreendedor.
As concorrentes diretas do Center Pet são a Espaço Vip Pet Shop e a Furacão Pet,
que oferecem basicamente os mesmos produtos e serviços. Porém, estão
localizadas em bairros diferentes do que estará localizado o Center Pet.
3.3 A pesquisa de mercado
A pesquisa de mercado foi realizada entre os dias 16 e 23 de setembro de 2014 com
100 entrevistados. Foi realizada através do formulário de pesquisa do Google,
buscando assim atingir um grande número de pessoas de diversas idades, classes
sociais e culturas.
A pesquisa de mercado está presente no anexo 4.
Com a pesquisa realizada, podemos perceber com o nosso público que a maioria
são solteiros e não tem filhos, o que os fez buscar companhia através de um
bichinho de estimação. Além disso, aprovam um ambiente com todos os produtos e
serviços que iremos disponibilizar, como clínica e hotelaria 24 horas, banho e tosa
com leva e traz, pois é um tipo de segmento diferenciado na cidade.
3.4 Identificação das necessidades dos clientes
Existem vários serviços que criam uma dependência e nos permitem entrar em
contato com os clientes para fazer com que os mesmos se lembrem de suas
necessidades especiais, como banho e tosa e época de vacinação. A Center Pet
estará atenta às necessidades não só dos animais de estimação, mas também de
seus donos. Sabemos que não se trata de um trabalho momentâneo, com
expectativas somente para um mês, mas de um exercício em longo prazo, com a
finalidade de construir credibilidade e dependência do cliente.
Por isso, vimos algumas das necessidades dos nossos futuros clientes, devido a
dificuldade de se encontrar tudo em um só lugar. São elas:
- Clínica veterinária 24hs;
- Hotelaria 24hs, 7 dias por semana;
- Comercialização de diversos produtos em um mesmo ambiente;
28
29
- Banho e tosa com leva e traz;
- Entrega de produtos delivery (ração, entre outros), inclusive com pagamento via
cartão de crédito ou débito;
- Boa localização com estacionamento.
3.5 Criação da logomarca
A logomarca é a representação gráfica do nome de uma empresa ou marca, que
determina
a
sua identidade
visual e
tem
como
objetivo
facilitar
o
seu
reconhecimento.
No contexto empresarial é muito importante que uma empresa seja representada por
um símbolo que a represente e transmita a essência da organização. Deve ser
flexível, de fácil memorização e deve ser capaz de despertar sentimentos nas
pessoas.
Marcada pela sua cor, grafismo e forma, a logomarca pretende estabelecer o
posicionamento de uma marca ou empresa no mercado ou na mente do seu público.
O nome CENTER PET foi escolhido por ser amplo, incluindo todas as atividades que
serão desempenhadas e fazendo com que todas as necessidades do cliente sejam
atendidas em um único ambiente.
Buscamos uma logomarca que relaciona todos os segmentos da linha pet. A
logomarca criada envolve vários animais que terão suas necessidades supridas em
um mesmo local, desde produtos até serviços. Ela transmite amor, carinho e
confiança para que os donos deixem seus bichinhos de estimação com tranquilidade
nos serviços que serão prestados por nós.
Na logomarca são usadas várias cores que possuem diferentes significados dentro
do marketing da empresa, e são elas:
Vermelho: paixão, alegria, otimismo;
Azul: confiança, lealdade, sabedoria;
Amarelo: alegria, felicidade, inteligência e energia;
Roxo/Violeta: poder, nobreza, luxo e ambição;
Marrom: conforto, maturidade e confiabilidade;
Laranja: entusiasmo, fascínio, alegria, criatividade, determinação, atração, sucesso,
encorajamento e estímulo;
29
30
Em conjunto essas cores trabalham de forma harmoniosa transmitindo a sensação
de conforto, acolhimento e felicidade. Contudo, buscamos transparecer nosso real
objetivo, que é oferecer conforto aos nossos clientes sempre com responsabilidade.
Figura 3: Logo da Empresa
3.6 Desenvolvimento da embalagem e suas funções
As embalagens utilizadas serão sacolas biodegradáveis, para contribuirmos com o
meio ambiente. Já as etiquetas utilizadas serão seguindo o modelo abaixo.
Ração Pedigree Carne e Vegetais
(Adulto) – 15 Kg
R$99,00
Figura 4: Exemplo de etiqueta usada para identificar produtos e seus preços
3.7 Tipos de propaganda
Por meio da propaganda o empreendedor dará destaque ao seu estabelecimento no
mercado. É possível a utilização de formas simples e baratas de divulgação. Com
30
31
criatividade pode-se e buscar alternativas que atraiam os clientes. As alternativas
que iremos utilizar no Center Pet são:
- Utilização de mala direta com mensagens que lembram e divulgam a Loja de
Animais;
- Outdoors;
- Revistas da cidade;
- Busdoor.
- Cartazes na própria loja e em outros estabelecimentos que permitam sua fixação;
- Site com apresentação atraente, com alguns produtos e curiosidades sobre a loja e
seu funcionamento;
- Página no Facebook e outras redes sociais;
- Fazer promoções;
- Sorteio de cestas de produtos;
- Sorteio de serviços;
- Cartões fidelidade (a cada 10 banhos o próximo é gratuito);
A atenção dispensada ao consumidor, um produto de qualidade aliados a um preço
justo, são a garantia do retorno do cliente.
A propaganda boca a boca, feita pelo cliente encantado, é a promoção mais sincera
e eficaz.
3.8 A criação de mensagens: apelos, escolha das palavras e redação de um
anúncio
Os objetivos da propaganda podem ser classificados de acordo com o propósito de
informar, persuadir, lembrar ou reforçar. Podemos concentrá-los em estágios
diferentes como a propaganda informativa que busca criar conhecimento e
conscientização da marca de novos produtos, a propaganda persuasiva que busca
criar simpatia, preferência, convicção e a compra de um produto ou serviço; a
propaganda lembrança procura estimular a repetição da compra de produtos e/ou
serviços; e a propaganda reforço, tenciona convencer seus compradores de que
fizeram a escolha certa.
É importante criar um apelo eficaz, através de um briefing criativo. Ao criar uma
mensagem primeiramente devem-se propor nova ideias. Vale lembrar que quanto
31
32
maior o número de anúncios criativos maiores a probabilidade de encontrar um
anúncio, mensagem e propaganda excelentes.
Figura 5: Modelo que será usado para propaganda em outdoor
3.9 Escolha da mídia: televisão, rádio, mala direta, imprensa escrita
Utilizaremos meios de comunicação como revistas, outdoors, internet (e-mail,
facebook), busdoor e panfletos.
3.10 Promoção de vendas
- Concursos de beleza;
- No mês de aniversário do animal o cliente tem desconto (ex. 15%).
- Cartão fidelidade (acumulativo), ou seja, após 10 banhos/ tosa, o 11º é grátis.
3.11 Ações de pós-venda
O pós-venda é uma estratégia que diferencia a sua empresa da grande maioria e
contribui para a aproximação com os clientes. É a etapa que se inicia logo após o
fechamento da venda de um produto ou serviço. O atendimento não termina quando
o cliente adquire seu produto, ele pode e deve continuar através das ações do pósvenda.
Nossa empresa irá adotar esse método para sair na frente da concorrência e gerar
fidelização dos clientes. O foco é a manutenção da relação pós-compra e da
satisfação dos seus consumidores.
32
33
Como ações de pós-venda, nós teremos a possibilidade de o cliente acompanhar,
através de câmeras de vídeo, todo o atendimento para o seu animal enquanto
estiver dentro do estabelecimento, seja no hotel ou banho e tosa.
Também buscando um bom relacionamento com o cliente iremos ter um sistema de
cadastro atualizado de vencimentos de vacinas e lembretes de banho e tosa, dentro
do período de tempo solicitado pelo cliente.
3.12 Canais de distribuição
Corresponde a uma ou mais empresas ou indivíduos que participem do fluxo de
produtos e/ou serviços desde o produtor até o cliente ou usuário final. Consiste,
portanto, no caminho percorrido pela mercadoria, desde o produtor até os
importadores e usuários finais.
No caso do Center Pet, os canais de distribuição para o consumidor serão o serviço
delivery de entrega de produtos e também o serviço de leva e traz dos animais, tanto
do banho e tosa quanto da hotelaria. Além da loja física que também é um
importante canal de distribuição.
3.13 Descontos
Segundo COBRA (2010) é preciso que o preço seja justo e proporcione descontos
estimulantes à compra dos produtos ou serviços ofertados, com subsídios
adequados e períodos (prazos) de pagamento e termos de crédito efetivamente
atrativos.
Para estimular a compra e garantir maior satisfação do cliente, iremos fazer um
cadastro do cliente e no mês de aniversário dele haverá um desconto de 10% sobre
as vendas de produtos ou serviços.
3.14 Condições de pagamento
As negociações de compras e vendas de produtos ou serviços, normalmente, se
baseiam nas condições de pagamento. Elas determinam como e quando serão
33
34
efetuados os pagamentos, especificando datas de vencimentos, número e valores
das parcelas, descontos e acréscimos.
No pagamento à vista ofereceremos desconto de 5%, pagos em dinheiro, cartão de
débito ou crédito.
Pagamentos a prazo somente serão aceitos via cartão de crédito, que poderá ser
dividido em até 6 vezes, com parcelas mínimas de R$50,00.
34
35
CAPÍTULO 4
GESTÃO DE MATERIAIS, PRODUÇÃO E LOGÍSTICA
4.1 Elaboração do físico da fábrica, escritório, cozinha, lazer, banheiros,
vestiários, etc.
Buscamos um local que atendesse as nossas necessidades, para implantação de
todos os serviços e produtos que iremos oferecer, em um ambiente moderno, de
fácil acesso e seguro.
Nosso estabelecimento possui dois andares, e será dividido, basicamente, em 3
partes:
Loja: Será dividida entre o piso inferior e o superior. No piso inferior estarão os
produtos de maior saída, que são para cães e gatos. No piso superior ficarão todos
os produtos para outras espécies, como pássaros, roedores, répteis e peixes.
Clínica veterinária: Será instalada em uma sala no piso inferior, mais ao fundo.
Hotel: Está localizado nos fundos do terreno, dividido em baias para pequeno, médio
e grande porte.
Quanto ao estoque, deverá ficar também em uma sala no piso inferior. Já o setor
administrativo estará no piso superior.
4.2 Diagrama de fluxo de processo de produção ou serviço
O diagrama de fluxo é utilizado para representar a sequência dos processos, através
de símbolos gráficos. Permite uma melhor visualização do funcionamento do
processo, o que facilita o seu entendimento. No gerenciamento de processos, o
fluxograma tem como objetivo garantir a qualidade e aumentar a produtividade,
através da documentação do fluxo das atividades, utilizando diversos símbolos
diferentes para identificar os diferentes tipos de atividades.
Com o fluxograma conseguimos melhorar a compreensão do processo de trabalho,
mostrar os passos para a realização do trabalho e criar normas de padrão de
trabalho.
35
36
Os símbolos do fluxograma têm diferentes significados, e estão explicados na figura
3.
Figura 6: Significados dos símbolos do diagrama de fluxo.
O fluxograma da nossa empresa está disposto no anexo 5.
4.3 Política em relação a estoques de matéria prima e produtos acabados
A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a
demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros,
os seguintes três importantes indicadores de desempenho:
Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em
que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é
medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no
passado.
Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do
período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as
vendas futuras, sem que haja suprimento.
Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o
ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o
cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha;
demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo
36
37
fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com
prontidão.
Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto
na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em
conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede
da empresa.
Apesar do citado, não podemos trabalhar sem nenhum estoque, pois alguns
produtos são necessários e possuem saída garantida. Produtos para banho e tosa e
rações, por exemplo, deverão ser armazenados em um estoque dentro da empresa
para garantir que iremos suprir as necessidades dos clientes. Além destes,
medicamentos, vacinas, produtos descartáveis de uso veterinário (seringas, agulhas,
luvas), produtos de limpeza, estarão presentes em nosso estoque.
Porém, para diminuir o espaço físico destinado a esse estoque contaremos com
fornecedores de São Carlos ou de cidades próximas, para garantir que sempre
haverá disponibilidade da mercadoria que o cliente deseja. Também, com base nos
índices citados acima, iremos ter controle sobre os produtos com maior procura e
assim garantiremos que os produtos desejados estejam sempre disponíveis em
nossas prateleiras.
4.4 Definição dos equipamentos necessários
Para desempenharmos todas as funções que o Center Pet irá oferecer, são
necessários equipamentos específicos em cada função.
Em cada área iremos utilizar determinados equipamentos, que estão mencionados
abaixo:
Escritório/Administração:
Espaço
destinado
à
realização
das
atividades
administrativas. Para uma estação de trabalho serão necessários os seguintes
equipamentos:
- Mesa
- Cadeiras
- Arquivo para pasta suspensa
- Armários
- Computador
37
38
- Impressora com scanner
- Telefone
Consultório veterinário: O consultório veterinário é o estabelecimento aonde os
animais são levados apenas para o ato básico de consulta clínica, curativos e
vacinações. Conta com:
- Armário vitrine
- Balança
- Carrinho curativo
- Doppler Vascular
- Estetoscópio
- Foco de iluminação
- Mesa de atendimento
- Microscópio
- Negatoscópio
- Suporte de Soro
- Ultrassom de limpeza de tártaro
Banho e tosa
Equipamentos:
- Secador;
- Soprador;
- Máquina Tosa;
- Lâminas de Tosa;
- Adaptador (pente p/ lâmina).
- Móveis:
- Mesa;
- Banheira;
- Canil;
- Caixa de transporte.
Instrumentos:
- Desembolador;
38
39
- Rasqueadeiras;
- Tesoura Reta;
- Tesoura Curva para Acabamento;
- Alicate para Unha Grande;
- Pentes de Aço.
Suprimentos:
- Pó de Ouvido;
- Resfriador de lâmina;
- Spray Desinfetante para lâminas;
- Colônia para animais;
- Shampoo para animais;
- Condicionador para animais;
- Laços;
- Gravatas;
- Avental.
Hotelaria: Espaço destinado para a estadia de animais.
- Gaiolas
- Caminhas
- Cobertores
- Potes para comida/água
Espaço para atendimento/loja: Esta área é destinada à exposição dos produtos e
recepção dos clientes. O espaço deve ser bem planejado e recomenda-se evitar
poluição visual, proporcionar boa iluminação e ventilação para que haja conforto
tanto para as pessoas que trabalham na empresa quanto para clientes. Para montar
o espaço serão necessários os seguintes equipamentos:
- Gôndolas de parede;
- Prateleiras;
- Balcão caixa completo;
- Computador;
- Impressora fiscal;
39
40
- Máquinas para cartão de crédito.
Depósito: Espaço destinado ao depósito de rações e outras mercadorias. As rações
precisam ser armazenadas em cima de estrados ou palets. As demais mercadorias
podem ser armazenadas em prateleiras.
4.5
Descrição do processo produtivo
O processo produtivo em nossa empresa não apresenta uma organização prévia e
específica. Devem ser aplicados processos organizacionais de empresas de
sucesso, assegurando que os produtos comercializados e os serviços prestados
garantam a qualidade.
No que se refere ao fornecimento de mercadorias, seguiremos a seguinte estrutura,
comumente usada em setores de comércio de mercadorias:
1 - Compra da mercadoria
2 - Recebimento das mercadorias
3 - Exposição da mercadoria
4 - Venda da mercadoria
5- Descarte
6 - Reposição da mercadoria
4.6
Definição das rotinas de proteção de segurança
De acordo com o artigo 168 da CLT, é obrigatório toda empresa, independente do
seu porte ou atividade, seguir as Normas de Saúde e Segurança no Trabalho, como,
por exemplo, o exame admissional, periódico, mudança de função, retorno ao
trabalho e demissional.
Entre as principais rotinas está o uso de vestimentas adequadas à função, como por
exemplo, aventais, luvas, sapatos anti-derrapante, tocas, etc.
Visando as rotinas de proteção, cada funcionário será treinado e capacitado para
sua devida função, para exercerem seus trabalhos com o menor risco de acidentes
possível.
40
41
No banho e tosa, todo tosador deverá usar o kit Ergopet. Esse kit foi desenvolvido
para proteção do trabalhador do Banho e Tosa com vistas aos riscos Físicos,
Biológicos, Químicos e, principalmente, ergonômicos, seguindo as exigências da
NR9, NR32 e NR17.
O kit Ergopet é composto de:
- ERGOBAG - Cinto abdominal lombar devidamente adaptado à ergonomia da
função, composto com um avental de tecido resistente que contempla alças e bolsos
para guardar os acessórios para a tarefa patenteado com o nome de ERGOPET
(escova, alicate, tesoura, pente, etc ). É possível visualizar o kit de proteção na
figura 5.
Figura 7: Kit de proteção que deverá ser utilizado pelo funcionário responsável pelo banho e
tosa dos animais.
Já na hotelaria, serão usados mangotes e perneiras, para evitar acidentes com
alguns animais que podem ficar agressivos com o contato de pessoas estranhas.
4.7
Definição dos fornecedores
A escolha dos fornecedores é de grande importância para o bom funcionamento do
negócio, pois atuam diretamente no andamento da empresa.
Pensando no melhor para o Center Pet, nossos fornecedores são:
My Pet Brasil: Distribuidora de produtos no segmento loja pet;
41
42
Furacão Pet: Distribuidora de produtos no segmento loja pet;
Secullus Comac: Distribuidora de produtos no segmento loja pet;
Multtoys: Distribuidora de produtos no segmento brinquedos para pet;
Rayal Canin: Distribuidora de rações para cães e gatos;
Premier Pet: Distribuidora de ração para cães e gatos;
Pfizer: Distribuidora de vacinas e medicamentos;
Genial Pet: Distribuidora de produtos no segmento de higiene;
Farmina Pet Foods: Distribuidora de produtos no segmento alimentação específica;
Pedigree: Distribuidora de produtos no segmento alimentação;
Ibasa: Distribuidora de produtos no segmento estéticos e medicamentos
veterinários;
Biobrasil: Distribuidora de equipamentos veterinários.
42
43
CAPÍTULO 5
GESTÃO DE PESSOAS
5.1
Recrutamento e seleção de pessoal
Recrutamento é um conjunto de técnicas e procedimentos que visa atrair candidatos
potencialmente qualificados e capazes de ocupar cargos dentro da organização. É
basicamente um sistema de formação, através do qual a organização divulga e
oferece ao mercado de recursos humanos, oportunidades de emprego que pretende
preencher.
O Center Pet irá recrutar e selecionar profissionais capazes de executar com
excelência todas as tarefas a ela designada. Para isso, serão utilizados vários
métodos através de divulgação das vagas a serem preenchidas pela internet,
agências de emprego e consultorias especializadas na área. Essas empresas farão
a seleção de acordo com o perfil e a escolha final caberá aos donos da empresa.
Já as áreas de limpeza e segurança serão terceirizadas.
5.2
Treinamento e desenvolvimento organizacional
Nos dias atuais o treinamento é tido como peça chave no processo de
desenvolvimento organizacional e, nesse sentido, torna-se necessário pensar que,
em um mundo capitalista, o ser humano constitui-se em uma das maiores riquezas
das organizações, mesmo diante de tantas inovações (CHIAVENATO, 2008).
Com isso, após recrutar e contratar os funcionários, o passo seguinte é orientá-los e
treiná-los, esse processo consiste em transmitir-lhes as informações e habilidades
necessárias para realizar com sucesso seu novo trabalho.
Serão oferecidos aos funcionários treinamentos nas áreas de banho e tosa, hotelaria
e atendimento em geral, para, assim, fornecer o melhor atendimento ao cliente.
Buscaremos sempre as novidades no mercado, trazendo inovações e serviço
diferenciado.
43
44
5.3
Benefícios sociais e relações trabalhistas
Benefícios sociais são aquelas facilidades, conveniências, vantagens e serviços que
as empresas oferecem aos seus empregados, no sentido de poupar-lhes esforços e
preocupação. Podem ser financiados, parcial ou totalmente, pela empresa. Contudo,
constituem sempre meios indispensáveis à manutenção da força de trabalho dentro
de um nível satisfatório de moral e produtividade. (CHIAVENATO, 1998).
Os benefícios podem ser divididos em duas categorias: legais e espontâneos. Os
benefícios legais são aqueles exigidos na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT),
ou por convenção coletiva. São eles 13º salário, férias, salário família, entre outros.
Já os benefícios espontâneos são aqueles que são concedidos por liberdade das
empresas, buscando motivar o funcionário. Podem ser gratificações, assistência
médico-hospitalar, Vale alimentação, refeição, etc.
Iremos garantir todos os benefícios definidos por lei, além de parcerias com plano de
saúde e odontológico.
5.4
Sistemas de informações de RH
A base de todo sistema de informações é o banco de dados. O banco de dados
funciona como um sistema de armazenamento e acumulação de dados devidamente
codificados e disponíveis para o processamento e obtenção de informações. [...] O
banco de dados é um conjunto integrado de arquivos, relacionados logicamente,
organizados de forma a melhora e facilitar o acesso aos dados e eliminar a
redundância. (CHIAVENATO, 2004, p.465)
O SI tem como principal objetivo orientar os níveis operacional, tático e estratégico
em suas tomadas de decisões. Ele deve assegurar segurança e fácil acesso às
informações, de forma rápida, precisa e simples.
No caso do Center Pet, uma empresa de pequeno porte, a folha de pagamento será
feita por uma empresa terceirizada, pois nosso objetivo maior é aumentar nosso
atendimento ao cliente, priorizando e zelando pela qualidade no serviço.
44
45
5.5
Elaboração da folha de pagamento
Folha de pagamento é o nome dado a uma lista mensal, semanal ou diária
da remuneração paga aos trabalhadores de uma instituição. Toda empresa
no Brasil tem a obrigação legal de prepará-la. Trata-se de um conjunto de
procedimentos trabalhistas efetuado pela empresa para fazer o pagamento ao
empregado.
A partir do piso salarial estabelecido para cada categoria, o empresário deverá
manter políticas que remunerem adequadamente os empregados, considerando-se
os níveis de competências pessoais.
Uma folha de pagamento, por mais simples que seja, deve apresentar os seguintes
elementos:
- Discriminação do nome dos empregados (segurados), indicando cargo;
- Função ou serviço prestado;
- Valor bruto dos salários;
- Valor da contribuição de Previdência, descontado dos salários;
- Valor liquido que os empregados receberão.
O piso salarial dos funcionários do Center Pet será segundo o SINDPET (Sindicato
dos Empregados em Pet Shops e Clínicas Veterinárias de Campinas e Região). A
elaboração da folha de pagamento será feita por empresa terceirizada especialista
no ramo.
A folha de pagamento dos funcionários está disposta na tabela abaixo.
45
46
Funcionários
Quantidade
Salário
INSS
Liquido a receber
FGTS
Administrador
1
R$ 1.393,02
R$ 153,23
R$ 1.239,79
R$ 111,44
Médico veterinário
1
R$ 2.975,00
R$ 327,25
R$ 2.647,75
R$ 238,00
de clínica veterinária)
2
R$ 934,47
R$ 205,58
R$ 728,89
R$ 149,52
Vendedor
2
R$ 1.044,76
R$ 229,85
R$ 814,91
R$ 167,16
Motorista
1
R$ 1.276,93
R$ 140,46
R$ 1.136,47
R$ 102,15
Gerente administrativo
1
R$ 1.393,02
R$ 153,23
R$ 1.239,79
R$ 111,44
Banhista e tosador
2
R$ 870,63
R$ 191,54
R$ 679,09
R$ 139,30
hotelaria
6
R$ 812,59
R$ 536,31
R$ 276,28
R$ 390,04
Adestrador/Dog Walker
1
1.033,15
R$ 113,65
R$ 919,50
R$ 82,65
Recepcionista (Atendente
Cuidador de animais na
Pagamento total/mensal: R$20.138,09
Tabela 3: Folha de pagamento
5.7
Segurança e medicina no trabalho
CIPA é a sigla para Comissão Interna de Prevenção de Acidentes que visa à
prevenção de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho, buscando conciliar o
trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde de todos os
trabalhadores. Ela é composta de representantes dos Empregados e do
Empregador, seguindo o dimensionamento estabelecido, com ressalvas as
alterações disciplinadas em atos normativos para os setores econômicos
específicos.
Sua atribuição consiste em identificar os riscos de execução da relação de trabalho,
elaborar o mapa de risco, contando para isso, com a participação do maior número
de trabalhadores, tendo a assessoria do SESMT (Serviço Especializado em
Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho) para realizar suas atribuições.
O Center Pet não terá formação de CIPA por ter menos que 20 empregados. Porém,
para evitar possíveis acidentes de trabalho adotará rotinas de prevenção de
segurança, fazendo verificações, inspeções e correções rotineiras.
Para melhor atender a segurança do funcionário institui-se em nossa empresa a
norma regulamentadora NR6 EPI (Equipamentos de Proteção Individual), ou seja,
todo dispositivo de uso individual é destinado para proteger a saúde e a integridade
46
47
física do trabalhador. A empresa é obrigada a fornecer aos empregados,
gratuitamente, EPI adequado ao risco e em perfeito estado de conservação e
funcionamento.
Já a NR17 (Ergonomia) busca estabelecer parâmetros que permitam a adaptação
das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores,
para proporcionar o máximo de conforto, segurança fazendo com que haja um
desempenho eficiente.
A NR6 e a NR17 estão dispostas nos anexos 6 e 7.
5.8
Descrição de cargo em relação ao organograma
A descrição de cargo deve ser clara, para que não ocorram erros ou duplas
interpretações pois
será um instrumento para auxiliar no recrutamento de pessoal.
Depois de se fazer o leventamento sobre todos os cargos que compõem a empresa,
o Center Pet terá seu quadro de funcionários composto pelas seguintes profissões:
Administrador
Responsáveis por: planejar, organizar, controlar e assessorar as organizações nas
áreas de recursos humanos, materiais, informações, patrimônio, financeira e
tecnológica, além de implantar programas e projetos, fazer a elaboração do
planejamento organizacional; promover estudos de racionalização e controlar o
desempenho organizacional.
Médico veterinário
Responsável por: Praticar clínica médica veterinária em todas as suas
especialidades; contribuem para o bem-estar animal; exerce defesa sanitária animal;
atua nas áreas comercial, agropecuária, de biotecnologia e de preservação
ambiental; elabora laudos, pareceres e atestados.
Recepcionista (Atendente de clínica veterinária)
Responsável por: Recepcionar e prestar serviços de apoio aos clientes averiguando
suas necessidades e dirigindo ao lugar ou a pessoa procurada; agendam serviços,
47
48
reservam (banho, tosa e hotelaria), além do atendimento telefônico e fornecer
informações sobre a empresa.
Vendedor
Responsável por: Promover a venda de mercadorias, demonstrando seu
funcionamento, informando sobre suas qualidades e vantagens de aquisição.
Vendem mercadorias em estabelecimentos do comércio, auxiliando os clientes na
escolha. Abastecem pontos de venda, gôndolas e balcões.
Motorista
Responsável por: Dirigir e manobrar veículos e transportam pessoas, cargas ou
animais. Realizam verificações e manutenções básicas do veículo e utilizam
equipamentos e dispositivos especiais tais como sinalização sonora e luminosa,
software de navegação e outros. Efetuam pagamentos e recebimentos e, no
desempenho das atividades, utiliza-se de capacidades comunicativas. Trabalham
seguindo normas de segurança, higiene, qualidade e proteção ao meio ambiente.
Gerente administrativo:
Responsável por: Exercer a gerência dos serviços administrativos, das operações
financeiras e dos riscos da empresa. Gerenciam recursos humanos, administram
recursos materiais e serviços terceirizados de sua área de competência. Planejam,
dirigem e controlam os recursos e as atividades de uma organização, com o objetivo
de minimizar o impacto financeiro da materialização dos riscos.
Banhista e tosador de animais domésticos:
São responsáveis por: Tosar, banhar e enfeitar animais. Limpam ouvidos, dentes e
olhos de animais. Atendem a clientes-proprietários dos animais e administram o
local de trabalho. Trabalham em conformidade a normas e procedimentos de
segurança, higiene e saúde.
Cuidador de animais na hotelaria:
Responsável por: Receber os animais; colocar água e ração; fazer a limpeza das
baias/gaiolas; entregar os animais para os donos na saída.
48
49
5.9
Sindicato de classe
Há muito tempo trabalhadores se unem e se organizam na luta pelos seus direitos
humanos e trabalhistas em busca de melhorias nas condições de vida e trabalho. O
sindicato deve defender os direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria,
inclusive em questões judiciais ou administrativas.
Os benéficos fornecidos são variáveis de acordo com cada categoria de sindicato e
as condições proporcionadas em acordo com cada gestão particularizadas, porém
com padrão solido e comum a todos como benefícios legais, entre eles saúde e
transporte.
Os colaboradores do Center Pet serão filiados ao SindPet (Sindicato dos
Empregados em Pet Shops e Clinicas Veterinárias de Campinas e Região).
49
50
CAPÍTULO 6
GESTÃO AMBIENTAL
6.1
Prever possíveis impactos ambientais e propor soluções para minimizá-
los
Questões que são muito abordadas em Pet Shops que possuem banho e tosa e
clínica veterinária são o descarte dos pelos dos animais após o banho e tosa.
Também há, no caso de animais que passaram pela clínica e não resistiram, o do
corpo do animal que faleceu.
Atento a isso, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) vem orientando
os profissionais há mais de dez anos quanto ao descarte de pelos, vísceras e corpos
dos animais. A pelagem pode alojar parasitos nocivos à saúde de outros animais e
também do homem, por isso é necessário que tenha um descarte correto. Quanto ao
corpo de um animal que estava doente e não resistiu é provável que o corpo dele
acumule vestígios de medicamentos e microrganismos que também oferecem risco
de contágio. Portanto é preciso destinar corretamente esses elementos como uma
medida para garantir a saúde e o bem-estar coletivo.
A resolução nº1.015 de 31 de janeiro de 2013 é um documento que determina que
os hospitais e clínicas veterinárias mantenham equipamentos de refrigeração para a
manutenção de restos de tecido e cadáveres de animais, até seu recolhimento pelo
serviço de coleta especializada. O texto define ainda que os hospitais, clínicas,
consultórios e ambulatórios veterinários deverão também manter convênio com
empresa devidamente credenciada para recolhimento de cadáveres e lixo hospitalar.
Por isso, iremos contar com um freezer próprio para armazenamento desse tipo de
material para que a empresa responsável faça a coleta de acordo com a agenda de
recolhimento estipulada.
Além disso, faremos um sistema de reaproveitamento da água usada no banho e
tosa, onde toda a água utilizada será filtrada, para separar pelos e outras impurezas,
e essa água filtrada será armazenada e passará por um processo químico para
purificação e posteriormente usaremos para limpeza do hotel.
50
51
Já as fezes que serão recolhidas dos animais no hotel serão armazenadas em
baldes de 20 litros e, diariamente, haverá uma coleta para descarte correto em uma
área rural na cidade de São Carlos.
6.2
Prever um SGA (sistema de gestão ambiental) de caráter permanente
Através do sistema de gestão ambiental, a empresa busca se desenvolver
sustentavelmente, interligando seus interesses sociais e econômicos à prevenção da
poluição ambiental e a redução dos impactos ambientais causados por suas
atividades, garantindo assim, uma melhoria continua na preservação ambiental, que
se concretizara através da redução dos custos, diminuição de desperdícios nos seus
processos, conseguindo assim maior credibilidade com seus clientes, fornecedores
e sociedade.
Por oferecer os serviços de banho e tosa, a Center Pet tem como prioridade fazer o
uso adequado e racional da água, que é muito importante para o processo e que
está cada vez mais escassa na natureza. Utilizaremos um sistema interno de
tratamento e reutilização da água, além do uso consciente da mesma, com
mangueiras com esguichos que regulam a saída de água somente quando
acionado, para evitar
Outra preocupação da empresa é com a destinação correta dos dejetos e dos pelos
dos animais, além do descarte correto dos medicamentos utilizados na clínica.
Portanto manteremos um convenio com empresa devidamente credenciada para
realizar o recolhimento de cadáveres e lixo hospitalar.
Com essas atitudes evitaremos que agentes causadores de doenças infectocontagiosas se proliferem e poluam o ambiente, causando danos à saúde pública.
6.3
Prever alguns projetos de responsabilidade sócio ambiental
Um Sistema de Gestão Ambiental (SGA) é uma ferramenta de gestão que permite
uma empresa de qualquer tamanho ou natureza ter controle sobre seus impactos
ambientais nas atividades de desenvolvimento, planejamento, produção, serviço,
entre outras.
51
52
O SGA permite que seja realizada uma análise estruturada da área ambiental,
estabelecendo objetivos, metas de melhoria e ações, verificando a eficácia do
sistema. Dentre seus benefícios estão a redução dos custos do gerenciamento de
resíduos, economias nos consumos de materiais e energia, a melhoria da imagem
da empresa, a criação de uma estrutura que permitirá o melhoramento contínuo de
seu desempenho ambiental e maiores chances de investimento.
Estabeleceremos um sistema de seleção de lixos, garantindo assim que cada
material seja descartado de forma correta e com destino correto, tendo em vista que
esse tipo de comércio pode conter materiais como frascos de medicamentos que
podem contaminar a água ou até mesmo algumas pessoas. Faremos a seleção de
lixo para a reciclagem dividindo em lixo como metal, plástico, orgânico, papel e lixo
hospitalar no que se refere ás seringas e aos frascos de medicamentos.
Tendo em vista que animais mortos depositados em locais inapropriados podem
trazer sérios riscos ao meio ambiente, contaminando águas, solos e também aos
seres humanos pela contaminação de bactérias e vermes, sem contar que um
animal morto entra rapidamente em decomposição, assim gerando mau cheiro,
faremos parcerias com empresa responsável por dar o destino correto a esses
animais que por ventura venham a falecer em nosso estabelecimento.
Quanto à grande produção de dejetos por parte desses animais, o mais correto é
transformá-los em adubo orgânico para serem utilizados em lavouras com plantação
de alimentos que não se contaminam com os mesmos, através do processo de
compostagem e fermentação em um local apropriado, longe de rios e lagos. Essa
medida não será feita por nós, apenas iremos recolher as fezes dos animais e
armazená-las e, diariamente, será feita a coleta por parte de um produtor rural que
tem interesse em transformar esse tipo de resíduo em adubo.
Além disso, apoiaremos eventos que envolvam animais e contaremos com
campanhas de doações de animais abandonados.
6.4
Programa de prevenção de riscos ambientais (PPRA- NR9)
A NR9 estabelece obrigatoriedade da elaboração e implementação, por parte dos
empregadores, do PPRA.
52
53
Visa a preservação da saúde e a integridade dos trabalhadores, através da
antecipação, reconhecimento e consequentemente controle da ocorrência de riscos
ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho.
O PPRA é a parte integrante do conjunto mais amplo das iniciativas da empresa no
campo da preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, devendo estar
articulado com o disposto nas demais NR, em especial com o Programa de Controle
Médio de Saúde Ocupacional – PCMSO (NR7).
Riscos Ambientais
Consideram-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos e biológicos
existentes nos ambientes de trabalho que, em função de sua natureza, concentração
ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde do
trabalhador.
Agentes físicos: As diversas formas de energia a que possam estar expostos os
trabalhadores tais como: ruído, vibração, pressões anormais, temperaturas
extremas, radiações, etc.
Agentes químicos: Substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no
organismo pela via respiratória, nas formas de poeira, fumos, névoas, gases ou
vapores, ou que, pela natureza da atividade de exposição, possam ter contato ou ser
absorvido através da pele.
Agentes biológicos: São bactérias, fungos bacilos, parasitas, protozoários, vírus,
entre outros.
Responsabilidades do Empregador
Estabelecer, implementar e assegurar o cumprimento do PPRA como atividade
permanente da empresa ou instituição.
Responsabilidade dos trabalhadores
- Colaborar e participar na implantação e execução do PPRA;
- Seguir as orientações recebidas nos treinamentos oferecidos dentro do PPRA;
- Informar ao supervisor ocorrências que, em seu julgamento, possam implicar risco
à saúde dos trabalhadores.
53
54
Para a segurança dos seus colaboradores, a empresa Center Pet vai fazer um
levantamento completo anualmente, por parte de um engenheiro de segurança do
trabalho habilitado, de todos os riscos ambientais presentes na empresa e o
empregador da empresa vai assegurar o cumprimento desta norma como atividade
permanente.
54
55
CAPÍTULO 7
GESTÃO FINANCEIRA
7.1
A importância e a responsabilidade da gestão financeira na empresa
Gestão financeira pode ser definida como a gestão dos fluxos Monetários derivados
da atividade operacional da empresa, em termos de suas respectivas ocorrências no
tempo. Ela objetiva encontrar o equilíbrio entre a “rentabilidade” (maximização dos
retornos dos proprietários da empresa) e a “liquidez” (que se refere à capacidade de
a empresa honrar seus compromissos nos prazos contratados). Isto é, está implícita
na necessidade da Gestão financeira a busca do equilíbrio entre gerar lucros e
manter caixa.
Assim sendo, pode-se dizer que a gestão financeira está preocupada com a
administração das entradas e saídas de recursos monetários provenientes da
atividade operacional da empresa, ou seja, com a administração do fluxo de
disponibilidade da empresa.
7.2
Investimento inicial
De acordo com o portal SÓDINHEIRO.INFO, o investimento varia muito de acordo
com o porte do empreendimento. Tem-se ainda que analisar os gastos iniciais como
os custos com a abertura da empresa (documentos e licenças), o marketing inicial e
os equipamentos e produtos.
Visto isso, o investimento inicial necessário para o Center Pet é de R$240.000,00.
Veja a tabela abaixo com os gastos do investimento inicial.
55
56
Discriminação
Valores
Divulgação
R$10.000,00
Escritório/Administração
R$4.440,00
Consultório Veterinário
R$9.022,00
Banho e tosa
R$9.092,00
Hotel
R$10.786,00
Espaço da loja/atendimento
R$8.832,00
Veículo (Furgão)
R$107.828,00
TOTAL:
R$160.000,00
Tabela 4: Investimento Inicial
Sendo que os valores dos itens estão discriminados a seguir.
Escritório/administração:
Equipamentos
Mesa
Valor (R$)
1098
Cadeiras
580
Arquivo Pasta Suspensa
409
Armários
497
Computador
1399
Multifuncional
329
Telefone
128
Total
4.440
Tabela 5: Valores individuais dos equipamentos usados no escritório/administração.
Consultório veterinário:
Equipamentos
Armário vitrine
Balança
Valor (R$)
880
1860
Carrinho Curativo
820
Doppler vascular
869
Estetoscópio
499
Foco de Iluminação
Mesa de atendimento
99
1825
56
57
Microscópio
132
Negatoscópio
631
Suporte de soro
107
Ultrassom de limpeza de tártaro
1300
Total
9.022
Tabela 6: Valores individuais dos equipamentos usados no consultório veterinário.
Banho e tosa:
Equipamentos
Valor (R$)
Secador
1026
Soprador
454
Máquina de tosa
700
Laminas de tosa
135
Adaptador para pente lamina
143
Mesa
648
Banheira
1700
Canil
2025
Caixas de transporte
799,5
Desembolador
99,5
Rasqueadeiras
44,5
Tesouras (reta)
195,5
Tesouras (curva)
147
Alicates
840
Pentes de aço
135
Total
9.092
Tabela 7: Valores individuais dos equipamentos usados no banho e tosa.
Hotel:
Equipamentos
Valor (R$)
Canil
8180
Gatil
1290
57
58
Caminhas
600
Cobertores
400
Potes (água/ração)
316
Total
10.786
Tabela 8: Valores individuais dos equipamentos usados no hotel.
Espaço loja/atendimento:
Equipamentos
Gondolas de Parede
Valor (R$)
2890
Prateleiras de aço
472
Balcão Caixa
2350
Computador
1399
Impressora fiscal
1593
Telefone
Total
128
8.832
Tabela 9: Valores individuais dos equipamentos usados no espaço loja/atendimento.
7.3
Depreciação dos equipamentos
A depreciação ou desvalorização é o custo ou a despesa decorrentes do desgaste
ou da obsolescência dos ativos imobilizados, como por exemplo máquinas, veículos,
móveis, imóveis ou instalações.
Ao longo do tempo, com a obsolescência natural ou desgaste com uso na produção,
os ativos vão perdendo valor, essa perda de valor é apropriada pela contabilidade
periodicamente até que esse ativo tenha valor reduzido a zero.
O cálculo de depreciação deve ser feito anualmente de acordo com o valor de cada
item do patrimônio da empresa. A porcentagem de depreciação dos itens está na
tabela 8.
Bens
Taxa Anual
Máquinas e Equipamentos
10%
Móveis e utensílios
10%
Equipamentos de Informática
20%
58
59
Veículo
20%
Tabela 10: Taxas de depreciação dos equipamentos.
DEPRECIAÇÃO MENSAL = (VALOR TOTAL X TAXA ANUAL (DEPRECIAÇÃO)) /
12 MESES UTILIZAÇÃO)
Bens
Máquinas e
Equipamentos
Taxa anual
28.900,00
10%
240,84
8.552,00
10%
71,27
4.720,00
20%
78,67
107.828,00
20%
1797,14
Total
2.187,92
Móveis e utensílios
Equipamentos de
Informática
Veículo
Depreciação Mensal
Valor total (R$)
(R$)
Tabela 11: Cálculo da depreciação mensal
7.4
Despesas fixas
Segundo o SEBRAE, despesas fixas são todos os gastos com os quais a empresa
tem que arcar, independentemente das vendas. São valores gastos com o
funcionamento da empresa, ou seja, a estrutura montada para comprar, estocar e
vender.
Tão importante quanto calcular exatamente o custo das mercadorias é medir as
despesas fixas e variáveis e como devem ser consideradas no custo total, sendo
capaz assim de definir preços que sejam competitivos e que não deem prejuízo a
empresa.
Despesas Fixas
Folha de pagamento
Encargos Sociais
Água/Luz/Comunicação
Manutenção
Valor
18.647,00
1.493,00
R$ 2.500,00
R$ 600,00
59
60
IPTU
160
Depreciação
R$ 2.187,92
Aluguel
R$ 5.200,00
Total mensal:
30.787,92
Tabela 12: Despesas Fixas Mensais
7.5
Determinação dos valores dos impostos
Impostos são valores pagos, realizados em moeda nacional (no caso do Brasil, em
reais), por pessoas físicas e jurídicas. O valor é arrecadado pelo Estado (governos
municipal, estadual e federal) e servem para custear os gastos públicos com saúde,
segurança, educação, transporte, cultura, pagamentos de salários de funcionários
públicos, etc. O dinheiro arrecadado com impostos também é usado para
investimentos em obras públicas (hospitais, rodovias, hidrelétricas, portos,
universidades, etc).
Os impostos incidem sobre a renda (salários, lucros, ganhos de capital) e
patrimônio (terrenos, casas, carros, etc) das pessoas físicas e jurídicas.
A utilização do dinheiro proveniente da arrecadação de impostos não é vinculada a
gastos específicos. O governo, com a aprovação do legislativo, é quem define o
destino dos valores, através do orçamento.
Sabendo disso, nossa empresa estará em dia com o pagamento de todos os
impostos que estão relacionados com a nossa função. A tabela 9 mostra os
principais impostos pagos pela Center Pet.
SIGLA
SIGNIFICADO
TAXA
BASE DE
CÁLCULO
SAT
COFINS
CONTRIBUIÇÃO AO SEGURO
1,0 a
ACIDENTE DE TRABALHO
3,0%
CONTRIBUIÇÃO SOCIAL PARA 7,6%
SALÁRIO
SALÁRIO
O FINANCIAMENTO DA
SEGURIDADE SOCIAL
FGTS
FUNDO DE GARANTIA POR
8,0%
SALÁRIO
TEMPO DE SERVIÇO
60
61
ICMS
INSS
IOF
IPTU
IMPOSTO SOBRE
12% OU
CIRCULAÇÃO DE
17% OU
MERCADORIAS E SERVIÇOS
25%
INSTITUTO NACIONAL DE
ATÉ
SEGURIDADE SOCIAL
20%
IMPOSTO SOBRE
ATÉ
OPERAÇÕES DE CRÉDITO
1,5%
IMPOSTO SOBRE
0,38%
PROPRIEDADE PREDIAL
FATURAMENTO
SALÁRIO
FATURAMENTO
VALOR DO
IMÓVEL
URBANA
IR
IMPOSTO SOBRE A RENDA E
8 a 32%
LUCRO BRUTO
2 a 5%
FATURAMENTO
1.65%
SALÁRIO
PROVIMENTOS DE
QUALQUER NATUREZA
ISS
IMPOSTO SOBRE SERVIÇO
DE QUALQUER NATUREZA
PIS/PASEP PROGRAMA DE INTEGRAÇÃO
SOCIAL E PROGRAMA DE
FORMAÇÃO DO PATRIMÔNIO
DO SERVIDOR PÚBLICO
Tabela 13: Valores (em porcentagem) dos impostos que deverão ser pagos.
7.6
Definição do preço de venda
Por fornecermos uma grande variedade de produtos e serviços, e estes possuírem
valores diferentes de acordo com cada fornecedor, definimos que para produtos
iremos utilizar uma margem de, em média, 60% sobre o preço de custo de cada
produto.
Quanto aos serviços oferecidos, apresentamos nossos valores na tabela 12.
Serviço
Valor (R$)
Banho – porte pequeno
20,00
Banho – porte médio
30,00
Banho – porte grande
50,00
61
62
Banho e tosa – Porte pequeno
35,00
Banho e tosa – Porte médio
50,00
Banho e tosa – Porte grande
70,00
Hotel (diária)
40,00
Adestramento (diária)
35,00
Dog Walker (diária – passeio de 40 minutos)
30,00
Consulta veterinário
100,00
Tabela 14: Valores de venda dos serviços oferecidos.
7.7
Balanço patrimonial
O balanço patrimonial apresenta o que a empresa tem e pode utilizar em sua
atividade, também mostra o que a empresa deve.
Para Nunes (2006) o Balanço Patrimonial é não mais do que uma “fotografia”
instantânea do valor patrimonial de uma empresa numa determinada data.
Sua principal função é fornecer um quadro preciso da contabilidade e da situação
financeira da empresa em um período. É considerado uma das principais
declarações financeiras de uma empresa e deve ser feito com rigor, com a finalidade
de auxiliar um controle do patrimônio eficiente.
O balanço patrimonial da Center Pet está disposto na tabela 15.
62
63
BALANÇO PATRIMONIAL INICIAL
ATIVO
ATIVO CIRCULANTE
DISPONÍVEL
Caixa
R$ 60.000,00
Bancos Contas Movimento
-
MERCADIORIAS
Mercadorias em Estoque
R$ 30.000,00
R$ 90.000,00
ATIVO NÃO CIRCULANTE
IMOBILIZADO
Máquinas e Equipamentos
R$ 28.900,00
Móveis e utensílios
R$ 8.552,00
Equipamentos de Informática
R$ 4.720,00
Veículo
R$107.828,00
R$ 150.000,00
TOTAL DO ATIVO = R$240.000,00
PASSIVO
PASSIVO CIRCULANTE
Folha de pagamento
R$ 18.647,00
Encargos Sociais
R$ 1.493,00
Água/Luz/Comunicação
R$ 2.500,00
Manutenção
R$ 600,00
IPTU
R$ 160,00
Aluguel
R$ 5.200,00
R$ 28.600,00
PATRIMÔNIO LIQUIDO
Capital Social
R$ 211.400,00
TOTAL DO PASSIVO = R$240.000,00
Tabela 15: Balanço patrimonial
63
64
7.8
Fluxo de caixa
Segundo LEMES, RIGO e CHEROBIM (2002) a gestão do caixa é a atividade da
administração financeira que objetiva a otimização dos recursos financeiros,
integrada às demais atividades da empresa.
Sua função é informar sobre a situação da movimentação diária dos recursos
financeiros, disponibilizando as informações sobre pagamentos, recebimentos e
saldo. São as alterações ou modificações que influenciam o caixa em qualquer
momento.
As informações sobre os fluxos de caixa de uma empresa são úteis para
proporcionar uma base para avaliar a capacidade da empresa em gerar caixa e
valores equivalentes ao mesmo.
O controle é importante e útil tanto quando a empresa está crescendo, quanto no
momento em que apresenta prejuízo.
A demonstração de fluxo de caixa propicia uma fonte segura para elaborar os
planejamentos financeiros e as informações devem estar estruturadas diariamente,
informando os pagamentos, recebimentos e o saldo.
64
65
ANEXOS
ANEXO 1: Contrato Social
CENTER PET COMERCIAL LTDA
Pelo presente Instrumento Particular de Contrato Social:
1. Flavia Caroline Gatti, brasileira, solteira, nascida aos 10/03/1990,
zootecnista, CPF nº 356.656.276-76, RG nº 44.235.317-1, SSP-SP, residente e
domiciliada à Rua Major José Inácio, número 5298, Centro, São Carlos – SP, CEP
13574-005 e
2.
Natália da Silva Linhares, brasileira, nascida aos 30/06/1985,
estudante, CPF nº 876.578.984-25, RG nº 47.896.009-2, residente e domiciliada à
Avenida Carlos Botelho, nº 768, apto 81, Centro, CEP: constituem uma sociedade
limitada, mediante as seguintes cláusulas:
Cláusula Primeira - A sociedade adota o nome Center Pet, situada na Rua
Doutor Duarte Nunes, 425, Vila Prado, São Carlos, São Paulo, CEP 13574-360.
Cláusula Segunda - A sociedade tem por objeto a prestação de serviços na
área de Pet Shop.
Cláusula Terceira - A sociedade iniciará suas atividades em 04/07/2015 e
seu prazo de duração é indeterminado.
Cláusula Quarta - O capital social é R$200.000,00 (Duzentos mil reais)
dividido em 200.000,00 quotas de valor nominal R$1,00 (1 real), integralizadas,
neste ato, em moeda corrente do País, pelos sócios:
NOME
Nº DE QUOTAS
VALOR
Flavia Caroline Gatti
105700
R$105.700,00
Natália Linhares
105700
R$105.700,00
TOTAL
211400
R$211.400,00
65
66
Cláusula Quinta - As quotas são indivisíveis e não poderão ser cedidas ou
transferidas a terceiros sem o consentimento do(s) outro(s) sócio(s), a quem fica
assegurado, em igualdade de condições e preço direito de preferência para a sua
aquisição se postas à venda.
Cláusula Sexta - A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas
quotas, mas todos respondem solidariamente pela integralização do capital social.
Cláusula Sétima - A administração da sociedade caberá a Flavia Caroline
Gatti com todos os poderes e atribuições necessários à administração e
representação da sociedade, autorizado o uso do nome empresarial, vedado, no
entanto, fazê-lo em atividades estranhas ao interesse social ou assumir obrigações
seja em favor de qualquer dos quotistas ou de terceiros, bem como onerar ou alienar
bens imóveis da sociedade, sem autorização do(s) outro(s) sócio(s).
Cláusula Oitava - Ao término de cada exercício social, em 31 de dezembro,
o(s) administrador(es) prestará(rão) contas justificadas de sua(s) administração(ões),
procedendo à elaboração do inventário, do balanço patrimonial e do balanço de
resultado econômico, cabendo aos sócios, na proporção de suas quotas, os lucros
ou perdas apurados.
Cláusula Nona - Nos quatro meses seguintes ao término do exercício social,
os sócios deliberarão sobre as contas e designarão administrador(es) quando for o
caso.
Cláusula Décima - A sociedade poderá a qualquer tempo, abrir ou fechar filial
ou outra dependência, mediante alteração contratual assinada por todos os sócios.
Cláusula Décima Primeira - Os sócios poderão, de comum acordo, fixar uma
retirada mensal, a titulo de "pro labore" para o(s) sócio(s) administrador(es),
observadas as disposições regulamentares pertinentes.
Cláusula Décima Segunda - Falecendo ou sendo interditado qualquer sócio, a
sociedade continuará suas atividades com os herdeiros, sucessores e o incapaz.
Não
sendo
possível
ou
inexistindo
interesse
destes
ou
do(s)
sócio(s)
remanescente(s), o valor de seus haveres será apurado e liquidado com base na
situação patrimonial da sociedade, à data da resolução, verificada em balanço
especialmente levantado.
Parágrafo único - O mesmo procedimento será adotado em outros casos em
que a sociedade se resolva em relação a seu sócio.
66
67
Cláusula Décima Terceira - O(s) Administrador (es) declara(m), sob as penas
da lei, que não está(ão) impedido(s) de exercer a administração da sociedade, por
lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrar(em) sob os
efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos
públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão,
peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra
normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, fé pública, ou a
propriedade.
Cláusula Décima Quarta - Fica eleito o foro da Comarca de São Carlos para o
exercício e o cumprimento dos direitos e obrigações resultantes deste contrato.
E, por estarem assim justos e contratados, assinam este instrumento em 3
via(s).
São Carlos, SP, 04 de julho de 2015
____________________________________________________
Flavia Caroline Gatti
____________________________________________________
Natália da Silva Linhares
67
68
ANEXO 2: Organograma
Administrativo
Financeiro
Clínica
Hotelaria
Serviços
Gestão de
Pessoas e
Materiais
Folha de
pagamento
Atendimento
geral
Hospedagem
Loja/Produtos
Controle de
produtos/estoque
Caixa
Cirúrgica
Banho e Tosa
Dog Walker
Limpeza e
Segurança
Contabilidade
Vacinas e
Medicamentos
Passeios
Banho e Tosa
(leva e traz)
Delivery produtos
68
69
ANEXO 3: Produtos e serviços
CÃES E GATOS
Rações
Alimentos industrializados para animais
Acessórios: comedouros, coleiras e brinquedos em geral
69
70
Caixas de transportes
Camas e bolsas
70
71
Casinhas
Focinheira
71
72
Roupas
Arranhadores
72
73
Shampoo e condicionador (sarnicida/ antipulgas/ antisséptico)
Perfumes
Bandeja higiênica
73
74
Remédio e vitaminas
PÁSSAROS
Bebedouros
74
75
Comedouros
Gaiolas diversas
75
76
Rações
Vitaminas, remédios e suplementos
76
77
ROEDORES
Gaiola, casinhas
77
78
Brinquedos
Rações
78
79
RÉPTEIS
Rações
Abrigo para répteis, luzes e aquecedores
79
80
Vitaminas e remédios
PEIXES
80
81
Aquários
Rações
Filtros
81
82
Plantas e enfeites
82
83
Serviços
Hotelaria
Banho e tosa
83
84
Clínica Veterinária
Loja com variedade em produtos
84
85
Adestramento
Leva e traz
85
86
Dog Walker (passeio com cães)
86
87
ANEXO 4: Pesquisa de mercado
1) Sexo
(A) Masculino
(B) Feminino
2) Faixa Etária
(A) 18 a 30 anos
(B) 31 a 40 anos
(C) 41 a 50 anos
(D) Acima de 51 anos
3) Escolaridade
(A) Ensino Fundamental Incompleto
(B) Ensino Fundamental Completo
(C) Ensino Médio Incompleto
(D) Ensino Médio Completo
(E) Ensino Superior Incompleto
(F) Ensino Superior Completo
4) Renda Familiar
(A) 1 a 3 salários mínimos
(B) 4 a 6 salários mínimos
(C) Acima de 6 salários mínimos
5) Estado civil
(A) Solteiro (a)
(B) Casado (a)
(C) Divorciado (a)
(D) Viúvo (a)
(E) União estável
87
88
6) Tem filhos?
(A) Não
(B) Sim.
7) Você possui animais de estimação?
(A) Não
(B) Sim
8) Qual a espécie?
9) Com que frequência costuma levar seu animal no pet shop?
(A) 1 vez ao mês
(B) 2 vezes ao mês
(C) 3 vezes ao mês
(D) 4 vezes ou mais
(E) Nunca
10) Qual o investimento mensal que você gastaria com seu animal?
(A) Até R$50,00
(B) De R$50,00 a R$100,00
(C) De R$100,00 a R$200,00
(D) R$200,00 ou mais
11) Você deixaria seu animal em um hotel?
(A) Sim
(B) Não
12) Seu animal é adestrado?
(A) Sim
(B) Não
13) Tem interesse em adestrá-lo?
(A) Sim
88
89
(B) Não
14) Seu animal é castrado?
(A) Sim
(B) Não
15) Tem interesse em castrá-lo?
(A) Sim
(B) Não
16) Qual serviço gostaria de encontrar em um pet shop?
17) O que te faz confiar em um pet shop?
(A) Diferentes serviços
(B) Veterinários
(C) Preço
(D) Outros.
89
90
ANEXO 5: Diagrama de Processo de Atendimento ao cliente
CLIENTE
RECEPÇÃO
Se SIM
1
PET SHOP
Se
BANHO/TOSA
Se SIM
2
Se
HOTEL
Se SIM
3
Se
VETERINÁRIO
Se SIM
4
FIM
90
91
1
Oferecer
Ajuda e
Produtos
Efetuou
compra?
Encaminhar
cliente ao
caixa
Não
FIM
FIM
91
92
2
O cliente
possui
cadastro?
Sim
Encaminhar o
cliente ao
banho e tosa
Não
Apresentar e
oferecer o serviço
O cliente
aceitou o
serviço?
Sim
Fazer
Cadastro
Não
FIM
92
93
3
O cliente
possui
cadastro?
Sim
Encaminhar o
cliente ao Local
de hospedagem
Não
Apresentar e oferecer
o serviço
O cliente
aceitou o
serviço?
Sim
Fazer Cadastro
Não
FIM
93
94
4
O cliente
marcou
horário?
Sim
Encaminhar o
cliente ao
atendimento
Não
Marcar consulta
e/ou encaminhá-lo
à sala de espera
Cliente
atendido?
Sim
Perguntar
Satisfação
Precisa de
retorno?
Sim
Marcar
retorno
Não
FIM
94
95
ANEXO 6: NORMA REGULAMENTADORA 6 - NR 6
EQUIPAMENTO DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL - EPI
6.1 Para os fins de aplicação desta Norma Regulamentadora - NR, considera-se
Equipamento de Proteção Individual - EPI, todo dispositivo ou produto, de uso
individual utilizado pelo trabalhador, destinado à proteção de riscos suscetíveis de
ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
6.1.1 Entende-se como Equipamento Conjugado de Proteção Individual, todo aquele
composto por vários dispositivos, que o fabricante tenha associado contra um ou
mais riscos que possam ocorrer simultaneamente e que sejam suscetíveis de
ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.
6.2 O equipamento de proteção individual, de fabricação nacional ou importado, só
poderá ser posto à venda ou utilizado com a indicação do Certificado de Aprovação CA, expedido pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no
trabalho do Ministério do Trabalho e Emprego.
6.3 A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado
ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, nas seguintes
circunstâncias:
a) sempre que as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra
os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho;
b) enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e,
c) para atender a situações de emergência.
6.4 Atendidas as peculiaridades de cada atividade profissional, e observado o
disposto no item 6.3, o empregador deve fornecer aos trabalhadores os EPI
adequados, de acordo com o disposto no ANEXO I desta NR.
6.4.1 As solicitações para que os produtos que não estejam relacionados no ANEXO
I, desta NR, sejam considerados como EPI, bem como as propostas para reexame
daqueles ora elencados, deverão ser avaliadas por comissão tripartite a ser
constituída pelo órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no
trabalho, após ouvida a CTPP, sendo as conclusões submetidas àquele órgão do
Ministério do Trabalho e Emprego para aprovação.
6.5 Compete ao Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e em Medicina
do Trabalho – SESMT, ouvida a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA e trabalhadores usuários, recomendar ao empregador o EPI adequado ao
risco existente em determinada atividade.(alterado pela Portaria SIT/DSST
194/2010)
6.5.1 Nas empresas desobrigadas a constituir SESMT, cabe ao empregador
selecionar o EPI adequado ao risco, mediante orientação de profissional
95
96
tecnicamente habilitado, ouvida a CIPA ou, na falta desta, o designado e
trabalhadores usuários. (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
6.6 Responsabilidades do empregador. (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
6.6.1 Cabe ao empregador quanto ao EPI :
a) adquirir o adequado ao risco de cada atividade;
b) exigir seu uso;
c) fornecer ao trabalhador somente o aprovado pelo órgão nacional competente em
matéria de segurança e saúde no trabalho;
d) orientar e treinar o trabalhador sobre o uso adequado, guarda e conservação;
e) substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado;
f) responsabilizar-se pela higienização e manutenção periódica; e,
g) comunicar ao MTE qualquer irregularidade observada. h) registrar o seu
fornecimento ao trabalhador, podendo ser adotados livros, fichas ou sistema
eletrônico. (Inserida pela Portaria SIT/DSST 107/2009)
6.7 Responsabilidades do trabalhador. (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
6.7.1 Cabe ao empregado quanto ao EPI:
a) usar, utilizando-o apenas para a finalidade a que se destina;
b) responsabilizar-se pela guarda e conservação;
c) comunicar ao empregador qualquer alteração que o torne impróprio para uso; e,
d) cumprir as determinações do empregador sobre o uso adequado.
6.8 Responsabilidades de fabricantes e/ou importadores. (alterado pela Portaria
SIT/DSST 194/2010)
6.8.1 O fabricante nacional ou o importador deverá:
a) cadastrar-se junto ao órgão nacional competente em matéria de segurança e
saúde no trabalho; (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
b) solicitar a emissão do CA; (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
c) solicitar a renovação do CA quando vencido o prazo de validade estipulado pelo
órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde do trabalho; (alterado
pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
96
97
d) requerer novo CA quando houver alteração das especificações do equipamento
aprovado; (alterado pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
e) responsabilizar-se pela manutenção da qualidade do EPI que deu origem ao
Certificado de Aprovação - CA;
f) comercializar ou colocar à venda somente o EPI, portador de CA;
g) comunicar ao órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no
trabalho quaisquer alterações dos dados cadastrais fornecidos; h) comercializar o
EPI com instruções técnicas no idioma nacional, orientando sua utilização,
manutenção, restrição e demais referências ao seu uso;
i) fazer constar do EPI o número do lote de fabricação; e,
j) providenciar a avaliação da conformidade do EPI no âmbito do SINMETRO,
quando for o caso;
k) fornecer as informações referentes aos processos de limpeza e higienização de
seus EPI, indicando quando for o caso, o número de higienizações acima do qual é
necessário proceder à revisão ou à substituição do equipamento, a fim de garantir
que os mesmos mantenham as características de proteção original. (alterado pela
Portaria SIT/DSST 194/2010)
6.8.1.1 Os procedimentos de cadastramento de fabricante e/ou importador de EPI e
de emissão e/ou renovação de CA devem atender os requisitos estabelecidos em
Portaria específica. (Inserido pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
6.9 Certificado de Aprovação - CA
6.9.1 Para fins de comercialização o CA concedido aos EPI terá validade: ((alterado
pela Portaria SIT/DSST 194/2010)
a) de 5 (cinco) anos, para aqueles equipamentos com laudos de ensaio que não
tenham sua conformidade avaliada no âmbito do SINMETRO;
b) do prazo vinculado à avaliação da conformidade no âmbito do SINMETRO,
quando for o caso.
c) de 2 (dois) anos, quando não existirem normas técnicas nacionais ou
internacionais, oficialmente reconhecidas, ou laboratório capacitado para realização
dos ensaios, sendo que nesses casos os EPI terão sua aprovação pelo órgão
nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho, mediante
apresentação e análise do Termo de Responsabilidade Técnica e da especificação
técnica de fabricação, podendo ser renovado por 24 (vinte e quatro) meses, quando
se expirarão os prazos concedidos (redação dada pela Portaria 33/2007); e,(Alínea
excluída pela Portaria SIT/DSST 194/2010).
d) de 2 (dois) anos, renováveis por igual período, para os EPI desenvolvidos após a
data da publicação desta NR, quando não existirem normas técnicas nacionais ou
97
98
internacionais, oficialmente reconhecidas, ou laboratório capacitado para realização
dos ensaios, caso em que os EPI serão aprovados pelo órgão nacional competente
em matéria de segurança e saúde no trabalho, mediante apresentação e análise do
Termo de Responsabilidade Técnica e da especificação técnica de
fabricação.(Alínea excluída pela Portaria SIT/DSST 194/2010).
6.9.2 O órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no trabalho,
quando necessário e mediante justificativa, poderá estabelecer prazos diversos
daqueles dispostos no subitem 6.9.1.
6.9.3 Todo EPI deverá apresentar em caracteres indeléveis e bem visíveis, o nome
comercial da empresa fabricante, o lote de fabricação e o número do CA, ou, no
caso de EPI importado, o nome do importador, o lote de fabricação e o número do
CA.
6.9.3.1 Na impossibilidade de cumprir o determinado no item 6.9.3, o órgão nacional
competente em matéria de segurança e saúde no trabalho poderá autorizar forma
alternativa de gravação, a ser proposta pelo fabricante ou importador, devendo esta
constar do CA.
6.10 - Restauração, lavagem e higienização de EPI
6.10.1 - Os EPI passíveis de restauração, lavagem e higienização, serão definidos
pela comissão tripartite constituída, na forma do disposto no item 6.4.1, desta NR,
devendo manter as características de proteção original.(Item excluído pela Portaria
SIT/DSST 194/2010).
6.11 Da competência do Ministério do Trabalho e Emprego / MTE
6.11.1 Cabe ao órgão nacional competente em matéria de segurança e saúde no
trabalho:
a) cadastrar o fabricante ou importador de EPI;
b) receber e examinar a documentação para emitir ou renovar o CA de EPI;
c) estabelecer, quando necessário, os regulamentos técnicos para ensaios de EPI;
d) emitir ou renovar o CA e o cadastro de fabricante ou importador;
e) fiscalizar a qualidade do EPI;
f) suspender o cadastramento da empresa fabricante ou importadora; e,
g) cancelar o CA.
6.11.1.1 Sempre que julgar necessário o órgão nacional competente em matéria de
segurança e saúde no trabalho, poderá requisitar amostras de EPI, identificadas
com o nome do fabricante e o número de referência, além de outros requisitos.
98
99
6.11.2 Cabe ao órgão regional do MTE:
a) fiscalizar e orientar quanto ao uso adequado e a qualidade do EPI;
b) recolher amostras de EPI; e,
c) aplicar, na sua esfera de competência, as penalidades cabíveis pelo
descumprimento desta NR.
6.12 e Subitens (Revogados pela Portaria SIT n.º 125/2009).
99
100
ANEXO 7: NR 17 - NORMA REGULAMENTADORA 17
ERGONOMIA
17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a
adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos
trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e
desempenho eficiente.
17.1.1. As condições de trabalho incluem aspectos relacionados ao levantamento,
transporte e descarga de materiais, ao mobiliário, aos equipamentos e às condições
ambientais do posto de trabalho e à própria organização do trabalho.
17.1.2. Para avaliar a adaptação das condições de trabalho às características
psicofisiológicas dos trabalhadores, cabe ao empregador realizar a análise
ergonômica do trabalho, devendo a mesma abordar, no mínimo, as condições de
trabalho, conforme estabelecido nesta Norma Regulamentadora.
17.2. Levantamento, transporte e descarga individual de materiais.
17.2.1. Para efeito desta Norma Regulamentadora:
17.2.1.1. Transporte manual de cargas designa todo transporte no qual o peso da
carga é suportado inteiramente por um só trabalhador, compreendendo o
levantamento e a deposição da carga.
17.2.1.2. Transporte manual regular de cargas designa toda atividade realizada de
maneira contínua ou que inclua, mesmo de forma descontínua, o transporte manual
de cargas.
17.2.1.3. Trabalhador jovem designa todo trabalhador com idade inferior a dezoito
anos e maior de quatorze anos.
17.2.2. Não deverá ser exigido nem admitido o transporte manual de cargas, por um
trabalhador cujo peso seja suscetível de comprometer sua saúde ou sua segurança.
17.2.3. Todo trabalhador designado para o transporte manual regular de cargas, que
não as leves, deve receber treinamento ou instruções satisfatórias quanto aos
métodos de trabalho que deverá utilizar, com vistas a salvaguardar sua saúde e
prevenir acidentes.
17.2.4. Com vistas a limitar ou facilitar o transporte manual de cargas deverão ser
usados meios técnicos apropriados.
17.2.5. Quando mulheres e trabalhadores jovens forem designados para o
transporte manual de cargas, o peso máximo destas cargas deverá ser nitidamente
inferior àquele admitido para os homens, para não comprometer a sua saúde ou a
sua segurança.
100
101
17.2.6. O transporte e a descarga de materiais feitos por impulsão ou tração de
vagonetes sobre trilhos, carros de mão ou qualquer outro aparelho mecânico
deverão ser executados de forma que o esforço físico realizado pelo trabalhador
seja compatível com sua capacidade de força e não comprometa a sua saúde ou a
sua segurança.
17.2.7. O trabalho de levantamento de material feito com equipamento mecânico de
ação manual deverá ser executado de forma que o esforço físico realizado pelo
trabalhador seja compatível com sua capacidade de força e não comprometa a sua
saúde ou a sua segurança.
17.3. Mobiliário dos postos de trabalho.
17.3.1. Sempre que o trabalho puder ser executado na posição sentada, o posto de
trabalho deve ser planejado ou adaptado para esta posição.
17.3.2. Para trabalho manual sentado ou que tenha de ser feito em pé, as bancadas,
mesas, escrivaninhas e os painéis devem proporcionar ao trabalhador condições de
boa postura, visualização e operação e devem atender aos seguintes requisitos
mínimos:
a) ter altura e características da superfície de trabalho compatíveis com o tipo de
atividade, com a distância requerida dos olhos ao campo de trabalho e com a altura
do assento;
b) ter área de trabalho de fácil alcance e visualização pelo trabalhador;
c) ter características dimensionais que possibilitem posicionamento e movimentação
adequados dos segmentos corporais.
17.3.2.1. Para trabalho que necessite também da utilização dos pés, além dos
requisitos estabelecidos no subitem 17.3.2, os pedais e demais comandos para
acionamento pelos pés devem ter posicionamento e dimensões que possibilitem fácil
alcance, bem como ângulos adequados entre as diversas partes do corpo do
trabalhador, em função das características e peculiaridades do trabalho a ser
executado.
17.3.3. Os assentos utilizados nos postos de trabalho devem atender aos seguintes
requisitos mínimos de conforto:
a) altura ajustável à estatura do trabalhador e à natureza da função exercida;
b) características de pouca ou nenhuma conformação na base do assento;
c) borda frontal arredondada;
d) encosto com forma levemente adaptada ao corpo para proteção da região lombar.
101
102
17.3.4. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados sentados, a
partir da análise ergonômica do trabalho, poderá ser exigido suporte para os pés,
que se adapte ao comprimento da perna do trabalhador.
17.3.5. Para as atividades em que os trabalhos devam ser realizados de pé, devem
ser colocados assentos para descanso em locais em que possam ser utilizados por
todos os trabalhadores durante as pausas.
17.4. Equipamentos dos postos de trabalho.
17.4.1. Todos os equipamentos que compõem um posto de trabalho devem estar
adequados às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do
trabalho a ser executado.
17.4.2. Nas atividades que envolvam leitura de documentos para digitação,
datilografia ou mecanografia deve:
a) ser fornecido suporte adequado para documentos que possa ser ajustado
proporcionando boa postura, visualização e operação, evitando movimentação
frequente do pescoço e fadiga visual;
b) ser utilizado documento de fácil legibilidade sempre que possível, sendo vedada a
utilização do papel brilhante, ou de qualquer outro tipo que provoque ofuscamento.
17.4.3. Os equipamentos utilizados no processamento eletrônico de dados com
terminais de vídeo devem observar o seguinte:
a) condições de mobilidade suficientes para permitir o ajuste da tela do equipamento
à iluminação do ambiente, protegendo-a contra reflexos, e proporcionar corretos
ângulos de visibilidade ao trabalhador;
b) o teclado deve ser independente e ter mobilidade, permitindo ao trabalhador
ajustá-lo de acordo com as tarefas a serem executadas;
c) a tela, o teclado e o suporte para documentos devem ser colocados de maneira
que as distâncias olho-tela, olho- teclado e olho-documento sejam aproximadamente
iguais;
d) serem posicionados em superfícies de trabalho com altura ajustável.
17.4.3.1. Quando os equipamentos de processamento eletrônico de dados com
terminais de vídeo forem utilizados eventualmente poderão ser dispensadas as
exigências previstas no subitem 17.4.3, observada a natureza das tarefas
executadas e levando-se em conta a análise ergonômica do trabalho.
17.5. Condições ambientais de trabalho.
17.5.1. As condições ambientais de trabalho devem estar adequadas às
características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser
executado.
102
103
17.5.2. Nos locais de trabalho onde são executadas atividades que exijam
solicitação intelectual e atenção constantes, tais como: salas de controle,
laboratórios, escritórios, salas de desenvolvimento ou análise de projetos, dentre
outros, são recomendadas as seguintes condições de conforto:
a) níveis de ruído de acordo com o estabelecido na NBR 10152, norma brasileira
registrada no INMETRO;
b) índice de temperatura efetiva entre 20oC (vinte) e 23oC (vinte e três graus
centígrados);
c) velocidade do ar não superior a 0,75m/s;
d) umidade relativa do ar não inferior a 40 (quarenta) por cento.
17.5.2.1. Para as atividades que possuam as características definidas no subitem
17.5.2, mas não apresentam equivalência ou correlação com aquelas relacionadas
na NBR 10152, o nível de ruído aceitável para efeito de conforto será de até 65 dB
(A) e a curva de avaliação de ruído (NC) de valor não superior a 60 dB.
17.5.2.2. Os parâmetros previstos no subitem 17.5.2 devem ser medidos nos postos
de trabalho, sendo os níveis de ruído determinados próximos à zona auditiva e as
demais variáveis na altura do tórax do trabalhador.
17.5.3. Em todos os locais de trabalho deve haver iluminação adequada, natural ou
artificial, geral ou suplementar, apropriada à natureza da atividade.
17.5.3.1. A iluminação geral deve ser uniformemente distribuída e difusa.
17.5.3.2. A iluminação geral ou suplementar deve ser projetada e instalada de forma
a evitar ofuscamento, reflexos incômodos, sombras e contrastes excessivos.
17.5.3.3. Os níveis mínimos de iluminamento a serem observados nos locais de
trabalho são os valores de iluminâncias estabelecidos na NBR 5413, norma
brasileira registrada no INMETRO.
17.5.3.4. A medição dos níveis de iluminamento previstos no subitem 17.5.3.3 deve
ser feita no campo de trabalho onde se realiza a tarefa visual, utilizando-se de
luxímetro com fotocélula corrigida para a sensibilidade do olho humano e em função
do ângulo de incidência.
17.5.3.5. Quando não puder ser definido o campo de trabalho previsto no subitem
17.5.3.4, este será um plano horizontal a 0,75m (setenta e cinco centímetros) do
piso.
17.6. Organização do trabalho.
17.6.1. A organização do trabalho deve ser adequada às características
psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser executado.
103
104
17.6.2. A organização do trabalho, para efeito desta NR, deve levar em
consideração, no mínimo:
a) as normas de produção;
b) o modo operatório;
c) a exigência de tempo;
d) a determinação do conteúdo de tempo;
e) o ritmo de trabalho;
f) o conteúdo das tarefas.
17.6.3. Nas atividades que exijam sobrecarga muscular estática ou dinâmica do
pescoço, ombros, dorso e membros superiores e inferiores, e a partir da análise
ergonômica do trabalho, deve ser observado o seguinte:
a) todo e qualquer sistema de avaliação de desempenho para efeito de remuneração
e vantagens de qualquer espécie deve levar em consideração as repercussões
sobre a saúde dos trabalhadores;
b) devem ser incluídas pausas para descanso;
c) quando do retorno do trabalho, após qualquer tipo de afastamento igual ou
superior a 15 (quinze) dias, a exigência de produção deverá permitir um retorno
gradativo aos níveis de produção vigentes na época anterior ao afastamento.
17.6.4. Nas atividades de processamento eletrônico de dados, deve-se, salvo o
disposto em convenções e acordos coletivos de trabalho, observar o seguinte:
a) o empregador não deve promover qualquer sistema de avaliação dos
trabalhadores envolvidos nas atividades de digitação, baseado no número individual
de toques sobre o teclado, inclusive o automatizado, para efeito de remuneração e
vantagens de qualquer espécie;
b) o número máximo de toques reais exigidos pelo empregador não deve ser
superior a 8.000 por hora trabalhada, sendo considerado toque real, para efeito
desta NR, cada movimento de pressão sobre o teclado;
c) o tempo efetivo de trabalho de entrada de dados não deve exceder o limite
máximo de 5 (cinco) horas, sendo que, no período de tempo restante da jornada, o
trabalhador poderá exercer outras atividades, observado o disposto no art. 468 da
Consolidação das Leis do Trabalho, desde que não exijam movimentos repetitivos,
nem esforço visual;
d) nas atividades de entrada de dados deve haver, no mínimo, uma pausa de 10
minutos para cada 50 minutos trabalhados, não deduzidos da jornada normal de
trabalho;
104
105
e) quando do retorno ao trabalho, após qualquer tipo de afastamento igual ou
superior a 15 (quinze) dias, a exigência de produção em relação ao número de
toques deverá ser iniciado em níveis inferiores do máximo estabelecido na alínea "b"
e ser ampliada progressivamente.
105
106
Referências Bibliográficas
Livros
CHIAVENATO, Idalberto. Administração de Recursos Humanos. São Paulo: Atlas,
1981.
COBRA, Marcos. Administração de Marketing. 2º edição. São Paulo: Atlas, 2010.
DESSLER, Gary. Administração de Recursos Humanos. São Paulo: Prentice Hall,
2003.
GIL, Antonio Carlos. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais
Sites
Abertura de empresa – Disponível em:
<<http://www.portaldoempreendedor.gov.br/empresario-individual/abertura-registroe-legalizacao>> <<http://www.sebrae-rs.com.br/index.php/7-passos-para-abrirminha-empresa>>
Ação pós-venda. Disponível em:
<<http://posvendas.wordpress.com/2009/06/08/acoes-de-pos-vendas.>>
Acessórios Para Pet Shop - Disponível em: <<http://www.amfpet.com.br>>
Código de defesa do consumidor – Disponível em:
<<http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8078.htm>>
<<http://www.idec.org.br/consultas/codigo-de-defesa-do-consumidor/capitulo-i>>
Contrato social – Disponível em:
<<http://www.portaldoempreendedor.gov.br/sociedades-empresariaslimitadas/contrato-padrao/descricao-do-objeto-social>>
<<https://www.nibo.com.br/blog/o-que-e-contrato-social-para-empresas/>>
106
107
Definição de CIPA - Disponível em: << http://www.cipa.uem.br/index.php# >>
Definição de Ergonomia - NR17 - Disponível em:
<<http://portal.mte.gov.br/data/files/FF8080812BE914E6012BEFBAD7064803/nr_17.
pdf#>>
Distribuidora de Produtos Pet - Disponível em: <<http://www.mypetbrasil.com.br>>
Enquadramento da empresa – Disponível em:
<<http://portal.anvisa.gov.br/wps/content/Anvisa+Portal/Anvisa/Setor+Regulado/Com
o+Fazer/Porte+de+Empresas/Enquadramento+de+Porte+da+Empresa>>
<<http://www.portaldoempreendedor.gov.br/empresario-individual/me-microempresaepp-empresa-de-pequeno-porte>>
Funções do Marketing - Disponível em:
<<http://www.carlosmartins.com.br/merc_adm_empresas.htm>>
Ideias para Hotel de Animais - Disponível em: <<http://www.sodinheiro.info/ideiasde-novos-negocios/ideias-de-novos-negocios_hotel-para-animais-domesticos.php>>
Impostos - Disponível em:
<<http://www.receita.fazenda.gov.br/aliquotas/ImpCreSegCamb.htm>>
Manual do Empreendedor SEBRAE. Disponível em
<<http://www.biblioteca.sebrae.com.br/bds/BDS.nsf/0D18AE26F0DAEA09032570F8
00662541/$File/NT000ADBB2.pdf>>
Missão, visão e valores – Disponível em:
<<http://www.infoescola.com/administracao_/missao-visao-e-valores-os-principiosessenciais/>>
107
108
Pesquisa de mercado – Disponível em:
<<http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/Pesquisa-de-mercado:-o-que%C3%A9-e-para-que-serve>>
Ramos de atividades – Disponível em:
<<http://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/Ramos-de-atividades>>
Razão social/nome fantasia –Disponível em: <<https://www.nibo.com.br/blog/o-quee-razao-social-e-o-que-e-nome-fantasia/>>
108