Relato da Viagem Todo estudante de jornalismo espera por sua

Сomentários

Transcrição

Relato da Viagem Todo estudante de jornalismo espera por sua
Relato da Viagem
Todo estudante de jornalismo espera por sua primeira matéria publicada no
jornal. Todo aluno de comunicação espera pelo seu primeiro estágio profissional.
Todo fotógrafo espera reconhecimento pela forma que enxerga o mundo.
E comigo não foi diferente. Esperei pela minha primeira matéria publicada e
pelo meu primeiro estágio. E consegui. Mas não imaginava, em meu último ano de
curso, ganhar um concurso de fotografia e ter reconhecimento assim dessa forma.
Nem mesmo esperava ganhar algo em minha própria universidade nos meus quatro
anos de faculdade. Não que eu não sonhasse trilhar carreira no fotojornalismo, mas
é incrível como essa incredulidade em nós mesmos nos arranca a percepção de que
somos capazes de receber algo por nosso próprio mérito.
Cinco dias na Coréia do Sul trouxe, não só à vida pessoal como também à
carreira profissional, uma experiência incrível. E eu acredito que esta seja a palavra:
incrível! Porque tudo realmente foi assim! Fui muito bem recepcionada pelo Centro
Cultural da Coréia, agradeço a Leda Kim, a Clara, o Claudio e todos que
contribuíram para que a exposição fosse linda. Não há uma palavra para expressar
o meu sentimento em ver minhas três fotografias expostas do outro lado do mundo,
representando não só a minha Universidade, mas levando também o nome do nosso
país. Jamais pensei que isto poderia acontecer. Foi demais!
Vivi dias preciosos, conheci lugares extremamente lindos, desde a chegada
até a partida. Conheci também a pessoa que ocupa o mais alto cargo na embaixada,
o sr. Luís Fernando Serra, Embaixador do Brasil na Coréia, durante a exposição.
Quase dei um pulo no Norte, visitando a DMZ Station, área desmilitarizada entre as
Coréias – que para mim foi o passeio mais impactante, pois acompanho a situação
entre os dois países há um tempo, acerca das notícias sobre missões. Experimentei
um pouco de tudo que havia lá, como o Bap, Kimchi, Bibimbap e pizzas, as picantes
e a de gorgonzola com mel. Falei inglês, coreano, a língua que desse para entender.
Fiz amizades!
Em todo o tempo que andei por lá, me senti extremamente segura. O que é
uma realidade diferente em nosso país. A sensação de estar com seus pertences
sem se preocupar que poderá lhe ser tirados é muito boa. Imergir em uma cultura
diferente da nossa é transformador. A cada rua, a cada passo, eu descobria algo
novo. Voltei com a mala cheia, não de presentes, mas repleta de outros sonhos. O
desejo para ser alguém melhor também se tornou latente. Uma pessoa melhor, uma
estudante melhor, uma fotógrafa melhor. Com toda a certeza posso afirmar que
minha visão de mundo foi renovada. Gamsahabnida!
Com a frase de Sebastião Salgado, profissional que admiro há anos, concluo
minhas considerações sobre a incrível viagem. Já estou ansiosa para o meu próximo
destino!
“Você não fotografa com a sua máquina. Você fotografa com toda sua cultura.”
Vivian Ferraz
Aluna de Jornalismo
Universidade de Taubaté

Documentos relacionados

Atualidades

Atualidades A cúpula ocorrida em junho de 2000, na capital do Norte (Pyongyang), mereceu a aclamação de histórica, pois os dois governantes realmente se encontraram, o que não ocorreu na marcada para 1994, dev...

Leia mais