Os poemas para infância do Rio Grande do Sul

Сomentários

Transcrição

Os poemas para infância do Rio Grande do Sul
946
Os poemas para infância do Rio Grande do Sul
V Mostra de
Pesquisa da PósGraduação
Cristiane Lumertz Klein Domingues1, Prof. Dr. Alice Therezinha Campos Moreira2
Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS)
Faculdade de Letras - Programa de Pós Graduação
Resumo
O tema central do trabalho é o estudo das características da produção poética para
infância no Rio Grande do Sul, numa pesquisa de caráter bibliográfico e analítico, com um
corpus composto de poemas escritos por poetas gaúchos. A pesquisa tem como objetivo fazer
o levantamento dos poetas gaúchos e das obras dedicadas ao público infantil, alinhando com o
referencial teórico a análise dos poemas e as características da poesia infantil, com a intenção
de privilegiar e tornar conhecidos os poetas gaúchos, e de deixar ao alcance da criança a
poesia sul-rio-grandense.
Preferencialmente, a opção metodológica é o levantamento da produção literária para
o público infantil gaúcho, porque desejamos colaborar para o desenvolvimento do gosto
poético, partindo da realidade dela, numa conexão com o mundo infantil. Os dados foram
levantados em bibliotecas diversas e museus, de Porto Alegre, pesquisando primeiramente a
bibliografia dos poetas. A próxima etapa era de encontrar informações sobre a biografia deles,
em jornais, revistas e livros para constituição do corpus que está formado por 14 poetas
gaúchos: Dilan Camargo, Lourenço, Paulo da Silva Cazarré, José Eduardo Degrazia, Maria
Dinorah, Josué Guimarães, Antônio Hohlfeldt, Carlos Heraclito Mello Neves, Amir Feijó
Pereira, Mário Pirata, Mário Quintana, Mara Regina Rösler, Ricardo Silvestrin, Carlos Urbim
e Luiz Coronel – juntamente com a seleção de 35 obras de poesia infantil desses poetas:
Bamboletras, O vampiro Argemiro, A galera tagarela, O embrulho do Getúlio, Brincriar,
Desventuras do macaco golpista, O samba da girafa, O primeiro namorado, A criança não
1
2
Doutoranda e bolsista parcial da Capes.
Professor Orientador.
V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação – PUCRS, 2010
947
faz de conta, A cara alegre da natureza, O fazedor de balões, A magia do brincadeiro, Bicho
poesia, Sapo amarelo, Sapato furado, Lili inventa o mundo, Trem de carretel, A viagem da
minhoca
cirandeira,
Pequenas
observações
sobre
a
vida
em
outros
planetas,
MMMMMONSTROS!, É tudo invenção, O baú do Gogó, Caderno de temas, Diário de um
guri, Saco de brinquedos, Bolacha Maria, O dia da inauguração do mundo e outras estórias
de Luiz Coronel, Avefauna: viva os bichos, Mata-tira-tirarei, Poesia Sapeca, Ecocirandinha,
Ver de ver, Cantiga de estrela, Barco de sucata e a Briga da porta com a parede.
Na segunda etapa da pesquisa organizou o suporte teórico, como forma de pensar
sobre idéias que manifestem as características da poesia infantil. Pelo caráter inacabado,
segundo afirma Iser (1996), pelos vazios proporcionados pelo mundo ficcional, que
estimulam o desenvolvimento da imaginação, quando a criança passa pelo devaneio, num
sonho que possibilita viver com toda imaginação a fantasia, como escreve Bachelard (2006),
porque a criança preenche os espaços com as próprias idéias. O gênero poético dirigido ao
público infantil tem que atuar diretamente nos sentidos da criança, por meio de sons, rimas e
da brincadeira com as palavras. A poesia por revelar o mundo através do lúdico possibilita ao
pequeno leitor a elaboração de conflitos internos. Como diz Lotman (1978), à forma
condensada de organização do poema guarda a força da palavra, e conduz o leitor a
estabelecer relações externas que facilitam o entendimento. Também causa empatia com a
criança a leitura de um poema com situações ou palavras que remetam ao Rio Grande do Sul.
A última etapa pretende selecionar poemas que facilitem o entendimento das idéias
levantadas na etapa anterior, e por fim dedicar um capítulo a poetisa Maria Dinorah, cujo
acervo está no Delfos. O capítulo da Maria Dinorah pretende tratar da vida e da obra dela,
bem como, analisar alguns poemas previamente selecionados.
Os resultados obtidos apontam para um acervo significativo de poesia infantil de
poetas gaúchos, encontrados nas bibliotecas pesquisadas, mas demonstram dificuldades
consideráveis quanto ao levantamento de dados biográficos dos poetas que constituem o
corpus, ausentes de dicionários bibliográficos, e de histórias da literatura infantil no Rio
Grande do Sul.
Referências
BACHELARD, Gastón. A poética do devaneio. São Paulo: Martins Fontes, 2006.
CAMARGO, Dilan. Bamboletras. Porto Alegre : Projeto, 2002.
______.O vampiro Argemiro. Porto Alegre : Projeto, 2001.
______. A galera tagarela. Passo Fundo: UPF, 2003.
______. O embrulho do Getúlio. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987.
V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação – PUCRS, 2010
948
______. Brincriar. Porto Alegre: Projeto, 2007.
CAZARRE, Lourenço Paulo da Silva. Desventuras do macaco golpista. Porto Alegre: Tche, 1987.
CORONEL, Luiz. Avefauna: viva os bichos. Porto alegre: Tchê, 1992.
______. O dia da inauguração do mundo e outras estórias de Luiz Coronel. Porto
Alegre: Garatuja, 1978.
DEGRAZIA, José Eduardo. O samba da girafa. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1985.
DINORAH, Maria. Cantiga de estrela. Porto Alegre: Mercardo Aberto, 1997.
______. Ver de ver. Petrópolis : FTD, 1996.
______. Mata-tira-tirarei. Porto Alegre: L&PM, 1998.
______. Poesia Sapeca. Porto Alegre: L&PM, 2002.
______. Barco de sucata. Porto Alegre: Mercardo Aberto, 1997.
______. Ecocirandinha. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1993.
ISER, Wolfgang. O ato da leitura. Uma teoria do efeito estético. São Paulo: Ed. 34, 1996.
LOTMAN, Iuri. A estrutura do texto artístico. Lisboa: Editorial Estampa 1978.
NEVES, Carlos Heraclito Mello (Kalunga). O primeiro namorado. Caxias do Sul: Maneco Livr. & Ed. 2004.
______. Criança não faz de conta. Belo Horizonte: Miguilim, 2003.
PEREIRA, Amir feijó. A cara alegre da natureza. Porto Alegre: AGE, 2002.
PIRATA, Mario. Bicho poesia. São Paulo: Paulinas, 2002.
______. O fazedor de balões. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2003
______. A magia do brincadeiro. Porto Alegre: Mercado Aberto, 2002.
QUINTANA, Mário. Sapo Amarelo. São Paulo: Global, 2006.
______. Sapato furado.São Paulo: FTD, 1999.
______. Lili inventa o mundo. São Paulo: Global, 2005.
RÖSLER, Mara R.& KALUNGA. Trem de carretel. Petrópolis: Vozes, 1991.
______. A viagem da minhoca cirandeira. Rio de Janeiro: Vozes, 1993.
SILVESTRIN, Ricardo. Pequenas observações sobre a vida em outros planetas. São
Paulo: Salamandra, 2004
______. MMMMMONSTROS! São Paulo: Salamandra, 2005.
______. É tudo invenção. São Paulo: Ática, 2003
______. O baú do Gogó. Porto Alegre: Sulina, 1988.
URBIM, Carlos. Caderno de temas. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1999.
______. Diário de um guri. Porto Alegre: Projeto, 2000.
______. Saco de brinquedos. Porto Alegre: Projeto, 1997.
______. Bolacha Maria. Porto Alegre: ws editor, 2005.
V Mostra de Pesquisa da Pós-Graduação – PUCRS, 2010

Documentos relacionados

Extrinha 222.pmd

Extrinha 222.pmd Quase eu (1992, Coleção Petit POA, Secretaria de Cultura de Porto Alegre) Palavra Mágica (1995, Massao Ohno/ IEL) Pequenas observações sobre a vida em outros planetas (1998, Ed. Projeto, e 2001, Ed...

Leia mais