Christíane Torloni traz Joana Dark ao Tuca - Acervo Digital

Сomentários

Transcrição

Christíane Torloni traz Joana Dark ao Tuca - Acervo Digital
0/55C
CLIPPING
TEATRO DA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO
EVENTO: Tcrana DflrK, A re.-voNa
VEÍCULO : J b m i i _ d i _ £ ^
DATA: i - ty\V\ie\A7t^ TigOSTO (L "ZQOl
SEÇÃO:.
JORNAL DA
1* quinzena - agosto de 2001
PUC
PÁGINA 9
Peça sobre a lendária guerreira francesa que acabou canonizada faz temporada popular
Christíane Torloni traz Joana Dark ao Tuca
Mariana Pollara
A atriz Christiane Torloni é a protagonista da peça "Joana Dark, a revolta", que inicia temporada no Tuca,
a partir do dia 17/8, com ingressos a
R$ 10. Baseado no texto da norteamericana Carolyn Gage ("The
Secorid Corning of Joan of D'Are"),
com tradução e adaptação de Maria
Adelaide Amaral, o espetáculo estreou
em São Paulo no ano passado.
Por meio de uma linguagem cênica
contemporânea, que se vale de recursos tecnológicos e de técnicas de dança e circo, a peça pretende fazer uma
nova abordagem sobre velhos problemas, tais como preconceito, corrupção
e homossexualismo. A direção é de José
Possi Neto, parceiro antigo da atriz nos
palcos. Juntos, montaram "O Lobo de
Kay Ban" (1989), "Extasis"(1993) e
"Salomé" (1997).
Sessões de musculação e condicionamento tísico integram os preparativos de Christiane Torloni para cada
apresentação. Pendurada em barras de
ferro e presa em uma gaiola gigante, a
atriz interpreta a personagem histórica
Joana D'Are e contracena com atoresbailarinos, no papel de inquisidores da
Igreja Católica e de soldados do exército francês.
Aos 25 anos de carreira, Torloni se
divide entre as gravações da novela "Um
Anjo Caiu do Céu", da Rede Globo,
onde interpreta a vilã Laila, e apresentações da peça no Rio.' Nesse meio tempo, ela concedeu essa entrevista ao Jornal da PUC, por e-mail.
JP - Por que reestrear "Joana Dark,
a re-volta"?
Christiane Torloni - Acho que
ainda não estava na hora de me despedir de Joana, ela é força bruta e expressão da coragem feminina. Fiquei
muito triste com o final da temporada.
Quando surgiu a oportunidade de voltar, não hesitei. Depois das temporadas populares do Rio e São Paulo, vou
rodar todo o país de novo e já temos
um convite para ir a Portugal. Me dá
muito prazer fazer este espetáculo e o
público adora.
JP - A peça sofreu alguma mudança em relação à temporada anterior?
Christiane Torloni - Não. Apenas
pois de ter sido estuprada, senão não
pode santificá-la. Assim como um rei
não poderia ter sido coroado por uma
bruxa e então tem que santificar a mulher. A autora afirma que ela era homossexual, pois há nos autos um testemunho de uma amiga dizendo que
eram amantes.
J P - A traição e o preconceito sofridos por Joana D'Are são resultados
de sua condição de mulher participativa
em uma sociedade masculinizada, ou
reflexo da não aceitação de sua assumida clarividência?
Christiane Torloni - Ela foi queimada na fogueira das vaidades masculina porque ouvia vozes aos 13 anos.
Ouviu de Santa Catarina, Santa Margarida e São Miguel que sua missão era
reunificar a França invadida pelos ingleses e coroar o rei. E cumpriu a missão. Em dois anos, venceu todas as
batalhas e reunificou a França, humilhando os generais que quiseram vê-la
morta. Ela coroou o Rei, eles jamais a'
perdoariam.
A atriz em cena: "...o fato de hoje em dia um número maior de mulheres trabalhar
tora signitica apenas que os homens estão preparando uma fogueira maior..."
tivemos uma substituição no elenco e
algumas substituições no corpo técnico. Acho que a cada dia o espetáculo
fica melhor.
JP - A Laila, personagem sua na
novela "Um Anjo Caiu do Céu" e Joana
D'Are são personagens muito diferentes. A mulher contemporânea e moderna versus a guerreira histórica, que era
obrigada a vestir roupas masculinas
para alcançar seus objetivos. Como é
para você conceber esses dois personagens no mesmo espaço de tempo?
Christiane Torloni - Vejo semelhanças entre a Laila e a Joana. Acho
que as duas personagens viveram a estética antes da ética. Joana começa sua
história lutando por um princípio estético, que é o direito de usar roupas de
homem. Laila fez com que eu me
reaproximasse do humor do texto da
peça. Eu procurei trazer humanidade
para a Laila, e foi isso que surpreendeu
o público. As pessoas só se apaixonam
por transferência e ela só se tornou
apaixonante porque, antes de ser boa
Ou má, é humana. Tanto Laila quanto
Joana seduzem pelo riso, que é a coisa
que mais baixa a defesa das pessoas.
JP - Na sua opinião, como o texto
de Carolyn Gage proporciona uma
nova visão sobre o papel da mulher na
sociedade?
Christiane Torloni - A peça de
Carolyn Gage é perigosamente histórica. É toda baseada nos registros originais dos processos de julgamento e reabilitação de Joana. O texto é polêmico
e atual. Carolyn recua quinhentos anos,
para nos mostrar que quase nada mudou em questões importantes como
preconceito, homossexualismo e
corporativismo.
JP - Qual o caráter de sua Joana
D'Are? A Santa Padroeira ou a bruxa
herege desqualificada?
Christiane Torloni - Joana D'Are
é um dos mais poderosos ícones femininos de todos os tempos, despertando paixões exacerbadas e diametralmente opostas. Ela nos foi apresentada, ao longo dos anos, sucessivamente
como santa/herege, heroína/traidora,
virgem/lésbica, iluminada/marginal.
Minha Joana não pode fugir a tudo que
já lhe foi imputado, lembre-se que há
polêmicas maiores como a igreja não
poder dizer que ela foi queimada de-
JP - Você acha que a sociedade atual recebe melhor as mulheres que se
destacam?
Christiane Torloni - As mulheres
continuam sendo torturadas de todas
as maneiras. Eu tive sorte de ser criada
com muita liberdade. Há uma passagem no texto que pode ajudar a responder esta pergunta: "...A mesma turma que me mandou para a fogueira resolveu reconsiderar e me transformou
em public-relation da igreja deles!" e
"...O fato de hoje em dia um número
maior de mulheres trabalhar fora significa apenas que os homens estão preparando uma fogueira maior..."
J P - Qual a mensagem que Joana
D'Are passa às mulheres de hoje?
Christiane Torloni - Acho que o
melhor é assistir a peça, garanto que
nenhuma mulher vai sair imune à nossa Joana Dark.
Joana Dark, a re-volta
Tuca - T. Monte Alegre, 1.024
tel.:3670-8342
Sextas e sábados, às 21h;
domingos, às 19h
Preço -único: R$ 10
De 17/8 a 30 de setembn

Documentos relacionados

Aos 55 anos Christiane Torloni não descarta novo nu

Aos 55 anos Christiane Torloni não descarta novo nu Christiane Torloni, 55, não descarta posar novamente nua para uma revista masculina.

Leia mais