inglês - Específica de Química Flávio Rolim

Сomentários

Transcrição

inglês - Específica de Química Flávio Rolim
INGLÊS
1. Read the excerpt.
A guide for new fathers
Being a new dad is overwhelming, confusing, intimidating
and tiring, but also amazing and really cool.
That's the message fathers are sharing with fathers on a new
website designed as a “manual” for taking care of your
newborn.
WHITE, L. A guide for new fathers. 24 Hours Toronto:
Wednesday, p. 21. 15 jun., 2011. [Excerpt].
Adapted from: <http://www.huffingtonpost.com/2011/02/11/egyptfacebook-revolution-wael- ghonim_n_822078.html>
Glossary
Text
- stepped down from power: deixou o poder
- reaching out alcançar
I
2. According to text, Ghonim refused his role as a hero in
the Egyptian protest by emphasizing that he was simply
a) giving an interview.
b) fighting in the streets.
c) posting rnessages online.
d) marketing for Google.
e) exposing his life to danger.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
What piece of advice illustrates the idea of the new fathers
sharing experiences between themselves?
a) Spend more time at home.
b) Support your children's mother.
c) Talk to other dads about fathering.
d) Show affection toward your family.
e) Take on more responsibility.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
TEXT I
JUST 10 YEARS INTO A NEW CENTURY, MORE THAN TWOthirds of the country sees the past decade as a period of
decline for the U.S., according to a new TIME/Aspen Ideas
Festival poll that probed Americans on the decade since the
tragic events of Sept. 11, 2001. Osama bin Laden is dead and
al-Qaeda seriously weakened, but the impact of the 9/11
attacks and the decisions that followed have, in the view of
most Americans, put the U.S. in a tailspin that the country
has been unable to shake during two administrations and
almost 10 years of trying.
ACCORDING TO THE POLL, ONLY 6% OF MORE THAN 2,000
Americans believe the country has completely recovered
from the events of 9/11. Some of this pessimism can be tied
to fears of more terrorist attacks. Despite the death of bin
Laden, most Americans think another terrorist attack in the
U.S. is likely.
Shorthy after Egyptian President Hosni Mubarak stepped
down from power on Friday, activist WaeI Ghonim spoke
with CNN’s Wolf Blitzer and credited Facebook with the
success
of
the
Egyptian
peoples
uprising.
Ghonim, a marketing manager for Google, played a key role
in organizing the January_25 protest by reaching out to
Egyptian youths on Facebook. Shorthy after that first
protest, Ghonim was arrested in Cairo and imprisoned for 12
days.
Since his release, Ghonim has become a symbol for the
Egyptian movement, although he has rejected this notion.
“I’m not a hero. I was writing on a keyboard on the lnternet
and I wasn’t exposing my life to danger,” he said in an
interview immediately after his release. “The heroes are the
ones who are in the street.”
Página 1 de 31
3. A pesquisa descrita no texto mostrou que a maioria dos
norte-americanos
a) está satisfeita com as respostas dos EUA aos ataques de
11 de setembro de 2001.
b) avalia a última década nos EUA de forma desfavorável.
c) pede ao governo ações mais efetivas de combate ao
terrorismo.
d) acredita que, desde os ataques de 11 de setembro de
2001, o governo conseguiu melhorar sua imagem.
e) espera que o país supere, completamente, o trauma dos
ataques de 11 de setembro de 2001.
4. Com base nos gráficos que acompanham o texto, é
correto afirmar que, para os norte-americanos,
a) o evento de 11 de setembro de 2001 é mais significativo
que outros eventos ocorridos na última década.
b) a morte de Osama Bin Laden reduz o receio de novos
ataques terroristas contra os EUA.
c) o governo de Obama é avaliado com pessimismo e
descrédito, hoje.
d) o risco de um ataque praticado por terroristas internos é
maior que o de um ataque praticado por terroristas
externos.
e) a recessão econômica tem relação com os ataques e as
ameaças sofridos pelos EUA.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES:
Cool beans, rents! Mothers and fathers are finally being
given a chance to understand ‘Teenglish’. They can study a
new glossary of baffling vocabulary to prevent them looking
like a ‘fudge’ in front of their offspring.
The guide, Pimp Your Vocab, aims to demystify the jargon
used by teenagers and young people. It translates words
they regularly use including ‘cool beans’ which means
something is great.
‘Rents’ means parents, combining the last half of the word
with the fact they often provide rent-free accommodation. A
‘fudge’ is an idiot.
Author Lucy Tobin said she got the idea during her English
degree course when a tutor was confused by a student
declaring: ‘I was IM-ing ...’ She added: ‘After we students
explained IM-ing – when you talk to friends online via
instant messaging – I wrote a guide to the language kids
use’.
Miss Tobin believes that the guide could help improve staffstudent communication.
She said: ‘In communicating with a Teenglish-speaking
randomer (an outsider to your social group) their words can
seem like a new language’.
Teachers and academics have already complained that
Teenglish and ‘text message speak’ are creeping into exam
answers.
But last year, John Wells, president of the Spelling Society,
claimed that the informal language of texts, chat rooms and
emails were the ’way forward’.
He said that people should stop worrying about ‘text
message speak’ creeping into general usage and called for
the apostrophe to be abolished.
Professor Wells said: ‘Let’s stop worrying if people
sometimes spell ‘you’ as ‘u’, ‘your’ and ‘you’re’ both as ‘ur’;
and ‘whose’ and ‘who’s’ both as ‘whos’.
‘Nowadays we often see ‘light’ written as ‘lite’ and ‘through’
as ‘thru’.’
(Adaptado de: HARRIS, S. Teenglish: From Frape to Neek – the words used by
teenagers that baffle adults. Disponível em:
<http://www.dailymail.co.uk/news/article-1213626/Teenglish-From-FrapeNeek-words-used-teenagers-baffle-adults.html#>. Acesso em: 13 jul. 2011.)
5. Sobre o Teenglish, considere as afirmativas a seguir.
I. Pode parecer uma língua estranha a quem não pertence
ao grupo de jovens e adolescentes que a utiliza.
II. Facilita a comunicação entre jovens e adolescentes
falantes de diferentes línguas que se relacionam no
ambiente escolar norte-americano.
III. É uma linguagem que deve desaparecer à medida que os
jovens e adolescentes forem se habituando a utilizar o
inglês padrão.
IV. Tem sido motivo de preocupação de professores e
acadêmicos, que já veem sinais dessa linguagem em
provas e trabalhos escolares.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e III são corretas.
b) Somente as afirmativas I e IV são corretas.
c) Somente as afirmativas II e III são corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV são corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV são corretas.
6. De acordo com o texto, o livro Pimp Your Vocab objetiva
a) tecer uma crítica à linguagem dos adolescentes e jovens,
que se deixam influenciar pela liberdade linguística
possibilitada pela internet.
b) apresentar exemplos de linguagem inapropriada utilizada
por adolescentes e jovens americanos no dia a dia e nos
ambientes acadêmicos.
c) encorajar pais e professores a adotarem a linguagem dos
jovens e adolescentes para otimizar a comunicação entre
ambas as partes.
d) estabelecer uma comparação entre as expressões da
língua inglesa usadas por jovens e adolescentes antes e
depois do advento da era digital.
e) facilitar a compreensão da linguagem utilizada por
adolescentes e jovens, traduzindo-a para o inglês
normalmente empregado pelos adultos.
7. De acordo com o texto, na visão de John Wells,
Página 2 de 31
a) a linguagem informal utilizada na comunicação representa
o futuro da língua inglesa.
b) o uso do apóstrofo deveria ser aperfeiçoado para evitar
problemas de comunicação.
c) a simplificação ortográfica é um indício da degeneração
gradativa da língua inglesa.
d) a informalidade das mensagens de texto, salas de batepapo e e-mails é preocupante.
e) as simplificações linguísticas representam uma ameaça à
língua padrão.
There are many ways to look at the weak June jobs report
and this is one of them that captures more broadly the lack
of labor market activities. It’s the ratio of 16-and-overs that
are employed to the population of that group. In June, the
employment-to-population ratio returned to 58.2%,
matching an eight-month low (To get a number worse than
58.2%, one has to go back to 1983!). Of course, some of the
younger group are students, and the older group retirees,
but a chart of those between the ages of 25-to-54 looks
pretty similar.
(http://www.marketwatch.com/story. July, 2011. Adapted)
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
9. O trecho – some of the younger group are students –
associa os estudantes
a) às classes pobres.
b) às minorias raciais.
c) às mulheres.
d) aos jovens.
e) aos idosos.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Top 3 Ways to Make a Good Impression at Work
8. Analisando-se a relação entre o conteúdo verbal e não
verbal do cartum, chega-se à conclusão de que
a) the boy wants to learn how to download some data to his
computer.
b) the woman is trying to explain to the boy how babies are
given birth to.
c) the woman is clearing up the boy’s doubts about how he
came to the world.
d) the woman and the boy are talking about technological
changes in their lives.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
It is important that you make a good impression at work. If
you make a good impression on your boss, he or she is more
likely to give you more responsibility which can lead to
promotions and raises. Here are three ways to make a good
impression at work.
1. Know When to Call in Sick to Work
Do you think coming to work when you are sick instead of
staying at home will impress your boss? Reasonable bosses
know that a sick employee not only isn’t productive, he or
she can spread an illness around the office rendering
everyone else unproductive. Call in sick when you need to.
2. Know What Topics to Avoid Discussing
Avoiding inappropriate topics may not help you make a good
impression at work but it will keep you from making a bad
one. Subjects that do not make for good workplace
conversation include politics, religion, and health problems
and other personal issues.
3. Dress Appropriately
Make a good impression at work by wearing the right
clothes. You should dress the right way for the “role you are
playing.” If you aspire to be a leader at work, dress like one.
(http://www.marketwatch.com/story.
Adapted)
October,
2011.
10. De acordo com as recomendações dadas no texto para
construir uma boa imagem no ambiente de trabalho,
considere as seguintes informações:
I. Temas polêmicos devem ser evitados.
II. Seja amigo de todos os seus chefes e colegas.
III. Vista-se de forma original e extravagante.
Está correto apenas o que se afirma em
a) I.
b) II.
c) III.
d) I e II.
e) II e III.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Página 3 de 31
Making Strides Against Breast Cancer walk. This
noncompetitive, inspirational event raises awareness and
funds to help end breast cancer by finding cures and
supporting programs and services for all people facing the
disease.
Additionally, the Society’s advocacy affiliate, the American
Cancer Society Cancer Action Network (ACS CAN), is
participating in Crucial Catch by encouraging Congress to
allocate more funding for cancer research.
Adaptado de:
Solid Waste Disposal in U.S. 1990
This graphic shows that the vast majority of the waste in the
United States is landfilled. Since 1990, the numbers of
recycled and composted waste have increased significantly.
(Disponível em
http://www.elmhurst.edu/~chm/vchembook/316solidwaste.html. Acesso em:
12.07.2011)
11. Segundo o texto, podemos afirmar que:
a) A eliminação dos resíduos sólidos nos Estados Unidos
começou em 1990.
b) Apenas 10% do lixo reciclado foram eliminados nos
Estados Unidos em 1990.
c) A partir de 1990, o percentual de lixo reciclado começou a
declinar nos Estados Unidos.
d) 80% da eliminação dos resíduos sólidos aconteceram em
aterros nos Estados Unidos em 1990.
e) Nos Estados Unidos, em 1990, a maior parte dos resíduos
sólidos foi eliminada pela reciclagem e pela incineração.
<http://www.cancer.org/Cancer/news/Features/nfl-supports-fightagainstbreast-cancer> Acessado em 1 de outubro de 2011
12. According to the text, it is true to say that
a) The NFL is fighting along with the ACS to stop breast
cancer.
b) detecting breast cancer late leaves no chance of cure for
patients.
c) football players have had breast cancer themselves.
d) mammograms and clinical exams will cure breast cancer.
e) the detection of breast cancer is higher in the month of
October.
13. Women 40 or older
a) are less likely to have breast cancer than younger ones.
b) are advised to have a biannual checkup for breast cancer.
c) need to care more for health than younger women.
d) as well as younger ones should be on alert for breast
cancer.
e) who had cancer should advise younger women who never
had it.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
NFL Supports Fight Against Breast Cancer
The National Football League (NFL) is joining the American
Cancer Society (ACS) to raise awareness about the
importance of breast screenings and to raise money to help
fight breast cancer.
The New York Times
Sunday, October 16, 2011
TIMES TOPICS > ORGANIZATIONS > O > OCCUPY WALL
STREET
Occupy Wall Street
NFL players, coaches and referees will wear pink during the
month of October to remind women about the importance
of getting mammograms and clinical breast exams to find
breast cancer early, when it’s easier to treat. The program, A
Crucial Catch: Annual Screening Saves Lives, is timed to
coincide with National Breast Cancer Awareness Month. The
American Cancer Society recommends women 40 and older
have a mammogram and clinical breast exam every year,
and younger women have clinical breast exams periodically
as well.
Hats, wristbands and other apparel worn at NFL games, and
special footballs and pink coins will be auctioned off and
proceeds will benefit the American Cancer Society. Fans
attending games are encouraged to wear pink.
The NFL also has a Web page where clubs and fans can
register teams to participate in the American Cancer Society
Updated: Oct. 14, 2011
Página 4 de 31
Occupy Wall Street is a diffuse group of activists who say
they stand against corporate greed, social inequality and
other disparities between rich and poor. On Sept. 17, 2011,
the group began a loosely organized protest in New York's
financial district, encamping in Zuccotti Park, a privately
owned park open to the public, in Lower Manhattan.
The idea, according to some organizers, was to camp out for
weeks or even months to replicate the kind, if not the scale,
of protests that had erupted earlier in 2011 in places as
varied as Egypt, Spain and Israel.
Three weeks into the protest, similar demonstrations had
spread to dozens of other cities across the country, including
Los Angeles, San Francisco, Chicago and Boston.
On the group's Web site, Occupywallstreet, they describe
themselves as a “leaderless resistance movement with
people of many colors, genders and political persuasions.
The one thing we all have in common is that we are the 99
percent that will no longer tolerate the greed and corruption
of the 1 percent.”
The 1 percent refers to the haves: that is, the banks, the
mortgage industry, the insurance industry. The 99 percent
refers to the have-nots: that is, everyone else. In other
words, said a group member: “1 percent of the people have
99 percent of the money.”
Within a week of the initial demonstration, the protest grew.
On Sept. 24, police made scores of arrests as hundreds of
demonstrators, many of whom had been bivouacked in the
financial district as part of the protest, marched north to
Union Square without a permit. As darkness fell, large
numbers of officers were deployed on streets near the
encampment in Zuccotti Park, where hundreds more people
had gathered.
Adapted from to pics.nytimes.com
14. De acordo com o texto, o protesto no distrito financeiro
de Nova Iorque começou
a) em 17/09/11.
b) em 16/10/11.
c) em 14/10/11.
d) no início de 2011.
e) em setembro de 2011.
rankings. China remains highly committed to domestic sites
such as Qzone and Renren. But for the rest of us, we’re living
in Zuckerberg’s world.
(endereço eletrônico omitido propositadamente)
15. In the sentence “And it’s becoming more popular in
Armenia, Georgia, and the Netherlands...”, the pronoun it
refers to
a) Orkut.
b) India.
c) Armenia.
d) Hi5.
e) Facebook.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
Fight the Violence!
Oct 14, 2011 6:53 PM EDT
What if gang violence in America could be reduced just by
talking? Professor and activist David Kennedy talks with
Ben Crair about his new book, Don’t Shoot, criticism of his
plan, and the economics of gangs.
In 1995, David M. Kennedy went to Boston on behalf of*
Harvard’s Kennedy School of Government to study violent
crime. Like many American cities at that time, Boston was
suffering a wave of homicides. After linking up with a special
Boston Police Department task force, Kennedy and his team
recognized that most of the killing was the work of a small
handful of identifiable gang members. Rather than locking
them all up, they tried something new: They met with the
gang members and community leaders, offered them
assistance in getting off the streets, and warned them that, if
any single gang member committed another murder*, they
would crack down* on the entire group. Crime dropped
almost overnight, and Kennedy’s “Operation Ceasefire,” as it
has come to be known, has been implemented in more than
70 cities, addressing issues from gun violence to drug
markets to juvenile robberies. Now, Kennedy recounts his
experiences in a new book, Don’t Shoot: One Man, a Street
Fellowship, and the End of Violence in Inner-City America.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
(Newsweek, 14.10.2011. Adaptado)
Mark Zuckerberg’s 650 Million Friends (and counting)
Back in June 2009, the globe’s potpourri of socialnetworking sites was extremely diverse: Google’s Orkut
dominated India and Brazil; Central and South America
preferred Hi5; Maktoob was king in the Arab world. The
Vietnamese liked Zing, the Czechs loved Lidé, South Koreans
surfed Cyworld. Two years after that, and Facebook has
stolen users away from its rivals very fast. It’s completely
knocked Hi5 off the map in former strongholds such as Peru,
Mexico, and Thailand. After a tense back-and-forth with
Orkut in India, Facebook has emerged victorious. And it’s
becoming more popular in Armenia, Georgia, and the
Netherlands, where local providers are making a desperate
last stand.
There are some glaring exceptions to Facebook’s
colonization kick. Russians continue to use Vkontakte and
Odnoklassniki, with Facebook a distant fourth in the
16. Assinale a alternativa que apresenta o motivo correto
pelo qual David M. Kennedy foi a Boston.
a) Prender os membros das gangues.
b) Proteger os líderes das comunidades.
c) Estudar o problema da criminalidade violenta.
d) Trabalhar como espião para o governo norte-americano.
e) Ministrar um curso na Harvard’s Kennedy School of
Government.
17. Segundo o texto, as taxas de criminalidade
a) diminuíram quase de um dia para o outro.
b) noturna diminuíram praticamente num piscar de olhos.
c) noturna se equipararam às taxas de criminalidade diurna.
d) diurna permaneceram inferiores às taxas de criminalidade
noturna.
e) praticamente zeraram devido à “Kennedy’s Operation
Ceasefire”.
Página 5 de 31
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
Read the dialogue from the film “Ratatouille”.
Linguini: Listen, I just want you to know how honored I am
to be studying under such a...
Colette: No, you listen! I just want you to know exactly who
you are dealing with! How many women do you see in this
kitchen?
Linguini: Well, I uh...
Colette: Only me. Why do you think that is? Because high
cuisine is an antiquated hierarchy built upon rules written by
stupid, old men. Rules designed to make it impossible for
women to enter this world, but still I'm here. How did this
happen?
Linguini: Well because you, because you...
Colette: Because I am the toughest cook in this kitchen! I
have worked too hard for too long to get here, and I am not
going to jeopardize it for some garbage boy who got lucky!
Got it?
Linguini: Wow!
Disponível em: <http://www.imdb.com/title/tt0382932/quotes>. Acesso em:
12 set. 2011.
Glossary:
jeopardize: colocar em risco
18. The dialogue shows that Colette wants to
a) prove she is a good cooking teacher.
b) convince Linguine he is a bad cook.
c) transform high cuisine in France.
d) make clear that she is the boss.
e) prepare Linguini to replace her.
19. What dialogue line is an example of an ungrammatical
structure in English, which is typical of colloquial language?
a) “No, you listen!”
b) “How many women do you see in this kitchen?”
c) “Why do you think that is?”
d) “How did this happen?”
e) “Got it?”
tissue completely melted away in a few weeks, and a year
later it is still gone.
The results of the preliminary test “exceeded our wildest
expectations,” says immunologist Dr. Carl June, a member of
the Abramson Cancer Center's research team.
Dr. Edgar Engleman, a cancer immunologist at Stanford
University School of Medicine who was not involved in the
research calls the results “remarkable ... great stuff.”
The Penn scientists targeted chroniclymphocytic leukemia
(CLL), the most common type of the blood disease. It strikes
some 15,000 people in the United States, mostly adults, and
kills 4,300 every year. Chemotherapy and radiation can hold
this form of leukemia at bay for years, but until now the only
cure has been a bone marrow transplant. A bone marrow
transplant requires a suitable match, works only about half
the time, and often brings on severe, life-threatening side
effects such as pain and infection.
Disponível em: <http://www.theglobeandmail.com/life/health/newhealth/health-news/experimental-cancer-therapy-wipes-outleukemiastudy/article2125709/>. Acesso em: 13 set. 2011. [Excerto].
Glossary:
shot: injeção
strikes: acomete
hold at bay: neutralizar, manter a distância
bone marrow: medula óssea
20. The following phrases refer to the research on the new
leukemia treatment except for
a) “wildest expectations”.
b) “biggest advances”.
c) “sensational results”.
d) “remarkable stuff”.
e) “life-threatening side effects”.
21. What does the new treatment depend on?
a) A single shot.
b) Chemotherapy.
c) Radiation.
d) A bone marrow transplant.
e) A suitable match.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
Argentina builds a tower of books
New leukemia treatment exceeds 'wildest expectations'
A single shot could be one of the biggest advances in cancer
research in decades, scientists say.
By Robert Bazell Chief science and health correspondent
NBC News
Doctors have treated only three leukemia patients, but the
sensational results from a single shot could be one of the
most significant advances in cancer research in decades.
In the research published Wednesday, doctors at the
University of Pennsylvania say the treatment made the most
common type of leukemia completely disappear in two of
the patients and reduced it by 70 percent in the third. In
each of the patients as much as five pounds of cancerous
This is simply an audio and visual celebration of the book –
any books, all books, in whichever language you like. Works
by Jane Austen, Dickens, Henry Blake, Ernest Hemingway,
Cervantes, Vargas Llosa, Tolstoy and Argentina's own
favourites, Borges and Sabato, line the walls of this tower,
each wrapped in plastic for its own protection.
The United Nations has designated the city as the 2011
World Book Capital.
This book tower is 25 metres high and lined with 30,000
donations from more than 50 embassies. It'll be dismantled
at the end of the month and the books will form the
beginning of a multi-lingual library.
The Buenos Aires Book Fair, one of the biggest in the world,
has just ended, recording more visitors than ever before.
The city boasts hundreds of bookshops and some cafes even
supply works by Argentina's most renowned literary icon,
Página 6 de 31
Jorge Luis Borges, to read over coffee. Buenos Aires is a city
that loves its books and now it has a tower to prove it.
Daniel Schweimler, BBC News, Buenos Aires.
Fonte:
http://www.bbc.co.uk/worldservice/learningenglish/language/wordsinthene
ws/2011/05/110516_witn _buenosaires_books_page1.shtml
22.
De acordo com o texto, os autores favoritos dos
argentinos são:
a) Jane Austen, Dickens e Borges.
b) Dickens, Borges e Sabato.
c) Vargas Llosa, Tolstoy e Cervantes.
d) Borges e Sabato.
e) Henry Blake, Cervantes, Borges e Sabato.
lulz-collective/2011/06/22/AGb53KgH_story.html
24. Mark the INCORRECT alternative, according to the text:
a) Três “Sites” do governo brasileiro sofreram ataques
“cibernéticos”.
b) “Lulz” assume responsabilidade pelos ataques.
c) A Petrobras confirma que os problemas com o seu
“website” foram causados por “hackers”.
d) Membros da Lulz se dizem responsáveis pela invasão de
“sites”, páginas eletrônicas e computadores, dentre
outros, da CIA, Sony e do Senado Americano.
e) O Governo Brasileiro foi capaz de suspender o ataque dos
“hackers”.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
23. De acordo com o texto,
a) a torre é um presente das Nações Unidas para os cidadãos
da Argentina.
b) as Nações Unidas nomearam Buenos Aires como a capital
do livro para o ano de 2011.
c) os livros não foram encapados para formar a torre.
d) os autores dos livros que formam a torre foram
escolhidos pelas Nações Unidas em 2011.
e) as Nações Unidas designaram a torre como capital da
cultura argentina.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Brazil presidency website hacked, jammed in attack
claimed by Lulz collective
A cyber attack blocked traffic to the website of the Brazilian
presidency and two other government sites on Wednesday,
authorities said.
The Brazilian branch of the Lulz Security hacking collective
claimed responsibility for the attacks.
Lulz members have claimed responsibility for recent attacks
on the site of electronics giant Sony, along with the CIA web
page and the U.S. Senate computer system.
The Brazilian president’s office said in a statement that
attacks on the website of the presidency, along with the
nation’s internal revenue service and a government portal
began around 12:30 a.m. and lasted until 3 a.m.
The government said it stopped the hackers from obtaining
data from the websites, but that the attacks made them
inaccessible for about an hour.
Hours later, people who claimed to be Lulz members said on
Twitter that they had taken down the website of oil
company Petrobras, whose website was down Wednesday
afternoon. Petrobras would not confirm whether the
problems with its website were caused by an attack.
On a Twitter page in the name of the Brazilian branch of
Lulz, posters justified the apparent attack on the Petrobras
website by complaining about the price of gasoline in Brazil.
“Wake up Brazil! We no longer want to buy gas at 2.75 to
2.78 reals ($1.73 to $1.75) and export for half of that price!”
stated one tweet from the group.
Adapted from:
http://www.washingtonpost.com/world/americas/brazilpresidency-website-hacked-jammed-in-attack-claimed-by-
The perils of counterfeit drugs go way beyond
being ripped off by dubious online pill-pushers. The World
Health Organization (WHO) estimates that 50 per cent of all
medicines sold online are worthless counterfeits. In
developing nations fake pills may account for as much as 30
per cent of all drugs on the market. Even in the developed
world, 1 per cent of medicines bought over the counter are
fakes.
Some key events illustrate the risk these pose. In
Nigeria, 2500 children died in 1995 after receiving fake
meningitis vaccines. In Haiti, Bangladesh and Nigeria, around
400 people died in 1998 after being given paracetamol that
had been prepared with diethylene glycol – a solvent used in
wallpaper stripper. The fakers are nothing if not marketaware: in the face of an outbreak of H5N1 bird flu in 2005,
they began offering fake Tamiflu.
What can be done? The WHO coordinates an
umbrella body called the International Medical Products
Anti-Counterfeiting Taskforce (IMPACT), an industry
initiative that issues alerts when it finds anomalies in the
medicine supply chain. Such events include sudden drops in
wholesale prices, hinting at fakes coming onto the market,
or the mimicking of anti-counterfeiting features on
packaging, such as holograms or barcodes, says Nimo
Ahmed, head of intelligence at the UK’s Medicine and
Healthcare Products Regulatory Agency.
New Scientist, 10 July 2010, p. 18. Adaptado.
25. Segundo o texto, para conter a venda de medicamentos
falsificados, a Organização Mundial da Saúde
Página 7 de 31
a) estimula a venda promocional de medicamentos
importantes sempre que necessário.
b) coordena o trabalho de uma organização que acompanha
o fornecimento de remédios no mercado farmacêutico,
alertando para possíveis irregularidades.
c) exige que todos os medicamentos exibam o holograma da
organização e o código de barras.
d) controla o lançamento de novos medicamentos no
mercado, a exemplo do Tamiflu.
e) autoriza apenas a comercialização de medicamentos que
passaram pelo crivo das agências sanitárias
internacionais.
26. De acordo com o texto, medicamentos falsificados, em
geral,
a) são consumidos apenas em países pobres e de pouco
acesso à internet.
b) encontram dificuldade de comercialização com o
aparecimento de novas doenças.
c) são ineficazes e contêm elementos danosos à saúde em
sua composição.
d) possuem embalagens atraentes que ludibriam o
consumidor.
e) vêm sendo criteriosamente apreendidos pela Organização
Mundial da Saúde.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
TV Will Save the World
In a lot of places, it's the next big thing
BY CHARLES KENNY
Forget Twitter and Facebook, Google and the
Kindle. Forget the latest sleek iGadget. Television is still the
most influential medium around. Indeed, for many of the
poorest regions of the world, it remains the next big thing –
poised, finally, to attain truly global ubiquity. And that is a
good thing, because the TV revolution is changing lives for
the better.
Across the developing world, around 45% of
households had a TV in 1995; by 2005 the number had
climbed above 60%. That's some way behind the U.S., where
there are more TVs than people, but it dwarfs worldwide
Internet access. Five million more households in subSaharan Africa will get a TV over the next five years. In 2005,
after the fall of the Taliban, which had outlawed TV, 1 in 5
Afghans had one. The global total is another 150 million by
2013–pushing the numbers to well beyond two-thirds of
households.
Television's most transformative impact will be on
the lives of women. In India, researchers Robert Jensen and
Emily Oster found that when cable TV reached villages,
women were more likely to go to the market without their
husbands' permission and less likely to want a boy rather
than a girl. They were more likely to make decisions over
child health care and less likely to think that men had the
right to beat their wives. TV is also a powerful medium for
adult education. In the Indian state of Gujarat, Chitrageet is
a hugely popular show that plays Bollywoodsong and dance
clips. The routines are subtitled in Gujarati. Within six
months, viewers had made a small but significant
improvement in their reading skills.
Too much TV has been associated with violence,
obesity and social isolation. But TV is having a positive
impact on the lives of billions worldwide, and as the spread
of mobile TV, video cameras and YouTube democratize both
access and content, it will become an even greater force for
humbling tyrannical governments and tyrannical husbands
alike.
Kenny, a development economist, is the author of a forthcoming book on
innovation, ideas and the
global standard of living TIME, March 22, 2010.
27. Sobre a presença da TV no mundo, o texto informa que,
a) em países em desenvolvimento, haverá mais aparelhos de
TV do que pessoas até 2013.
b) até 2013, mais de 2/3 das famílias, em todo o mundo,
terão aparelhos de TV.
c) depois da queda do Talibã, a TV foi declarada ilegal e
poucos afegãos possuem um aparelho.
d) em 2005, nos países em desenvolvimento, o número de
televisores diminuiu drasticamente.
e) nos países que possuem o maior número de televisores, o
acesso à Internet também e proporcionalmente maior.
28. Segundo o texto, um dos impactos que a TV a cabo
trouxe para a vida das mulheres indianas foi que elas
a) passaram a gostar de ir ao mercado sem a permissão de
seus maridos.
b) ficaram menos propensas a preferir ter um filho a uma
filha.
c) se mostraram mais dispostas a fazer compras sozinhas.
d) ainda acham que os maridos têm o direito de agredir suas
esposas, apesar de já criticarem esta prática.
e) não gostam mais de tomar decisões sobre os cuidados
com a saúde das crianças.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Gender politics in Mexico City
Pink cabs rev up
Mexico City
A blow for feminism−or against it?
Since electing its first left-wing mayor in 1997,
Mexico City has been a selfconsciously liberal oasis in a
conservative country. The current mayor, Marcelo Ebrard,
has legalised abortion on demand, gay marriage and gay
adoption in his first four years in office. His latest move,
Página 8 de 31
cheered by environmentalists, was a ban on free plastic
shopping bags, implemented on August 19th. Eyecatching reforms such as these are enhancing Mr Ebrard’s
profile ahead of a likely presidential bid in two years’ time.
The latest controversy concerns women-only
public transport. During rush hour, men have long been
barred from a third of the carriages of metro trains. Some
see that as offering a blessed sanctuary from wandering
macho hands; for others it is a backward step on the march
to equality. But whereas Puebla, a nearby city of more
conservative bent, runs a women-only “pinktaxi” service
(pictured above), Mexico City had resisted. Susana Sánchez,
a Mexico City taxista, first requested permission to run such
a service in 1998. She was told it would be discriminatory.
which was influenced by the Bible stories of Joseph and
Moses and the William Shakespeare play Hamlet, takes
place in a kingdom of anthropomorphic animals in Africa.
4
The film was the highest grossing animated film of all time
5
until the release of Finding Nemo. The Lion King still holds
the record as the highest grossing traditionally animated film
in history and belongs to an era known as the Disney
Renaissance.
The Lion King is the highest grossing 2D animated film of all
6
time in the United States, and received positive reviews
8
from critics, who praised the film for its music and story.
During its release in 1994, the film grossed more than $783
million worldwide, becoming the most successful film
7
released that year, and it is currently the twenty-eighth
highest-grossing feature film.
http://en.wikipedia.org/wiki/The_Lion_King
GLOSSARY:
Feature film – a film that is 90 or more minutes long
Gross – total
Release – make public
Praise – show approval
City officials have now come round to thinking that
cabs for women would be safer for both passengers and
drivers (Ms Sánchez began her crusade after being stabbed
by a male client). From next month, a fleet of pink taxis
driven by and for women will roam the streets of the capital,
charging the same fares as ordinary cabs. The city
government is training a first batch of approved drivers in
security and women’s rights.
The suburban railway and buses have followed the
metro in providing women-only services. Victor Ramírez, a
transport official, says he is now fielding requests to
segregate the pesero microbuses which rattle around town.
(Pink cabs rev up - The Economist August 28th -3rd
September 2010)
30. “The Lion King still holds the record as the highest
grossing traditionally animated film in history…” (ref.5). It
means that the movie
a) is the best of all.
b) even being good, it is also animated.
c) was partially shot in a traditional way.
d) was not surpassed by others in its category of animation.
e) nda
PORTUGUÊS
31.
29. Segundo o texto, o atual prefeito da Cidade do México,
Marcelo Ebrard,
a) faz uma gestão diferenciada, aprovando leis de cunho
social e ambientalista.
b) prometeu legalizar o aborto e o casamento gay caso seja
eleito presidente.
c) é um político da ala mais tradicional do partido
conservador mexicano.
d) está no início do seu terceiro mandato como prefeito.
e) lançou campanha para ser o próximo presidente do
México.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
The Lion King
This article is about Disney's 1994 film.
1
The Lion King is a 1994 American animated feature
2
produced by Walt Disney Feature Animation. Released to
theaters on June 15, 1994 by Walt Disney Pictures, it is the
3
32nd film in the Walt Disney Animated Classics. The story,
Observando a situação apresentada, pode-se afirmar que o
personagem
a) consome predominantemente alimentos pouco calóricos,
pois se nota que ele não é uma pessoa obesa.
Página 9 de 31
b) apresenta um comportamento sistemático caracterizado
por associar o momento das refeições a ver televisão.
c) procura fazer suas refeições com tranquilidade, pois se
percebe que, no dia a dia, tem uma vida muito agitada.
d) faz as refeições de forma incorreta, pois se sabe que, à
noite, deve-se ingerir menos alimentos, pois há um
menor gasto de calorias.
e) evidencia um comportamento típico das famílias
modernas cujos integrantes reúnem-se à frente da tevê
para fazer suas refeições.
32. Texto I
O texto na era digital
Para além do internetês, a internet está mudando a maneira
como lemos e escrevemos
Com cada vez mais usuários – o acesso à rede no Brasil
aumentou 35% entre 2008 e 2009 – a internet está criando
novos hábitos de comunicação entre as pessoas, que
acabam se adaptando às facilidades da nova tecnologia. (...)
O que já havia sido deflagrado nos anos 90 pela
comunicação via e-mail, mensageiros eletrônicos e pela
cultura escrita dos blogs, as redes sociais elevaram à
enésima potência ao garantir interatividade e visibilidade às
pessoas em torno de interesses em comum. (...)
Para além dos modismos que nascem e morrem na grande
rede mundial de computadores, o advento do microblog
Twitter extrapolou essa esfera para cair na boca de grandes
homens de letras, muitas vezes avessos a novidades
tecnológicas, como o escritor José Saramago, que chegou a
declarar: "Os tais 140 caracteres reflectem algo que já
conhecíamos: a tendência para o monossílabo como forma
de comunicação. De degrau em degrau, vamos descendo até
o grunhido". (...)
Embora não se possa afirmar categoricamente que a
internet favoreceu o desenvolvimento de uma "cultura
letrada", com ênfase em informações profundas e
relevantes, ela reforçou o peso da palavra escrita no
cotidiano das pessoas. Mais do que gírias e jargões, como o
famigerado "internetês", as transformações pelas quais
passam a escrita e a leitura estão por ser dimensionadas.
Disponível em: http://revistalingua.uol.com.br/textos/64/artigo249031-1.asp
Texto II
Os Textos I e II abordam a questão da linguagem nos meios
digitais. A partir de sua leitura, infere-se que
a) Em ambos os textos, há evidências de que a navegação na
internet limita a disseminação do saber.
b) O Texto I defende que as inovações tecnológicas
produziram uma torrente de informações tão grande que
tornaram a escrita banal e empobrecedora.
c) Tanto o Texto I quanto o Texto II revelam que o acesso à
rede está interferindo na capacidade de leitura de
crianças e adolescentes.
d) O Texto II apresenta marcas específicas da linguagem do
Twitter que limitam a compreensão da tira em leitores
que não são usuários do microblog.
e) O Texto I demonstra que o internetês produziu impactos
na comunicação escrita, enquanto que o texto II nega
esse fato.
33. Juliana, seu namorado Ricardo e mais alguns amigos do
curso de gastronomia que ela frequenta alugaram uma casa
de praia para passar as férias de verão. Durante o café da
manhã, enquanto todos estavam sentados _________ mesa,
Juliana percebeu que Ricardo não se servia dos diversos
tipos de queijo que ela havia levado.
— Escolhi com muito capricho esses queijos, você não os
experimenta _________?
— _________, infelizmente, tenho intolerância à lactose,
portanto devo evitar alguns alimentos.
— Sorte sua não ser um apaixonado por gastronomia!
Assinale a alternativa cujas palavras completam, correta e
respectivamente, o texto a seguir.
a) à – por quê – Porque
b) à – por que – Por que
c) à – porque – Por que
d) na – por quê – Porque
e) na – por que – Porque
34. Ah, Scarlett, mulher sinestesia, seu nome tem o som da
cor dos seus lábios: Scarlett, scarlet, escarlate.
(Álvaro Pereira Júnior, em referência à atriz Scarlett
Johansson. Folha de São Paulo, 17/09/2011)
O que melhor explica o aposto “mulher sinestesia” atribuído
à atriz é o(a)
a) jogo de palavras com apelo sonoro ao final do período.
b) enumeração ascendente que intensifica a ideia
relacionada à cor vermelha.
Página 10 de 31
c) junção de planos sensoriais diferentes numa só
impressão.
d) modo exagerado e dramático como o autor se refere à
beleza da atriz.
e) personificação dos lábios da mulher, atribuindo-lhe vida
própria.
35. Jesus, filho de Sirach, se soubesse dos meus primeiros
ciúmes, dir-me-ia, como no seu cap.IX, vers. 1: “Não tenhas
ciúmes de tua mulher, para que ela não se meta a enganarte com a malícia que aprender de ti”. Mas eu creio que não,
1
e tu concordarás comigo; se te lembras bem da Capitu
menina, hás de reconhecer que uma estava dentro da outra,
2
como a fruta dentro da casca.
Machado de Assis, D.Casmurro
Considerado o fragmento no contexto do romance, assinale
a alternativa correta.
a) O narrador onisciente, ao confirmar sua insegurança
afetiva, dá pistas ao leitor de que Capitu, mesmo adulta,
manteve o comportamento ingênuo da infância, tendo na
verdade sido vítima da malícia do amigo Escobar.
b) O narrador protagonista, buscando a cumplicidade do
leitor (e tu concordarás comigo, ref. 1), afirma sua
convicção de que a esposa, já falecida, desde muito
jovem já manifestara indícios de um comportamento
suspeito.
c) A ambiguidade do discurso de Bento Santiago converge
para a expressão como a fruta dentro da casca (ref. 2)
que pode ser lida tanto como prova da inocência da
esposa como, ao contrário, prova de sua culpa.
d) Valendo-se de um discurso tendencioso, o advogado
Bento Santiago evita ressalvas e modalizações na fala,
expondo ao leitor inquestionáveis indícios da traição de
sua mulher Capitu.
e) O discurso bíblico citado no início do fragmento revela
que o narrador, preocupado em caracterizar o
comportamento da esposa infiel, omite informações
importantes acerca de si próprio.
36. Equivoca-se quem pensa que falar bem é falar claro. A
arte da retórica reside, na verdade, na habilidade de
confundir. Afinal, se digo algo e você entende de cara, vai
logo se achando mais inteligente do que eu: mau negócio.
Se, contudo, sou capaz de temperar as frases mais simples
com um molho de obscuridade, com uma calculada pitada
de empulhação, o ouvinte pensará que sei mais do que
revelo: ponto para mim.
Vejamos: você entra numa farmácia, pergunta se tem
Aspirina e o funcionário responde com um peremptório
"não". O que você pensará? Que aquela é uma farmácia
ruim. Se, porém, ele disser que "no caso, Aspirina a gente
não vai tá tendo, hoje", a coisa muda completamente de
figura. O "no caso" sugere que, numa situação normal, ele
teria Aspirina. Logo, "hoje", estamos numa situação
anormal. Qual seria essa situação? Haveria um surto de
enxaqueca no bairro? Boatos de que a Copa e as Olimpíadas
levariam à falta de ácido acetilsalicílico teriam desencadeado
uma busca frenética pelo produto? Você não sabe, ele sabe,
e, num segundo, o que era uma farmácia vagabunda
transforma-se numa farmácia sob estado de exceção,
enquanto você, em vez de um cliente insatisfeito, torna-se
um náufrago à deriva no mar da especulação.
Disponível em: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidian/ff1210201104.htm
Entre os seguintes provérbios, qual deles melhor resume a
concepção do autor sobre a retórica?
a) Eloquência é a arte de aumentar coisas pequenas.
b) Por fora bela viola, por dentro, pão bolorento.
c) Falar é prata, calar é ouro.
d) A bom entendedor, meia palavra basta.
e) A propaganda é a alma do negócio.
37. Leia o poema de Mauro Mota.
Ausência
Vestias diante do espelho
o vestido de viagem,
e o espelho partiu-se ao meio
querendo prender-te a imagem.
(Canto ao Meio)
Ao reescrever o poema, empregando como sujeito explícito
o pronome Elas, tem-se:
Elas vestiam diante do espelho
os vestidos de viagem,
e o espelho partiu-se ao meio
querendo __________ a imagem.
A expressão que preenche corretamente a lacuna, de acordo
com o português padrão, é:
a) prendê-la.
b) prendê-las.
c) prender-vos.
d) prender-lhe.
e) prender-lhes.
38. Da fala ao grunhido
Outro dia, ouvi um professor de português afirmar que, em
matéria de idioma, não existe certo nem errado, ou seja,
tudo está certo. Tanto faz dizer "nós vamos" como "nós vai".
Ouço isso e penso: que sujeito bacana, tão modesto que é
capaz de sugerir que seu saber de nada vale.
Mas logo me indago: será que ele pensa isso mesmo ou está
posando de bacana, de avançadinho? (...) A conclusão
inevitável é que o professor deveria mudar de profissão
porque, se acredita que as regras não valem, não há o que
ensinar.
Mas esse vale-tudo é só no campo do idioma, não se adota
nos demais campos do conhecimento. Não vejo um
professor de medicina afirmando que a tuberculose não é
doença, mas um modo diferente de saúde, e que o melhor
para o pulmão é fumar charutos.
É verdade que ninguém morre por falar errado, mas,
certamente, dizendo "nós vai" e desconhecendo as normas
da língua, nunca entrará para a universidade, como entrou o
nosso professor.
Ferreira Gullar, Folha de S. Paulo, 25/03/2012.
Ao se manifestar quanto ao que seja “correto” ou
“incorreto” no uso da língua portuguesa, o autor
Página 11 de 31
a) mostra que inexistem critérios para definir graus de
superioridade entre linguagens.
b) defende que as aulas de Português sejam abolidas nas
escolas.
c) compara a normatividade das gramáticas à objetividade
da ciência.
d) julga igualmente válidas todas as variedades da língua
portuguesa.
e) ironiza pessoas que corrigem formas condenáveis de
linguagem.
40. Em “O país ainda tem 14 milhões de jovens e adultos
que não sabem ler e escrever”, o termo destacado pode ser
substituído, sem prejuízo de sentido, por:
a) cujo
b) cujos
c) o qual
d) os quais
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES:
O leão e a raposa
39. I
11
Talvez sonhasse, quando a vi. Mas via
Que, aos raios do luar iluminada,
Entre as estrelas trêmulas subia
Uma infinita e cintilante escada.
E eu olhava-a de baixo, olhava-a... Em cada
Degrau, que o ouro mais límpido vestia,
Mudo e sereno, um anjo a harpa doirada,
Ressoante de súplicas, feria...
Tu, mãe sagrada! vós também, formosas
Ilusões! sonhos meus! Íeis por ela
Como um bando de sombras vaporosas.
E, ó meu amor! eu te buscava, quando
Vi que no alto surgias, calma e bela,
O olhar celeste para o meu baixando...
Olavo Bilac,Via-Láctea.
Embora seja identificado como o principal poeta parnasiano
brasileiro, Olavo Bilac, nesse soneto, explora um aspecto do
Romantismo, o qual está explicitado na seguinte alternativa:
a) objetividade e racionalismo do eu lírico.
b) subjetividade numa atmosfera onírica.
c) forte presença de elementos descritivos.
d) liberdade de criação e de expressão.
e) valorização da simplicidade, bucolismo.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Analfabetismo persistente
Com baixa taxa de eficiência, os atuais cursos de
alfabetização não conseguiram cumprir a meta de erradicar
o analfabetismo. O país ainda tem 14 milhões de jovens e
adultos que não sabem ler e escrever.
1
leão envelhecido, não podendo mais procurar
Um
alimento por sua própria conta, julgou que devia arranjar um
jeito de fazer isso. E, então, foi a uma caverna, deitou-se e se
8
fingiu de doente. Dessa forma, quando recebia a visita de
13
4
5
outros animais, ele os pegava e os comia. Depois que
14
6
12
muitas feras já tinham morrido, uma raposa, ciente da
9
armadilha, parou a certa distância da caverna e perguntou
2
ao leão como ele estava. Como ele respondesse: “Mal!” e
3
10
lhe perguntasse por que ela não entrava, disse a raposa:
7
“Ora, eu entraria se não visse marcas de muitos entrando,
mas de ninguém saindo”.
Esopo - escritor grego do século VI a.C.
41. Considere as seguintes afirmações:
I. O texto é uma fábula, pois, a partir de uma pequena
história envolvendo animais, há uma lição a ser tirada dos
fatos relatados.
II. No texto há a representação de estereótipos do
comportamento humano: o leão, representando a velhice
e o poder; e a raposa, representando a esperteza.
III. O texto apresenta na breve narrativa um conflito que
evidencia uma oposição de interesses, levando a história
para sua conclusão.
Assinale:
a) se apenas as alternativas I e II estiverem corretas.
b) se apenas as alternativas I e III estiverem corretas.
c) se apenas as alternativas II e III estiverem corretas.
d) se todas as alternativas estiverem corretas.
e) se nenhuma das alternativas estiver correta.
42. Assinale a alternativa que melhor expressa a moral
depreendida pela leitura do texto.
a) Os homens sensatos, tendo prova dos perigos, podem
prevê-los e evitá-los.
b) Sćo insensatos os homens que, na esperanēa de bens
maiores, deixam escapar o que tźm na mćo.
c) Alguns homens, não conseguindo realizar seus negócios
por incapacidade, acusam as circunstâncias.
d) Entre os homens, os mentirosos se vangloriam apenas
quando não há ninguém para contestá-los.
e) É preciso reconhecer aquele que fez o bem e a esse dar o
reconhecimento.
43.
Assinale a melhor paráfrase do trecho abaixo,
considerando a manutenção dos sentidos, a clareza, a
concisão e o uso da norma culta.
Depois que muitas feras já tinham morrido, uma raposa,
ciente da armadilha, parou a certa distância da caverna e
perguntou ao leão como ele estava.
Página 12 de 31
a) Consciente da armadilha, uma raposa depois que muitas
feras morrerão parou de perto da caverna para ver como
o leão estava e o perguntou sobre a saúde.
b) Uma raposa, após a morte de muitos outros animais,
atenta às artimanhas do leão, aproximou-se um pouco do
local em que a fera estava, indagando a respeito de seu
estado.
c) Após a morte de feras, uma raposa medrosa, das
artimanhas do leão, se deparou com uma caverna que
ficava a uma certa distância do leão para ver como ele
estava.
d) Uma raposa perguntou ao leão como ele estava, pois ela
sabia que haviam armadilhas que ficava a uma certa
distância da caverna aonde muitas feras já tinham
morrido.
e) Uma raposa que viu a morte de muitas feras na armadilha
que ficava à uma distância da caverna perguntou para o
leão como ele estava e era ciente da armadilha.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Leia o texto abaixo.
Que faz do roçado a sua oração
E ainda confia no seu semelhante
E vai sempre avante em busca do pão
O pão que é nosso, que garante a vida
Terrinha querida do meu coração
Pê - a – pá
Erre - a - ra – í
Bê - a - bá
Paraíba
(Em: Ramalho, Zé. Duetos. BMG. São Paulo, 2004. CD-ROM.)
44. Na frase: Do velho sentado num banquinho velho,
observa-se:
a) Nas duas vezes em que a palavra VELHO aparece, tem a
função de substantivo.
b) Nas duas vezes em que a palavra VELHO aparece, tem a
função de adjetivo.
c) Primeiramente, VELHO tem a função de substantivo;
depois, tem a função de adjetivo.
d) Primeiramente, VELHO tem a função de adjetivo; depois,
tem a função substantivo.
e) No texto, nas duas vezes em que a palavra VELHO aparece
não assume nem a função de adjetivo, nem de
substantivo.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
A língua politicamente correta
REVISORES são seres invisíveis que se valem de jornais e
editoras para corrigir os deslizes dos escritores. Porque os
escritores,
frequentemente,
desrespeitam
as
leis
fundamentais da gramática. Eu mesmo, por muito tempo,
tive como revisor voluntário dos meus textos um erudito da
língua que me enviava periodicamente, por puro amor à
língua, relatórios detalhados dos meus erros.
Paraí-ba (Céceu)
Pê - a - pá
Erre - a - ra – í
Bê - a – bá
Paraíba
Paraíba do norte, do caboclo forte
Do homem disposto esperando chover
Da gente que canta com água nos olhos
Chorando e sorrindo, querendo viver
Do sertão torrado, do gado magrinho
Do açude sequinho, do céu tão azul
Do velho sentado num banquinho velho
Comendo com gosto um prato de angu
Acende o cachimbo, dá uma tragada
Não sabe de nada da vida do sul
Pê - a – pá
Erre - a - ra – í
Bê - a – bá
Paraíba
Paraíba do norte que tem seu progresso
Que manda sucesso pra todo país
Que sente a presença da mãe natureza
Que vê a riqueza nascer da raiz
Que acredita em Deus, também no pecado
Desse revisor voluntário tenho apenas uma queixa: ele nunca
disse uma só palavra sobre a substância mesma dos meus
artigos. Não lhe importavam as coisas que eu escrevia.
Importava-lhe se eu as escrevia com as palavras certas.
Para me consolar, eu repetia as palavras de Patativa do
Assaré: “Mais vale escrever a coisa certa com as palavras
erradas que escrever a coisa errada com as palavras
certas...” Até lhe dediquei uma pequena parábola. Eu,
convidando meus amigos para tomar uma sopa que eu
mesmo faço. Eles vêm, tomam a sopa e gostam. Mas um
intruso, não convidado, toma a minha sopa, nada diz sobre a
sopa, mas reclama que a tigela estava lascada...
Página 13 de 31
Tenho tido experiências com revisores atentos, sensíveis,
competentes, que não só corrigem meus erros como também
me fazem sugestões de como melhorar o meu estilo. Mas
tenho tido também experiências desastrosas. E isso porque
os revisores têm um poder terrível. Basta que mudem uma
simples palavra...
(...)
Houve um livro que escrevi, todo ele baseado na distinção
entre “história” e “estória”, distinção que os gramáticos,
donos da língua, desconhecem, por saber muito sobre letras
e sílabas e pouco sobre sentidos. Resolveram, por conta
própria, eliminar do dicionário a grafia “estória”. Tudo agora
é “história”. Mas Guimarães Rosa sabe que isso está errado
e até escreveu: “A estória não quer se tornar história”.
São duas coisas diferentes. História é o tempo onde as coisas
acontecidas não acontecem mais. Estória é o tempo onde
coisas não acontecidas acontecem sempre. Pois o revisor do
meu livro, mais atento às ordens do dicionário, livro onde se
encontram as palavras e sentidos certos, eliminou as
“estórias” que eu havia escrito, substituindo-as por
“histórias”. Ficou totalmente sem sentido. O revisor disse que
abacaxis e pitangas eram a mesma coisa.
(...)
(Rubem Alves, Folha de S. Paulo, 31/05/2011)
45. Na frase: “Mais vale escrever a coisa certa com as
palavras erradas que escrever a coisa errada com as
palavras certas.”, está presente um procedimento chamado
QUIASMO. Essa figura retórica se baseia:
a) no cruzamento de frases ou termos, invertidos
simetricamente como num espelho.
b) na fusão ou união de vocábulos opostos, gerando uma
ideia contraditória, absurda.
c) na aproximação de palavras antitéticas ou de
pensamentos antagônicos.
d) num rodeio da frase para se chegar indiretamente ao
termo ou ideia.
e) na repetição de palavras ou ideias para dar ênfase ou
realce.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Quem ri por último ri Millôr
Eu tinha 15 anos, havia tomado bomba, era virgem
e não via, diante da minha incompetência para com o sexo
oposto, a mais remota possibilidade de reverter a situação.
Em algum momento entre a oitava série e o
primeiro colegial, todos os meus colegas haviam adotado
roupas diferentes, gírias, trejeitos ao falar e ao gesticular,
mas eu continuava igual – era como se houvesse faltado na
aula em que os estilos foram distribuídos e estivesse
condenado a viver para sempre numa espécie de limbo
social, feito de incertezas, celibato e moletom.
O mundo, antes um lugar com regras claras e uma
razoável meritocracia, havia perdido o sentido: os bons
meninos não ganhavam uma coroa de louros – nem ao
menos, vá lá, uma loura coroa –, era preciso acordar às 6h15
para estudar química orgânica e os adultos ainda queriam
me convencer de que aquela era a melhor fase da vida.
Claro, observando-os, era óbvia a razão da
nostalgia: seres de calças bege e pager no cinto, que
gastavam seus dias em papinhos de elevador, sem ambições
maiores do que um carro novo, um requeijão com menos
colesterol, o nome na moldura de funcionário do mês e
ingressos para o Holiday on Ice no fim de semana.
Em busca de algum consolo, me esforçava para
bater o recorde jamaicano de consumo de maconha, mas,
em vez de ter abertas as portas da percepção – ou o que
quer que fizesse com que meus amigos se divertissem e
passassem meia hora rachando o bico, sei lá, de um
amendoim –, só via ainda mais escancaradas as portas da
minha inadequação. Foi então, meus caros, que eu vi a luz e a luz veio na forma de um livro; "Trinta anos de mim
mesmo", do Millôr Fernandes.
A primeira página que eu abri trazia um quadrado
em branco, com a seguinte legenda: "Uma gaivota branca,
trepada sobre um iglu branco, em cima de um monte
branco. No céu, nuvens brancas esvoaçam e à direita
aparecem duas árvores brancas com as flores brancas da
primavera". Logo adiante estava "O abridor de latas", "Pela
primeira vez no Brasil um conto inteiramente em câmera
lenta" – narrando um piquenique de tartarugas que durava
uns 1.500 anos. Mais pra frente, esta quadra: "Essa pressa
leviana/ Demonstra o incompetente/ Por que fazer o mundo
em sete dias/ Se tinha a eternidade pela frente?".
Lendo aquelas páginas, que reuniam o trabalho
jornalístico do Millôr entre 1943 e 1973, compreendi que
não estava sozinho em meu estranhamento: a vida era
mesmo absurda, mas a resposta mais lógica para a falta de
sentido não era o desespero, e sim o riso. Percebi, como se
não bastasse, que se agregasse alguma graça aos meus
resmungos poderia fazer daquele incômodo uma profissão.
Dos 19 anos até hoje, jamais paguei uma conta de luz de
outra forma.
Uma pena nunca ter conhecido o Millôr
pessoalmente, não ter podido apertar sua mão e agradecerlhe por haver me sussurrado ao ouvido, quando eu mais
precisava escutar, a única verdade que há debaixo do céu: se
Deus não existe, então tudo é divertido.
Antonio Prata. Folha de S. Paulo. 04/04/2012.
46. Em “condenado a viver para sempre numa espécie de
limbo social, feito de incertezas, celibato e moletom”, o
autor recorre a uma construção para produzir efeito de
humor, explicada adequadamente na alternativa:
a) Trata-se da ambiguidade intencional, através da dupla
possibilidade de interpretação do substantivo “celibato”.
b) Fazendo uma comparação subentendida entre dois
elementos que não pertencem à mesma categoria –
relacionamento interpessoal e religiosidade –, o autor
recorre a uma metáfora.
c) O período apresenta como estratégia textual o emprego
do anacoluto para produzir uma ruptura de natureza
sintática.
d) O autor explora efeitos estéticos a partir da enumeração
que une palavras de universos diferentes (substantivos
abstratos seguidos de um concreto), produzindo a quebra
do paralelismo semântico.
Página 14 de 31
e) O jogo de palavras é feito por meio da atenuação de
pensamento, para significar mais do que o que se diz e
sugeri-lo assim mais intensamente.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES:
A melhor e a pior comida do mundo
Há mais de dois mil anos, um rico mercador grego tinha um
escravo chamado Esopo. Um escravo corcunda, feio, mas de
sabedoria única no mundo. Certa vez, para provar as
qualidades de seu escravo, o mercador ordenou:
— Toma, Esopo, aqui está esta sacola de moedas. Corre ao
mercado, compra lá o que houver de melhor para um
banquete. A melhor comida do mundo!
Pouco tempo depois, Esopo voltou do mercado e colocou
sobre a mesa um prato coberto por fino pano de linho. O
mercador levantou o paninho e ficou surpreso.
— Ah, língua? Nada como a boa língua que os pastores
gregos sabem tão bem preparar. Mas por que escolheste
exatamente a língua como a melhor comida do mundo?
1
O escravo, cabisbaixo, explicou sua escolha:
3
— O que há de melhor do que a língua, senhor? A língua é
que une a todos, quando falamos. Sem a língua não
4
poderíamos nos entender. A língua é a chave das Ciências, o
órgão da verdade e da razão. Graças à língua é que se
constroem as cidades, graças à língua podemos dizer o
nosso amor. A língua é o órgão do carinho, da ternura, da
compreensão. É a língua que torna eternos os versos dos
5
grandes poetas, as ideias dos grandes escritores. Com a
língua se ensina, se persuade, se instrui, se reza, se explica,
se canta, se elogia, se demonstra, se afirma. Com a língua,
dizemos “sim”. Com a língua dizemos “eu te amo”! O que
pode haver de melhor do que a língua, senhor?
6
O mercador levantou-se entusiasmado:
— Muito bem, Esopo! Realmente tu me trouxeste o que há
de melhor. Com esta outra sacola de moedas, vai de novo ao
7
mercado e traze o que houver de pior, pois quero ver a tua
sabedoria.
Mais uma vez, tempos depois, Esopo voltou do mercado
trazendo um prato coberto por um pano. O mercador
recebeu-o com um sorriso.
— Hum... já sei o que há de melhor. Vejamos agora o que há
de pior.
O mercador descobriu o prato e ficou indignado:
— O quê?! Língua? Língua outra vez? Língua? Não disseste
que a língua era o que havia de melhor? Queres ser
açoitado?
2
Esopo encarou o mercador e respondeu:
— A língua, senhor, é o que há de pior no mundo. É a fonte
de todas as intrigas, o início de todos os processos, a mãe de
todas as discussões. É a língua que divide os povos. É a
língua que usam os maus políticos quando querem enganar
com suas falsas promessas. É a língua que usam os vigaristas
quando querem trapacear. A língua é o órgão da mentira, da
discórdia, dos desentendimentos, das guerras, da
exploração. É a língua que mente, que esconde, que engana,
que explora, que blasfema, que vende, que seduz, que
corrompe. Com a língua dizemos “não”. Com a língua
dizemos “eu te odeio”! Aí está, senhor, porque a língua é a
pior e a melhor de todas as coisas!
(http://www.bibliotecapedrobandeira.com.br/pdfs/contos/a
_melhor_e_a_pior_comida_do_mundo.pdf
05.08.2011. Adaptado)
Acesso
em:
47. Assinale a afirmação correta sobre o texto.
a) O mercador, confiante na inteligência de seu escravo,
trata-o sempre com tolerância e admiração.
b) Na descrição de Esopo estão ausentes características
negativas, pois se ressalta a sabedoria do escravo grego.
c) A língua trazida do mercado por Esopo seria preparada
pelos pastores e servida no banquete organizado pelo
mercador para aquela data.
d) Para Esopo, a linguagem será um bom ou um mau
instrumento de comunicação em decorrência das
intenções do indivíduo que a utiliza.
e) Para o escravo, a linguagem é contraditória pois, quando
empregada pelos que não dominam a norma culta, gera
discórdia, desentendimentos e mentiras.
48. Considere os dois trechos do texto:
O escravo, cabisbaixo, explicou sua escolha. (ref. 1)
Esopo encarou o mercador e respondeu. (ref. 2)
Nestes dois momentos da narrativa, Esopo demonstrou ser,
respectivamente,
a) arrogante e vaidoso.
b) petulante e dissimulado.
c) modesto e negligente.
d) introvertido e temeroso.
e) obediente e confiante.
49. Pela leitura da narrativa, pode-se afirmar que o texto
apresenta função
a) referencial, pois o texto pretende, prioritariamente,
informar sobre as relações sociais praticadas na Grécia
Antiga.
b) apelativa, pois o texto critica, entrelinhas, a relação
autoritária e de opressão vivenciada entre senhores e
escravos.
c) metalinguística, pois as considerações de Esopo sobre as
palavras nos levam a refletir sobre o poder da linguagem.
d) fática, pois o escravo, para explicar o seu ponto de vista,
enumera vários exemplos de como podemos nos servir
da linguagem.
e) poética, pois o mercador emprega uma linguagem correta
e elaborada que comprova sua superioridade em relação
ao escravo Esopo.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
“Lampião dava a vida para estar entre os coronéis”, contou,
num depoimento ao historiador Frederico Pernambucano de
Melo, o cangaceiro Miguel Feitosa, que conheceu Virgulino
na década de 1920. “Vivia de coronel em coronel”, ele
completa. Em 1923, Lampião invadiu a cidade de Triunfo, na
Paraíba, só para tirar de lá um homem chamado Marcolino
Diniz, que tinha matado o juiz da cidade durante uma
discussão. A invasão da delegacia foi um serviço
encomendado pelo sogro do assassino, José Pereira Lima,
maior chefe político do interior da Paraíba naquela época. Já
com pobres, mulheres e vilas indefesas, o cangaceiro não
era tão camarada. Há relatos de que marcou, com ferro
quente, o rosto de mulheres surpreendidas com vestidos
Página 15 de 31
curtos e decotes cavados. Contrário à construção de
estradas no sertão, em pelo menos cinco ocasiões atirou em
operários quando eles trabalhavam em alguma obra.
(in: NARLOCH, Leandro. Guia politicamente incorreto da
história do Brasil. São Paulo: Leya, 2011)
50. Sobre o texto, é correto afirmar que:
a) Lampião não praticava as atrocidades das quais era
acusado pelos políticos de Brasília e do interior
nordestino, especialmente na Paraíba e em Pernambuco,
durante a década de 1920.
b) o bando de Lampião via no seu comandante um poderoso
dominador das áreas do sertão nordestino onde ainda
prevalecia o latifúndio.
c) um dos possíveis instrumentos de dominação de classe,
praticados com suas formas de violência real,
principalmente assassinatos, se tornou sem importância
e banal com o cangaço de Lampião.
d) Lampião não gostava de ser reconhecido pelos relatos da
sociedade do interior brasileiro como defensor dos
oprimidos.
e) Virgulino Ferreira, o Lampião, foi uma espécie de bandido,
que usou diversas modalidades de violência social como
forma de acabar com os adeptos da desordem no
cangaço durante década de 1920.
51.
Assinale a alternativa que preenche, correta e
respectivamente, a frase a seguir.
Os interessados em adotar crianças têm de recorrer _____
orientações do Juizado de Menores e se sujeitar ____ uma
espera muitas vezes longa, o que, apesar de tudo, não
desanima _____ maioria.
a) às ... a ... a
b) às ... à ... a
c) às ... à ... à
d) as ... a ... à
e) as ... à ... à
52. Texto.
Em Alagoas, 24% da população vive à revelia da leitura e da
escrita.
[...]
Nesse “universo paralelo” dos que vivem à revelia
1
da leitura e da escrita, restam o mercado informal como
sobrevida, e o distanciamento exponencial de uma
sociedade cada vez mais gráfica, onde a necessidade de se
2
decifrar os velhos e os novos códigos da língua, como a
informática, por exemplo, vem transformando a educação
formal, ao longo dos tempos, num verdadeiro funil de
acesso ao mundo sócio, econômico e culturalmente ativo.
O Jornal, de 17/10/2010, seção Cidades, pág. A17.
Com relação à concordância verbal, apenas uma alternativa
está errada. Marque-a.
a) O verbo pode ficar no singular, concordando com o termo
preposicionado “da população”, após a expressão
numérica na manchete.
b) Segundo a norma gramatical, o verbo, ainda nessa
manchete, poderia ficar no plural, concordando com o
número percentual, que é o núcleo do sujeito.
c) A concordância do verbo “viver”, nesse trecho, está
correta, o que se pode justificar com o seguinte exemplo:
“Somente 1% dos objetos roubados foi recuperado.”
d) O verbo “restar” (ref. 1) poderia ficar no singular,
concordando com o sujeito mais próximo: “o mercado
informal”.
e) O verbo “decifrar” (ref. 2) deveria estar no plural,
concordando com o sujeito composto: “os velhos e os
novos códigos da língua”.
53. Leia o texto.
Dimitria cursava a oitava série no colégio e desapareceu
durante as férias de julho de 2008. Segundo a polícia, a
garota avisou que iria viajar em companhia do caseiro, mas
nunca mais foi vista. (...) De acordo com a polícia, [o caseiro]
Silva disse que matou a menina porque era apaixonado por
ela, mas ela não o correspondia.
(Folha de S.Paulo, 16.08.2010.)
No texto, há um erro gramatical. O tipo de erro e a versão
que o corrige estão, respectivamente, em
a) uso de conectivo – Silva disse no depoimento o qual
matou a menina (...)
b) uso de pronome – (...) porque era apaixonado por ela,
mas ela não correspondia.
c) uso de conectivo – (...) iria viajar em companhia do
caseiro, porém nunca mais foi vista.
d) uso de adjetivo – (...) porque era obcecado por ela, mas
ela não o correspondia.
e) uso de verbo – Dimitria frequentava a oitava série no
colégio (...)
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Nos últimos três anos foram assassinadas mais de
140 mil pessoas no Brasil. Uma média de 47 mil pessoas por
ano. Uma parcela expressiva destas mortes, que varia de
região para região, é atribuída à ação da polícia, que se
respalda na impunidade para continuar cometendo seus
crimes. São 25 assassinatos ao ano por cada 100 mil pessoas,
índice considerado de violência epidêmica, segundo
organismos internacionais.
Se os assassinatos com armas de fogo são uma
face da violência vivida na nossa sociedade, ela não é a
única. Logo atrás, em termos de letalidade, estão os
acidentes fatais de trânsito, com cerca de 33 mil mortos em
2002 e 35 mil mortes por ano em 2004 e 2005. Isto, sem
falar nos acidentados não fatais socorridos pelo Sistema
Único de Saúde, que multiplicam muitas vezes os números
aqui apresentados e representam um custo que o IPEA
estima em R$ 5,3 bilhões para o ano de 2002.
A lista da violência alonga-se incrivelmente. Sobre
as mulheres, os negros, os índios, os gays, sobre os
mendigos na rua, sobre os movimentos sociais etc. Uma
discussão num botequim de periferia pode terminar em
morte. A privação do emprego, do salário digno, da
educação, da saúde, do transporte público, da moradia, da
segurança alimentar, tudo isso pode ser compreendido,
considerando que incide sobre direitos assegurados por
nossa Constituição, como tantas outras formas de violência.
Página 16 de 31
(Silvio Caccia Bava. Le Monde Diplomatique Brasil, agosto
2010. Adaptado.)
54. No período Uma parcela expressiva destas mortes, que
varia de região para região, é atribuída à ação da polícia,
que se respalda na impunidade para continuar cometendo
seus crimes, as palavras sublinhadas referem-se,
respectivamente,
a) à palavra parcela e tem a função de sujeito; à palavra
polícia e tem a função de sujeito.
b) à palavra mortes e tem a função de sujeito; à palavra
polícia e tem a função de sujeito.
c) à palavra parcela e tem a função de objeto; à palavra
polícia e tem a função de objeto.
d) à palavra parcela e tem a função de objeto; à palavra ação
e tem a função de sujeito.
e) à palavra parcela e tem a função de sujeito; à palavra
ação e tem a função de sujeito.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
As provocações no recreio eram frequentes,
oriundas do enfado; irritadiços todos como feridas; os
inspetores a cada passo precisavam intervir em conflitos; as
importunações andavam em busca das suscetibilidades; as
suscetibilidades a procurar a sarna das importunações. Viam
de joelhos o Franco, puxavam-lhe os cabelos. Viam Rômulo
passar, lançavam-lhe o apelido: mestre-cuca!
Esta provocação era, além de tudo, inverdade.
Cozinheiro, Rômulo! Só porque lembrava culinária, com a
carnosidade bamba, fofada dos pastelões, ou porque era
gordo das enxúndias enganadoras dos fregistas, dissolução
mórbida de sardinha e azeite, sob os aspectos de mais
volumosa saúde?
(...)
Rômulo era antipatizado. Para que o não
manifestassem excessivamente, fazia-se temer pela
brutalidade. Ao mais insignificante gracejo de um pequeno,
atirava contra o infeliz toda a corpulência das infiltrações de
gordura solta, desmoronava-se em socos. Dos mais fortes
vingava-se, resmungando intrepidamente.
Para desesperá-lo, aproveitavam-se os menores do
escuro. Rômulo, no meio, ficava tonto, esbravejando juras
de morte, mostrando o punho. Em geral procurava
reconhecer algum dos impertinentes e o marcava para a
vindita. Vindita inexorável.
No decorrer enfadonho das últimas semanas, foi
Rômulo escolhido, principalmente, para expiatório do
desfastio. Mestrecuca! Via-se apregoado por vozes
fantásticas, saídas da terra; mestre-cuca! Por vozes do
espaço
rouquenhas
ou
esganiçadas.
Sentava-se
acabrunhado, vendo se se lembrava de haver tratado
panelas algum dia na vida; a unanimidade impressionava.
Mais frequentemente, entregava-se a acessos de raiva.
Arremetia bufando, espumando, olhos fechados, punhos
para trás, contra os grupos. Os rapazes corriam a rir, abrindo
caminho, deixando rolar adiante aquela ambulância danada
de elefantíase.
(Raul Pompeia. O Ateneu.)
55. Tendo em vista a função sintática da palavra grifada no
fragmento Para que o não manifestassem excessivamente,
fazia-se temer pela brutalidade, assinale a alternativa em
que o termo sublinhado exerce a mesma função:
a) Dos mais fortes vingava-se, resmungando intrepidamente.
b) Para desesperá-lo, aproveitavam-se os menores do
escuro.
c) Via-se apregoado por vozes fantásticas, saídas da terra.
d) Mais frequentemente, entregava-se a acessos de raiva.
e) Viam de joelhos o Franco, puxavam-lhe os cabelos.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
‘London River’ é drama simples e emocionante de tom
político
André Barcinski
Crítico da Folha de São Paulo
“London River” – “Destinos Cruzados” é um filme
simples e emocionante sobre como duas pessoas de origens
totalmente diferentes podem ser afetadas da mesma
maneira por uma tragédia.
Brenda Blethyn (“Segredos e Mentiras”) vive
Elisabeth, viúva que mora num sítio no interior da Inglaterra.
No dia 7 de julho de 2005, Elisabeth está assistindo
à TV quando vê o noticiário sobre atentados suicidas em
Londres. Ela imediatamente liga para a filha, que mora na
capital inglesa. Mas a filha não atende.
As horas passam, Elisabeth liga de novo, e nada.
Preocupada, decide ir a Londres, procurar a menina.
Enquanto isso, Ousmane (Sotigui Kouyaté,
veterano ator nascido em Mali e morto neste ano), um
franco-africano mulçumano, também vai para Londres,
procurando o filho.
Como antecipa o título do filme em português, os
destinos dessas duas almas perdidas vão se cruzar. A vida
deles está, de alguma forma, conectada.
O filme, até então um drama com ares de mistério,
ganha um viés mais político, explorando temas como
preconceito e a dificuldade de comunicação. Tanto Elisabeth
quanto Ousmane vão perceber que nada sabem sobre o
outro.
Dirigido pelo franco-argelino Rachid Bouchareb,
“London River” peca por um roteiro um tanto esquemático,
mas as atuações contidas de Blethyn e Kouyaté (vencedor do
Urso de Ouro em Berlim) dão ao filme uma dignidade
comovente.
(Folha de São Paulo, 01/10/2010)
56.
Os termos grifados no texto constituem,
respectivamente:
a) agente da passiva, objeto indireto, aposto e adjunto
adverbial.
b) sujeito simples, objeto indireto, predicativo do sujeito e
complemento nominal.
c) sujeito simples, complemento nominal, aposto e adjunto
adverbial.
d) agente da passiva, complemento nominal, aposto e
adjunto adverbial.
e) agente da passiva, objeto direto, aposto e adjunto
adverbial.
Página 17 de 31
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
Parágrafo do Editorial “Nossas crianças, hoje”.
“Oportunamente serão divulgados os resultados
de tão importante encontro, mas enquanto nordestinos e
alagoanos sentimos na pele e na alma a dor dos mais altos
índices de sofrimento da infância mais pobre. Nosso Estado
e nossa região padece de índices vergonhosos no tocante à
mortalidade infantil, à educação básica e tantos outros
indicadores terríveis.”
(Gazeta de Alagoas, seção Opinião, 12.10.2010)
57. O primeiro período desse parágrafo está corretamente
pontuado na alternativa:
a) “Oportunamente, serão divulgados os resultados de tão
importante encontro, mas enquanto nordestinos e
alagoanos, sentimos na pele e na alma a dor dos mais
altos índices de sofrimento da infância mais pobre.”
b) “Oportunamente serão divulgados os resultados de tão
importante encontro, mas enquanto nordestinos e
alagoanos sentimos, na pele e na alma, a dor dos mais
altos índices de sofrimento da infância mais pobre.”
c) “Oportunamente, serão divulgados os resultados de tão
importante encontro, mas enquanto nordestinos e
alagoanos, sentimos na pele e na alma, a dor dos mais
altos índices de sofrimento da infância mais pobre.”
d) “Oportunamente serão divulgados os resultados de tão
importante encontro, mas, enquanto nordestinos e
alagoanos sentimos, na pele e na alma a dor dos mais
altos índices de sofrimento, da infância mais pobre.”
e) “Oportunamente, serão divulgados os resultados de tão
importante encontro, mas, enquanto nordestinos e
alagoanos, sentimos, na pele e na alma, a dor dos mais
altos índices de sofrimento da infância mais pobre.”
58. A justificativa para a concordância do verbo padecer, no
segundo período, é a mesma para a concordância verbal em:
a) “Casa, água, comida e carinho, nada fez o pardalzinho
feliz.”
b) “Muita raiva e indignação dominava seus gestos.”
c) “Passará o céu e a terra.”
d) “Uma brisa, um vento, o maior furacão não os
inquietava.”
e) “Pedro ou Paulo será eleito papa.”
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
Leia esta notícia científica:
Há 1,5 milhão de anos, ancestrais do homem moderno
deixaram pegadas quando atravessaram um campo
lamacento nas proximidades do Ileret, no norte do Quênia.
Uma equipe internacional de pesquisadores descobriu essas
marcas recentemente e mostrou que elas são muito
parecidas com as do “Homo sapiens”: o arco do pé é
alongado, os dedos são curtos, arqueados e alinhados.
Também, o tamanho, a profundidade das pegadas e o
espaçamento entre elas refletem a altura, o peso e o modo
de caminhar atual. Anteriormente, houve outras descobertas
arqueológicas, como, por exemplo, as feitas na Tanzânia, em
1978, que revelaram pegadas de 3,7 milhões de anos, mas
com uma anatomia semelhante à de macacos. Os
pesquisadores acreditam que as marcas recém-descobertas
pertenceram ao “Homo erectus”.
Revista FAPESP, nº 157, março de 2009. Adaptado.
59.
No trecho “semelhante à de macacos”, fica
subentendida uma palavra já empregada na mesma frase.
Um recurso linguístico desse tipo também está presente no
trecho assinalado em:
a) A água não é somente herança de nossos predecessores;
ela é, sobretudo, um empréstimo às futuras gerações.
b) Recorrer à exploração da miséria humana, infelizmente,
está longe de ser um novo ingrediente no cardápio da
tevê aberta à moda brasileira.
c) Ainda há quem julgue que os recursos que a natureza
oferece à humanidade são, de certo modo, inesgotáveis.
d) A prática do patrimonialismo acaba nos levando à cultura
da tolerância à corrupção.
e) Já está provado que a concentração de poluentes em área
para não fumantes é muito superior à recomendada pela
OMS.
TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:
1
Eu troteava, nesse tempo. De uma feita que
9
12
viajava de escoteiro, com a guaiaca empanzinada de
15
24
onças de ouro, vim varar aqui neste mesmo passo, por
7
me ficar mais perto da estância onde devia pousar. Parece
21
que foi ontem! Era fevereiro; eu vinha abombado da
18
troteada.
2
16
Olhe, ali, à sombra daquela mesma reboleira de
mato que está nos vendo, desencilhei; e estendido nos
pelegos, a cabeça no lombilho, com o chapéu sobre os olhos,
13
fiz uma sesteada morruda.
Despertando, ouvindo o ruído manso da água
fresca rolando sobre o pedregulho, tive ganas de me banhar;
até para quebrar a lombeira... E fui-me à água que nem
22
3
19
10
capincho! Depois, daquela vereda andei como três
léguas, chegando à estância cedo, obra assim de braça e
meia de sol.
4
25
Ah! Esqueci de dizer-lhe que andava comigo um
cachorrinho brasino, um cusco muito esperto e boa vigia.
26
Era das crianças, mas às vezes dava-lhe para acompanhar11
me, e depois de sair da porteira, nem por nada fazia
27
caravolta, a não ser comigo.
Durante a troteada reparei que volta e meia o
17
cusco parava na estrada e latia, e troteava sobre o rastro parecia que estava me chamando! Mas como eu não ia, ele
tomava a alcançar-me, e logo recomeçava...
Pois nem lhe conto! Quando botei o pé em terra na
20
8
estância e já dava as boas tardes ao dono da casa,
aguentei um tirão seco no coração... não senti o peso da
guaiaca! Tinha perdido as trezentas onças de ouro.
E logo passou-me pelos olhos um darão de cegar,
14
29
depois uns coriscos... depois tudo ficou cinzento... De
meio assombrado me fui repondo quando ouvi que
indagavam:
6
Página 18 de 31
- Então, patrício? Está doente?
5
- Não senhor, não é doença; é que sucedeu-me
28
uma desgraça; perdi uma dinheirama do meu patrão...
23
- A la fresca!
- É verdade... antes morresse que isso!
Nisto o cusco brasino deu uns pulos ao focinho do
cavalo, como querendo lambê-lo, e logo correu para a
estrada, aos latidos. E olhava-me, e vinha e ia, e tornava a
latir...
Adaptado de Simões Lopes Neto. Trezentas onças. In:
BETANCUR, P. (Org.). Obra completa de Simões Lopes Neto.
Porto Alegre: Sulina, 2003. p. 307-308.
60. Considere as seguintes propostas de substituição de
pronomes átonos em segmentos
1 - por me ficar mais perto (ref. 24) - por ficar mais perto
para eu
2 - dizer-lhe (ref. 25) - dizer para o senhor
3 - dava-lhe (ref. 26) - dava a ele
Quais são gramaticalmente corretas e contextualmente
adequadas?
a) Apenas 1.
b) Apenas 2.
c) Apenas 3.
d) Apenas 1 e 2.
e) 1, 2 e 3.
ESPANHOL
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 8 QUESTÕES:
Para vivir 100 años: más suerte que vida sana
BBC Salud, 04.08.2011
Durante mucho tiempo se ha debatido si para vivir
una vida larga influyen más los genes o el estilo de vida. Los
estudios hasta ahora sugerían que ambos son igualmente
importantes.
Un reciente estudio analizó a judíos asquenazí, que
son excepcionalmente longevos.
La investigación fue llevada a cabo con cerca de
500 centenarios y encontró que la respuesta para una vida
larga parece estar en los genes.
El estudio comparó el estilo de vida de 477
personas, todos judíos asquenazí, de entre 95 y 112 años
con el de otros 3.000 individuos de la población general
nacidos durante la misma época.
Los resultados mostraron que aquéllos que han
logrado una vida excepcionalmente larga comían tan mal,
hacían tan poco ejercicio, consumían tanto alcohol y tabaco
y tenían tanto sobrepeso como aquéllos que se habían
muerto hacía mucho tiempo.
La investigación, llevada a cabo en el Instituto de
Investigación del Envejecimiento del Colegio de Medicina
Albert Einstein de la Universidad Yeshiva, en Nueva York,
forma parte del Proyecto de Genes de Longevidad.
Este proyecto intenta entender por qué la
comunidad judía asquenazí -que desciende de un mismo
grupo europeo y por lo tanto son más uniformes
genéticamente que otras poblacioneslogra vivir vidas tan
longevas.
Los participantes respondieron a cuestionarios
sobre su estilo de vida a los 70 años, y se tomaron
mediciones de su peso y altura para calcular su índice de
masa corporal (IMC).
Asimismo dieron información sobre su consumo
de alcohol, hábitos de tabaco y actividad física, y si
consumían una dieta de bajas calorías, baja en grasas o baja
en sal.
4
Los científicos compararon esa información con
los datos de 3.164 individuos de la población general que
habían nacido en la misma época que los centenarios y que
participaban en el Sondeo Nacional de Salud y Nutrición de
Estados Unidos.
Encontraron que en general, la gente con una
1
longevidad excepcional no había llevado a cabo un estilo de
vida más sano en términos de su IMC, tabaquismo, nivel de
actividad física o dieta.
Por ejemplo, dicen los investigadores, sólo 27% de
las mujeres centenarias y un porcentaje similar en las
mujeres de la población general intentaban consumir una
dieta de bajas calorías.
Entre los hombres, 24% de los ancianos consumían
alcohol todos los días, mientras que en la población general
la cifra era de 22%.
Y sólo 43% de los hombres centenarios dijeron
llevar a cabo con regularidad actividad física de intensidad
moderada, comparado con 57% de los hombres de la
población general.
“En estudios previos de nuestros centenarios,
identificamos variantes genéticas que ejercen efectos
fisiológicos
particulares,
como
provocar
niveles
significativamente elevados de colesterol HDL (el colesterol
“bueno”), afirma el doctor Nir Barzilai, quien dirigió el
estudio.
“Este estudio sugiere que los centenarios quizás
poseen genes de longevidad adicionales que los ayudan a
protegerse de los efectos de un estilo de vida poco sano”
agrega.
2
Los expertos afirman, sin embargo, que a pesar de
que la genética puede beneficiar a algunos poços individuos,
los factores de estilo de vida siguen siendo de vital
importancia para la mayoría de la población.
Tal como expresa el doctor Barzilai, “debemos
vigilar nuestro peso, evitar el tabaco y ejercitarnos con
regularidad porque se ha demostrado que esto puede tener
3
enormes beneficios, incluida una vida más longeva”.
61. El texto se refiere a un proyecto que busca
a) señalar los factores de estilo de vida que no favorecen a
las personas mayores.
b) entender por qué la comunidad judía asquenazí logra vivir
vidas tan longevas.
c) estudiar genes de longevidad adicionales que protegen a
partir de los 70 años.
d) identificar algunas variantes genéticas que tienen que ver
con suerte.
e) comprobar que la genética puede beneficiar a algunos
pocos individuos.
Página 19 de 31
62. Según el texto los investigadores del proyecto afirman
que:
a) Poco más de la mitad de la población de hombres en
general practicaban actividad física y 22% de la población
consumía alcohol todos los días.
b) El 24% de los ancianos no bebía alcohol con regularidad.
c) 27% de la población general de mujeres no intentaban
seguir una dieta de bajas calorías.
d) 57% de la población de hombres intentaban consumir una
dieta de bajas calorías.
e) Todos los ancianos y ancianas afirmaron que practicaban
con regularidad actividades físicas y que mantenían una
dieta saludable.
63. Según el texto los participantes del Sondeo Nacional de
Salud y Nutrición de Estados Unidos eran:
a) hombres y mujeres de 70 años exclusivamente.
b) mujeres centenárias.
c) hombres centenarios.
d) hombres y mujeres de edades similares.
e) hombres de edades similares.
64. Según el texto, los que poseen genes de longevidad
adicionales que los ayudan a protegerse de los efectos de un
estilo de vida poco sano serían:
a) las personas que llegan a centenárias.
b) todos los seres humanos.
c) las personas que practican actividades físicas con
regularidad.
d) las poblaciones que llevan una vida sana.
e) las personas que siguen una dieta de bajas calorías.
65. Marca la alternativa que mejor resume la idea central
del texto:
a) Aunque muchos intenten llevar a cabo una vida saludable
y mantener una alimentación equilibrada, no podrán
alargar mucho sus vidas si no tienen suficiente carga
genética de longevidad.
b) Los judíos asquenazí demuestran tener la más alta calidad
de vida del planeta, según las recientes investigaciones.
c) Vigilar el peso, evitar fumar y mantener la calidad de vida,
con muchos ejercicios físicos, no llega a ser determinante
para alargar la expectativa de vida de la mayor parte de la
población.
d) Los judíos asquenazí tienen la más alta expectativa de
vida del planeta; sin embargo los participantes de una
reciente investigación demostraron baja preocupación
con los ejercicios físicos, pero buenas dietas.
e) Investigaciones indican que determinados grupos
humanos pueden beneficiarse de genes de longevidad,
pero eso no anula la necesidad de un estilo de vida
saludable para la mayoría de la población.
66. El reciente estudio tomó como base de comparación:
a) judíos asquenazí y personas de la población en general de
edad similar.
b) judíos asquenazí y judíos de otras regiones nacidos en la
misma época.
c) personas nacidas en la misma época y en la misma región.
d) personas con hábitos de vida saludables y no saludables.
e) personas judías de varias regiones y judíos asquenazí.
67.
En “no había llevado a cabo...” (ref.1) indique la
alternativa que tiene el mismo sentido.
a) No había sentido.
b) No había reflexionado.
c) No había pensado.
d) No había soñado.
e) No había tenido.
68. “…incluida una vida más longeva” (ref.3). La palabra
señalada puede ser substituida, sin modificar su significado
por una vida más:
a) enclenque.
b) ancha.
c) saludable.
d) acortada.
e) achacosa.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 5 QUESTÕES:
Mi casa es tu casa
El house swapping gana cada vez más terreno entre los
viajeros del mundo. La mejor opción para pasar las
vacaciones sin pagar por el mejor alojamiento.
Una casa entre los campos de arroz y los sonidos
de la jungla en Bali, Indonesia. El estudio de un artista con
vista a los atardeceres sobre el río Hudson, en un sexto piso
en el Marais, el barrio de moda de París. O una cabaña en
3
Bariloche, Argentina. Todos esos sitios podrían ser las
expresiones de deseos de un lugar soñado para alojarse en
1
vacaciones, y lo son. ______ también son los hogares de
personas que ofrecen, a través de Internet, su propia casa en
intercambio por estadía en otra en el lugar del mundo que
quieren visitar… y sin pagar un centavo por ello.
Bienvenidos al mundo del house swapping o
intercambio de casas, una tendencia en alza: en 2009, según
los sitios de Internet que se dedican a poner en contacto a
un viajero con otro, más de 250.000 swaps o intercambios se
4
llevaron a cabo en todo el mundo, de Copenhague a Costa
Rica y de Alaska a Sudáfrica.
Hoy día son decenas los sitios web dedicados a
promover esta manera de viajar que implica no solo no
pagar por alojamiento sino ponerse en contacto directo con
la vida cotidiana de otra cultura y vivir el destino elegido más
como local que como turista. Las maneras de intercambiar
2
son muchas: _______ que algunos swappers permutan su
casa por otra en el mismo período, otros solo lo hacen con
su segunda residencia, o reciben visitantes en la habitación
6
de invitados. Algunos incluso intercambian sus coches. Lo
importante es buscar un trueque donde ambas partes
9
3
queden satisfechas, y por esto, muchos sitios de contacto
como el popular www.homeexchange.com – el más extenso
a nivel mundial, con unos 30.000 asociados – o
www.intervac.com (el único que tiene representante en
Argentina), funcionan como un club donde se paga una
5
membresía anual que ronda los 100 dólares para acceder a
los listados de propiedades que ofertan sus miembros, e
incluyen un “contrato” entre partes, recomendaciones de
10
quienes ya se han alojado en las casas ofrecidas e incluso
algunos, como www.homeforexchange.com, una especie de
“póliza de seguro” si el viaje de alguna de las partes debe
suspenderse por razones de fuerza mayor.
Página 20 de 31
[…]
¿No es arriesgado dejar la propia casa en manos
de un desconocido? La respuesta, en realidad, son dos: no
7
existe ni un solo reporte – y algunas de estas organizaciones
11
han estado funcionando por casi veinte años, cuando el
sistema era por catálogos impresos – que hable de un
intercambio que no sea exitoso; la regla de oro del house
8
swap es que quien está en un hogar ajeno lo cuida, como el
12
13
otro cuida a la vez el hogar propio; más allá de la
14
perspectiva de un gran ahorro de dinero en alojamiento y
la posibilidad que esto abre de viajar por menos costo a
cualquier destino soñado, la esencia del house swapping es
sentirse como en casa en cualquier parte del mundo.
(CIELOS ARGENTINOS, año 2, n. 21, p. 16-17, dic. 2010. –
Texto adaptado.)
69. De acordo com o texto, é correto afirmar que
a) nem todas as experiências mostram-se animadoras, pois
deixar a casa para estranhos é um pouco arriscado.
b) alguns swappers não disponibilizam a residência principal
para o intercâmbio.
c) o empréstimo de automóveis já está incluído no contrato
firmado entre as partes.
d) é preciso pagar um seguro para oferecer garantias aos
proprietários que realizam os intercâmbios de
residências.
e) os sites mais extensos e mais populosos, em nível
mundial, encontram-se na Argentina.
70. Segundo o texto, é correto afirmar que
a) não se deve realizar intercâmbio entre swappers em um
mesmo país.
b) esta modalidade de intercâmbio propõe-se a agradar a
ambas as partes.
c) há alguns relatos que dão conta de experiências malsucedidas.
d) as pessoas têm dificuldade de cuidar das próprias casas, e
mais ainda da dos outros.
e) sentir-se em casa, só é possível na própria casa mesmo.
71. Analise as proposições abaixo quanto à veracidade (V)
ou à falsidade (F), de acordo com o texto.
(
(
(
) House swapping é uma modalidade de viagem cuja
abrangência tem se ampliado cada vez mais.
) O intercâmbio do tipo house swapping permite
conhecer lugares distintos sem pagar nada pela
hospedagem.
) Apesar de os intercâmbios acontecerem em todo o
mundo, na América do Sul há mais procura pelo
serviço on-line.
Assinale a alternativa que preenche corretamente os
parênteses, de cima para baixo.
a) V – V – F
b) V – V – V
c) F – V – F
d) F – F – F
e) V – F – V
72. Segundo o texto, é correto afirmar que
a) para ser um swapper é preciso estar associado a um
clube.
b) a grande vantagem do intercâmbio é estar livre do
pagamento das taxas de aeroporto.
c) o mais indicado é realizar intercâmbios com a Europa ou
com os EUA, pois a troca de continentes é bem educativa.
d) a ideia do house swapping nasce no ateliê de um
renomado artista de Marais, em Paris.
e) o intercâmbio permite ao swapper vivenciar a realidade
do lugar, sem ficar apenas no papel de um turista.
73. É correto afirmar, segundo o texto, que
a) o sistema de house swapping existe há cerca de duas
décadas.
b) os intercambistas enfrentam algumas dificuldades, entre
elas fugir das taxas cobradas pelos sites.
c) os turistas, às vezes, para viver no destino escolhido,
precisam provar que viajarão desacompanhados.
d) o segundo quarto é utilizado como teste para ver se a
experiência com estrangeiros funciona.
e) as permutas são a melhor opção, pois o turista não
buscará uma residência similar à sua para permanecer no
exterior.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
Un estudio vincula el uso excesivo de Internet con el riesgo
de padecer depresión
Las personas que pasan mucho tiempo navegando
en Internet son más propensas a mostrar síntomas
2
depresivos, según un estudio de la Universidad de Leeds, en
Reino Unido, que se publicará en la revista ‘Psycopathology’.
Los investigadores descubrieron evidencias claras
de que algunos usuarios han desarrollado un hábito
compulsivo por Internet, por el que reemplazan la
interacción social en la vida real con ‘chats’ y sitios web de
redes sociales en Internet. Los resultados de su trabajo
sugieren que este tipo de navegación adictiva puede tener
un grave impacto sobre la salud mental.
Según explica Catriona Morrison, directora del
estudio, “Internet juega ahora un gran papel en la vida
moderna pero sus beneficios están acompañados por un
3
lado oscuro. Aunque muchos de nosotros utilizamos la Red
para pagar facturas, comprar y enviar mails, existe un
subgrupo de la población que encuentra difícil controlar el
4
tiempo que pasan conectados, hasta el punto que esto
interfiere con sus actividades diarias”.
(…) En el estudio de Leeds, los jóvenes eran más
propensos a la adicción a la Red que los usuarios de mediana
edad y la media de edad para el grupo de adictos era de 21
años.
El estudio es el primero a gran escala en personas
jóvenes occidentales que considera la relación entre la
adicción a Internet y la depresión. En el trabajo se evaluó el
uso de Internet y los niveles de depresión en 1.319 personas
de entre 16 y 51 años y, de ellas, un 1,2 por ciento se
1
clasificaron como adictos a Internet. (…)
Adaptado
de:
http://www.elmundo.es/elmundo/2010/02/03/navegante/1
265186144.html. Acesso em 14 out 2011.
Página 21 de 31
74. De acordo com o texto, é possível afirmar que
a) o uso da rede no emprego é maior entre os 21 anos e a
meia idade.
b) de 1.319 pessoas empregadas e com depressão, 1,2%
usam a Internet.
c) as conclusões da investigação apontam para a
possibilidade de grave impacto na saúde mental daqueles
que são viciados no uso da Internet.
d) o papel dos jogos na Internet é um tanto obscuro.
e) o tempo usado na rede para pagamentos, compras e
envio de mensagens é difícil de controlar.
75. No texto, o vocábulo ‘adictos’ (ref. 1) pode ser tomado
como sinônimo de
a) viciados
b) usuarios
c) jóvenes
d) navegantes
e) investigadores
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 3 QUESTÕES:
Leia o texto para responder à questão a seguir.
Cada oveja con su pareja
Elvira Lindo
He leído varias estudios que se están haciendo en lo que
viene a ser la zona de las montañas de Oregón, que son, por
lo que leo, la Chueca* del mundo rupestre. Hasta allí han ido
los científicos para estudiar el universo de la oveja. ¿Qué han
encontrado? Que en la oveja se repite casi el mismo
porcentaje gay que en el mundo de los humanos. Un 8% del
rebaño. Eso ya lo sabían los ovejeros antes que los
científicos. Los ovejeros habían notado que un tanto por
ciento de machos en vez de montar a las hembras prefiere
rozarse con otros machos o directamente penetrarlos.
El caso es que los científicos de las montañas de Oregón que
sabían que en el cerebro gay el hipotálamo tiene una
dimensión distinta que en el cerebro heterosexual,
decidieron averiguar en qué momento de la vida de las
ovejillas se produce esa diferencia. ¿Y qué descubrieron?
aquí viene lo importante: que es en los tres primeros meses
de gestación cuando el feto animal genera diferencias
sexuales. A todo esto los ovejeros de Oregón que no tienen
corazón y sólo buscan el rendimiento máximo de sus
rebaños piensan que con las ovejas gays pierden dinero,
porque no se reproducen y, dado que la ganancia económica
es la madre de la ciencia, los científicos empezaron a
toquetear en el cerebro de los fetos para cambiarles durante
la gestación el hipotálamo “sexual”.
Estos descubrimientos de la homosexualidad de las ovejas
son de los que alertan a todo el mundo. Las estadísticas
dicen que la gente que cree que con la homosexualidad se
nace es más proclive a ser comprensiva con los derechos de
los gays que los que creen que es una elección a posteriori.
Por otro lado, están aquellos colectivos gays que temen que
de igual manera que ya se empiezan a encargar en algunos
hospitales americanos embriones a la carta, los padres
tengan la posibilidad en un futuro de solicitar que se le
practique al feto la misma intervención que a la ovejas de
Oregón a fin de que la criatura salga hetero y así poco a poco
hacer desaparecer a los gays de la faz de la tierra. Por su
parte, los científicos de las ovejas de Oregón dicen que las
cuestiones morales no deben paralizar la investigación.
*Chueca es el nombre del barrio gay de la ciudad de Madrid,
capital de España.
(www.elpais.com, 21.01.2007. Adaptado.)
76. De acuerdo con el tercer párrafo del texto se puede
afirmar que
a) la gente que cree que la homosexualidad proviene de un
factor genético es más tolerante con los derechos de los
gays.
b) los padres que creen que la homosexualidad proviene de
un factor genético son menos tolerantes con los derechos
de los gays.
c) los científicos que creen que la homosexualidad es una
elección no van a paralizar las investigaciones por
cuestiones morales.
d) ahora ya se puede encargar embriones en algunos
hospitales y solicitar que los futuros bebés sean
heterosexuales.
e) ahora los padres tienen la posibilidad de poco a poco
hacer desaparecer a los gays de la faz de la tierra.
77. De acuerdo con el primer párrafo del texto se puede
afirmar que
a) los científicos descubrieron que el índice de
homosexualidad entre las ovejas es casi el mismo que
entre los humanos.
b) los científicos descubrieron la homosexualidad de las
ovejas comparándola con los datos de los ovejeros.
c) los ovejeros descubrieron que la homosexualidad entre las
ovejas solo ocurre en la zona de las montañas.
d) en el barrio de la Chueca pasa lo mismo que en la zona de
las montañas de Oregón.
e) los científicos sabían antes que los ovejeros que 8% del
rebaño ovejuno era homosexual.
78. De acuerdo con el segundo párrafo del texto se puede
afirmar que
a) el caso de los científicos de las montañas de Oregón ha
cambiado la forma como los ovejeros alimentan a las
ovejas.
b) los ovejeros de Oregón piensan que con los homosexuales
del mundo no se gana dinero porque no se reproducen.
c) los ovejeros tratan a las ovejas con el corazón aunque
sepan que parte del rebaño es homosexual y no se
reproduce.
d) tanto los científicos, como los ovejeros, son desalmados y
actúan motivados solamente por el interés económico.
e) los científicos descubrieron que las diferencias sexuales
son generadas durante el embarazo de las ovejas.
Página 22 de 31
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 2 QUESTÕES:
79.
La última habla del señor con pijama contiene,
indirectamente, un pedido a su vecino para que se
a) eviten los gastos en común.
b) cambie el canal puesto.
c) ahorre la energía del piso.
d) cierren las ventanas compartidas.
e) baje el volumen del televisor.
80. El uso verbal que hacen los personajes de la historieta
muestra que entre ellos se tratan
a) con el plural mayestático.
b) mediante el tuteo.
c) utilizando el usted.
d) recurriendo al vos.
e) echando mano al argot.
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 4 QUESTÕES:
LA EXCEPCIÓN CULTURAL LATINOAMERICANA
aparcamiento de los presupuestos, Latinoamérica quiere
colocarla en la vía rápida de las autopistas, incluidas las que
le quedan por construir.
En medio de una crisis de la que América Latina
parece estar a salvo, la constante invocación a la cultura
tiene que ser también una forma de exorcizar el fantasma
del control económico.
Como explica el politólogo brasileño Emir Sader,
impulsor del Foro Social de Porto Alegre, “a mayor
desarrollo económico, mayores condiciones para el
desarrollo en la producción cultural; sin embargo, esta
última no se explica por el mayor o menor nivel de
desarrollo económico”. Y recurre al ejemplo de la literatura
contemporánea: “Difícilmente podría decirse que la
producción más significativa proviene de los países del
centro del capitalismo; y cuando lo hace, es de la mano de
autores cuyas raíces se hunden en la periferia. Baste pensar
en las antiguas colonias en el caso del inglés o en la
literatura latinoamericana del siglo XX en el caso del
español”. No es, pues, extraño que las migraciones sean otro
de los ejes de un congreso en el que todo es cultura.
MARCOS, J. R. La excepción cultural latinoamericana.
Disponível em: <http//:www.elpais.es>. Acesso em: 16 set.
2001. [Adaptado].
81.
Las expresiones “rechinar de dientes del otoño
europeo” y “tímida primavera”, de la primera oración del
primer párrafo, cargan
a) una significación sinónima.
b) un contenido metafórico.
c) unas acepciones inverosímiles.
d) unos prejuicios sobre Europa.
e) uno de los subterfugios editoriales.
82. Al inicio del texto se señala que la crisis que afecta a
Europa justifica, en ese continente,
a) la reducción del presupuesto destinado a la cultura.
b) los subsidios para sostener la industria cultural.
c) el refugio en la lectura para compensar el desánimo.
d) las ayudas de mecenas para el apoyo a las artes.
e) el impulso a la producción de cultura exportable.
83. En el segundo párrafo, el autor expone que la cultura
debe
a) replegarse ante la crisis latinoamericana.
b) parapetarse frente a los debates políticos.
c) inspirarse en fantasmagorías financieras.
d) distanciarse de la sumisión a la economía.
e) someterse a los intereses de los europeos.
El rechinar de dientes del otoño europeo tiene su
contrapeso en la tímida primavera que llega a esos países
que llaman emergentes. Y lo que vale para el clima vale para
la cultura. Mientras la crisis del Viejo Continente obliga a sus
Gobiernos a mandar su cuota de prestigio cultural al
84. Según la cita que recoge una opinión de Emir Sader
sobre las letras contemporáneas, la literatura de los países
más desarrollados
a) determina el estilo de creadores tercermundistas.
b) fomenta la emigración de escritores a América.
c) recibe el aporte de autores de origen periférico.
d) padece la influencia de los intereses foráneos.
e) transmite el mensaje de rechazo al artista exitoso.
Página 23 de 31
TEXTO PARA AS PRÓXIMAS 6 QUESTÕES:
EL ACOSO MORAL EN EL TRABAJO
El acoso moral en el trabajo se ha convertido en
los últimos años en una preocupación social. En lenguaje
corriente, el «acoso moral» en el trabajo expresa un
malestar más general que incluye el sufrimiento en el
trabajo y, sobre todo, los atentados contra la dignidad de los
trabajadores. Marie-France Hirigoyen define el acoso moral,
dice en qué consiste, en qué no y expone las diferencias que
lo distinguen de otros sufrimientos en el trabajo. A partir de
fuentes propias, informa que estos comportamientos
destructores tienen consecuencias graves sobre la salud de
los asalariados, que comportan periodos de absentismo
laboral muy largos y, en ocasiones, la expulsión del mercado
laboral.
Lo anterior puede suponer la baja productividad
de las empresas. Se tiende a confundir «acoso moral» con
«estrés». Para ella el acoso moral en el trabajo se define
como «toda conducta abusiva (gesto, palabra,
comportamiento, actitud...) que atenta, por su repetición o
sistematización contra la dignidad o la integridad psíquica o
física de una persona, poniendo en peligro su empleo o
degradando el ambiente de trabajo». Lo anterior lo resume
en que el acoso moral es una violencia en pequeñas dosis,
que no se advierte y que, sin embargo, es muy destructiva.
El modo específico de agresión varía según los
medios socioculturales. Cuanto más subimos en la jerarquía
y en la escala sociocultural, más sofisticadas, perversas y
difíciles de advertir son las agresiones. No todas las personas
que dicen sentirse acosadas lo están. Hay que distinguir el
acoso moral del estrés o de la presión del trabajo, del
conflicto abierto o de la desavenencia.
El acoso moral suele empezar por el rechazo de
una diferencia y se manifiesta mediante una conducta al
límite de la discriminación. En el acoso pueden jugar papeles
importantes la envidia, los celos, la rivalidad y el miedo. Los
celos pueden aparecer entre colegas, respecto a la jerarquía
o entre superiores y subordinados. El miedo es el motor
esencial que lleva al acoso moral y en algunas ocasiones
engendra la cobardía. El agresor moral se pregunta ¿cómo
herir al otro? La respuesta la tiene en el aislamiento.
Los nuevos métodos de gestión de empresa aíslan
cada vez más el trabajo del individuo y así es más fácil el
proceso de marginación, el silencio y el vacío alrededor del
mismo. El objetivo del acoso es desestabilizar. El acoso
moral surge con mayor facilidad en los entornos sometidos
al estrés, en los que reina una mala comunicación, y por la
falta de reconocimiento en el trabajo de la propia identidad
profesional.
(Adaptado http://www.acosomoral.org/hirigoyen.htm)
85. De acordo com a afirmação: “No todas las personas que
dicen sentirse acosadas lo están”, conclui-se que:
a) há diferenças que distinguem os sofrimentos que ocorrem
no trabalho cotidiano.
b) deve-se fazer distinção entre o assédio moral e o estresse
ou pressão do trabalho.
c) quanto mais aumenta a hierarquia e a escala
sociocultural, existem mais agressões.
d) tudo depende do modo específico de agressão que varia
segundo o meio socioeconômico.
e) várias pessoas têm conflito ou desavença no trabalho e,
portanto, agridem e são agredidas.
86.
Segundo o texto, os novos métodos de gestão
empresarial:
a) facilitam o processo de integração do trabalhador.
b) preenchem o vazio ao redor do indivíduo.
c) isolam cada vez mais o trabalho do indivíduo.
d) desestabilizam a produção do trabalhador.
e) marginalizam a relação entre o subordinado e seu
superior.
87. De acordo com o texto, a informação dada por MarieFrance sobre o assédio moral no trabalho, diz que:
a) na linguagem popular, o assédio moral e físico não
expressa mal-estar.
b) a alta produtividade das empresas favorece a existência
do assédio moral.
c) mesmo sendo curto o período de ausência laboral, haverá
expulsão do trabalho.
d) que os comportamentos destrutivos tem consequências
graves sobre a saúde dos assalariados.
e) o trabalhador nunca sofre atentados contra sua
integridade física e dignidade no mercado laboral.
88.
No fragmento “…que no se advierte y que, sin
embargo, es muy destructiva.”, a expressão em destaque dá
ideia de:
a) união
b) disjunção
c) adversidade
d) finalidade
e) concessão
89. Segundo Marie-France Hirigoyen, o assédio moral no
trabalho define-se como:
a) uma violência em doses pequenas e que é muito
destrutiva.
b) o trabalho que expressa um mal-estar, mas não causa
sofrimento.
c) um comportamento destruidor, sem graves
consequências para o empregado.
d) um trabalho que se converteu em uma preocupação
social nos últimos anos.
e) toda conduta abusiva que tenta sistematizar a integridade
física do empregado.
90. A expressão “El acoso moral suele empezar por el
rechazo…” pode ser traduzida por:
a) O assédio moral não interessa ao rechaço...
b) Ele é assediado ao começar a rechaçar...
c) O assédio moral costuma iniciar por um recado...
d) Ele costuma rechaçar a todos moralmente...
e) O assédio moral costuma iniciar pelo rechaço...
Página 24 de 31
COMENTÁRIOS
Resposta da questão 1:
[C]
O conselho, que melhor ilustra a ideia de novos pais
compartilharem experiências entre si, é: “Conserve com
outros pais sobre paternidade”.
Resposta da questão 2:
[C]
“I’m not a hero. I was writing on a keyboard on the internet
and I wasn’t exposing my life to danger.
Eu não sou um herói. Eu estava escrevendo na internet e
não estava expondo minha vida ao perigo. (tradução livre)
Resposta da questão 3:
[B]
A resposta encontra-se no início do texto: "MORE THAN
TWO-thirds of the country sees the past decade as a period
of decline for the U.S. […]".
Resposta da questão 4:
[A]
O primeiro gráfico mostra que o evento de 11 de setembro
foi o evento mais importante da última década, com 41%
dos votos.
Resposta da questão 5:
[B]
I. Correta. A senhorita Tobin afirma que a comunicação com
um indivíduo fora do grupo social dos adolescentes possa
dar a ideia de que o ”Teenglish” é uma nova língua (In
communicating with a Teenglish-speaking randomer [...]
their words can seem like a new language).
II. Incorreta. O texto não fala que o “Teenglish” ajudaria
pessoas de nacionalidades diferentes a interagirem
melhor.
III. Incorreta. O texto não afirma que o “Teenglish” irá
desaparecer.
IV. Correta. O texto coloca que professores e membros da
academia estão preocupados com o fato de o
“Teenglish” aparecer em exames (Teachers and
academics have already complained that Teenglish and
‘text message speak’ are creeping into exam answers).
Resposta da questão 6:
[E]
O texto nos informa que, finalmente, pais e mães terão a
chance de entender o “Teenglish”, isto é, o Inglês usado
pelos adolescentes (Mothers and fathers are finally being
given a chance to understand ‘Teenglish’).
Resposta da questão 7:
[A]
Segundo o texto, John Wells, presidente da Sociedade de
Ortografia, afirmou que a linguagem informal dos textos,
salas de bate-papo e e-mails são a tendência do futuro (John
Wells, president of the Spelling Society, claimed that the
informal language of texts, chat rooms and emails were the
’way forward’).
Resposta da questão 8:
[C]
“No, you weren’t downloaded. You were born.”
“Você não foi baixado pela internet. Você nasceu”. (tradução
livre)
A alternativa [C] diz: A mulher está esclarecendo as dúvidas
do garoto de como ele veio ao mundo. (tradução livre)
Resposta da questão 9:
[D]
[...] some of the younger group are students, […].
[...] alguns do grupo mais jovem são estudantes, [...].
(tradução livre)
Resposta da questão 10:
[A]
Avoiding inappropriate topics (…) will keep you from making
a bad one.
Evitar assuntos inadequados (…) vai te impedir de causar
uma má impressão. (tradução livre)
Resposta da questão 11:
[D]
O gráfico nos mostra que 80% do lixo sólido norteamericano foi aterrado (landfilled).
Resposta da questão 12:
[A]
Por meio da leitura do início do texto, a NFL está aliando-se
à ACS, a fim de aumentar a conscientização sobre a
importância de exames preventivos (screenings) e para
angariar fundos para o combate ao câncer de mama.
Resposta da questão 13:
[D]
Segundo o texto, as mulheres de 40 anos ou mais são
aconselhadas pela ACS a realizarem mamografias e exames
clínicos todos os anos. Além disso, as mulheres mais jovens
também devem realizar exames periódicos.
Resposta da questão 14:
[A]
Página 25 de 31
On Sept. 17, 2011, the group began a loosely organized
protest in New York's financial district, […].
Em 17 de setembro de 2011, o grupo começou um protesto
amplamente organizado no distrito financeiro de Nova
Iorque, [...]. (tradução livre)
Resposta da questão 15:
[E]
[…] Facebook has emerged victorious. And it’s becoming
more popular in Armenia, Georgia, and the Netherlands […].
[...] and Argentina's own favourites, Borges and Sabato, […].
[...] e os favoritos da própria Argentina, Borges e Sabato,
[...]. (tradução livre)
Resposta da questão 23:
[B]
The United Nations has designated the city (Buenos Aires) as
the 2011 World Book Capital.
As Nações Unidas nomearam a cidade (Buenos Aires) como a
capital do livro de 2011. (tradução livre)
[...] O Facebook tornou-s e vitorioso. E está ficando mais
popular na Armênia, Geórgia e na Holanda [...]. (tradução
livre)
Resposta da questão 24:
[C]
Resposta da questão 16:
[C]
Petrobras would not confirm whether the problems with its
website were caused by an attack.
[...] David M. Kennedy went to Boston […] to study violent
crime.
A Petrobrás não confirma se os problemas com seu website
foram causados por um ataque. (de hackers) (tradução livre)
[...] David M. Kennedy foi para Boston […] para estudar
crimes violentos.
Resposta da questão 25:
[B]
Resposta da questão 17:
[A]
A resposta encontra-se no terceiro parágrafo, no seguinte
trecho: The WHO coordinates an umbrella body called the
International Medical Products Anti-Counterfeiting Taskforce
(IMPACT), an industry initiative that issues alerts when it
finds anomalies in the medicine supply chain.
Crime dropped almost overnight, [...].
O crime diminuiu quase de um dia para outro, [...].
Resposta da questão 18:
[D]
O texto mostra que Colette teve de se esforçar muito para
ser aceita entre seus colegas homens. Por esse motivo, ela
não quer arriscar seus anos de dedicação e sua reputação
com um rapaz como Linguini.
Resposta da questão 19:
[E]
A alternativa [E] foi usada de modo coloquial. Sua maneira
formal seria: “Did you get it?”.
Resposta da questão 20:
[E]
A alternativa [E] fala sobre efeitos colaterais associados ao
transplante de medula óssea que podem ser letais. Assim,
não há relação com o novo tratamento contra a leucemia.
Resposta da questão 21:
[A]
Resposta da questão 26:
[C]
A resposta encontra-se no primeiro e no segundo
parágrafos:
1º parágrafo: The World Health Organization (WHO)
estimates that 50 per cent of all medicines sold online are
worthless counterfeits.
2º parágrafo: In Nigeria, 2500 children died in 1995 after
receiving fake meningitis vaccines. In Haiti, Bangladesh and
Nigeria, around 400 people died in 1998 after being given
paracetamol that had been prepared with diethylene glycol –
a solvent used in wallpaper stripper.
Resposta da questão 27:
[B]
A resposta encontra-se no final do segundo parágrafo:
"…The global total is another 150 million by 2013–pushing
the numbers to well beyond two-thirds of households."
Resposta da questão 28:
[B]
O novo tratamento depende de uma única injeção (a single
shot).
A resposta encontra-se no seguinte trecho do terceiro
parágrafo: "... In India, researchers… found that… and less
likely to want a boy rather than a girl."
Resposta da questão 22:
[D]
Resposta da questão 29:
[A]
Página 26 de 31
A resposta encontra-se no 2º parágrafo: The current mayor,
Marcelo Ebrard, has legalised abortion on demand, gay
marriage and gay adoption in his first four years in office. His
latest move, cheered by environmentalists, was a ban on free
plastic shopping bags…
Resposta da questão 35:
[B]
Resposta da questão 30:
[D]
[A] o romance “D. Casmurro” tem narrador em 1ª pessoa,
Bento Santiago, que expressa a convicção profunda de
que a personalidade ardilosa de Capitu se manifestava
já na infância;
[C] não existe ambiguidade na expressão como a fruta
dentro da casca que alude à maneira de ser Capitu,
astuta e manipuladora desde menina;
[D] Bento Santiago tece considerações tendenciosas a ponto
de fazer ressalvas a textos bíblicos para convencer o
leitor sobre os defeitos de personalidade de Capitu e
persuadi-lo da traição incontestável da esposa;
[E] o narrador coloca em evidência a incapacidade de
reconhecer que o sentimento do ciúme é um distúrbio
de personalidade de quem o experimenta, como é
sugerido no texto bíblico.
A frase destacada possui a seguinte tradução: “O Rei Leão
ainda detém o recorde de maior arrecadação da história
entre filmes animados tradicionalmente”. Assim, a
alternativa [D] está correta porque diz que o filme não foi
ultrapassado (surpassed) por outros em sua categoria de
animação.
Resposta da questão 31:
[B]
A orientação das setas que interligam os quadros sugere
uma sucessão de ações do personagem marcadas pela
rotatividade: “comer, vendo tevê” e ”ver tevê, comendo”.
Assim, é correta a opção [B], pois a situação representada
revela um comportamento sistemático caracterizado por
associar o momento das refeições a ver televisão.
Resposta da questão 32:
[D]
Apenas a [D] é correta, pois os termos “twitter” e “hashtag”
fazem parte da linguagem nos meios digitais e limitam a
compreensão da tira em leitores que não são usuários do
microblog. Twitter é uma rede social que permite
aos usuários enviar e receber atualizações pessoais de
outros contatos (em textos de até 140 caracteres,
conhecidos como "tweets"). Hashtags são palavras-chave
antecedidas pelo símbolo "#” que designam o assunto que
está sendo discutindo em tempo real no twitter,
transformando-se em hiperlinks dentro da rede e indexáveis
pelos mecanismos de busca.
Resposta da questão 33:
[A]
É correta a opção [A], pois a expressão adverbial de lugar
deve incluir a preposição “a” na sua composição contraída
com o artigo “a” e o acento grave (“à mesa”), a expressão
“por quê” (preposição + pronome relativo) usa-se no final de
frases que indaguem causa, e “porque” é conjunção
subordinativa que inicia uma oração adverbial causal.
Resposta da questão 34:
[C]
Dá-se o nome de sinestesia à associação de natureza
psicológica de sensações de caráter distinto. Na frase “ Ah,
Scarlett, mulher sinestesia, seu nome tem o som da cor dos
seus lábios: Scarlett, scarlet, escarlate”, a sonoridade do
nome da atriz gera também a sensação de cor “escarlate”,
vermelha,ou seja, estabelece-se uma junção de planos
sensoriais diferentes numa só impressão, como se afirma em
[C].
As opções [A], [C], [D] e [E] são incorretas, pois, ao contrário
do que se afirma em
Resposta da questão 36:
[A]
O provérbio “Eloquência é a arte de aumentar coisas
pequenas” sintetiza a ideia principal do texto de Antônio
Prata que ironicamente exemplifica como se podem usar
determinados mecanismos do discurso para manipular a
mensagem de acordo com os interesses de quem a emite:
“Se, contudo, sou capaz de temperar as frases mais simples
com um molho de obscuridade, com uma calculada pitada
de empulhação, o ouvinte pensará que sei mais do que
revelo: ponto para mim”.
Resposta da questão 37:
[E]
O pronome pessoal oblíquo deve apresentar-se no plural
para concordar com o nome a que se refere: “elas”. Por
exercer função de objeto indireto, o termo adequado é
“lhes”, como se transcreve em [E].
Resposta da questão 38:
[C]
Os argumentos expressos no terceiro parágrafo demonstram
que o autor, para referendar a tese de que a língua deve
obedecer a um conjunto de regras pré-determinado,
compara a normatividade das gramáticas à objetividade da
ciência: “Mas esse vale-tudo é só no campo do idioma, não
se adota nos demais campos do conhecimento”.
Resposta da questão 39:
[B]
Sonho, devaneio provocado pelo uso da imaginação,
emotividade, preferência pelo ambiente noturno, referência
a imagens estelares e subjetividade expressa pelos
pronomes “eu”, “meu”, assim como pelos sujeitos elípticos
de verbos conjugados na primeira pessoa do singular,
caracterizam os poemas de “Via-Láctea” de Olavo Bilac, fiel
aos princípios parnasianos no aspecto formal, mas sensível
Página 27 de 31
aos preceitos do Romantismo no conteúdo. Assim, é correta
a opção [B].
Resposta da questão 47:
[D]
Resposta da questão 40:
[D]
As opções [A], [B], [C] e [E] são incorretas, pois
O pronome relativo “que” pode ser substituído por “os
quais” sem prejuízo de sentido: o país ainda tem 14 milhões
de jovens e adultos os quais não sabem ler e escrever.
Resposta da questão 41:
[D]
Trata-se de uma fábula, narrativa em que os personagens
são animais que apresentam características humanas. O leão
e a raposa representam o poder e a esperteza, e
protagonizam uma curta trama que conduz a uma conclusão
de onde se extrai um ensinamento moral de caráter
instrutivo. Assim, todas são corretas, como se afirma em [D].
[A] o discurso indignado e a ameaça proferida pelo
mercador perante o fato de o escravo ter escolhido o
mesmo prato como a melhor e a pior comida do mundo
demonstra que nem sempre Esopo era tratado com
tolerância;
[B] Esopo é também descrito com características físicas
negativas: “Um escravo corcunda, feio”;
[C] a referência aos pastores gregos serve apenas para
mencionar a habilidade que estes tinham em preparar o
prato;
[D] o caráter contraditório da língua não resulta de
habilidade ou de inépcia para o uso da norma culta, mas
sim das intenções do indivíduo que a utiliza.
Assim, é correta apenas [D].
Resposta da questão 42:
[A]
Resposta da questão 48:
[E]
O fato de a raposa se recusar a entrar depois de perceber
que os rastros de vários animais se dirigiam apenas para o
interior da gruta permitiu-lhe inferir que algo devia ter
impedido o seu retorno, o que evitou que o leão a
devorasse. Assim, a opção [A] expressa a moral depreendida
pela leitura do texto: os homens sensatos, tendo prova dos
perigos, podem prevê-los e evitá-los, como se afirma em [A].
A imagem do escravo, com o pescoço dobrado para frente e
o rosto voltado para baixo, sugere obediência ao mercador
que lhe pedia explicação para a escolha daquela comida. Em
outro momento, ao olhar firmemente o interlocutor que
ameaçava castigá-lo, demonstra segurança relativamente à
opção que tinha feito. Assim, é correta apenas a opção [E].
Resposta da questão 43:
[B]
Resposta da questão 49:
[C]
A opção [B] é a única que conserva o sentido da frase
original e apresenta coesão, correta estrutura sintática e
pontuação adequada.
É correta a opção [C], pois a metalinguagem consiste no ato
de comunicação em que se usa a linguagem para falar sobre
a própria linguagem.
Resposta da questão 44:
[C]
Resposta da questão 50:
[C]
Na primeira ocorrência, o termo “velho”, precedido do
artigo “o”, é substantivo formado por derivação imprópria.
Na segunda, é adjetivo qualificador do substantivo
“velhinho”.
O excerto de Leandro Narloch, autor do polêmico “Guia
politicamente incorreto da história do Brasil”, afirma, muitas
vezes sem citação de fontes, que Lampião punia cruelmente
e de forma indiscriminada, em situações que apenas
contrariavam as suas convicções ou feriam os seus
interesses pessoais. Assim, é correta a opção [C].
Resposta da questão 45:
[A]
Trata-se da figura de estilo que consiste em inverter a ordem
das palavras de duas frases que se opõem (disposição em X).
Resposta da questão 46:
[D]
Ao usar os termos “incertezas”, “celibato” e “moleton” para
metafórica e sinestesicamente caracterizar o mundo
indefinido em que ainda se encontrava enquadrado, o
narrador acrescenta o substantivo concreto (“moleton”) aos
abstratos (“incertezas” e “celibato”), quebrando a estrutura
semântica inicial.
Resposta da questão 51:
[A]
O verbo “recorrer” exige a preposição “a” e o termo
“orientações” admite o artigo definido “as”, ocorrendo
assim a crase na primeira circunstância da frase. O fato de a
palavra “espera” se apresentar antecedida pelo artigo “uma”
não permite a crase da preposição exigida pelo verbo
“sujeitar”. O verbo “desanimar” é transitivo direto e tem
como núcleo do objeto a palavra “maioria”, acompanhada
do seu adjunto “a”.
Resposta da questão 52:
[C]
Página 28 de 31
Na manchete, a forma do verbo viver apresenta-se no
singular, concordando com o termo preposicionado, o que
não acontece em “1% dos objetos roubados foi recuperado”
em que o verbo concorda com a expressão numérica.
Resposta da questão 53:
[B]
No último período do texto, o termo verbal “correspondia”
está incorretamente acompanhado do pronome oblíquo “o”.
Para respeitar as regras de regência verbal exigidas pela
gramática normativa e porque se trata de um verbo
transitivo indireto, o pronome deveria ser substituído por
“lhe”.
Resposta da questão 54:
[A]
Em ambos os casos, o pronome relativo “que” desempenha
a função de sujeito. Na oração “que varia de região para
região”, refere-se ao antecedente “parcela” e em “que se
respalda na impunidade para continuar cometendo seus
crimes”, ao termo “polícia”.
Resposta da questão 55:
[E]
No trecho” Para que o não manifestassem excessivamente,
fazia-se temer pela brutalidade”, o termo sublinhado
desempenha a função de objeto direto, o que acontece
também na frase “Viam de joelhos o Franco, puxavam-lhe os
cabelos”. Em [A], [C] e [D], são objeto indireto, agente da
passiva e objeto indireto, respectivamente, e em [B], sujeito.
Resposta da questão 56:
[A]
A expressão “uma tragédia” é antecedida pela preposição
“por” e serve de complemento à locução verbal “podem ser
afetadas” que se encontra na voz passiva analítica. O acento
grave em “à TV” indica a presença da preposição “a”, exigida
pelo verbo transitivo indireto “assistir” quando sinônimo de
“ver”, “presenciar”, configurando assim o objeto indireto da
oração. O segmento “veterano ator nascido em Mali e morto
neste ano” explica quem é “Sotigui Kouyaté”, constituindo
assim o aposto, assim como “de alguma forma” é adjunto
adverbial da locução verbal “ está conectada”.
Resposta da questão 57:
[E]
O adjunto adverbial de tempo “Oportunamente”, em início
de oração, deveria ser seguido de vírgula, o que invalida as
opções b) e d). As conjunções “mas” e “enquanto”, na
medida em que iniciam duas orações, deveriam ser
separadas por vírgula, o que não acontece em a) e c). Assim,
apenas a e) é correta.
Resposta da questão 58:
[B]
Quando o sujeito composto é constituído por sinônimos, o
verbo pode apresentar-se no singular como é o caso da frase
do texto “Nosso Estado e nossa região padece de índices
vergonhosos”, assim como na opção b): “Muita raiva e
indignação dominava seus gestos”.
Resposta da questão 59:
[E]
No trecho “semelhante à de macacos”, fica subentendida a
palavra “anatomia”. No trecho da questão “e”, fica
subentendida a palavra “concentração”.
Resposta da questão 60:
[B]
A única substituição correta seria a 2. Na primeira referência
(ref. 24), a preposição para demanda o uso do pronome
pessoal oblíquo tônico mim. Na terceira referência (ref. 26),
a troca, além de ser responsável pela eliminação da
linguagem regional, gera uma incorreção.
Resposta da questão 61:
[B]
O texto em questão refere-se a um projeto que busca
entender o porquê da comunidade judia asquenazí ter vidas
tão longevas. Alternativa [B], portanto.
Resposta da questão 62:
[A]
De acordo com o texto, os pesquisadores do projeto
afirmam que: “Entre los hombres, 24% de los ancianos
consumían alcohol todos los días, mientras que en la
población general la cifra era de 22%.
Y sólo 43% de los hombres centenarios dijeron llevar a cabo
con regularidad actividad física de intensidad moderada,
comparado con 57% de los hombres de la población
general.”
Resposta da questão 63:
[D]
De acordo com o texto, os participantes da Pesquisa
Nacional de Saúde e Nutrição dos Estados Unidos eram:
4
“ Los científicos compararon esa información con los datos
de 3.164 individuos de la población general que habían
nacido en la misma época que los centenarios y que
participaban en el Sondeo Nacional de Salud y Nutrición de
Estados Unidos.” Como o texto trata de indivíduos, podemos
dizer que se trata de homens e mulheres com idades
similares. Alternativa [D], portanto.
Resposta da questão 64:
[A]
De acordo com o texto, aqueles que possuem genes de
longevidade adicionais que os ajudam a se protegerem dos
efeitos de um estilo de vida pouco sadio são: “En estudios
previos de nuestros centenarios, identificamos variantes
genéticas que ejercen efectos fisiológicos particulares, como
provocar niveles significativamente elevados de colesterol
Página 29 de 31
HDL (el colesterol “bueno”), afirma el doctor Nir Barzilai,
quien dirigió el estudio.
“Este estudio sugiere que los centenarios quizás poseen
genes de longevidad adicionales que los ayudan a protegerse
de los efectos de un estilo de vida poco sano” agrega.”. Os
centenários, portanto, como aponta a alternativa [A].
Resposta da questão 65:
[E]
A alternativa que melhor resume a ideia central do texto é a
que consta da alternativa [E], que aponta que pesquisas
indicam que determinados grupos humanos são mais
longevos, devido a sua genética, o que não anula a
necessidade de um estilo de vida saudável para a maioria da
população.
Resposta da questão 71:
[A]
A primeira alternativa está correta, já que no texto se
informa que o House swapping é uma forma de hospedagem
que está se ampliando muito; a segunda alternativa também
é verdadeira, já que esse tipo de intercâmbio permite
conhecer lugares, fazendo-se permutas de casas e, inclusive,
de carros. A terceira alternativa é falsa, uma vez que a
4
procura pelo serviço on line “se llevaron a cabo en todo el
mundo, de Copenhague a Costa Rica y de Alaska a
Sudáfrica.”, isto é, praticamente no mundo inteiro.
Alternativa correta, [A], portanto.
Resposta da questão 72:
[E]
O estudo baseou-se na comparação dos judeus asquenazí e
pessoas da população em geral de idade similar, como
aponta a alternativa [A].
A alternativa correta é a [E], já que o intercâmbio passa a ser
mais real que uma simples viagem turística, e o swapper
pode usufruir da casa e também do automóvel das pessoas
que oferecem suas casas, isto é, a essência do house
swapping é se sentir como em casa em qualquer lugar do
mundo.
Resposta da questão 67:
[E]
Resposta da questão 73:
[A]
Vejamos a estrutura em sua forma completa: “(…) la gente
1
con una longevidad excepcional no había llevado a cabo un
estilo de vida más sano en términos de su IMC, tabaquismo
(…)”.
Essa expressão pode ser substituída por “no había tenido”.
Alternativa [E], portanto.
De acordo com o texto: “(...) y algunas de estas
11
organizaciones han estado funcionando por casi veinte
años, cuando el sistema era por catálogos impresos (…)”,
indica que a alternativa [A] é a correta.
Resposta da questão 66:
[A]
Resposta da questão 68:
[C]
Uma pessoa longeva significa uma pessoa de muita idade.
Dessa maneira, podemos substituir o significado de
“longeva” por “saludable”.
Observação: O adjetivo “longeva” não pode ser substituído,
exatamente, por “saludable”, como sugere o gabarito oficial.
Seria o termo mais próximo, mas não necessariamente
aquele que pode ser trocado sem mudança de sentido.
Resposta da questão 69:
[B]
No texto se informa que: “(…) algunos swappers permutan
su casa por otra en el mismo período, otros solo lo hacen
con su segunda residencia, o reciben visitantes en la
habitación de invitados”. Tal passagem faz justificar a
alternativa [B] como correta.
Resposta da questão 70:
[B]
Segundo o texto, é correto afirmar que: “Lo importante es
buscar un trueque donde ambas partes queden satisfechas,
y por esto, muchos sitios de contacto como el popular
www.homeexchange.com – el más extenso a nivel mundial,
con unos 30.000 asociados”; tal como indica a letra [B].
Resposta da questão 74:
[C]
De acordo com o texto, a única alternativa correta é a que
aponta as conclusões da investigação da Universidade de
Leeds, no Reino Unido, sobre a possibilidade de grave
impacto na saúde mental – a causa da depressão, por
exemplo –, dentre os viciados no uso da Internet. Alternativa
[C], portanto.
Resposta da questão 75:
[A]
A única alternativa correta que aceita o sinônimo do
vocábulo “adictos” é “viciados”; alternativa [A], portanto.
Resposta da questão 76:
[A]
De acordo com o terceiro parágrafo: “Las estadísticas dicen
que la gente que cree que con la homosexualidad se nace es
más proclive a ser comprensiva con los derechos de los gays
que los que creen que es una elección a posteriori.”.
Alternativa [A], portanto.
Resposta da questão 77:
[A]
A alternativa [A] responde o que está na seguinte passagem:
“Que en la oveja se repite casi el mismo porcentaje gay que
Página 30 de 31
en el mundo de los humanos. Un 8% del rebaño. Eso ya lo
sabían los ovejeros antes que los científicos.”
Resposta da questão 78:
[E]
No segundo parágrafo do texto, afirma-se que os cientistas
descobriram “(...) que es en los tres primeros meses de
gestación cuando el feto animal genera diferencias
sexuales.”. Alternativa [E], portanto.
Resposta da questão 79:
[E]
A última fala do senhor com pijama solicita, indiretamente,
um pedido ao seu vizinho, Condorito, para que abaixe o som
do televisor. Alternativa [E], portanto.
Resposta da questão 80:
[C]
Os personagens usam a seguinte forma verbal: “Abra, por
favor”. “Oiga, es medianoche”. “Qué le parece si
pagamos...”, o que indica que estão usando o discurso
formal, ou seja, “usted”, tal como aponta a alternativa [C].
Vejamos o trecho em destaque e como segue o texto: “No
todas las personas que dicen sentirse acosadas lo están. Hay
que distinguir el acoso moral del estrés o de la presión del
trabajo, del conflicto abierto o de la desavenencia”. A
alternativa que responde corretamente é a [B], portanto.
Resposta da questão 86:
[C]
De acordo com o texto, os novos métodos de gestão
empresarial: “(...) aíslan cada vez más el trabajo del
individuo (...)”. Alternativa [C], portanto.
Resposta da questão 87:
[D]
A informação dada por Marie-France, segundo o texto, é: “A
partir de fuentes propias, informa que estos
comportamientos destructores tienen consecuencias
graves sobre la salud de los asalariados (...)”. Tal como
aponta a alternativa [D].
Resposta da questão 88:
[C]
Resposta da questão 81:
[B]
No fragmento em destaque, “sin embargo” dá ideia de
“adversidade”, como aponta a alternativa [C]. É uma locução
conjuntiva adversativa.
As estruturas que abrem o texto carregam conteúdos
metafóricos, tal como aponta a alternativa [B].
Resposta da questão 89:
[A]
Resposta da questão 82:
[A]
Tal como afirma a alternativa [A], o assédio moral no
trabalho, define-se como “(...) lo resume en que el acoso
moral es una violencia en pequeñas dosis, que no se
advierte y que, sin embargo, es muy destructiva”.
No início do texto se aponta que a crise que afeta a Europa
justifica, naquele continente, a redução do orçamento
destinado à cultura, como observamos em: “Mientras la
crisis del Viejo Continente obliga a sus Gobiernos a mandar
su cuota de prestigio cultural al aparcamiento de los
presupuestos, (...)”.
Resposta da questão 90:
[E]
A alternativa que corretamente traduz o trecho em
destaque é aquela apontada na alternativa [E].
Resposta da questão 83:
[D]
No segundo parágrafo, o autor trata, sobre a cultura, o
seguinte: “En medio de una crisis de la que América Latina
parece estar a salvo, la constante invocación a la cultura
tiene que ser también una forma de exorcizar el fantasma
del control económico.” Ou seja, indica-se que esta deve
estar distanciada da submissão da economia.
Resposta da questão 84:
[C]
Conforme a opinião de Emir Sader acerca das letras
contemporâneas, a literatura dos países mais desenvolvidos
recebe um aporte de autores de origem periférico.
Alternativa [C], portanto.
Resposta da questão 85:
[B]
Página 31 de 31

Documentos relacionados

Prova - Unitau

Prova - Unitau pautada na crítica ao descobrimento do Brasil. II. A menção ao filme O Exterminador do Futuro permite afirmar que se trata de uma crítica fílmica. III. Pelo tom humorístico e crítico e pelo tema ab...

Leia mais