Geoff Price - Integrare Editora

Сomentários

Transcrição

Geoff Price - Integrare Editora
Geoff Price
Puberdade
Geoff Price
Puberdade
Prefácio: Dr. Jairo B0uer
DEDICATÓRIA
A meu pai, Allan, por sua generosidade em tantos campos,
e a minha mãe, Marion, pelo cuidado, com profunda gratidão.
Título original: Puberty Boy
Copyright do texto © Geoff Price, 2005
Copyright do projeto gráfico © CKSD concept & design, 2005
Copyright da edição brasileira © Integrare Editora, 2008
Não é permitida a reprodução do conteúdo desta obra,
ainda que parcial, sem a autorização por escrito da editora.
Publisher: Maurício Machado
Assistente editorial: Luciana M. Tiba
COORDENAÇÃO EDITORIAL: Estúdio Sabiá
Edição: Capitu Escobar de Assis
Tradução: Marina Petroff Garcia
Revisão da tradução: Áurea Akemi Arata
Preparação de texto: Maria da Anunciação Rodrigues
Revisão: Célia Regina Rodrigues de Lima e Paola Morsello
Editoração eletrônica: Pólen Editorial
EDIÇÃO ORIGINAL: Allen & Unwin (Austrália)
Fotos: Katrina Crook
Ilustrações: Jan Garben
Vinhetas: Sam Young
Agradecemos à SYDNEY INDOOR CLIMBING GYM
Fotografias adicionais de Giacomo Bianchina: páginas 11, 57, 70 e 84, e Luke Todaro: página 117
Alguns dos grafites que aparecem na fotografia são trabalhos da K-Agent and Gonzo
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Price, Geoff
Puberdade : só para garotos / Geoff Price ;
[tradução Marina Petroff Garcia]. -- São Paulo :
Integrare Editora, 2008.
Título original: Puberty boy
ISBN 978-85-99362-17-4
1. Adolescentes (Meninos) - Crescimento
2. Adolescentes (Meninos) - Saúde e higiene
3. Puberdade I. Título.
08-00788
CDD-612.66108351
Índices para catálogo sistemático:
1. Puberdade masculina : Fisiologia humana 612.66108351
Todos os direitos reservados à INTEGRARE EDITORA LTDA.
Rua Tabapuã, 1123, 7 0. andar, conj. 71/74
CEP 04533-014 – São Paulo – SP – Brasil
Tel.: (55) (11) 3562-8590
www.integrareeditora.com.br
SUMÁRIO
CAPÍTULO 1 Garoto, bem-vindo à puberdade! 6
CAPÍTULO 2 O que é a puberdade e quando ocorre? 10
CAPÍTULO 3 Mudanças por todos os lados 20
CAPÍTULO 4 Explore o seu corpo 32
CAPÍTULO 5 As garotas também estão mudando 54
CAPÍTULO 6 O corpo sob o seu comando 58
CAPÍTULO 7 A conscientização da sexualidade 60
CAPÍTULO 8 Saúde... apenas uma questão de atitude 68
CAPÍTULO 9 Seu corpo... a sua medida ou a dos outros? 78
CAPÍTULO 10 A guinada: do raciocínio de garoto para o de adulto 80
CAPÍTULO 11 Ajuda não é = fraqueza 100
CAPÍTULO 12 Desenvolva a inteligência emocional 104
CAPÍTULO 13 Dicas para um bom relacionamento com as garotas 112
CAPÍTULO 14 Lutar, fugir... haverá outra alternativa? 118
Glossário 125
Recursos úteis 127
Índice 128
Capítulo 1
Garoto, bem-vindo à
PUBERDADE!
PP
u bue b
r dea d
r et –y S óB p
o ayr a g a r o t o s
Ainda me lembro de certo dia, quando tinha 10 anos, em que estava
andando para casa com dois amigos da escola. Eles conversavam sobre
sexo, de onde vinham os bebês, ereções e coisas do tipo. Surpreso, percebi
que não sabia nada do assunto e me recordo de ter pensado: “Contem
mais, contem mais!”. Não fiquei falando muito para que não percebessem, mas estava morto de curiosidade.
Algum tempo depois, minha mãe comentou que haveria uma noite
dedicada a “pai e filho” na prefeitura e que eu iria com meu pai. Pensei:
“Espere sentada!”, mas não houve escapatória e, assim, lá estava eu, todo
sem graça, sentado ao lado de meu pai, escutando uma senhora idosa, de
cabelo azulado, empolgada com slides de galinhas, galos, ovos e pintinhos. A idéia era que a partir daí concluíssemos o que ocorria com as
pessoas. Não houve menção alguma a ereções, pênis, espinhas, pêlos
púbicos, masturbação, sêmen, testículos e todos os outros assuntos tão
apetitosos sobre os quais eu tanto queria saber. Nós, garotos, fomos
mantidos na ignorância.
Mesmo hoje em dia, pais e professores às vezes ainda se constrangem
em falar sobre assuntos relacionados à puberdade ou, simplesmente,
nem tocam em alguns assuntos proibidos. Se você espera que os colegas
de escola lhe contem tudo, saiba que podem lhe passar informações
erradas e confundi-lo.
Então direi logo: não vou enrolar neste livro, nem falar sobre galinhas
e ovos. Haverá informações precisas sobre o corpo e a puberdade,
necessárias para conduzi-lo do estágio de garoto até se tornar um
homem. Acredite, há muito mais além das transformações do corpo!
Aí você pergunta: por que devo ler sobre a puberdade? Porque é uma
das coisas mais importantes e interessantes que poderia fazer. E, para
isso, não vai precisar pesquisar trilhões de páginas sem graça. Ao longo
deste livro, incluí histórias reais da puberdade de homens [man]e meninos [boy], o que facilitará a leitura. Há ainda um glossário no final do
livro com o significado de todas as palavras novas que usei, e que estão
em negrito no texto, para que possa rapidamente checar seu sentido.
7
P u b e r d a d e P –uS bó ep ar rta yg a B
r oot oys
Histórias reais da puberdade, contadas por
garotos e homens
Levei centenas de garotos na puberdade com seus pais a acampamentos.
Os meninos dizem que querem ouvir os homens falar sobre a puberdade, sobre os momentos alegres, engraçados e difíceis, exatamente
como aconteceram. Então pedi a garotos na puberdade, adolescentes
mais velhos, jovens e homens mais velhos que dessem as boas-vindas
a você entre os homens compartilhando honestamente suas histórias.
As histórias de garotos na puberdade terão este símbolo
, enquanto
as dos adultos terão este outro
.
Gostaria que meu pai tivesse discutido comigo as mudanças físicas e emocionais que
enfrentaria durante a puberdade. Não consigo me lembrar de nenhuma conversa, e, se aprendi
algo na época, foi com outros garotos. Aos 12 anos, tivemos uma palestra na escola sobre
sexo. Lembro-me de uma mulher falando sobre camisas-de-vênus, que agora chamamos de
camisinhas, e de ela mostrando uma e a classe inteira rindo sem parar…
Essas histórias o ajudarão a ver as coisas por um outro ângulo, a
pensar e agir de maneira diferente, adulta. Elas o ajudarão também a
perceber melhor as coisas, a desenvolver novos potenciais, a fazer
escolhas melhores, a aumentar sua capacidade pessoal e enfrentar os
desafios. A idéia é que, ao terminar o Puberdade: Só para garotos, você se
conheça melhor por dentro e por fora.
8
A boa notícia é que você não é o primeiro a enfrentar os desafios da
puberdade. Durante milhares de anos, em todas as culturas, garotos na
puberdade foram orientados pelos mais experientes nas comunidades,
que lhes passaram o conhecimento sobre a puberdade e sobre como ser
homem. A iniciação nada mais é do que isto: a passagem do
conhecimento necessário a um garoto nesse estágio, e é também o
assunto deste livro, o conhecimento necessário para entender e
aproveitar essa fase de desenvolvimento em sua vida.
Nascemos garotos, nos fazemos homens! Uma idade adulta
masculina saudável não ocorre por acaso. A mensagem de
Puberdade: Só para garotos é que é possível escolher que tipo de
homem você vai se tornar.
Acredite ou não, os adultos tiveram de passar pela puberdade. Sim,
você ouviu muito bem! Todo adulto neste planeta teve de passar pela
puberdade, pelas espinhas e dores de crescimento. A conversa com os
adultos é a melhor maneira de obter mais informações sobre os
problemas que enfrentamos e decidir que tipo de garoto na puberdade,
e mais tarde adulto, queremos ser. Se puder falar com seu pai e sua mãe,
ótimo! Às vezes, eles não estão disponíveis ou não é fácil conversar com
eles. Então, é melhor procurar irmãos mais velhos, tios, pessoas em
quem você confia, avôs, outros parentes, professores, orientadores
ou conselheiros. É preciso mais coragem para perguntar e
conversar a respeito de seus problemas do que para se calar
ou deixá-los de lado.
Puberdade: Só para garotos é para ser lido antes, durante
e depois da puberdade. Algumas coisas podem ser difíceis
de entender agora, mas, daqui a pouco, podem ser exatamente o que você precisa saber: é o seu corpo, a sua vida;
portanto, vamos à descoberta...
PP
u bue b
r dea d
r et –y S óB p
o ayr a g a r o t o s
Nascemos garotos, nos fazemos homens!
9
Capítulo 2
O que é a
PUBERDADE
e quando ocorre?
PP
u bue b
r dea d
r et –y S óB p
o ayr a g a r o t o s
Parabéns! Você já conseguiu realizar coisas surpreendentes desde que era
um bebê! Todo aquele crescimento e aprendizado da infância... e aí chega
a puberdade! A palavra tem origem latina e é o período em que garotos e
garotas se tornam sexual e fisicamente maduros para se reproduzir. Para
nós, do sexo masculino, significa ser capaz de se tornar pai.
A puberdade é a época de crescimento e mudança maiores e mais
rápidos em nossa vida, com exceção de quando éramos bebês. No
entanto, não é apenas o momento de grandes alterações no corpo, é
também quando ocorre a mudança no pensar, de menino a jovem
adulto, quando acontece a ruptura com a infância, que leva à
adolescência... É quando não se é mais criança e tampouco se é adulto. É
a época dos desafios!
Sabe de uma coisa? Os dois grandes desafios da puberdade são os
que você já vem enfrentando com sucesso desde pequeno: tornar-se
mais independente e mais responsável. Então, você já provou que
consegue! Apenas agora, na puberdade, é preciso subir mais um degrau,
o de um homem jovem, e não de um garoto.
Independência significa pensar e agir de forma mais autônoma,
dependendo mais de si mesmo e menos dos pais ou de outras
pessoas. Por exemplo, lavar as próprias roupas.
Responsabilidade (a resposta-habilidade, ou habilidade de responder) é
a capacidade de pensar, agir e responder por si próprio, de ter o poder
de comando, de tomar conta de si mesmo, como homem. É tomar as
próprias decisões, após reflexão, e então agir de acordo com elas.
A puberdade tem a ver com todas aquelas mudanças em seu corpo e no de seus amigos.
Acho que viver significa divertir-se e fazer algo de bom. Passei por muitas fases, de modismos
e passatempos, mantenho ainda alguns, outros não. Passei por uma fase muito maluca em
que gostava de matar formigas... e uma outra em que era louco por criar peixes em aquários.
11
P u b e r d a d e P –uS bó ep ar rta yg a B
r oot oys
Driiiimmmm! É o seu alarme interno disparando
Então, quando é que tudo começa? Você fica parado, sentado, esperando
que o pêlo no peito comece a crescer? Bom, não é bem assim, mas quase!
Por volta dos 11 aos 12 anos, você vai começar a notar mudanças no corpo.
Elas começam um pouco mais tarde do que nas meninas – os meninos
amadurecem mais devagar e com menos uniformidade. Em alguns, o processo se inicia antes dos 11, em outros depois dos 12. Somos todos diferentes;
portanto, seu início será diferente do dos outros. Lembre-se: não há ninguém igual a você, e por isso não existe um momento certo. Em alguns, a
mudança corporal ocorre ao longo de um ano; em outros, durante seis anos;
assim, você vai notar que alguns amigos continuam baixos, enquanto outros ficam altos de repente. Durante a puberdade, o corpo começa a crescer
mais rápido do que em qualquer outro período, a não ser no primeiro ano
de vida – com a diferença de que agora você tem de se alimentar e se vestir
sozinho. O corpo vai mudar de forma e crescer de maneira especial, no que
diz respeito às características sexuais. Você vai ver, sentir e experimentar mudanças que poderão ser empolgantes, extraordinárias, bem-vindas, constrangedoras, confusas, maravilhosas, assustadoras e muito mais do que isso.
O corpo é surpreendente e maravilhoso. Sabe a hora e o ritmo certos
para as mudanças.
A testosterona dá início às mudanças
Quando chega a hora certa, o cérebro manda sinais aos testículos, as fábricas que ficam no escroto (também conhecido como saco – mais adiante
falaremos sobre ele), as quais produzem as substâncias químicas
chamadas hormônios, que provocam as mudanças que ocorrem em você.
A testosterona (algo fantástico!) é o principal combustível hormonal
do foguete que pode levar a uma viagem fantástica e mudar tudo: o
corpo, o cabelo, a voz, até o pênis. Lembre-se, isso acontece com todos,
neste mundo. Todos os caras que você conhece, não importa se velhos ou
jovens, tiveram de passar pela puberdade. Não há como crescer sem ela.
12
P u b e r d a d e P –uS bó ep ar rta yg a B
r oot oys
Sua tabela da puberdade
A puberdade começa e continua devido à atuação dos hormônios. Assim,
o que consumimos, o que ingerimos, o que ocorre com as emoções, os
amigos e a vida familiar – tudo isso também afeta o início e a duração da
puberdade. As mudanças podem ser muito rápidas ou vagarosas. Por
vezes, você vai sentir que nada muda (como quando aquela espinha
apareceu e continuou no mesmo lugar durante um mês); outras vezes,
vai notar estirões de crescimento (quando chegou à escola e percebeu
que seu melhor amigo de repente ficou mais alto que você!).
Início e final dos estirões de crescimento e mudanças nos
garotos na puberdade:
Idade
Testículos e escroto
Pêlos púbicos
Pênis
Mãos, pés, orelhas
Altura, parte superior
do corpo
Voz
Pêlos das axilas e da face
10
11
x
x
x
12
x
x
x
x
13
x
x
x
x
14
x
x
x
x
15
x
16
x
x
x
x
x
x
x
x
x
x
x
x
x
x
x
x
17
18
x
x
x
x
x
(Os estágios de desenvolvimento da tabela e as informações deste livro devem servir apenas como
diretrizes. Cada indivíduo é único e se desenvolverá em seu próprio ritmo e a seu tempo.)
A puberdade é a mudança do corpo, da aparência física; é ter espinhas e coisas
assim. É querer cuidar mais
da aparência e se importar
mais com as roupas que se
usa. É querer estar bem, para impressionar as garotas…
14
Alguns garotos na puberdade podem começar a comparar o próprio
corpo com o de amigos ou colegas da escola e se preocupar com as
diferenças que observam.
As três razões mais comuns para preocupação entre os garotos na
puberdade são:
a altura;
a ausência de pêlos pubianos, em comparação com os garotos
precoces, que já os têm;
o fato de seu pênis ser menor que o dos outros.
A última razão pesa. Mesmo homens jovens cujo pênis era e é acima da
média também se preocupam com isso! O meu pênis é de tamanho
normal ou é grande o suficiente? Essa é a pergunta mais freqüente que
a maioria dos garotos (e adultos) se faz, e como se preocupam! Você vai
poder ler mais sobre pêlos púbicos e pênis no capítulo 4 deste livro,
a partir da página 32.
Caso o desenvolvimento de seu corpo esteja meio lento ou muito rápido, é bom lembrar que esse ritmo foi herdado, da mesma forma que a
cor dos olhos e dos cabelos. Provavelmente aconteceu a mesma coisa com
seu pai e seu avô, e não há nada que se possa fazer para acelerar o processo, quando sua voz começa a esganiçar, ou para retardá-lo, quando você
fica muito alto. Caso isso o preocupe, uma conversa com seu pai ou avô
viria a calhar. Você ficará surpreso com tudo o que eles podem lhe contar.
Se percebeu que seu desenvolvimento está um pouco mais retardado
que o dos outros, qual você acha que é a preocupação daqueles em quem
as mudanças começaram mais cedo? Isso mesmo! Eles se preocupam
com o problema oposto: que estão altos demais, ou têm pêlos enquanto
ninguém mais os têm, ou desejariam que os pêlos parassem de crescer!
Nossas diferenças são tããããão necessárias! Se fôssemos todos
iguais, pareceríamos um bando de robôs! Um cara que conheço era o
Eu era tão diferente,
o mais magrelo da sala.
Acreditava com todas
as forças que havia uma
boa razão para ser tão
magrelo. Só me senti
melhor quando fiz listas
e mais listas de todas as
partes do meu corpo das
quais realmente gostava
e preguei na parede.
Perguntava aos meus
pais de que parte do meu
corpo eles mais gostavam
e descobri que o que eles
mais amavam eram minhas
longas mãos!
PP
u bue b
r dea d
r et –y S óB p
o ayr a g a r o t o s
O legal é que somos todos diferentes e sem igual!
Você sabia que...
Testículo é o nome médico
adequado de cada uma de
suas bolas, e é a maneira
pela qual as chamarei
neste livro.
15
Acho que a puberdade é um monte de
coisas, mudanças químicas que provocam
mudanças físicas e mentais, todo tipo de
coisas. Os pêlos crescem em diferentes
partes do corpo além da cabeça, a voz
fica esquisita, há a testosterona... mais
agressividade... Dá aquela vontade de brigar.
Quando as pessoas fazem comentários
sobre meu corpo, posso ficar magoado ou
sem jeito... O que aprendi é que posso estar
entendendo errado. Então, preciso saber o
que querem dizer de verdade. De qualquer
modo, um homem saudável deve ter orgulho
de si mesmo e do seu corpo do jeito que é.
Não deve jamais sentir vergonha de seu
próprio corpo.
1. As diferenças tendem a diminuir até o final da puberdade.
2. Lembre-se de que o que os outros pensam a seu respeito é problema
deles, não seu.
3. Você pode escolher entre se ver de modo positivo ou negativo.
4. Faça uma lista de suas qualidades positivas. Grude na parede e leia
diariamente.
5. Pare de se comparar e de competir com os outros. Aceite-se do modo
que é, essa pessoa maravilhosa.
6. Suas qualidades e personalidade são mais importantes para os
outros do que a sua aparência.
As diferenças diminuem
Não importa se você começa ou termina antes. No final das contas, todos
chegam lá, e quando estiver com uns 16 ou 17 anos você terá passado
pela maior parte do processo de crescimento e desenvolvimento. Sei que
Num ano, só um garoto
tinha pêlos púbicos. Ele
tinha pêlos no corpo inteiro:
nas axilas, nas pernas, em
toda parte. No ano seguinte,
tudo mudou. Havia montes
de pêlos em todos, e alguns
tinham um pinto que fazia
a maioria dos garotos mais
magrinhos, como eu, se
sentir mal, e eles gozavam
de nós. Lembro-me de um
cara que não tirava a cueca
por nada na frente dos
outros, chegava a tomar
banho com ela, de tão sem
graça que ficava.
PP
u bue b
r dea d
r et –y S óB p
o ayr a g a r o t o s
mais baixinho da turma. Parecia que seria o último a passar pela puberdade. Ele se sentia muito diferente dos outros, e morria de medo de ser o
mais baixinho. A diferença não era tanta aos 12 anos, mas ficou óbvia
demais aos 13 e 14. Mesmo nas peladas, chegou ao cúmulo de ter de jogar
de acordo com o seu peso, no time dos garotos bem mais jovens. Mas,
então, ele percebeu que no tênis de mesa o peso e a altura não faziam
diferença. Chegou a ser o melhor da equipe! Aquilo ajudou bastante.
O mesmo cara me disse mais tarde que se, na época, pudesse perceber que ser baixinho era na verdade uma dádiva, que mais tarde na
vida isso o ajudaria a entender os sentimentos das pessoas que não
correspondem ao padrão comum e a ser mais gentil com elas, aquilo
facilitaria muito as coisas! Talvez essa experiência o auxilie a encontrar
aspectos positivos nas dificuldades que possa ter.
Se estiver preocupado por ser diferente dos outros garotos, pense um
pouco sobre o seguinte:
Meus pêlos púbicos
cresceram bem antes do que
os da maioria da classe. Eu
não sabia a razão e fiquei
preocupado, tentando esconder
dos outros. Agora, ao lembrar
isso, entendo que comecei a
me desenvolver antes, mas na
época só queria ser igual aos
outros, não parecia ser algo
de que pudesse me orgulhar.
A ironia foi que, quando
completei 23 anos, estava
careca, ou seja, fui o primeiro
a ganhar pêlos lá embaixo e a
perder os cabelos lá em cima!
17
P u b e r d a d e P –uS bó ep ar rta yg a B
r oot oys
parece impossível acreditar nisso agora, quando o que você mais deseja
é ser igual aos colegas (ou seja, aos garotos da mesma idade) e não ser
diferente, mas se você se sente muito baixo ou alto demais, ou se sua voz
estiver muito fina ou muito grossa, lembre-se: é assim que nosso corpo é,
e não existe certo ou errado quanto a isso.
A puberdade é um período em que podemos nos tornar hiperconscientes do corpo. Talvez queiramos ser diferentes ou mais parecidos com uma
outra pessoa. Todos desejamos estar mais perto da média – os altos
querem ser mais baixos, os baixos gostariam de ser mais altos.
Do que você está rindo?
Eu tinha 12 anos e estava descendo uma ladeira de skate tão rápido que o meu coração disparou. Sabia que acabaria me espatifando no chão, como aconteceu. Caí de bunda e continuei descendo, esfolei todo o traseiro no cascalho. Fiquei em carne viva até a coxa, até com pedaços de
cascalho entranhados na carne! Doía tanto que corri chorando para casa, uivando feito cachorro.
Minha mãe me levou até o banheiro, tirou a minha calça e começou a limpar as pedrinhas dos
ferimentos. De repente, ela caiu na risada; perguntei: “Mãe, do que você está rindo?”, e ela respondeu: “Ai, que bonitinho, já está com um pelinho!”. Eu nem sabia que ele existia, foi a minha
mãe que notou primeiro e deu risada. Fiquei tão sem graça! Essa foi a última vez que ela me viu
sem cueca. Depois disso, jamais a deixei entrar novamente no banheiro quando eu estivesse lá.
Já lhe aconteceu algo semelhante com sua mãe, seu irmão ou sua irmã
mais velhos? Eles viram seus pelinhos e deram risada ou algo assim? Nós
nos tornamos tão sensíveis durante a puberdade que ficamos sem graça
à toa. E é ainda mais fácil levar a coisa para o lado pessoal e cair no erro
de acreditar que estão rindo DE NÓS, em vez de rir CONOSCO. Talvez essa
mãe pudesse ter tido um pouco mais de sensibilidade, mas o mais
provável é que estivesse demonstrando a alegria de perceber o primeiro
sinal externo do filho se tornando um homem. A mãe disse que era
bonitinho, mas o garoto não gostou. A mãe se sentiu cúmplice dele, mas
ele a entendeu mal. Por estar tão sensível, a partir daí ele se escondeu
para todo o sempre. Podemos evitar tal armadilha se estivermos atentos.
18
Para mim, a puberdade
é o processo de me tornar
adulto, mas para isso
preciso mudar de muitas
maneiras, como, por
exemplo, amadurecer.
Agora que está deixando de ser criança e a
caminho de se tornar adulto, será que seus
pais já se sentaram alguma vez com você para
conversar sobre aqueles assuntos que deixam
a gente sem graça, como aquelas conversas
sobre sexo? Ou será que eles preferem deixar
que você aprenda nos livros 'educativos' sobre
o assunto que existem nas livrarias ou já estão
em sua casa, como quem não quer nada? Ou,
ainda, será que você não gostaria de saber
mais sobre o que está acontecendo com o seu
corpo, mas não tem coragem de falar sobre o
assunto com seu pai ou sua mãe?
Este livro foi escrito de maneira sincera e
direta, e fala sobre a puberdade dos garotos,
como ela ocorre e as MUDANÇAS pelas quais o
corpo passa. Ele apresenta as transformações
EMOCIONAIS e do modo de pensar, em paralelo com as ALTERAÇÕES FÍSICAS, além de
dar dicas sobre as melhores maneiras de CONVERSAR COM AS GAROTAS ! Nessa fase do
cres cimento, uma REVO LUÇÃO está acontecendo na mente dos garotos, e Geoff Price
“ensina o caminho das pedras” para lidar com
tudo isso e ainda curtir a situação. Além disso,
nas páginas deste livro, homens e garotos
reais compartilham suas histórias a respeito
da puberdade.
PUBERDADE : SÓ PARA GAROTOS
explica de maneira especial, viva, com bom
senso, os estágios pelos quais os garotos passam a caminho de se tornar homens adultos.
Ser possível “escolher que tipo de homem cada
garoto vai se tornar” é a mensagem do livro, que
coincide com um dos objetivos da nossa entidade:
o de oferecer uma oportunidade para que meninos
se transformem em homens de bem. Doar parte da
renda obtida com esta publicação é um ato de
solidariedade que certamente nos ajudará na
continuidade do trabalho desenvolvido.
Geoff Price dirige há mais de 10 anos, na Austrália,
os acampamentos Pathways to Manhood (Caminhos
para Ser um Homem Adulto) – nos quais auxilia
meninos a realizar a desafiadora transição para a
adolescência e a fase adulta da forma mais saudável.
Geoff também trabalha como analista, terapeuta e
mediador de grupos em seu consultório, em Sydney.
É fundador e vice-presidente da NSW Men's Health
and Wellbeing Association (Associação de Nova
Gales do Sul para o Bem-Estar e a Saúde do Homem)
e se dedica com muito empenho a promover a saúde
e o bem-estar entre meninos, rapazes e homens.
Clóvis A. Selegatto
Diretor Executivo
ONG Cidade dos Meninos
www.cidadedosmeninos-sp.org.brrrr
Ao adquirir esta obra você apóia a ONG
ISBN 978-85-99362-17-4
9 788599 362174

Documentos relacionados