Ebook S3Commerce - Quanto Custa Montar um E

Сomentários

Transcrição

Ebook S3Commerce - Quanto Custa Montar um E
QUANTO CUSTA
MONTAR O SEU
E-COMMERCE?
2.0
ÍNDICE
Conheça a S3Commerce
3
Introdução
4
Quanto custa montar um e-commerce?
5
Quanto custa um Plano de Negócio?
6
Design bom é design caro?
7
Escolha os profissionais certos para não perder tempo e dinheiro
8
A importância de um endereço online
9
Ferramentas gratuitas para alavancar seu E-commerce
10
Os resultados do investimento no E-commerce
11
Conclusões
12
02
A S3Commerce é uma empresa que oferece a plataforma para criação de lojas virtuais,
com o respaldo de serviços exclusivos e personalizados, criados por quem entende do
assunto. A companhia é nova, portanto, seus colaboradores já se atentaram às opções
existentes no mercado e propõem iniciativas modernas e diferenciadas, que se encaixam às expectativas de cada cliente.
Para quem quer vender na internet, a S3Commerce oferece consultoria especializada
em ecommerce, layout e plataforma exclusivos e congruentes com a identidade da loja,
robustez aliada à facilidade de manutenção, suporte para mobile commerce com apps
para iOS e Android, emissão de nota fiscal eletrônica diretamente na plataforma e estrutura técnica especializada.
Além disso, há possibilidade de integração com diversos serviços da web, tais como
interfaces de programação de aplicativos (APIs), sistemas de gestão empresarial (ERPs)
e de relacionamento com o cliente (CRMs), Google Analytics e redes sociais.
Alguns serviços, inclusive, são diferenciais da S3Commerce e servem para o planejamento de estratégias de marketing e vendas futuras da loja. A companhia fornece módulos para gerenciar promoções de produtos com mais eficiência: dezenas de relatórios e
gráficos que auxiliam na campanha de divulgação e gerência de carrinhos abandonados, por exemplo, que analisa a propensão de consumo dos internautas que visitam o
portal de ecommerce.
Ao escolher a S3Commerce para ajudar na administração da sua loja online, você será
capaz de fornecer mais vantagens para seus clientes também, com opções de cálculo
automático do frete, integração com o site dos Correios, diversas possibilidades de
pagamento e organização total dos pedidos e dúvidas dos consumidores para que você
os atenda em tempo hábil na plataforma.
03
Introdução
Atualmente os consumidores procuram métodos de compra cada vez mais autonômos.
Além de poderem comprar da sala de casa, com tantas informações disponíveis sobre
produtos e serviços na internet, a figura do vendedor já não é fundamental.
O consumidor está cada vez mais exigente e seguro do que quer, e, por isso, quando
opta por uma compra pela internet vai direto ao ponto. As condições facilitadas
também seduzem o consumidor, que efetua sua compra de maneira rápida e no momento que desejar.
Nos últimos 12 anos, o número de consumidores do
e-commerce passou de 1 milhão em 2001 para 51,3 milhões em 2013, sendo que são mais de 80 milhões de
internautas no Brasil. A ascensão das classes C e D foi
responsável por um importante incremento das vendas
online, que colocaram o país entre os cinco países em
que mais se faz compras pela internet.
Mas, se o mercado é tão bom, porque algumas empresas pensam demais na hora de
decidir montar um e-commerce? Certamente por medo e falta de informação. Provavelmente pensam que é algo extremamente complexo ou é apenas para grandes empresas como a Amazon ou o Walmart. Estão totalmente enganadas.
Qualquer empreendedor pode montar um e-commerce seguindo algumas premissas
básicas relacionadas ao planejamento, organização e à gestão do modelo de negócios.
E o preço? Pode variar muito de acordo com o produto ou serviço a ser comercializado,
mas com certeza não são valores que inviabilizarão a estratégia, até porque, depois de
montada, a loja virtual pode ser bastante rentável. Pronto para vencer a barreira da dificuldade que ainda cerca as vendas online? Então, mãos à obra!
04
?
Quanto custa
montar um
e-commerce
Não é possível delimitar um único valor, mas é possível estimar alguns que apontarão
um norte. De acordo com Dailton Felipini, professor de comércio eletrônico na Universidade Mackenzie (SP), existem diversas faixas de preço de acordo com as funções disponibilizadas por determinada loja virtual.
Existem soluções básicas com um investimento de aproximadamente R$2,5 mil e cerca
de R$60 ao mês para hospedagem, ou até mesmo uma de plano intermediário, com
uma aplicação de R$4,5 Mil e cerca de R$350 ou R$400 por mês para hospedagem,
em valores, é importante ficar atento a alguns itens do planejamento:
Se a empresa já existir no mercado comum, é preciso definir o posicionamento da empresa no mercado, verificar os concorrentes e estudar o perfil do cliente. Esse estudo
deve apontar quais concorrentes já têm e-commerce e se os clientes da loja física têm
abertura para a modalidade.
Listar os possíveis novos fornecedores também é importante. Se a empresa não existir
ainda, é preciso fazer todos os registros convencionais que evolvem a abertura de uma
empresa: registro na Junta Comercial do município, escolha de endereço e contatos
comerciais.
Disponibilize canais diretos de comunicação com o consumidor, para que eles consigam esclarecer dúvidas de forma rápida e fácil. Pode ser um e-mail ligado ao SAC,
canais nas mídias sociais e/ou telefone.
Tenha um site com o máximo de informações possíveis sobre os produtos e serviços.
Ele deve ter um visual limpo, funcional e responsivo (adaptável a qualquer tamanho de
tela). Esse é o canal que substitui o papel do vendedor, por isso deve ser completo, mas
objetivo.
05
Quanto custa um
plano de negócio?
Muitos empreendedores, quando pensam em construir o Plano de Negócios, logo se
perguntam quanto esse serviço vai custar. A verdade é que nenhuma empresa é tão
especializada na construção do Plano quanto os donos da própria empresa.
Ninguém conhece melhor o negócio do que o próprio fundador ou dirigentes. Eles
saberão registrar a essência da empresa, listar objetivos e direcionar o caminho que a
empresa quer trilhar.
Um Plano de negócios deve ter: sumário executivo, com as principais informações do
empreendimento, incluindo o enquadramento tributário e o capital social investido;
análise de mercado; plano de marketing; plano operacional; plano financeiro; construção de cenários; avaliação estratégica e a avaliação do Plano de Negócios.
Algumas empresas oferecem serviço de consultoria que ajudarão o empresário a
montar o documento. Geralmente, esses serviços são cobrados por hora, que podem
variar de R$80 a R$300 a hora, por isso é importante fazer uma pesquisa e procurar
referências de quem presta esses serviços no mercado.
06
?
Design bom
é design caro
Nem sempre. Existem lojas virtuais que custaram uma fortuna e são lindas, mas que são
péssimas para os usuários. Existem os super baratos que não são recomendados de
forma alguma. E existem os de preço moderado, bonitos, que atendem aos objetivos.
Os valores sempre vão variar de acordo com o nível de complexidade da página. É possível encontrar os serviços gratuitos de lojas virtuais, que vão cobrar apenas em cima
das transações efetuadas que trazem mais de 100 tipos de layouts diferentes.
Há empresas e profissionais que trabalham no design de ambientes de e-commerces
por demanda, que também podem oferecer preços bem razoáveis, como R$80 até
preços mais robustos como $500, vale acrescentar que podem passar dos R$5000.
Existem também, empresas que preferem construir um ambiente de compra personalizado, que converse com o site oficial da instituição e inclua inúmeras possibilidades.
Claro que optando por essa opção, pagará um preço mais elevado.
Veja algumas observações para um bom Design no seu E-commerce:
Deve ser limpo, simples e intuitivo. Sem excesso de cores e efeitos no texto.
O cadastro dos produtos no site é muito importante. Eles devem conter informações
completas e obedecer à alguma lógica: Seja por ordem alfabética, mais vendidos, ou
em subgrupos que estejam relacionados à empresa.
As imagens devem ser de boa qualidade e mostrar todas as dimensões do produto.
Uma esquisa do Daily Infographic revela que 93% dos consumidores são influenciados pela aparência visual no momento da compra, por isso, capriche nas imagens do
produto.
Os botões da página devem observar todos os critérios de usabilidade e navegabilidade antes de escolhidos. Devem estar disponíveis em locais estratégicos para facilitar a compra do cliente.
07
Escolha os profissionais certos
para não perder tempo e dinheiro
Aquela ideia de chamar o sobrinho que entende muito de internet para começar o seu
e-commerce deve ser a primeira a ser descartada. Vender pela internet está longe de
ser uma tarefa para entusiastas ou amadores. É trabalho para profissionais de diferentes áreas, com experiências em vários tipos de negócio. A escolha da equipe que conduzirá o e-commerce deve ser criteriosa e muito bem planejada.
Além do empreendedor, existem cinco funções básicas que todo e-commerce deve
possuir: o gerente de e-commerce, responsável por conduzir todo o resto da equipe e
dar as diretrizes de atuação; o web designer, que cuidará da apresentação visual da
loja, assim como do layout e do visual dos canais de mídias sociais; o programador, que
vai ser responsável pelo funcionamento da plataforma e por implementar qualquer alteração e corrigir qualquer erro no canal; os assistentes, que farão toda a parte operacional da rotina como atendimento dos clientes e envio de pedidos e o analista de marketing digital, que vai fazer toda a divulgação do e-commerce, via mídias sociais, anúncios online, envio de e-mail marketing, criação das campanhas de descontos e fidelização da cartela de clientes.
Veja alguns critérios que devem ser considerados na hora de escolher
tais profissionais:
No momento da seleção, prefira pessoas tecnicamente capacitadas e que se destaquem pelo comportamento. Você precisa contar com a equipe inicial em quaisquer
circunstâncias, por isso pessoas boas de relacionamento fácil são essenciais.
Tenha referências de sua equipe: Não adianta ter trabalhado no Google se ninguém
puder dar uma referência do trabalho do indivíduo lá. Procure saber sobre os detalhes dos produtos que eles venderam em outras plataformas e como foi o desempenho das vendas ao longo do tempo.
Mantenha a equipe capacitada: A empresa precisa incentivar a capacitação constante de toda a equipe para que ela se mantenha motivada e atualizada. Isso também
ajuda na descoberta de talentos dentro da própria empresa. Mantenha um calendário
regular de cursos e palestras para a equipe e desenvolva formas de recompensá-los
pelo desempenho.
08
A importância
de um endereço
online
O endereço online de sua loja virtual é fundamental para o sucesso do e-commerce. O
nome do domínio escolhido deve ter a essência do seu negócio. De preferência o
nome do principal grupo de produtos vendidos como lojadelivros.com.br ou sapatosonline.com.br. O nome deve ser fácil de escrever e de rápida assimilação.
Também é preciso registrar esse domínio, que poderá ser .com.br , .com ou .net, que
são considerados os mais utilizados. Para registrá-lo você pode entrar no site www.registro.br e fazer o registro por conta própria, ou contratar um provedor de domínios,
como Locaweb, Yahoo, Terra, entre outros. Estes provedores, além de fornecer o
domínio, também garantem a hospedagem do seu site.
Outra alternativa, e talvez a mais fácil, é contratar uma empresa especializada para
desenvolver a sua loja virtual, pois, em geral essas empresas também fornecem a
assessoria ligada ao registro do domínio e à hospedagem da loja virtual.
O custo do domínio é um item com valor bem acessível, pois fica em torno de R$30
anuais, devendo ser renovado a cada período.
Outra ação importante é registrar a marca da empresa no órgão responsável pelo registro de Marcas de Patentes no Brasil. No site www.inpi.gov.br é possível verificar a disponibilidade da marca e inclusive iniciar o processo de registro, que leva mais de dois
anos.
09
Ferramentas
gratuitas para
alavancar seu
E-commerce
O mundo virtual oferece uma série de ferramentas gratuitas que vão te auxiliar no gerenciamento do e-commerce. Elas devem ser usadas com
regularidades para facilitar a tomada de decisões
e o planejamento geral do negócio. Elas podem
ser divididas em tais grupos: ferramentas de
monitoramento de audiência, monitoramento
de desempenho, SEO, experiência do usuário,
entre muitas outras:
Monitoramento de audiência
Ferramenta: Google Analytics
Endereço: https://www.google.com.br/analytics/
Utilização: Serviço gratuito do Google que gera estatísticas detalhadas sobre os visitantes da sua
loja. É possível verificar o número de visitas, número de páginas visualizadas, origem de tráfego,
origem geográfica dos visitantes, visitantes novos e antigos, funil de conversão (que seria o caminho
que os visitantes fazem até completar o processo de compra).
Monitoramento de desempenho
Ferramenta: Google Page Speed Insights
Endereço: http://developers.google.com/speed/pagespeed/insights/
Utilização: Ferramenta gratuita do Google que mede o desempenho de uma página para dispositivos móveis e desktop e sugere melhorias. Ela possibilita melhorar o desempenho de carregamento
da loja nos vários dispositivos, permitindo reduzir a taxa de abandono de sua loja e melhorar a indexação das páginas na busca do Google.
SEO
Ferramenta: Google Keyword Planner
Endereço: https://adwords.google.com/KeywordPlanner
Utilização: Ferramenta que mostra o número de buscas por palavras relevantes e também o valor
aproximado do custo por clique (CPC). O Google disponibiliza esta ferramenta para você pesquisar
quais as palavras que são mais valiosas para sua loja em termos de volume de buscas e valor de
clique, caso você queira anunciá-los. Também serve para testar se as pessoas estão buscando por
determinado produto que você está pensando em vender na sua loja.
Experiência do usuário
Ferramenta: Eyequant
Endereço: http://www.eyequant.com
Utilização: Simula por meio de algoritmos o caminho do olhar do internauta enquanto visita um site.
É excelente para entender o que está chamando mais a atenção do seu internauta. Essa análise
permite aprimorar a eficiência da sua comunicação visual para poder aumentar a conversão de
vendas dos anúncios e também melhorar a experiência de navegação na loja.
10
Os resultados do investimento no E-commerce
Esse é o momento mais esperado pelos empreendedores que apostam no e-commerce para alavancar
seus negócios. É importante destacar que, se todas
as etapas do planejamento forem cumpridas corretamente, as chances de resultados positivos são concretas e poderão ser verificadas por meio da “taxa de
conversão”, considerado um KPI (Key Performance
Indicator) no comércio eletrônico. Objetivamente, ela
pode ser medida relacionando o número de visitas na
loja com o número de vendas concretizadas.
Para comparar se as vendas com a loja online realmente aumentaram em relação à loja virtual, é necessário comparar os resultados do modelo anterior com
o atual, considerando que os gastos fixos com cada
modalidade são diferentes.
Outra forma de reconhecer o resultado do investimento é avaliar a frequência das compras dos clientes. Se eles estão retornando à loja com um intervalo
regular, quer dizer que a empresa já está conseguindo fidelizá-los a ponto de eles retornarem ao site.
A popularidade da marca nas mídias sociais também
é um bom sinal. Verificar a popularização da marca na
rede é um indicador de retorno: número de fãs e compartilhamento de conteúdo no Facebook, seguidores
no Twitter e Instagram, acessos ao blog e à página do
YouTube. As ferramentas gratuitas listadas acima
orientarão muito nessa tarefa de avaliação.
O mais importante é acompanhar de perto esses
resultados, por meio de relatórios e gráficos, para
que eles possam ser melhorados dia após dia e para
que parte do retorno positivo sempre possa ser reinvestido no negócio.
11
Conclusões
Como se pode constatar, montar um E-commerce não é tarefa fácil, mas é possível. É
preciso estar disposto a se dedicar nessa modalidade de negócio, para destrinchar
todas as suas dificuldades e potencialidades. Tornar a vida dos consumidores mais fácil
e prática deve ser um dos objetivos da sua loja on-line.
Lembre-se de criar o seu negócio com o “olhar dos clientes”, considerando as dificuldades, dúvidas e desejos que eles apresentam quando chegam ao seu e-commerce.
Pois isto certamente lhe dará uma noção maior da viabilidade e investimento para
desenvolver sua empresa. Levando em conta todos os aspectos apresentados neste
e-book, um valor mínimo para a concretização de um e-commerce de boa qualidade
varia entre R$ 20.000 e R$ 30.000, contudo, planeje antes, pois só dessa forma
saberá o valor necessário para o seu modelo de negócio.
E não se esqueça! Esteja disposto a antecipar tendências e a ouvir críticas/reclamações porque elas serão fundamentais no processo de melhoria contínua da sua loja
virtual!
O que nós fazemos é acreditar em seu negócio,
nós queremos ajudar você!
12

Documentos relacionados

Guia para o lojista iniciante - E

Guia para o lojista iniciante - E ambiente da loja, fazer outro cadastro no site de pagamento para, só então, finalizar a compra. É uma opção mais fácil e rápida de implantar, além do fato de que você terá que se relacionar apenas ...

Leia mais

a evolução do varejo online

a evolução do varejo online as suas atividades profissionais com a constituição de uma empresa de projetos e obras. Em paralelo, sempre teve interesse em inteligência de operações comerciais, como shopping centers, tendo sido...

Leia mais