2013/2014 - Curso Mentor

Сomentários

Transcrição

2013/2014 - Curso Mentor
Soluções Comentadas
Fı́sica
Curso Mentor
Provas de Fı́sica do Concurso de Admissão à
Escola Preparatória de Cadetes do Exército
EsPCEx
Barbosa, L.S.
[email protected]
15 de outubro de 2013
2
Sumário
I
Provas
5
1 Prova 2013/2014 — Modelo C
II
Soluções
7
15
2 Solução 2013/2014 — Modelo C
3
17
4
SUMÁRIO
Parte I
Provas
5
Capı́tulo 1
Prova 2013/2014 — Modelo C
Escolha a única alternativa correta, dentre as opções apresentadas, que responde ou completa cada questão, assinalando-a, com
caneta esferográfica de tinta azul ou preta, no Cartão de Respostas.
21) Peneiras vibratórias são utilizadas na indústria de construção para classificação e separação de agregados em diferentes tamanhos. O equipamento
é constituı́do de um motor que faz vibrar uma peneira retanqular, disposta
no plano horizontal, para separação dos grãos. Em uma certa indústria de
mineração, ajusta-se a posição da peneira de modo que ela execute um movimento harmônico simples (MHS) de função horária x = 8 cos(8πt), onde x
é a posição medida em centı́metros e t o tempo em segundos.
O número de oscilações a cada segundo executado por esta peneira é de
[A] 2
[B] 4
[C] 8
[D] 16
[E] 32
22) O desenho abaixo mostra uma barra homogênea e rı́gida AB de peso
desprezı́vel, apoiada no ponto O do suporte. A distância da extremidade B
ao ponto de apoio O é o triplo da distância de A a O.
No lado esquerdo, um fio ideal isolante e inextensı́vel, de massa desprezı́vel, prende a extremidade A da barra a uma carga elétrica puntiforme
7
8
CAPÍTULO 1. PROVA 2013/2014 — MODELO C
positiva de módulo Q. A carga Q está situada a uma distância d de uma
outra carga elétrica fixa puntiforme negativa de módulo q.
No lado direito, um fio ideal inextensı́vel e de massa desprezı́vel prende a
extremidade B da barra ao ponto C.
A intensidade da força de tração no fio BC, para que seja mantido o
equilı́brio estático da barra na posição horizontal, é de:√
Dados: sen 30◦ = cos 60◦ = 21 ; cos 30◦ = sen 60◦ = 23 ; K0 é a constante
eletrostática do meio
√
√
K0 Qq
3K0 Qq
3K0 Qq
0 Qq
[A] K2d
[B]
[C]
[D]
[E] Kd02Qq
2
4d2
3d2
9d2
23) Em uma casa moram quatro pessoas que utilizam um sistema de placas coletoras de um aquecedor solar para aquecimento da água. O sistema
eleva a temperatura da água de 20◦ C para 60◦ C todos os dias.
Considere que cada pessoa da casa consome 80 litros de água quente do
aquecedor por dia. A situação geográfica em que a casa se encontra faz com
que a placa do aquecedor receba por cada metro quadrado a quantidade de
2, 016 · 108 J do sol em um mês.
Sabendo que a eficiência do sistema é de 50% a da superfı́cie das placas
coletoras para atender à demanda diária de água quente da casa é de:
Dados: Considere um mês igual a 30 dias; Calor especı́fico da água: c =
4, 2 J/g◦ C; Densidade da água: d = 1 kg/L
[A] 2, 0 m2
[B] 4, 0 m2
[C] 6, 0 m2
[D] 14, 0 m2
[E] 16, 0 m2
24) Um bloco de massa M = 180 g está sobre uma superfı́cie horizontal sem
atrito, e prende-se à extremidade de uma mola ideãl de massa desprezı́vel e
constante elástica igual a 2 · 103 N/m. A outra extremidade da mola está
presa a um suporte fixo, conforme mostra o desenho. Inicialmente o bloco
se encontra em repouso e a mola no seu comprimento natural, isto é, sem
deformação.
Um projétil de massa m = 20 g é disparado horizontalmente contra o
bloco, que é de fácil penetração. Ele atinge o bloco no centro de sua face,
com velocidade de v = 200 m/s. Devido ao choque, o projétil aloja-se no
interior do bloco. Desprezando a resistência do ar, a compressão máxima da
9
mola é de:
[A] 10, 0 cm
[B] 12, 0 cm
[C] 15, 0 cm
[D] 20, 0 cm
[E] 30, 0 cm
25) O disjuntor é um dispositivo de proteção dos circuitos elétrlcos. Ele
desliga automaticamente o circuito onde é empregado, quando a intensidade
da corrente elétrica ultrapassa o limite especificado.
Na cozinha de uma casa ligada à rede elétrica de 127 V, há três tomadas protegidas por um único disjuntor de 25 A, conforme o circuito elétrico
representado, de forma simplificada, no desenho abaixo.
A tabela a seguir mostra a tensão e a potência dos aparelhos eletrodomésticos, nas condições de funcionamento normal, que serão utilizados
nesta cozinha.
APARELHOS
TENSÃO (V)
POTÊNCIA (W)
forno de
micro-ondas
127
2000
lava-louça
127
1500
geladeira
127
250
cafeteira
127
600
liquidificador
127
200
Cada tomada conectará somente um aparelho, dos cinco já citados acima.
Considere que os fios condutores e as tomadas do circuito elétrico da cozinha
são ideais. O disjuntor de 25 A será desarmado, desligando o circuito, se
forem ligados simultaneamente:
[A] forno de micro-ondas. lava-louça e geladeira.
[B] geladeira, lava-louça e liquidifieador.
[C] geladeira, forno de micro-ondas e liquidifieador.
[D] geladeira, cafeteira e liquidificador.
[E] forno de micro-ondas, cafeteira e liquidificador.
26) Um portão maciço e homogêneo de 1, 60 m de largura e 1, 80 m de comprimento, pesando 800 N está fixado em um muro por meio das dobradiças
A, situada a 0, 10 m abaixo do topo do portão, e B, situada a 0, 10 m de
sua parte inferior. A distância entre as dobradiças é de 1, 60 m conforme o
desenho abaixo. Elas têm peso e dimensões desprezı́veis, e cada dobradiça
suporta uma força cujo módulo da componente vertical é metade do peso do
portão.
10
CAPÍTULO 1. PROVA 2013/2014 — MODELO C
Considerando que o portão está em equilı́brio, e que seu centro de gravidade está localizado em seu centro geométrico, o módulo da componente
horizontal da força em cada dobradiça A e B vale, respectivamente:
[A] 130 N e 135 N
[B] 135 N e 135 N
[C] 400 N e 400 N
[D] 450 N e 450 N
[E] 600 N e 650 N
27) O circuito elétrico de um certo dispositivo é formado por duas pilhas ideais idênticas de tensão V cada uma, três lâmpadas incandescentes ôhmicas e
idênticas L1 L2 e L3 , uma chave e fios condutores de resistências desprezı́veis.
Inicialmente a chave está aberta, conforme o desenho abaixo. Em seguida, a
chave do circuito é fechada. Considerando que as lâmpadas não se queimam,
pode-se afirmar que
[A] a corrente de duas lâmpadas aumenta.
[B] a corrente de L1 diminui e a de L3 aumenta.
[C] a corrente de L3 diminui e a de L2 permanece a mesma.
[D] a corrente de L1 diminui e a corrente de L2 aumenta.
11
[E] a corrente de L1 permanece a mesma e a de L2 diminui.
28) Uma esfera é lançada com velocidade horizontal constante de módulo
v = 5 m/s da borda de uma mesa horizontal. Ela atinge o solo num ponto
situado a 5 m do pé da mesa conforme o desenho abaixo.
Desprezando a resistência do ar, o módulo da velocidade com que a esfera
atinge o solo é de:
Dado: Aceleração da gravidade: g = 10 m/s2
[A] 4 m/s
[B] 5√
m/s
[C] 5 √2 m/s
[D] 6√ 2 m/s
[E] 5 5 m/s
29) Um trabalhador da construção civil tem massa de 70 kg e utiliza uma
polia e uma corda ideais e sem atrito para transportar telhas do solo até a
cobertura de uma residência em obras, conforme desenho abaixo.
O coeficiente de atrito estático entre a sola do sapato do trabalhador e o chão
de concreto é µe = 1, 0 e a massa de cada telha é de 2 kg.
O número máximo de telhas que podem ser sustentadas em repouso,
acima do solo, sem que o trabalhador deslize, permanecendo estático no solo,
para um ângulo θ entre a corda e a horizontal é:
Dados: Aceleração da gravidade: g = 10 m/s2 ; cos θ = 0, 8; sen θ = 0, 6
12
[A] 30
CAPÍTULO 1. PROVA 2013/2014 — MODELO C
[B] 25
[C] 20
[D] 16
[E] 10
30) Uma fonte luminosa está fixada no fundo de uma piscina de profundidade
igual a 1, 33m.
Uma pessoa na borda da piscira observa um feixe luminoso monocromático,
emitido pela fonte, que forma um pequeno ângulo α com a normal da superfı́cie da água, e que, depois de refratado, forma um pequeno ângulo β com
a normal da superfı́cie da água, conforme o desenho.
A profundidade aparente h da fonte luminosa vista pela pessoa é de:
Dados: sendo os ângulos α e β pequenos, considere tan α ≈ sen α e tan β ≈
sen β; ı́ndice de refração da água: nágua = 1, 33; ı́ndice de refração do ar:
nar = 1.
[A] 0, 80 m
[B] 1, 00 m
[C] 1, 10 m
[D] 1, 20 m
[E] 1, 33 m
31) Dois fios A e B retos, paralelos e extensos, estão separados por uma
distância de 2 m. Uma espira circular de raio igual a π4 m encontra-se com
seu centro O a uma distância de 2 m do fio B conforme desenho abaixo. A
espira e os fios são copianares e se encontram no vácuo. Os fios A e B e a
espira são percorridos por correntes elétricas de mesma intensidade i = 1 A
com os sentidos representados no desenho. A intensidade do vetor indução
magnética resultante originado pelas três correntes no centro O da espira é:
Dado: permeabilidade magnética do vácuo: µ0 = 4π · 10−7 T · m/A
13
[A] 3, 0 · 10−7 T
[B] 4, 5 · 10−7 T
[C] 6, 5 · 10−7 T
[D] 7, 5 · 10−7 T
[E] 8, 0 · 10−7 T
32) Um cubo maciço e homogêneo, com 40 cm de aresta, está em equilı́brio
estático flutuando em uma piscina, com parte de seu volume submerso conforme desenho abaixo.
Sabendo-se que a densidade da água é 1 g/cm3 e a distância entre o fundo
do cubo (face totalmente submersa) e a superfı́cie da água é de 32 cm a densidade do cubo é:
[A] 0, 20 g/cm3
[B] 0, 40 g/cm3
[C] 0, 60 g/cm3
[D] 0, 70 g/cm3
[E] 0, 80 g/cm3
14
CAPÍTULO 1. PROVA 2013/2014 — MODELO C
Parte II
Soluções
15
Capı́tulo 2
Solução 2013/2014 — Modelo
C
Questão 21
Solução: Como o movimento da peneira se dá em MHS de acordo com
a equação:
x = 8 cos(8πt)
Basta encontrar seu perı́odo que é dado por:
T =
2π
1
⇒T = s
8π
4
Como a frequência é o inverso do perı́odo, temos f = 4 Hz.
Opção B
Questão 22
Solução: Primeiro vamos calcular a força de atração entre as cargas Q > 0
e q < 0. Esta força elétrica tem módulo:
F =
K0 Qq
d2
Como a massa das cargas e dos fios são desprezı́veis a tração no fio conectado
ao ponto A da barra tem mesmo módulo e mesma direção que a força de
atração entre as cargas. Chamaremos o módulo desta tração de TA . No
outro extremo da barra, temos uma tração cujo módulo chamaremos de TB .
Fazendo um esquema simplificado da barra e das forças que nela atuam temos
a figura a seguir.
17
18
CAPÍTULO 2. SOLUÇÃO 2013/2014 — MODELO C
y
~O
N
T~Ax
T~Bx
T~By
T~A 30◦
T~Ay
60◦
x
T~B
Vamos verificar as condições de equilı́brio. No eixo x temos:
TAx = TBx
No eixo y temos:
TAy + TBy = NO
Para que a barra fique em equilı́brio também é necessário que o momento
resultante seja nulo. Em realção ao ponto O e considerando o sentido antihorário como positivo:
d · TAy = 3d · TBy ⇒ TAy = 3TBy
Em que d é a distância de A até O. Sabemos que TAy = TA cos 30◦ . Logo:
TAy
√
3
K0 Qq
=
·
2
d
2
Entretanto:
TBy =
TAy
3
Mas TBy = TB cos 60◦ , daı́:
√
K0 Qq
3 1
·
·
TB cos 60 =
2
d
2 3
◦
Calculando:
√
TB
K0 Qq 3
=
2
6d2
Então:
√
3K0 Qq
TB =
3d2
Opção C
19
Questão 23
Solução: Primeiro vamos calcular quantos litros, no total, as quatro pessoas
utilizam por dia:
T = 4 · 80 ⇒ T = 320 litros/dia
Esta é a quatidade de litros utilizada por dia. A placa coletora tem 50% de
eficiência o que quer dizer que só metade da energia mensal é aproveitada,
logo a energia útil por dia, U , será:
U=
1 50
·
· 2, 016 · 108
30 100
Então:
U = 0, 336 · 107 Jm2 /dia
Esta é a energia por metro quadrado que a placa coletora é capaz de fornecer
por dia. Vamos calcular, agora, a quantidade de calor necessária, por dia,
para elevar a água de 20◦ C para 60◦ C. Lembrando que 320 litros de água
possuem uma massa de 320 kg, teremos:
Q = mc∆θ ⇒ Q = 320000 · 4, 2 · (60 − 40)
Q = 53760000 J
Dividindo a quantidade de calor diária usada pela máxima a ser fornecida
pela placa obtemos o número de metros quadrados necessários:
n=
5, 376 · 107
⇒ n = 16 m2
0, 336 · 107
Opção E
Questão 24
Solução: Primeiro, vamos encontrar a velocidade inicial Vc do conjunto
projétil+massa. Como a quantidade de movimento se conserva e o choque é
perfeitamente inelástico, temos:
QA = QD ⇒ mv = (m + M )Vc
Daı́:
QA = QD ⇒ 20 · 10−3 · 200 = (20 + 180) · 10−3 · Vc
Logo:
Vc = 20 m/s
20
CAPÍTULO 2. SOLUÇÃO 2013/2014 — MODELO C
Agora passaremos a estudar a energia do conjunto bloco+mola. A energia
mecânica se conserva:
Ec = Ep ⇒
kx2
(m + M )Vc2
=
2
2
Substituindo os dados que já temos:
0, 2 · 400 = 2 · 103 · x2 ⇒ x2 = 0, 04
Então:
x = 0, 2 m
Opção D
Questão 25
Solução: Para resolver esta questão basta calcular a corrente “drenada”
por cada aparelho e verificar se o total ultrapassa o total suportado pelo
disjuntor (25 A). Sabemos que P ot = U i, ou seja, i = PUot , então:
• Forno micro-ondas:
if =
2000
A
127
il =
1500
A
127
ig =
250
A
127
ic =
600
A
127
iq =
200
A
127
• Lava-louça:
• Geladeira:
• Cafeteira:
• Liquidificador:
Sabemos que 25 × 127 = 3175. Vamos as opções:
[A] Micro-ondas+lava-louça+geladeira:
iA =
3750
2000 + 1500 + 250
⇒ iA =
A
127
127
21
[B] Geladeira+lava-louça+liquidificador:
iB =
250 + 1500 + 200
1950
⇒ iB =
A
127
127
[C] Geladeira+micro-ondas+liquidificador:
iC =
250 + 2000 + 200
2450
⇒ iC =
A
127
127
[D] Geladeira+cafeteira+liquidificador:
iD =
250 + 600 + 200
1050
⇒ iD =
A
127
127
[E] Micro-ondas+cafeteira+liquidificador:
iE =
2800
2000 + 600 + 200
⇒ iE =
A
127
127
Vemos que iA > 25 A.
Opção A
Questão 26
Solução: A figura mostra um esquema simplificado das forças que agem
no portão.
~A
V
~A
H
A
0, 80
1, 60
~B
V
B
~B
H
P~
Para que o portão fique em equilı́brio, as forças resultantes verticais e horizontais devem ser nulas bem como o momento. A resultante vertical é nula,
pois é dito no problema que as componentes verticais nas dobradiças (V⃗A
22
CAPÍTULO 2. SOLUÇÃO 2013/2014 — MODELO C
e V⃗B ) têm módulo 400 N e que o peso do portão tem módulo P = 800 N.
Basta, portanto analisarmos as componentes horizontais. Daı́ vemos que:
HA = HB
Considerando o momento em relação ao ponto B e positivo como o sentido
anti-horário teremos:
HA · 1, 60 − P · 0, 80 = 0
Então:
HA =
P
⇒ HA = 400 N
2
Portanto, HB = 400 N.
Opção C
Questão 27
Solução: Consideremos a situação inicial (1) com a chave aberta. Neste
caso, temos uma bateria de d.d.p. 2V (duas pilhas em série de d.d.p. V ) e
as lâmpadas L1 e L2 em série. Portanto:
U = Req i ⇒ 2V = 2Ri1 ⇒ i1 =
V
R
Em que i1 é a corrente que passa em cada lâmpada. Vamos agora analisar a
situação (2), com a chave fechada. Neste caso, L2 e L3 estão em paralelo e
estas em série com L1 . A resistência equivalente será:
Req = R +
R
3R
⇒ Req =
2
2
Usando a lei de Ohm novamente:
U = Req i ⇒ 2V =
4V
3R
i2 ⇒ i2 =
2
3R
Como as lâmpadas são todas idênticas e temos P ot = Ri2 as lâmpadas
brilharão mais quantomaior for a corrente que a atravessa. Assim, analisando
os dois casos podemos montar a tabela a seguir com a corrente que atravessa
cada lâmpada nas situações (1) e (2):
Situação (1)
Situação (2)
L1
V /R
4V /3R
L2
V /R
2V /3R
L3
0
2V /3R
23
Notamos que a corrente de L1 e L3 aumentam e a corrente de L2 diminui.
Opção A
Questão 28
Solução: O movimento horizontal é de velocidade constante e, portanto,
podemos escrever o alcance A da seguinte maneira:
A = vx t ⇒ 5 = 5t ⇒ t = 1 s
Agora basta usar este intervalo de tempo para descobrir o módulo da velocidade vertical:
vy = v0y + gt ⇒ vy = 0 + 10 · 1 ⇒ vy = 10 m/s
A velocidade com a esfera atinge o solo tem módulo dado por:
√
v = vx2 + vy2
Então:
v=
√
52 + 102 ⇒ v =
√
√
125 ⇒ v = 5 5 m/s
Opção E
Questão 29
Solução: Em primeiro lugar, como a roldana é fixa, a tração sobre o trabalhador corresponde ao peso de n telhas. Como o peso de uma telha vale
Pt = mg teremos T = nmg, ou seja:
T = n · 2 · 10 ⇒ T = 20n
Na figura representamos de forma simplificada as forças que atuam no trabalhador.
No eixo vertical y temos:
N + Ty = P ⇒ N + T sen θ = mg
Em que P é o peso do trabalhador. No eixo x temos:
fat = Tx ⇒ µe N = T cos θ
Isolando a normal em uma das equações e substituindo na outra equação
teremos:
µe (mg − T sen θ) = T cos θ
24
CAPÍTULO 2. SOLUÇÃO 2013/2014 — MODELO C
~
N
T~y
T~
f~at
θ
T~x
P~
Substituindo os valores dados:
1 · (70 · 10 − 20n · 0, 6) = 20n · 0, 8
700 − 12n = 16n ⇒ 28n = 700 ⇒ n = 25 telhas
Opção B
Questão 30
Solução: Primeiro traçamos uma linha paralela a superfı́cie da água, passando pelo ponto de encontro entre o prolongamento do raio de luz refratado
e a normal (DE). Os triângulos ABC e ADE são retângulos. Da figura
temos as seguintes relações:
β
d
B
A
h
E
D
1, 33
α
C
tan α =
AB
d
⇒ tan α =
BC
1, 33
25
E, como AD̂E ∼
= β, pois são opostos pelo vértice, temos:
tan β =
DE
d
⇒ tan β =
AE
h
Da lei de Snell-Descartes:
nar sen β = nag sen α
Das aproximações do enunciado e dos dados do problema:
1·
d
d
= 1, 3 ·
h
1, 33
Portanto:
h ≈ 1, 00 m
Opção B
Questão 31
Solução: O campo magnético gerado por uma espira circular tem módulo:
Be =
µ0 i
2R
Em que R é o raio da espira. Já um condutor reto gera um campo magnético
de módulo:
µ0 i
B=
2πd
Em que d é a distância do condutor ao ponto estudado. Usando a regra da
mão direita podemos determinar se o campo está “entrando” ou “saindo” do
plano da folha. Assim o campo total será:
B = BA + Be − BB
Substituindo os dados:
B=
µ0 · 1 µ0 · 1 µ0 · 1
+
−
2π · 4
2 · π4
2π · 2
Daı́:
µ0
µ0 2µ0
+
−
8π
π
4π
Encontrando o denominador comum:
B=
B=
µ0 + 16µ0 − 2µ0
15µ0
⇒B=
8π
8π
26
CAPÍTULO 2. SOLUÇÃO 2013/2014 — MODELO C
Substituindo o valor de µ0 :
B=
Portanto:
15 · 4π · 10−7
8π
B = 7, 5 · 10−7 T
Como o sinal é positivo ele tem o mesmo sentido de BA , ou seja, “entrando”
no plano da folha.
Opção D
Questão 32
Solução: No bloco, verticalmente, só atuam empuxo e peso. Como o bloco
está em equilı́brio temos:
E=P
Daı́:
µℓ Vℓ g = µb Vb g
Substituindo os dados do problema:
1 · (40 · 40 · 32) · 10 = µb · (40 · 40 · 40) · 10
Então:
µb =
4
g/cm3
5
Opção E

Documentos relacionados

Soluç˜oes Comentadas

Soluç˜oes Comentadas para evaporar a quantidade de 3, 6 × 104 kg de água a 227 ◦ C e sob 30 atm, necessária para movimentar uma turbina geradora de energia elétrica. Admita que o vapor d’água apresenta comportament...

Leia mais

2013/2014 - Curso Mentor

2013/2014 - Curso Mentor Solução: Em primeiro lugar traçamos o segmento AP . Note que os ângulos C ÂP e P B̂C são congruentes, pois ambos estão inscritos no mesmo arco na mesma circunferência. Além disso, veja que...

Leia mais