A realidade das escolas estaduais em Minas Gerais

Сomentários

Transcrição

A realidade das escolas estaduais em Minas Gerais
Boletim
Informativo
A realidade das escolas
estaduais em Minas Gerais
A Escola Pública de qualidade só exisda FIFA. Assim, não “sobra” recursos para
te quando é mostrada na TV, no rádio, nos
o que é de interesse da população pobre.
jornais, etc. (tudo isso com o nosso próprio
Para tentar conter a revolta do povo, que fica
dinheiro). Na realidade a educação pública
sem escolas, hospitais, moradia, saneamenestá vivendo a sua pior fase. Somente nesto básico, etc., os governos e seus parceiros
te ano, ocorreram greves nas redes de edu(legislativo, judiciário e mídia) fazem de tudo
cação básica em 23 estados do Brasil. Isso
para jogar os trabalhadores uns contra os
ocorre porque os governos, por defenderem
outros, quando estes se levantam para lutar
os ricos, não respeitam as necessidades e
por seus direitos.
direitos básicos do povo. Não é à toa que,
O Estado faz um discurso bonito e
em suas propagandas e discursos, precisam
pratica ações que aumentam a miséria.
insistir o tempo todo na mentira de que esA cada governo que passa a educação fica
tão promovendo desenvolvimento para toda
pior. Isso é comprovado no nosso dia a dia.
a população, quando, na verdade,
defendem os interesses das grandes
empresas - como
agora está ocorrendo com a Copa Texto de aluno do 7º ano expressa o resultado dos projetos “empurra-aluno”
Quadros quebrados, banheiros insalubres e quadras destruídas
Nas escolas faltam recursos básicos como
laboratórios (de química, física, biologia,
etc.), mapas históricos e geográficos atualizados e muito mais. Os governos impõem
aos educadores projetos “empurra-aluno”,
que só prejudicam o aprendizado.
Outro exemplo é o salário pago aos
profissionais da educação, que em Minas
Gerais é o pior do país. O piso salarial de
um professor com curso superior (licenciatura plena) é de R$ 550,00.
O governo gasta milhões em publicidade para convencer que está investindo
na educação, inclusive nos salários. Mas
não cumpre a Lei do Piso Nacional para os
profissionais da educação e retirou nossos
direitos com um projeto votado “a toque de
caixa” na Assembleia Legislativa.
Não devemos cair
nesta mentirosa campanha de jogar trabalhador
contra trabalhador. Visite
a escola onde seu(sua) filho(a) estuda, converse com os profissionais da educação da
rede estadual e conclua qual é a verdade
dos fatos.
OBS: Todas as fotos aqui mostradas são de
escolas estaduais de Belo Horizonte e região Metropolitana.
Estado desconta integralmente salário de
professor como forma de repressão à greve
Carteiras caindo aos pedaços
Muro de escola desmoronado

Documentos relacionados