Nortenatur – Gestão e Conservação de Habitats de S. Mamede e Nisa

Сomentários

Transcrição

Nortenatur – Gestão e Conservação de Habitats de S. Mamede e Nisa
Nortenatur – Gestão e Conservação de
Habitats de S. Mamede e Nisa
Projecto Life Natureza nº LIFE04/NAT/PT/000214
Relatório não especializado
Non-technical report
1
1. Como Surgiu o Projecto
O Projecto NORTENATUR surge com a manifesta preocupação dos Municípios Nisa, Marvão e Castelo de Vide, nos quais
se inserem o Sítio de S. Mamede e Sitio Nisa/Lage da Prata, após o flagelo dos incêndios no verão de 2003 que destruiu
muitos dos valores naturais desta região. Desta forma, houve a necessidade de elaborar um plano de gestão com
orientações técnicas de gestão e protecção dos habitats naturais de modo a minimizar a sua destruição.
Assim a Associação de Municípios do Norte Alentejano, em representação dos três municípios seus associados, em
colaboração com o ICN (Parque Natural da Serra de São Mamede), FloraSul e Universidade de Évora, desenvolveu o
Projecto NORTENATUR, o qual foi candidatado ao Instrumento de Financiamento Comunitário LIFE-Natureza, e
consequentemente aprovado a 30/07/2004.
Este Projecto foi desenvolvido numa área que integra dois locais classificados como SIC – Sítios de Importância
Comunitária, nomeadamente o Sitio de S. Mamede e o Sitio Nisa/Lage da Prata, inseridos na Rede Natura 2000 e ambos
localizados no Distrito de Portalegre e apresentam uma grande diversidade de habitats, quer de fauna quer de flora. É uma
área especialmente importante do ponto de vista ecológico por ser o limite sul de muitas espécies e comunidades vegetais
de climas mais frescos, como é exemplo o carvalho. Da elevada diversidade faunística existente gostaríamos de destacar a
presença da lontra, o rato de Cabrera e a potencial presença do lince-ibérico.
2
2. Objectivos Principais
Produção de um Plano de Gestão para os Sítios de S. Mamede e Nisa/ Laje de Prata;
Implementação de acções de gestão que fomentem a conservação de habitats naturais, bem como as espécies a eles
associadas;
Promoção para uma gestão sustentável dos montados de sobro, azinho e carvalho negral, fomentando a regeneração
destes sistemas e, consequentemente, de todos os habitats naturais associados;
Implementação de acções biofísicas de minimização de impactos pós-fogo em habitats prioritários e de interesse
comunitário;
Sensibilização dos agentes económicos e sociais da região bem como de todos os intervenientes, directa /indirectamente
responsáveis pela sustentabilidade dos sistemas existentes;
Integração das medidas de gestão propostas, nos planos de ordenamento em vigor na área de influência dos Sítios.
3
3. Acções Realizadas
Plano de Gestão e Sistema de Informação Geográfico – Plano de Gestão que define estratégias de intervenção para os
Sítios, técnicas de gestão a aplicar aos diversos habitats para a sua conservação e valorização e que pretende ser integrado
nos Planos Directores Municipais locais de modo a garantir a conservação dos Sítios. Foi elaborado com a colaboração dos
Municípios envolvidos, agricultores e proprietários. Para a construção do Sistema de Informação Geográfica foi realizado o
levantamento, compilação, tratamento e actualização da informação geográfica existente para os sítios, de modo a constituir
uma importante ferramenta de gestão dos Sítios.
Cartografia de Habitats – Elaboração de uma carta dos habitats naturais e semi-naturais presentes nos Sítios.
4
3. Acções Realizadas
Plano de Protecção de Habitats Prioritários Contra Fogos Florestais - Identificação das áreas críticas do ponto de
vista do risco de incêndio relativamente aos habitats naturais e áreas vizinhas, através de análise espacial de informação
geográfica existente. Criação de um sistema de previsão do risco de incêndios florestais, após identificados as áreas
criticas, com vista à tomada de medidas tendentes, quer à redução do seu número, quer da área dos Sítios afectada pelos
mesmos.
Protecção e recuperação de áreas com risco de erosão pós-fogo – Foram aplicadas de técnicas biofísicas de combate
à erosão em áreas que após a ocorrência de incêndios florestais apresentavam sérios riscos de erosão e de perda de
habitat, nomeadamente os habitats prioritários 3170, 4020 e 91E0, através da construção de muros de pedras soltas e
colocação de estruturas de madeira e fibras vegetais, plantação de árvores ripícolas como freixos, amieiros e salgueiros
para a criação de barreiras de protecção.
5
3. Acções Realizadas
Conservação de Charcos temporários mediterrânicos (3170*)
e Pradarias húmidas mediterrânicas de ervas altas da
Molinion-Holoschoenion (6420) – Foram desenvolvidas acções
no
terreno
que
visaram
a
conservação
destes
habitats
nomeadamente através da colocação de vedações, gestão do
gado e dos encabeçamentos mais favoráveis a estes habitats.
Conservação de Charnecas húmidas atlânticas temperadas
de Erica ciliaris e Erica tetralix (4020*) – Foram realizadas
acções no terreno para a conservação deste habitat, foi limitanda
a agricultura e a florestação in situ, bem como as mobilizações de
solo, de modo a preservar a estrutura física das charnecas
húmidas. Foi ainda, controlada a dinâmica do habitat através de
corte selectivo dos matos, evitadas as drenagens, bem como
condicionadas as extracção de água nesses locais.
6
3. Acções Realizadas
Recuperação, manutenção e conservação de habitats ripícolas (91E0*, 3290, 3280, 91B0, 92A0) - Intervenções para
recuperação, manutenção e conservação de habitats ripícolas em troços do Rio Sever e da Ribeira de Nisa num total de 5
km. Estas intervenções consistiram na aplicação de medidas de biofísica para estabilização de margens e correcção
torrencial, limpeza de vegetação infestante, podas e abates sanitários, plantação de espécies ripícolas adequadas a cada
local, como amieiros, salgueiros, freixos e tamargueira.
Recuperação, manutenção e conservação de habitats florestais de sobreiro, azinheira e carvalho (9230,9330, 9340)
– Acções de recuperação, manutenção e conservação de habitats florestais de sobreiros, azinheiras e carvalhos através de
podas de formação de árvores jovens, adensamentos em áreas de clareiras, abates fitossanitários e de árvores codominates ou mal conformadas, limpeza de elementos estranhos às comunidades, controle manual e mecânico de matos,
gestão criteriosa do pastoreio extensivo e definição de áreas de não intervenção por períodos longos quando se identifique
essa necessidade.
7
3. Acções Realizadas
Recuperação, manutenção e conservação dos montados de
sobro e carvalho negral (6310) em risco de degradação através de corte de matos, pastoreio controlado, sobretudo com
ovinos, controlo do encabeçamento, favorecimento da regeneração
natural e semi-natural e seu adensamento, manutenção das linhas
de
drenagem
natural
de
forma
a
evitar
fenómenos
de
hidromorfismo, cortes sanitários e podas de formação em árvores
jovens, promoção da altura de descortiçamento adequada, no caso
dos sobreiros, promoção de prados permanentes, a fim de
promover uma fertilização natural e beneficiar o fomento da fauna
selvagem.
Conservação dos habitats de matagais arborescentes de
Juniperus oxycedrus subsp. lagunae (5210) - através do
favorecimento da regeneração natural existente, nas áreas
contíguas foi cortado o pinhal que estava a ocupar a área deste
habitat e pondo-o em risco, gestão dos matos e sensibilização, de
modo a impedir o corte de Juniperus oxicedrus cuja madeira é
muito utilizada no fabrico de remos. Foram realizadas em Portas
de Rodão (Nisa).
8
3. Acções Realizadas
Controlo de Infestantes Arbóreas – Controlo e erradicação de
acácias e eucaliptos em zonas específicas de infestação através do
corte de forma a evitar a sua propagação. Renaturalização destes
espaços através da plantação de carvalhos, castanheiros, freixos,
amieiros, salgueiros, sobreiros etc.
Conservação de Subestepes de gramíneas e anuais da Therobrachypodietea (6220*) e Prados secos seminaturais e facies
arbustivas
em
substrato
calcário
(Festuco-Brometalia)
(Importante habitat de orquídeas- 6210) - Através de pastorícia
extensiva com encabeçamentos adequados, gestão mecânica de
matos sem mobilizações, de modo a preservar a estrutura do solo e
impedir a sua erosão e melhoramento de pastagem através
espécies autóctones características destes habitats.
9
4. Divulgação e Acções de Sensibilização
Divulgação do Projecto - através de workshops, Acções de Educação Ambiental em escolas básicas e secundárias da
região, passeios pedestres, como forma de sensibilização para a conservação dos habitats e espécies existentes nos Sítios
e realização de um filme sobre os Sítios de Nisa/Lage da Prata e S. Mamede.
Criação de uma página de Internet sobre os Sítios de Nisa/Lage de Prata e S. Mamede e sobre as acções
desenvolvidas no projecto – disponível em português e Inglês no sitio: http://www.nortenatur.amna.pt
10
5. Conclusões Gerais do Projecto
O Projecto LIFE-Natureza “NORTENATUR – Gestão e Conservação dos Sítios de S. Mamede e Nisa/Lage da Prata”
desenvolveu diversas acções de grande valor demonstrativo que serviram de apoio à elaboração de um Plano de Gestão
e implementação de um Sistema de Informação Geográfica.
O Plano de Gestão assumiu como principais objectivos assegurar a gestão sustentável dos habitats naturais e seminaturais dos Sítios de S. Mamede e Nisa/Lage da Prata e espécies a eles associados.
A relação directa com os proprietários resultou na sensibilização destes no que diz respeitos aos problemas de uma
gestão sustentável e adequada, promovendo mudanças de atitudes no que diz respeito à conservação dos habitats e
espécies protegidas
O facto de se poder demonstrar aos proprietários, que são eles os principais responsáveis pela conservação dos valores
naturais, é uma mais valia deste Projecto e uma ajuda na identificação de algumas ameaças e na determinação de
algumas das medidas de gestão.
O Projecto Nortenatur pretendeu dar a conhecer estratégias de gestão e modos de actuação em prol da defesa e
conservação da natureza.