INOVAÇÃO - BBL Consultoria

Сomentários

Transcrição

INOVAÇÃO - BBL Consultoria
INOVAÇÃO e
REDES SOCIAIS
Profa. Ms. Larissa Estela Berehulka Balan Leal
Larissa Estela Berehulka Balan Leal
•
Graduada em Administração Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana
(2001), especialista pela Universidade Norte do Paraná em Gestão Estratégica
Empresarial (2004) e Mestre em Administração pela Universidade Estadual de Londrina
(2011), com ênfase em Gestão de Negócios e linha de pesquisa em Empreendedoras e
Redes. Ingressou recentemente como aluna especial do programa de DOUTORADO em
Estudos da Linguagem pela UEL.
•
Atuou em cargo gerencial durante 06 anos em empresa do setor bancário, entre suas
experiências de mercado agrega trabalhos voltados para gerenciamento e relacionamento
com clientes em plataformas de varejo. Possui trabalhos de consultoria desenvolvidos
para empresas varejistas da região norte do Paraná, voltados para a implementação de
estratégias de marketing e relacionamento com o mercado.
•
Atualmente é diretora da BBL Consultoria Empresarial, professora de MARKETING,
VAREJO e ADMINISTRAÇÃO da Faculdade do Norte Novo de Apucarana (FACNOPAR),
e professora nos cursos de Pós- Graduação da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras
de Jandaia do Sul (FAFIJAN) e FAAST de Astorga.
•
CONTATOS: (43) 9161-7393 / 3047-2800 – www.bblconsultoria.com.br
Ementa
• Inovação: importância e conceito;
• Perspectiva histórica dos processos de
inovação;
• Processos criativos: por quê e para quem?;
• Identificação e seleção de oportunidades;
• Geração e seleção de idéias;
• Inteligência competitiva e inteligência
empresarial;
• Redes sociais;
• Modelos de negócio.
Objetivo
•
Compreender a partir do conceito de inovação e
criatividade a necessidade do cenário empresarial em
inserir estratégias competitivas voltadas a criação de
novos produtos e serviços que supram a avidez dos
mercados consumidores, mas que também possam
estabelecer e promover diferentes relações sociais no
que tange a interação humana e a disseminação do
conhecimento, mediadas por tecnologias de informação
e comunicação.
Bibliografia
Básica Básica
Bibliografia
MATTAR; Fauze Najib (organizador) – Gestão de
Produtos, Serviços, Marcas e Mercados. Estratégias
e Ações para alcançar e manter-se “Top of Market”.
São Paulo: Atlas, 2009.
KOTLER, Philip; ARMSTRONG, Gary. Princípios de
Marketing. 9ª Edição. São Paulo: Pearson, 2004.
KOTLER, Philip. Administração de Marketing. 10ª ed.
São Paulo: Pearson, 2000.
Bibliografia Complementar
• LEWIS, David; BRIGDES, Darren. A alma do Novo Consumidor.
São Paulo: M. Books, 2004.
• PARENTE, Juracy. Varejo no Brasil – Gestão e Estratégia. São
Paulo: Atlas, 2000.
• SOUZA, Francisco A. M. O grande livro do Marketing. São Paulo:
M. Books, 2007
• UNDERHILL, Paco. Vamos às compras! 21ª Edição. Rio de Janeiro:
Elsevier, 1999
• ZEITHAML, Valarie A.; BITNER, Mary Jo. Marketing de Serviços: a
Empresa com foco no cliente. São Paulo: Bookman, 2003.
Bibliografia Complementar
ALT, Luis & Pinheiro, Tennyson. Design Thinking Brasil.
São Paulo: Campus, 2011.
KOTLER, Philip; BES, Fernando Trias de. Marketing
Lateral. Campus, 1ª edição, 2004
Livre Leitura
• A estratégia do Oceano Azul
• A cauda Longa
• A arte da Guerra
Conceito
• O conceito de inovação migrou de uma
visão puramente técnica para o
entendimento da inovação tecnológica
como a aplicação de qualquer
conhecimento que agregue valor ao
desenvolvimento e comercialização de
produtos, serviços e gestão de
organizações. (MARIANO, 2004)
Manual de Oslo (2005)
• Instrumento que procura orientar a
aplicação de conceitos relativos a
inovação categoriza quatro tipos de
inovação: de produto, de processo,
organizacionais e de marketing (essa
última não aparece nas duas edições
anteriores do manual).
Escritórios do Google
Segundo Lemos apud Rimoli (2008)
• Dois tipos de inovação
• Radicais
• Incrementais
• DILEMA = QUANDO?
Ciclo de vida de produtos e serviços
Os impactos da inovação e o Mkt
• Alto grau de incerteza mercadológica, marcado
pela ansiedade do consumidor.
• Alto grau de incerteza tecnológica e
Obsolescência rápida dos produtos.
• Alto grau de volatilidade competitiva.
• Investimentos crescentes em P&D
Novos produtos duram
menos porque???
• Porque é mais fácil para as empresas lançarem novas
marcas e produtos ;
• porque os consumidores estão cada vez mais
propensos a experimentar novas marcas;
• Os consumidores estão dispostos a abandonar a
marca anterior se a nova os satisfazerem mais
plenamente.
• Produtos duráveis quando dão defeito, é mais fácil
substituí--los pelo último modelo do que consertá
substituí
consertá--lo.
A tecnologia digital provocou uma
revolução
A tecnologia digital foi o ponto inicial de uma
nova linha de produtos como:
Computadores
Televisores
Celulares, etc.
“A era digital facilita o aparecimento de novos
produtos e serviços, acelerando o ritmo da
inovação e da criação de novos produtos.”
VÍDEO
A inspiração e a
criatividade tiveram
que tomar novos
rumos…
MERCADO
PESSOAS
NECESSIDADE
SATURAÇÃO
HIPERFRAGMENTAÇÃO
Criando o deslocamento lateral
Escolhe um
produto ou
serviço
Escolhe um foco
para gerar um
deslocamento
lateral
FLOR
MORRE
LACUNA
Pensa em uma
maneira de fazer
uma conexão e
eliminar essa
lacuna
NUNCA MORRE
Provoca o
deslocamento
lateral para
gerar uma
lacuna
DESLOCAMENTO LATERAL
Criando a conexão
FLOR
ARTIFICIAL
MORRE
NUNCA MORRE
DESLOCAMENTO LATERAL
Embalagens
Rótulos
Angularidade
• Formas angulares são aquelas que
contêm cantos, como triângulos e
retângulos, diferentemente de formas
redondas, as quais carregam um conjunto
de associações importantes.
• Há ainda a consideração de formas retas
e curvas.
Simetria
• Refere-se ao equilíbrio de forma, ou arranjo,
nos dois lados de uma linha (eixo) ou de um
plano divisor. Cria equilíbrio, fator importante
na maneira como se avalia o apelo visual de
objetos.
• A simetria proporciona ordem e alivia tensão;
a assimetria tem efeito oposto, criando
agitação e tensão, que dosadas, podem livrar
uma imagem visual da monotonia.
Tamanho e proporção
Tipos de Embalagens e Rótulos
GÊNERO
OCASIÕES
BONITAS
CRIATIVAS
MODERNAS
INESPERADAS
PARA REUTILIZAR
EM FORMATOS
DIFERENCIADOS
TRANSPARENTES
CHIQUES
DIVERTIDAS
PROMOCIONAIS
INDIVIDUAIS
UM POUCO
IRÔNICAS…
FUNCIONAIS
ANTENADAS COM A MODA
PEDAGÓGICA
COM PERSONAGENS
COM JOGUINHOS
COM FORMAS E CURVAS
QUE APARECEM
NOSTÁLGICAS
REINVENTADAS
CONCORRENTES
COM CORES LINDAS
PARA PRESENTE
COMPOSÊ
Rótulos
• Informativos
• Classificatórios
• Descritivos
Reposicionamento de rótulos e
embalagens
1986
Embalagens e Materiais
Uma discussão que vai além….
Sacolas Tradicionais (nem
tanto….)
Embalagens e idéias
sustentáveis
LAYOUTS
Ou ainda … Customizações ou
Bricolagens
www.mymms.com/customprint/
Customização em Massa
• Habilidade em fornecer produtos e serviços
personalizadas a um custo equivalente de uma
oferta padronizada (<> configurar).
“Customização” em massa significa que um grande
número de consumidores podem ser alcançados, como
mercado em massa industrial, e simultaneamente tratados
como indivíduos’
– Stanley M. Davis, O futuro perfeito (1987).
– Importante fonte de vantagem competitiva.
– Necessidade de novos arranjos internos:
• Tecnologia de produção;
• Logística.
• Fábrica de serviços.
Pergunta
Será que as empresas estão preparadas
para concorrer dessa forma ?
A Cauda Longa
• Subverte o
pensamento
tradicional do
diagrama de Pareto
(80/20).(
20% dos clientes são responsáveis por
mais de 80% dos lucros de uma determinada empresa;)
• E a web: cria
menores custos para
armazenagem dos
produtos.
Maxine Clark
ex-executiva de uma rede de
sapatos americana (Payless
Shoes) montou uma empresa
porque um dia foi com a filha de
10 anos de uma amiga comprar
um bichinho de pelúcia e
perbeceu que não havia nada de
novo…
Mas pensou… tinha que ser um
dia especial!!!
Palavras de Maxine…
• Lojas são chatas, previsíveis e não
marcam, apenas vendem.
• Nosso negócio é o da experiência
memorável.
• Comprar um produto significa aderir a
uma comunidade.
• O crescimento vem por disseminação,
rápido e consistente.
A INOVAÇÃO
está
intimamente
ligada ao ato de
EMPREENDER
NÚMEROS DO BRASIL
GEM
GLOBAL ENTREPRENEURSHIP MONITOR
• Atualmente no Brasil, de acordo com o GEM (2010) a Taxa de
Empreendedores em Estágio Inicial (TEA) está em 17,5% que é a
maior já registrada desde 1999. (18 a 64 anos)
• Levando em conta uma população adulta no país em torno de 120
milhões de pessoas, esse valor representa 21,1 milhões de
brasileiros empreendendo no ano passado.
• Nos países do BRIC, o Brasil tem a população mais
empreendedora, com 17,5% de empreendedores em estágio inicial,
a China teve 14,4%, a Rússia 3,9%, enquanto a Índia não participou
da pesquisa nos últimos 2 (dois) anos. Sendo que, em 2008, a TEA
da Índia foi de 11,5%. .
Necessidade x Oportunidade
• Diante de tal perspectiva o GEM salienta o
empreendedorismo por oportunidade é
mais benéfico para a economia do país
quando comparado ao o
empreendedorismo por necessidade, a
proporção entre estes dois fatores em
2010 foi de 2,1 empreendedores por
oportunidade para cada empreendedor
por necessidade.
Necessidade x Oportunidade
• Diante de tal perspectiva o GEM salienta o
empreendedorismo por oportunidade é
mais benéfico para a economia do país
quando comparado ao o
empreendedorismo por necessidade, a
proporção entre estes dois fatores em
2010 foi de 2,1 empreendedores por
oportunidade para cada empreendedor
por necessidade.
Empreendedor por
Necessidade
• nível menor de renda mensal (1 a
3 salários mínimos)
• nível menor de escolaridade (5 a
11 anos)
•renda mensal maior (36% até 3
salários mínimos; 34% de 3 a 6
salários)
Empreendedor por
Oportunidade
• nível educacional maior, sendo
que a proporção de jovens nesse
grupo que estão cursando ou já
terminaram o ensino superior é de
25%.
•
(GEM, 2008)
Jovem empreendedor:
Indivíduo entre 18 e 24 anos
• 3ª posição no ranking do
empreendedorismo jovem (25%).
• Em 2003 o percentual era de 19%
Jovem empreendedor:
• Países como Brasil, Egito e Irã
possuem alto nível de
empreendedorismo jovem
• O baixo índice de empreendedores
jovens em países mais desenvolvidos.
Mulheres Empreendedoras:
• No GEM (2009) observa-se dos empreendedores
brasileiros, 53% são mulheres e 47% homens.
Conforme a metodologia usada pela GEM (2009), além
do Brasil, apenas Guatemala e Tonga registraram taxas
de empreendedorismo por mulheres mais elevadas que
as taxas de empreendedorismo por homens.
• Na pesquisa de 2010, os índices apresentam 50,7%
homens e 49,3% mulheres.
Mulheres Empreendedoras:
• 35% dos lares brasileiros são sustentados
por mulheres;
• As mulheres ocupam 42% das vagas no
mercado de trabalho;
• Recebem em média 35% a menos de
salário do que homens
• Levam mais tempo para serem
promovidas. (PALADINO, 2010)
O EMPREENDEDOR
Quem é o empreendedor ?
Cantillon (1730)
O empreendedor é uma pessoa empregada por conta própria de
qualquer tipo. Empreendedores compram a um preço certo no
presente e vendem a um preço incerto no futuro. Um
empreendedor é uma pessoa que suporta a incerteza.
Adam Smith (1776)
Empreendedores são agentes económicos que transformam
procura em oferta, com ganho de margens de lucro.
Jean Baptiste Say (1816)
O empreendedor é o agente que une todos os meios de
produção, e encontra nos valores do produto, o reembolso total do
capital empregue, o valor dos ordenados, o interesse, o aluguer
pago, bem como os lucros que lhe pertencem.
Fonte: adaptado de Rosário (2007, p. 10).
Quem é o empreendedor ?
• McClelland também destaca a necessidade de
realização e atitudes como intuição e
criatividade como inerentes ao comportamento
empreendedor.
• Segundo o autor, essa necessidade de
realização é o que motiva o empreendedor a se
provocar, traçar objetivos mais desafiantes,
sempre com a preocupação de chegar ao
melhor resultado, e quando o alcança, atinge
também, por conseqüência, o sucesso
empresarial (FILION, 1999).
Quem é o empreendedor ?
• McClelland também destaca a necessidade de
realização e atitudes como intuição e
criatividade como inerentes ao comportamento
empreendedor.
• Segundo o autor, essa necessidade de
realização é o que motiva o empreendedor a se
provocar, traçar objetivos mais desafiantes,
sempre com a preocupação de chegar ao
melhor resultado, e quando o alcança, atinge
também, por conseqüência, o sucesso
empresarial (FILION, 1999).
Perfil Comportamental
•
Para Bernardi (2006) se destacam no perfil característico e típico do
emprendedor:
-
senso de oportunidade,
dominância,
agressividade e energia para realizar,
autoconfiança,
otimismo,
dinamismo,
independência,
persistência,
flexibilidade e resistência a frustrações,
criatividade,
propensão a riscos,
liderança carismática,
habilidade de equilibrar “sonho” e realização,
habilidade de relacionamento.
Motivações para Empreender
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Realização pessoal
Qualidade de vida
Implementação de novas idéias
Independência
Fuga da rotina profissional
Maiores responsabilidades e risco
Prova de capacidade
Maior ganho
Necessidade de um emprego
Bernardi (2006)
Cases de Inovação e
Empreendedorismo
A Janela da
Namoradeira - Doceria
Criativa.
Iara Battoni uniu sua
experiência como
artista plástica e
conhecimento em
doces artesanais, e
criou um jeito muito
especial de trabalhar
Comportamento de Compra do Consumidor
Reconhecimento
do problema
Busca por
informações
Avaliação
de
Alternativas
Decisão de
Compra
Avaliação
Pós-Compra
Para a tomada de decisão…
Informações de MKT (SIM)
Segundo Mattar (2009, p.100)
• O sistema de informação de marketing
monitora resultados da empresa, monitora
o ambiente externo, busca e capta, avalia
e seleciona, trata, condensa, indexa,
analisa, interpreta, classifica, armazena,
recupera, transmite e dissemina dados e
informações externas e internas à
empresa, pertinentes e relevantes para a
tomada de decisões em mkt.
Pesquisa de Marketing
• É a função que liga o consumidor, o
cliente e o público ao marketing através
da informação – informação usada para
identificar e definir as oportunidades e
problemas de marketing, gerar, refinar e
avaliar a ação do marketing; monitorar o
desempenho de marketing, e aperfeiçoar
o entendimento de marketing como um
processo.