O Caminho que Trilharemos Coletivamente

Сomentários

Transcrição

O Caminho que Trilharemos Coletivamente
O Caminho que Trilharemos Coletivamente
Fórum Feminismos Negros – Bahia, Brasil
05 e 06 de Setembro de 2016
04 de setembro
Chegadas e registro
05 de setembro
7:30 – 8:00
Sessões opcionais de bem-estar conduzidas pela comunidade
8:00 - 8:45
Registro
9:00 – 11:30am Cerimônia de abertura com Mãe Jaciara & Banda Didá
Anfitriãs: Jessica Horn & Awa Fall Diop
FUTUROS NEGROS (BLACK TO THE FUTURE) – CONVERSAS
Anfitriã: Amina Mama
Painelistas:
• Po Kimani
• Kai Barrow
• Annette Davis
• Charo Minas Rojas
• Agness Chindimba
11:30am – 12pm Intervalo
12:00 – 13:30 SESSÕES CONDUZIDAS PELA COMUNIDADE
Corpos libertos! Sessão de meninas: Nessa sessão quatro meninas irão partilhar
as suas visões sobre como libertar inteiramente seus corpos, discutir princípios e
práticas conscientes para experimentar esta libertação todos os dias. As pessoas
aliadas/os das lutas das garotas irão aprender como melhor apoiá-las para
construírem seu poder coletivo e viver suas visões. Organização: Happy Kinyili,
Patricia Moyo, Uetutjinda Kautjituavi, Brenda Irachan, e Yasmin Ahmed
Mohamed || Inglês.
Alquimia Radical: Transformando a justiça global por meio do amor radical:
Esta sessão irá explorar como os conceitos de amor próprio radical pode servir
como um modelo para tratar e parar a discriminação, a desigualdade social e a
injustiça. Ao explorar as raízes do corpo baseadas em injustiça, podemos criar
novos modelos de comunidade e ações transformadoras que desafiem as estruturas
atuais de opressão. Organização: Sonya Taylor || Inglês
DJ Academia: Por meio de uma conversa interativa, DJs feministas da África
discutem e celebram as muitas formas pelas quais as feministas africanas, como
parte de um movimento de produtoras/es culturais comprometidas/os com a
libertação negra, estão construindo e mantendo arquivos musicais radicais.
Organizador/a: DJ Lynnée Denise || TELA NEGRA || Inglês
Desejo feminista negro: Por meio do conceito de desejo, esta sessão convidará
participantes a pensar sobre a ideia do desejo de tal maneira que se abram para
conversas sobre vergonha, políticas de corpo, trabalho sexual (incluindo
pornografia), proteção feminista, e monogamia/poliamor, entre muitas outras
possibilidades. Organização: TBC || TELA NEGRA || Inglês
Rosas Negras – Resiliência, afeto e resistência: Esta sessão explora street dance
como um meio para contar as histórias sobre o papel das mulheres negras na luta
pela concretização de nossos direitos. Organização: Carolina Pires, Caroline Silva,
Bruna de Oliveira, Jade Belisário || TELA NEGRA || Português
A Arte da narração de histórias feminista africana: Por meio de um intercâmbio,
esta sessão convida à partilha de histórias – histórias verdadeiras, imaginárias, da
vida real, sonhadas… Discutiremos e construiremos estratégias sobre formas de
trazer uma influência feminista para as histórias que oferecemos às nossas crianças
em livros, desenhos animados, filmes, e em jogos. Organização: Coumba Toure ||
TELA NEGRA || Francês
13:30 – 14:30 ALMOÇO
14:30 – 16:00
FRUTA ESTRANHA: TERRENOS DE COLONIALISMOS – CHAMADO E
RESPOSTA
Anfitriã: Attilah Springer
Painelistas:
• Thenjiwe McHarris
• Mariama Sonko
• Wanelisa Xaba
• Maria Creuza de Oliveira (Portuguesa)
16:00 – 16:30
INTERVALO
16:30 – 18:00
SESSÕES CONDUZIDAS PELA COMUNIDADE
Trabalho sexual e feminismo: O que significa na perspectiva feminista africana? Esta
sessão explora um estudo de dois anos que questiona ‘o que significa ser trabalhador/a do
sexo feminista?’ Os achados sugerem que ser africana/o, trabalhador/a do sexo e feminista
são consideradas frequentemente identidades incongruentes, quando em certas
personificações elas de fato informam umas às outras. Organização: Ntokozo Yingwana,
Amaka Enemo, Sanyu Batte, Onkokame Mosweu || Inglês
A Guerra às drogas: Uma guerra racial e patriarcal: Esta sessão trata do impacto da
guerra às drogas sobre as mulheres das comunidades raciais em condições mais precárias.
Organização: Fania Noel, Annette Davis || Francês
Os Direitos reprodutivos das mulheres: A realidade em Angola e na Bahia: Os direitos
reprodutivos das mulheres são uma parte indivisível dos direitos humanos almejados na
redução das violações à autonomia pessoal. Esta sessão olha para as realidades atuais na
Bahia e em Angola. Organização: Silvia Ferreira, Chirlene Pereira, Jamile Fonseca,
Florita Telo || Português
Respondendo à discriminação institucionalizada contra as mulheres lésbicas, bissexuais
e transgêneros (LBT) na Jamaica: Esta sessão busca destacar e responder a diversas peças
de legislação na Jamaica, as quais explicitamente e implicitamente discriminam LBT.
Organização: Latoya Nugent, Rochelle McFee, Paige Andrew || Inglês
Irmandade de mulheres: A interseção entre racismo e sexismo, aborto inseguro e
mulheres negras: Esta sessão busca visualizar pesquisas e experiências de mulheres negras,
expondo a situação do aborto inseguro no Brasil. Discutiremos como as mulheres negras
são sujeitadas em razão de desigualdades sociais, racismo, sexismo e outras
interseccionalidades. Organização: Emanuelle Góes, Denize Ribeiro, Raquel Souzas,
Jarid Arraes || Português
Direitos e justiça para mulheres africanas com deficiência: Uma batalha tripla!!! Cada
mulher precisa lutar todos os dias por justiça, reconhecimento e cumprimento de seus
deveres. Ser uma mulher na África é outro nível de luta à luz da situação política e
socioeconômica, além das restrições culturais. Ter uma deficiência representa um terceiro, e
nada fácil, nível de luta. Organização: Anne Michelle EKEDI EDJENGUELE, Djamila
Touabet || Francês
20:30 – 22:30 NUTRINDO LIBERDADES (PARTE 1): TELA NEGRA
Angélica Moreira (Ajeum Da Diáspora), uma artista da culinária brasileira, fará um diálogo
com a comunidade do Fórum Feminismos Negros sobre as relações históricas e
contemporâneas entre comida como um meio de resistência e comida como um meio de
expressão artística nas comunidades negras. A noite tecerá conversas sobre justiça curativa
e sobre como nutrimos nossos movimentos com narração de histórias, exibição de artes
visuais e performances artísticas. A noite apresentará leituras e performances por:
• Akwaeke Emezi
• Yvonne Fly Onakeme Etaghene
• d’bi young anitafrika
Seguindo estas performances e leituras, haverá um microfone aberto e disponível para
qualquer pessoa que queira fazer ouvir a sua voz!
06 de setembro
8:30am
BOAS-VINDAS NEGRAS!
Anfitriãs: Jessica Horn & Awa Fall Diop
8:45 – 11:30
CONSTRUINDO FEMININOS NEGROS GLOBAIS COLETIVAMENTE –
UMA CONVERSA
Anfitriã: Rudo Chigudu
Painelistas:
• Jurema Werneck
• Manbo Madame Evonne Auguste
• d’bi young anitafrika
• Aissatou Cisse
• Miriam Miranda
• Mildred Apenyo
Exercício de respiração conduzido por Mildred Apenyo
11:30 – 12:00
INTERVALO
12:00 – 13:30
SESSÕES CONDUZIDAS PELA COMUNIDADE
A Arte da revolução: Organizando-se coletivamente por justiça reprodutiva através da
interseção entre arte e ativismo: Esta sessão apresenta ativistas que defendem a justiça
reprodutiva por meio de sua arte. Participantes criarão a arte enraizada em suas próprias
narrativas. Organização: Monica Simpson, Sonya Renee Taylor, Camil Williams || TELA
NEGRA || Inglês
MULHERES NEGRAS NO BRASIL MARCHANDO PARA A PROSPERIDADE: O Brasil está
vivendo o ressurgimento do racismo, sexismo, da discriminação religiosa, lesbofobia e de
outras formas de segregação e exclusão. A Marcha das Mulheres Negras contra o Racismo,
a Violência e pelo Bem-Viver foi uma oportunidade de denunciar esta situação e fazer
propostas para melhorar a vida das mulheres. Organização: Rosalia Lemos || Português
Construindo resistência coletiva na luta contra a violência institucional: Esta sessão
explorará como as mulheres de cor e suas organizações estão mantendo a transparência e
responsabilidade nas instituições. Aprofundaremos a análise de como a violência
INSTITUCIONAL afeta as nossas comunidades, ao mesmo tempo em que mapeamos
formas de curar, lutar e mantê-las conscienciosas. Organização: Dominique McKinney,
La'Tasha Mayes, Bezekela Mguni || Inglês
Diáspora das migrantes afrodescendentes: Nossas múltiplas existências: Qual é o papel
das mulheres negras da diáspora na luta por direitos humanos fora de seus países de
origem? As mulheres deste painel provocam as fronteiras, limitações e desafios sociais e
culturais, ao mesmo tempo em que enfrentam o abuso, a marginalização e alienação “daqui
e de lá”. Organização: Janvieve Williams Comrie, Marcia Olivo, Wanda Salaman,
Yvette Modestin || Espanhol
“É um novo alvorecer, um novo dia, uma nova vida para mim”: Esta sessão focará na
brutalidade policial, a violência sancionada pelo estado, o racismo institucional e as
mulheres negras. Painelistas do Brasil, Caribe e EUA discutirão como elas têm se envolvido
em uma mudança revolucionária, ousando sonhar um mundo livre de racismo antinegras/os. Organização: Shalini Eddens, Cat Brooks || Inglês
Racismo, saúde mental e mulheres negras: Esta sessão olha para o impacto da violência
racista na saúde mental e psicológica das mulheres negras. Almeja-se explorar as diferentes
estratégias que as mulheres negras usaram e estão usando para confrontar esta agressão
em suas vidas diárias. Organização: Maria Da Silva, Marilla Soares, Ceres Silva, Simone
Cruz || Português
13:30 – 14:30
ALMOÇO
14:30 – 15:30
SESSÕES CONDUZIDAS PELA COMUNIDADE
A) EXIBIÇÃO DE FILMES // TELA NEGRA
1. Não! O Documentário do Estupro (No! The Rape Documentary) por Aishah
Shahidah Simmons // Inglês com legendas em espanhol
2. A Casa na Estrada do Coco (The House on Coco Road) por Damani Baker //
Inglês
3. O Tempo dos Orixás por Elciana Nascimento // Português com legendas em inglês
B) JORNADA COLETIVA POR MEIO DE UMA EXIBIÇÃO DE ARTES VISUAIS: visita
guiada NSOROMMA // TELA NEGRA - (Francês e inglês)
C) SESSÕES DE BEM-ESTAR E SAÚDE CONDUZIDAS PELA COMUNIDADE
16:30 – 16:30
INTERVALO
16:30 – 18:00
SESSÕES CONDUZIDAS PELA COMUNIDADE
Diáspora queer africana: A necessidade de uma criação radical: Quais são as Identidades
queers africanas? Como é a organização e o fazer artístico transcontinental queer africano?
Qual o papel da arte queer Africana na formação da narrativa e identidade das queers
africanas? Esta sessão tratará destas questões e afirmará a necessidade da arte e do
ativismo africano queer. Organização: Yvonne Fly Onakeme Etaghene, Kagendo
Murungi, Ola Osaze || TELA NEGRA || Inglês
Construindo alianças transnacionais por meio das intersecções dos movimentos
feministas negros, queer e de imigrantes para transcender fronteiras: Os movimentos
de justiça social no EUA têm sempre se conectado a e se galvanizado pelas lutas globais
pela liberdade. Nesta oficina, participantes refletirão sobre a história partilhada para
vislumbrar um movimento transnacional por direitos humanos e justiça por meio de atos
radicais de solidariedade através de fronteiras múltiplas e intersetoriais. Organização: Lynn
Roberts, Charlene Carruthers, Stephanie Alvarado, Gaylon Alcaraz, Monica Simpson ||
Inglês
Alianças intergeracionais e solidariedade entre as mulheres africanas e
afrodescendentes para fortalecer o poder coletivo e resistir ao poder coorporativo:
Nas últimas três décadas, economistas feministas têm desafiado as políticas econômicas
neoliberais e sugerido alternativas econômicas concretizadoras de direitos sociais e
econômicos das mulheres. Estes esforços têm gerado ações marginais em termos de
mudança de orientação ideológica do fundamentalismo de mercado sob o qual governos e
políticas se baseiam, levando em consideração outros atores do desenvolvimento. Saiba
mais durante a sessão. Organização: Seynabou Ndiaye, Joan Dogojo, Yassine Fall,
Mafoane Odera, Chifundo Chilera || Inglês
Apresentando “Black Women´s Fund” (Fundo para Mulheres Negras): O Fundo para
Mulheres Negras procura dar origem a um movimento que ajudará a conectar as meninas e
mulheres negras (e nossas aliadas) a um caminho para que doações sejam feitas
diretamente às mulheres negras que se organizam em nome delas a cada dia. É nossa
ambição saber diretamente das feministas negras durante o Fórum Feminismos Negros e
escutar diretamente como o Fundo das Mulheres Negras pode melhor apoiar e fortalecer as
organizações de base lideradas por mulheres negras na América Latina e Caribe, África,
Europa e América do Norte. || Organização: Tynesha Mcharris || Inglês
Reescrevendo a história a partir de perspectiva feminista: Aproveitando o poder das
redes e plataformas narrativas feministas: A mídia hegemônica e os espaços literários,
incluindo revistas, oficinas de escrita criativa e programas, com frequência, replicam a
opressão de nosso tempo. Esta sessão discutirá as possibilidades de plataformas e redes
“alternativas”, baseado na experiência de um grupo internacional de escritoras feministas.
Organização: Rita Nketiah, Beatrice Lamwaka, Comfort Musa, Olutimehin Adegbeye ||
Inglês || TELA NEGRA
Organizações de mulheres negras: Criatividade e (re)invenção do empoderamento
Esta sessão discutirá a trajetória política das mulheres negras no Brasil enfatizando os
elementos que tornaram possível a formação de um sólido movimento de mulheres negras
com as diferentes nuanças atuais do Brasil. Organização: Nzinga Mbandi, Altamira
Simões, Dayse Sacramento, Aidil Moreira de Jesus, & Dayane Nayara Conceição de
Assis || Português
21:00 –23:00
CERIMÔNIA DE GRATIDÃO e (RE)COMPROMISSO
Conduzida por: Carolina Pires, Maggie Mapondera, Awa Fall Diop e Mãe Jaciara.
Sons da Liberdade – Viajando de volta no tempo || TELA NEGRA
Sons da Liberdade – Viajando de Volta no Tempo é uma conversa sônica entre tambores e
DJs do continente e da diáspora meditando sobre visões de liberdade por meio do som e
da dança. Invocando tradições negras de chamado e resposta, DJ Lunée Denise e a Banda
Didá fecharão o Fórum Feminismos Negros com música e ritmos que atravessam o mundo
negro.
Uma conversa sônica com:
• DJ Lynnee Denise
• Coletivo de Tambores Banda Didá
07 de setembro
1. Registro para o Fórum AWID e recebimento das Bolsas de Inscrição – Todo o dia
2. Encontros autogestionados – Todo o dia
3. Participantes do Fórum Feminismos Negros pré-inscritas/os participam do
Intercâmbio de Internet Feminista – todo o dia
4. Participantes do FFN pré-inscritos participam do Ativismo Feminista Jovem – todo
o dia
5. Participantes do Fórum Feminismos Negros pré-inscritas/os participam do Nutrindo
Liberdades com Angelica Moreira e DJ Afifa || TELA NEGRA – 12:00 – 16:00.
6. Sessões opcionais de saúde e bem-estar – 10:00 – 11:00
7. Visitas turísticas pré-reservadas
8. Exibição de filme: “A Arte de Ama Ata Aidoo”, seguido de uma conversa com a
diretora Yaba Badoe || TELA NEGRA || Inglês

Documentos relacionados

Mensagem de solidaridade do Grupo de Trabalho do Fórum

Mensagem de solidaridade do Grupo de Trabalho do Fórum controlar nossos corpos e quem amamos, e construir nossas vidas e nossas comunidades baseadas em criatividade, segurança genuína e amor. Pamoja! A luta continua, vitória certa ! Onwards! -Esta decl...

Leia mais