Edição 27 - Campos Salles

Сomentários

Transcrição

Edição 27 - Campos Salles
A Voz do Aluno
Giovanni Martini
Edição: 27
[email protected]
Mesmo com seleção “B” Estados
Unidos levam Mundial de Basquete
A
seleção americana de basquete conquistou no ultimo
dia 12 de Setembro, o Campeonato Mundial de Basquete,
batendo a Turquia por 81 x 64. Nem mesmo imensa torcida
turca que lotou o Sinan Erdem Dome localizado em
Stanbul, com capacidade para mais de 15 mil pessoas.
O campeonato aconteceu entre os dias 28 de Agosto e 12 de
Setembro, na Turquia e teve sedes nas cidades de Stanbul,
Ankara, Izmir e Kayseri. Participaram dele as seguintes
seleções: Alemanha, Angola, Argentina, Austrália, Brasil,
Canadá, China, Costa do Marfim, Croácia, Eslovênia,
Espanha, Estados Unidos, França, Grécia, Irã, Jordânia,
Líbano, Lituania, Nova Zelandia, Porto Rico, Rússia,
Sérvia, Tunísia e Turquia.
Desde o começo da competição, ficou claro a filosofia
implantada pelo técnico Mike Krzyzewski seria seguida a
risca por seus comandados, o elenco americno contou com
os seguintes jogadores: Chauncey Billups, Kevin Durant,
Derrick Rose, Russel Westbrook, Rudy Gay, Andre
Iguodala, Danny Granger, Stephen Curry, Eric Gordon,
Kevin Love, Lamar Odom e Tyson Chandler.
A campanha dos EUA foi a seguinte: na fase de grupos
venceu Croácia, Eslovênia, Brasil, Irã e Tunísia por 107 x
78, 99 x 77, 70 x 68, 88 x 51 e 92 x 57 respectivamente.
Nas oitavas-de-final venceram facilmente a seleção de
Angola por 119 x 66, nas quartas bateram a Rússia por 89 x
79, na semi a Lituânia por 89 x 74 e na final fizeram 81 x
64 na anfitriã Turquia
O grande destaque americano foi o ala-pivô Kevin Durant
de apenas, que manteve uma regularidade impressionante
durante toda a competição e números muito marcantes para
sua carreira. Durant teve média de 22,8 pontos por jogo,
alem de 6,1 rebotes e 1,8 assistências além de ter sido
escolhido melhor atleta da competição.
de (27/09 a 04/10)
Endrews Draghi
[email protected]
Documentário conta trajetória
de Ayrton Senna
A
Paramount Pictures anunciou a data de
lançamento no Japão e no Brasil do
documentário sobre a vida de Ayrton Senna.
No Japão, o documentário será lançado mais
cedo, e começa a ser exibido no dia 8 de
outubro. A pré-estreia será no circuito de
Suzuka, onde Senna conquistou seus três títulos
de F-1 e no Brasil estreará dia 12 de novembro,
na sexta-feira seguinte ao GP do Brasil.
A produção, com autorização da família
Senna e do inglês Bernie Ecclestone,
detentor dos direitos comerciais da Fórmula
1, foi feita pela britânica Working Title. A
direção é de Asif Kapadia, com roteiro de
Manish Pandey e produzido por James GayRees. Nenhum material exclusivo foi feito
para o filme, mas os produtores garantem
que haverá imagens e entrevistas inéditas do
piloto. A narração será em inglês com
legendas em por haverá imagens e
entrevistas inéditas do piloto. A narração
será em inglês com legendas em português.
A Voz do Aluno
Giovanni Martini
Edição: 27
[email protected]
de (27/09 a 04/10)
Endrews Draghi
[email protected]
Gestão da água é estratégia para o futuro
O 3º Relatório Global das Nações Unidas sobre
Desenvolvimento dos Recursos Hídricos, elaborado com a
participação da Unesco e divulgado este ano, conclui que a
demanda global por água tem aumentado significativamente em
função do crescimento e da mobilidade populacional, da
elevação do padrão de vida de parte da população e de uma
maior produção de alimentos e de energia, incluindo os
biocombustíveis. Deve ser considerado ainda o impacto das
mudanças climáticas como elemento adicional de perturbação
do ciclo hidrológico. Trate a água com respeito,pois no futuro
ela poderá lhe fazer falta,e poderá ser tarde !
Possíveis impactos da mudança de clima no Nordeste
É conhecido que as chuvas do semi-árido da região Nordeste
apresentam enorme variabilidade espacial e temporal.
Anos de secas e chuvas abundantes se alternam de formas erráticas, e grandes são as secas de
1710-11, 1723-27, 1736-57, 1744-45, 1777-78, 1808-09, 1824-25, 1835-37, 1844-45, 1877-79, 1982-83, e
1997-98. A ocorrência de chuvas, por si só, não garante que as culturas de subsistência de
sequeiro serão bem-sucedidas, e um veranico ou período seco dentro da quadra chuvosa pode ter
impactos bastante adversos à agricultura da região. O regime pluviométrico de uma determinada
região mantém uma forte relação com as condições hídricas do solo. Visto que a precipitação na
região Nordeste apresenta uma grande variabilidade no tempo e espaço, a ocorrência de chuvas,
por si, não garante que as culturas de subsistência serão bem sucedidas.
As projeções de clima, liberadas pelo Quarto Relatório do IPCC (IPCC AR4), têm mostrado
cenários de secas e eventos extremos de chuva em grandes áreas do planeta. No Brasil, a
região mais vulnerável, do ponto de vista social, à mudança de clima, seria o interior de
Nordeste, conhecida como semi-árido, ou simplesmente o “sertão”.