Dicas de História - Henrique

Сomentários

Transcrição

Dicas de História - Henrique
 Dicas de História ‐ Henrique 01 ‐ (UFG GO) Analise os mapas a seguir. Mapa 1 – Terra Brasilis Disponível em: <http://estudoliterario.blogspot.com/2008_02_01.archive.htm>. Acesso em: 1 dez. 2009 Mapa 2 – America Meridionalis Disponível em:<www.novomilenio.inf.br/santos/mapa68g.htm>. Acesso em: 01 dez. 2009. Os dois mapas foram produzidos, respectivamente, em 1519 e 1638 e descrevem, de forma distinta, o continente americano. Com base na comparação entre os mapas, explique a relação entre representação cartográfica e o conhecimento do território, em cada um deles. 02 ‐ (UFOP MG) Segundo a Constituição de 1824, “(...) o imperador seria figura inviolável e sagrada, sem responsabilidade pelos atos do governo, cujas funções seriam as de nomear os senadores, nomear e demitir os ministros de Estado, suspender os magistrados, perdoar e moderar penas impostas a réus, conceder anistia em casos urgentes, aprovar ou suspender resoluções dos conselhos provinciais, sancionar decretos e resoluções da Assembléia Geral, convocar, prorrogar ou adiar extraordinariamente as reuniões da Assembléia Geral, e até dissolvê‐la quando assim o exigisse a “salvação do Estado”, convocando imediatamente outra.” Vainfas, Ronaldo (Org.). Dicionário do Brasil imperial. Rio de Janeiro: Objetiva, 2002, pp.581‐582. De acordo com a leitura deste texto e baseado em seus conhecimentos, responda: a) A qual poder constitucional se referiam as atribuições citadas? b) Quais os principais argumentos levantados à época, contra as atribuições constitucionais do Imperador do Brasil? 03 ‐ (UFRN) Analisando a modernização da sociedade brasileira, os historiadores Antônio Paulo Rezende e Maria Thereza Didier afirmam: A década de 1920 foi muito importante, porque representou um momento significativo de reflexão sobre nosso passado e nossa identidade histórica. Apesar do autoritarismo, o povo não assistiu passivamente à ação de seus governantes; não se entregou a uma apatia desmobilizante nem se submeteu à vontade quase imperial dos coronéis. REZENDE, Antônio Paulo; DIDIER, Maria Thereza. Rumos da história. São Paulo: Atual, 2005. p. 495. A partir desse fragmento textual, a) cite e explique três elementos que caracterizam o poder político vigente, no Brasil, na década de 1920; b) cite e explique duas manifestações sociais contrárias ao poder político vigente ocorridas nesse período. 04 ‐ (UFRJ) “A violência da inflação e a quase destruição do sistema de preços já ameaçavam o funcionamento da economia [...]. Para sustentar de forma duradoura a estabilidade de preços, impõe‐se uma reforma monetária austera, capaz de devolver ao Estado o controle sobre a moeda. [...] não deve se traduzir apenas na mudança de denominação do padrão de referência de preços e contratos, mas deve atingir profundamente as formas de acesso à liquidez e os processos de criação do poder de compra. [...] As medidas [...] buscam, sobretudo, preservar os direitos adquiridos pelos cidadãos.” (Discurso do presidente Fernando Collor de Mello, apresentando o plano de estabilização, na reunião ministerial de 16/3/1990) Em 16 de março de 1990, dia seguinte a sua posse, Fernando Collor de Mello anunciou um plano econômico com diversas medidas. A impopularidade desse plano e a de outras medidas adotadas, somadas ao desgaste político agravado no ano de 1992, acabariam levando ao fim de seu governo, por decisão do Congresso Nacional. Explique duas consequências econômicas do Plano Collor. 05 ‐ (UNESP SP) Num antigo documento egípcio, um pai dá o seguinte conselho ao filho: Decide‐te pela escrita, e estarás protegido do trabalho árduo de qualquer tipo; poderás ser um magistrado de elevada reputação. O escriba está livre dos trabalhos manuais [...] é ele quem dá ordens [...]. Não tens na mão a palheta do escriba? É ela que estabelece a diferença entre o que és e o homem que segura o remo. (apud Luiz Koshiba, História – origens, estrutura e processos.) A partir do texto, discuta o significado da escrita nas sociedades antigas. 06 ‐ (UNICAMP SP) Até o século XII, a mulher era desprezada por ser considerada incapaz para o manejo de armas; vivendo num ambiente guerreiro, não se lhe atribuía outra função além de procriar. A sua situação não era mais favorável do ponto de vista espiritual; a Igreja não perdoava Eva por ter levado a humanidade à perdição e continuava a ver em suas descendentes os acólitos lúbricos do demônio. (Adaptado de Pierre Bonassie, Amor cortês, em Dicionário de História Medieval. Lisboa: Publicações D. Quixote, 1985, p. 29‐30.) a) Identifique no texto as razões para a mulher ser considerada inferior na sociedade medieval. b) Quais características da sociedade medieval configuraram um “ambiente guerreiro” até o século XII? 07 ‐ (UFC CE) Ao descrever o processo de desenvolvimento capitalista durante o século XIX, o historiador Eric Hobsbawm argumenta que o mundo se dividiu em “dois setores”: o primeiro identificado por países de economias avançadas e o segundo, em regiões onde o processo de desenvolvimento econômico e político foi menos intenso. Desse modo, segundo Hobsbawm, “existia claramente um modelo geral referencial das instituições e estruturas adequadas a um país ‘avançado’, com algumas variações locais”. a) Indique três características de um país “avançado” no século XIX. b) Que continente se destacou como centro do processo de desenvolvimento capitalista durante o século XIX? c) Identifique três países considerados avançados durante este período. 08 ‐ (PUC RJ) Enquanto um povo se uniu em 1989 sobre as ruínas de um muro que ia de Dresden a Berlim, outros muros são levantados na atualidade para separar os homens, tornando‐os estrangeiros, inimigos. Observe as imagens e faça o que se pede a seguir. Fig.1 Construção do muro de Berlim em 1961 Fig. 2 Muro‐vedação que separa a cidade de Nogales (México) da de Sonora (EUA) a) CARACTERIZE o contexto histórico em que foi construído o muro de Berlim. b) IDENTIFIQUE dois aspectos relativos às tensões vividas na fronteira entre Estados Unidos e México, na atualidade. 09 ‐ (UERJ) O problema agrário está na base dos conflitos sociais e políticos da História do México, desde a independência até a revolução. Todas as tentativas de mudança estrutural ‐ Independência, Reforma, Porfiriato, Revolução ‐ decorrem da necessidade essencial de resolver essa questão‐chave. AMÉRICO NUNES Adaptado de As revoluções do México. São Paulo: Perspectiva, 1980. Identifique o problema agrário ao qual se refere o autor do texto e estabeleça sua relação com a Revolução Mexicana de 1910. 10 ‐ (FUVEST SP) Honduras é um país da América Central, cuja história, assim como a de outros países latino‐americanos, é marcada pela dependência externa política e econômica. Em 2009, Honduras esteve em evidência no noticiário político. a) Explique por que esse país, bem como outros países da América Central, ficou conhecido como “Republiqueta das Bananas” ou “República das Bananas”. b) Em junho de 2009, um jornal de grande circulação publicou uma reportagem intitulada: Golpe em Honduras repete roteiro do século XX. Identifique e explique duas características comuns ao golpe ocorrido em Honduras e a outros golpes ocorridos na América Latina, durante o período da Guerra Fria. GABARITO: 1) Gab: Em cada um dos mapas, a relação entre representação cartográfica e conhecimento do território é expressa: 1. no mapa 1, observa‐se uma representação sobre o território que privilegia a fauna, a flora e os habitantes. A precisão cartográfica enfatiza o litoral, descrevendo seus acidentes geográficos e a toponímia, ao mesmo tempo em que explicita certo desconhecimento do interior. Esse desconhecimento pode ser identificado na composição escolhida pelo cartógrafo: ele preenche o espaço afastado da costa com ilustrações relacionadas à principal atividade econômica, a extração do pau‐brasil pelo indígena, associando‐a aos elementos mitológicos. Assim, no mapa, identifica‐ se elementos tanto do que os portugueses conheciam, quanto do que imaginavam. 2. no mapa 2, observa‐se uma maior precisão geográfica do território explorado, expressa nas referências à hidrografia e ao relevo, tanto do litoral quanto do interior. Essa maior precisão do segundo mapa decorre da ampliação dos conhecimentos científicos e da exploração mais sistemática do território, com as expedições ao interior do Brasil e pelo conhecimento do litoral sul‐americano do Oceano Pacífico. Mesmo assim, a representação cartográfica mantém ilustrações que, para além de seu caráter informativo, remetem ao imaginário europeu sobre o território. 2) Gab: a) Poder Moderador b) Argumentos liberais, republicanos, influenciados pelo Iluminismo, que criticava o Absolutismo Monárquico. 3) Gab: a) ∙ Poder local controlado pelo coronel – Os grandes proprietários de terras exerciam o controle político dos municípios e articulavam‐se às oligarquias dominantes em nível federal. ∙ Mecanismo de sustentação do poder coronelístico – O clientelismo e a violência de suas milícias sustentavam o poder dos coronéis, que se valiam de um sistema eleitoral fraudulento, que incluía o “voto de cabresto” e os “currais eleitorais”. ∙ Políticas de alianças no plano federal – A “política dos governadores” (troca de favores entre os governos estaduais e o governo federal) e a política do “café‐comleite” (acordos entre oligarcas mineiros e paulistas, com o intuito de controlar a Presidência da República). b) ∙ Tenentismo – militares se sentiam marginalizados na República e protestavam contra o sistema vigente. Faziam oposição ao governo central. A Revolta do Forte, por exemplo, é um evento tenentista. ∙ Coluna Prestes – organizada por Luís Carlos Prestes, a Coluna percorreu diferentes estados brasileiros, denunciando os desmandos do sistema eleitoral. ∙ Fundação do PCB – O Partido Comunista Brasileiro, fundado em 1922, protestava contra a situação vivenciada pelo país e, em especial, pelo operariado. ∙ Organização operária – possibilitou a formação de grandes greves: desde a Proclamação da República, os operários, sobretudo os migrantes, reivindicavam melhorias sociais, como o salário mínimo e a jornada de trabalho de 8 horas diárias. ∙ Semana de Arte Moderna – ocorrida de 11 a 18 de fevereiro de 1922, propunha a renovação da cultura e reforçava o nacionalismo. ∙ Cangaço – movimento surgido no sertão nordestino em razão das péssimas condições de vida da população desfavorecida economicamente e excluída dos privilégios sociais. ∙ Movimento Sufragista – lideranças feministas reivindicavam maior participação das mulheres no cenário político nacional. A luta pelo direito ao voto constituía a bandeira desse movimento. ∙ Criação do BOC – nesse contexto, as organizações operárias marcaram presença no parlamento brasileiro, a exemplo da formação do Bloco Operário e Camponês, de considerável influência comunista. 4) Gab: O candidato poderá explicar duas consequências econômicas do Plano Collor, dentre as quais: o bloqueio da liquidez dos haveres financeiros (contas‐correntes, poupança e outras aplicações), a redução da inflação e a recuperação, por parte do Estado, do controle sobre a moeda nacional. 5) Gab: O texto mostra que, nas sociedades do Oriente Antigo, a escrita tinha uma importância fundamental para a organização dos negócios do Estado, tanto no plano administrativo como no judiciário. Constituía também um elemento de distinção social, pois aqueles que a dominavam alcançavam estratos sociais mais eleva dos. E, embora o texto não o mencione, deve‐se observar que a escrita era igualmente relevante na religião (elaboração de textos sagrados), nas atividades contábeis e nas transações mercantis. 6) Gab: a) Podemos identificar no texto o desprezo pela mulher “por ser considerada incapaz para o manejo de armas”, sendo a procriação, num “ambiente guerreiro”, sua única função social. Como argumento religioso contra ela, o texto cita que era associada a Eva, personagem bíblica causadora dos males humanos. b) Podemos citar como características da sociedade medieval que configuram o “ambiente guerreiro” as sucessivas invasões que levaram às transformações nas relações sociais decorrentes da busca por proteção (suserania e vassalagem). A Igreja é articuladora dos valores da sociedade guerreira. Os castelos e as fortificações (grandes muros) conferiam à Europa medieval segurança tanto física como política. 7) Gab: Identificam‐se os países e as regiões avançados durante o século XIX como aqueles que desenvolveram intensos processos de expansão e crescimento econômico, acompanhados pelo fortalecimento das instituições do Estado e sua relação com a cidadania. As características básicas, segundo Hobsbawm são: a) um Estado nacional homogêneo, capaz de impulsionar o desenvolvimento econômico; b) a organização social e política representativa, do tipo Liberal‐Democrática; c) fortes noções de cidadania que têm relação direta com as instituições do governo nacional; d) um Estado soberano. O mundo avançado se destacou por altos índices de crescimento comercial, pela expansão industrial, pelo rápido crescimento populacional e pelo desenvolvimento de grandes centros urbanos. Este crescimento foi acompanhado pela democratização do acesso à educação básica. O continente que se destacou como centro do processo de desenvolvimento capitalista no século XIX foi a Europa, e, entre os países, se destacaram como sendo pertencentes ao primeiro mundo: a Bélgica, a Grã‐ Bretanha, a França, a Alemanha, a Holanda e a Suíça. 8) Gab: a) O muro de Berlim foi construído no ano de 1961, no contexto da Guerra Fria, caracterizada pela bipolarização política, ideológica e militar entre os blocos socialista e capitalista, liderados pela URSS e pelos EUA respectivamente. Após um primeiro momento de tensão envolvendo a Alemanha, em 1948, com o bloqueio terrestre imposto pelo governo soviético à cidade de Berlim, foram instituídas no ano seguinte as duas Alemanhas, a ocidental – República Federal da Alemanha – e a oriental – República Democrática Alemã. Em agosto de 1961, foi construído o Muro de Berlim, que separou concretamente os dois lados da cidade (incrustada na parte soviética) e se tornou símbolo da separação alemã e da Guerra Fria. b) O candidato poderá identificar dois entre os seguintes aspectos: ‐ atraídos pelas possibilidades de trabalho e enriquecimento nos EUA, milhares de pessoas tentam cruzar a fronteira dos EUA com o México (muitas fábricas norte‐
americanas, conhecidas como “maquiladoras”, instalaram‐se nos últimos anos na fronteira com o objetivo de utilizar a mão‐de‐obra barata oferecida pelos mexicanos que se concentram no norte do país); estes imigrantes ao cruzar a fronteira podem enfrentar inúmeros problemas como prisões, conflitos com fazendeiros, fome ou afogamento. ‐ a população de imigrantes sem documentação que mora e trabalha nos Estados Unidos vem crescendo, regularmente, desde a Reforma de Imigração e o Ato de Controle (IRCA) de 1986; esta legislação gerou um maior controle nas fronteiras e a imposição de penalidades contra aqueles que empregam pessoas sem documentação. ‐ com o reforço da fronteira californiana, a tensão maior encontra‐se atualmente na fronteira do Arizona, para onde os imigrantes mexicanos passaram a ir devido ao menor controle; na falta de policiamento desta fronteira, os fazendeiros da região assumiram este papel, provocando o aumento da violência e das tensões. É ao longo desta fronteira que existe um muro intercalado com trechos de arame farpado controlado pela guarda da fronteira norte‐americana e por sistemas eletrônicos, com o objetivo de impedir a entrada de imigrantes ilegais nos EUA. Em 2006, foi aprovada a ampliação desse muro, o que tem gerado protestos por parte de organizações não governamentais e de defensores dos direitos humanos. ‐ a fronteira é também um lugar de tensão devido ao tráfico de drogas e armas. ‐ As diferenças culturais e linguísticas também provocam o aumento de tensões étnicas e culturais na fronteira. 9) Gab: A concentração da propriedade da terra nas mãos de poucos. A concentração da propriedade da terra acirrou o descontentamento da maioria camponesa e indígena que estava sendo alijada de suas propriedades individuais ou coletivas. 10) Gab: a) O termo “República ou Republiqueta das Bananas” era usado com duplo sentido. Do ponto de vista econômico, indicava que os países da América Central, em função do clima tropical, eram importantes produtores e exportadores de frutas, com destaque para a banana. Do ponto de vista político, caracterizava, de forma pejorativa, governos subordinados aos interesses de empresas transnacionais, principalmente norte‐americanas, que atuavam nos países da região, monopolizando as exportações agrícolas, base da economia regional. b) Durante o período da Guerra Fria (1945‐89), ocorreram na América Latina golpes políticos com características semelhantes ao ocorrido em Honduras. Como pontos comuns, destacam‐se: — apoio militar aos golpes, organizando a expulsão de chefes de governos; — controle das vias de circulação, limitando a passagem de pessoas e assim contendo ações contra golpistas; — suspensão das emissões de notícias por rádio e tevê, privando a população de maiores detalhes sobre os fatos; — controle das forças que apoiavam os governos destituídos. 

Documentos relacionados

Brenner - Lista 03 Maratona 17-01 - Cópia

Brenner - Lista 03 Maratona 17-01 - Cópia agronegócio barateou o custo dos alimentos e deu à população um maior poder de consumo e de escolha, mas também trouxe vários problemas, principalmente ligados às questões ambientais e sociais. a) ...

Leia mais