Quem pergunta quer saber

Сomentários

Transcrição

Quem pergunta quer saber
A RAZÃO
PÁGINA 12
Criança
NOVEMBRO / 2011
Espaço infantil
Quem pergunta quer saber
a minha mãe me responde
não fico intrigado, porque
ela explica com todos os
pormenores. Não são somente os meus pais que
me ajudam: os professores,
e a família toda.
Então, amigos adultos,
as pergunta que podem
parecer insignificantes pa-
Acho que os adultos
também deveriam
perguntar sempre.
ra vocês são de fundamental importância para
nós, crianças e nos sentimos muito satisfeitas
quando recebemos resposta aos nossos porquês.
Não fiquem perplexos
nem irritados com nossas
perguntas, tenho certeza
que elas não são impossíveis de responder.
Nina Pomim, 10 anos, é
fre quentadora da Sala das Cri anças na Filial Petrópolis (RJ).
O corpo humano
Os olhos
F
A
M
A
R
E
L
O
Desculpe
Por favor
I
O
Y
R
W
O
P
J
O
F
J
D
H
S
U
C
B
E
X
R
Ç
U
L
C
R
E
T
A
G
N
R
Y
E
Q
D
Z
R
V
E
B
V
D
D
A
A
Z
Z
U
U
L
L
M
M
N
N
G
A
R
N
E
Y
D
Q
R
Solução
Z
E
Você pronuncia essas
palavas com frequência?
Sempre,
nada
quase sempre,
às ve zes, ra ra mente ou nunca?
Se você as utiliza sem-
V
V
Existem algumas pa lavrinhas mágicas, que
nos abrem portas e fazem as
De
pessoas te rem
boa impressão de
nós. Veja algumas delas
em destaque.
B
U
S
B
C
X
Autor desconhecido
E
Ç
Obrigado
R
L
Com licença
pre, parabéns. Se for quase sempre, nota 9.
Se, porém, for às ve zes, aí complica um pouco, porque devemos ser
atenciosos e educados todo o tempo.
Se for raramente, tem
alguma coisa muito errada. E se for nunca, que
vergonha!
Copie essas cinco pa lavrinhas mágicas mil vezes e aprenda a dizê-las.
Você vai ver como tudo ficará mais fácil de ser resolvido ou conquistado.
U
R
Palavrinhas mágicas
C
T
A coragem é
meia batalha
vencida.
E
I
O pai do Gustavo perguntou a ele:
– Meu filho, você acha
que a sua professora desconfia que eu ajudo você
a fazer o dever de casa?
– Acho que sim, pai.
Ela até já disse que seria
melhor você voltar para a
escola...
F
Y
Fonte: Wikipédia
Pegou mal
O
W
um dos olhos, temos noção
de apenas duas dimensões
dos objetos: largura e altura. Com os dois olhos,
passamos a ter noção da
terceira dimensão: a profundidade. Inte ressante,
não?
Fazem parte também
desse órgão, por incrível
que pareça, as sobrance lhas. Isso mesmo. Elas têm
a função de não deixar que
o suor da testa escorra
para dentro dos olhos.
Muito cuidado com eles?
R
P
em posição invertida. A
imagem formada na retina
também é invertida. O nervo óptico transmite o impulso nervoso provocado
pelos raios luminosos ao
cérebro, que o interpreta e
nos permite ver os objetos
nas posições em que realmente se encontram.
Nosso cérebro reúne
em uma só imagem os impulsos nervosos provenientes dos dois olhos. A
capacidade do aparelho visual humano para perceber
os relevos deve-se ao fato
de serem diferentes as imagens que cada olho envia
ao cérebro. Com somente
A professora de matemática não conhecia o
Fabrício. Pensou que ele
era um aluno sério e perguntou:
– Se eu lhe ter três
chocolates hoje e dois
amanhã, você vai ficar
com... com...
– Contente, professora.
O
O
Continha
J
J
A professora perguntou:
– Lucas, em quantas
partes se divide o crânio?
O menino respondeu:
– Depende da pancada, professora.
F
H
Depende
D
A música é de Fran cisco Braga, e a letra, de
Olavo Bilac. Como Bilac,
um dos maiores poetas
brasileiros, costumava utilizar um vasto volabulário,
vamos “traduzir”:
Salve – uma saudação
Pendão – bandeira
Augusto – respeitável
Agora, podemos ler:
“Salve, linda bandeira da
esperança, salve respeitável
símbolo da paz! Tua nobre
presença nos traz à lembrança a grandeza da
Pátria”.
Procure no quadro abaixo as cores da Bandeira.
Juquinha voltou da escola e a mãe perguntou:
– Oi, meu filho, como
foi a aula hoje?
– Tudo bem, mãe, respondeu.
– Que bom! Aprendeu
tudo direitinho?
– Acho que não, mãe,
porque a professora disse
que amanhã eu terei que
ir de novo à escola.
O
“Salve, lindo pendão
da esperança,
Salve, símbolo augusto
da paz!
Tua nobre presença à
lembrança
A grandeza da Pátria nos traz.
Dificuldade
L
começa assim:
Comemora-se no Brasil,
a 19 de novembro, o Dia
da Bandeira, projetada por
Raimundo Teixeira Mendes,
em 1889, ano da proclamação da República. Na
faixa branca que corta o
círculo azul, está escrito,
em letras verdes, ‘Ordem e
Progresso’. No círculo estão
desenhadas em branco 27
estrelas, representando os
26 Estados do Brasil e o
Distrito Federal.
A Bandeira, apesar de
apresentar quatro cores, é
mais conhecida pelas verde
e amarelo. É um dos quatro
símbolos oficiais da República Federativa do Brasil,
manifestações gráficas e
musicais que transmitem o
sentimento de união nacional e mostram a soberania do país. Os outros símbolos oficiais são o Hino
Nacional, o Brasão das
Armas da República e o
Selo Nacional.
O Hino à Bandeira
O pai do Joãozinho ficou furioso quando o garoto lhe mostrou o boletim.
– Na minha época as
notas baixas eram punidas
com uma boa surra.
E o Joãozinho mandou:
– Legal, pai. Vamos esperar o professor na hora
da saída, amanhã.
E
Bandeira
brasileira
Já falamos aqui, na
série O corpo humano, do
coração, dos pulmões e do
estômago. Nesta edição,
falamos dos olhos, que são
o órgão da visão, dos animais irracionais, como os
bichos, e dos racionais, que
somos nós, seres humanos.
É pelos olhos que enxergamos as coisas; para o
poeta, são a janela da alma.
Sabe quanto eles pesam?
Sete gramas e meio. Para
se ter uma ideia de quanto
é isso, uma folha de papel
pesa um pouco menos: 4,5
gramas.
De forma esférica, os
olhos são protegidos pelas
pálpebras. A retina é a
parte nervosa do órgão, o
que quer dizer que é a responsável por levar a imagem por meio do nervo óptico para que o cérebro a
interprete.
Os olhos são formados
ainda por várias outras
partes. O que nos interessa
saber aqui é como eles funcionam. A luz atravessa a
córnea, o humor aquoso e
o cristalino, e se dirige
para a retina, que funciona
como o filme fotográfico
Notas baixas
R
Lisboa), nos conta:
– Sou muito curioso e
faço muitas perguntas à
minha mãe e ao meu pai.
Quando era mais novo,
fazia perguntas como ‘Qual
é o meu nome completo?’
E a minha mãe respondiame sempre em qualquer
circunstância e ainda responde, claro. Sempre que
Nós, crianças, ansiamos por conhecimento e
nossas perguntas são nossos primeiros passos rumo
ao mundo dos adultos.
Se uma criança escolhe
você para fazer uma pergunta é porque viu em
você confiabilidade, orgulhe-se dessa escolha, e tenha certeza de que ela esta
diante de uma pessoa que
admira e respeita muito.
Seja verdadeiro na resposta, pois ela jamais esquecerá e você marcará
fortemente o futuro dessa
criança que tudo que quer
é evoluir.
“Evoluir é desenvolver-se gradualmente,
num movimento progressivo. Cada ser alcança um
grau maior na escala da
evolu ção.” (Do livro
Racionalismo Cristão para
Crianças)
A
N
ós, crianças, só
aprendemos as
coisas perguntando. Às vezes
alguns adultos ficam aborrecidos com tantas perguntas, mas enquanto as
respostas não nos satisfazem, vamos insistindo
até estarmos satisfeitos e
abrirmos novos horizontes.
Talvez seja por isso que
aprendemos sempre coisas
novas. Acho que os adultos
também deveriam ser assim, perguntar sempre.
Por que não perguntar?
Quando vou a uma palestra e ouço o palestrante
indagar, no final, se algum
dos presentes deseja fazer
alguma pergunta, observo
que quase nenhum adulto
se levanta para perguntar.
Será que eles entenderam
tudo? Ou é vergonha?
Vergonha de que?
Não são esses mesmos
adultos que nos ensinam
a perguntar quando tiver-
Somos curiosos, mas
nossa curiosidade aguçada
é que fará de nós futuros
doutores naquilo que de
melhor vocês, adultos, nos
ensinarem.
Nosso amiguinho Nélio
(Nélio Jorge Gomes Lima,
10 anos, frequentador da
Sala das Crianças da Filial
M
mos dúvidas e também a
perguntar antes de fazer
as coisas para não errar?
Há adultos que dizem
ter dificuldade para res ponder as perguntas das
crianças, mas tudo que
nós queremos é só a verdade, e se perguntamos
algo é porque estamos
preparados para saber a
verdadeira resposta.
Os adultos, às vezes,
complicam, pois nos ensinam a não mentir, mas,
quando fazemos perguntas, algumas vezes nos
respondem com mentiras.
Ensinam-nos a perguntar, para não errarmos, e
quando começamos as perguntas eles ficam nervosos
e dizem não saberem responder. Nosso interesse
vem do íntimo, tudo que
buscamos é a verdade, o
co nhecimento que estamos aptos a receber.
Cada pergunta merece
uma resposta, verdadeira,
não há criança que não
faça perguntas.
A
Nina Pomim