programa de ensino da graduação 2011

Сomentários

Transcrição

programa de ensino da graduação 2011
UNIDADE UNIVERSITÁRIA
PROGRAMA
DE
ENSINO
DA
GRADUAÇÃO
Faculdade de Ciências e Tecnologia
CURSO
Fisioterapia
HABILITAÇÃO
OPÇÃO
2011
DEPARTAMENTO RESPONSÁVEL - Fisioterapia (Prof. Dr. Jayme Netto Junior)
IDENTIFICAÇÃO
CÓDIGO
DISCIPLINA OU ESTÁGIO
SERIAÇÃO
IDEAL
Prática Supervisionada em Medicina Desportiva
4o. Ano
OBRIG./OPT./EST.
PRÉ E CO-REQUISITO
ANUAL/S
EM.
Obrigatória
Pré - Fisioterapia em Cardiologia e Fisioterapia em Medicina Desportiva
Anual
CRÉDITOS CARGA HORARIA
DISTRIBUIÇÃO DA CARGA HORÁRIA
TOTAL
TEÓRICA
PRÁTICA
TEÓRICO/PRATICA OUTRAS
06
090
090
NÚMERO MÁXIMO DE ALUNOS POR TURMA
AULAS TEÓRICAS AULAS PRÁTICAS
AULAS TEÓRICO/PRÁTICAS
OUTRAS
06
OBJETIVOS (ao término da disciplina o aluno deverá ser capaz de:)
O objetivo do estágio é dar noções teóricas-práticas e específicas sobre a Fisioterapia Aplicada ao Esporte:
suas técnicas, métodos e formas de atuação, proporcionando ao aluno condições de adquirir conhecimentos
e, conseqüentemente, melhorar a sua formação Universitária.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO (título e discriminação das Unidades)
- Definição;
- Tipos de lesões específicas nos esportes;
- O fisioterapeuta nos esportes;
- Área de atuação;
- Atuação nas áreas de competição;
- Atuação na clínica;
- Uso do frio: a) efeitos fisiológicos; b) métodos e aplicações; c) indicações e contra-indicações de acordo
com a fase e local das lesões;
- Uso do calor: a) efeitos fisiológicos; b) métodos e aplicações; c) indicações e contra-indicações de acordo
com a fase e local das lesões;
- Hidroterapia: a) efeitos mecânicos; b) pressões hidrostáticas; c) formas flutuantes de exercícios;
- Técnicas de imobilização;
- Associação de tratamento;
- Treinamento, competição e reabilitação.
METODOLOGIA DE ENSINO
Aulas expositivas, e projeção de slides.
BIBLIOGRAFIA BÁSICA
01. APPENZELLER, O. ATKINSON, R. R. Sports medicine: fitness, training, injuries. Baltimore: Urban and
Schwarzenberg, 1983.
02. BIRRER, R. B. Common sports injuries in youngsters. Oradel: Medical Economics, 1987.
03. BIENFAIT, M. Os desequilíbrios estáticos: fisiologia, patologia e tratamento fisioterápico. São Paulo,
Summus, 1995.
04. BOOTTER, J. M. C., THIBODEAU, G. A. Athletics injuries assesment. Saint Louis: Times Mirror,
1989.
05. CALAIS-GERMAIN, B. Anatomia para o movimento: introdução à análise das técnicas corporais.
Trad. de Sophie Guernet. São Paulo: Manole, v.1, 1991.
06. DAMBROSIA, R. D., DREZ, J. R. D. Prevention of treatment of running injuries. New Jersey: Black,
1986.
07. EITNER, D. et al. Fisioterapia nos esportes. São Paulo: Manole, 1984.
08. GOMES, A. C. Cross training: uma abordagem metodológica. Londrina: APEF, 1992.
09. GONÇALVES, A. et al. Saúde coletiva e urgência em educação física. Campinas: Papirus, 1997.
10. GOULD, J. A. Fisioterapia na ortopedia e na medicina do esporte. 2. ed. Trad. de Alfredo Jorge
Cherem. São Paulo: Manole, 1993.
11. HELAL, B., KING, J. B., GRANGE, W. S. Sports injuries and their treatment. London: Chapman and
Hall, 1986.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
01. HORTA, L. Prevenção de lesões no desporto. Lisboa: Caminho, 1995.
02. KENDALL, H. O., KENDALL, F. P., WADSMORTH, G. E. Músculos: provas e funções. 4. ed. Trad.
Nelson Gomes de Oliveira. São Paulo: Manole, 1995.
03. KNOPLICH, J. Enfermidades da coluna vertebral. São Paulo: Panamed, 1982.
04. LEITE, P. F. Aptidão física, esporte e saúde. Belo Horizonte: Santa Edwiges, 1985.
05. NETTO, Jr. J., PASTRE, C. M., CORRÊA, J. C. Atuação do fisioterapeuta no esporte de alto nível. Rev.
Fisioter. Univ. São Paulo, v. 4, n.1, p.1-46, jan/jun., 1997.
06. REID, S. Head and neck injuries in sports. Springfield: CC Thomas, 1984.
07. TAYLOR, P. M., TAYLOR, D. K. Conquering athletic injuries. Champaing: Leisure, 1988.
08. WOLPA, M. E. The sports medicine guide: treating and preventing common athletic injuries. New York:
Leisure, 1982.
CRITÉRIO DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM
Na primeira semana de estágio haverá uma avaliação teórica para que o supervisor tome conhecimento do
nível que se encontram os alunos; essa avaliação não influenciará na nota do estágio.
Os alunos serão avaliados durante todo o estágio quanto ao seu desempenho prático, o que implicará em
uma nota, a outra nota será a se uma avaliação final, escrita, realizada ao término do estágio. A soma e
divisão destas duas notas será a média final de aproveitamento do aluno.
EMENTA (Tópicos que caracteriza as unidades dos programas de ensino)
Atuação prática em neurologia, pediatria, pneumologia, ortopedia e traumatologia, cirurgia geral,
reumatologia e angiologia nos pacientes de leito. Noções gerais sobre o funcionamento dos hospitais com
profissionais de outras áreas que normalmente atuam neste local.
HORÁRIO DE ATENDIMENTO AO ALUNO:
APROVAÇÃO:
DEPARTAMENTO 22/11/2010
CONSELHO DE CURSO
/
/
CONGREGAÇÃO
/
/

Documentos relacionados

programa de ensino da graduação 2011

programa de ensino da graduação 2011 16. KENDALL, H. O., KENDALL, F. P., WADSMORTH, G. E. Músculos: provas e funções. 4. ed. Trad. Nelson Gomes de Oliveira. São Paulo: Manole, 1995. 17. KNOPLICH, J. Enfermidades da coluna vertebral. S...

Leia mais

programa de ensino da graduação 2011

programa de ensino da graduação 2011 UNIDADE I - HIDROTERAPIA 1. Ações hidrocinéticas - turbilhão, piscinas, duchas e tanques . propriedades físicas da água . projeto e equipamento do departamento de hidroterapia . efeitos fisiológico...

Leia mais