TRANSPARÊNCIA! - IBEF Campinas

Сomentários

Transcrição

TRANSPARÊNCIA! - IBEF Campinas
Nº 135
Publicação do Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças – Campinas
Novembro de 2014
TRANSPARÊNCIA!
Ela cresceu nas empresas de Campinas e região.
Dois eventos trataram do tema. Págs. 3 e 6
EXPEDIENTE
O Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças
(IBEF) é uma entidade sem fins lucrativos, formada
por profissionais de finanças que tem como objetivo
o desenvolvimento profissional e social, através do
intercâmbio de informações.
A entidade foi fundada no Rio de Janeiro em 1971.
Em Campinas, o IBEF foi constituído em 1985. É
uma entidade pública municipal (Lei nº 12.070
de 10/09/2004). No Brasil, o IBEF tem também
entidades em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito
Santo, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco,
Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal.
CONSELHO DIRETOR – 2013/2015
Gislaine Heitmann
Presidente do IBEF Campinas
Foram demais!
E
m todos os sentidos, posso dizer
que outubro e novembro foram
demais. Logo no início do mês,
lançamos o 5º Anuário de Transparência Contábil e Governança Corporativa – uma parceria com a KPMG no
Brasil e o Grupo Polis Educacional –
com apoio da Faculdade de Jaguariúna
(FAJ) e da Max Planck. Em seguida, na
nossa agenda mais um evento de alta
relevância: o V Seminário Empresas Familiares, um dos mais concorridos da
temporada. No dia 28 de outubro recebemos os executivos da Mahle que
apresentaram o case de sucesso: “Troféu Transparência 2014. Com grande
presença da mídia de Campinas e região apresentamos no dia 29 de outubro, Dárcio Moraes, Diretor Financeiro
da PPG Industries para o Brasil, como
“O Equilibrista 2014” e os vencedores
dos prêmios “Destaque”: “Comércio e
Serviços” – Azul Linhas Aéreas, presidente José Mário Caprioli; “Indústria”
- John Deere Brasil, presidente Paulo
Renato Herrmann; “Empresa Brasileira” – Cybelar, presidente Ubirajara
Pasquotto e “Responsabilidade Social”
– Hospitalhaços, coordenador Mário
Eduardo Paes. Também foram um grande sucesso os eventos voltados para os
públicos jovem empresarial e para as
mulheres, graças ao formato inovador
implementado pelos diretores do IBEF
Jovem e IBEF Mulher. Em outubro a
diretoria continuou o debate para a
elaboração do primeiro planejamento
estratégico da nossa história. Também
iniciamos a reformulação dos grupos
de estudos e o projeto para a comemoração dos 30 anos do IBEF Campinas.
Novembro começou animado com a
cerimônia do Troféu Equilibrista. Só
entre nós, em termos de eventos, comentários, repercussão na mídia, curtidas no Facebook e posts favoritos,
não tivemos outros meses melhores
para o IBEF Campinas do que outubro
e novembro. Foram dezenas de dias de
trabalho intenso, por isso, gostaria de
agradecer a minha diretoria, os associados, os integrantes da secretaria do IBEF
Campinas e a imprensa de Campinas e
região. Muito obrigada a todos.
DCI Campinas, 30/10/2014
Metro, 30/10/2014
Destak, 30/10/2014
CONSELHO FISCAL EFETIVO
Membros: João Batista Castelnovo (presidente),
Miguel Arcângelo Ruzene, Adriana Sanfelice
Suplentes: Jesus Aparecido Ferreira Pessoa, André
Luiz Felizardo, Roberto Carlos Guize
CONSELHO CONSULTIVO
Saulo Duarte Pinto Jr. (presidente), Amilcar Amarelo,
José Roberto Morato, Marcos de Mello Mattos
Haaland, Antônio Horácio Klein
DIRETORES VOGAIS
Bancos: Monica de Cassia Freire Gondin;
Comércio: Karim Samra; Mídia Televisiva: Antonio
Wellington da Costa Lopes; Mídia Impressa: Moacir
Teixeira Dias; Indústria: Renê Augusto Marzagão;
Logística: Fernando Cunha de Figueiredo Torres;
Responsabilidade Social: F. Edmir Bertolaccini;
Produtos e Serviços: Luiz Antonio Furlan; Jurídico:
Marco Antonio Ruzene; Agronegócio: Rodrigo
Bortollini Ruzende; Tecnologia e Inovação: Denise
Cremonini; Relações Acadêmicas: José Carlos P.
Coimbra; Health Care: Elem Regina Serafim Martins;
Relações Institucionais: Letícia Micchelucci
GRUPOS E COMITÊS
Tributário: Ramon Molez Neto e Andrea de Toledo
Pierri; Controladoria: Juliana Bilachi e Tiago Furigo;
Tesouraria: Rafael Marques Santos; Crédito e
Gestão de Riscos: Luciana J. Cecconello e Rogério
Bortoletto; Tecnologia e Inovação: Dorian Lacerda
Guimarães e Esdras Moraes Sobrinho; Empresas
Familiares: José Luis Finocchio Jr. e Maurício
Colombari; IBEF Jovem: Alan Santinello e Leonel
Pereira Serafim; IBEF Mulher: Teresa Guemureman
e Anneli Majuri.
IBEF EM REVISTA – www.ibefcampinas.com.br
Tiragem: 1.000 exemplares
Publicação Bimestral do IBEF CAMPINAS
Rua Barão de Jaguara, 1.481 – 11º andar – conj. 113
Campinas/SP – CEP 13015-910
Fone (19) 3233.1851
Contato: [email protected]
Correio Popular, 30/10/2014
Jornalista Responsável:
Mônica Maria Guimarães Pinto
Projeto Gráfico:
Caractere – Fone: (19) 3307.4824/3254.1053
Caractere
fotografia, conteúdo e design
2
IBEF EM REVISTA
DCI SP, 7/10/2014
Correio Popular, 4/10/2014
Presidente: Gislaine Heitmann
Primeiro Vice-Presidente (V.P.): Valdir Augusto de Assunção
V.P. de Administração: Flávia Crosara G. de Andrade
V.P. de Finanças: Ana Maria Cajueiro Toffolo
V.P. Jurídico: Arthur Pinto de Lemos Netto
V.P. Relacionamento: Jean Paraskevopoulos Neto
V.P. de Admissão e Frequência: Carina Budin Amaro
V.P. Técnico: Octávio Teixeira Brilhante Ustra
V.P. de Desenvolvimento: Marcos de Figueiredo Ebert
Band Cidade, 29/10/2014
5º Anuário de
Transparência
A
KPMG no Brasil, em parceria
com o IBEF Campinas e o Grupo
Polis Educacional – com apoio da
Faculdade de Jaguariúna (FAJ) e da Max
Planck –, lançou a 5ª edição do “Anuário
de Transparência Contábil e Governança
Corporativa 2013/2014, no dia 3 de outubro, em Campinas. A pesquisa abrangeu
100 empresas da Região Administrativa
de Campinas e revelou que em 2013,
77% das empresas divulgaram suas demonstrações financeiras de forma completa (70% em 2012) e, entre as sociedades de grande porte, 75% realizaram
a divulgação de informações relevantes
nas demonstrações financeiras, apontando, por exemplo, os fatores de riscos,
as transações com partes relacionadas,
os instrumentos financeiros e as contingências (65% em 2012). Além disso, 82%
das empresas pesquisadas adotaram os
novos CPCs antecipadamente. No exercício de 2012, apenas 13 empresas fizeram esta opção. “O anuário mostra que
a questão da transparência está cada vez
mais presente junto às empresas”, apon-
Quinto ano de sucesso
da parceria entre o IBEF
Campinas, a KPMG e o
Grupo Polis Educacional
ta Gislaine Heitmann, presidente do IBEF
Campinas. “O ano de 2013 foi o quinto
após a adoção das normas IFRS/ CPC no
Brasil e já percebemos um processo harmonizado e consolidado de aplicação das
normas contábeis internacionais localmente. Observamos, também, uma clara
tendência pela busca das melhores práticas de governança corporativa, abrangen-
do a transparência contábil e aderência às
normas”, complementa o sócio da KPMG,
Jean Paraskevopoulos Neto. As empresas
pesquisadas geraram resultado líquido positivo de aproximadamente R$ 18 bilhões,
mantendo patamar de lucro semelhante a
2012. A margem líquida representa 14%
do faturamento em 2013, um declínio de
um ponto percentual em relação a 2012.
V Seminário Empresas Familiares
Fotos: Gustavo Tílio
Case Adere: sucessão sem traumas
C
líderes do segmento em que atua. “Na
empresa, todos os administradores têm
a mesma carga de trabalho e a justiça
impera entre nós”, reforçou.
O debate sobre as empresas familiares
proposto pelo IBEF Campinas foi bastante elogiado por Dias. O executivo
lembrou que a maioria das empresas
familiares existentes no País carece de
informações relacionadas a todo processo sucessório, às fusões, à própria
administração do negócio. “O tema é
altamente pertinente e espero ter colaborado com minha experiência para
que as pessoas se informem melhor sobre ele”, afirmou.
Coube a Geraldo Figueiredo Filho, especialista em Finanças e Gestão de Riscos, Planejamento Estratégico e Governança Corporativa, a tarefa de abordar
“O Papel do Conselho Administrativo
nas Empresas Familiares”. Como ele
mesmo destacou, a sua abordagem teve
a proposta de incentivar “um diálogo”
sobre o tema. Sócio-diretor da RiskPlan
do Brasil, Consultoria de Estratégia, Finanças e Riscos, Figueiredo Filho comentou sobre os vários instrumentos
José Luiz Finocchio Jr., Luís Gustavo Dias e
Valdir Augusto de Assunção
Geraldo Figueiredo Filho e Maurício Colombari
existentes que “permitem regular as
relações dentro de uma empresa familiar.”
Segundo ele, a governança corporativa
é algo novo no Brasil e, por isso, um
pouco desconhecido, principalmente
nas empresas em questão. “É preciso,
nos caso dessas empresas, saber separar a gestão da propriedade, separar o
acionista do gestor. É preciso constituir
um conselho de administração que resolva eventuais conflitos e o mérito deve
prevalecer para a escolha de quem comandará o negócio.” A “acomodação”
dos herdeiros dentro do processo administrativo foi outro ponto abordado pelo
especialista. O evento também recebeu
elogios de Figueiredo Filho.
Tema importante para todas as empresas
Heitor Ono, economista formado pela
Unicamp e atual sócio responsável pela
área de Investment Banking da Master
Minds Capital, teve a missão de discutir o tema “A dinâmica das fusões e
aquisições nas empresas familiares e a
preparação das mesmas para novos negócios”. Em sua palestra, Ono fez uma
4
IBEF EM REVISTA
om o objetivo de propiciar o
debate e a exposição sobre assuntos referentes à gestão e a
sucessão nas empresas de controle familiar, o IBEF Campinas convidou profissionais experientes e renomados para
tratarem da questão. O depoimento do
palestrante Luís Gustavo Dias, presidente da Adere Fitas Adesivas, foi um
dos mais aguardados pelo público. Dias
comanda uma empresa familiar, desde
2008. Sucessor de seu pai no cargo, o
executivo garantiu que todo o processo
sucessório dentro da empresa, fundada
em 1967, ocorreu sem traumas. Segundo ele, o respeito pela sua escolha predominou e o resultado final foi acatado
pelos quatro irmãos. “Com respeito,
tudo fica mais fácil”, afirmou ele para o
público que prestigiou o seminário.
Dias, 44 anos de idade, comentou ainda
que o seu profissionalismo foi reconhecido pelos que aprovaram sua ascensão
ao cargo, respaldando a sua liderança
em uma empresa que conta com mais
de 200 colaboradores. Administrada
pela família, com apenas a “ajuda” de
um consultor, a Adere é hoje uma das
Jean Paraskevopoulos Neto e Heitor Ono
abordagem prática sobre o tema, procurando elucidar dúvidas sobre ele. O especialista mostrou como funciona e quais
são os problemas possíveis de serem
encontrados na hora em que a empresa
decide pela fusão com outro grupo ou
quando decide captar capital ou mesmo
quando encerra suas atividades. Segundo
ele, tais situações geram riscos e requerem muitos cuidados.
Para Ono, o seminário não serviu apenas
aos executivos de finanças já que o tema
é importante para diferentes áreas. “É um
assunto fundamentalmente empresarial,
mas que interessa a diferentes profissionais”, disse ele, após cumprimentar o IBEF
Campinas pela realização de mais este
evento.
Marcos e Gustavo Ebert
Simone de Oliveira Barreto e Antonio
Airton Ferreira
José Luiz Finocchio Jr., Marcos Haaland,
Roberto Bucker e Saulo Duarte Pinto Jr.
Eliane Esteves Salustiano e Ana Carolina
Baptista Oliveira
Adolfo Luis Vicentim elogiou a escolha dos
temas. “Úteis para qualquer empresa”,
ressaltou. Segundo ele, o case Adere
apresentado mostrou que a empresa familiar
cresceu como muitas no país pela qualidade de
seus produtos e serviços. “Achei fantástica a
forma que a Adere conduziu seu crescimento.
Eles mostraram que não basta só focar no
dinheiro, mas na evolução do negócio.”
Para Guido Pedrossantti Junior quando a empresa
precisou realmente de profissionais para organizar a
empresa para o novo patamar de ação, ela também
profissionalizou a família. “Além de trazer profissionais
do mercado, eles profissionalizaram os executivos da
família. Quando entrou a empresa investidora, eles
mantiveram o fundador, o dono da empresa, porque
é ele quem conhece o negócio.” A Adere é a segunda
maior marca de fitas adesivas do Brasil, ficando atrás
apenas da multinacional 3M.
Transparência agrega valor
Caio Gonçalves de Moraes, diretor Executivo e de Relações com Investidores e diretor Financeiro do Grupo Mahle Metal Leve
U
6
IBEF EM REVISTA
m case de sucesso, confirmado por importante premiação
conquistada recentemente, a
Mahle Metal Leve, empresa de peças
automotivas, foi o objeto de mais uma
palestra promovida pelo IBEF Campinas, em outubro. O destaque ficou por
conta da importância do prêmio “Troféu Transparência 2014 e os caminhos
trilhados pela Mahle até alcançar a referida distinção foram os pontos abordados por Caio Gonçalves de Moraes,
diretor Executivo e de Relações com
Investidores da empresa. Moraes, que
acumula ainda a função de diretor Financeiro do Grupo Mahle Metal Leve,
fez, de início, um breve relato sobre a
história da empresa que, segundo ele,
por si só justifica a premiação.
De acordo com o executivo, a empresa de capital aberto desde os anos
70. Mesmo tendo sido adquirida, anos
depois, pelo Grupo Vale, não fechou
seu capital. Em 2011, a empresa reforçou a governança de sua administração, “primando pela transparência nas
movimentações financeiras, sempre
abertas aos clientes, aos acionistas minoritários, não limitando apenas a dar
satisfação ao público técnico.”
A empresa, ainda segundo Moraes,
conserva incondicionalmente o compromisso de manter aberto o canal de
comunicação com mercado, “cada vez
mais ágil e proativo”. O perfil de estar
sempre em sintonia com o mercado
também, conforme o executivo, contribuiu para o destaque alcançado pela
Mahle. “Nosso grupo reforçou a estrutura de governança no País, apesar de
ser uma filial de uma empresa alemã.”
A repercussão desta filosofia de administração pela Mahel, confirmou Moraes, surtiu ainda efeitos positivos para
a realização de novos negócios com
novos parceiros. “Facilita a intermediação de futuros negócios, sem dúvida.” O executivo afirmou ainda que as
empresas que não tiverem o foco em
transparência, em ética, na comunicação tanto interna externa com os colaboradores, em valores sólidos enfrentarão sérias dificuldades para se situar
no mundo moderno, “pois eles (valores) são chaves para se fazer negócios.”
Segundo ele, nunca antes no Brasil a
governança corporativa foi tão debatida quanto está sendo hoje, o que reforça a importância da transparência
dentro de qualquer empresa.
Para Moraes, o movimento pela governança corporativa já incorporado pela
grandes empresas, em breve também
regará as de menor porte, reforçando
a relevância da transparência como
fundamental para o sucesso e conseqüente sobrevivência das corporações
independente de seu tamanho. “Hoje
é um diferencial. No futuro, uma necessidade.” O executivo finalizou ainda elogiando a iniciativa do IBEF em
promover o o debate sobre a experiência da Mahle.
Repercussão
“O case apresentado trouxe
informações que nos ajudarão
muito no dia a dia. O mercado
hoje é muito dinâmico e essa
sinergia de informações é
fundamental para o negócio.”
Katia Regina Baracia
“O interessante é ver como a
transparência está nas empresas
de capital aberto, como ela se
coloca diante do investidor. É
super importante a questão de ser
honesto com o investidor, atender
sua expectativa de ser cada vez
mais transparente. Não é uma
opção, mas uma necessidade.”
Dárcio Moraes
“Vejo como uma questão cultural.
Esse encontro propicia ter uma
visão de uma outra empresa
e por conseqüência traz para
nós, executivos, novas visões
e aprendizados. Hoje não se
esconde mais nada do mercado.
Então se a empresa trabalha
com transparência, adquire maior
credibilidade e se torna diferente.
Quem não se tornar diferente pela
sua transparência, se torna excluído
pela sua omissão de informação.”
Adauto Emerenciano
Destinação solidária
O
IBEF Campinas chega ao final
do ano com mais um desafio:
o de sensibilizar a sociedade
campineira a participar com maior efetividade do processo de ajuda as crianças
e aos adolescentes carentes através de
destinações feitas a partir da declaração
do Imposto de Renda. A entidade é uma
das envolvidas neste trabalho, conforme
explica Marcos de Ebert, vice-presidente
de Desenvolvimento do IBEF Campinas e
também tesoureiro do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adoles-
cente (CMDCA - Campinas). Segundo ele,
as pessoas físicas, que declaram no modelo completo o seu Imposto de Renda,
podem destinar até 6% do imposto a ser
pago para o Fundo Municipal de Direitos
da Criança e do Adolescente de Campinas
(FMDCA - Campinas). “Ao fazer esta destinação, o contribuinte permite que este
recurso fique no nosso município, sendo
usado para desenvolvimento de ações de
atendimento à criança e ao adolescente.”
As pessoas jurídicas também podem destinar, porém, somente as tributadas pelo Lucro Real. “Estas podem destinar até 1% do
imposto a ser pago”, esclarece Marcos. Em
ambos casos, as destinações podem ser
feitas no site http://fmdca.campinas.sp.gov.
br, na aba “Como destinar”. Através deste
procedimento, o contribuinte emitirá um
boleto bancário, o qual deverá ser pago
até o último dia bancário deste ano. Segundo Ebert, a participação da comunidade campineira nesta ação de solidariedade
tem sido tímida. “Em 2012, o potencial
de arrecadação do FMDCA - Campinas,
através de destinações de pessoas físicas,
era de R$ 64 milhões. Foram arrecadados
aproximadamente R$ 2 milhões, ou seja,
3,1% do potencial.” Para este ano, os objetivos são maiores. “Nossos esforços são no
sentido de atingirmos 10% do potencial,
através de campanhas junto aos empresários da cidade, associações e sindicatos de
contabilistas. Com relação às destinações
de pessoas jurídicas, cerca de 50% do potencial têm sido destinados ao FMDCA.
Também pretendemos aumentar este percentual em 10%”, informou o vice-presidente do IBEF. Os recursos destinados têm
seu uso fiscalizado pelo CMDCA, pela
Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social e pelo Tribunal de
Contas do Estado. “O CMDCA, que administra o FMDCA, é composto por sete
conselheiros representando a sociedade
civil, e sete, o poder público. Os conselheiros tem um mandato de dois anos,
com direito a uma reeleição, e não são
remunerados. Os conselheiros que representam a sociedade civil são escolhidos
pelas entidades assistenciais de Campinas,
por meio de eleição”, informa Marcos.
M O M E N T O S DE
Noventa e cinco pessoas entre sócios, convidados e seus familiares part
no Grande Hotel Senac São Pedro, em Águas de São Pedro (SP). O even
Além de uma programação animada, os participantes aproveitaram d
Check-in
Torneio de
Caipirinha
Coquetel
Boas Vindas
Caminhada
Biribol
Bingo
Todos os participantes, após o check-in, encontraram em seus apartamentos uma
sacola com brindes, crachás e a programação do evento
Torneio de
Caipirinha
Check-in
Check-in
Coquetel
Boas Vindas
Torneio de
Caipirinha
Torneio de Caipirinha no sábado:
2º lugar – Jean Parasquevopoulos Neto (entregue brinde simbólico)
1ª lugar – Maurício Colombari (entregue brinde simbólico)
Menção honra decoração Pedro Chiliatto (entregue brinde simbólico)
Degustação
de Charuto
Biribol
Caminhada
Caminhada
Check-in
Torneio de
Caipirinha
Degustação
de Charuto
Jantar
Jantar
Atividades
Infantis
Cozinha
IBEF EM REVISTA
Happy-Hour
Atividades
Infantis
Caminhada
Bingo
Biribol
No coquetel de boas vindas houve sorteio de brin
associados de outros IBEFs
Cozinha
8
Bingo
Check-in
Animação no Biribol
Cozinha
Atividades
Infantis
Coquetel
Boas Vindas
Degustação
de Charuto
Degustação
de Charuto
Jantar
Bingo
Biribol
Cozinha
Caminhada
Coquetel
Boas Vindas
Jantar
Happy-Hour
Happy-Hour
Check-in
Torneio de
Caipirinha
Caminhada
Biribol
Degustação
Coquetel
de Charuto
Boas Vindas
Atividades
Infantis
Happy-Hour
Duas
caminhadas: sábado saindo do Hotel e indo para cidade e domingo para
conhecer as Torres de Petróleo
Bingo
Cozinha
Visita à cozinha e lavanderia
contaram com a participação de 20 pessoas
ELICIO S OS
Fotos: Vera Magalhães
Coque
Boas Vi
Check-in
Torneio de
Caminhada
Biribol
Check-in
Torneio de
Caipirinha
Coqu
Boas V
Degustação
de Charuto
Jantar
Ativida
Infan
Caminhada
Biribol
Cozinha
Happy-Hour
Caipirinha
ticipam do XVI Sócio Esportivo Regional, realizado de 29 a 31 de agosto
nto promoveu a integração com atividades de lazer para todas as idades.
de um hotel diferenciado com excelente infraestrutura e gastronomia.
Bing
Bing
Todos provaram as delícias preparadas pelo
hotel
Torneio de
Caipirinha
Check-in
ndes doados pela PwC, KPMG, Formula e Cia e Campinas Notebook, além da participação de
Biribol Torneio de
Caipirinha
Coquetel
Bingo Boas
Vindas
Happy-Hour
Atividades
Infantis
Torneio de
Caipirinha
Coquetel
Boas Vindas
Biribol
Bingo
Jantar
Atividades
Infantis
Bingo
Degustação
de Charuto
Bingo realizado sábado
IBEF EM REVISTA
Brincadeiras para divertir a criançada
9
Degustação de charuto na Rua de Pedra, já
que no estabelecimento é proibido fumar
Jantar Biribol
Cozinha
Ativida
Infan
Brindes marcaram o Happy-Hour
Caminhada
Degustação
Caminhada
de Charuto
Jantar
Coquetel
Boas Vindas
Check-in
CaminhadaCheck-in
Degustação
de Charuto
Degustação
Cozinha de Charuto
Happy-Hour Jantar
Atividades
Infantis
JANTAR HARMONIZADO
Fotos: André Fonseca
» Anfitriã: Lemos E Associados Advocacia
11.setembro.2014
JANTAR HARMONIZADO
» Anfitriã: KPMG
15.outubro.2014
Fotos: Dominique Torquato
GRUPOS DE ESTUDOS
1
Crédito e Gestão
Tema: “Ferramentas para Efetividade na
Recuperação de Ativos” – Debatedoras: Márcia
Ferreira Ventosa e Camila Somadossi G. da Silva
2
Evento realizado, em 2/9, na sala Deloitte 1
3
Controladoria
Tema: “ IFRS 15
Contratos de Receitas com Clientes”
Debatedor: Márcio Cavalcanti
Evento realizado, em 23/9, na sala Deloitte 1
Tema: “Fluxo de Caixa:
como trabalhar sua previsibilidade”
Debatedor: Geraldo Figueiredo Filho
Evento realizado, em 16/9, na sala Deloitte 1
4
Controladoria e Tesouraria
Tema: “Hedge
Uma abordagem Prática”
Debatedor: Clenes Bezerra
Evento realizado, em 26/9, na sala Deloitte 1
Tema: “A Inteligência Fiscal nas Obrigações Acessórias”
12
IBEF EM REVISTA
5
Tributário
Tesouraria
Debatedor:
Marcelo
Cabrini Simões
Evento realizado, em 30/9, na sala Deloitte 1
ANIVERSARIANTES
NOVOS ASSOCIADOS
05 Fabio da Silva Gatti
01 Roberto Carlos Guize
11 Joaquim Carlos Dias
02 Ederaldo Orlando Silvatti
06 João Segato Martinez
Daniel F. de Oliveira
Patricia Kik F. C. Pinto
12 Carina Budin Amaro
15 Fábio Bueno de Aguiar
13 Cesar Augusto Laky Redondo
19 José Roberto Morato
14 Alexandre Correa Duarte
Eliane Esteves Salustiano
Ricardo Yoshioka
24 Osvaldo Davanço
25 Rafael Henrique Monteiro
Ulisses de Araujo
29 Edgard Machado Filho
Tiago Donatti Furigo
Deloitte
Flávia Adriana Brabdini Rocha
Renato Passarin e Filhos Ltda.
15 Mario Massao Nakamura
21 Amilcar Amarelo
DEZEMBRO
NOVEMBRO
17 Roberto Figueiredo Guimarães
22 Antonio Jose Fabrício
Solange Tessari Giardini
Novus do Brasil Com.Importação Ltda
18 Gordiano Pessoa Filho
19 Marcelo Carvalho de Araujo
20 Cássio Manoel de Andrade
22 Aderbal Alves Nogueira
Ricardo Hideki Eguchi
Kion South America
Michele Fernanda Rodrigues
Consultora
23 Benedito Alfredo Baddini Blanc
Jacqueline Velardi de Lima Prestes
Gustavo Affonso Ferreira
24 Marcos de Figueiredo Ebert
25 Celso José Guimarães
Adilvo Pinheiro de Oliveira França Junior
Lucas Ganzarolli Silva
Química Amparo - Ypê
Thiago Guilherme Ebert
Mix Café - Banco de Negócios
de Bebidas Com. & Alimentos Ltda.
27 Jorge de Jesus Longato
29 Taciane Guetten Ribaski
30 Paulo Roberto Toledo Correa
Sergio Cosmo Vargas Fernandes
Renê Augusto Marzagão
Elaine Vidal Bergara di Giovanni
Ferraz de Camargo e Matsunaga Advogados
Rodrigo Garcia Martines
Brasiliense Comissária de Despachos Ltda.
Fábio Gatti
Tudo começa com a boa educação.
Acho que nas creches já deveríamos ter
professores preparados para estimular o
desenvolvimento das crianças. A primeira
regra para educar um povo, é educarse a si próprio. Povo educado tem mais
higiene, consequentemente mais saúde.
Educação
Ernesto Fantini
Educação é a prioridade zero. O Brasil tem
problemas de produtividade e sabemos
que na raiz, além de outras questões,
estão a baixa qualidade da educação e a
alta carga tributária. Todos sabem disso,
não existe crescimento sustentável sem
qualidade no ensino.
João Segato
Martinez
Nossa escola vai mal. Os jovens
talentosos não querem ser professores.
A sociedade brasileira quer mudança.
A educação precisa de mudanças.
Um tema pouco abordado pelos candidatos a presidente
das eleições de 2014 durante suas campanhas deve ser a
prioridade do próximo chefe do Executivo, na opinião da
maioria dos nossos associados. Segundo enquete realizada
no último mês, a educação venceu temas como a política
econômica, a saúde e a segurança na preferência dos nossos executivos.
Educação é a base de tudo. Acho que o professor valorizado
é fundamental para formação moral, de valores do aluno,
hábitos que o indivíduo terá como base por toda a sua vida,
em conjunto com a criação familiar. Portanto, espero grandes
investimentos nessa área, desde a Educação Infantil quando
são formadas as estruturas de uma boa educação.
Felipe Schmidt Zalaf
Combater a corrupção deveria ser prioridade de qualquer
liderança democrática. A corrupção empobrece ainda
mais os pobres e reduz a atividade econômica. Sem
corrupção o Brasil funcionaria melhor, ou seja, sobrariam
recursos para educação, saúde e segurança.
Fernanda Perches
Denise Ebert
14
IBEF EM REVISTA
O cidadão perdeu a liberdade, o cidadão
normal é um prisioneiro porque ele não
pode sair à rua, ou seja, não pode usufruir
do que conquistou. A gestão na Educação
também não é boa. No meu entendimento
educação e segurança são prioridades.
Na tevê assistimos reportagens que mostraram a situação
precária de escolas públicas em todo país. São escolas sem
água potável, sem banheiro e até sem sala de aula. É preciso
melhorar as escolas e oferecer educação de qualidade para
todas as crianças e jovens brasileiros.
Ana Maria Gomes Fantini
Coaching e tecnologia: ferramentas de sucesso
Foto: Gustavo Tílio
Gislaine Heitmann, Luís Roberto Mulla, Luceli Mota e Allan Santinello
O
s benefícios do coaching e da
tecnologia para profissionais
da área financeira foram os
assuntos de duas palestras promovidas
pelo IBEF Jovem. No penúltimo evento
do ano, Luceli Mota, diretora da LMota
Treinamento e Desenvolvimento, e Luís
Roberto Mulla, diretor de Atendimento
e Relacionamento da Totvs Interior Paulista, falaram para o público sobre os temas, respectivamente.
nanceira. Antes disso, no entanto, Mulla
fez um relato sobre a sua trajetória profissional. Ele passou para o público dicas
de como o profissional pode alcançar o
sucesso em sua atividade, assim como
ele alcançou. O executivo destacou
que o profissional de hoje tem que ser
eclético. “Ele tem que estar sempre se
preparando e se atualizando, para não
perder as oportunidades que hoje surgem e desaparecem rapidamente. Tem
que estar ligado de 18 a 20 horas por
dia em tudo que acontece dentro e fora
da empresa.”
15
Sobre a tecnologia, Mulla disse que ainda existe uma boa parcela dos empresários que não sabe utilizá-la e que resiste
às mudanças. “Ainda há muita falta de
formação para alguns empresários que
precisam vivenciar novas culturas.”
Para ele, muitos empresários deixam de
olhar o que está acontecendo em outros mercados e, com isso, deixam de
investir em atividades que poderiam ser
altamente rentáveis por aqui. “A Internet
abriu um universo ainda pouco conhecido por nossos empresários.”
Na avaliação de Mulla, eventos, como
o promovido pelo IBEF, auxiliam na
mudança desta realidade, além de ofeSucesso
recerem conhecimentos que as universiCoube a Luís Roberto Mulla, um dos dades não oferecem. “As universidades
principais executivos da Totvs, falar so- hoje só produzem técnicos, não formam
bre a utilização da tecnologia na área fi- grandes líderes”, comentou.
IBEF EM REVISTA
De maneira descontraída, os dois palestrantes abordaram detalhes das atividades a que se dedicam, ambos com o
objetivo de ajudar na melhora da performance do jovem profissional. Luceli
mostrou como o coaching pode ser útil
nesta tarefa e como esta ferramenta
pode ser aplicada no momento atual,
dominado por pesada carga de informações transmitidas pelas mais diferentes
mídias. “O coaching ajuda o jovem a ter
referências, em meio a tantas informações que chegam”, disse Luceli, acrescentando ainda que os pais podem se
valer de um profissional do coaching
para despertar nos filhos a chamada “visão do futuro.” A palestrante destacou
a importância do coaching para que
o jovem – esteja ele ainda cursando a
universidade ou já atuando no mercado de trabalho – “busque traçar metas
que auxiliem a dar direcionamento à sua
vida profissional.” Ainda segundo ela, o
coaching também auxilia na reestruturação da vida profissional ou na busca
da carreira certa. Ela informou que, atualmente, muitas empresas recorrem ao
profissional de coching seja na hora da
admissão de novos profissionais ou para
promover o aumento da produtividade
de sua equipe.
A importância da saúde mental do profissional foi abordada por Luceli, que
disse ser fundamental que este requisito seja privilegiado pelas empresas.
“Com a velocidade com que as coisas
estão acontecendo hoje em dia, e com
as cobranças que são feitas em termos
de prazos e performance, se a pessoa
não se fortalecer emocionalmente , ela
não terá estrutura física e mental para
suportar, o que é ruim para o profissional e para a empresa.” Luceli elogiou os
temas que o IBEF escolheu para divulgar
na palestra entre os jovens, destacando
que eles refletem a preocupação que
as empresas e o próprio instituto têm
em investir no desenvolvimento de sua
principal matéria-prima, que é a pessoa.
“De nada adianta ter a tecnologia, se as
pessoas não estiverem aptas técnica e
emocionalmente para fazer funcionar
toda esta tecnologia.”
REPERCUSSÃO
Associados e convidados do IBEF Jovem elogiaram o debate produtivo
que aconteceu sobre coaching e tecnologia da área financeira
“Os temas da palestra são muito interessantes para, nós, jovens, pois agregam experiências
e nos auxiliam na busca por melhores resultados. O evento é uma excelente oportunidade para
o networking, para a troca de experiências com outros profissionais. Para quem está começando
em um mercado tão concorrido como o nosso, a expertise é fundamental.”
Vladimir Augusto Gallo
“O IBEF está de parabéns porque ele dá chance da gente se encontrar com outros profissionais.
Para nós que ficamos muito presos em nossas funções esta interação é muito boa e proveitosa.
As informações que recebemos nas palestras são muito importantes para o nosso dia a dia
profissional.”
Guilherme Barnabé Mendes Oliveira
“Para mim, que estou há oito anos no Grupo Arcel, o coaching é muito importante para que eu
agregue valores. Também o networking que o evento possibilita me interessa bastante. Saio daqui
mais enriquecida em conhecimentos obtidos com as informações passadas pelos palestrantes.”
Bárbara Pereira
“O conhecimento passado nas palestras não têm preço, assim como a oportunidade de
trocar experiências com pessoas de outras empresas também é muito gratificante. Fiquei muito
satisfeita e um pouco mais preparada para exercer minha função.”
Sabrina Basílio Ultremare
“Palestras como estas ampliam horizontes, principalmente com temas tão importantes como
os de hoje. O coaching, por exemplo, ajuda a gente a mudar atitudes e posturas no trabalho.
Já o debate sobre a tecnologia é vital, porque sem ela (tecnologia), não temos como executar
nossas funções.”
Ana Maria Santos Hipólito
16
IBEF EM REVISTA
“Eu sempre participo das palestras do IBEF porque elas ajudam na minha atualização
profissional. Ficar a par do que está acontecendo no mercado é muito necessário e os temas
escolhidos são atuais e nos ajudam a crescer.”
Líliam Regina Zeolo
“A discussão sobre o coaching é muito estimulante para os jovens, como eu, pois propicia
uma melhora acentuada em nossa performance. Em relação à TI (tecnologia da Informação),
o legal é poder debatê-la de forma interativa, assim como a tecnologia vem se difundindo.”
Bruno Toffolo
“Para quem busca a eficiência operacional, os temas das palestras são imprescindíveis.
São temas contemporâneos que se aplicam a diferentes setores empresarias, não só financeiro.
Com a mente mais aberta, ficamos mais preparados para as mudanças que acontecem no
mercado.”
Marcelo Lodetti

Documentos relacionados

Beazer vale casa antílope

Beazer vale casa antílope negócios, da efetiva participação, da representatividade institucional e da formação de opinião. No Brasil, o Ibef associa cerca de 4.500 executivos com seccionais em Campinas, São Paulo, Rio de Ja...

Leia mais

flycasting essência

flycasting essência Bortolini Rezende; Transparência Contábil: José Carlos P. Coimbra; Health Care: Elem Regina Serafim Martins; Governança Corporativa: Marco Antonio Ruzene

Leia mais

Edi o 80 - Maio 2004_ap

Edi o 80 - Maio 2004_ap negócios, da efetiva participação, da representatividade institucional e da formação de opinião. No Brasil, o Ibef associa cerca de 4.500 executivos com seccionais em Campinas, São Paulo, Rio de Ja...

Leia mais

2c desafio vencedor do prémio Ohio

2c desafio vencedor do prémio Ohio em São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Distrito Federal, reunindo cerca de 5 mil associados. O Ibef é filiado a International...

Leia mais

ABCO finanças prémio

ABCO finanças prémio elegantes e alegres. A festa de entrega dos prêmios Equilibrista e Destaques 2003, promovida pelo Ibef-Campinas, foi um show de bom gosto, charme e competência. Cerca de 450 associados, convidados,...

Leia mais

máquina de Mario Sorrenti

máquina de Mario Sorrenti negócios, da efetiva participação, da representatividade institucional e da formação de opinião. No Brasil, o Ibef associa cerca de 4.500 executivos com seccionais em Campinas, São Paulo, Rio de Ja...

Leia mais

facebook Mariko

facebook Mariko V.P. de Admissão e Frequência: Carina Budin Amaro V.P. Técnico: Octávio Teixeira Brilhante Ustra V.P. de Desenvolvimento: Marcos de Figueiredo Ebert CONSELHO FISCAL EFETIVO Membros: João Batista Ca...

Leia mais