RECEPÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS ORAIS E ESCRITOS DE

Сomentários

Transcrição

RECEPÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS ORAIS E ESCRITOS DE
EIXO TEMÁTICO:
RECEPÇÃO E PRODUÇÃO DE TEXTOS ORAIS E ESCRITOS DE GÊNEROS TEXTUAIS
VARIADOS EM LÍNGUA ESTRANGEIRA
Tema 2: Produção escrita
Tópico 8: Contexto, produção textual e circulação do texto escrito.
8.1. Planejar a produção de textos, de vários gêneros textuais, tendo em vista as condições de
produção sob as quais se está escrevendo.
Habilidade: 8.2. Produzir textos coesos e coerentes, de vários gêneros textuais, ao longo do processo de
revisar, produzir e editar, tendo em vista as condições de produção sob as quais se está
escrevendo.
Tópico 9: Elementos não-verbais e saliências gráficas.
Habilidade:
9.1. Fazer uso, nos textos produzidos, de recursos não-verbais e saliências gráficas, tendo em vista
as condições de produção sob as quais se está escrevendo.
Tópico 11: Seqüências lingüísticas narrativas em gêneros textuais diferentes.
Habilidade:
11.1. Redigir textos com seqüências narrativas, considerando as condições de produção e
circulação.
11.2. Fazer uso adequado dos marcadores temporais e seqüenciais.
Porque ensinar
Importância do desenvolvimento da escrita em língua estrangeiravisando à capacitação do aluno para interações bem sucedidas
por meio de textos de gêneros escritos relevantes para alunos de ensino médio.
Condições prévias para ensinar:
Percepção da língua como ação social.
Percepção da escrita como um processo cíclico, que envolve fases de aperfeiçoamento do texto, ao longo de sua produção.
Seleção de tarefas de escrita que correspondam a situações reais de interlocução e que contenham especificações relativas às
condições de produção: a que gênero pertence o texto que vai ser produzido, incluindo sua função comunicativa básica; o
contexto e o público-alvo ao qual o texto será dirigido; o ponto de vista sob o qual se vai escrever, onde e quando o texto será
publicado.
O que ensinar:
Conscientização sobre as fases envolvidas na escrita de um texto.
Mostre ao aluno que escrever é interagir - por meio do texto - com um interlocutor ausente que constrói sentido com base em seus
objetivos e conhecimento anterior, fazendo uso das pistas verbais e não-verbais sinalizadas por quem escreve.
Desenvolvimento dos três tipos de conhecimento: (a) o de mundo, (b) o textual (pela exploração e conscientização das
características básicas do gênero a ser escrito), e (c) o léxico-sistêmico pela aquisição e uso significativo de vocabulário e de itens
gramaticais necessários à construção do texto.
Desenvolvimento das habilidades de escrita listadas no início destas orientações pedagógicas.
Como ensinar:
Recursos: Textos representativos de gêneros textuais escritos similares ao que será produzido.
Orientações Pedagógicas: Utilização das seguintes fases no processo de produção escrita:
Pré-escrita
1.1. Levantamento de idéias (brainstorming e leitura de textos do mesmo gênero dos que serão produzidos). Apresentação das
perguntas: Quem escreve? Sobre o quê? Para quem? Para quê? Quando? De que forma? Onde?, de modo a verificar se os
alunos têm clareza das condições de produção sob as quais o texto será produzido. Com base nas condições de produção
especificadas para a tarefa de escrita, o aluno terá a oportunidade de discutir, em seu grupo, sobre o tema e o gênero do texto
que vai produzir.
1.2. Planejamento (plano textual)
Produção de um plano textual (um esquema do que pretende escrever) com base no levantamento de idéias feito na etapa
anterior e nas condições de produção especificadas para a tarefa de escrita. Além do conteúdo, leve os alunos a pensarem nos
recursos lingüísticos dos quais precisarão para realizar o texto.
Compreensão de que o planejamento é uma etapa importante que pode contribuir para a produção de um texto claro, coerente e
bem organizado, em função do gênero textual e dos objetivos de escrita.
Escrita: primeiro rascunho - revisão - segundo rascunho - revisão - edição final e “Publicação”
Os alunos redigem seus textos com base em seu planejamento inicial. Em seguida, trabalham em duplas, para que um revise o
trabalho do outro ao longo da produção textual. Cada dupla deve ser incentivada a discutir sobre as revisões sugeridas, sendo que
reescritas devem ser efetuadas.
O professor e a turma estabelecem os critérios para as revisões - é essencial que elas se centrem não só nas características
textuais: organização, coerência, coesão, clareza, usos adequados dos articuladores de idéias, seleção adequada do léxico e dos
recursos gráficos, como também nos aspectos de correção gramatical, em função das condições de produção estabelecidas para
a tarefa de escrita.
É importante que o aluno incorpore a noção de que o texto se aperfeiçoa ao longo do processo de rascunhos sucessivos,
discussões, reflexões e reescritas até a versão final.
O texto produzido deve ser socializado por meio de “publicações” que podem ser feitas no mural da sala, em portfólios individuais,
nos sites da turma, de forma que o aluno-escritor perceba que o seu texto atendeu às suas funções comunicativas básicas ao ser
lido por um leitor que o fez funcionar lingüística e tematicamente no processo de construção de sentidos.
Pós-escrita
Provoque reflexões e sistematizações sobre as características próprias de cada um dos gêneros textuais produzidos em sala e
também sobre os aspectos gramaticais relacionados a tais textos, visando, principalmente, ao desenvolvimento do conhecimento
textual e do léxico-sistêmico (os mecanismos de coesão, os articuladores de idéias, os modalizadores estão, por exemplo, entre
os aspectos que precisam ser sistematizados numa abordagem de ensino que vê a escrita como processo)
Como avaliar:
A avaliação deve constar de dois momentos. Durante a aula, os alunos deverão ser avaliados pela participação e cumprimento
das etapas no processo de escrita. A contribuição de cada um é fundamental para o bom desempenho de todo o grupo.
Num segundo momento, a avaliação pode se dar por meio de uma prova que contemple as habilidades desenvolvidas neste
plano. Sugere-se o emprego de questões abertas tais como a reescrita do texto do gênero estudado após os comentários do
professor, a elaboração de um portfólio, a identificação dos objetivos das diversas partes de um texto, ou questões fechadas do
tipo múltipla escolha e ordenação de parágrafos.
ATIVIDADE EXEMPLIFICATIVA
Palavras-chave: produção escrita, identidade, biografia, tópicos 8, 9 e 11
Referências:
(Pelé) http://www.360soccer.com/pele/pelebio.html
(Ronaldo) http://www.askmen.com/men/sports/54c_ronaldo.html
(Gisele Bündchen) http://www.nationmaster.com/encyclopedia/Gisele-B%FCndchen
How to write a
biography: http://www.infoplease.com/homework/wsbiography.html; http://www.ladyjskingdom.com/How_to_Write_A_Biography.ht
ml
Observações sobre a atividade:O objetivo da atividade é levar os alunos à reflexão sobre sua própria identidade e de seus
ascendentes. Há três opções de atividades: a biografia de um parente (avós, pais); a biografia de um colega de sala; a autobiografia.
________________________________________________________________________________________________________
________________
Pré-escrita: Peça aos alunos que leiam rapidamente uma ou mais biografias de brasileiros famosos (ver Referências). Em
seguida, peça que eles descrevam a estrutura de uma biografia. Se necessário, introduza as características e um roteiro de como
elaborar um texto biográfico (ver Referências).
Fase de geração de idéias: Se optarem pela elaboração da biografia de um parente, peça aos alunos que escolham uma única
pessoa sobre a qual vão contar uma história, a sua história de vida. Se o professor optar pela elaboração da biografia de um
colega, faça um sorteio para que nenhum aluno fique sem par. Junto com os alunos monte no quadro uma lista como esta, por
exemplo:






Origins: name, place/date of birth, parents, brothers/sisters
Heritage: occupation of parents, places where he/she lived in childhood
Education: school, high school, achievement as a student
Occupation: jobs, trials/struggles, achievements
Family: marriage, children, where he/she lived as an adult, children’s achievements
Conclusion: why this person’s important, an anecdote
Anote tudo o que os alunos sugerirem. Num segundo momento, peça que eles selecionem o conteúdo mais relevante para a
elaboração de seu texto.
Fases de planejamento, escrita, revisão, reescrita, edição e produção da versão final do texto:
Peça que os alunos façam anotações para cada tópico, por exemplo:
Origins: João Bastos, 2 May 1946, Montes Claros, Mother: Julia Silva Bastos Father: Francisco Ferreira Bastos; Brothers: Silvio
José Bastos e Leôncio Bastos; No sisters.
Heritage: Mother: housewife; Father: Plumber; Places he lived as a child: Itaúna, Baldim...
Diga aos alunos que eles devem fazer uma pequena pesquisa ou entrevista entre os seus familiares para obter as informações
que estiverem faltando. Caso os alunos estejam redigindo a biografia do seu colega, o primeiro passo será elaborar um roteiro de
entrevista e em seguida fazer a entrevista a fim de levantar os dados para o texto.



Os alunos deverão redigir os parágrafos de acordo com os tópicos. Cada tópico do esquema vai ser apresentado em um
parágrafo. Lembre os alunos de que a maioria dos fatos e eventos narrados numa biografia encontram-se no tempo
verbal passado, portanto, eles deverão usar principalmente verbos no passado simples e perfeito e expressões que
indiquem seqüências e datas. No caso de estarem fazendo relatos de pessoas em vida, o uso de presente perfeito
também é muito comum.
Peça que os alunos usem recursos variados para enfatizar e destacar fatos ou eventos importantes. Peça também que
incluam pelo menos uma citação sobre a pessoa ou algo dito por ela. Assim, procure trabalhar com recursos tais como,
aspas, itálico, negrito, letras maiúsculas, dois pontos e reticências. Se possível, eles devem anexar uma fotografia da
pessoa biografada.
Após a redação da primeira versão das biografias, peça que os alunos troquem os textos entre si para a primeira revisão.
Peça que os alunos façam uma nova versão para ser entregue ao professor e exposta no mural após a correção. O
professor deverá certificar-se de que as biografias terão vários leitores.
Pós-escrita:
Ao corrigir os textos faça uma lista dos dez “erros” mais recorrentes. Na aula seguinte, anote as dez sentenças no quadro e peça
que em pares os alunos as corrijam. Não diga quem cometeu cada erro ou de onde as sentenças foram retiradas.
Orientação Pedagógica: Contexto, produção textual e circulação do texto escrito.
Currículo Básico Comum - Língua Estrangeira Ensino Médio
Autor(a): Profa. Raquel Cristina dos Santos Faria e Profa. Reinildes Dias
Centro de Referência Virtual do Professor - SEE-MG/2008

Documentos relacionados

produção textual como processo de interlocução: algumas reflexões

produção textual como processo de interlocução: algumas reflexões contribuem para ordenar e estabilizar as atividades comunicativas do dia-a-dia. (MARCUSCHI, 2000)

Leia mais