EDITORIAL: José Alberto Orsi EVENTOS DA ABRE A ABRE FAZ

Сomentários

Transcrição

EDITORIAL: José Alberto Orsi EVENTOS DA ABRE A ABRE FAZ
ABRE – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE FAMILIARES, AMIGOS E PORTADORES DE ESQUIZOFRENIA
Rua Álvares Rodrigues, 182 Cj. 136 – São Paulo – SP – CEP 04582-000 – Fone: (0xx11) 5533-1789
Web: http://www.soesq.org.br - E-mail: [email protected]
INFORMATIVO • ANO 1 • N 1 • Agosto de 2006
o
EDITORIAL: José Alberto Orsi
É com imenso prazer que a ABRE está introduzindo mais um
canal de comunicação com seus associados e simpatizantes.
O presente Informativo, que será editado regularmente, tem
como objetivo a divulgação de notícias e eventos relacionados
às nossas atividades, essencialmente ligadas à redução do
estigma da esquizofrenia e melhoria da qualidade de vida,
envolvendo as experiências de quem convive com esse
transtorno. A esquizofrenia atinge aproximadamente 1% da
população mundial, indistintamente em relação à classe social,
poder aquisitivo, formação cultural e etnia, não havendo ainda
vislumbre de cura. Para mim, que sou portador e faço parte
daqueles 25% dos pacientes que conseguem se recuperar
satisfatoriamente, é um orgulho estar editando e organizando
o presente editorial. Esperando que a leitura deste Informativo
seja agradável e elucidativa, desde já nos colocamos à inteira
disposição para sugestões e contribuições. Muito obrigado!
EVENTOS DA ABRE
XII Encontro “Conversando sobre a Esquizofrenia”:
“Esquizofrenia e Qualidade de Vida” - Palestra e debate
abertos ao público, evento gratuito, dia 05 de agosto, a partir
das 12h30m, no Anfiteatro Jandira Mansur, da UNIFESP/EPM,
localizado à rua Botucatu, 862, Vila Clementino. Participação
de Cecília Attux - Psiquiatra PROESQ – Programa de
Esquizofrenia UNIFESP/EPM e Mestre em Ciências
UNIFESP/EPM; Rosana Zuolo Coppini – Terapeuta
Ocupacional – CAISM – Santa Casa de Misericórdia de São
Paulo e Mestre em Saúde Mental UNIFESP/EPM, um familiar
e um portador convidados.
A ABRE FAZ
Atualmente a ABRE vem conduzindo vários projetos que
beneficiarão seus associados. Dentre eles, destacaríamos:
¾ Edição de uma cartilha sobre os direitos dos
portadores e familiares e como utilizá-los;
¾ Edição de um livro de orientação de familiares e
portadores sobre como lidar com a esquizofrenia;
¾ Curso à distância sobre direitos humanos e saúde
mental;
¾ Grupo de Acolhimento - proporcionando suporte e
auxílio a portadores de esquizofrenia, com o
monitoramento
de
terapeutas
ocupacionais,
ocorrendo às quintas-feiras, das 16h30m às 17h30m,
no PROESQ UNIFESP/EPM, sito à rua Machado
Bittencourt, 222;
¾ Grupo de Estudos Proposto por Portadores –
baseados em conceitos das Ciências Humanas,
principalmente a pedagogia de Paulo Freire, a
filosofia de Jean-Paul Sartre e processos de criação
da Fayga Ostrower, é um grupo misto, com
portadores e pessoas sem diagnóstico psiquiátrico,
¾
¾
pretendendo-se ser uma opção fora do local de
tratamento para o plano terapêutico de cada portador.
É uma parceria entre a ABRE e as equipes
multidisciplinares do PROESQ, CAISM e PROJESQ,
com duração de quatro meses, no segundo semestre
de 2006;
Programa Bem-Estar - A Pró-Saúde/UNIFESP
oferece gratuitamente, aos portadores e familiares,
um programa de 13 reuniões semanais, com uma
hora de duração, com o objetivo de discutir temas
como: auto estima e motivação, atividade física e
alimentação saudável. Contacto através do 50844833. Iniciativa Lilly;
Seminários Informativos Sobre Esquizofrenia Um conjunto de oito encontros, semanais, destinado
a familiares e cuidadores de portadores de
esquizofrenia, conduzido por duas terapeutas de
família, com início em 07 de agosto, das 18h00 às
19h30m, no PROESQ UNIFESP/EPM, sito à rua
Machado Bittencourt, 222.
Contacto através da
Assistente Social Elaine Vieira, fone: 5573-3599.
POR QUE SER ASSOCIADO DA ABRE?
Uma organização só é viva e forte se representar um grande
número de pessoas. A ABRE agora unida ao S.O.eSq. se
propôs a apoiar uma significativa parcela da sociedade: cerca
de 1% de nossa população, ou seja, 1.800.000 pessoas, mais
seus familiares, que não conhecem seus direitos e carecem de
informação e conhecimento sobre a esquizofrenia. PARA
ISSO NECESSITA DE VOCÊ SEJA ASSOCIADO!
CONVERSANDO SOBRE ESQUIZOFRENIA
Perceber quando é iniciada uma alteração comportamental é
de grande valia para se evitar um surto esquizofrênico e
procurar ajuda especializada antes que o mesmo ocorra.
Cada surto se manifesta de uma maneira específica, sendo
importante ficar atento à própria história da pessoa. Existe
uma lista de sintomas e sinais de recaída que são comumente
relatados e que devem ser vistos em seu conjunto, a saber:
¾ Dificuldade para dormir, andar pela casa à noite ou
dormir demais, com alternância do dia pela noite;
¾ Preocupações não habituais com ocultismos,
esoterismo e religião;
¾ Hostilidade, desconfiança e medos injustificados;
¾ Reações exageradas às reprovações dos parentes e
amigos;
¾ Deterioração da higiene pessoal;
¾ Realizar viagens ou desejo de viajar para lugares
sem nenhuma ligação com a situação pessoal e sem
propósitos específicos;
¾ Envolvimento com escrita excessiva ou desenhos
infantis, sem um objetivo definido;
1
¾
¾
¾
¾
Reações emocionais não habituais ou características
do indivíduo;
Afirmações irracionais e posturas estranhas;
Incapacidade de expressar prazer, de chorar, chorar
demasiadamente, sem motivo, ou risos imotivados;
Abuso de álcool ou drogas.
para convivermos bem com ela. Esta seria a nossa “moral
provisória”, que pode tornar a vida mais fácil nas relações e
convívio de uma forma geral.
MEXA-SE
Website: http://www.fenix.org.br - E-mail: [email protected]
Projeto Fênix. Associação Nacional Pró-Saúde Mental - Av.
Liberdade, 701 Cj. 84 - São Paulo – SP - CEP 01503-001 Fone: 3208-1225 - Entidade civil sem fins lucrativos
administrada por portadores de doenças mentais e seus
familiares, apoiados por profissionais de diversas áreas. A
filosofia adotada é da autonomia, auto-ajuda e auto-gestão.
Suas ações se voltam à luta pelos direitos humanos e civis
dos doentes mentais, propiciando atendimento médico,
psicológico e reinserção social.
A cidade de São Paulo abriga 32 parques municipais que
servem como áreas de lazer e descanso para quem busca
refúgio dentro da capital. Entre esses parques, 14 deles
possuem lagos que, além da estética, têm papel importante na
cidade por amenizarem os riscos de enchentes, auxiliando na
drenagem das águas, e também por contribuem para
aumentar a umidade reativa do ar para fauna e flora
diversificada. Hoje, o mais freqüentado e completo de São
Paulo é o Parque do Ibirapuera, que oferece playgrounds,
quadras, ciclovia, pista de cooper, bosque de leituras, viveiro,
escola de jardinagem, museu, planetário, espaço para
eventos, um lago com várias espécies de peixes e abriga mais
de 100 espécies de aves. http://www.cidadedesaopaulo.com
NÃO DEIXE DE ASSISTIR!
VOCÊ TEM CIÊNCIA?
“Uma Mente Brilhante” - Filme de Ron Howard e estrelado
pelo neozelandês ex-Gladiador Russell Crowe, ilustra como é
conviver com a esquizofrenia. Diz-se que o diretor Ron
Howard teria abusado de liberdade poética ao não tocar em
alguns episódios da vida do biografado, o matemático
americano John Forbes Nash Jr.; esta é a história de um
homem que lutou com todas as suas forças para tomar as
rédeas da sua própria vida - e conseguiu - poderá tornar-se
uma experiência inesquecível. http://www.cerebronosso.bio.br
Uma informação importante é que um dos sintomas da
esquizofrenia é a depressão. Isto já era observado pelos
primeiros estudiosos no começo do século passado, mas
somente a partir da década de 60 e 70 é que o assunto
ganhou relevância. Hoje se sabe que a depressão pode
ocorrer em qualquer fase do curso da esquizofrenia. Ela não
se apresenta de uma única forma, e o psiquiatra está
preparado para diagnosticá-la e tratá-la de forma adequada.
São importantes também os tratamentos psicossociais, como
a terapia psicológica e a terapia ocupacional, que contribuem
para uma melhor qualidade de vida do portador e sua família.
Fonte: “A depressão na esquizofrenia”, Rodrigo Affonseca
Bressan, Rev Bras Psiquiatria 2000; 22(supl. I); 27-30.
NAVEGAR É PRECISO...
É LEGAL
Os portadores de esquizofrenia e seus acompanhantes têm o
direito de obter passe livre em ônibus e metrô da cidade de
São Paulo. Informe-se pelos telefones: 3293-2867/3293-2868;
3293-2869 (ônibus) e 3066-8359 (Metrô).
Documentos
obrigatórios: RG (ou CTPS)/ Certidão de nascimento (quando
menor sem RG); comprovante de residência (podendo ser
atestado de pobreza fornecido por Delegacia); laudo médico
com endereço e telefone do hospital, clínica ou posto de
saúde; código da CID (Classificação Internacional de Doença);
com carimbo e assinatura do médico com o nº do CRM; data
recente (máximo três meses).
VOCÊ SABIA?
A esquizofrenia não afeta a inteligência das pessoas
portadoras
e
25%
das
pessoas
recuperam-se
satisfatoriamente.
GENTE QUE FAZ: Alex Marconi da Silva
“Uma mensagem de esperança: não há uma fórmula única
para o sucesso. No meu caso, ele demorou a chegar (e ainda
não está completo).
Consegui dar passos importantes:
terminar a faculdade foi um deles. Outro, talvez o mais
importante, foi me restabelecer, voltar a produzir e enxergar o
lado bom da vida. Hoje em dia tenho alguns projetos próprios,
pinto quadros por prazer e para vender, alguns deles, assim
como algumas histórias de humor que produzo, viram
estampas para camisetas, que vendo.”
É NOTÍCIA
Foi lançada mais uma edição do Prêmio de Inclusão Social Saúde Mental, Edição 2006, promovido pela Associação
Brasileira de Psiquiatria (ABP) e pela indústria farmacêutica Eli
Lilly do Brasil. O objetivo da premiação é incentivar e divulgar
a atuação de instituições e indivíduos que contribuem de
forma valiosa para a inclusão social de pessoas portadoras de
problemas mentais. A edição 2006 está focada na difusão de
condutas que propiciem a reintegração, na sociedade, dos
portadores de doenças mentais, o que hoje já é possível
graças aos novos tratamentos e abordagens terapêuticas.
CONTANDO HISTÓRIA
Museu da Loucura - Em Barbacena foi inaugurado, em 1996,
o Museu da Loucura, que registra uma triste época em que as
pessoas que sofriam de transtorno mental eram isoladas da
sociedade. O Hospital foi criado em 1903 e não por acaso foi
instalado em um antigo sanatório para tratamento de
tuberculosos, numa fazenda que, no século 18, pertenceu a
Joaquim Silvério dos Reis, o traidor da Inconfidência Mineira.
Logo após sua inauguração, chegava o “Trem de Doidos”,
lotado de pacientes de todos os cantos do país. Incluía
também alcoólatras, sem-tetos e portadores de deficiência
física; ou seja, todo ser humano que a sociedade da época
julgava que tinha algum “desvio”.
FILOSOFANDO: Jorge Cândido de Assis
O filósofo, segundo os gregos, é o amigo da sabedoria. Um
aspecto, que pode ser instrutivo e interessante é a relação
entre a vida e a obra dos filósofos. Destacarei aqui um
conceito desenvolvido por René Descartes (1596-1650) e que
aparece em uma obra de Baruch Espinosa (1632-1677), que é
o de Moral Provisória. Trata-se de um conjunto mínimo de
preceitos práticos para que o filósofo vivesse bem na
sociedade da época enquanto desenvolvia a sua filosofia. A
reflexão aqui, que deixo para que seja pensada por nós,
familiares e portadores, é que a grande maioria da população
não conhece a esquizofrenia; e uma postura inteligente de
nossa parte é procurar entender como a maioria vive e pensa,
APOIO:
MARYHILL PERFUMES
EXPEDIENTE: Nilton Vargas, Tiago Simas, Cecília
Cruz Villares, Jorge Cândido de Assis, Elaine Vieira,
Romilda Viana Lima, Alex Marconi da Silva, José
Alberto Orsi
2

Documentos relacionados

OS 2656 ESQUIZO 2 TORRENT.indd

OS 2656 ESQUIZO 2 TORRENT.indd assistente e coordenador do Projeto Esquizofrenia (PROJESQ) do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (IPQ-HC-FMUSP)

Leia mais