Comemoração de fim de ano 2012

Сomentários

Transcrição

Comemoração de fim de ano 2012
Confraternização de Fim de Ano 2012
Data: 5 de Dezembro de 2012 - quarta-feira
Local: Aterro do Flamengo, Rio de Janeiro, RJ
A APCIS reuniu-se, para comemorar mais um ano de companheirismo, desta vez no Aterro do
Flamengo. O passeio foi realmente uma descoberta. Incrível como a gente pode passar centenas de
vezes por ali, sem tomar conhecimento da maravilha que é aquele pedacinho do Rio. A visita guiada
nos levou a uma nova percepção de tudo o que foi necessário para concretizar projeto tão ambicioso.
Além da flora brasileira, há espécimens de todos os continentes. Somente em relação a palmeiras
foram plantadas 40 espécies diferentes.
Detalhes de algumas delas, que incluímos fotos em nosso álbum do passeio:
Pataca – árvore originária da Índia. Há uma estória curiosa em relação à pataca. Ela foi responsável
pela vinda de milhares de europeu para o Brasil. Esta árvore dá um fruto que tem uma abertura onde
as pessoas colocavam uma moeda. Como ao crescer o fruto, a fenda se fecha, elas eram exportadas
para a Europa e quando lá chegavam, as pessoas já sabiam que em seu miolo poderiam encontrar
moedas. Era o sistema precursor de lavagem de dinheiro. Hihihi.
Muito interessante e bonito é o algodoeiro da praia, também originário da Índia. Tem umas flores
amarelas que ao cair da tarde mudam de cor, caem, ficando cor de ferrugem.
O resedá ou extremosa, originário da Asia é muito tóxico. É usado para fazer medicamentos para o
coração, na medicina caseira.
As palmeiras garrafinhas das Ilhas Mascarenhas são interessantíssimas do ponto de vista estético.
Parecem garrafas pet gigantes, com um penacho verde.
A babosa, tão usada na indústria cosmética tem 300 espécies diferentes. Seu fruto parece sabão e
tem cheiro de cola. É nativa da Africa.
Veja nas fotos na fanpage da APCIS no Facebook:
1)
2)
3)
4)
pataca
árvore do viajante
algodoeiro da praia
jambinho da praia
5)
6)
7)
8)
9)
10)
11)
12)
13)
14)
15)
16)
17)
18)
19)
20)
21)
22)
23)
resedá ou extremosa ( muito tóxica)
palmeiras garrafinhas (garrafas pet gigantes, com penacho)
jambeiro roxo
abricó de macaco
babosa – existem mais de 300 espécies
figueiras religiosas - a árvore de buda
leques de fiji
jasmim manga – muito lindo
buriri, originário da mata atlântica
quixabeira
rosa da turquia (os galhos caem ao atardecer)
pau mulato (todo ano renova sua casca mantendo-se sempre bronzeado)
palmeira do amor (floresce apenas uma vez)
figueira italiana (raízes aéreas, arrebentam tudo)
brassaia (cabelo de cebolinha)
flor de maga (porto rico)
eucalipto vermelho (rara)
tamboril ou orelha de negro – arvore brasileira, muito frondosa
bela emilia (lindas, azuis)
Recebemos também muita informação sobre pessoas importantes para a existência do Aterro, como
Lota de Macedo Soares, paisagista e alma do projeto e o governador Carlos Lacerda, por aceitar suas
ideias arrojadas. Toda a concepção do projeto do Aterro e também o projeto do Museu de Arte
Moderna Arquitetos foram do arquiteto Afonso Eduardo Reidy; o paisagismo foi de Burle Max, com a
assessoria do biólogo Luis Emygdio de Mello Filho.
Também estiveram envolvidos Lucio Costa, Marcos Kinder Neto - autor do Monumento aos Mortos e
do restaurante onde funciona atualmente o Porcão e Helio Ribas Marinho. Queríamos citar ainda
duas mulheres Ethel Bauzer de Medeiros, que idealizou a parte de recreação e Carmem Portinho
(todos os cálculos de estrutura).
Dentro do Parque do Aterro do Flamengo, queremos mencionar três construções que vale a pena
visitar:
Monumento a Estácio de Sá
Monumento aos mortos na 2ª. Guerra Mundial, com escultura das 3 Forças Armadas: Alfredo
Ceschiatti
Marina da Glória

Documentos relacionados

Parque do Flamengo • O Aterro do Flamengo

Parque do Flamengo • O Aterro do Flamengo Parque do Flamengo Homenagem • A importância dos idealizadores, planejadores, projetistas e construtores • O Parque do Flamengo como exemplo

Leia mais