fl - Digaai

Сomentários

Transcrição

fl - Digaai
áP~
(s
AOOSTO
DB 1879.
—""
r __.. __5^SZSc^^SSSZSSSS^2SZÈZSSZ2SSZSZ2ZZSZSSêSKÃZ&&SZ2SttSZS.-_.__.-¦:_?
V
~"~*
..¦./•__\a-,.5
£-¦¦ ____I-___I•"
"\
J
II
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO.
REVISTA INDUSTRIAL.
. .
1
Agosto. 1879,
AGRICULTURA,
MINAS,
MANUFACTURAS,
CONTEÚDO
DO
MEIOS
MECHANICA,
NUMERO
OE
PARA
TRANSPORTE
E
COMMERCIO.
AGOSTO.
Pagina,
Pagina
O Ceifador " Dutton." {IUwtmdo.)
33
Chuvas extraordinárias
Aproveitamento dos Caroços de Algodão
33
Maehinas " Trade " a Vapor. (Illustrado.)
A Moléstia do Caleeiro do Brazil
47
O Sulphureto de Carbono
34
48
Agricultura italiana
34
Fabrica de Tecidos de Algodão de Sta. Rita
Alimentação do Gado
35
A Photographia
Salários agrícolas na França
49
49
O Telephonio
35
48
53
O Novo Telephonio de Edison
55
37
O Microphonio
55
Cultura da Quina na Índia
37
O Engenheiro Belgrand
56
Vegetação no Polo do Norte
37
Utilisação do Sol
O Eresipho do Oafééiro
37
Lei de Privilégios
58
Privilégios
59
Assucar viciado
36
Vinho de Laranjas.
Flora equatorial
41
A Sciencia no Parlamento
57
A Fabricação de Carruagens nos Estados Unidos
43
59
A Preparação da Lau
43
Estrada de Ferro Madeira e Maimoré
Jazidas de Ouro
45
E. de F. D. Pedro 2'?
62
Portos fie Mar
63
ÀS Minas de Carvão de Pedra na China
40
A Ànthropologia cm 1S7S
O
40
Aniuuic ios
60
63
NOVO M UNDO
lllustniuo
$.eriobrco
DE
J?olitica5
Publicado
.Bellaís. -Artes,
Litteratura
e
mensalmente
York,
em
New
-PRISCO, 16$000
'
1?01« A.1N1VO.
O. O JAMES,
AGENTE
_lE3sc_ri^_>tox*io,
Estados Unidos.
GERAL
__R_"UL£_ -Dix-elto,
_N O
No.
BRAZIL,
-___._/\ __Ft_lo <5L&
_T«____.oi__-o.
J_...
r*Ai .*imtwvtm*!****__:u_im".»*»*_*.-_*;...¦ _»*í»---í_m»»*»
0 AW0
Acosto, 1879.
MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO.
Para exictidâo _ perfeição de seu trabalho não ha machina
DE
OPERAÇÃO
Nfto fatiga,
superio
a
A Miicblmi DOMESTIO 6
NSto excita os Nervos.
Produz os melhores
Resultados.
Faz o menor Barulho.
E' a Machina a mais
Simples.
"DOME8TIC"
fabricada .lo
melhor iimltirliil-, faz ponofo ile
duna p.mp.mtos; tem u latimlo
Precisa de pouco aj uste
SAMUEL S. WHITE,
FÁCIL.
CuUludoiumeiitt)
111
VSIKSILIOS FÂlâ AUTISTA!
A MACHINA DE COSTURA DA ÉPOCHA.
"DOMBSTIC"
.¦ __? -i*-_».-. *__¦-. 4 .
Fabricante, Importador e Negociante, por
Atacado e a Varejo, de todos os artigos
Empregados por Dentistas.
uutoiniillcii <|iiu se reguln u si
iiieHiiiii e o toiiimlur, ciim nup-
Dkntkh db porcelana.—Uin comploto eorti monto de todos os tamanhos e formas para toda
sorte de dentaduras nrtifu _aes.
portes cunlcos de uço e eixo
Inhtkumentob Dentakioh.—Forceps, Excavíidoree, Chumbudoros, Brunidores, Brocas, etc.
compensador.
Foi.iiA de Onno e Estanho. Aiiiuliriiinas e _ompoH_<;õ_Ppi_m Chumbar.
Machina dentaiua k Chumbador automático de S. S. WHITE.
Precisam-se de
Mobília Dentaria.—Cadeiras, Banquinhos de Operacfto, Escabellos, Descansos portatis para
11 Cabeça, Sustentadores, Cuspideiros, Comiiiodas, Éstojos para Instrumentos, etc.
Ferramentas e Apparelhos Dentários.—Tornos, Vulcanizadores, Bodas de Corundo, Escovas
em todas as Cidades.
circulares, Frascos, Moliuetes, Tornilhos, Limas, etc.
_yw-*U^n_^^J_ w^
-H__L. mM __J__m___S Bwlfl
uihi.iam-.sk A
Especialidades para a Bocca.—Pós, Águas, Massas e Sabões Dentriflcios, Escovas para oa
Dentes, etc.
Especialidades para Médicos.—Caixas de Instrumentos para Tirar, Seringas para Abscessos,
Seringas Hypodermicas, Espelhos Laryngaes, Algodão Absorvente, Papel Bibulo, e diver8EWING MÀCHINE COillPANY,
sos outros artigos usados por Médicos e Cirurgiões.
Agentes
. ESCRIPTORIO, BROADWAY & 14th SfREET, NKW YORK, K. U. A.
PREPARAÇÕES PARA USO NO GABINETEE LABORATÓRIO,
PREPARAÇÕES ANA TOMICAS,
TODOS.
IBLI*011
LIVROS MÉDICOS E DENTÁRIOS.
Livraria-Edi tora e Agencia Litteraria.
Nesta caisa compra-se e vende-se livros em qualquer ramo dos conhecimentos humauos;
redige annuncios, correspondências e artigos para jornaes ; traduz para o portuguez da K
línguas franceza, ingleza, alemã, italiana e bespanhola ; manda vir encommendas de livros e
jornaes da Europa e Estados Unidos ; encarrega-se da impressão, distribuição e venda d e
qualquer publicação ; publica por conta própria obras litterarias e principalmente
LIVROS ESCHOLAÍ^ES
doB quaes já tem uma collecção escolhida, nitidamente impressa, cuidadosamente revista e
elegantemente cartonada. Paz grandes abatimentos em porção. Remette livros e jornaes paru
qualquer poneto do Império, acerescendo aos preços de seus catálogos 500 rs. por volume para
o porte registrado do correio.—Pedidos sempre endereçados a
FELIX FERREIRA e Cia.,
l>KI VI I.IC4.I AIM)
Pura todo o Império. Por Dccroto N° í».81 U.
Inclusive 11111 de cada uma das grandes Exposições Universaes de Londres,
New York, Vienna, Chile, l_iiladelph\a e lft e 2a de Pariz.
Catálogos em Hespanhol ou Inglez enviados livre de despeza a pedido.
A correspondência pode ser escripta em Portuguez, Francez, Inglez, Hespanhol ou Allemão.
Os pagamentos podem ser feitos por lettras de cambio sobre Lond/es ou Pariz, ou saques
sobre New York, Boston on Philadelphia.
FABRICA E DEPOSITO PRINCIPAL
Chesti\ut Street, Comer Twelftl\ Street,
ÍOO Rua de S. José. Mio de Janeiro.
CAZ-GLOBO
SEPTENTA E DOUS PRÊMIOS MAIORES RECEBIDOS,
D£ AYEE,
.T. l_t_ TORREY,
Para lodosos íins de um remédio caseiro
Mass., E.U. A.
WORCESTER,
--_;>_T^v^-^Va^3g_a_________
I
paru cura ik liuligcslão, ]);/¦
sentería, Dores ile Cabeça
Erysijicla.Jilicuviatismn. /__tomai/o Azedo, Mau Hálito,
Erupções da Pelle, liiiis, Injlammação do Fígado, llijilropisia, 'Aimorés, Bichas,
Golla, Nevrulgia, e em sum«Kl para purificar o sangue.
MAHCA
HEfilSTUADA.
E8TA8 pilulns conteem os ingredientes ineúiclnncsquo
se podem desejar em um remédio purgativo.e, porsüa
composição, sustam muitas moléstias que começam por
desarranjo do estômago, ligado ou ventre. A acção que
produzem 110 canal alimentício, ondo ae acha a moléstia
Apezar de nêo
ou lesão, é uniforme, certa o segura.
conterem mercúrio, nem substancias violentas o deleterins, o do, pelo contrario, serem innocciites at6 mesmo
liara as crianças, todavia ellas são bastante etllcazes para actuar sobre as mais rijas constituições e pura combater infermidailes inveteradas. Uma experiência sobre
seus elleilos. que j(i alcança quusi vinte annos, tem comprovado que a composição destas pilulns 6 tul, que produz no organismo humano os melhores resultados que se
podem attingir. Elias são Inteiramente Vegetaos': mas
consistem, na maior dose, dos suecos concentrados do
plantas quo, são muito mais ollicnzes, do que as suas .1bras pulverizadas. As virtudes medioinaes dos suecos são
conservadas om uma forma solida o solúvel e protegidas por capas impermeáveis ao ar, e deste modo so conservani por longos annos.
A substancia empregada parn 0 fabrico do GS-azGlobo 6 a _N"apll__ia com aqnal enche-se o reservatorio colloendo na parte exterior do I.ampeão ; d'_ohi
desce para o interior por um tubo munido de torneira e
na extremidade encontra-se o apparelho que gera o Gaz.
O processo para formar o Graz-Grlobo 6 simples:
o calor dispõe o irazometro a receber a _N"apll_b_. que
em sua passagem bo converte em viipoi*, o ar atmospherico entrando no apparelho por dous pequenos orificios, converte esso vapor em nm gaz egual, sinão suporior no brilho e na qualidade, ao GAZ DEI CARVÃO.
A chamma 6 regulada por uma torneira, situada na
extremidade superior do bico, que se gradua a capricho,
dando uma luz clara, brilhante é intensa. Um litro de
I\ 11 ph(Ini 6 sullioiente para 18 horas, dando uma
PREPARADO PÊLO
cliamum da Intensidade de 14 velas, podendo essa quautidnde dmar mais tempo reduzindo-se a força da luz.
LAMPÈÕBS, LANTERNAS de todas as formas
Chimicoi. practicos e ãhalyticos,
para KUAS,
JARDINS,
FAZENDAS,
Loweli, Mass., E. U. A.
OFFIC1NAS,
Á venda nas principaes drogarias e pliarinacias 110 Brazil.
ESTAÇÕES DE ESTRADAS DE FERRO.
Pr.
ÚNICOS POSSUIDORES
H. GUIMARÃES & SILVA,
f. p. /l-ybh Sj po.,
W. R. CASSELLS & HA.
Columnas e braços de feiro fundido.
Olt.-IVIH. SORTIMENTO de apphrelhos
completos para o interior de hnbftuçõ_. Ricas Ara 11«I.IIiim, l_yrnt.. P.ndeiMcH de 1, 2 o !i luzes, etc.
CoinMiiação nilo Explosiva privilegiada
de West.
FOG-ÂO -L AMPEÂO,
3
o
<_
•_
AGENTES NAS PROVÍNCIAS:
... Mouriio, Ferro <_ Co.
PARÁ
Antônio J»s6 d'Azevedo
PERNAMBUCO...
¦ „
BAHIA
.
Fabien & Cia.
S. PALÍLO
OURO-PRETO F. C. Soares da Silva.
I Josg do j_„ si,.rra l>er eira
REZEM.)
BARRA-MANSA }
COKITIBA
r. J• da Cosia Silva.
MACAU_
S. Gonçalves da Silva.
CAMÍO
J. Beal & Co.
Fabricantes dos melhores, iniiis finos e iiiiiíh baratos Asséhtíiâòrés <le Navalha nos Estados
Unidos. A griinilo reputação ile nossa firma 6 uma garantia cia qualidade de nossos produetos.
Nossas ainostr.is acham-se expostas em casa ile II. A. GHUHEK, No. !I5 Rua do Hospício, Itio de
Janeiro, onde se podem obter circulares illustradas e listas de preços.
_
f
m hl lift/JI_rl
I»
pi
mLr ?__^ÍB____Mi.-l^^fp^CfA
Este Fogão trabalha perfeitamente e 6 muito superior
a qualquer outro. Boja fabricado onde for. E' econômico,
absolutamente seguro,o desafia-se que outros do mesmo
preço lhe façam concorrência. Pode ser viBto em operação em casado II. A. OliUIlER, 95 Rua do Hospióio,
Rio de Janeiro, onde se podem obter circulares illustrn(Ins (} lista» dfí preços
A
Os Magniücos Paquetes a Vapor da
WHITE
Portadores
das malas dos Estados
Unidos,
largam de New York
todas as semanas.
Passagem de Ri.
$80 em ouro.
"
de Proa aos preços mais baixos.
Os principaes paquetes entre New York e Liver
pool são:
BR1TANNIC,
GEB5IANIC,
BALTIO, CELTIC, ADRIATIC,
Estes paquetes são notáveis pelos seus açohchegos luxuosos, pela sua rápida marcha e pelo cscrupulo com que são navegados. Para passagem
e frete tracta-se com
_B. 1. CO MIS. Agente.
37, Broadway,New York.
ENTRE
OS
O BRAZIL.,
Paru St, Tliomim, Piirfi, 1 .rmimlmco, Kio de Janeiro,
fazendo connoxão em St. Ttípnías nom os vapores paru
Porto Hico, Jamaica e iih ilhas o iiaizes vizinhos.
O novo vapor de ferro de priraoirn classe,
City oi Kio cie Janeiro,
Commundante
C. II. JfMJLJLOJRJr ST CO., Aijentes,
Pier 20,
OS ÚNICOS AGENTES
NOS
ESTADOS UNIDOS
Para receber
ANIfUNCIOS
PARA 0
«Novo M/iinclo9
E A
U
HEVISTA INDUSTRIAL"
SAO
MESSRS.
JtlITCHEIsI, _T. JiSCMM St CO.
23 Williám Street.—Wew Tfork.
"NVEIR,
snhiríi paru os portos siipra-iiienoioiindos na terça
feira 5 d. Agosto as 8 horas da manhan.
Ileopbo carga até o dia 4 na ltooerfs Dock, de
Brooklyn, mus sô com ordem do escriptorio em New
York.
Para os que o quizerem nCis mesmos nos encarregaremos de effectuur o seguro sobre os gêneros remettidos.
Vendem-se bilhetes de passagem pnra todos os portos
alcançados pelos vapores ihterçoloriiâes da Companhia
Real, e para Mmiteviueo e Buenos Ayres.
O frete 6 preciso pagar adiantado' Para frete ou
passagem, havendo nccommodações elegantes para passageiros, dirijam-se a
Esoriptorio,
New York.
Tllll HIMI TKl! .*. tJO.,
334 Bowory, N. Y., e 1,315 Oheitnui Streot, Philadolphia, com suns
B-T1L1_._PHM>i Fundas o suu Remédio pnra Quebrabradam, cura Quebradura cm ;)() a 90
dias, e olleroco mil dollars para um
caso que nãoJKissa curar. Dona C. A.
_
_
M. 1SUKN1IAM, A. M., M. D., tem n gerenoia da Secção parn Senhoras. Exames são gratuitos.
Mandem 10 centavos a qualquer dos escriptorios pura
Livro descriptivo.
LINE, tÊP^^****''
ST AR
o
o
1. RUA DO SACRAMENTO, 1.
"'„
JPBBWPMWBSMBI
,.
àm^S^^^^^^^^M^^^^Ê»>8W/MsSÊWSIm\slà
_________________________________
i»'°^ ___S_F_3P__-__________I___^ »EEm\ m\
T INHA DE VAPORES
L ESTADOS UNIOOS K
Agentes geraes uo Brazil.
24, Praça da Constituição.
RIO DE JANEIRO.
ESTADOS UNIDOS
PIIILADELPHIA,
! Pílula*. Catharticas
E. R., ]ierto do Perri Fulton
J. C. GUIMARÃES J r.
GUIMARÃES Ji':, ALBUQUERQUE EO.
147 Rua dos Ouvives, Rio do Janeiro.
E
8
lüspeeinllstas de Ferramentas pura Lavoura, Carplnteiros, Ferreiros, Pedreiros, Marceneiros, etc, de todos
os afaniados atiotoros americanos, ingleses e franceses
I
fe
3 Melhor Remédio Casjiro do Século.
FABRICADO POR PERRY DAVIS &
AI
N »
Acosto, 1879.
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO.
1^
ÍCM,
Usado Interna e Externamente.
PAIN KILLER.
PROVIDENCIA R. I.. E. U. A.
o ettiniado em toda parte do mundo. Ou
Esto rcttiwlio m dovo ter «empro á uiilo, poroae poupar-von-ba muito* (lias de dooaça, muito t_tu_H> é minto diutuiiro. O Pain-Killer 6 agora" conhecido
Medicou o rocoiuDiendaiu em mu» rcooitim. o todru. m cln«ie« du Kociedade teem nchndo nelle allivio o consolo. .toça-MemfàuMerpmmeut.
„Mmnrn
fliverma doeneas mi«
o m mero ,inB *""™
—-"- graude
_™..-_, muito
do usal-o,
modo «•«
himpleH uo uiwuu
_-,muito mmyiwi
twar sem
Hem ncnuum
nenhum perigo
Sondo diuiw
ter o usar
cm
familia. nonoo
em qualquer lainiiia.
ho pouuter
so
vecetnl
vegDtnl
nreiwriiçflopummeuto
iwdu
E
*
B'
|>erigo
j™
^?"
g™
que
.,
.
piirauientc
1",'
1»
pro|>an_;i-o
valioso
e
sempre
á mfto.
..
____T
_...__
!..i.
._,.._
______£__.__
A.
11n:..:..,i..
/.
_i.-iL.,sn
.!_.
.___in_i
•_nr.nrir.KA
remédio
ren
deste
guardai*o
snppnr-se
todos
de
v
obrigaçAo
fer
alliviada,
HofTrimentos
com
elle
elle cura radicalmente, o também muito grande a somma de dores e
que pode
vezes,
on
nunca,
falha.—
raras
Dysenteria,
a
vy
o
Diarrbea
a
Pain-Killer é o remédio mais corto jwm o Cholera que a sciencia medica jitmais produziu. -Pain-Killer, como remédio pura
soberano para Sezões e Maleitas,
li
-J' ilemedio
...... provado
• ser
rtini--Miier tem-se
Pain-Killer ctiro OãlmblM ou Dores em qualquer parto do corpo. Uma só dose geralmente effectúa uma cura.—Pain-Killer
tem curado casos de
et
etc—
orcednras,
1
Torceduras,
Pain-Killer
Miichiu-adurns,
Machucadurui,
eridasj
o tem curado casos os mnis rebelde».—Pain-Killer como loçfto 6 sem egual pam Mordedurns, Queimaduras, Feridas.
depois da primeira apphcaimmediato
allivio
dando
etc,
antigr-s,
ns,
Chagas
C
Unlieiros,
Pauaricios,
annoH.--Pain-Killer
dostruini
Apostemns,
durado
haviam
HheumntiKiiio e do Nevralgin que já
ei todas as Drogarias e rharmacias.
Acha-se á venda em
nifienções. -Acha-se
,.fio.—_P»in-ICÍll©r cura Dores da Cabeça e dos Dentes.. -Cuidado comas Imitações n Falsificações.—
«fc OO.,
W. J. WILCOX
41
Broád Street, New York.
BANHA DE PORCO DE PRIMEIRA QUALIDADE,
\^B
Preparada para Exportação para todos os Paizes.
A F AMADA
EM
TODO
O
1'romio sobre tudos «* ooncurrcntet a n nnlea
Qualidade, e Superioridade do teu Preparo parn K.xportnçâo.
o mnlur
Medalha
A. ERKENB&ECHER,
/ /
Z 11
c__ \\
«^^ tL_^__h_______! _____B_K
\ \
^i<flEB_[_^4^__l l_______P- W i ^
Exposição
de l'iirÍ7.
om
1878,
pela Uniformidade na Cor e
ESTABELECIDO
Küte produeto lindo de pureza incompsrayel ¦'• muito
gaudavol, delicioso o econômico, i; 6 Biiporlor a outro
qualquer ftiliã ou farinha dc milho.
MAIZILLA 1. O ÚNICO PRODUCTO
ilc-te gênero que 6 usado o
Al'1'HOVADO PELOS MELHORES OOSINHEIKOS DA FRANÇA, *
o 0-8C8 fazem com elln seus
CELEBRES PRATOS DE SÕBREMEZA.
Malzilla.
na
_B/
EM
1829.
Olaio, _E3. X7.
Clncinnati,
" // _B-_-_-_-WWf
de Ouro
ÍB
MUNDO.
x-_____F -~-£r-*C.?Á -U-t-^ibpy
Hecel.ru
______^V-^* '
o.- Sis li. A. ..ruiu-., do Rio do Janeiro; 1*. Òliyieri,
da Bahia; Do Lallhacar'é ,Çia-,.de Pernambuco, o,Al*
meida o Fialho, do Puríi, darão amo trás gratultamente i! iu iturão Qiicommcudas.
REMÉDIOS CASEIROS, DE HECHT.
Xarope üe Ilcclit, para Group
K.ie ramedlo t.m ««tado pornnte o pnbllou «lunini*» vinto nnnos bra quanildadei limitadas, c <• agora ofTorocldu n»;*iM |«l* .-iii nina forma novo o mui» alegnnlo. rV fa^il da tomar, ellloaz. o muito ouldado»am_nte
I'or sua acção partioular a
prepnrnilo. iiniln 6 nnilividiln fi rerunlii>«ddo i-omo preventivo «i-rio do oroup.v
removida logo qua _e formo.
iio .un. fnlmi (i|in- 6 n cauin do orónp) não te poda formar, ou 6 dlMOlylda
Ao iiu-kiiio t<iin| _ o-» forro» da garganta o dn» i'nmuiir«*»is pura o ar m'io ourados o roílaurndoi & sua oondlção
natural. Para nonvoncoroi r|iiedavidnrom disso rofiro-o» n W. II. Oulld, Bsq , advogado.em Noirark^JS.-J.
Major O. It. Ovif-r. Eiq., llomewòrlli. Oliloj llcrlicrt Thómns, Oolumbln. l'a.; W.II. Ilixli-r. K.q l.a-'<'ti
Daily B*'pfia*-i W. W (JottlngbAin, Esq., Supi. da» Ksohola, Piibllon» om Easlon, Pn.j Aaron Wllholtn, Bíq.,
Hniiiílnff. IV, a muito» nutro» cuj». carta* originaes ostilo bta minhas mãos, dando tasiomiinho a sun suocesso
nm tuas lamlllas responUvas, o ao sen valor. Al6m desses podia monolonar (.. Uhwall&Son, Eatton; Pa.;
n. rt., StOT-nt, Keadlng, Pa.; C. A. HertnUtoli, Lnnoosler, Pa., drogulstas, que venduriim çnimli!» quantldortot
delle •- manlfettnrnm qno Unham nelle multa oonflanço, IV f.Hio togündo a nrosorlpçilo A* um medico celebro,
n lodo» o» qiii' iidiliccem tua OOmpotiOÍÍO o louvam muito. Não 00nl6m opiato, nem veneno nem mineral de
tenra.
qualquer »orie nu*» téja <• pode ter iludo com confiança ft orlnnçn mais
O Ui-tíiu-nlo <1ií -fVmliar, di- EEeclit,
E' o resultado de estudo cuidadoso para combinar ps materiaes mais efllçasqs em sua forma mui» oonoenIrada, para USO externo. Para que um nuRuento seja utll (¦ prodTso que opere rapidamente, e por Isso 6 neoetsurto que sejn/orte. E.te remédio allivia em.nóuoas minutos ás dores iu mais violenta»; ao mesmotempò;p
limpo, a uma soluçGo perfeita o Inteiramente inolTensivo. sa quando se quer applli-alo a grande» tuperftolos
nortuda» o pitadas a poneto dn terem privadas da pello i><-rfi néoessario inltlitral-n com um pouco de olho doce
n
]>eric;o nm usal-o.
para abrandar tua acção. Não OOntém veneno (alem de rlooo! onmphori.) Não lia nenhum
Para O UheumatUmo. a Nevralgia, Mal da OnrganUi. n qnaesquèr doret 6 applieado exiername.nle. Pnra Dôr
de Dentrâ nm põuoo de nlirmlão htimodeatdo com algumas gottas do uhguonto o oóllooado no dome, fomentando
ram ello lambem a face, da alllrlo IminedlBto.
VERMIFUGO DEB.A.FAHNESTDCK
O único remédio eflicaz paru lombrigasem crianças e adultos. Falta do appetite alternando
com um excesso delle, somno dessocegado, gemidos e ranger dos dentes durante o somno, são
udicio. da presença de lombrigas, e as crianças estão muitas vezes pallidas o de mau humer só
por esse mesmo motivo.
Note-se em particular que os íniciaes são "B. A.," para impedir assim que o remédio legitimo
-eja substituído por imitações baratas e incíFicazcs.
Acha-se á venda em todas as Pharmacias e Boticas.
I REVISTA INDUSTRIAL
I I_ I. IJ S 3D RADA.
Agricultura, Mbcis, Manufacturas, Artes Mecliamcas, Meios de Transportes e Oominercio.
Esta publicação salte á luz
Unidos, em números de 36
variada matéria, de utilidade
com o progresso material do
mensalmente em New York, Estados»
paginas impressas, contendo a mais
practica para todos os que se oecupam
Brazil.
" Esta revista eqüivale a uma bibliotheca para o negociante, lavrador, enXaropo de I Ii-cht, pura LoiiibrijjaM,
genheiro, fabricante, para todos os que directa ou inditectamente se interessam
Lomnnioo
XBropo
e
Vegetal
E'
o
Atcáridai,
para
E' O melhor remédio jamais preparado parn tiOmbrtgas
desenvolvimento da industria e riqueza do paiz, e com a vantagem de
brigas Jamais eompotto que attftca, dettroe e oxpelle tmttts ai castas det.et paratttat, n teu gotlo agradável o pelo
vegetal
vermifugo
vendido».
o
único
E'
ale
a(fora
nauseatlvot
paramente
torna superior a lodot OS produetos
mencionar as conquistas da actividade humana, realisadas no velho e novo
UU» oxptlln ii. Ascáridas que produzem uma oomlolião lõo imupporlavel. .» ünca falhai Todot ettet remédios
tão preparado» unieamente tmr
mundo, as descobertas mais interessantes em relação ao Brazil.
C. _E. HECHT, Easttoii, l^n.,
Entre nós, onde os livros são carrissimos, torna-se difficil o estudo de qual.
Drotmlsta, (com mais de 110 annos de e-rperiencia.)
meios em abunquer matéria, sendo quasi vedado para quem não dispõe de
TUfCTA IWIMOTATKILi dancia.'
A Revista Industrial remedeia este grande mal minsitrando variados e prode JOSÉ CRISTADORO,
PARA TINGIU O CAHELI.O, A ÍSARBA E veitosos conhecimentos a todas as classes, mediante uma pequena retribuição.
OS BIGODES.
Residindo no paiz que mais ama e honra ao trabalho, onde as descobertas
onde mais se escreve sobre cousas úteis a humaniEsta g-rando detcobertn chimieji ncoupa o primeiro lojrnr antro todnt suecedem-se rapidamente,
a* prepamçõet para tingir o eabello. SA 6 preelto expertmnntal-a para
o Sr. Dr Rodrigues tem todas as proporções para enriquecer a Revista,
reoonhecer-lhn a tupnrloridade qne possne sobre quantas tinetns te offe- dade
recém ao publleo pam o Importante fim do dar ao eabello unia còr forNervo Mundo, dando as mais proveitosas notini"ta jft pre'.B como o ncerlehe, JA de ohstanho, em suiui diversas nunn- como tem feito até agora o s.eu
em
infalllvel
fácil
emprego.
e
teu
tlnoUi
K'
a
unica
instantânea,
ças.
só com grande despendio de tempo e dinheiro se obtém em livros
Vende-se em todos as bntiens o lojat de perfumaria*.— Kabrica-to cm cias, que
especiaes, quasi sempre raros em nosso mercado.
Nova York. No. 68 Maiden Lane.
Convencido da grande utilidade da Revista Industrial, recommendamos a
A. L. tl«i H. OnmpiNtii, Af?eute.
sua leitura a nossos concidadãos, como a melhor e mais abundante fonte de
Itio de Janeiro.
instrucrão que é possiyer obtermos a troco do menor sacrifício pecuniaiio.
S. Coutinho."
1877.]
16
de
de
Sept.
Commercio
do
[Do Jornal
THOMAS NORTON & Co.,
NEGOCIANTES DE COMMISSÒÉ.
Lliki regular da Paquetes Veleiros
Assigna-se por 15$
ENTRE
><">«^yo___^»ii\\ ^v NEW YORK,
,aC^-____ri_2___S_^^ll-Í_B_»^J__Í^
»^»^y»»,-,**W*| W mfÊ
W^lH,'' ir^M^^maaâÍÈ*aWPls7K^'mm"
;
PERNAMBUCO,
E RIO DE JANEIRO,
as Agencias do
NOVO MUNDO.
BAHIA
N° 82, V/a 11 Street,.
NEW YORK, E. U. A.
por anno em todas
O.
C. JAMES, Agente
47 Rua Direita,
"RIO
XDE
geral,
J_A_3Sr_EII_0-
__l-^^™^^n^^_r^lÍBB_£-r',^:~
. _„. t-'
***
^B
^mt!ít
\
t**/*^
*^^*l
Ti--J^'r" _^_
,
* ¦'
>^___b
*^^^ Q B^_jJ^__fl_B_ffjjÊ _B_fl_fl^I
i
'^
^ «\
Hi^_-iW^^^^
Enlered according to Act of Congress, in lhe Year 187a, íy J. C. KmiKicuKS, 1* Mi £&#« <y Mi Librarian of Congress, ,it Washington.
_t^\_J__P_t
fl
.£__
WmeZ&z-
__H_fl_s^Mifl
|_y#'^__
_e=P^H
•
B_B?Ã_f
flfl
flflaf_-_Ht^^^^^^^E
fl
_HL-_|
|,
_|
Irfl
l_vl|__l
I
_Pr
m\wMMÊmm
H-l
¦¦¦flll
mWÊÈÊÊ^M
flf_
I
____. • ^1
_fl_^_H _KÜ=ÉlflB fl_ í\
KSLj P
^':~^a_ fl
I
*\_fl_P___________________________________________________H
' "dl
pyp^^^
HflHHflflflflflflflflflflflflflflP' fl
>|
fl
/-fl
B_P^ ¦__' $81
mÊ&*!m
HF7'
H
WÊm
|
___________________________________________________
Wr
fll
SPr
flF
P'.
-fll
fll
flfl
WIf/K<
MiNi
__r_ÍB^ *¦••%"'
' '^\Blfli_fcl-PW-L
-1 ¦
M
a!
i
r. ___t______
SBf"^!*_i"r _v_^_d_fl
S?fl.^S_fl______táiílS^
I
_BV - _t ^HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHH
¦ttÉSi
flfl
fl
'¦*¦
BY
_i
'^^H
BS^V;/-ÍB
HÊ?^''''
VUJfl
fl
N° 101.
NEW YORK, AGOSTO DE 1879.
VOL. IX.
fl I ¦ fl
:
¦¦
:^
' il
^ - II
___!
-MM
bH
!Plr^fl__f__l
_fe"
^__
__R
••'ti
ir
R3fl_3 Bi_k fl
fll
fl_____i_yiEH_l\
l____É___M
fcs;x«
I
__r_i
_K<«G
twl_ll_l_-. fl
IlSlff •hÍkSéÍSIís
__j_!
flr--v-'v-vfl
Ká.¦:--s
mmWwl^Êmm
wMÊ^^^e H Ia
BB WmWÍ/wff -' ^.:"rf**T^Mi"_wll__' ;1!™eB
fl
_
I
B-f^m^M-H
Rir^KBflflM
Im ri
I
Jr 1 RI
I
WlililiiiP
'ff
mWm
I
BrSflflrcllSSl1 li^lli K^
fll
US
^_ÍiÉ_«li I i'i;ll<Éik_l
ü
íillliilliiBlilS
Kfl»S-RfiCi_Í_l Bfl
[email protected]
W.MÊÊllÊwmmlMmÊtM fiiH 111
mWÊÍmwÈ WÊm 1
!
C^ nflB_r^
bM fe^^
I
l^_^fl!
___
H
II
IH
I
II
If/I
fl
B_fl
|B|||P^^^^^^^^*^**^*B!PJ^H^|flBBgB^^--S----^------»-W
NA
OPERA
EM
1792.—[de um quadro dk m. muller.]
Hl
AS GRAYÜRAS.
tf
Ah KravuniH in sertas Deite numero dizem todas a mia mesma
historia a iiinl carecem di expllcaçlU». Nossos leitore* deverílo
sem duvida apreciar o oxcellente rt-trncto,—*o melhor que temos
visto em uiadein.—do maior «enio vivo,—Victob Hvoo. Essa
i «tampa vai impressa em folha sepnrnda.
Afftdo» maternos é copia de mu celebre quadro de I**m.
Maiitin. agora 110 Museu de Munich- Ab silloutttrs Hobre a vida
em Berlim foram desenhada* ix»r Wn.iir.i.M .Si-nK.s«iE!i, também
Allenifio. Ainda de outro Alleinilo, Herr Eiisht KOBKSB e o
magnifloo (ptadro qne reproduzimoti em gravura sobre.uma Rua
de Damasco.
Um doa maior»-* monumentos nrchitecticos da Hespnuha é a
porta do claiiHtro da oathedml de Burgo*, grande concepção.
admirnvelmente executada.
.1 <q*ra em 17*.»2 é uma composição íraucesn mui graciosa, e
de desenho bem eorrecto.
K.riir.t.tr.u Ora muito amigo dofl felinos. Isso bastou para M.
I.AMiiKiiT qno pincta gatos muito bem, fazer um bonito qnadro,
a (pie Infelizmente a gravara nfto pode fazer Justiça, privada
como está da vida, (pie si') a côr |>ód>- dar.
A rocente erupção do grande volcão da Hicilia é illustrada
adiante. A vista, copiada'/.»- unia pbotograpia, é tirada da villa
do Mojo-Alcântara.
ESTADOS UNIDOS.
New York, lg de AgoHto.
Reapparooen a febre amarella em alguus ponctos do Sul,
este anno mais cedo que de costume. Onde ella tem feito mais
estragos é t-m Meinphis, no Estado do Tennessee, que no verão
nfto apresenta ainda
pausado tanto soffreii. A moléstia, porém,
cliaracter epidêmico, apezar de quo tem havido, só ahi, mais de
160 cnsos. A população da cidade tem sido reduzida por 2õ,ü00
em alguns casos a mopessoas (pio fugiram do seu seio, levando
lestin a outros logares. mesmo trazeudo-a a New York, onde
morreram dous foragidos de Meinphis. Na mor parte das cidades do Sob sobretudo nas do Mississippi, •jstabelecen-se a mais
rigorosa quarentena contra os emigrantes de Meinphis. Os
estragos cau»ados'j>eli. febre o anuo passado foram tantos, que
as populações do Sul se acham aterrorisados com estes primeiros casos da peste. E' de esperar.quo ellas Be possam salvar
este atino sem tantafl perdas.
—N« mundo político hn comparativamente muita estagnação.
Em alguns Estados lia contendas políticas de alguma importam
cin local, cotno o Ohio e o Maine, onde as forças dos dous parlidos Be acham tfto equilibradas. Excepto isso, porém, pode-se
dizer qne a política geral está de férias. A lucta no Maine tem
chamado a campo alguns oradores de renome. Entre elles, o
Ministro dn Fazenda, Mr. Sheuman, pronunciou lia uma semana
um bom discurso sobre a política financeira do Governo. Posto
qno nada encerre de novo, os .Ministros aqui faliam tfto pouco
em publico que julgamos prestar bom serviço a nossos leitores
traduzindo a maior parte desse discurso, no que diz respeito
mais de perto a matéria principal. Mais adiante publicamos o
discurso.
A Convenção constitucional da Luizinna que tem estado em
trabalho ha algum tempo, encerrou suas.sessões.
—Os possuidores de minas de prata estilo pedindo 'tamanho
p*-lo metal que a casa da moeda parou a ciuiliugeni do
preço "Illand,1
apezar de que pela lei devia cunhar dous miilolíar
Ihôes por mez.
—•O nunca bastante derrotado General Bdtleo apresenta-se
mais uma vez candidato á cadeira gubernatoria do Miissacimsetts.
Em Junho chegaram a New York 15,02!) immigrautes contra 0,606 om Junho do anuojp. p.
Da visinha Republica do México temos a agradável noticia
a ordem, usando
qno o Presidente Diaz tem conseguidotemmanter
iuspimdoj muita couenergia,
notável
do
isso
que
pnrn
tiança.
N"o Canada a crise creada pela denii(ssão cio Governador do
Quebec, M. Leteli.ieu, foi solvida pelo Governador geral da
colônia com a approvação da demissão.
—A opinião gemi nos Estadas Unidos acerca do projecto do
M [_E88J_-8 ém relação ao canal de Panamá, é que o Congresso
de Pnriz RÓ foi convocado pam dar mais força aos interesses de
um pt«puno.circulo francez. O relatório do Alminmte A.mmkn,
dn marinha americana, nnrrn O qne se passou etn cada sessão e
mostro como se uão discutiu no melhor interesso do commercio.
O almirante próprio (pie o Governo deste paiz reiina outro Con^r<s.so dos mais hábeis engenheiros militares e civis dn União o
aos paizes representados na ultima reunião em Pariz, pura so
estudar proflolentemènte o assumpto. M. Lbsséw disse outro
dia em Amièus què para as obras contava, entre outros, com
16,000 negros do Brazil. Isto dá idéa do charaotor do suas iu*
numeras asserções, quo dá como Jactos.
—Temos prazer etn anntineiar que no Instituto Polytechnico
de Worccster graduou-se ha pouco tun estudante brazileiro, o
.-•r. .1. J. M.MiiANi.' i>a SiI.va Jr., de Barra .Mansa, quo obteve 0
grande prêmio do anno por proficiência. O prêmio consistiu
dt 200. t in ouro.
DISSOLUÇÃO DA CÂMARA.
"M
Agosto.
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO
178
artigo do historiador inglez, Mr. Edward A,
Iki i.man no corrente numero da North Americiin Rcviêtb. sobre a pre roga uva de dissolução do
Parlamento, nos traz á lembrança o abuso qüe rio
Brazti o Poder moderador parece ter feito da faculdade constitucional de dissolver a Gamara ([os Depulados. Pelo pacto fundamental do Brazil ô poder
essa Câmara rq caso em que
imperial pode dissolver
"
a
salvação
o exigir ."
publica, e a Câmara dos Depua
duração
de
lados tem
quatro annos, a sessão dumezes
em cada anno.
r.uulo quatro
A idéa do legislador foi sem duvida poupar muito
Com um
o uso desse poder de parte do soberano.
Senado vitalício e oreanisado de um modo muito
conservador, com a livre nomeação e demissão de
seus ministros, com o poder de denegar a saneção
de modo quasi tílo absoluto* que é impossível a um
projecto rejeitado ser proposto novamente na
mesma legislatura, o Imperador não pode dissolver
a Câmara sinão em casos muito extraordinários,
quando o Estado está em perigo real, quando a continuação da Câmara importa unia desgraça de (pie é
Entretanto é bem sabido no
preciso salvar o paiz.
ahi desta prerogativa
abusado
como
se
tem
Brazil
hoje
abuso
Este
é
excepcional.
quasi parte da ConsO Impesido
teem
os
tituição. tantos
precedentes.
a
conserva
e
rador muda a política do paiz
por
tanto tempo quanto lhe parece. O actual Ministério
foi chamado extra-i onstitm ionalmente, quando o
seu antecessor, corrupto como era. tinha o apoio
ostensivo do paiz.
Ora as causas deste abuso não são difficeis de
Antes de tudo a idéa do legislador
investigação.
constitucional foi crear uma Câmara dos Deputados
que realmente representasse o paiz, nos seus melhores elementos. Essa representação, munida da iniciátiva sobre a legislação que mais de perto toca ás
publicas liberdades e de outras prerogativas muito
importantes, devia ser respeitada pelo imperante, já
reforçado com o Senado vitalício, com o poder do
veto e com o de propor leis e discutil-as no Parlamento por meie de seus ministros. Entretanto o
que tem acontecido? O elemento no paiz que devia
ser considerado como a sua base solida está de ha
muito corrompido ptlo luxo, pela indolência, pela
paixão de empregos públicos, pela mania de distincA opinião publica é cousa que não
ções officiaes.
tem existido ahi : tudo tem cedido á vontade desse
monstro ingente chamado Governo, que tudo regula
e de quem tudo se espera, até a chuva para as colheitas, até os capitães para as industrias. O resultado
é que não tem havido realmente uma manifestação
do paiz (pie o Imperador e nós mesmos, o povo,
sintamos que de facto o represente. Uma Câmara
unanime de um partido, quando dissolvida, é suecedida por outra Câmara unanime do outro partido :
tudo depende daquelles a quem o Imperador se
apraz chamar para ministros.—tudo depende afinal
do mesmo Imperador. A theoria no Brazil é que a
coroa appella para o paiz, consulta com o paiz.
Mas sabe-se bem a que monta esta consulta. E' uma
Esperar que o sobemudança forçada da Câmara.
rano não mude essa Câmara quando elle conhecelhe perfeitamente a oiigem viciosa é esperar de"
"
mais. Não é só a presente Câmara (pie é servil :
O Poder modetodas o teem sido mais ou menos.
rador. pois, tem ido abusando mais e mais da prero"
de modo que hojemdia a salgativa constitucional
"
vação do Estado
Que
quer dizer o seu belprazer.
esse poder em todo o caso
exerceria
o Imperador
com indifferença não o cremos. Os seus próprios interesses dynasticos lhe recommendam a maior prudencia no seu exercício; e si a Câmara representasse
realmente o paiz e não fosse de facto uma commissão do ministério, elle seria muito mais escrupuloso
na execução da Constituição.
lia. porém, ainda outra causa da freqüência das
dissoluções no Brazil, e quem lê o esboço histórico
de Mr. Freeman na citada Reviciv nào pôde deixar
de percebel-a na imitação com que no Brazil seguem
neste poneto as practicas inglezas, sem (pie, todavia,
dêem a menor attenção ás differençás radicaes dos
dous systemas, n'um dos quaes falta inteiramente o
elemento aristocrático e as prerogativas estão marcadas e definidas n'Uma.Constituição escripta e sobejamente minuciosa.
Na Inglaterra o Parlamento dura legalmente
septe annos e por direito consuetadinario, seis annos. Desde que ha lei sobre a duração dos Parlamentos não tem havido um so que tenha sido dissolvido por morte natural : todos o teem sido pela
intervenção da Coroa. O presente Parlamento, por
exemplo, tpie se reuniu cm 1S74 não durará até
1881 : a (piestão é si será dissolvido este anno ou
em 1880. Mr. FREEMAN mostra (pie a prerogativa
de dissolver a legislatura não é parte necessária do
Poder executivo, e com effeito não existe nos Estados Unidos nem pôde exisür na Suissa. Si existe na
França é «pie, além de outras razões, ahi o Presidente só pode dissolver a Câmara com o consentiDemais, o Congresso da
mento da outra Câmara.
União só dura dous, e a Assembléa da Suissa, trez
annos. ao passo (pie na Inglaterra a duração legal é
de septe annos. Onde a duração das legislaturas é
pequena não ha, pois, necessidade de dissolução.
Sem irmos adiante, vemos por conseguinte que o
legislador do Brazil foi muito atilado quando, marcando o prazo de quatro annos para a existência da
legislatura qüe é o duplo do do Congresso dos Estados Unidos, porém apenas pouco mais da metade
do Parlamento inglez. observou um termo-médio
entre as constituições americana e ingleza e, dando
o poder de dissolução ao Imperador do Brazil
àjünctoü <pie elle só devia exercel-o quando houvesse
um caso extraordinário em que estivesse em perigo
De modo que no
o Estado e importasse salval-o.
1S79
Brazil não podem absolutamente em bom direito
invocar o exemplo da Inglaterra neste poneto, sobretudo quando se estudar mais a origem do Parlamento naquelle paiz.
Segundo Mr. Freeman, o poder real de dissolver
o Parlamento é parte da theoria que sobre o officio e
as prerogativas reaes, foi-se formulando á influencia dos legistas e advogados. Esta theoria considera
o Rei como a raiz, o centro de tudo. Elle é a fonte
donde dimanam todo o poder, todas as honras e até
Os advogados lêem a historia
toda a propriedade.
confundindo
a causa e o effeito, a regra
traz
e
para
e a excepção, construíram essa theoria, que é muito
razoável uma vez que se concedam as premissas. O
Rei seria tudo quanto elles disseram si tivesse sido
Historicamente, a theoria pecca pela
sempre assim.
base; philosophicamcnte é ao menos coherente. Seo "Parlamento do
gue-se delia que o Parlamento era "do
Rei." A mesRei," assim como o exercito era
ma palavra " Parlamento,"—uma conversa, um colloquio, é assim empregada historicamente porque ao
principio se reunia o parlamento to parley, para trocar idéas, com o Rei. O^presidente da Câmara dos
Communs, como se sabe, chama-se ainda hoje o
Speaker, lateralmente o que falia, o orador. E elle
Mr. Freeman lembra,
era realmente um speaker.
Sir
Savage
exemplo,
Arnold
que fazia longos
por
discursos,—antes sermões,—que rallavam a paciência
de um Rei estrictamente constitucional como Henrique IV.
Nesse tempo o Parlamento não se reunia só para fallar ao soberano: era uma assembléa
cujo poder se derivava delle, e que sem a sua vontaOra si o Rei creava o Parlade não podia fallar.
Dahi a origem da
mento podia também destruil-o.
Esta faculdade proveiu de uma illação
dissolução.
dos legistas acerca dos poderes reaes. Cresceu graE a razão
dualmente e á força de circumstancias.
Parlamento
dura
por que nunca foi revogadaéque o
muito tempo e não houve ainda practicamente a
prova de ser um abuso.
No Brazil, como já procuramos mostrar, as condições são de todo diversas. A assembléa geral reúnese por, comparativamente, pouco tempo, e a Constituição escripta designa o caso único em que o poder
moderador pôde dissolvera Câmara. Não ha motivo
para se dissolver uma Câmara só porque esta se
oppõe aos Ministros escolhidos pelo soberano. Aqui
nos Estados Unidos o Presidente não tem poder algum similhanté e até no caso em que o Congresso
lhe recuse meios financeiros ce executar certas leis
como aconteceu no mez passado o único remédio
que o Presidente tem é não executal-as, e appellar
para o paiz, ultimo arbitro do bem-publico. Aqui
mesmo o Presidente exerce freqüentemente o direito
de denegar sua saneção a projectos de lei, mas a legislatura pode, por dous terços de maioria, decretar
No Brataes projectos não sanecionados como lei.
zil, (pie é monarchia, o soberano tem quasi um veto
absoluto, e isso, combinado com um Senado vitalício
e em parle organisado por elle mesmo, parece-nos
A
que é bastante para assegurar o poder imperial.
Câmara não deve ser dissolvida facilmente. Como as
cousas vão agora, não ha no Brazil realmente o poder
popular,—o segundo elemento do poder publico,
Só
conforme o ideal do legislador constitucional.
falta
de
educação
Rei.
A
e
ha um poder,—o do
espirito publico, a ausência de patriotismo dos hoinens de representação, e a tendência natural de
todo o poder de procurar extender suas funeções,
quando não reprimido por um verdadeiro equilíbrio
de forças, tudo isso tem feito desenvolver-se o abuso
Emquanto nossas Câmaras forem
de que falíamos.
organisadas como o teem sido será difficil restringir
o abuso.
¦*
O SR. LEONCIO DE CARVALHO.
publicávamos nosso ultimo numero recebemos do Brazil as noticias relativas á retirada
QUANDO
do Sr. Leoncio di-: Carvalho do Ministério, de modo que não nos foi então offerecida oceasião de fazer
algumas considerações sobre a matéria.
Quanto
mais, porém, lemos sobre o assumpto menos vontade
temos tido de escrever sobre elle. O Governo representativo em nossa terra tem sido pouco melhor que
uma farça e este episódio recente seria apenas ridiculo si não fosse tão humilhante para todo o BraziA scena da Câmara dos
leiro amigo de sua pátria.
Deputados quando os Ministros foram apupados
pelo povo das gallerias; a que nos apresentaram dous
Senadores do Império, dirigindo do edifício do Senado allocuções a estudantes que se revoltavam contra um acto das auetoridades,—tudo isto mostra um
estado de sociedade muito perto da revolução.
Já
não falíamos do espectaculo que nos apresentou a
generosa mocidade brazileira indo comprimentar
um
banal e
como heróe de suas liberdades
'Peixeira Jesuita
impertigado da ordem de
Júnior!
Do que podemos deprehender das discussões da
Assembléa geral parece que o Sr. Leoncio se tornara embaraçoso a seus collegas. Ora o Presidente do
conselho bem pudera francamente intimar-lhe que
Agosto,
1879.
sua retirada ser-llie-hia agrada vel. () Ministro do
Império não poderia deixar de sahir. Mas não: deixaram até o Sr. LeÓNÇIO promulgar o Decreto de 19
de Abril, fazendo uma revolução completa no ensino
publico; e só quando viram que as disposições desse
Decreto entravam em contudo com os prejuizos ultramontanos de muitos, cujo favor o Gabinete quer
fomentar, só entào alijaram o Ministro de um modo
indecente, já nfto dizemos entre Ministros, mas até
entre cavalheiros de brio.
Nfto se tracta das quàlidades eu defeitos do Sr. Li-.oncto. Fosse elle o ideal
de um Ministro do Império, si por qualquer motivo
se tornasse avesso á politica do Presidente do Conselho, este tinha pleno direito de pedir-lhe tpie deixasse a outro o desempenho de sua politica.
Mas
nada disto fez o Governo. O Decreto de 19 de
Abril enleve por um mez em mftosdos Ministros. Foi
promulgado, afinal, e recebido geralmente com applauso. Quando, porém, vai ser posto em execuçfto
e apparecem difiiculdades, o Governo vem perante a
legislatura nacional e diz: " Não sabíamos que o que
promulgámos era em parte illegal," e em vez de tomar a responsabilidade pelo acto ou procurar corrigil-o, sacrifica um de seus membros á turba-multa.
Isto, repetimos, é indecente. Quem devera retirarse do Governo não era o Sr. Leoncio, era o mesmo
Não foi o ex-Ministro que ficou despresGoverno.
tigiado, foi o Governo Imperial, cedendo á gritaria
do Rio de Janeiro, e trahindo um do seu próprio
seio.
('orno o Sr. Gaspar Martins, o Sr. LeònciÒ de
Carvalho está agora na opposição. O ex-Ministro
do Império saberá agora que pérola preciosa é a coheiencia. Que remorsos terríveis não terá o joven
estadista por ter postergado a causa da liberdade,
que o levou ao poder, donde é agora expellido por
seus collegas ! Não ha muitos mezes havia em São
Paulo um professor de idéas muito progressistas «pie
defendia a plena liberdade de consciência e religião.
Chamado ao Ministério esse professor, interpellado
pelo Sr. Saldanha Marinho, cpie lhe lembra suas
opiniões de havia apenas um anno, as denéga sob o
pretexto que não era chegado ainda o momento oppor tu no. Nem ao menos, tractando-se da reforma
eleitoral, consente elle em que os Protestantes possam ser eleitos Deputados da grande nação brazileira!
Hoje, dizemos, esse professor bem pode fallar com
amargor do seu banco da opposição.
Mas nesse
mesmo amargor, que desejamos não seja pouco, deve
ser punido o que atraiçóa a causa sagrada da liberD'ora em deante talvez o Sr. Leoncio de
dade.
Carvalho seja um verdadeiro estadista tpie só acceite o poder, não pela vaidade, mas pelo desejo de
realizar á risca as suas idéas. Como quer que seja,
nós temos de agradecer-lhe o Decreto de 19 de Abril.
Elle cobre uma multidão de peccados. O ex-Ministro
pôde orgulhar-se de ter sido victirna desse Decreto.
IMMIGRAÇÃO E COLONISAÇAO NO
BRAZIL.
A Revuc Britannique de Fevereiro p. p. publicou
uma interessante memória com o titulo LLiuuiigration et Ia Colonisation au Brcsil, par AI. Paul de
Turenne, que foi posteriormente tirada em avulso,
sendo-nos enviado um desses exemplares.
O auctor dessa memória, o Sr. Condi-: di-; Turenne, foi encarregado de negócios da França no
Brazil; como demonstra esse trabalho «)ccupou-se,
durante sua missão diplomática, de estudar um dos
mais interessantes problemas para o futuro da nossa
pátria.
A memória tem por epigrapheas bellas phrases de
Erasmo:
Admonerc voluimus, non mordere;
prodesse non hederc.
Eííectivamente todo esse escripto é inspirado por
um sentimento geral de sympathiã para com o Brazil, cpie devemos tanto mais agradecer quanto é raEsrissimo, principalmente no corpo diplomático.
crevendo sobre um assumpto, (pie o próprio Governo
brazileiro confessa ter sido para elle motivo de erros
e de infinitas decepções, fácil seria seguir a turbamulta dos maldizentes; bem longe disto o Sr. Conde
de Turenne distingue os erros da inexperiência e
as faltas dos delegados do Governo, encarregados de
executar um serviço tão difiicil e complicado como
é o da colonisação.
Um outro motivo, que nos tornou sympathica a
memória do Sr. Conde de Turenne, foi ter sempre
em vista a necessária e indispensável emancipação
dos escravos.
Neste particular elle cita uma phrase
commoverite de um desses infelizes, que podia bem
figurar no celebre romance emancipador de HaRriet
Beecher Stowk.
Acabava-se de promulgar a lei de 28 de Septembro
de 187 G qüe eternisou o nome do Visconde do Rio
Branco, e foram dizer a um escravo que seu filho
seria livre.
"
E' a mim, disse o infeliz, tpie trabalho ha trinta
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO
BRAZILEIRO.
annos «pie é devida essa liberdade, e não a elle, «pie
apenas teve o trabalho de nascer."
Si esse pobre escravo tivesse o amor pàtértíàl mais
desenvolvido, poderia ter dicto:
" Sinto-me feliz
em ter trabalhado trinta annos só
ter
agora
a
certeza
tpie meu filho nào soffrerá,
por
como seu pai, os horrores da escravidào."
O Sr. Conde de Turenne faz depois u.r. resumo
de todos os systernas de colonisação ensaiados no
Brazil, desde os tempos de D. J0À0 VI, citando aigarismos extrahidos de documentos ofticiaes e de
escriptós de confiança. Nesse resumo comprehende
as tentativas de colonisação particular, e cíiega até o
estudo do modo por tpie actualmente funccíonam a
Agencia Official de Colonisação e a Inspectoria Geral
das Terras.
Salvo um ou outro poneto de interpretação, «pie
apenas é conhecido pelas pessoas mais versadas
na politica do Brazil, as opiniões apresentadas
pelo Sr. Conde de Turenne, são sempre justas, e
jamais eivadas de qualquer espirito de malevolencia.
As ultimas palavras da memória resumem bem seu
pensamento
" La voie, geral:
que doit suivre le pays est donc aujourd'hui toute tracée; c'est celle qui le conduit à Ia
prosperité; c'est celle qui le fera également arriver à
son apogée, et luidonnera les forces necessaires pour
décréter, dans un temps rapproché, 1'abolition complète de 1'esclavage."
Agradecendo ao Sr. Condi-: de Turenne os votos
cpie faz pela prosperidade de nossa pátria, esperamos
«pie escriptós, como o seu, sirvam para acabar na
Europa com os prejuizos e preconceitos contra o
Brazil, e que a emancipação e a completa liberdade
de consciência venham, quanto antes, acabar com os
únicos obstáculos graves que ahi ha contra a immigração e a colonisação.
O CANADA'
GOVERNO constitucional do Canadá passou
0 por uma difficuldade curiosa.
Como se sabe
a grande colônia ou "domínio" tem um Governador-geral, que é presentemente o Lord Lorne,
Victoria.
A cada Provincia pregenro da Rainha
"Lieutenant
side um
Governor," (pie exerce até
certo poneto as funeções de um monarcha constitucional no seu próprio território.
Ha alguns mezes o Governador da Provincia de
Quebec, M. Letellier, que é liberal, demittiu o
ministério da Provincia, apezar de ter o apoio da leEste acto de usurpação foi severamente
gislatura.
attacado por todo o partido conservador do Canadá.
A legislatura do Quebec, eleita depois da mudança,
seria adversa ao Governador por um voto de maioria
si seus amigos não tivessem comprado o voto de um
A questão tomou proporções
eleito conservador.
tão consideráveis «pie na eleição geral do anno p. p.
grande parte do conflicto entre os partidos versou
sobre ella. Os conservadores tendo triumphadó por
grande maioria, o novo ministério colonial pediu ao
Governador-geral a demissão do Governador LetelLord Lorne, porém, recusou dal-a, neste
lier.
poneto não querendo ouvir o conselho de seus nünistros. A estes só devia restar o ai vi tre de insistir na
demissão do Governador ou então sollicitar a sua
própria. Mas a paixão pelo poder (pie cega os liberaes do Brazil, lambem obcecou os conservadores do
Elles não insistiram n'uma cousa nem
Canadá.
n'outra: recorreram ao expediente de appellarem
Este agora declara
para o Governo da mãe-patria.
que não intervirá, e a situação politica do Canadá é
curiosa e complicada. Os iiberaes sustentam (pie o
Governador de uma Provincia pede demittir um
ministério, dissolver a legislatura e procurar intervir
Da outra
nas eleições em prol de seus amigos.
banda os conservadores entendem (pie o Governo
geral da colônia pode demittir a seu bel-prazer qualEntretanto pela
quer Governador de Provincia.
constituição do Canadá, as Provincias suppõem-se
Si o Governador
que teem governo seu próprio.
fosse
eleito
dahi
pelos mesmos eleitores
provincial
tpie fazem a legislatura, não haveria tanta desharmonia. Mas, como são as cousas, o Governador não
deveria ter o direito de dissolver o parlamento provincial.
NOTAS DIVERSAS.
iaiMIGRACÃO
N«>S ESTADOS
UNIDOS.
O chefe da Repartição de Estatística de Washington
ministra as seguintes informações officiaes:—No mez de
Maio p. p. chegaram a New Vork 21,576 passageiros, dos
quaes 18,109 foram itnmigrantes. Durante o periodo corroBpondénte em 1878 chegaram 15,271 passageiros, 12.213
sendo iininigrautes. Das chegadas em Maio ultimo eram:
da Inglaterra, 2,533; da Irlanda, 3,142: da Allemanha,
4,420: da Suécia, 2,501; da Noruega, 1,051; de outros paizfis, 4,435. Durante os doze mezes findos uo ultimo de
179
Maio p. p,, comparados com o porlodo autorlor, as ohogadas
foram estas: —
187!). 1878.
Immlgrautes 92,801
71,091
Cidadãos <pio voltaram 30,337
25,305
Passageiros temporários
6,050 5,000
Totaes
135,188
101,44(5
As ultimas noticias da Repartição das Torras publicas do
Washington mostram «pie a emigração para os dlstriotos
do o«5ste da União tem sido tatnauhu, o sem precedente ua
historia do estabelecimento do paiz. Numa s«'i semaua do
Junho o Governo vendeu perto de 200,000 geiras de terra
a emigrantes, sob as leis do homestead e da timber vulture.
Segundo esta ultima lei o emigrante ohrign-se a plantarem
cada geira de terra 2,700 arvores. Todo o óéste geralmente
tem ganho com estu imniigraeão: mas o Mansas e o territorio de Oalcnta parecem agora ser os predilootos ponetos
objéotivos destes ''piotieers."
LEIS DA MORTALIDADE.
Um sábio francez, o Dr. Bertillon, acaba de publicar
os resultados de seus longos estudos sobro a estatística da
mortalidade em todos os paizes da Eumpa. Elle chega á
conclusão (pio o casamento 6 couduzivel & longa edade o
atú* certo poneto torna-se uma espécie de seguro contra a
enfermidade, o crime e o suicídio. Diz «pie um homem
solteiro «le 25 não tem melhor opportunidade de vida do
que um homem casado de 45. Entre os viuvos de 25 u 30
a proporção da mortalidade 6 a mesma que eutre os casados de 55 a 00. Tomando ns estatísticas da França, o Dr.
BERTILLON mostra que, ao passo que a proporção da mortalidade eutre os casados de 20 a 35 annos é um pouco meuos de 10 em 1,000, os solteiros daquella edade morrem ua
proporção de 16, e os viuvos de 19, por 1,000. Taes são
os resultados na França inteira. Em Pariz a mortalidade
dos solteiros dessa edade é de 27, a dos viuvos de 32 o a
dos casados de 15.7 por cada 1,000.
Com edade mais
avançada diz o investigador «pie a proporção cresce ainda
mais.—No «pie diz respeito ao crime assegura elle que os •
delidos contra a pessoa são 50 por cento menos, e contra a
propriedade, 45 por cento menos, eutre os casados do que
citre os que não o são.—O uumeru de suicídios é na razão
de 628 por 1,000.000 para os viuvos, 273 por 1,000,000
para os solteiros e 246 entre os casados,
—O terceiro Congresso dos Americanistas terá logar este
anuo em Bruxellas, sob os auspícios do Rei belga. Nessa
reunião internacional serão discutidos os tiltimos estudos
sobre a etimologia, historia, geologia, e do facto, tudo que
possa interessar á humanidade, relativo á America. Dizem
(pie o descobrimento do Novo Mundo será objecto de discussãò especial.
—Os cervejeiros inglezes teem conseguido acciiniulár
imiiiensos haveres. Tal é o que se dá com Alsopp, Bass e
Guinncss. Alsopp é até membro do Parlamento. G-uiuness mora em Londres no magnífico palácio que o Duque
de Westmiuster construiu para seu primogênito, o Conde
de Grosvenor, em Grosvenor Place. Ahi o cervejeiro deu
ha pouco a festa mais brilhante desta estação.
—A Bibliotheca da Universidade deStrasburgo, segundo
as ultimas noticias tem agora 470,000 volumes.
—Chegou a Marselha com destino á Sociedade de Accliinaçào uma caravana composta de quinze homens, quatro
mulheres, duas crianças, trinta e dous camellos, quatro
bois, «luas zebras, quatro elephantes, oito abestruses, cavallos, etc, tudo do Dongola e Abyssinia.
—O Conselho municipal de Pariz adoptou uma
proposta
feita por M. Villers, chefe das pontes e calçadas, para
estabelecer no Trocadéro unia pedra que marque o zero na
uivellação do districto do Sena. O Miuistro das obras publicas (píer fazer o mesmo na principal cidade de cada departaineuto.
—Em 1860 quasi toda a Coney Island
perto de New
York foi arrendada por dez annos por 120$ por auno.
Hoje a frente do mar está avaliada em 30,000 contos. Não
ha exemplo sinão neste paiz de tamanho ganho, graças aos
iiniuensos melhoramentos, boteis, casas de banhos, etc,
que ali se construíram nestes dous últimos annos. Em
dous on trez dias de Julho ii ilha recebeu 200,000 visitautes de New York, cada dia. Ha quatro diflereutes linhas
novas de estrada de ferro occ.upádas no transporte de passageiros, além de carros, bouds e barcas.
—Todas as posses da coroa da Rússia foram declaradas
isentas de taxa.
—No Estado da Minnesota, E. U., ha cerca de septe
mil lagos.
—Philadelphia vai ter uma estrada de ferro aérea communicando com a estrada da Peuusylvauia.
—As locomotivas americanas ua Austrália teem dado
muita satisfação. Acham-n'as superiores ás iuglezas, precisando menos combustível e mais baratas do (pie as inglezas da mesma capacidade.
—0 Estado dolowa, E. U., teem este anno uma colheita
de trigo tamanha que corresponde á um alqueire on bushel
para cada habitante dos Estado.* Unidos, e 10 por cento de
sobra.
Agosto, 1879.
O NOVO MUNDO-PZRIODICO BRAZILEIRO,
i8o
¦-
iTMttttfMJ"
'
wXmmTT^mmmTm^m^S&^'^ ^Rs
*
-"
"
íf? ^'^Zs^TP8* "***•**"—^^ - ^^^C.
*)
'¦
^f j3flflflflCj^Bfl:'*Í
'
¦*^JrriFff^T*í«MM*""'J-*™ ^flT^SÍBflMiMBBfll!3flBÍM
^XaffSyTsMsflVÍ rsmWt JC^B^^bV flflfl™Bt.BB
flflflMJflaÜBflBfl aflflfl^laiaflTaKMlmiyhimffi
" TT^fe j üS^!;. *"Ttv#.fl^aiiWBE£á.â- 't
**r r&JT*^'
VAtt* jíWj'•tV.aBffr{jfffE*3j^^
JB^ÉJaÍfchSBCT^lfl.Pu3CaflflK.^BBBBBjjjBMBBB^
Mwjflfl^^BiiMflflTfl^3Ej5y^
,-»^ f-^%
'JMÍy%TrB
- 'i^í3b»gC^»ft(^ ¦ 1 J^áIW"B ji^.a3v"«r'.
J—ITt»
?,
."tiitffa.- ^(^^«Ite^á^BBByB^^SgflBtgl^flBi^EriBBBii^^ifl^
B^RáZn flfll ^ammmmmm**^mmmtBF7*l&fSÊÈ££^23& Ha* ^^^^^'KaMjflPtfliio!
prtiyff^^MBBRJwCT
'"*"'
^S^fi
* ¦ sifRfif'V.jBWBHKBf^ffPfl^aB^B k*1^^g"<^ 'ffft"'' '—-jjlOrffijgff^
^:dWABfe^JBgMBfciWMii.fl
^BlLiiBBflgBBBBBjBaiaEHK^jfeJA
BI^^B^IjBBBjiRSmjqF^'
*.%* ,*. ^'^^^af^í^lãfir^M^Mia-^^fl^jJ^ ^""í^
r»**¦,
¦CT "IflflT ¦PÍÇ»*'4*^rV BBa">i'itBBB IflMliarf^BjfcataVy.*¦¦
~aáMà-Hftalfl5fl^B^BBBfl>a^- J*"ãf^~-'
j
Hil Iflflflilwi^^íSiÉSelES'^^* *"*^ff^*-'^NE3SÊÍ'~T^'"
~
(a^aaJVIMaflflaLf ^^BaaJSl «Ti VI *"'**
^''^BB&mBV/
¦MLT-t.Jfll I. 'F?Ê5r^j^ntf^^*''s"
."">--;:""-:""
Bjy.ll.liJBBBf? Esafl£,._^M«*..—. ""."*""
tr
*
^t^í**^"^*^**^1
^flfl
"£-.Tf'-*
ifB
aflU afla*Y*^l/ flB BIT JflfflflWflaaaaaaaT
.aaflflal
S^í^k
Jiafl^fl
Afl^ >™J^^^^'"*'' " ^i
A^àmmWm^r
|
AmmmmmW e/í ü Bflfl ^|
'
I^"^IbtI/ áffl IbT
PPfVjB
Blfl?!fll
flrS^fllr
¦S^ifiLlfl^Hfl
^C '
"
^aaaaaaafül ll^aflal alr^
VH
aflflOflfltLrflfllnsflV/
flflEniliiliTi'^BlPf'.i',"i'':' i 1'flBfliui^^^iflflT'"flflflflHaí.
flllrSrlfll JaP* ilVTFw
^*
fl|
'«CJ
V
#
*" afll
^If.mW^mmwM
Bf*^ W^^iB
*^*
' mwr
BBBa
iJfi ^
Wwm»
..ir
^^*^^ *^^
«ÉB Bk
\
IflL
^flBV
*^flfli
||V/I
^fl
|^!
IBr
Bfltflfll BV-^flflflí^T^iiil^™flflT^íflt
bÍ
I
'-^BB^^»^Ta^^^aC
IflWBl
^
'
BkS
flfl]
"Wl^
. -.** ^W^^/^^^^I^^bI
^Jvflflfl>
Bfly ^^BBk tbI
BB¥BMviBflV'B w£*Ê£&
Tp%^taflna^3t^4waL*>. afli^Bg<Wa»flWi^D^^- I. J^
iBflflB
¦¦¦¦¦¦¦^^^^^T
HESPANHA :-A
PORTA
ri^'^^-âaitl
|
«*/T Tjg'^^?^^ggSB|^gB|^|
*
™B\ *í *** ^ ^^BflflaiX ~^^T l^ü
Baaalrlm
flflfll
Bfl\.\fll
Bl%tb1
"'^fll
-
."
KrWrTJ flB.^ »
tflWv^B»-'-lp'"
¦¦L^rVPafl
flflflfl!
B^J^^^B ¦Ft^BBIs MT I B^^yfll
flfltffBflrBl
^w
L
Hn.'~V^fHjJ
BURGOS.
DO CLAUSTRO DA CATHEDRAL DE
Bni^y^". jiSSaffP1
BflV \W jJ
~~
. -^n
P*^*^''
'-*«flaF^flJ
r*;,.."- -
¥b1
Ib^I^BdÍbT
Vflaf^B '*'¦ —— *^.~ ™- ^*y 3Bt ~3^^
ütkcSSr? V-*--- ^ji^fll^^^^""
'
''f ^flflflflfla»a^!»ala.llaa.l»a.ÍÍll«!a«l»la!a»»^aMaWáafla^^
'—--~^r>-- ~.—.-'"' "~
¦¦
BKBK4alllriS^lflaflW>flmju'l
|
VBIJ Bfl^x. -¦ -.*?**—:-* -'-^«igijfnSiBSa^gJ^BjiF^SBglIfl^BflBB
'^'L-tftíi^^^rS^gljrB-J
i\vv^
B'\-' «"--.-^'¦-^^SLí*
BvV^lS
fl jflBBBWiBBlflfl^flB 5 ^^C -^. ^T^^J^fl^fl^TflflnHflrfl^^fll TP^BtflJ^ «^iJflBBt^wBf iflflHIP flfl^BBflB^t^jJ ^Bfc «e^
11
flfll
B
íaaT^aWI
aBaBKxiV^fl
BV^-.-iíai^E
min'
¦J *i ¦gTgBaTrflMnrTB'
^' ... l...*í . fl
flflfi - ^^flflfl———L - ^--i^gflfflflfltgflaflflflflflflflflflflflflflaaflaflflflMaflflk*^\y l^fl—afcMaVrssg»l
e.jah3~T^ESSt£a^flSfliafl
-^«iiM^lfln
^|flflnflflnabl^fli^flBflflflflflflflflflfl^flPflk,,'»>(lt*HflflflSPr •"r^jT"g*=^:Tri*f*»^J-ir"
•' TsflflHr IsvfiiBflflflPflUf *™I
ikwmWl isTfflrlY. Hni IflU j fll
WflM
"^^^'"":^
IÍi^* *¦
flflflflaaa.
flBfl
.*\l' a a^flflTflM
WSP ~ft w" T~::^-"-^-?-''^ *J> ¦.Íl^B^l-:*^^7!-Wr^B-^fllp")lSi
- fe _^t«f »*w *p|P 3Bl**a>tf^j^^rfc '¦?**ítB- •"flflflJI
-^~-^t -j-T
bV'»mv^
PV>»
If/aifln^^lHlrv
Í"J|l)fl1ltHaBflflflafl™BBBBflaBflafl^ll
fl(JBflflB!BB]
^^B
-
iflBT" j^* fl
B^fBB
BflW
flflflP^Br^^T^Bflk.
flflflr 'll\m^r "J "aflfll
Eà^P^BB/
iI^B 1\' ^nfajflB «|
Bb.(
LflLjjffaafll
mwSr **^kmmm mm\mWÊmwJ flT
í Vf lUBVan*¦ SolHaT^i'''''ÀfmW^mW m Àmmw MM/ lÁ^tm
Bflfl
IIRaf(aMÉBlBnDf7inB''/'il
iBaaüW JDB" i3VFt//flflB.
BaTaflr//aflaBflBT ,flflv
" BBflf f##«JB
Af^B flfll
H/r>2B
B«rvT- 'SW/Ã.
IflnBKflalflF
Mwafflfljf ^\wT
1 "^'-JiãgT^-'" j^gjy li^*^iPBwr' *J'Ti^7r^'*~ *^i ~ ^^^^p^a^BJ^^flBt^^^^i^ry^ ••^^K?*- ^
'":^ilm*fTÈ^ÍÊ£-f
1Qk:k??+&^Ji^mw£-£jF.'"x5:: '- •'. I"". Iz^f^tSJÊaà
flflB^^s?-.
.." . ~. *^J.
.' - -f- r **.* .**•--^arS^
**-^5**aP»r?y3~
jBgjflaBtBJaBBaw V af ? <:*** '-0-1^^-^ iJ^-fZT ¦».. ¦'** |. ya-f?^gjflflBM|
lflfc_^S>w^'
-~^Ar
l-^^-^fT^^^^^Sfr'"^^^5^
'^iiWc^fl^^
BBafc"
"J^TJV^
.KaT^' 'iBla^j
-'£iL= F-=7BBBBBBBlflBBBBBjÍjs33%5ÍÍÍi£a=5
Acosto,
O NOVO AI UNDO—PERIÓDICO PRAZILE/RO.
1879.
181
¦
¦
'.'":'-''
..
¦
,,
¦':¦'
"•
::\
B|
¦
•
I
¦¦^¦¦^¦¦^¦^¦¦¦h^^HIR^P^ - -J^RR
fl
BflC
Rf^ "'"-Jâl
pfmP^^IK^-- Jk \^m Mlm\
H' fL^auIlP ' òM
ti illl
¦a \
.JH
1
H.
K™-->stSsl!™
HhfiSli
3mw^*\
mWRMwWM
BÉnn
HuHH
BBwJ
BUBBãl
¦H
U
Hl
BB
BI
l^~aj
HH HH
nl
KH
P9
BI
Hl
Hh
HH
b
BB
.P.B
BiH
I
BP.- " H
Br^'
IH
b
p^;
Hr ¦'¦'
H
Hl
B9J
HH
¦
ihiüi
Hsl
Ht
P91KI
j
iiHi
n
_^üi»fll
IcH
.'"'SfM
Hnuà','., .j.í.TItiSIw
HH
Hl
^hhIII^hIII^hIIIHMHPSr^
' .¦iK?»J"aBk «á Ifea
¦min,,'
Hk-
II
I
s.;
'..'-irffii-^ill^U^illH
^-ámW^Wi^MlHwBB BI
BWll
Im
BtòrB
k3
m\m
15
|
BtJ
HH
H
¦
I
fl
y
jpjffW hiBtI
II
HH
Hfl
li
H H
F
Hjt' ».-•
flIl#1;
KL¦htLi*:-;BML
II
RI
HEIf
11
WLw>fmm
SWrafll
mm
^fl
^fl
fldHHHmfl
bvbbvbbvbbhhbvbbvbVbvbbvbbT
IL
I
UM
ni
lal IBII
Ü0
BaYfl
fl
EB
BB
EHBhIB
B
bVtB
B(B
MIWIII ¦ BI
fl
B
fl
flH
i_j
K wtgdiiÉ^dali
M
INI
Bj|||La^|M^á|
BMlBsMHaBBra
B
I
HBliàlãl
:^^^..I*M^#^^^
HHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHHa '-'t-iL-uiyBBl
fl
IflI
:
SflcSB
BhIw
KWtB B
BrAí^B
I
^fl
Ml
&Ku^l
-^H
¦¦
I l")^!
í
fl
19
fllwaffl
:!B
amVSfl
-'
•
LVil
atfl
I
•.-••.-::!Hj
Hnv^jH
HlUrânHl
"0y-^-
' -.-
i^^Mj
BmH
il
HvJw
°
1111
HH.
i^^^^BBi^SI
,—
>1^|^bR
FSv^^^^?;-'
SlIalaÉIiH
I
'•«iimv.m
BkBMIhI
fl
B^"'T
HL_ây^LlTv:ul -'Hl
aÉÉBiÍEí''.'vv.v: :-,V'kB1
Haaa WÊ^-'
Cy|
HHHB
m
II
Mm lifBWB
WÈIIÈÊf!**
lll
iflR
uNh
¦
¦
1
II
¦
¦
¦
O NOVO MUNDO-PER IO D ICO BRAZILEIRO
i8a
O VELHO MUNDO.
A situação dos negócios na Inglaterra nilo é nada
agradável. Com uma guerra estrangeira á mão, e
com outra mal acabada, ella está á garras no interior
com maior inimigo ainda,—que vem a ser uma deé das peiores por
pressão industrial e commercial que
Das ultimas noticias conque o paiz tem passado.
sta que em Burnley a terça parte dos teares estão
No districto de Hlackburn a proporção e
inactivos.
de perto da quinta parte, e assim por deante nos
districtos da manuíactura do .algodão. Nas fabricas
de tecidos de lan, o termo médio do tempo de trabalho é apenas de quatro dias por semana. Um periodicode Manchester diz também que o Estado dos
negócios no districto de Rossendale, cujas machinas
são especialmente adaptáveis ao algodão da índia, 6
De cem tabricas somente seis—e estas
ainda peior.
coinparativãmente insignificantes,—estão trabalhando todo o tempo, trinta e cinco se acham de todo
o termo médio de
paradas; as outras só trabalham
1% dias por semana.
Ajuncta-se a isto agora que o tempo tem estado
muito inclemente e que as colheitas são péssimas.
é
O estado dos lavradores da Irlanda, sobretudo,
A depressão geral tem diminuído
desesperado.
teem
dos
muito a renda
proprietários: estes, porém,
inquilinos
seus
dos
arrendamento
extorquido maior
ruraes, de modo que a miséria é grande entre os
Nos districtos de Mayo e Sbgo, na
pobres farmers.
Irlanda, a situação é por extremo lugubre; a fome
Entretanto os
tem feito proletários dos lavradores.
Em
a
divertir-se.
aristocrata*», os ricos, continuam
Saouvirem
Londres pagam preços fabulosos para
vida
notariasua
de
kaii Bernhardt. que, apezar
mente irregular, é recebida em casa das duquezas e
até á mesa do Príncipe herdeiro c da Princesa.
No dia 4 do passado um membro do Parlamento,
Mr. Chaplin propôz que se nome_isse uma commissão de inquérito das causas da depressão agrícola.
Mr. Chaplin é proprietário rural e, fallando pela
classe á que pertence, suggeriu a volta do seu paiz
Não deseja ainda taxar ceao systema protectivo.
reaes, mas (píer uma protecção moderada, um meio
termo entre a legislação de 1846 e a .antiga. Mr.
logo
Ioiin Bricht, o grande democrata, combalteu
compaos argumentos do seu collega, cuja proposta
rou indirectamente a essas xaropadas de patente,
Elle disse que é á diboas para tudo e para nada
visão da propriedade rural nas mãos de poucos que
se deve attribuir a má, terrível situação dos negocios; e repetiu os bem conhecidos algarismos que
mostram o hediondo monopólio. Duas terças partes
do solo inglez são possuídas apenas por 10,200 pessoas; duas terças partes da Escossia são possuídas
por
duas terças partes da Irlanda
por \$o pessoas e"Estudem,"
"a causa
aisse o orador,
1,94*2 pessoas.
deste divorcio do povo inglez do seu solo nativo:
tractem de abolir esta legislação antiga, maléfica,
estúpida que nos embaraça a cada passo: haja um
inquérito amplo e honesto: encarem de frente este
espectro, de que teem medo, c de que não podem
escapar; acabem ao menos com o monopólio que
tem banido tantos braços de nossas lavouras e que
tem pauperisado os (pie ficaram."
O parlamento ordenou o inquérito e parece que o
resultado delle será uma proposta de protccçílo moderada.
A questão do ensino religioso nas escholás publicas é sempre mui difficil nos paizes em que as eschoIas são sustentadas por impostos de cidadãos de
De um lado entende-se (pie o
seitas diversas.
alúmno nilo deve deixar de aprender algumas noções
de religião e moral na eschola e do outro é absolutamente impossível ministrar mesmo uma tinetura
de religião sem offender os escrúpulos de alguns sectarios. Os catholicos, por exemplo, que pretendem
basear todo o seu ensino na Bíblia objectam á leitura
de passagens bíblicas .nas escholás : querem escholás
domínio da sua seita,
publicas, mas sob o exclusivo
e neste paiz, que deve sua grandeza em grande parte
á eschola publica, os padres de Roma estão fazendo
todo o possivel para derrocar o admirável systema de
instrucção popular.
Como nos Estados Unidos, ha também na Inglaterra muito conflicto acerca da parte que o ensino
religioso deve ter na eschola. Ahi, porém, acabam
de pôr em practica um experimento que nos parece
ser a solução do problema e que desejáramos fosse
acceito até em paizes como o Brazil, onde é cedo
O conselho de instrucainda para esses conflictos.
decidiu
que as escholás não
ção de Birmingham
Duas vezes por sereligiosa.
alguma
dariam lição
cada eschola dará
de
mana, porém, ura professor
assnmptos moraes,
sobre
hora
meia
uma prelecçãode
sinceridade,
honestidade,
a
incluindo obediência pais,
modéstia, temperança, perseverança, frugabdade,
abnegação, cortesia
governo individual das paixões,
As
prelecções devem ser
e outras virtudes moraes.
da
em estylo de conversa e illustradas com exemplos
Um membro do Conselho propor
vida practica.
illustradas com exemplos
què essas lições fossem
votos
bíblicos ; a proposta, porém, cahiu por nove
voto da
contra quatro. Mr. Dale, que exprimiu o
acceito
o
promovia a
plano
maioria, sustentou que
e
alumnos
dos
que a própria
saúde, physiea e moral,
Elle cre
ulteriormente.
religião lucraria com isso
como
religião,
da
auxilio
ipie o ensino moral com o
vida
a
a
enfraquecer
geralmente se ministra, tende
elevados
mais
.aos
moral, com o freqüente appello
mais
motivos religiosos para sanecionar os deveres
nena
cre
Ha muita gente que
ordinários da vida.
verdadeiro,
que,
cessidade da honestidade e em ser
E
divina.
revelação
a
admittem
não
entretanto
um
peso
exacto que a saneção religiosa empresta
a
nem
elle,
disse
mas,
moraes,
deveres
aos
enorme
contínuo
moral nem a religião ganha muito com esse
Elle deseja que o meappello a motivos religiosos.
verdanino tenha amor religioso pelo que é bom e
deiro, nfio só porque a Religião o ordena, mas pela
ideas,
cousa em si mesma. Concoidando com estas
não
lições
as
pudesvemos
por que
nós, porém, não
sem ser illustradas com. exemplos da vida ideal por
excellencia,—a de Jesus.
A França, que é talvez o paiz mais prospero da
Europa neste momento, tem também de encarar
alguns problemas sérios. A familia Bonaparte tem
agora por chefe o Principe Jeronvmo Napoleão.
Na reunião em que se procurou decidir isso só estiveram presentes cincoenta e quatro de cento e
nacional da
quinze bonapartistas da Assembléa
é excellente
unanimidade
Esta falta de
França.
França.
da
Já Cassapara os verdadeiros interesses
um
expedir
não
GNAC está censurando o chefe por
é
facto
O
que o
manifesto e ter medo de desterro.
ha
não
Principe só foi reconhecido chefe porque
organização.
a
outro remédio, si quizerem manter
oito
Carlos Bonapartk, o chefe da familia, teve
cinco
Os
filhos,—cinco varões e trez raparigas.
foram José, Napoleão, Luciano, Luiz e Jeronymo. As raparigas foram Maria, Paulina e Carolina. Destes septe irmãos e irmans de Napoleão
ha descendentes, ainda vivos, de Luciano, JeroAs linhas de José, NapoNYMO e das trez irmans.
: a de Napoleão pela
extinetas
leão e Luiz estão
em 1830 e a de
Reichstaiit
morte do Duque de
terra dos Zulus.
na
Luiz,
Luiz pela do Principe
e existem
Luciano,
de
filho
Mas ainda vive um
Carlos
Principe
o
elles
quatro ou cinco netos, entre
de
De
Jeronvmo
parte
e 0 Cardeal Bonaparte.
existe Jeronvmo Bonaparte e seus filhos, e uma
filha, a Princeza Matilda, a mulher separada de
Demidokf. Principe russo. Parece, pois, á primeira
vista que não havia muita falta de herdeiros para as
cabalas dos Bonapartistas. Porque, por exemplo, não
tomam alguns dos netos de Luciano ? Tendo elle
sido mais velho que Jeronvmo e que o próprio
Luiz, e tendo-se acabado as linhas de José e de
Napoleão seus herdeiros seriam Jos suecessores naturaes. A exclusão, porém, foi obra do próprio NapoleÃo. Luciano, o mais hábil de todos os irmãos,
casou-se contra a vontade do dictador ; recusou
repudiar a mulher como o fizera seu irmão Jeronymo ; e por isso elle decretou que para sempre ficaria
excluída a familia do irmão da suecessão do Império.
Os Bonapartistas de hoje nãc podem deixar de resda dynastia. Ora hapeitar o decreto do fundador
vendo lei salica na França a escolha do herdeiro
cinge-se aos descendentes de Jeronvmo, o mais
moço dos filhos de Carlos Bonaparte. A causa
dos'Bonapartistas parece, pois, bastante desesperada.
Mas ainda assim teme-se que um dia surja entre
elles algum ambicioso sem escrúpulos, como o ultimo
Imperador, que reconstrua sua casa nas ruinas de
uma terceira republica.
As demonstraçõos extraordinárias de pezar, por
morte do Principe apenas
parte da Inglaterra, pela
refiectem o pezar da corte e da aristocracia que infelizmcnte teem já influencia demasiada na vida publica. Dizem que o Principe e a Princesa Bkatrice,
a mais moça das filhas da Rainha Victoria, amavam-sc muito e pretendiam casar-se. Alem disso, a
familia real crê no cesarismo e nas idéas napoleoniaccompanha nisto a mãe,
cas O Principe de Galles
" Imperatriz" e cujo
fez
poder
que Beaconskielo
Parlamento.
do
á
custa
tanto
pessoal tem augmentado
A morte do Principe Luiz, fez, pois, mallograrem-se
muitas esperanças da sempre grande, mas sempre
pérfida Albion.
O projecto de lei da reforma do ensino, proposta
ainda está pendente do
pelo Ministro Jui.es Ferrv
Senado, e tem causado muita discussão na França e
Todo o liberal ha de concordar
até no estrangeiro.
com o Governo que os ultramontanos, agora que
nada teem que fazer
podem ter universidades suas,
Instrucção
de
publica: isto
no Concelho superior
Acosto,
1879.
seria consentir que elles pudessem cercar uma fortalesa e ao mesmo tempo deixal-os penetrar nella para
A secularisação da direcção do ensino
a renderem.
Ainda até sobre a conpublico deve ser completa.
cessão de graus acadêmicos os liberaes podem concordar com M. Ferrv. Si as profissões fossem livres
e em caso nenhum dependessem desses graus (como
acontece nestes Estados Unidos) então seria absurdo
crear faculdades e não dar-lhes o direito de conferir
a França estiver tão atragraus. Emquanto, porem,
zada que der empregos públicos só aos que possuem
certas habilitações, os liberaes não lhe poderão negar
o direito de julgar, pelo seu próprio Governo, desses
(píer
titulos. Mas quando M. Ferrv, indo adiante,
não auetonzadas
prohibir ás sociedades religiosas,
o ensinarem
desuso,
em
século,
um
lei
de
já
por uma
elle excede
famílias,
de
casíis
em
mesmo
livremente
emprestado
toma
e
liberalismo
as raias do verdadeiro
aos adversários o methodo especial com que estes
O direito de ensino é
attacam seitipre a liberdade.
Demais, de que
conculca.
o
sagrado, e o Ministro
si
agora
(bem ao contrario do
vai expellir os Jesuítas
o bom Càtholico é
todo
que acontecia ha cem annos)
e todo o episRoma
em
Jesnita; si a ordem governa
?
mandamentos
seus
copado'se move apenas segundo
o
romanista
Si M. Ferrv quizesse prohibir á egreja
ensino particular e publico teria sido mais coherente.
A situação dos negócios na Turquia é péssima.
O novo governador da Bulgária não está em bons
termos com o Sultão, nem deseja estar, pois elle vê,
melhor que ninguém, que a soberania da Turquia é
apenas nominal e desapparecerá logo que elle puder
ter organizado um exercito nacional. Os Russos
esperavam no 1". deste mez de Agosto evacuar inteiramente o território a península trans-balkanica; isso,
elles podem tão fácilporém, pouco significa quando
mente voltar, sobretudo depois do arrazamento de
Varna, Shumla e Rustchuck. A Rússia continua a
intrigar muito em Oonstantinopla contra a Inglaterra
e a Áustria, e do seu lado a Inglaterra não deixa
mostrar aos Turcos que
passar opportunidade de
Na capita^
do
que a Rússia.^"compraram"
ella tem mais dinheiro
Inglezes
os
do Sultão é corrente que
o novo Rei do Afghanistão por não poderem venceio. Os Russos também estão usando o insuecesso dos
Inglezes com os Zulus, em cuja campanha elles teem
20,000 homens, para mostrarem aos Turcos que a
alliança da Gran-Bretanha de pouco lhes poderá
servir.
Na Allemanha continua uma furiosa reacção ao
absolutismo, Bismarck achando-se. agora opposto
aos liberaes nacionaes. Na Áustria o partido feudalconservador ganha mais terreno todos os dias. Na
Itália os desmandos dos liberaes teem causado muito
desgosto. A Rússia,—essa está n'um verdadeiro reiA França, a Republica franceza, e
nado de terror.
realmente
prospera.
o único paiz que
A guerra dos Zulus não está ainda terminada,
mas parece que se approxima a seu termo. Cetawayo deseja paz e deu-se-lhe trégua para apresentar
sua proposta. Oito chefes delles já intimaram aos
Em Londres puInglezes que queriam render-se.
Lucas que
Capitão
livro
um
mez
este
pelo
blicou-se
e que dá
meridional
África
na
annos
passou muitos
fundador
O
Zulús.
os
sobre
curiosas
informações
do reino foi Chara, selvagem sedente de sangue e
fallar de Napoleão,
que em 1813, tendo ouvido
Principiou doimital-o.
de
teve o insano desejo
tribus
perto do rio Tujela,
mando a seu jugo algumas
sua lingua quer
na
e os foi chamando Zulú, que
para a guerra e
dizer céo. Chaka tinha " grande gênio
"
que tanto encominventou o systema de phalange
modou os Inglezes em Isandula. Os Zulús só attacam
O attaque começa a
em massas de quarenta linhas.
alcance da espingarda. O centro finge desordenarse como si desejando retirar-se, as alas seguindo para
a direita e esquerda. O inimigo então persegue-os
naturalmente. A um signal dado os Zulús fazem
alto e, rodeando, cahem sobre o inimigo, dando muitos gritos, protegendo-se com seus escudos e matando com seus curtos assagais.—De 1813 a 1828
Chaka devastou toda a região adjacente e forçou á
obediência muitas tribus. Monstro mais cruel nunca
reinou mesmo em Dahomey. Uma vez ao saber de
certa derrota de suas tropas, mandou matar 2,000
das mulheres dos soldados, inclusive as de dous
. irmãos seus, que depois conspiraram contra elle e o
mataram. Então os dous irmãos se duellaram para
decidirem qual seria o suecessor. Dingana, tendo
matado o rival, assumiu a realeza que exerceu ate
1840. Elle foi muito cruel com os Boeis que o
no throno a outro
guerrearam e mataram, collocando
irmão, Panda, que reinou de 1840 a 1872, sendo
Este
então suecedido por seu filho Cetawayo.
ultimo partilha da ferocidade do tio.
Agosto,
1879.
183
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO
EXPOSIÇÃO PEItMANKNTB DB .'ROIWTOS
AMKRICANOS.
Lò-so no Jornal do Cómmercio do 4 do p, p.:
VI desde muito geralmente aoutida a nocossidado de augmontar as relações couimerciaes entre o Brazil e oh Estados Unidos.
At«' hoje o commeroio entre osdons principaes paizes do continente americano tem .sido feito de um modo inteiramente
anormal. Ua uma grande exportaçilo de café do Brazil para os
Estudos Unidos, ao passo que é muito diminuta a importação
«lo produetos americanos.
Em algarismos redondos pode-se disser que exportamos
7*2,000,000$ de café, e só importamos 3,000,000$ a 4,000,000$ em
farinha de trigo, machinas e gêneros diversos.
A razão desta anomalia provém do serem dirigidos desde os
tempos coloniaes, todos os interesses commerciaes para a Europa, e também da ignorância em que nos achamos do grande
numero do artigos qne a industria americana produz, e que poderiam com muita vantagem sor importados no Brazil.
E' exaotameute com o fim de sanar esso iuconveniento que
nasceu a idéa de estabelecer nesta capital uma Exposição permanente de. produclos americanos. Esta practicamente reconhecido
que é quasi impossível encommendar produetos por simples catalogos, sem ter presentes as amostras, e sem haver pessoa liabilitada para dar as indispensáveis explicações. Esta uocossidudo
commercial também será satisfeito no projecto ora em via de
realização.
A Exposição permaneide de gêneros americanos será estabelecida
no vasto edifício do Rink. Sua grande área cimentada de mil
metros quadrados será dividida por duas grandes ruas lougitu«lumes e subdivididas em compartimentos, destinados á exposição dos produetos das principaes fabricas dos Estados Unidos;
haverá também compartimentos nas gallerias do primeiro andar.
Esses compartimentos serão alugados pela Empreza em trez
condições:
l9 O fabricante aluga o compartimento e tem uello empregado seu para dar explicações, receber eucom mondas o transmittil-as para os Eâtados Unidos.
2Ç O fabricante aluga o compartimento o encarrega á empreza
de dar por seus empregados as explicações necessárias o pôr
em communicação o comprador com os representantes da
fabrica no Rio de Janeiro.
3' O fabricante aluga o compartimento, tem nelle as amostniR
de seus produetos e encarruga a empreza de receber os encommendas e de trnnsmittil-as directarnente para a fabrica.
Assim combinado, é fácil de ver que a empreza offerecerá
todas as vantagens possíveis para o estabelecimento do novas
relações commerciaes entre o Brazil e os Estados Unidos, do um
modo practico e positivo.
A' frente dessa auspicioso empreza, acham-se collocados trez
distiucto8 cavalheiros, que são outras tantas garantias do seu
feliz êxito.
O Sr. Fredebico Glette, notável negociante e capitalista
desta praça, que ha empregado avultadas sommas na coustruc<-ão do magnífico hotel de S. Paulo e no edificio que serviu de
rink, e que actualmente vai ser apropriado para suas novas
funeções de exposição permanente.
O Sr. Pedro Kubczyn, bem conhecido pelos excellentes ser
viços que prestou ao Brazil como auxiliar da commissão brazileira, durante a Exposição Internacional de Philadelphia, com
perto de dous annos de residência no Rio de Janeiro, durante
oi quaes tem sabido grangear a confiança do cómmercio.
O engenheiro Henrique Eduardo Haboreaves, que será
director do serviço technico da exposição e cujas habilitações
Beientificas e industriaes impossivel ó encarecer.
O Sr. Pedro Kurczyn segue pelo Colorado para os Estados
Unidos, afim de estabelecer ahi as primeiras relações para a
empreza. Sem duvida o projecto será alli tfm bem recebido
como aqui no Rio de Janeiro, onde ja tem grangeado a approvação das pessoas mais influentes no cómmercio do Brazil com
os Estados Unidos.
Para esta capital a nova empreza preparando convenientemente o vasto edificio do Rink, tanto o pavimento térreo como
ns gallerias, dará um simile das exposições permanentes, quo
possuem as principaes cidades da Europa, lembrando especialmente os estabelecimentos perto de Londres no Orystal Palace,
em Sydenham e no Alexandra Palace.
E' pois muito de esperar o bom êxito desta empreza, que por
certo conseguirá dar grande desenvolvimento ás relações commerciaes entre o Brazil e os Estados Unidos.
AS FINANÇAS AMERICANAS.
Extractos de um recente discurso do Ministro da
Fazenda, Mr. Sherman, no Maine :
SITUAÇÃO FINANCEIRA EM 1873.
No outono de 1873 houve um pânico financeiro donde
nasceu de um modo natural a maior parte das questões
econômicas que nos dividem agora. E' preciso que comprehendamos qual ora o verdadeiro estado das cousas
«mando isso suecedeu, para que possamos discutir iutelligeutemeute as medidas que foram propostas o teem sido
executadas com o fim do remedial-o, e as questões que ainda
ficam por decidir. O dinheiro que então estava em circulação era papel-moéda com curso forçado, que valia cerca
de 87 centavos para o dollar. A somma desse dinheiro que
eutão se achava nas mãoB do povo era maior do que em
qualquer tempo anterior. Isto ás vezes tem sido negado
por aquelles quo contam como dinheiro no fim da guerra as
apólices que venciam juros compostos o os bilhetes do TheBouro, chamados 7-30 s. Mas nem aquellas nem estos
eram dinheiro cm outro sentido que não fosso o em que
eram dinheiro também as apólices vencendo juros do 6 por
cento em que foram convertidos esses bilhetes o essas apolices. Todos venceram juros e estavam sempre acima do
par quaudo comprados com moeda papel, e foram sempr0
conservados como cousa em quo omprogar-so capital, o não
como moio circulante. A quantia de papol-moodii om olrÒUlação em 30 do Junho do 1865, excluídas todas as apólices
Em 30 do
quo venciam juros, foi do $747,223.895.76.
antes
do
Junho do 1873, imiiiodiatamonto
pânico, foi do
depois do pa1874,
do
30
de
Junho
o
om
$749,440,863.94,
nico, foi do $780,948,081.17
Noto-so também quo om 1873 os juro» oram mais altos
do qno foram om qualquer tempo anterior ou stibsttqiiouto.
Anterior ao pânico a maioi parto da divida do Governo
pagou juros á razão do fi p. o. om ouro; eorporaçõos com
bom credito pagavam «Io 8 a 10 p. c; o particulares, ospocialmonto no oeste, hypotlmeavam bons «lo raiz para tomar
emprestado dinheiro a juros do 10 a 12 p. c., Podo dizer-se,
ora
pois, quo o tormo moilio dos juros quo ora preciso pagar
do 10 p. c.
Naquella épocha faziam dividas, com a maior incúria,
não so indivíduos, mas cidades, condados, villas, munic.ise
pios, o toda sorto do corporações, o foi um tempo em quo
iiieuor
som
a
largas
o
&
mãos
dinheiro
providencia.
gastava
Foi uma épocha do especulação, o a tonolagom dos navios
americanos empregados uo comniercio com o estrangeiro
diminuiu do 2,:179,396 tons., que fora om 1860, a 1,378,533
om 1873. Em toda parte onde ims faziam coneurrencia paizos
om quo o moio circulanto era moeda metallica* tivemos do
Bucoümbir, fosse nó mar, fosso nas fabricas o offiçiuas. Poram construídas estradas do ferro onde nã«> havia necossidado dollas, o nem habitantes; foram erectos altos fomos
em numero quo estava muito em excesso de qualquer possivel demanda permanente do ferro, o em todos os rumos
da industria o do comniercio produzia-se o commerciavu-so
Por uma serio de auuos as importações do
em excesso.
excedido mtiit > as exportações, sendo
haviam
estrangeiro
osso excesso do $1,086,440,587 nos dez annos do 1863 a
1873, tí do $554,052,607 nos quatro annos de 186S) a 1873.
Não sei qual foi a somma «Ias dividas contrahidas no estraamericanas durante
geiro por particulares o corporações
esse tempo, mas acho provável quo fosso egual ao excesso
das importações, ou até maior. Gozávamos então da próssua herança, ou da
peridado do ptodigo em quanto gasta
felicidade do bobado eiriquanto lhe durão efleito «loespirito.
O pânico de 1873 mandou fazer alto, o subitamente paralysou toda a industria domestica; a bancárota e a ruiiia
ostonderam-so dos indivíduos para as corporaçõos, o as
iriveudavois, sinão
propriedades o os produetos tornaram-se
valor.
a preços muito abaixo de sou
Não vale a pena que eu entro ua discussão das causas
(pie produziram essa calamidade, o a respeito dellas ha
dillereuça de opinião entro homens que são todos do boa fé.
Alguns attribuem-u'a aos gastos da guerra civil; outros
ao excesso do producção (pie se seguiu ií guerra; outros
ainda á mocda-papel não resgatavel. Mas fosse qual fosso
a causa, todos concordam em «pio a calamidade osteudeti-so
muito tempo. Affectoii nações
para longe o que durou por
do que a u«'»s. As
.muito
severamente
mais
estrangeiras
industrias da Grau Bretanha ficaram paralysadas. Si
entre mis a estaguação dos negócios não durou tanto tempo
como em outros paizes foi devido ú exteusão imineusa de
nosso território, aos muitos recursos não desenvolvidos
ainda (pio temos e ií energia natural do uma nação joveu e
vigorosa.
A LEI
DA
VOLTA
AOS
PAGAMENTOS
EM
METAL.
Quando o Congrosso se reuniu om Dezembro do 1873,
resolveu-se a achar remédio para esses males, o por um
anno inteiro tivemos discussões uo Congresso, na imprensa
o eutre o povo, quanto aos melhores meios de remediar os
inales e restaurar as nossas industrias sobre fundamento
solido. No decurso dessa discussão manifestou-se naturalDo um lado
mente diversidade do opiniões entro o povo.
dizia-se que o verdadeiro remédio era omittir moeda-papel
em maior abundância, e, para conseguir-se isso em parte
Do
foram vendidas apólices no valor de $26,006,000.
outro lado iusistiu-se em «pie o unico remédio era voltar
aos pagamentos em metal e tornar um dollar om papel
egual a um em ouro.
Em Janeiro do 1875, durante a segunda sessão do Congresso, o dezoito mezes depois do pânico, o projecto chamado o Resumption Act, foi adoptado por uma maioria das
duas Casas e approvado pelo Presidente. Essa foi medida
republicam»; porque, üiuda que muitos Democratas a favorece8sem, a disciplina do partido e a esperança do ganhar
assim alguma vantagem para o partido, induziram a todos
ellos a votar contra esso projecto. Esto era cousa muito
simples, o constava do só duas cláusulas, sendo a primeira
que se devia emittir pouco a pouco moedas do prata do
valor de fracções de um dollar para resgatar com ellas os
bilhetes do moeda-papel das mesmas denominações, o a segunda que, a partir do 1? de Janeiro de 1879 o Thosouro
nacional devia resgatar por moeda metallica todos os
bilhetes do mesmo Thesouro que lhe fossem apresentados.
Esse projecto só devia tornar-se effeetivó, quanto á segunda
cláusula, em quatro annos depois do approvado. Brxstow,
o Ministro da Fazenda, o Mr. Morrill, tomaram passos
para efleetuar-se gradualmente a substituição do papelmoeda fraccional, mas antes da primavera de 1877 pouco se
fez nem podia fazer-se, para reBgatar os bilhetes do Thesouro, que contiuuaram em circulação com o desconto de 6
ali por cento quando alguém queria trocal-os por ouro.
Em toda parte houve muitos quo julgavam impossível
voltar aos pagamentos em metal, e que por isso os tempos
não melhorariam, e que por conseguinte o paiz continuaria
a soffrer as desgraças do pânico de 1873.
O PROJECTO É DENUNCIADO.
Emquanto decorriam os annos de 1876 o 1877 o Resumption Act foi denunciado por muitos, não faltando até quem
affirrnasse que elle era a causa dos maus tempos, não
obstante não haver-se posto em execução nenhuma das
medidas uello ordenadas e de haverem os maus tempos
principiado dezoito mezes antes da suaapprovação. Muitos
prophetisarain que uão seria possível leval-o a effeito ; que
o Itesumption Act era uma trapaça, que seria um impedi-
monto para o resgato ou a volta aos pagamentos otn
metal, «pio toda tentativa de acciimular dinheiro motallloo
no Thesouro nacional faria subir o sou proç.o, quo a rostimpção prostraria a industria, quo faria parar a venda do apolices o quo faria subir a taxa dos juros om proveito dos
capitalistas o dos possuidoros das apólices.
O partido democrático, na declaração do sons princípios
quo foz om S. Louis otn 1876, ao inosmo tempo que protoxtava favorocor pagamontos motallioosdonunciou o partido
republicano por nada havor disposto para quo olla se tornasso um facto, o por tol-a antes impedido gastando os
recursos do Governo o dispendendo as recoitas quo ontravam no Thosouro om oxcosso das despezas; os líopublicanos foram aceusados sambem do quo, apezar do so
professarem annualmonte a favor do resgato com moeda de
metal dos bilhetes do Thesouro, haviam não obstante augmontado as difiiculdades que so oppunham a ossa medida:
e o Resumption Act do 1875 foi denunciado como um similhanto obstáculo, o exigiu-se que fosso revogado.
Mr. Ewinq, do Ohio, o Mr. Vooriiees, da indiana,
com outros, apresentaram um relatório em «pio doclararam
«pio a loi tornando obrigatória a volta lios pagamentos em
metal no dia 1 de Janeiro do 1879, tendo sido passada pelo
partido republicano som «pio fosso discutida nom no Cou
ella
gresso nom porauto o povo, o não sendo possível que
offoçtuasso o fim desejado; ora muito prejudicial aos uegocios do paiz o por isso dovia ser revogada sem domora.
Mr. TlLDEN, ua carta em quo acceitoti sua nomeação
como candidato para a Presidência, declarou «pio ora da
mesma opinião o também que favorecia a volta aos paga" O Governo não dovo especular
mentos em metal, dizendo:
em sua própria deshonra para poupar juros sobre suas promossas quebradas que ainda faz os negociantes particulares
acceitar a um par fictício."
AS PRÒPHEOIAS DE GUIAS CEGOS.
Vou lor-vos algumas das prophecias feitas por oavalheiros distinotos a respeito do Resumption Act.
O General Ewing, na Câmara dos Representantes disse
em 22 do Novembro do 1877:
" Si nada devêssemos á Europa, si uosso comniercio com
o estrangeiro fosso feito sob nossa própria bandeira, si nossos capitalistas não se retirassem dó paiz e uão gastassem
suas riquezas no estrangeiro, mesmo assim seria ainda por
muitos aunos impossível voltar aos pagamentos em ouro e
prata Os Bancos Nacionaes, especuladores em ouro
de New York, <>s atrevidos do Wall Street, os reis do dinhoiro na Europa, dos quaes somos financeiramente escravos, todos esses mandarão resgatar os bilhetes do Thesouro, as greenbacks, o exigirão por ellas ouro, em quantidades
tão immensas quo os empregados no Thesouro terão diflicuidado em cumprir com suas exigências."
Em 14 do Maio do 1878 o Senador Coké disso no Senado
dos Estados Unidos:
" Será melhor, Sr. Presidente, que esperemos o uos rotiromos do caminho que guia para o terrível abysmo de ruina
quo ha de ser a conseqüência do tnetallistno. A experiência
será ruinosa e não deixará de engolfar o paiz em uma miseria mais profunda do que a quo em qualquor tempo lhe
sobreveiu. A maior parte dos Bancos e Caixas Econômicas
terá do fallir por causa da iusufliciencia do seus fundos do
reserva, e na ruína geral o systema inteiro, do Thesouro
Nacional para baixo, terá do suecumbir. E' simplesmente
uma questão de tempo, o em minha opinião o tempo será
muito curto depois do 1° de Janeiro que vem."
Em 15 do Novembro de 1877 meu amigo, o Juiz Kelly,
da Pennsylvania, disso ua Gamara dos Representantes:
"Mas, meus Sonhores, o peior não voiti ainda
si for mantido*oste Acto. E digo-vos, e quinze mezes daqui podereis zombar do mim si minha prophecia não cuintomos passado durante
prir-so, quo os soífrimoutos por que
os últimos trez annos nada são em comparação daquelles
quo então virão sobro esta nação."
Mr. Muldrow, em 16 do Novembro de 1877 disse na
Câmara dos Representantes:
"O Acto auetorisa o Ministro das Finanças a vender
apolicos para assim obter o ouro com que resgatar os bilhotes do Thesouro; mas nada diz a respeito das cédulas dos
Bancos Nacionaes. A operação practica da lei resultará,
na emissão,
pois, na absorpção e resgato das greenbacks e
Bancos
dos
resgatavets
não
cédulas
das
substituil-os,
para
Nacionaes; o nenhum financeiro dirá que estes Bancos podom resgatar suas cédulas com moeda metallica em Janeiro
do 1879."
No mesmo dia 16 de Novembro de 1877 disse Mr.
Buciiner, Presidente da Commissão sobro Bancos o o
Meio circulante:
" Não consegui achar um só homem, sábio ou ignorante,
capitalista ou operário, negociante ou luvrador, quojula volta a pagamentos em
gasse possivol ou practicavel
metal. Talvez soja excepção o Ministro da Fazenda."
Poderia citar-vos assim durante dias inteiros as admoestações e más prophecias de nossos amigos democráticos o
ha tão pouco tempo quo
greenbackers, mas foram proferidas
não 6 necessário. Do outro lado os que favoreceram esta
medida diziam que o resgate não só era possível mas
fácil; que o accumular dinheiro metallico no Thesouro o
tornaria mais barato, melhoraria o credito publico, augmontaria a venda das apólices de 4 p. c; o que, quaudo o
fundo accumulado fosse sufficientemente grande para inspirar confiança, o resgato seria um passo tranquillo o
fácil o o precursor certo de esperançosa prosperidade.
Criam também que diminuiria o peso da duvida publica o
faria baixar os juros que não só o Governo mas também os
individuos pagavam.
FELIZ SUCCESSO DO RESGATE.
Examinemos agora qual dessas opiniões oppostas a exporieucia provou ser mais acertada.
O feliz successo do resgate dependia inteiramente da
marcapossibilidade de poder o Thesouro, doutro do prazo
do, accumular moeda-metallica sufficieute para resgatar
(Segue a pagina 186.)
Auosto, 1879.
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO.
184
W^Am\\\\\\\\\\\\\^
wyiüOjfci^^^^^^^^^^^M^^BPvPSB^-iiij^nf^r---,
jn9m^y\-*^rf7T^'j^^Si__-_B______________ *_^_____RID_ _E1 IPfiK_3m______í¦Ir'14)__l
KM IQIii_-________K
l____H_n_P^*afll_______! lBtttaaw 5*M W*l Jüf^^^^^lB^jjj^üüüüüíiit C_______________________________.^_____________-^____iJ85____________^ __B_B^_____B!-*__________________5B-------------r!---iii---i^^
l__rC__b___K_L »
l<
______Mk__W_l__n
____(_4_____t__HWl2i_______i'íI'^______l____________W___H5Wb____i^*«61_ ' ^____IV
H
_____"!____!
t^_ü!______K ^________l_!^____________b_^_______________________________H
*^^^*_V^______HI______________^______________^_______________-_JU
' ^ A__B_M_7__n
-_PffM
____rf,ji
!___¦!___¦__¦*____¦ jB-vm^aim!
maMaatfiJlml^JM^^iiíÀwj
WM
MM^
____* <_H_b_____l^£_'iiKISB
¦_________¦
Hhw
__fitn______Cr__Plff_V>_Í*^i_ rc ¦_____•__________.
íl_l
__¦ _____t___TI^___í
ÍCiJM
m
H
l__________l_______l
__V'_l"'1
Ifciil
__K$Jb
_^^_i_^^__I
ilRl-E-PKYi^rSI
I
I
0.
-_.
cá
a
X
H
l/l
55
oi
Ul
w
Q
o
t_
Q
!|l| 'iíii i'M i¦ ,H'¦¦ ^
;•* :;1
.','*
•livíiliiiii-1
_J_t!_S^B_____í____g___M-___-B-Si-
-«)
í->
O"
.*.'** ti ^jy^n--t$\',lSBÊ^(it^wmÊ& ' ^Í^B
_-«
ta
w
Q
o
o
Q
Pi
w
«
Q
h4
W
H
O
w
O
Q
liv™ ^A
kÜZ
H^^KJ1^'?**?; wT,,/ ^¦M&0b*tfatkw&^^SK&£wA''''\*'f^^^^
fc^'''^**''''*;\,
'¦'
^ /
>' ^rv uaP*\\W
_H
___^____^_3
O
W
H
<5
__¦____.
,-J__U ¦.'_!
i_'-TfjHK--_?--->MMD---E-K--S_w
"
_,.„,
E_____
________
_K____D(. il
H.
Ml_£_iu-Ívn_-t0^_Xf^^_I_p__l iV^lílMlW^^^^^s-^^^lí^c^^r^^-^í^-^-^^H ÍV^ilil Hf¥£p__i H
__r___fBjÍS !K^^W-*_t\->ie-titc____iK S^B^^^^^^^^MÍB6--^m^--l lJÍ-l----------------r:._____________________^_____________BJ_B
y*. '9i_Rfl_K^_r*^.-5r^Ht-S-_____i B^*l^^^^-yjr-3--___-Í-_--ffl_--^^^jjÉ^^^^^^^y __F__8«?*j_6! H IX
I
'ÍMVstASaam __R-^I_____9__N____ _»_^8
^______*ãf
MfffflHj
kP^_allfll
I
nS^J^PBÉS-Wf •-B ¦
_r ir»_í___i^ 1F" ^*"~ ;!.___¦.___
^.' .£.' vx nflSi__Ef»wn_--B!--_i _*. 1 f
¦_j-^_-f-^v^S^^__l
____^fc*_J-_T^7___i
________
____¦
__fS
-IhIívtÍ
H
185
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO.
Agosto, 1879.
Wm
US
Hül
____¦
H fl
¦
________l
II'!
IV'
Ur
Br
flffli
Bfr'!
|
1^
¦
H-__!
Hi ___H!
m
W Hll
_¦ ____________________________________E_____________j_____I
¦
nfl
____¦
ISPÍ 'iíi'í fl
BHH
I
_¦
II
i ________________________________iflflBJ_,
fl '''_¦
flV __flH___RHflflHfl_l
¦
S^r^fl
'• ______ ;__¦
Bfí
. fl fl _¦ __m____B
HWni _w_.í'..;iír
iwii iPím
iri.H
BI
<
______¦
fl
Iflfl
íl
r.
BfflrfPlli
Kll_
H
ÜH
'
4
-fl BÜIH1 u>IH
_¦
W-im, m
UH ni_H H:i!____!
H
a—I
KflfflBIIÍI_mB___t^ msII
w
fl
H
55
O
Plfflr • '|y_H Tr
O
Q
III __!_.!i. 1
P.
Kü.a fllMfflBt{________ mWfiJÊÊ
WímÊ
WRlilH _______u_ffi<_ilf^-____.F'' ___B •_____! HlffliUi ___BMi__[M__W__^iy_Sili'i* 1ImiIII
E'1*.'" fl 'fl Bfl ____Bi'_lli
_¦
NiHviliÉ
wl^
__ri__l BW if™
______!
w
r
_
,
w
u
w
Pi
¦^liÉiJP^:â__M',;'
IK
i,\v-T____nw,'
__
.
.¦
IHBr
__>___
Bffl
í ',¦;_¦
_Kf_____ffi^^ i i l' v''•'^__l
_____
_Bi^i*'''-\iWiffif .fl
¦
Wnjl¦n^HHH
K3B
__¦_/',___i
flBw
___
¦_¦!¦
_____!_?______ fl__j_B___fl
1
m\
ISSB
_______________________J_I___^^
¦üü HillSlB Mi'i 1111 li' il
IíIbIBBII H IHll
BMBBiKiiP
ll__8-l_l___^
__M_IÍfii
Biim plÉillIlijiii
inli-_TflllH-______-______-P__WlW
'
^^m^imsas^s^s^smtmsms^t^ammmmmmmmmmm^i^^sM^ss^s^s^s^tt^
IUH
Hl
I
4
i86
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO
Ante» de principiar o Governo a fazer os preparativos
«lefinitivo» para resgatar com metal as greenhacks era imdepois do
possível vender ao par a» apólice» de 4 p. 0. Ma»
apólices
em
1877,
feito» c»»cs preparativos foram vendida»,
1877 foi unmiiioiudo pelo Governo quo, 11 partir «Io Io de
1877, do
e
em
valor
de
£75,000,01)0,
de 4 por cento no
Maio, a Repartição do Theauuro retoria todos ,,s inoxes
toro
resgato
o
dia
em
desde
Mas
que
$128,685,450.
a quantia do $5,«MIO,000 cm metal, e essa somma foi ontilo
venda
na
axemplo
icin
augmento
houve
facto
um
nou-»o
das
reservada mensalmente do dinheiro recebido em troca
Em Jaueiro foram vemlidas $158,904,100,
dessas bonda.
apólices du 4. p. c, até «o 1" de Julho.
Etn Março, aa veudas diinie em Fovcreiro $90,101,750.
Esso aiinuncio de uma tençno do voltar aos pagnmentoi
mas
no»
até
nuiram
$20,852,100;
primeiroí quatro dias do
nm dinheiro motallico, o de havor-io adopudo um plano
Abril subiram a $73,252,300, tomma sulliciento para
definitivo a esse respeito immediatamente produziu utn
resgatar todas as apólices 5-20s quo não tinham ainda sido
effeito viviflcador «obro o credito publico, o aogmentou as
recolhidas. Assim, pois, foram vendidas $353,110,250 do
vendas «Ias apolieei do 4. |>. c. O Ministro «Ia Fazenda
apólices de 4 p. c. dentro de cem dias dopoin do primeiro
venda
mandou imponder então, a 211 do Maio do 1877, a
dia do metallismo, o com es»a quantia, applicada ao resgate
venda
á
oflerocer
a
anno
deitai o em 0 do .limbo do menno
do somma egual «le apólices do 6 p. c. eiTectuou-se economia
apolicoi «io 4 p. c, ao par, em troca de moeda metallica.
E nem 6 isso tudo.
de
juros tio $6,8(32,205 por anuo.
arriscada, teve o mais
(j Esta medida, que muito» julgavam
do apólices
resgatadas,
$194,56(5,300
ainda,
não.
Havia
mesmo
feliz exit,,. Proaeguio o Governo, portanto, 00
vontade do
á
recolhidas
ser
IO-40s de 5 p. c. quo podiam
ivitoma at. Novembro, continuando a declinar sempre o
da FaMinistro
o
ossaa
apólices
resgatar
Para
Governo.
na capapreço «Io ouro, e augmeutandoa confiança publica
ao
c.
4
do
apólice»
do
oireroceu
prep.
zetula
$150,000,000
cidade do Thosouro de cumprir com todoi seus compromis«le
apólices
dessas
o
resto
ficando
c,
«le
um
de
mio
i
tloi
a
Câmara
p.
hom. Heiiniil-so então 0 CongreilO, e logo
do
em
troca
recebidos
fundos
com
ser
5 p. c. para
pag«»
Representantes votou um projecto revogando <• liesumption
certificaEstes
outras
apólices.
ou
com
do
certificados
$10
Ad.
Eita o outra» medidas financeira» pronoetai pela
dos eram destinados para darem oceasião a quo pessoas de
ineama Câmara nffootou logo o credito publico de um modo
o lucrativo
Senado,
poucos meios podessem ter emprego seguro
prejudicial 0 fez parar a venda das H|>olices. 0
muito ime
eram
fizessem,
economias
quo
da Câmara e
para quaesquer
porém, recusou-ie a lanoclonar os projectos
do povo
classes
as
todas
com
faziam
que
deixou o Executivo seguir o caminho (pie se havia traçado. ' * portantes, porque
divida puda
o
estabilidade
vantagens
nas
se
interessassem
a
Em 11 do Abril de 1878 o Thesotiro tornou
principiar
blioa. Doutro de dou» dias foram vendidas todas as apolia vender por dinheiro motallico apólices que venciam 4J p.
ces, no valor de $150,000,000, ao preço supra-moncionado,
c. <¦ logo depoil apólices do 4 p. c. Durante esso tempo
c
ao mesmo tempo foram recebidas na Repartição da Fao preço do miro baixou de mais a mais o a venda de apozonda offertas para tomar todos os certilicadi>8 que fossem
Em 1878 foram venllcos «Io 4 p. o. iiugmentoii sempre.
omittidos. Essas offortas, porém, uão foram accoitas, o os
«lidas apólices de 4| p. c. no valor de $50,000,000, com
certificados foram vendidos, em sominas não maiores do
«le 4 p. o. foram vendidaa no valor
prêmio do li p. c., o dai
tí uma pessoa, por intermédio das agencias do correio
$101)
apoile $128,085,450, ao par. Do» fundos recebido» pela»
auetopara todo o paiz. Esta foi a ultima das operações
licos vendidas em 1877 e 1878 foram reservado» $90,000,e
actualdivida
a
refundar
lei
risadas por
publica,
para
000 om metal como parte do fundo de resgate, e o resto
mente não ha mais apólices que possam ser agora resgatafoi applicndo ií retirada de apólices do 6 p. c. No fim do
das, a menos «pie o Governo uão as compre no mercado ao
au uo de 1878, o antes do reunir-se o Congresso, uchava-so
seu valor correute.
accumulada no TheiOuro uniu reserva, em dinheiro metalvoltado
havia-se
e
A economia na conta de juros ettectuada por estas operalioo, do $138,000,000,
praotioamente
uns pagamento! om metal um mez antes do tempo marcado
Ções desile o J V cie Janeiro do atino corrente é do $8,810.468
o Io de Março
navio
de
uni
nu lei, 0 isiO tão socegndamento como passa
por atino, e nas «pio foram elfectuatlas desde
de juros
annual
o
economia
a
sobre
havia
desconto
ao
tempo
Nilo
até
1877
de
utn rio para 0 mar.
papelpresente,
o
e
desde
moeda
com
fhetaliica,
a
ao
é
de
estava
$14.297,177.
inooda, o
par
«lia l «le Janoiro panado t«,«lo8 os «pie pediram ouro ou
RESP08TAS A QUBIXA8.
Do resulprata om troca «le greenbacka o teem recebido.
tle
havo«Io
facto
fazer
se
idéa
o
feliz
tado completo
pode
A's vezes ouve-se dizer que durante esse processo «lo
reto-se apresentado para resgate, do 1" «le Janeiro a 1" do
consolidar-se a divida public»:, a somma da divida que pagaJulho, 80 $7,970,098, eniquanto ouro tem sido depositado
va juros foi auguietitttda temporariamente, e que se pagou
om quantias grandes, no Thesotiro nacional, em troca de
juros ao mosmo tempo sobre «luas parcell.is de apolic.es.
seus bilhetes, Em 2 do Janeiro «le 1871) havia no Thesotiro
Mas isto, «Ia própria natureza dus cousas, não foi possivel
a quantia de $135,382,839.42, em mooda e barras «le ouro;
segundo os termos da Lei de Consolidação, de 1870.
evitar,
om 1 «le Julho essa quantia tinha subido a.* 135,436, -174.62.
Essa lei exigo que, quando o Goveruo desejo resgalar
Os dollars om prata depositados no Thesotiro iiugineiitaram
quaesipier apólices dó" aviso da sua tenção, com trez mezes
de $16,697,338, que eram em 2 de Janeiro, a $28,147,351,
de antecipação. Antes de se poder dar esso aviso é preciso
No oeste o na Califórnia os bilhetes ,1o
en 1 do Julho.
vender apólices para que o Thosouro teuha dinheiro para
Thesoiiro estão com prêmio; o, sondo mais fácil de Iransresgate «Ias outras, e por conseguinte não ha remédio sinão
portar, o mais coinmodo nas traniacçOcs da vida practica
pagar juros durante esses trez mezes tanto sobre as apolido que a mooda de metal, são preferidos em toda purte o
ces vendidas como também a continuar a pagal-os sobre
ciiculam uão só nos Estudos Unidos, mas são acceitos em
as quo se toucioua recolher. Deste facto lançaram mão
todas us principaes oidadoa da Europa o nas ilhas «Io Mar
para aceusar injustamente a Repartição da Fazenda, o culPacifico.
pal-a por ter feito o quo era absolutamente necessário que
fizesse. Gritou-se constantemente que se estava augmen¦ » RESGATE NÃO FOI FAVORECIDO PELO GONORE880.
taudo a divida «pie vencia juros. As tabellas publicadas e
0 Gongrosao nada fez em prol do resgate. Pelo conem que so dá conta do estado da divida publica mostraram
trario, pela continua agitação «lo quoatõos financeiras connecessuriameute que durante esses trez mezes achavam-se
Borvou inquieto o espirito publico e tornou mais «lillicil a
euiittida8 duas series de apólices; mas também mostraexecução «Ia tarefa «pio o Governo tinha tomado sobro si, o
ram «pio o dinheiro estava uo Thesoiiro, e «ledtizindo-se
ao mesmo tempo reduziu os recursos com que so havia conesse, uchar-se-hia que a divida não tinhu atigiiientado «le
Reduziu 0 imposto sobre tabaco «le cerca de oito a
tado.
modo algum. Si, por exemplo, alguém «leve $1,000, e tem
nove milhões do dollars por atino, o augmentou muito as
o direito de pagal-os quando queira, e si então toma a oudoipozai.
trem egual quantia emprestada para pagar a primeira,
As quantias concedida! durante <>s annos financeiros
estará devendo $2,000 emquauto não pagar a primeira
findos em 30 de Junho «l«> 1878, 18/9 e 1880, exclusivo «Ias
Mus nem por isso é mais pobre do «pie quando «ledivida.
despezas por conta da divida publica o outras despezas
via sé $1,000, pois tem $1,000 em suas mãos.
permanentes, foram na seguintes :
Estn foi exactamente a situação em que se achavam os
$114,060,483.13
1878
Unidos quando levantou empréstimos para pagar
Estados
146.304,309.21
1870
«pie o Governo desejava recolher. A exposição
as
apólices
161,808,934.00
1880
da divida publica, publicada em I" de Julho, reconheceu
l-.iiiqiiiinto b Congresso reduzia assim as receitas o attgcouto parte dessa divida todas as apólices chamadas 10-40s,
montava as despezas, oito decretou novo» impostos nem
o também t«j«lus as que foram emittidas para rosgutul-us ;
emprestado,
concedeu aiietoriilade para tomar dinheiro
para
mas essa exposição mostra tam bom que o Thosouro tinha
despezas
a
essas
assim
oceorrer
«pie o Thesotiro podesso
Na primeira
prompto o dinheiro necessário para pagal-as.
extraordinárias, mus etn logar «lisso inundou empregar ó
divida puda
o
estado
sobre
será
exposição quo
publicada
fundo do reserva que havia sido expressaincnic destinado
dellas
appasi
algumas
e
appareceião
não
10-lOs
;
as
blioa
por loi para reduzir a divida publica.
não paga
«Ia
divida
naquella
sol-o-hu
que
recerem,
parto
mandou
sessão
o
Congresso
sua
ultima
Na
pagar
juros. A quantia de dinheiro que será reconhecida como
$26,800,000iié pensões atrazadas, mas nenhuma providencia
ipie
em mãos «lo Thesoureiro será também lauto menor. Parefosse
«leu para haver o Thesoiiro essa quantia. Mandou
lei duceu-tno
do
quo ora muito longo o prazo marcado pela
tirada do fundo jti destinado ao resgate
papol-moeda
antecipadamente
anuunciar
rante o «piai o Goveruo devia
frnccioual «pie nilo havia sido recolhida inteiramente da
a retirada de «piaesquer apólices, e no meu relatório annual
circulação, t? que 0 dinheiro assim tirado «lesse fundo fosse
ao Congresso, que era democrático em ambas as Câmaras,
das
receitas
rostituido «Ias sobras que, por ventura ficassem
dias ou menos,
«lo
conseqüência
em
(í
esperar
de
Felizmente
pedi que esse prazo fosse limitado a trinta
que,
goraos.
os trez mezes;
durante
dobrados
os
juros
se uugtncntarem as receitas, por causa «Ia volta aos pagapara assim poupar
é responalguém
Si,
do
se
fez
caso
não
mas
pois,
pedido.
mentos om metal, e de reviverem us industrias, sejam paEm
o
Cougresso.
c
dobrados
esses
justiça
savol
atruziulas,
as
juros
por
pensões
gaa, antes do fim desto anno, todas
dizer que todos os emé
«Ia
Fazenda
á
Repartição
«pio
a
preciso
temporariamente
mais
do
ipio
seja
aügmentnda
sem
o foram sob
prestimos feitos durante os últimos dous auuos
divida publicai E' possível fazer esses pagamentos, em
«pie em
outros
do
mais
favoráveis
condições
que quaesquer
grande parte, em conseqüência de economias otTcctuadoi na
EstadosTJnidos.
coutractados
foram
tempo
pelos
outras
qualquer
o
do
de
importação,
arrecadação dos direitos
practiForam quasi todos feitos com o próprio povo, por meio de
4-atlas pelo Governo.
subscripções populares. Da quantia que fora concedida
de con tractar os emRESULTADOS DO RKSOATK.
para pagar as despezas da operação
do
mais
$1,100,000, o os
ecoaomisados
foram
legitisiilo
os
resultados
Vejamos agora quaes tenham
prestimos
4 p. c. montaram
e
de
4.
apólices
as
mos do resgate.
prêmios exigidos sobre
«pie nunca
«lizer
com
toda
verdade
Posso
496,948.25.
a
$1
Depois de 1 do Janeiro 0 antes de 1 do Julho foram padespeza e
com
menos
empréstimos
nação
contraotou
uma
de
do
certificados
cerca
do $1,000,000
gos com grceiibacks
inglezes
afamados
console
sob condições tão favoráveis. Os
deposito de moeda metaUica, e $119,501,109 93 apólices
do
vantajosas
menos
muito
condições
sob
foram vendidos
Da somma enorme de apólices 5-208 0 10—40l
recolhidas.
conseguiu
Unidos
Estados
«I
js
«pie
o
Governo
para
as
recolhidas pelo Thosouro não se sabe que utn dollar siquor
que
suas apólices.
fosse pago om ouro.
todoi os bilhete* que provavolmonte lhe foliem apreientadoi com piso fim. E*»a inoodtt podia ser obtida h«í das
lobrns dai receita», on «ia vendado apoliooi. Em Abril «In
Acosto, 1879.
A REANIUAOaO nos NEGO0IO8.
A volta aos pagamentos om metal tem produzido os mais
heiu-tico» resultado» lambem uos negocio» dos particulares.
A reducção feita no» juro» da divida publica tornou posaivel reduzir os juro., também em toda» a» divida», quer
Nada ha
fossem de Estado», corporações ou indivíduos.
do
moeda
uma
o
facto
de
do
certo
seja
mais
que
que
que
papel não resgata vol resulta necessariamente em augmento
na taxa doa juroi. O piimeiro effeito de emittir-se limiíhaute meio circulante é reduzir a taxa de juro» o augmentar os preçoi. Si nio 6 reagatavel em moeda metallica, o
papel diminuo em valor, e maior quantidade delle se toma
necessário para a transacção doa negócios. Ino produz
espirito do especulação, não só quanto aos preçoi dos produetos mas também quanto ao valor do próprio dinheiro.
Seguo-ie então uma alta na taxa doi juroí e o quo se chama falta de meio circulante. Esta regra geral já foi meucionada por escriptores antigos, como sejam, por exemplo,
Adam Smith o Tiiomas Tooke, o ficou verificada pela
taxa de juros que regulava neste» Estados Unidos antes do
pânico o depoil da resumpção. Os juroí das dividas particulares estão sendo rapidamente reduzidas do 10 a 8 o até
a 6 p. c.
0 EstHtlo de New York tem reduzido os juros legaes de
7 a 6 p. c. A cidade de Providence conseguiu vender apolices de 4$ p. c. acima do par. O Estado da Penneylvania
A
vendeu $2,000,000 de apolicoa.de 4 p. c. acima do par.
cidade de New York vendeu a 105.76, obrigações da ponte
vencendo 5 p.c. de juros. Cinco milhões de dollars das obrigações de 7 p. c. da companhia da estrada de ferro Den ver
& Rio Grande, foram assieiindos em duas horaa,— a primeira vez em muitos aunos que seempenbou dinheiro para
construir uma estrada férrea. Todas ai garantias tem
subido cerca de 10 p. c. desde o 1? do Janeiro. As hypotheens que venceram de 8 a 10 p. c. eetão lendo reduzidas
diariamente a 6 e 8 p. c. Os capitalistas estão tornando a
procurar emprego seguro para seu dinheiro.
Quaudo se fizeram os primeiros preparativos decididos
para o resgate dos bilhetes do Thesouro os negócios reviveram pouco a pouco; quando a resumpção se tornara effec
tiva, tornaram a auimar-se de um modo notável em quasi
Não tenciono cauçar-vos com um montãotodos os ramos.
de estatísticas, e mencionarei só os resultados geraes a
respeito de alguns dos ramos principaes da industria amoricana.
O OOMMEBCIO LIO PAIZ.
O augmento na exportação de produetos domésticos,
em
que tem tido logar depois do pânico é sem exemplo
nossa historia. Para o anno findo em 30 de Junho do 1873
a exportação foi de $505,033,439. Para o anno findo em 1
de Junho ultimo passado foi de $699,618,933. Durante os
cinco annos que precederam ao pânico o valor dos productos que exportamos foi de $2,013,702,648; o dos que exportamos durante os últimos cinco annos foi de $2,999,197,652.
A importação liquida de mercadorias diminuiu de
$624,087,727 que foi em 1873, para.$422,895,034, ou 32
p. c, em 1878; e a exportação, constando principalmente
de produetos agrícolas e manufactureiros, augmentou de
$505,033,439 em 1873, para $680,709,208, ou 35 p. c,
em 1878.
Pode se dizer em geral que o commercio interno do paiz
tem aiigmentado gradualmente desde 1873, tendo sido mais
rápido seu desenvolvimento no anno passado do qne em
frete transportado
qualquer outro, a partir de 1873. No
deste paiz tem
o
oeste
leste
e
o
entre
de
ferro
uns estradas
De
de 1873.
anno
desde
o
c.
havido augmento «le 37 A"mais
p.
importantes cereaes do paiz,
trigo e milho, os dous
foi produzida muito maior quantidade em o anno passado
do que no de 1873. Neste ultimo ann«, foram produzidos
932,000,000 de alqueires do milho e 281)000,000 de trigo;,
eiri o anuo passado foram produzidos cerca de 1,300,000,000 (le alqueires de milho e de 425,000,000 de trigo.
A colheita de algodão de 1878 foi maior do que qualquer
das anteriores na historia do paiz; e sua exportação attgmontou de 1,200,000,000 lba. em 1873 para 1,608,000,000
Do lan foram produzidas 158,000,000 lbs.
U,8. eiri 1878.
etn 1873, e 207,01)0,000 lhe. em 1878. A quantidade total.
de lan que foi consumida, tanto do producção nacional como
da importada, representando essa quantidade pois, a dos
nos Estados Unidos,
produetos do lan que foram fabricados
foi de 236,000,000 lbs. em 1873, e de 249,000,000 lbs. em
.."'.
1878.
Até a construcção «le navios, e a tonelagem das que se
ccham oecupados no coniinercio estraugeiro, as duas iudustrias que estavam mais deprimidas, mostram alguus
Galeras o barcas são as classes de
signaos «lo reauimação.
no commercio estraugeiro.
empregadas
mais
navios tí vela
dessas duas classes
de
navios
numero
do
médio
termo
0
construídos anniialmente uos Estados Unidos durante os
annos de 18-17 a 1858 inclusive, foi de 248, e o numero dos
construídos em 1871 foi «le sé 40; em 1872 foi do 15, e em
1873 de 28. Mas durante os últimos cinco aunos o termo
médio do numero construído auuualineute foi de uni pouco
mais de 82.
A tonelagem total «le navios americanos empregados tio
cominercio estrangeiro diminuiu, como eu jú disse, de
2,379,396 toneladas que foi em 1860, a 1,378,533 toneladas em 1873; mas em 1878 já tinha augmeutado ti
1,589,348 toneladas.
Outra prova de se reanimuretn os negócios é o facto de
os primeiros cinco mezes
que os câmbios effectuados durante
u&sclearing houses
de
1879,
de
Junho
30
em
findo
do anno
do vinte o duas das principaes cidades da U uião, foram «le
«Io
$14,350,492,229, emquanto durante o mesmo período
differenou
do
sido
$11,936,373,274,
anuo anterior haviam
ça do 20.2 p. c.
REANIMAOÂO EM TODAS AS INDUSTRIAS.
Seria possível mostrar com algarismos que quasi todos
os ramos da industria e «lo còinmorcio estão etn via de melhorar, tuas não vai a pena, porque é reconhecido cm toda
ainda desapparecido todas
parte «pie, apezar de uão terem
(Segue a pagina 191.)
Agosto,
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO.
1879.
as conseqüências do pânico de 1873, comtudo os pagameutos om metal ostão produzindo oflcitos mui benéficos o o
peior já paesoii. Não attrihuo tudo isso á volta dos pagamentos em metal. Grande parto da prosperidade relativa
quo gozamos 6 devida aos hábitos do diligencia, economia
e trabalho quo so seguiram necessariamente ao pânico; om
parte maior «• devida á migração para o oeste dos que haviam perdido seus empregos om conseqüência da estagnação nas industrias; principalmente, poróm, é dovidaá cnorgia vigorosa e recuperativa do nosso povo. O que simplesmente desejei provar foi quo em parto esses benéficos
resultados foram devidos á lei quo mandou voltar aos pagamontos em metal e resgatar com ouro os greenbacks que
fossem approsentadoB uo Thosouro para osso fim.
OPPONBNTBS Á VOLTA DB PAGAMENTOS EM METAL.
Examinemos agora as queixas especificas de nossos concidadãos quo se teem opposto á volta de pagamentos metallicos, e a toda a politica finaucoira do partido republicauo.
Do que se queixam elles? Primeiro, quo aquella volta
redundaria n'uma contracção do meio circulante, que só
teríamos metaes em circulação. Ora já mostrei que ha
nisto completo engano. A lei tia volta a pagamentos metallicos não contrahiu a massa do meio circulante, mas determinou que as notas do Governo seriam retiradas sómente á proporção que notas de bancos, em maior somma,
fossem sendo emittidas. Desde a passagem daquella lei a
única contracção que tem havido tem siilo a voluntária rotirada pelos Bancos nacionaes «io parto da circulação «lestos,
quando os accionistas vão achando que o seu dinheiro
estaria melhor empregado em outro negocio. Pelo contralio, aquella lei promove a expansão, antes que a coutracção, o agora quo as notas do Governo se acham ao par com
o ouro, este mesmo metal torna-se factor importante uo
volumo da circulação, que tle certo augmenta considerávelmente. A circulação uo dia 1" do corrente consta-va disto:
$340,681,016
Em notas do Thesouro
15,842.605
Notas miúdas
17,880,650
Certidões de deposito
329,691,697
Notas bancarias
Metaes preciosos, cerca de
$710,095,968
332,443,917
Total
$ 1,012,539,915
Ora isto mostra que temos aqui cerca de §21.11
(Rs.428200) para cada habitante.
A somma das notas dos bancos tem augmeutado de3ile o
i? de Janeiro por f 5,900,000; de modo que o resultado dos
pagamentos metallicos tem sido augnientar, em vez de diminuir a massa em circulação.
Em segundo logar, queixam-se que as apólices da divida
publica não sejam pagas em papel-moeda. Havia uma
questão, não ha muito tempo, sobro que os homens honestos divergiam, e era si as apólices da serie Jive-twenties não
podiam ser resgataveis por notas do thesouro. Alguns
diziam que deviam, posto que si assim se fizesse o volume
das notas teria de exceder os quatrocentos milhões de dollars, prescriptos na lei que creoti essas notas e por couse
guinte deshourariain o credito do paiz.
Pois bem, senhores; todos os nossos títulos de divida, que
resgatámos este anuo, não só as five-tivcnties como as tenforties, teem sido pagos, e também os seus juros, em papelmoeda, e isto fazemos sem que os credores levantem
questão alguma. 0 papel vai tauto como o ouro.
Também pediam que os direitos de importação fossem
pagos em papel. E' o que já se faz. Hoje as notas do
nosso Governo circulam para toda a qualidade de pagamentos. E é a volta á pagamentos metallicos pelo Thesouro que tem feito isto. Ella tem deferido ft todas as reclamações dos greenbackers. Era natural que estes estivessem bem contentes; porque é, pois, que não o estão i
Que mais querem ? Não somos nós os verdadeiros greenhackers, nós que salvámos a sua deshonra? Eu presidi ao
nascimento destas cédulas e velei sobre o seu berço.
Os chefes democráticos as denunciaram como fraude, marcarám-lhes como aCAiM: nós as temos coroado com honra.
Não estão mais depreciadas. Hoje circulam uo mundo ao
par com o melhor dinheiro.
O MODERNO "GREENBACKER."
O povo do Maine deve frisar bem a difierença entre os
primitivos greenbackers que sempre quizerara resgatar
a honra do Governo, e o moderno, (pie a quer ferir, despresando a fé publica, restaurando o antigo estado de cousas,
([liando as cédulas só eram recebidas com descouto. Elles
querem fazer renascer a antiga difierença eutre o possuidor
«io notas e o possuidor «le apólices, esta valendo tantos por
cento em ouro e a outra só podendo ser trocada por 80 e
menos por cento do seu valor nominal. E' com esta nota
deshonrada que elles querem que paguemos o salário dos
trabalhadores.
Era de suppôr, meus amigos, que os nossos greenbackers
depois de convencidos (pie suas prophecias tão aterradoras
sobre o fim do paiz, depois que adoptasse a volta de pagamentos metallicos, foram desmentidas pelo actual estado
do prosperidade e bom credito, se calassem e accedessem á
fatalidade dos factos. Mas não. Estão agora tentando
pregar nova lista de dogmas e sobro elles desafiam á lueta
os Republicanos.
Vejam só a declaração seguinte no seu ultimo programma official:
"A Convenção dá os emboras ao povo do Maine por ver
que a divida do Governo, em tempo de profunda paz, tendo
auginentadò de $1,100,000,000 que era em 1865, a 2,000,000,000 em 1879, está este facto pondo em sobresalto todo
o paiz. A reducçãõ dos juros pagaveis em ouro, e ao mesmo tempo o augmento do principal a uma somma tão vasta, sob o pretexto de economia, é utn fraude, que merece o
mais decidido protesto do nossa parte."
Ahi temos uma mixtura de declarações dolosas, com o
fito do querer calar tio espirito publico do Maine quo a
nossa divida subiu a dous bilhões quando ha quatorze
annos «tra apenas de um bilhão cem milhões. A vetdade, o
facto 6 esto* A divida vencendo juros era em 1865 de
82,38 1,530.IKK» o ao presente, completadas as operações de
consolidação, é de $ 1,797,643,700. K' exacto quo naquello
anno nem toda a divida era paga om metal; a soturna de
$27,024,160 era ua forma do notas, vencendo juros compostos, do 6 por conto; o $830,000,000 era pagavois no
Thesouro ao juro do 7.3 por couto. Mas Oíta última sério
tetnlo-se vencido, foi ha onze auuos convertida om apólices
do 6 por cento em ouro, mostrando isso um decréscimo do
1.3 por conto no juro. O facto é quo desde 1865 a divida
com juros tom sido reduzida ua somma de $583,884,594, e
o juro annual dosta divida tom sido reduzido de $150,977,697
a $83,773,778.
Quanto ú "fraudo" quo imssos amigos allogam,náo podomos entender o queiram diz. r com isso. A verdade é «pio
o mundo commercial intelligonte, com a única excepção
dos greenbackers, tem louvado muito nosso Governo pelo
extraordiuario hotn-exito na reducçãõ da sua divida o juros.
Nação alguma do mundo, antiga ou moderna, tem conseguido, om tão pouco tempo, reduzir a divida quo tanto
pesava sobre nós no fim da guerra. Agora só o imposto
sobro o whiskey e o sobre o fumo são mais tpie bastantes
para a satiafacção das despezas totaos da divida.
Mus elles dizem quo esta administração uugmentou a
divida vencendo juros em ouro, o aponetam para o balancote do thezouro para prova disso. Já oxpliquoi que tal
aconteceu só* temporariamente no processo da consolidação
da divida. Mas d'ora em diante, os balancetes não terão
mais que ver com os five- twcnties o os ten-forties. D'oru
em diante n°ssos amigos, os greenbackers,álío banirão mais
no laço de uão entenderem o balancete.
Os nossos amigos proseguom no seu programma com a
seguinte resolução:
'* Que nós somos em favor da (-linhagem illimitada do
ouro o prata, supplomontados por ditiheiro-papol bastante
para as transacções do paiz."
Nós temos agora cunhagem illimitada de ouro e não ha
quasi objecção á cuuhagein illimitada da prata segundo o
seu valor do mercado.
Eu sigo a opinião de Mr. Goschen quando diz que 6 do
interesse do commorcio do muudo em geral que todas as
transacções sejam baseadas em ouro e prata, juuetamente,
em vez de se bazearem apenas no o;;ro.
Essa era a opinião de Hamilton e do Jeffebson. Mas
o valor dos metaes deve ser o dos mercados. Livre cunhagem de prata nu razão de 16 para l é o estabelecimento de
um unico padrão. O que nós não queremos é quê se cunhe
um dollar «pie valha apenas 85 centavos, e que vá demonetisar o ouro. Este negocio de cunhagem da prata tom sido
tão manipulado pelos demagogos, que ha muita gente «pie
crê que o partido Republicano quer excluir a prata du cireulação. O próprio Resumption Act decretou a substituição
de todo o pupol moeda miúdo por moedas de prata, o nós
estamos promptos a cunhar prata illimitadamente, comtanto que seja ao preço do mercado, ao passo que o elemento
dos greenbackers quer moedas do um dollar, meuos ,juin:e
por cento. Nós já experimentamos cunhar esse dollar e até
hoje as casas da moeda teem produzido $35,801,000. Temos empregado os maiores esforços para pôl-o pin circulação e tudo que temos conseguido é emittir uns 13^ milhões
dos quaes 6è milhões já voltaram sob alguma fôrma de pagamento ás ahobadas do Thezouro.
Esta questão de prata só deve sor approximada de uni
modo practico. O que devemos fazer é cunhal-a som limites somente quando as uações commerciaes tiverem coucordado sobre unia proporção de mercado que dure para sompro. Crô-se presentemente que talvez possamos obter isso
por meio de tractados o está pendente uma negociação para
esse fim. Entretanto a cunhagem deve ser limitada á somma (pie possa ser mantida ao par com o ouro.
Quanto a termos bastante papel para as transacções do
paiz, isso é muito direito,—comtanto que a somma seja
limitada á que possa ser trazida ao par com o ouro. De
outra maneira teremos papel de valor fliictuante e uma volta
de todos os males de «pio temos soffrido desde o pânico do
1873.
0 QUE QUEREM OS DEMAGOGOS.
Nossos amigos dizem mais que fovorecem o uso imniediàto do dinheiro no Thezouro para a reducçãõ da divida
de apólices. Esta proposta é a do maior demagogo, a menos que não queiram voltar mais uma vez ao papel moeda
irresgatavel dependendo para seu valor somente uo maudato do Governo ou no quo agora chamam Jiat money
('•faça-se dinheiro''). Si queremos resgatar nossas notas
devemos ter no Thezouro ouro suíliciente para fazer face a
qualquer demanda repeutiua. Quanto maior u somma e
maior a certeza de resgate, menos demanda haverá. Está
visto que retendo este ouro no Thezouro perdemos o juro
que poderia ser applicado ao pagamento da divida. A somma do juros das apólices vendidas para fins de pagamentos
metallicos é de $3,925,000 e esse 6 o unico preço que
pagamos para a manutenção das notas ao par* mas em
compensação já poupámos no processo da consolidação
$14,207,177 por anno e estamos agora gozando os beneficios de uma animação nas industrias, devida em grande
parte á manutenção das notas ao par. Sem grande reserva
metallica, uma combinação de corredores ou banqueiros
que dessejassem fazer uma alça na taxa dos juros ou especular no mercado, poderia qualquer dia pôr em perigo o
Thezouro e causar um pânico. Estes greenbackers é gente
difiicil de contentar-se. Ha um anuo diziam que era absurdo espera-se que o Thezouro pudesse reservar ouro bastanto: agora, depois da volta a pagamentos metallicos, protestam contra o facto de estarmos reservando muito ouro
demais.
os BANCOS NACIONAES.
Dizem ainda nossos adversários que a substituição por
cédulas do Thesouro das notas dos bancos é muito desejaEsta questão c sem duvida gravíssima e o povo do
vel
191
paiz precisa encaral-o com todo o cuidado o prudência. Eu
não advogo especialmente esta ou aquella qualidade do
bancos; mas sei com certeza quo os Bancos nacionaes são
os melhores que jamais so divisaram, o esta e* a opinião do
financeiros o economistas importantes do estrangeiro, o nós
mesmos podemos faciltr.ento ('.emoustial-o com a mora
comparação desses bancos com os dos Estados, ouo linhamos outrora. Não ha neste paiz um homem intelligcnto do
comniercio que queira trocar o systema actual pelo antigo.
Esses Bancos nacionaes são livres. Qualquer pôde organiznr um, segundo a lei geral. Não ha monopólio algum,
só si chamam monopólio do facto qno apenas os que teem
dinheiro podem fazer operações bancarias assim como só
podem trabalhar ua lavoura os que possuem ou arrendam
torras. Esses Bancos são orgauisados com a duração do
vinte annos e os primeiros quo devem expirar ucuham-se
om 1883. Só então so poderá determinar a questão du sua
continuação.
Si insistirem mi substituição do notas bancarias por
papel-moeda, haverá outra vez grande restricção nos moroados monetários e os negócios ficarão tão desarranjados
que, comparados com a crise de 1873, esta será uma chuva
ordinária para a outra um tufão. A retirada das notas
baucarias obrigaria os capitalistas a venderem as apólices
depositadas para garantia da circulação dellas; e obrigaria
á liquidação forçada de empréstimos o descontos, «pie tocaria mui de perto o uni por um, todas as cidades, villas e
povoados do paiz.
QUESTÃO DO DUPLO JURO.
Uniu das principaes objecções aos Bancos nacionaes 6
que elles auferem dous juros nas apólices que depositam, o
também nas uotas que emittem. Quanto ás apólices, são
estas propriedade dos accionistas o uão do Governo. Precisamos dellas como caução para os portadores das notas.
Si os Bancos deixarem de existir, o Governo ainda contiuúa a pagar os juros. Quanto ao juro das notas em circulação, parte dellas é guardada em reserva e parte Omprestada a homens de negocio. Mas por este privilegio, que a
todos chega, os Bancos teem pago uos Governos geral e dos
Estados Unidos, impostos cujo termo médio tem sido de
$16,908,181 por atino, durante os dez auuos passados, que
vem a ser mais do cinco por couto de toda a somma de suas
notas om circulação. Dizem, porém, que o Governo podiu
emittir essas notas^) poupar o juro. Mas si fizesse isto
(respondomos) perderia logo os impostos que collectu sobre
a circulação das notas; violaria a fé publica, compromettida
soleinnemento pela lei creantlo e limitando a somma do
papel-moeda, tpie não deve exceder do quatro centos
milhões; tornaria imprescindivel maior reserva metallica
no Thosouro, do que a já existente, que já acham grande;
traria, em summa, a mesma épocha de incerteza, «le perda
e ruína, que acabamos de atravessar.
Esse systema de liberdade bancaria faz o grande serviço
de tomar a circulação bastante elástica, conformo as neccsidades publicas. Os greenbackers até agora se queixavam
da somma fixa de cédulas «lo Thezouro: mas ahi está tuna
circulação (pio se expando e so restinge conforme o quer o
cominorcio o industria, e ainda assim elles se queixam do
valor do dinheiro depender somente da producção dos motaes preciosos!
PAGAMENTO DAS
APQLICES EM GREENBACKS.
Fui aceusado recentemente do ser inconseqüente, por haver dicto ha dez annos, em uma carta que dirigi ao Doctor
MANN que, segundo a legitima interpretação das leis que
auctorizàvam a emissão das apólices 5-20s, estas eram resgataveis em greenbacks. Eu assim disso o ainda o digo;
mas disse ao mesmo tempo que, depois de finda a guerra
éramos obrigados pela lei e pela politica a tornar esses bilhetes do Thezouro egual cm valor ao ouro, e que não uos
era permittido valer-nos de nosso próprio delicio e adiar o
resgate das greenbacks para pagar us apólices com moedapapel que estava abaixo do par; e este principio foi a baso
da lei votada em Março de 1869 para fortalecer o credito
publico. E agora temos cumprido com a promessa, que
fizemos aos (pie acceitarain as greenbacks como dinheiro, e
ao mesmo tempo temos resgatado essas mesmas apólices
5-20.S- mais economicamente do que teria sido possível resgatal-»s ha dez annos com greenbacks, e também com mais
vantagem pura o credito publico.
Agora não existe mais divida publica a cujo respeito
haja duvidas quanto ás condições de seu pagamento, e apezar disso propõe-se violar essas condições por atacado e
rebaixar os Estados Unidos da America do Norte a uma
posição de deshoura e repudiação, inferior á que occupam
o Mississippi ou a Louisiaua, o Egypto ou a Turquia.
Seria possível ir mais longe no caminho da deshoura'?
E comtudo pede se que os Democratas do Estado do
Maine, membros desse partido antigo e forte que por meio
século dirigiu o Governo, no fim de uma grande guerra
dêem seu apoio e mantenham dogmas que attacam em suas
raízes a honra e a fé publi<;a, e todos os princípios que esse
partido nutriu em seus mais dias os mais prósperos. Pedese-vos que adopteis opiniões extremas que estão em contradicção com tudo o que disseram Jefferson, ou Ma piSON ou Jackson, ou qualquer de vossos honrados chefes.
Sei que repugnaao juizo, aos instinetos dos Democratas da
eschola antiga o pelejar sob similhaute bandeira, e appello
por elles para que não permitiam deixar-se levar por amor
do partido a doshourar a seu paiz e trazer a vergonha sobre
seus filhos.
Parece-me que os rebeldes do sul, em seus esforços para
destruir o paiz, e nos feitos ultimaineutopara minar e solapar todos os grandes poderes do Governo nacional, fizeram
os DeinocrathB passar por tantos caminhos duvidosos, quo
deviam ter adquirido prudência pela experioncia; mas esses
greenbackers extremos, como são chamados, vos pedem
agora que lhes sigaes em uma viagem mais perigosa do
(pie qualquer outra, «pie acceiteis doctrinas financeiras coudemnadas pelo senso commum de cidadãos patrióticos,
(piaes são os que compõem pela grande parte o partido
democrático.
*
Acosto,
O NOVO MUNDO-PERIODICO BRAZILEIRO.
193
1879.
^ B L
!i
é—\
I 1
¦
M
HHHH_aa?
Hj
v
fl W
ÀWméT
^¦¦^
B^
Iflfl
^^P^
^¦flaTaBal BB -—¦—.¦pst^.»"'»—
aBa
MmWÈMh
fl
I'
MA B»HLB1
fl
<¦¦»
BV
1 n y.
fl
BiB
I bv
H
^^
11.«<u
I.--
I
BB^
á^F^
Awi
SCENAS NAS RUAS DE BERLIM.
I
I i|
K^^i^ ~-~ 'aaBfl^^'"
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO
Agosto, 1879.
Ifl
WAm ai^^iÈk^aw - * 1
E*
1H
la^afc—^
193
BRAZILEIRO.
iiji
WW
BB
fl,
BK. ^flhMtafl^ ^Ifilfl
I
Hkíü^^H
m\w
mu
mm
^^HP, vHÍ P* ..iy^^^BSSÇa^iBBBBBl BI
¦BBBBBflBy I «R^"^v^^^^^HHfBBBBBBBBBl
^^^^Hlííf
c3^^.BBBBBBl^^@BwWÍffil[|^^^^BBBH
%I^bbbbbbbbI
bbbbbbBB^^
^^^¦¦v"
''
¦.BBBBM
f
fl^H
d^BEB^BBBBBBB
I^BBBBBBb!
BBBBBBnK ^^BBSBBBBBr #
BHHB^W
\;i
pwl
I'.
'-'-'TO'-lM.B
B
^^^^^^.^¦hHH^^^.b^.B«^^mí.^I^h
\\\\\\\\m
fl
m'ÊkwÊ^^\w::w^^mmmmwÊàM WÊk.
_j2s^mWÊk
W\^ãtM
B
M''WlWffií'M\l&: !K;. v^l^^Bj-vwBl tBlB
9
Pi^
NIhIhI
HR
F
I
".BflBBfll
^
bbbbbbb^^bb^Mbmmmbm,^íbmbbbbbW
mãmmm
mWmmlm
IIIB
\WÊSm
m^\Wm\WmWâmÊÊÊm
T:r.\A 1ÜH li
LmJlÉMJ
PL I
ÉS
W/m
WwÊm WÊM mm
wBmmWMm
Blll
mwmzm
wmm
Él
wj II IBImH
11
il
Iil
Itl H
AFFECTOS
MATERNOS.
wââ
w
¦ >//fô$M
wÊ
Ifc . ^j
B^H
i mmÈM
m
I
I
I
li
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO.
>94
Agosto, 1879.
os Panthays, os Tchangmaos, uns sectários e outros
militares e penitenciárias que mais tarde transforbandidos, não deixaram de contribuir para isso de
maram-se em colônias agricolas e eommerciaes.
algum modo.
A península da Coreaé povoada pelos descendenKKU CHARACTER, SUA IMPORTÂNCIA E DISTRIBUlçXo.
Assim, as Províncias de Chen-si, de Chan-si, de
estabetes da colônia chineza, que Kkubilai-Khan
Khansou e de Yun-nam, que se contam no numero
lecera em 1270, e a Mandchuria recebeu a principio
Dezcsepte portos est«1o actualmente abertos na
das
que alimentam a emigração, foram theatro dessa
prisioneiros de guerra e criminosos. Mas, era 1644,
China ao commercio europeo, c, graças ás maravigrande insurreição musulmana que rebentou cm
tendo os Mandchous invadido a China e impostolhosas facilidades de transporte, milhares de touristes
1855 ou 1856, e que só terminou em 1872 pela tolhe uma nova dynastia, houve uma transpltantaçao
desembarcam annuahnente nas praias de Hongde Talifu e exterminação em massa não só dos
mada
forçada de Chinezes para a pátria dos vencedores,
Kong e Shanghai.
dessa praça, mas também de todos os
defensores
em troca dos Mandchous que se tinham installado
N;lo deixam elles, comtanto que saibam escrever
desde a criança de peito até ao vehabitantes,
seus
na China.
um pouco, de publicar ao voltar suas impressões de
brancos.
cabellos
lho de
Actualmente contam-se na Mandchuaria onze miviagem,—mas qual o meio de ter confiança no que
Os emigrantes das trez primeiras dessas ProvinMandchous,
de
um
milhèo
contra
Ihões de Chinezes
referem desse paiz indivíduos que só o viram per
cias vão para Mongólia, os de Yunnam para a Indode Solones e de Danorios, o que é justamente a
correndo rapidamente as ruas e os mercados dessas
China e Conchinchina, os de Petchily e do Chian
proporção inversa de 1644. Na Mongólia só se
duas colônias europeas, ou mesmo, como dizia o P.
Tong na Mandchuria e os de Sze-Tchouen para o
encontram 050,000; mas, como na Mandchuria, elles
Amvot no ultimo século, só as margens do rio de
Thibet ou para entre as tribus não submettidas do
desapossam pouco a pouco de seus bens de raiz os
Cantfto ? Quanto aos viajantes sérios, nfto teem sido
oeste.
indígenas, pouco laboriosos e industriosos.
elles mui numerosos, e sua commissão nào muito
Emfim, as quatro Províncias littoraes.Tché-Kiang,
Forilha
na
A maneira pela qual se comportaram
fácil para que não ficássemos, sinão em uma ignoFô-Kien e Kiang-Toung enviam seus
Kiang-sou,
f.araosa, dá boa idéa dos processos de colonisaçfto
rancia completa sobre o verdadeiro estado, cm muihabitantes para Malacca, archipelago Indico, Ausmiliares aos Chinezes. Appareceram ahi pela pritos ponetos essenciaes, do Império do meio, pelo metralia, Califórnia, Peru, Antilhas, etc.
Malaios
meira vez em 1662 e já tomaram aos
nos em uma grande incerteza.
Os emigrantes de todas as proveniencias reúnema
autochthones parte do norte da ilha e toda parte
E* por essa razão que o numero de habitantes tem
se
nos portos de embarque de Hong-Kong, de
Occidental. Estabelecidos primeiramente no littoríil,
dado logar a avalia«;òcs mui diversas, sobre .as quaes
d'Hamoi, de Swatan e de Macau.
Shanghai,
elles commerciaram com os indígenas, enviando-lhes
estão longe de chegarem a um accôrdo os geogradesses portos, Macau, outr'ora tão prósultimo
O
ópio e aguardente de arroz e recebendo camphora
recenphos e os estatísticos. Nfto é por faltarem
vegeta
actu.almente, prejudicado pela visinhanpero,
em troca. Os primeiros benefícios desse commercio
seamentos officiaes; existem cinco feitos no periodo
e só tem devido o pouco de prósHong-Kong
ça de
foram applicados á compra de terras, que elles dedide 1757 a 1852, apresentando o primeiro 190 milhões
tem
gozado nestes últimos annos, á
peridade que
caram á cultura. Ao mesmo tempo faziam contracde habitantes e o ultimo 537.
passagem dos emigrantes chinezes, que ahi embartos com as tribus menos bellicosas; esposavam as
Mas deve ter sofírido esse ultimo algarismo, supcavam-se aos milhares para Cuba e o Peru.
mulheres do paiz e fundavam, assim, uma raça meseffeito
reduc«;ào
forte
uma
mui
exacto,
por
pondo-o
Mostra ainda Macau com orgulho seus antigos
tiça, que substituía-se pouco a pouco á raça origide muitos annos de guerra civil, das matanças e deseus quartéis, seus conventos, suas egrejas,
edifícios,
naria.
vastações por que tem passado recentemente a
chinez,
de
Camões, onde se conta que o grande poeta
a
que
Acontece por vezes que um bando
gruta
China,
destruída
é
aventura-se muito pelo interior da ilha,
portuguez níiufragando e só tendo salvo os primeiros
Também um inglez MrYHiPPESLEY, que escrevera,
insurreição
versos dos Lusíadas refugiara-se e cantara as glorias
sem piedade, e em 1876, teve logar uma
ha trez annos, uma excellente Noticia geographica,
os
Mas
de sua pátria.
que os Chinezes custaram muito a vencer.
estatística e politica sobre a China, nfto lhe attribuira
Ingledenominados
elles
sfto
Seu porto, porém, que abrigara outr'ora frotas, só
como
Celestiais,
pelos
mais de 250 milhões de habitantes. Temos, porém,
encerra, presíis ás suas anchoras, velhos cascos de nazes, são indivíduos tenazes; participam da natureza
mais confiança nos cálculos de um nosso compatrioadherentes
menos
não
ellae
vios, enegrecidos no transporte dos coolies, que
como
invasores
da
hera,
ta, «pie residira dez annos no paize que na qualidade
actualmente apodrecem inertes, porquanto o gabinedo que ella.
de missionário tivera òccasiftofde apreciar melhor
de
carvão
camphora,
Formosa
te de Lisboa fechara o porto de Macau, em 1873, a
em
Colhem elles
Este, o padre M. Armand David,
certos detalhes.
a
o
chá,
arroz,
o
cultivam
essa espécie de commercio que o illustre Brougham
pedra, petróleo, enxofre;
tomando para typo o tou ou o cantfto de Tsiou em
filigrana
de
obríis
fabricam
denunciara, logo em sua primeira apparição, como
cahna de assucar, o anil;
que residira e para base o algarismo de quatro pesAralia
da
fibras
as
papyuma simples continuação do infernal trafico a que
de prata e papel feito com
soas por família, achara 4,000 pessoas para esse cannão
elles
anno,
o
mau
votara um ódio (pie só deixaria de existir com sua
rifera. Quer seja bom ou
tfto. e para os 5,345 tons 17,380,000 para a Província
em
comer
e
ópio
morte.
deixam de fumar 7,000 kilogs. de
de Kiang-Si. Si, entre as outras 18 Províncias do
sakmgade
ninhos
tubarão,
de
Em quasi todas as grandes cidades do Indostão,
barbatanas
ha
ouprofusfto
Império, existem algumas menos povoadas,
um
acham-se pequenos industriaes chinezes, que são sanas e compotas de minhocas. Tudo isto para
tias, poróm, que o sfto mais; tomando, portanto,
verdadeiro Chinez, um Chinez de grande rabicho,
pateiros em Calcutta e fabricantes de obras de palha
«orno uma média a população de Kiang-Si, chega-se
em Bombaim. Mas, os relatórios {statements) que o
nariz chato, olhos oblíquos, tudo isto constitue o
ao algarismo de 312,840,000 almas para toda a
entrar
Governo da índia publica annualmente sobre a conparaíso sobre a terra; e, quando consegue
China.
"todos
dição moral e material desse paiz nos dizem que
elle
ahi
nelle,
se capermanece.
Na China, diz o mesmo missionário,
Chide
milhões
Formosa
ilha
ha
na
essa immigração, ainda que constante, não offerece
3
Crê-se que
sam cedo e é preciso muito pouco para que um casal
do
entrada
na
Haynan,
ilha
de
na
character algum de permanência e que os Celestiais
nezes e 1 milhão
viva e prospere, porquanto os Chinezes acharam o
viver
estes
nunca vêem accompanhados de suas houris de pés
perfeitamente
golfo de Tou-King; parecem
meio de reduzir á mais simples expressão suas neYadepuzeram
Os
Chinezes
com os aborígenes.
pequenos.
cessidades de morada, vestuário e alimentação."
tinha
emir,
aventureiro
o
preparado
que
KOUn-BEGj
Na Birmânia ingleza, em que se contam delles
si
s«i
um
constitue
Mas, essa sobriedade
peripor
independente,
para si na Kashgaria um principado
quinze a dezoito mü, esses emigrados commerciam
go. Os Chins multiplicam-se Com rapidez; tem sido,
achame esforçam-se em appropriar-se desse paiz;
em pequena escala nas pequenas cidades ou portos e
porém, já observado que, entregue a si mesma, essa
da
e,
russas;
se, porém, aqui em face das pretenções
exploram as minas de estanho de Tenasserim.
população decuplicaria, vihteplicaria no próprio pe20,000
no
estão
difficultosamente
paiz
sorte,
a
mesma
emtanto
Na península de Malacca, 5,000 Chinezes trabariodo de vinte annos. Ella ignora no
compeem
estão
Sangalio,
do
e
do
Amour
o
porque
lham nas minas de ouro e estanho, que ficam proxigrande industria e sua agricultura, como declara
moscovita.
a
colônia
com
tencia
mas de Malacca; ahi os immigrantes fundiram-se
Mr. RÒBERT Fortune, que vira ás cousas de muito
trainteressante
mui
um
de
auetor
o
summa,
Em
com a população malaia, sendo 25,000 Malaios-Chiperto, está longe de ter attingido essa perfeição, (pie
M.
Frédériç
chineza,
a
emigração
sobre
balho
nezes, que ahi exercem o grande commercio em
muitos auetores não muito bem informados lhe ato
numero
de
15,825,000
em
calcula
Ratzel,
quasi
Malacca e formam a classe mais rica dessa cidade.
tribuem.
e
da
China
visinhos
nos
Chinezes espalhados
paizes
Nfto deixa ella, no emtanto, de apresentar uni conEm Poulo Pinang e Wellesly cultivam elles a piabomas
cujos
menos,
ou
mais
delia
dependem
variado,
muito
um
aspecto
e
considerável
que
menta e a canna de assucar. Em Singapore, em
juneto
muito
só
Foram
diversa.
língua
faliam
por
clirigenes
vasta
extensão,
sua
em
possue
porque a China,
que existem em numero de 55,000, segundo Ratzel,
ha
actualemigraram;
os
espécie
dessa
tempo
que
Províncias
do
nas
eniquanto
mas mui diversos;
e de 110,000 segundo M. Georges Bousquet, elles
na
chinezes
subditos
de
milhões
mente,
a
constie
ervilha
as
favas
3
cevada,
porém,
norte, o trigo, a
possuem o monopólio da venda do ópio. Exercem
todo
em
malasia,
na
transgangetica,
nas
do
índia
península
arroz
o
domina
tuem as colheitas principaes,
a agricultura por sua própria conta ou engajam-se
annos
transúltimos
nestes
e
indico;
archipelago
o
colheitas.
sul, em que dá facilmente duas
como coolies em casa dos plantadores.
a
Mas, em resumo, toda essa producção só satisfaz
portaram-se para as duas Américas, para Oceania
A existência de moedas da dynastia dos Song dos
e para a África.
de modo muito imperfeito ás necessidades do conséculos XI a XII faz suppôr que uma emigração
Foram para esses diversos paizes, quer por sua
sumo geral: por isso, desde tempos immemoriaes,
chineza seguira-se logo após á colonisaçfto de Singaacçfto ulterríveis fomes teem desolado esse paiz. A ultima,
própria iniciativa e com toda liberdade de
poura pelos Malaios, que ahi se estabeleceram em
contracto de engajaum
virtude
de
em
terioi,
tenniquer
ha
annosè
longos
dous
durou
pouco
que
1160. Todavia, quando em 1819, os Inglezes tomaque
mento, nascido de circumstancias diversas e revestinata, desenvolveu-sc cm quatro das Províncias sepram conta da ilha, só acharam nella Malaios, e foi
do de formas differentes. Acontecera por vezes que
tentrionaes e attacou uma população de 70 milhões
somente dez annos mais tarde, que quatro juncos
força ou pelo arobtido
fora
engajamento
esse
pela
de pessoas.
trouxeram para ahi algumas famílias chinezas, que
o pagalogar
tivera
outras,
em
para
cadáveres,
tificio;
tantos
de
porém,
cobertas
existiam
estradas
As
no fim de alguns annos já formavam um grupo de
camuitos
como
em
ainda,
e
divida;
uma
de
mento
os
todos;
enterral-os
impossível
6,000 almas. O recenseamento elevara em 1871 este
que era inteiramente
no
exteserviços
seus
alugaram
immigrantes
os
sos,
aos
vender,
os
a
mulheres
suas
maridos levavam
pais
numero a cerca de 55,000; e M. Bousquet, que vicom
tempo,
determinado
e
certo
produrante
assim
rior
desembaraçar-se
não
filhos, e quando
podiam
sitára Singapoura no começo do anno de 1876, falia
o
augmentar
assim
vieram
á
volta
de
messa
soffrimenseus
abreviar
pátria;
delles, matavam-os, afim de
de 110,000. O que ha de notar e de certo, é que
numero desses trabalhadores livres ou ao menos retos. Terminaram muitas vezes por suicidar-se, atinesse grande emporium, collocado nos limites da Incoolies,
nome
de
o
sob
conhecidos
taes,
como
arsênico.
putados
rando-se em algum poço ou engulindo
dia e nos da China, em que todas as raças cruzam-se
com o auxilio dos quaes as colônias dedicadas á faTem a fome cúmplices na varíola, que exerce tere se misturam, o elemento sinico já domina, augbrieaçao do assucar teem procurado preencher os
riveis destruições, na practica do aborto, do infantimentando-se quotidianamente e afastando cada vez
vastos deixados pelo antigo trabalho servil.
cidio ou da exposição dos recém-nascidos; é assim
mais, como em Formosa, na Mongólia e na Mandnumerosas as causas determinadoras
mui
São
de
a
segundo
repressivo,
o
obstáculo
phrase
churia, o elemento aborígene.
que
desse movimento. A principal, com toda a certeza,
Malthus, representa nesse paiz um elemento muito
E' egualmente muito espalhado no archipelago
é o excesso da população chineza, reunida á subdiimportante, que redtiz incessantemente a população
Indico o elemento chinez. Só por si Java tem mais
visão excessiva do solo, (pie eleva a propriedade
chineza aos limites dos meios de existência de que
de ei81,000 Chinezes que o Governo neerlandez emterritorial a um preço inaccessivel para as pessoas
dispõe equeo enorme numero de nascimentos tende
prega como gerentes e vigilantes em suas plantasempre a exceder.
pobres, e ao baixo preço da mfto d'obra cm um paiz
ções, como sericicultores e plantadores de chá.
quasi exclusivamente agricola.
Quanto ao obstáculo preventivo, existe elle sob a
Em Borneo, elles exploram, constituídos pelo nuMas a oppressão dos mandarins c o estado do
forma de emigração voluntária que existe ha mais de
mero de 80,000, as plantações de arroz da ilha, os
trinta annos; manifestara-se, porém, a principio pela
paiz, por muito tempo perturbado pelas rebelliões
campos de cannas, suas plantações de pimenta e de
interiores e ultimamente devastados pelos Taepings,
fundação, sob o cuidado do Governo, de colônias
A EMIGRAÇÃO CHINEZA.
Agosto, 1879.
NOVO AIUNDO-PER10D1CO BRAZILEIRO
cobre ou de ferro de Luang-Prabang, Bassac e Thai
camphora, as jazidas de ouro, antimonio, mercúrio e
soung.
as minas de pedras preciosas.
Não é fácil, no emtanto, fixar o algarismo da podelles,
Militon
48,000
Possuem Sumatra, Banka e
enviado
nas
pulação chineza nesse reino. La I.ouherk, falia em
que são pequenos commerciantes ou empregados Mo1667, só
de Luiz XIV, que ahi estivera em 'porém,
minas; uns vinte mil em Bali, cm Celebes, nas
1826,
em
já CrawChinezes,
a
Timor,
3,000 4,000
lucas, em Poulo-Labouan, em Ternate e em
total de
uma
em
aponetava
de
população
horp
ou
440,000
que são mineiros ou pescadores de trepang
2,735,000 habitantes, emquanto que a proporção
pérolas.
bem 111dada
pelo bispo PALLEGOlX, sempre muito
E' o archipelago indico um appendice da Ásia
formado, e que confirmam o doctor BOWRING assim
oriental; elle forma como os anneis quebrados de
como Hkxri MounoT,'éde 1,500,000sobre6,000,000.
uma grande cadeia, cuja extremidade septentrional
isto é, de 25 centésimos.
Luçon liga-se pela Formosa á China e cuja extremiOs que não commerciam, ou que não se dedicam
dade de sul occidental Sumatra só é separada por
á agricultura ou ao trabalho das minas são alfaiates,
um estreito braço de mar dessa península malaia,
ferreiros, eurtidores, correeisos, caldeireiros e até meem que os filhos do Celeste império tão solidamente
dicos e pharmaceuticos.
installaram-se.
Mesmo abandonando sua própria terra natal, não
Não é, pois, muito de admirar, conhecidos seus
deixaram a detestável paixão pelo ópio; pelo contracolonisadoras,
gostos mercantis e suas aptidões archipelago e que
rio, a communicaram aos Siamezes, de tal maneira
que,
elles se tenham introduzido nesse
cada
as ilhas orientaes.
que o gosto por esse narcótico propagando-se
pouco a pouco, tenham ganho
contrabando
a
um
logar
ciando
e
vez mais entre estes
Surprehende muito mais sua emigração para a
tractou de
exisquasi irrepressivel, o Governo siamez um opulento
Austrália e para a Polynesia. Entretanto, já
a
ópio
do
conceder o arrendamento
tiam, desde 1864, 500 a 600 Chinezes nas ilhas Martle 120,000 francos, depois
Chinez, pelo
"vãopreço annual
Quatro
quezas, e 445 em 1867 na Nova Caledonia.
de ter em
procurado, por seu edicto de 1839,
annos mais tarde encontravam-se elles em numero
reprimir o uso do ópio por meio de fortes multas e
de 7,220 na Nova Galles do Sul, 17,587 na Victoria
castigos corporaes.
e 1,335 em Queensland.
Ignora-se o numero de Chinezes estabelecidos no
Eram esses últimos todos homens; e essa circumnos
Japão; mas é sabido que elles constituem fazemportos
stancia reunida a engajamentos de curta duração,
torte
e
estrangeira
que
a metade da população
Vicde dous annos em geral, que estipularam para
americanos.
e
europeos
negociantes
concurrencia aos
toria parece provar perfeitamente que, como pessoas
Diz-se mesmo que ha uns cincoenta pelo menos que
nova
a
prudentes, elles examinavam primeiramente
oecupam posições na alta administração do paiz.
terra antes de pensar em estabelecer-se nella. Com
:
Trez mil Chinezes em Bourbon e algumas centeeffeito os factos vieram justificar essa prudênciana
nas em Maurício ; eis o contingente da África; o da
não são os trabalhadores chinezes procurados
ha
mais
America central, das ilhas do golfo do México e da
-\ustralia e da parte das legislaturas locaes
a favoreAmerica Meridional nfio excederia de 400 a 500, si
disposição em prohibir sua vinda do que
não fossem os 60 a 80,000 coolies de Cuba e 50 a
cel-a.
60,000 no Peru. Nenhum desses parece gozar de
A emigração chineza para a Indo-China começara
uma condição invejável; o capitão Krench Townsdesde o anno 214 antes de nossa era. Fizera sopr.midelle
END declara formalmente (pie em Cuba, o engajachinez e
tivamente Annam parte do Império
do chinez é tractado absolutamente como um negro,
143S, mas
se separou definitivamente no anno de
mal nutrido e surrado como elle.
delles
conservou dos Chinezes o que havia recebido
a
Um tractado, estipulado a 26 de Junho tle 1874
durante tantos séculos : a educação, os costumes,
entre a China e o Peru, regularisou a emigração de
litteratura, a religião.
no
um paiz para o outro, e Mr. Clement Markiiam, o
Avaliam em io5,o«-|p os Chinezes estabelecidos
de ouro
eminente geographo, nos assegura que os commissioAnnam, dos quaes 35%° exploram as minas
narios chinezes enviados para esse fim ao Peru tinham
outros fabnde Keko, no Tong-King, emquanto os
achado seus compatriotas em uma situação mais
e seda, pescam papel e porcellana, tecem algodão
eram geralmente
Na
prospera e mais vantajosa do que elle, um
cam o trepang em Poulo-Oub. e.Poulo-P.nang.
theatro
diz
levados a acreditar. Havia,
a Conchinsocieparte do Annam, que forma actualmente
uma
Lima,
em
chinez e duas casas chinezas
em uma pochina franceza, contavam-se em 1873,
e um
Calháo
em
de 5,000
dade chineza de socorros mútuos
perto
1,487,007
Pessoas
d.
fixa
fazendas,
nas
pulação
grande numero dos antigos engajados do caminho de
Chinezes.
_
nos depósitos de guano, e nas officinas
tendo
Em Saigon elles grupam-se em corporações,
transandino, tinham-se tornado creados na
ferro
immigrande
composta
e
chefe
seu
dellas
cada uma
cidade, ou bem exerciam com mui bons resultados
associações
Essas
Província.
mesma
da
officios.
tes originários
vantagens :
pequenos negócios e pequenos
offerecem aos recém chegados grandes
Infelizmente, ainda permanece alguma duvida a
lhes
facilitam-lhes os meios de exercer sua profissão,
esse respeito quando se attende ás declarações do
as primeiras
adiantam o necessário para satisfazer fornecem
ministro dos Estados Unidos em Lima e ás confisos
despezas de estabelecimento e lhes
soes de um jornal da localidade.
á China.
meios de fazerem chegar suas economias
" Depois de um minucioso inquérito," escrevera
almas que
mil
cincoenta
"convenci-me que no Peru a
de
cidade
Em Cholen,
Mr. Thomas em 1873,
os
ChineSaigon,
de
separam
somente 5 kilometros
sorte dos engajados chinezes é mais diflicil de supformam ahi um
Estados Unidos, a do
/es estão em numero de 10,000; maneira
portar do que era outr'ora, nos
historia da
por que
a
e
especial
a Pátria indiseguinte
anno
No
quarteirão
escravo do Sul."
nova da
e
conseguiram ahi estabelecer-se, e uma prova
barbara
maneira
que lembrava o
gnava-se ,da
castigacontinuamente
eram
indomável perseverança dessa raça.
knout russo, com que
vindos de
immigrantes
XVII,
detestável
alimentação
século
;
sua
do
de
No fim
dos, como também
e
Bienhoa
de
Províncias
nas
do
desgraçados
mais
muito
que
Cantão installaram-se
achava-os em summa
os outros,
Mitho, então cambodgianas. Segu.ram-n
escravos dos engenhos da ilha de Cuba.
os
sua
de
superioridade
á
e,
graças
vindo de To-Kien
Asseverava um relatório official que até o i° de
fixaram-se
elles
percommercio,
seu
civilisação e de
de 1876 existiam 148,000 Chinezes nos Estaexos
Julho
ah,
d
intestinas
Guerras
feitamente no paiz.
dos Unidos, dos quaes 60,000 só para o Estado da
transportaram-se
para
então
e
nulsaram em 1778,
Califórnia, e 14,000 no Oregon, Nevada, Territórios
ahi quando
Cholen MaTaplnas tinham-se installado de 10,000,
do Idaho, Montana, Washington e Utah. Emquanto
e
os rebeldes os mataram, em numero
a mão d'obra ficou cara, a legislação cahforniana fez
roubaram suas feitorias.
excellente acolhimento aos filhos do Celeste Império,
mais tarde a
annos
1782;
vinte
em
Isto se passava
tanto que em um Estado, que contava ha vinte anfome que
uma
soffrera
Cholen
de
colônia chineza
nos trez homens por uma mulher, elles faziam muitos
mas a prohibi,
ella,
a
sobreviveu
mezes;
durou nove
dos serviços próprios do sexo feminino, lavagem de
do paiz
dos
nenhum
produetos
rio de não exportar
roupa, preparo das camas, conducção de crianças a
¦ 83°, Cholen era
Em
constância.
sua
fã d minuirà1
passeio.
actualmente o enum mercado mais importante; é
Apreciavam então muito seus serviços ; mas os
Camdo
Tong-king,
do
aposto da Cònchinchina,
Chinezes fizeram-se commissarios, cozinheiros, comos
transitam
qual
caminho
pelo
X que é o
merciantes de fumo, sapateiros; invadiram pouco a
Hong-Kong, Batav.a,
Singapore,
e como elles vivem
líolnctol para
pouco todas as obras publicas,
BaOgque'resta
exclusivamente de arroz, contentando-se para único
collocado,
está
do antigo Cambodge
luxo de uma .baforada de ópio e de um pouco de
francez.
o
protectorado
chá, quando pelo contrario ao Yankee ou ao ímmidesde o anno de 1873, sob
eu>5ocWjgg»
fixam
refeição solida, que
alguns
Suapopulação, que
grante irlandez é necessário uma whisky, contentamde indígenas e
compoe-se
tV
ou
cerveja
sem
habitantes,
não fica completa
em 800,000
Chinezes. Avaliam
com um salário pequeno.
o res°o de Annamitas, Malaios,
se
elles cultivam a
a numero destes em 3° a 3*,°oo;
desembarcaram em S. Francisco os priQuando
exploram
e
tabacco
o
algodão,
o
canna de assucar,
meiros Faces de lua, como são chamados elles nesse
Chmeos.
Foram
as
como
taboa de cedro ;
pescarias.
as mattas assim
paiz não sabiam o que era uma
S.ao; culde
reino
no
canna
a
res que introduziram
actualmente toda a industria de construcção está em
mesmo
ao
China,
exportal-a
para
ivam-n'a para
suas mãos.
madeiras preciosas e
empo que commerciam com
Nunca tinham visto uma bota ingleza ; as botas,
ricos minérios de
repang e que apoderaram-se dos
'95
sólidas e tão
que elles actualmente fabricam, são tão outras.
as
elegantes, mais baratas, porém, do que
Da mesma maneira, apropiaram-se quasi exelusivãmente da fabricação dos tecidos, dos charutos e
das conservas de frutas.
Tudo isso irritou muito aos Irlandezes e aos operarios americanos; viram repentinamente tpie os
Chinezes eram boudhistas e polygamos ; que os immigrantes californianos não eram a floreia população
do Celeste Império; (pie as mulheres eram escravas
ou prostitutas em seu paiz e que os homens indigentes
ou ladrões.
Desde alguns annos que os legisladores ealifornianos reclamam do Congresso federal medidas radicães contra o que elles chamam a peste amarella ;
muitas leis «pie
por sua própria conta promulgaram
Constituição,
da
espirito
o
pela maior parte violam
o
Apresentava-se
texto.
quando não o seu próprio
o
tempo,
muito
e,
por
caso com muitos embaraços
mas
attenção;
Congresso procurara não prestar-lhe
actualmente ordena-se de Washington tpie o gabinete
federal prepare-se para cortar a difficuldade por um
meio que, por ser mesmo disfarçado, não deixará de
ser eflicaz.
O ministro dos negócios estrangeiros perguntará
si os cidadãos americanos gozarão òVàqui em diante
na China do privilegio que teem os Chinezes estabelecidos nos Estados Unidos de residir em todos os
logares do paiz e de commerciar livremente nelle.
Prevê-se, com plena certeza quasi, um non possumus,
conforme a politica tradicional do Filho do Céo; é o
com effeito,
que se deseja. Essa recusa permittirá,
1868,
de
que regem a
exigir a revisão dos tractados
complefechar-lhe
a
immigração chineza, de modo
Estaoutros
e
dos
tamente os portos da Califórnia
seus
os
dos do Pacifico, pelo menos para previnir
estreitos
em
progressos inva ores e encerral-os
limites.
E' muito possivel (pie, repellidos desse lado, os
Chinezes affluam para a África oriental e central,
cuja colonisáção (*tá na ordem do dia entre os
nossos visinhos inglezes, que esperam achar para
suas fabricas de algodão os milhões de consumidores que o progresso industrial das outras nações lhe
fez perder. Não parece ser enorme o algarismo annual dessa emigração, que é, segundo RATZEi.,_de
2,325,000 pessoas em uma população de 315 milhões.
Ha cerca de 7 emigrantes por 1,000 pessoas na Irlanda; essa proporção foi de 16 por cento durante
vinte quatro annos, e em 1876 era ainda de 6.9 por
cento.
E' além disso, provável que a emigração chineza
continue, tendendo mesmo a augmentar, até que o
Governo chinez permitta a exploração desses immensos depósitos, que fazem da China, segundo
Herr RiCHTHOFEN, o eminente geólogo de Berlim,
um :dos mais favorecidos paizes do mundo sob o
carbonifera, o mais
poneto de vista de producção
favorecido talvez. Não se opponha elle; será talvez
o signal de uma grande revolução econômica.
Com vias de communicaçâo insufficientes e processos grosseiros de exploração de seu sub-sólo, os
Chinezes só retiram actualmente desta situação mui
pequenas vantajens.
Si, para esse povo tão hábil e tão laborioso, para o
emquanto mui
quáVamão dobra só pretende por a locomotiva a
módica remuneração, começarem
rodar e as machinas a funecionar, quem poderá
apreciar exactamente o character de uma similhante
evolução e medir de antemão todas as suas consequencias?
Talvez o mundo tenha então a seus olhos um novo
espectaculo, o do trabalho chinez produzindo a maior
espalham as
parte desses artigos que actualmente
oceidenmercado
o
fabricas do Occidente por todo
e
caminho,
seu
em
tal. Esta corrente poderia voltar
resenfaria
a balança commercial, mudando de pólo,
tir com certeza a distribuição geral das riquezas.
E' preciso recordar que esse povo é um dos mais
industriosos e econômicos que existem no mundo e
do Padre Kircher,
que actualmente, como no tempo
venda e aprolave,
não
elle
não ha uma palha que
veite em qualquer uso.
Desde tempos immemoriaes, servem-se os Chinezes
dessas peneiras e semeadores mechanicos, que foram
introduzidos entre nós apenas ha trinta annos.
No século VII de nossa éra, elles já se illuminavam a gaz ; no século IX, extrahiam a aguardente da
canna de assucar e fabricavam esse assucar de
nos
fecula, que só as experiências de Kirchkoff
1811.
em
fizeram conhecer
Ad. F. de Fontpertuis.
—Nota do Rcdactor.—Estamos longe de concordar
com todas as opiniões deste artigo. Os paragraphos
relativos aos Estados Unidos conteem erros de facto.
Entretanto queremos que se estabeleça a verdade e
estamos sempre promptos a publicar artigos bons
no Brazil fechar a porta
que opinem que devamos
aos Chins.
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO,
196
Agosto,
187;.
MODAS.
_____
Ni. primeira das gravura-, du modua que ho
UClllllU •'ritlltlIpHlIllM UOíltU
numero
do
hbê
. "^
P^S
¦'¦¦¦¦'
_________?* *?*¦ ¦
.Vl-CO
•'
v *-l_W*^lt_y^a|flflflflflBBflflflflflflflflflflj
'
* ^.'^f^__v___HV_B
' '¦**¦'¦
** ''"-*.*'-;^:¦m1É_JII'TO
M\mdn »'¦ representado mu vestido muito lindo
l-nrii tompo do calor, parecendo especialmente uttriictivii 11 combinação de percale
i.ini|>l»-.i é lí_.nr;i I.., é •' mu (](>H mais popuIun . iIoh .|<i»- toem up|>iircci(lo, Nu busque
«iun h_ tm/. com 11 K-íiii representada, nu gravuru iicliiuii-H. comhimidiu. mn corpinho rodondo o costas di- posilillfto, A frouto > urranjudu com eostum do dardas do modo
usual. 11, oriuitoH hão botões, algumas fitas,
_______.»'
^^^^^^'- '¦-'>''
*'^'VwmyimmTX
___^B__Pvl__li____
•%__
"f^
'*m
.
'"^Bff
• v
•>v .-v.-:.'v*'"'^HB__S_f
1 "ar.l 11 l)UH(pll> HÍ*tO
0 OIltr.lH COIIKHH HÍltlplt-H.
necessários dons metros o meio de matéria] e
«•orca do GO centímetros de seda; o puni u
gata BOpto motroH d. miiteriul o mu do Hoda
I ir 1 gnarniçAo.
Fio. 2.
A wíiu representada nesta gravura 6 porte
<lo um elegante vestuário do passeio, prooi-
¦ ..iii.l"» BÓ, paru Her completo, do uma busque
redonda ou do um corpinho. A saiu, com
OXOepoflO do p,uiii" do frente, podo Her de
cambraia; esse panno, porém, devo Her d»Boda diuiuiHxéo, o devo wr atravessado com
meios fuchuH de uma só cór, ntadas no centro
por fitas de rfedo. Silo necessários novo metroH de material, com largura do 68 centi-
_P____I
IÍQ_¦¦___¦
'/^y^
m
';^2______KV______i ^a
motiros.
Fio. 3.
»'
•
do forma nova e graciosa,
Esta basqne
merecendo attençflo espoeial n frento ponotada e prolongada para baixo. Dentro dou
mangas, nas bom extremidade*., acham-se
pimlioH feitos do mesmo material da guarnieXo, o ahi, como lambem nas costas, botões o
laços de corda, formam nm onfeito simples
o ao iiiCHino tempo vistoso. Precisa do trez
metros e nm quarto de material, com (>8 centimotroa do largura, o pouco mais di^ um
metro de seda, pam a guaruicilo.
Fig. 6.
•iz^^m^mmmmWmmwmw il_____vlv^^f\^__ *
_____*
**
_H ___F____/T
___v_k_____i
Fio. I.
Parn cito vestido para menina se devem
esoólbor os melhoreis materiaes, e quando é
liem feito por pessoa do gosto apurado, guiando-so pelas figuras estampadas. 6 um dos
mais ricos vestidos de seu gonero que s»- podo
imaginar. O desenho explica muito bem
como ho devo fazer, o por isso aecrescontnmos somente quo se precisa pam elle do cinco,
metros do fazenda de (W centímetros de largnra, 0 dous metros do giiurniçíio.
____L___________^
"^ ?
f-^3*'*• --üir ¦ ¦¦-:^mm^mmmmt Í__/__ D Hx__*. I
f^__Bn_f^**7__ii ¦ i n _____¦ __¦
^F^m^^^^m*^T%^—-i. ^mm
n /ty flflpL^VJ
mm^mt^sr^-'—--**_~
~~&í$~\-*'¦' '*"¦. ' '-~?_i~* "^. ~ l
_^_^_^_^_^_^b_^_^______ *
__Efl
__________
f^x^^^^^cL
Bü__
Jy_fl
b___^"___h_í tH
_______l
v V,i9_H"jb
/__¦
rS
Fig.
i.
/J__i
i___i
.^^^3
» "* "3
___________*^^ ¦jl
Èm\
M
jBjBjBjBjV
b___?*_i
____!
__^^^HHH______
______________________E_r
'j|
^ __l__!l ___!
B_a?* ___íis^ir >JB
B^f____"^^_lí_fl
_________________!
____!
_R BJ
Bi .B
_____r/
_________!____b ___________________________E*^'i^¦¦¦BáÉH
flfln____í_________i B__________________________v.$__'* ______________¦
___________ _____________________B^______ b tJh «____ J__L
Ml _________________ __['¦ __¦___.
_____l___r \Ps^?P__r^ _____tl 1___í
fl
B _____! ____.
__!__________ M_________L __!
1*'IG.
_P
IG. ^.
2.
__/_w'_____________________i_______ll^_k Âm\
MWmm
______Í__í_____l____ív-m ___K__IÍ_?-%'
__M_y.________________^K____________?i'v.ga _____B_v__f_i ~
_£_____ ~ü
____________________HVl______M____É______l__Va ______________Lf'''''" \2_____H_k
_________ _B ________KV
B^. __¦_______¦_
__f'S,; I
___fl\
_^^^____!__\
____^^fl__, ¦¦_______________¦ ___r___L*-
^WflW___B
*?_-»,__
J*<flfl
____!
_¦
___
_____^_Ü^^_^I______K
^"v^H
I
*
i _______B_^_t
1 »_____i
«^i
J____-^__i____\" "'__11
¦ ¦_*__ ¦'___P^H_________fe_J __P_______^- ___¦ ________________ ______ I^ \ /____¦* '^1
___________^j_________k'
H_H-\V' __h ____k ¦fl.K-Vjfc flfl
V______l_________fl_n'_F __I _F
_B____i
^'J^
* «Blll a
fl _______fliiJI'_l
___B___ —---.bíi IU
_________!
__L____r___B
§^K*\',,
K..*.. ;,.
_H__J
I________________________B
P^l
Hlla
-______^9_n______IM
1 h__l
flfl
Fio.
¦B^fl_É____r
flfl
IB -__fl_H5_í B_''i * l• ___¦_
_B.< ______fl^___f _____r_" \w*|
«_____* v___y. ___\
___r _________________^J______*^ __________!
Bk^HB
__J___^___i
B^hb_________BB^^^_______^______íhh______ü_[ ___r ___________H______5h*____.
HP..
H _¦¦__;
___________>_^fl_*-____.
\
L ¦&__[
______¦ •
(_____________
\w ;_¦_i____n
_______H
%•, ,BJ Ifl I
_Fa>'> I
H_Ur
í G. 7.
H
\
___1__F^^____I__I
_¦_ _»*1
____L ____
____¦
_A
_____sl':í?-
*v\
1^
flK
k:-
i___i
^B
¦BgiTí^ís
__¦___________¦___
. ^_ ¦:.tjHBJHj
aâáj»
/'-'
'
/_______!
___Bv
_________TWV___
___?t_JP_i
ImW^r
isip _______
"*'"
jfl
jJX_l_^iL^i_^BÉ-_____________^^^^^^^^i__r:r~—
u^^i
-__rt ________
_____¦>
T____.'^'* _____<
/
\
___B__P*r___B£_____ 4BJ
Esta figura representa uma basqne pam
menina, esua feição cliiiracteristica ca fronte,
que consta de colloto o jaqueta. Nas costas
9
//.
^BBi^H.'
flfli
__. Al A__mlUfl
rt\ Al \ .___*__________! ___r
Fm. 5.
J_^_-— — - ———.
*^vjW
1_»^^a
__fii^ ________k \^_____
>-jl
__!___"
____F ''vJ ______ _A BB___
•
Fio. S.
_.f....rfo, a preço coinmodo.
A "Doincstic ScAving Machine Co." de New York fornece moldes de iodos os vestuários do iYoro
•97
O NOVO MUNDO-PER10D1CO BRAZILEIRO.
Agosto, 1879.
Fio. H.
Nustu gravura aoba-se represoutodo uma das mais notáveis corabinoçoes que teem apporeeido na
presente estação. Como material
sorvo qualquer das fazendas lovos
om uso popular. Realça muito a
bolleza do vestuário a mistura do
cÔres o matériaes do que ó comuma
posto; a fronte da saio é de
outras
as
partos
só côr, emquanto
do vestido são do cores diversos
reunidas em um mesmo material.
0 feitio pareço, um tanto complicado, mas um exame attento do
estampa nao deixara de convencer
o nossos leitores que, pelo maior
simparte, é um vestido de feitio
material
De
preciso-se para
pies.
elle de cerca de onze metros.
voeni-so as peças lou me* inglesas,
o as niaugiiH acabam om punhos
muito lindos 8i esto basque for
feita do dous matériaes diversos
será tanto mais vistosa ; mas podo
ser feita tombem do um hó moterial e de uma mesma côr.
Fio. C.
Esto vestuário du princeza ó de
modelo novo o muito lindo, Nos
costas a coustrucção 6 da costumada, o nado ba que precise de
explicação. Na freuto a saio ó do
cujo côr
panuoH lisos do material
contraste com a da sobresiiio, e a
orla inferior é acabada com um
simples debrum. Esto desenho dó
um modelo exeellente para um
Bimples e oo mesmo tempo elocombigonte vestuário de cosa,
nondo-se os matériaes o os cores
segundo o gosto. Exige de dez
metros do material de G8 ceutiuio-'.l
tros do largura, o do perto de
metros de sedo poro enfeites.
Fio. 7.
Nesta gravura apresentamos um
vestuário do princeza do estylo
mui diverso o, como se vô, muito
móis elaborado. O modelo é esa
peciolmeute bem adaptado qualtino
muito
que exiquer material
vestido
o
forrado
seja
go que
termina,
saio
o
baixa
Em
inteiro.
como se vê ua gravura, com uma
e a sobreguarniç.i. de dobras,
saio, que siiuilba uma polouezo, é
encurtado por meio de cordas ua
frente e laços invisíveis nas costas.
Umo guarnição larga do côr diversa e em contrasto esteude-se oo
redor do extremidade inferior da
modo é esta
poloueza, e do mesmo
ornado tambem no peito o nos extremidades das mangas. Preciso
este vestuário de cerca de oito
metros de fazendo, de G8 centimetros de largura; de cerca do trez
metros de seda, além dos mais
guornições.
^^^.-j^Ss^^^qt^flflflflBTfljn^^
.
tÉ
BSíiflr
K' *' cB';
A»
flflflj
' '¦
D
B\
1
NfflVA
1
fl
^flflW^' ¦ : -^a"'"- HhIh Bi» -¦
^B*íN: v>tíB« Bflktvv
¦¦t'
flfl.
liwBw
'*¥^B
JB
KjlR'!'AS
^^çmè^^
K^lSl
fl:V*JB^E
Fio.
í'
H^t^^>^^^^^^^^^N^S^vi ív- \
13.
KWHl
íBBI
L* flfl W ¦' - >1B|
Bk
LflflaB ¦ffàammmWSflEfMflfll
Fio.
XflV
BB
16
';ã^v^
*•¦- '"iK %
flBS'
ÃBl 1
.aflaaH^l^Pfí^*^» IX
ÀwmWàwM ÍY\§' ÍÜS^
IBTÉBvJ
9.
io.
flEpè ¦',"
flfli
' _^^^£^-.^&4flZ&a3^9|fl]
Fio.
Fio.
flfl
il ío-O;
¦•nas»-? "*"*&£
<ML^BBJ
aB Vi-
'
III lyflj 'li i III \ * I! xJ^^i'
•¦^^'^íáaJ^aW^^^aSfciittía-,
r
^ "¦*« ^. í»
i>ro« ••:-i*«**« Ss^^.iaíifcf-
''^^flflKaaBIUaLlJ
flJPfl4
amW- -' *¦ :iB¦ ¦'¦- -'" '
ti1.- ^/f§ I I P It
Fia. 9.
Ne-te gruppo do crianças divertindo-se com areia veem-se representados vestidos de mui diversos
ü da figura do lado esfeitios
todos;
é
querdo o mais simples de
é, o quo se chama de meio assento,
e tem f( nuas lateraes tauto em
frente como nas costas. Na orla
do vestido acha-so umo simples
guarnição do dobras, o eiucimo
destas nina largai facho de cór ou
material diverso. Precisa do dous
metros o meio do material.
No segundo figuro vê-se vestido
mais pn-tencioso. Em cima na
frente ha nm phistron que simula
collete; o os pannos dos lados
apanhados no do frente, são n
feição cburocteristico deste vestuorio, em cuja coustrucção se podem
combinar4 mui vantajosamente
materioc-B mui diversos em quolidado o em côr. Poro elle são neeessorios cerco de cinco metros e
meio do] material, e dous metros
de guarnição.
A terceiro figura, o domado direito, traz vestido muito vistoso
'
|v - / /flB
-.flB 1i
¦fl?''
flflB*;iflflB
mlm\
uí
Hi
I W 4 lLl
hb
ISs
Âfli
m
mm\
'¦¦.>"¦'¦ ¦ .''-"a
Ws^^Mèm
flfl
flKâBls sSlssI
b
*Mr-
B^'
||
Fio.
11.
Fig.
15.
Fig.
17.
vestuários do Novo Mundo, a preço commodo.
A « Domestic Sewing Machino Co.» de New York fornece moldes de todos os
n;
ni
íãm
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO
I08
para menina de oito a dez anno., O é composto do saia O jaqueta,
tendo esta ultima a peça principal. Sas costas é giiarneeida
de botões do DMDSO modo que na frente. Precisa-se de cerca
do quatro metros e meio do fazenda, e de uni metro de guar*
niçAo.
No vestido do menino assentado as peças priucipaes são o
collete o 11 jaqueta; são, porém, tão simples, sem, comtudo, dei*
xaretu de ser vistosas, (pio não carecem de mais explicação. De
material precisa-se para ello do cerca de quatro metros.
Fio. 10.
Os dous obapéOS representados nesta estampa são de palha, e
om ambos esta é de diversas cores. O do lado direito é forrado
do Uatilte bronco, O guarnecido ua copa com capella de flores e
com laços do fitas de setlm; o do lado esquerdo é forrado de
batiste azul, o ao redor da orla da aba ha um debrimi de setim
azul. De setim da mesma côr são taiiihoin os laços que. juneto
com as flores, ornam a copa do chapéo.
Fio. 11.
A bosque representada nesta gravura <• uma das mais lindas e
elegantes que até agora estampámo*) oestes paginas, tornando-a
particularmente digna de attenção a combinação do seda lisa o
de dauiasée que tem logar na sua COUStrUCç&O. Na frente do
collete vt-eui-se embaixo dous ponctos agudos, acabados com
listras encordoadas do mesmo material que a busque, eiiiqtiauto
o collete ajusta-se bem ao corpo, »• é ortiado com um rt-rersodo
seda figurado.
Os punhos constam de duos partes.
De mate-
rial liso precisa-se para o corpo desta bosque d'-cerca de quatro
metros e meio, e do seda tlgurada de um e meio.
Fio. 12.
Esta estampa é uma excepção da regra (pie costumamos se*
guir, pois vé-se á primeira vista (pio nào é peça (pie pertença
ao vestuário de uma senhora, e sim (pie é espécie do paletó ou
blusa [litra homom. O material pode ser qualquer panuo de
lan, e punhos e golla de seda. I.' muito coiiiiuodo para se
traz.-r etn casa, 011 tomar-se o fresco.
e
Pi... 18.
<> paletó simples para menina iUustrado nesta gravura pode
ser feito d.- qualquer das fazendas leves que são adaptadas para
roupa exterior de Criança. E' suspenso solto dos hombros. Aos
lados acham-se bolsas pequenas, Us oi natos são muito simples,
constando de fitas de material de côr diversa da do paletó, e de
alguns botões. De material precisa-se de cerca de dous metros.
c
Pi... II.
Este chapéo di! menina é de palha grossa, forrado inteiramente, para impedir que o eabello fique preso nas ponetas das
palhas nu interior. Os enfeites são tuna fita larga e uma aza de
pássaro de côr viva.
Fio. 16.
Esta lisura é de mais um chapéo de palha para menina, em
que a extremidade, perto da orla da aba, é enfeitada com uma
fita de setim azul passada por entre a palha, como se vé na gravura. E' forrado com granadina azul, e na copa leva algumas
flores atadas com titã azul também.
Fio. 10.
Esto vestido dé priuceza é adaptado especialmente para so
trazei em casa, e sendo muito simples em sua forma, pode bem
ser feito de qualquer material que seja de bom gosto. Na frente
lia costuras de dardo. Dos oruatos de botões, laços, punhos, etc.
dá boa idéa a figura estampada, sem que demos mais explicaçoes.
Fm. 17.
A ultima das figuras de modas deste numero do Aun. Mundo
representa mais uma bosque nova, linda e muito rica. Na frente
vê-se em baixo um collete falso, o einaima as dobras horizontaes
que estão tanto em moda. As franjas, punhos, collariuho, laços,
etc, uão precisarão de exidieação, além da que nos apresenta a
própria estampa.
LITTERATURA.
A AURORA.
POR
SVLV10
UINARTK.
Si quereis seguir attento e maravilhado as pbases
dessa esplendida scena da natureza, que se chama a
aurora, buscai, ainda com as sombras da noite, uma
eminência de onde se descortinem largos horizontes
e céos desassombrados,
A principio, na densa escuridão que vos cerca,
nada pode lobrigar vosso olhar indagador. Tudo
são trevas, ou quando não, formas indecisas, quasi
pbantasticas, filhas da illusão fugaz e engrandecidas
Nos espaços scintillam apenas,
pela imaginação.
como pharóes de vacillanle esperança, raras e.cámbiantes estrellas. Nrão tarda até que esses mesmos
astros que vos consolavam as vistas, vão, uns ap'62
outros, amortecendo o seu brilho e apagando os seus
fulgores.
Por todos os lados o silencio.
Parece, sinão extineta a natureza, presa, pelo menos, de penoso entorpecimento, perdidos o alento e
a força.
Eis, porém, que aos poucos lá se tinge o oriente
de duvidoso rósicler. Começa alli a branquejár o
lirmamento. qual si ao subir da terra fora lentamente
desdobrando-se adelgaçado céo de gaze branca.
Passam-se largos minutos.
BRAZILEIRO.
Depois naquelle fundo alvacento accende-se, a
medo, uma risca avermelhada que se alonga mais do
que se alarga. Parallela a ella rompe outra, já mais
extensa e incandescente; instantes apoz, terceira,
essa então abrazeada como uma linha de fogo.
De manso se vai diffundido a claridade pelos céos
além. Si por perto se accymularem condensadas
nuvens, desenhain-se-lhesos contornos como rubidas
e corus,cantes curvas. Outras mais afastadas e soltas
cambiam da còr de rosa ao roxo lyrio.
Já uhi principia a natureza a sacudir o lethargo
que a prostrára. Fspreguiça-se languiua, mas alegre
e cheia de seiva e nascentes esplendores. Toucamse de clarões os pincaros das montanhas, cujos declives c lombas surgem da uniforme escuridade.
- Na
planície borborinha o ruido da vida. Doce
orvalho acorda as humildes plantinhas ; zumbem
invriadas de insectos, e os pássaros, nas franças do
arvoredo, chilram baixinho, ainda tontos de somno e
como que a sonharem.
E' nessa hora de indizivel suavidade que nas
maltas do Brazil desfia o sabiá suas notas mais puras
e melodiosas, cuja magia a calhandra da Europa no
seu hymno matinal de certo não conhece.
Emerge, porém, a mais e mais a luz. O espectaculo, ha pouco sereno e melancólico, transforma-se
de súbito—é deslumbrante. Como centro de todas
as riquezas, o sol, antes de raiar e ainda no berço
em que rutilam a purpura e montes de ouro e prata
em fusào, arremessa em leque offuscadores raios,
uns enfeixados que tudo penetram, outros divididos
:pie, parece, vão estacar e embeber-se nos nevoeiros
da madrugada.
Cada vez mais se anima a terra ; cada vez mais se
illumina a abobada celeste. Em cima desenrola-se o
festival e cenileo manto—-pépluin gigantesco de um
Colisêo sem fim—; embaixo se avivam è se fundem
em fantástica combinação as cores mais varias é
iriadas.
Rompe por fim uma onda de luz (pie se atira sobre
o universo e de momento o inunda, como vaga ertorme de oceano a transbordar.... e ergue-se o sol !
E' dia!
Janeiro de 1S79.
NOTAS SGIBNTIFICÀiS.
Um pó amarollo
Inglaterra depois de
tomado por enxofre
pessoas competentes
que ficou depositado ultimamente na
algumas chuvas torrenciaes, e quo foi
por alguns, depois de examinado por
foi declarado ser pollou de pinheiro.
No Japão fazem papel de trapos
deixou-se correr para os rios a água
eram fervidos, e levar coinsi^u todo
suspensão.
Agora extraliein delia o
azues.
Antigamente
cin que esse. trapos
o anil que tinha em
anil antes de se dos-
embaraçarem delia.
No orçamento sueco das receitas e despezas para o anuo
linanceiro de 1880 são concedidas 60,000 coroas para a
acquisiçuo da propriedade Haminórby, juneto de Upsálá,
(pie origiuaríamente Dòrtenceu a Linneo, como também de
unia porção do mobilia que lhe pertencera, para assim
honrar a memória do grande Botânico.
Na França tem sido introduzi.Io um novo modo de se porem
as taboas que forinani o soalho nus pavimentes inferiores,
mi ao rez do chão, nos quartéis, hospitaes, edifícios públicos,
egrejas, etc, 0 consta que assim se evita que do terreno
sobre que se acham construídos ós edifícios penetrem nestes
liuiiiidade, ex induções prejudiciaes á saúde, ratos, baratas
Em vez de se çollocarera as taboas do
o outros bichos.
soalho sohr.- vigas, collòcãni-n'ãs om asphalto quente.
Na Exposição de Berlim acha-se unia estrada férrea
electrica, construída por SlÉMBNS .• Malski. A força motriz provém de uma machina dynamo-electrica que se acha
na locomotiva, e essa machina recebo sua força motriz de
outra machina (lynamo-eleotríoa fixa quo por sua vez 6
A via
posta em movimento por uma machina a vapor.
férrea tem 200 metros de extensão e consta que se attinge
;. velocidade de trez metros por segundo, com trez carros
levando viuie passageiros.
Coits.u.i.v .- Wii_i.lA.MS teem descoberto
uma
relação
siugnlnr entro os ponctos de fusão e de ferver do chlòrina,
broinina e iodiua e os do enxofre, selurio o tellurio. Os
p juetos de fusão destas trez ultimas substancias são respecti vam ente duas vezes mais elevados do que os das trez primeiras. e os de ferver trez vezes mais elevados, principiai)ilo-se a coutar do zero absoluto—'_l?:i C.
M. CoSSOX, da Sociedade Q-eograpUica de Pariz mantém
que o mar algeriauo -píTqíosto por M. ROUDAIUB não me-
Acosto,
1879.
Ihoraria o clima do Saltara: que, si fosso modificado, seria
em prejuízo da saúde dos habitantes; (pie esse mar creariu
dissatisfação entre as tribus de Tunis e Algeria e os colonos argelinos, e que de modo algum attrahiria para a Alteria o eoiiiinoreio do Sotnlan.
Para impedir que as velas das luzes eleetricas se consuinatii tão rapidamente como acontece nas lâmpadas electricas ordinárias, o professor H. W. Wii.kv, da Uuiversidade de Pimbie, no Estado da Indiana, E. U., as cliapêa
primeiro de cobre em bateria de electro-plate, e depois as
Diz que as velas assim
cobre com cama la fina de gesso.
vezes mais do (pie as
dez
duram
menos
preparadas
pt'lo
feitas do modo ordinário.
De uma analyse ultimamente feita por SBItaiUS Kr.RN,
constou (pie em certa porção de chapas de ferro pura caldei ras á vapor havia .01 de um por ceuto do silioon, .12
de um por cento de manganesio, nenhum enxofre, apenas
vestígio de phosphoro, •• .028 de um por cento de cobre. 0
ferro devia, pois, ter sido bom, por uão conter substancia
(pie o deteriorasse: mas ua realidade foi tão ruim que uão
resistia aos ensaios ordinários. Ao cobre que se achava
presente uão se attribue nenhuma má influencia, parece,
pois, .pie a má qualidade do ferro era devida a descuido ua
operação de laminar.
Este exemplo é prova de que por
uma analyse chimica nem sempre se pode descobrir si
qualquer porção de ferro é bom ou ruim.
No Journal of Science aud Arts para o mez de Julho <>
Dr. J. W. DhAPER tem um artigo importante sobre uni
espectromètro de nova forma, e a distribuição da intensidade
Eis suas conclusões getaes : " I. No
da luz no espectro.
espectro prismático a iuteusidade luminosa augménta á
medida (pie se passa dos espaços oceupados pelos raios
mais refrangiveis e se approxhna dos que o são menos, e a
Isso é devido á
intensidade máxima está no vermelho.
acção da prisma, que torna mais estreitos e como que condeusa cada vez mais os espaços á medida (pie se approxima
do vermelho, augmentandu assim a iuteusidade da luz como
também do calor. 2. No espectro de grade ou de difiracção,
a intensidade luminosa é egual em todas as regiões visíveis,
desapparecondo simultaneamente todas as cores quaudo
expostas a uma outra luz.'"
Ó jornal Nature critica severamente o relatório apresontado ultimamente á Câmara dos Coinmuns do Parlamento
inglez por uma coiumissão nomeada para indagar do valor
A adinoestação dirigida no
practico da luz electrica.
do
relatório ás companhias
gaz para que não introduzissem
"
é o mesmo que dizer que ao neeociaute de
a luz electrica
vinhos não deve ser permittidò vender cerveja." Attáca o
relatório também porque nada diz sobre as vantagens da
luz electrica na navegação, e porque não explica a asserção
que faz e que lhe parece muito duvidosa, (pie a força de
um cavallo-vapor convertida em gaz dá uma luz egual á do
doze velas, emquanto a mesma força convertida em luz
electrica dá uma luz egual a de 1,600 velas." Mesmo si
trez libras de carvão dé pedra consumido de um modo produzireiu unia força egual á de um cavallo, e consumido de
outro modo produzirem unia quantidade de gaz que de uma
luz egual á de doze velas, nem por isso se segue que a fòr.ça
do uni cavallo é equivalente a uma luz de gaz egual á de
doze velas; porque, no caso do gaz uão sabemos quanta é
0 relatório confirma a opinião
a energia remanescente."
de ser " a excitação sobre a luz electrica devida ao susto e
uão a qualquer progresso ou nova invenção que se teuha
feito," e esta opinião a redacção da Nature acha acertada.
Em ultimo logar dispõe do relatório nestes termos sen" A conclusão
tenciosos:
geral a que a commissão chegou
uo seu relatório é que por ora não se pode fazer com a luz
electrica mais do que se faz, mas mula se deve fazer para
Não precisávamos de
restringir o seu desenvolvimento.
.!<>
nos
dizer isso."
Parlamento
uma commissão
para
0 capitão An.si-Y ultimamente submetteu á inspeção da
Sociedade Real de Londres algumas estampas do espectro
solar sobre chapas de prata, e também sobre compostos do
prata, conservados em seus lugares por çpllodio. As coras
naturaes do espectro se haviam impresso sobre as chapas,
sendo mais brilhantes as que estavam sobre a prata, mas
mesmo assim erain muito liem visíveis as que esta vam
sobre o collodio, quer fossem expostas á luz transtnittida,
quer á luz rellectiva. Sem entrar nos pormenores do processo pelo qual obteve essas estampas, o capitão Aiinkv
disse em termos geraes que tinham sido produzidas pela
oxydação dos compostos da prata durante exposição de
Ha muitos mezes, quandous ininutòs com fenda larga.
iio M. Bkci.uaui.i_ expôz algumas amostras de cores naturaes produzidas photograpbicaménte, o capitão Anxr.v
disse que a explicação provável era a oxydação des compostos de prata empregados: e agora está ainda mais convencido de ser essa a verdadeira explicação e que as cores
As cores parecem
uão são produzidas por interferência.
ser devidas á mistura de moléculas de dous diversos tamanhos, mas da mesma constituição chimica, as de tun tamauho absorvendo a luz ua extremidade azul do espectro,
e as do outro na extremidade vermelha, e sendo inalteráveis
Agosto,
O NOVO MUNDO—PERIÓDICO BRAZILEIRO
1879.
em seu tamanho cisas moléculas emquanto nlío furem expostas tí luz «lo ondulações «le comprimento diverso «ias «Ia
Elle «> julga possível c provável
luz que as produzirain.
alteração
as
côre9 quando expostas á luz orconservar sem
limaria tio dia.
Mr. Edward Souunck ultimamente estudou a côr purpurea dos antigos. Resumindo ns resultados das investigações «le Rbaumur, Dutramel, Bancropt e C01.B aobre
a tineta ipio produzia esta cór, e que era obtida tle diversas
" E' uma sequalidades de mariscos, diz Mr. Schunok :
creção como pus ou matéria punida que se acha em uma
pequena kysta branca embaixo da concha o juuoto da caEssa matéria, applicada ao Unho branco,
beca do animal.
e exposta ho boI, muda-se do amarello pelo verde •.•laro,
verde escuro, e azul para o earmezim, desenvolvendo ao
mesmo tempo «, cheiro de alho ou assafetida. Guardada
em logar escura essa secreçfío conservará por annos sua
ciV amarella sem que lenha logar nenhuma mudança; mas
logo qne a substancia fôr exposta á luz, mudará '!•• côr. 0
calor uão tem effeito sobre a transmutação, e esta se pffectua mesmo em um vácuo ou ua presença «le traz hydrogòAssim também os alcalis de sabão e
neo ou «lo «le azoto.
a maior parte dos ácidos não teem effeito solire ti ultima
cór que se produz, mas o ácido nitrico e a chlorina àpagain-u'a." MM. A. e Ií. Negri ultimamente obtiveram
de nma espécie «le ínurex uma Substancia corante, «pie
tinge de vermelho ede azul. 0 próprio Mr.ScilUNCK fez muitas experiências com a matéria tirada «lo marisco chamado
Pur/iitra lajállits, e que pode ser achado nas rochas juneto
de Hastiugs, Inglaterra, na vasante «Ia maré. Mudado umarello claro para ti côr de purpura sem que sejti applicada a
liuho. quando fica expostaá luz, mesmo si estiver fervendo.
Por meio do álcool e do ether snlpliurico se pude extraliir
completamente o chròmogenéo «Ias kystas machucadas. A
solução côr de ouro assim produzida se toma côr purpurea
quando exposta á luz, e afinal precipita nm pi'> grauular e
crystalliuo, insoluvel na água, rio álcool e no ether, algum
tanto solúvel no benzol fervendo e no ácido glacial lactico
fervendo, muito solúvel tia auilina fervendo e dando um
sublimam de erystaes com lustre motallico e cujas orlas
teem côr escura de anil quando os erystaes são aquecidos
entre vidros «le relógio. Julgando Mr. SOUUNCK «pie a
Bubstancia corante pertence a 11111 membro desconhecido do
gruppo «lo azul do anil. propõe que se lhe dê o nome «le
"punicin.''
NOTAS SOBRE BELLAS AJiTES.
OS NOVOS QUADROS I>K DORE.
Na rua New-Uoud, de Londres, acham-se agora expôstos permanentemente uit Galleria Doré dons quadros novos
e eolossaes do celebre artista cujo nome a galleria traz.
Os assumptos de amlios são religiosos e elles servem para
completar a nobre serie de quadros ilesse artista «jue ahi se
"Entrada em Jeacham expostos, e entre os quaes estão a
"Muysés
"Pretorio,''
e a Serpente tle bronze.'
o
rusalein," ò
o "Sonho da Mulher de Pilatò," o "Triumpho «l«> Christiariismp," o os "Martyres na Arena," todos os,quaes eram
assumptos esplendidos para que uo seu tractamento o artista manifestasse seus poderes originaes e peculiares. Os
"Ascensão" e "Ecce Elotno."
quadros novos chamam-se a
0 primeiro destes tem 20 pés «le altura e 13J «le largura.
A figura principal deile está etn pé na distancia no centro
o tem 8 pés de altura, emquanto os anjos ua frente, representados só da cintura para cima, parecem ter I'! pés de
altura.
Mm escriptor em The Telegraph, de Londres, dirige
attenção para o facto de que os piuctores que modificaram
e transpuseram as disposições na "Transfiguração" «le
Raimiael foram muito infelizes nos resultados assim pro«luzidos, e então diz qne Dome, resolvido a rejeitar todas
as modificações do aspecto convencional de um suecesso
milagroso, elaborou e adoptpu para si uma disposição inNa "Ascensão" os Apóstolos
teirit 111 ente uova e original.
não se vêem ua frente o sim uo fundo do quadro em posição muito subordinada, nem se vé quasi nenhum outro
objecto terrestre, e assim toda a attenção do espectador é
concentrada uo aspecto sunranatiiral do evento representado. "Olhamos," diz elle, "ilirectamenle para uma cpinpanliia radiante de anjos. Acima delles, roçando uma onda
«le nuvens níveas, vai subindo ao céo a Figura central e
acima «le tudo, em um mar de luz, as legiões da milícia
A attitude da Figura central
celestial estão tí sua espera.
é nina maravilha de graça e leveza." No "Ecce Homo" a
figura central, vestida na purpura de escarnoo e coroada
de espinhos, está de pé etn attitude de mansidão e ao
mesmo tempo de dignidade na escada que conduz ao Pretorio onde Pu.ato se acha assentado na sim cadeira. De
cada lodo de Ciiiusto estão os soldados romanos e os
bu ramos sacerdotes e anciãos, erriquantü em frente está a
turba violenta do povo. "Doré," diz o mesmo escriptor,
"tem consegnhh» fazer muito interessante a scena representada no quadro, e a figura do Christo, quanto ao desenho,
expressão, c«"ir o sublimidade de resignação, é talvez a melhor
de todas as figuras que Doré jamais pinetou."
FRESCOS DB LA
PARNESINA.
Noticias recentes de Poma dizem que, com duas excep-
ções, as esplendidas plncturas inuraçi, descobertas no Palazzo Fiirtiesina, foram todas removidas das paredes sem
Ha trinta o «luas dellas, todas do estylo
Boffrerom damno.
Consta «pie seu
bem conservadas.
muito
o
groco-romauo
mérito artístico é muito grande.
Apezar de pinotadaa no
principio «Ia éra christàn, parecem frescas como si fossem
feitas ha pouco tempo. No caso de todas ellas a parte
inferior du parede está coberta com paisagens, e enicima
destas acham-se scenas dramáticas, históricas ou inytliologicas «pie os nrcheologioos estão procurando agora a interpretar.
Quando está tirado da parede uni desse? quadros, eoin
ti camada «le reboco sobre qtu está pinetndo, d cuidadosamonte empacotado em utn caixão e transportado para unia
sala grande destinada parti elle, e onde é tirado do caixão
Ha pouco tompo foi assim destae munido «le moldura.
cado da parede e transportado do palácio Farnesinit para
uma casa perto do Morro Palatino uin quadro qOe mede
E' bem sabido
141 pés por 24, e pesa algumas toneladas.
o
do rio
situado
na
margem
Farncsiua
está
que
palácio
Tihr--, <|tte seu pavimento acha-se elevado poucos pés ncima (lo superfície da ngua «lesse rio, que este está subjeito
a freqüentes enchentes, e que por isso us frescos 11 que
.(Iludimos ficam muitas vezes laviulos pela agna do rio.
No mez «le Maio passado foram lavados assim nada menos
No tempo ,1o imperador AUGUSTO «> leito
de septe vezes.
do Ttbre estava só dous ou trez pés mais baixo do «pie o
leito actual, e por isso pareço provável «pie, durante 08
mil e oitocentos aunos que os frescos existem fossem lavaMas, desde que
dos pelo rio alguns milhares de vezes.
estão muito bem conservados, diz-se que isso não pode ser
«• que é mais provável que antigamente o rio só em raras
oecasiões transpozesse as suas margens.
REMOVÀÇAO DB QUADROS
EM PERUGIA.
Durante a époeha da rehaissànce italiana as cetn egrejas
«le Perugia foram enriquecidas de muitos quadros «l«is graudes mestres, havendo entre elle- obras de RaphaEL, pERUgino, Sassoferhato o Gortona. A proposição ultimamente feita «le estabeli-lecer unia galleria publica «le artes
na casa da Cantara municipal de Perugina, onde seriam
depositados e expostos todos os quadros de valor e outros objectos «le arte «pie se achassem ua cidade e não fossem propriedade de particulares, encontrou muita opposiçao
da parte dos patlres «le Perugia: e consta que o próprio
Papa, cuja cidade episcopal Perugia é, veria com muito
maus olhos que se levasse a efieitO essa proposta.
A' Câmara municipal tem sido dirigido nm pedido com
limitas assignaiuras, para que todos os quadros assim removidos fossem depositados temporariamente e expostos
em um só salão, para ahi esperarem a decisão legal da
questão sobre sua restituição a seus logares originaes. Um
corespondento «lo TPrecmasotis Journal descreve o (pie elle
Foi a removação
chama nma "scena muito vergonhosa."
da egreja de Gesú, de uni quadro muito venerado, piuctado
por Borocoi, provavelmente no fim do século XVI; e a
cujo respeito a tradição diz que moveu os olhos em J7!l(i.
Diz que o quadro foi removido em quauto se celebrava a
missa, e apezar dos protestos dos sacerdotes e dos gritos do
"A
" foi chapolicia," diz elle,
povo reunido na egreja.
mada; compareceu um delegado com charpa na cintura e
Os guardas subiram o altar, trastornando
espada ua mão.
os ciiudieiros, as velas accessas, as flores, etc, e pisando
aos; pés us pannos com «pie o altar estava coberto. Tiraram
o quadro do seu logar e o levaram coinsigo em triumplio,
sem se importarem com as lagrimas e lamentações dos «pie
se achavam presentes.''
O ALHAMBRA
EM PERIGO.
() morro acima de drenada, e sobre o qual se acha o
afamado palácio dos antigos reis mouriscos da Hespanha,
recentemente deu alguns indícios de querer desmoronar, e
por isso esse monumento esplendido «le uma époeha memoravel ua historia da Europa está em perigo de soffrer tuna
ruina mais completa do que a que já produziram as giterras, os terremotos e o tempo. A Lealtaã de Madrid diz
«pie o solo já principiou a escorregar em grandes massas e
'assim
o Alhanibra tamameaça despedaçar-se e destruir
bem. Consta mais, (pie a Alcabaya, edifício espaçoso e esplendido ao pé do mesmo morro, onde residia antigamente
a nobreza mourisca, tstá etn perigo de ser destruída do
mesmo modo.
O Alliainbra, a «pie se concede comniuninieute o segundo logar entre as ruínas da Europa, oçcupando o Coliseu
em Roma o primeiro e o Castello de íleidelberg o terceiro,
foi edifiòado em diversas épochás, principalmente entre os
auuos de 1248 e de 1354, e foi òecupado pelos reis mouriscos até a expulsão «los Mouros da Hespanha em 1492. Foi
fortificado ilo melhor modo conhecido riaquelles tempos. A
muralha tem mais de uma milha etn circmnfereiiciu; é
flanqueàdò com treze torres, e pode conter 40,00(1 homens.
Externamente o palácio não apresenta vista agradável, a
uão ser «le certa distancia, quando parece muito pictoresco
entre a floresta que se acha ao seu redor; mas quanto ás
sutis salas e decorações interiores não ha palácio «pie lhe
Fui 1802 a rainha
seja egual em esplendor e belleza.
Isabéllã mandou restaurar a Alhanibra para seu estado
antigo.e por algum tempo trabalhou-se nisso com cuidado e
vigor, mas as soinmas de dinheiro dedicadas a essas obras
não chegaram para complótal-as.
199
tr.M novo QUADRO POR PKRU0IX0.
A collecção das obras de PERUGINO.qtlO se acha ua Gal*
leria Nacional de Londres, o que já é grande, vai em breve
ser augmontada com nm bello quadro do mesmo mestre, «pie
Fói comprado na Itália
6 comparativamente desconhecido.
ao preço de 30 coutos de réis, mas não pode sahir do paiz
sem liceusa do Govornoj que se espera obter em breve.
Por muitos anuos esteve na galleria «le uma família particuhir «le Perugina. 0 assumpto é a Virgem em pé sobre
um banqtiinho, com o menino nÒ8 braços e S. GlROLAMO
em |)é «le um lmlo e S. Francisco do outro. Acima da
Virgem pairam dous anjos tendo nas mãos uma coroa: 110
fundo está uma paisagem indistiuctá, com morros baixos e
um lago. "Sobre o quadro inteiro,'' diz um correspondente
de The Pãll Mall Gríeette, "está derramada uma branda
luz áurea, e o desenho das mãos e fiiíuras é muito excellente, e pelo quadro indiro reina uma harmonia geral «pie
é muito agradável, eniquanto o vestido escuro da figura
central é de utn tom ric«, e profundo." Consta «pie o «pia
dro está muito bem conservado, e parece ter sido restaurado
pouco «ui nada. Seu tamanho é de cerca de seis pés em
m largura egual, e embora não se ache nelle «i
altura
nome de PÊRUÒIN0 conto seu auetor, não ha duvida sobre
sua authenticidatle, porquanto as provas internas de ser
Np8 .árchivos «ie Perugia existe,
delle são abundantes.
porém, uni documento demonstrando qne nos anuos do
1503-7 PerÜG-NÓ foi incumbido de piuctar um quadro que
correspondo muito com o «pie foi agora descoberto, <• pelo
qual devia receber ti somma de 4? ilorius e 40 bolognini,
«pie, fosse «piai fosse o valor de um llorim nàquelles dias,
E' provável
uão foi, por certo, uma somma extravagante.
«pie o quadro ficasse em Perugia si a Galleria de Artes daquelbi cidade podesse pagar o preço pedido por elle.
O HOTEL DE VILLE, DE PARIZ.
Desde Janeiro passado tem-se feito muito progresso na
reconstrneção do edifício histórico do Hotel de Ville, «lo
Pariz. e espera-se que em princípios de 1881 a câmara
municipal e as diversas repartições tornarão a tomar posse
«le suas respectivas salas. Duraute parte de Maio trabalharain no edifício nada menos de 1,008 homens, e do 1?
de Janeiro até ao 15" «le Maio o termo médio tle operários
empregados nesses trabalhos foi «le 598. A somma votada
para a obra é de 22,000,000 de fraucos, ou mais de 7,022
contos, e esta não iuclite as quantias «pie se teuciona dispender na acquisição das estatuas e outras obras de arte
Não está fixada ainda a soturna
parti adorno do edifício.
«pie será gasta na compra desses objectos.
A VENUS DE Ml LOS.
Em uma brochura renceuteménte publicada em Stoekholmo procura-se mostrar «pie esta estatua celebre que se
acha agora na galleria do Louvre, em Pariz. era originalmente tuna das figuras em 11111 gruppo de trez, das «piaes a
do centro era HeràOLES, 'pie, segundo a fábula, estava em
pé entre a deusa do prazer e a da virtude. Segundo esta
stipposição a estatua «lo Louvre representava a deusa do
prazer ou «Io desejo.
A SIHKKIA.
A Sibéria é uma planície immensa, limitada ao sul por
montanhas, descendo de mais a mais ao nível do mar ao
passo «pie se approxinia do norte, até que afinal, ao longo
da costa du Mar Gelado, é um triste campo plano mui
A região que fica ao oeste
pouco elevado acima da água.
do rio Yeuisei é toda do mesmo nivel, não diversificado por
nenhum morro ; na parte de noroeste é coberta de florestas,
mas pela maior parte essa Província é csteppe, ou planície
Uma boa parte delia consta de areia, salinas e
aberta.
pântanos; mas ua esteppe Barabinskara, entre os rios
Irtish e Obi acham-se florestas extensas de betulas, e é bem
adaptada ti agricultura : e o solo das esteppes de, Abakau,
que ficam ao longo do rio Abakan, tributário «lo Yeuisei, é
F mesmo onde osi^lo
tão rico que não precisa de estrume.
uão é bem adaptado á cultura, produz pasto abundante
para os immensos rebanhos de gado e raugifers que possuem
08 indígenas.
A parte de leste da Sibéria é mais diversificada, porque
nessa parte do paiz as planícies são atravessadas por montes
que se estendem em serras até ligarem-se ás de Altai, Sagau
e Stahovóy. Graude parte da Sibéria'de leste é bem adaptada pura a cultura e 110 sul ha florestas magníficas. A
parte do norte, porém, que se estende até o Mar Arctico, é
uin campo triste, coberto de musgo, mas onde, em certa
estação do armo, grandes rebanhos de raugifers acham
pasto abundante. Nessa mesma estação, porém, ha abi
tantos mosquitos, que tornam a vida quasi insupportiivel
aos homens ; e o aistrus, que attaca os raugifers, juneto
com a moléstia que ultimamente rebentou eutre elles, estão
rapidamente reduzindo de aflluencia á pobreza os Satnoyedes, Ostiaks e outras tribus.
A Sibéria tornou-se conhecida dos Russos no século XIV,
quando VÀSSELI YÉrmáK, uin Cossaco criminoso que
havia fugido, «leu noticias delia a Yvan o Terrível. Quando, depois, os Russos conseguiram arrancal-a aos Tartaros,
fizeram delia uma colônia penal, principalmente para
desenvolver sua riqueza mineral; porque um paiz tão retirado era incapaz de attrahir immigrantes voluntários entre
MUNDO—PERIÓDICO
O NOVO
200
Agosto, 1879.
BRAZILEIRO.
Inglaterra seriam
nas cidades, e também nüo é mui pequena a foram condomnados por crimes qne na
01 servos trtu pouoo tiin|»rüheii<lotlortrH c«»iiio os tia Ktissla, o campo como
ou por uma
vida
inteira
composta de diveraas tribus; mas não punidos pela tranapòrtação pela
a seus lenhorea foudaes não fazia oonta onvinl-os tão longe. população Indígena,"exilados"
obrigados a
são
na
Sibéria,
Esses,
são a parto mais notável dos longa serio do annos.
isso os
Com oxcepçao do stnis minas, lm poucas iudustrias im- obstante
é
e trabalhar naa minas, e sua sorto geralmente muito dura.
o couros são habitantes, o si iijiniciarmos a olles seus descendentes
espirituosas
Bebidas
na
Siboria.
nome do Katorshuiki, termo quo
portantos
sabão, também os exiladoB quo continuam a vivor no paiz ainda Dão.lhos, na Siberia,"o
e
também
cottH.doravois,
em
quãntldado*
produzido"
duvida é derivado do vocábulo grego káteron, nome
.Ias cidades «pie, que já tenham cumprida com as sentenças em quo foram som
om
algumas
.le
stearina;
velas
»>
ainda
o
graxa
elles são tambein a parto mais numerosa. quo os historiadores byzantinos deram á galé, que
condeinnados,
do
teem
o
Tomsk,
Omsk
Tj.imen,
ToboUk,
Irk.itsk,
como
do Mar Negro.
se pode viajar grande distancia no caminho quo do hoje lho dão os Gregos nas margens
17,(KM) a 27,000 habitantes, lia fabricas do patinos grosseiros Não
na roboto, 011 exilaé
a
dos
Loslannyje
classo
A segunda
Nignll-Novgorod so dirige para além das montanhas Ural,
do algodão e lau.
do que os outros,
curtos
mais
da Sibéria, por via de Tjuinen, Tobolsk, Tomsk dos sentenciados para termos
As pescarias noa grandes rios e lagos, dtto emprego a atravez
Nesta classe
ou Yociseisk, sem que se encontre turmas numerosas do por torem commettido crimes monos graves.
muitos Siborianos indigenas, e nas feiras quo teem logar
alguma
pena mais
sois, oito ou ontram os vagabundos, os que merecem
cidades fazem-se. trausaceões exilados, alguns dollcs estando de caminho já
diversas
em
confoiam
os presos que
periodicamente
dez mezes, o ás vezes até dous annos, como é o caso com extensa do quo a simples prisão,
o
da
Europa
remotas
mais
as
regiões
as
com
de
commorciaes
as colônias do rio Ainur o do demnados pelos tribunaes communaes, presos politicoa
destinados
os
são
para
os
negociantes
reunião
quo
do
o
6
KiachUi
para
da Adia.
poneto
Os peiores delles são acorreutados; mas pouca importância, o autigamente oa servos refractarios.
Kamtchatka.
da China o Sibéria, o ahi ha uma eschola em «pio se ensina
de uma cidade, até os Quanto mais grave o delicto que qualquer desta classe
quando não se acham na vlainhança
a lingua chineza aos jovotis negi^iantes siberiauos.
"infelhes,*'
como os exila- commetteu, tanto mais retirado o logar para onde é enviado
tractam muito bem os
Nas iniuas de ouro ganham-se ús vezes fortunas muito guardas
do paiz. As para ahi expial-o. Os que haviam commettido crimes de
as maiores fortuuas russas foram dos eão geralmente chamados pela gente
effeito,
com
e,
as costas do Mar
grandes,
mulheres e crianças, especialmente quando são a familia de alguma gravidade são enviados para
modo.
dosso
accumiiladas
leste, que são as regiões mais
algum exilado á qual é pormittido acompanhai-o, são ge- Arctico e as Províncias de
chumbo,
Siboria
na
acham-se
ouro
platldo
prata,
Além
foram comdemnaralmente transportadas em carros, e mais para o norte, afastadas do império russo; aquelles que
na cobre (especialmente sob a forma do malachita), ferro,
comparativamente
delictos
pouco graves, dá-se
sobre tronos ou seleas, puxados por rangifers ou cães; o dos por
carvão de pedra, estanho, einabrio, zinco, hisinutho, arsede
Oeste, logo além das
ua
Sibéria
<>s exilados são gente do posição, e foram condem- licença de estabelecer-se
sentenças são geralnico, enxofre, alum, aal-ainmouiaco, nltro, natron o naph- quando
de
suas
Ural. Os períodos
ou menor nados por crimes políticos, os ofticiaes da escolta muitas Montanhas
maior
em
acham-se
de
e
lha*
e são transportados parn a Sibéria mais
pedras preolosaa
f» vezes deixam-08 viajar em sua companhia e assentar se mento muito curtos,
siberiana,
esmeralda
a
hyacintho,
«>
tapazlo,«»
abundância
do que para ser-lhes um prisão.
com elles na mesma mesa, uma vez quo não estejam na para colouisarem o paiz
chrysolitlin,
a
o
vermelho,
o
verdo
f>
«>
onyx,
Jaspe
berryllo,
A terceira classe é a dos Losslanijje na poselenge, sende alguma grande cidade. Acontece ás vezes
vlainhança
a
opaln.
o
«»
bakalitho
íapla-lazuli,
o
como livres
a griiimdii oncarnada,
tpie, quando uma companhia do exilados passa por uma tenciados por crimes triviaes, e considerados
logo
estabelecisão
onde
A maior parte «lim pedras achadas suo lapidadas no paiz. villa ou
na
Sibéria,
logo que chegam
povoaçSo fanática, os cainponezes, arrebatados por
()h oamponezos russos são muito hábeis tia arte de imiexistentes,
villas
em
quer em
colonos, quer
já
6 levar sua lealdade ignorante, coapeni naquelles que foram con- dos como
necessário
tudo
Diz-se
outro».
quiiutoé*
que
o
se
estabeleçam
ahi
elles
tarem
demnadoa á tranapòrtação por terem tomado parte em ai- lugares escolhidos para que
«pie
trabalhe,
dizer-lhe
o
fabrica
unia
que
delles
um
para
o
de «pia- guina conspiração; mas é mais frequeute ver os camponezes desenvolvam paiz.
Bela pot exemplo, ferreiro, entalhador, copiador
siberiaua, composta de elementos como estes,
A
sociedade
cousas
outras
trazer presentes ile artigos alimentícios e de
tempo
terá
em
o
làpidario,
ou
pouco
,lros. maoblnUla
mus não é moral; Muitos dos
úteis e pedir ao céo que os perdoe e favoreça. Nas diversas é genial e muitas vezes polida,
aprendido a arte quo lhe foi recoraniendada. Principiará
delinqüentes
são
políticos, e eutre elles ha pessoas
estações <1<> caminho ha quartéis em que os presos ficam exilados
reparando ua maneira por que o operário que lhe fica prode charactet. Mas entre os
nobreza
o
durante a noite. Esses quartéis estão geralmente no cam- de muita instrucção
sentença, estabeleceram-se
rimo trabalha com seu serrote, escopro ou lima, o procurasua
fora das villas, e são bem vigiados por cossacoa mon- ]ue, depois de cumprirem
ní imital-o, progredindo pouco a pouco, manifestando tle po,
bem diverso. Os que foram
tados, para que os exilados não fujam. As viagens diárias uo paiz, ha muitos de character
aprenterá
semanas
e
em
mala
poucas
dia
em
perícia,
despresados; mas os que
dia
não são muito longas n«m penosas, e variam com a quali- realmente criminosos são sempre
6
Assim
classe.
do
operário
será
e
primeira
nem
diilo 0 offiolo
e as accommodações para os homens e foram transportados por motivos ou crimes políticos
dado
do
caminho
em
operários
ha
fabrica
Graniloi
na
que
t.iie so explica quo
são menos estimados.
e 11I- animaes. Commummento são de 14 a 15 milhas por dia. por isso
condlç5o social uão são superiores aos camponézea,
E' só ás famílias dos peiores crimiuosos «pie é prohibido
de
sob a vigilância da poli- Apezar disso, porém, muitos dos exilados morrem antes
criminosos
atá
são
dos
o exilio; e havendo
quaes
min»
chegarem ao termo da viagem; e os que conhecem bem a acconipanhàr ao marido o pai para
na Rússia
oecuparam
cia mas que apezar disso executam i.s mais liudas esculpOperação d<> systema dizem que só quatro quintas partes entre os exilados muita gente que já
sobre
ou
o
do
gravam
vasos
do
serviço
no
porphyrio,
jaspo
om
ou
turas
fh.8 que são coiiflemnados a serem transportados para o posições muito elevadas na sociedade
uma
com
o
esmoraldaa
tppazloa
perios
améthystaa)
clubs
e
os bailes,
berryllb,
extremo norte ou 0 leste da Siboria, chegam ti seu destino. Estado, comprehende-se bem que
do
abridoros
dos
melhores
á
superior
uão
si
ou Tomsk não são mui
cia egual
Logo que chegam ua Sibéria os exilados são repartidos outros divertimentos do Tobolsk
outros paizes.
em
Amaterda.n. Pariz ou Loudres.
aristocráticos
mais
A primeira classe é composta dos que diversos dos
Ha muitos immigrantes voluntários na Sibena, tanto no em trez classes.
Estabelecida em 1819.
M.
*°
Ar
ta
ft. XaL/Zt^ J
HEMINWAY & SONS
78 Rctulc & OO Church St», New York
Fabricantes
Seda* tle Coser
e Seda*
Fio de Seda da melhor qualidade,
de
Torcida»,
para
.,,,._„„
(JommiiMio ( ^^JZ^J^^;^
Selleiro*,
íii-uiuu-iv
gS&Efc^^
á,
<jf»N«t em
e Seda*
DA
JBk.W>£*Jb&& I»"E*L"E1SS Oo.
35, MURRAY STREET. NEW YORK, E. U.
.-...Am n
Chama b attenção do publico para os grande» melhoramento»
que Introduziram no» prelo», que «Impliflcaram muito a «un construcção e reduziram
y%
*T: o «eu
preço. Além do» prelos mencionado»
note nnnuncio fnbrlca.no» lambem outro»,
do» qun<-» nclinr-ic-ha umu tlescrlpção detalhada na Ciroulnr lllustmda que distrlbulmo» grnO» que »e acham representados _ nesta»
ti.itamente.
o» que »ão mal»
gravura» foram escolhidos p«ir serem
adaptado» t>» nccn»»idade» do publico e.n geral. O »eu
moaloo preç«i e »u«s ilnipllnltlado o» rt-commendnm nno
«6 a» typogrnpho como também aos negociantes, a»
Institulçõe» publica», a» a»»ooinçõc» particular.», a»
familia» o ao» IndlTltluo», como fonte de lucro, Instruo
ção ou divertimento.
Sendo negociante» de lotln a casta de material para
typogmphl.i*. Inclusive typo», tinta e pn|>el, podemos
»,.pprir aquelle» que o qulzorem ao» preço» mal» bolxo»
do merendo. Com cada prelo empacutamo», a podido,
nm «ortlmento de typo», tineta o outro material noceMarlo para operar o prelo com bom resultado. Quando a»»Ím no» f..r pedido, mnn.lareino» »¦ typo» com o»
acoent.i» portugi.oze».
0» prelo» exportados vão cnoalxolatlo»
culilfldo»amonto, com a» parte» exposta»no
7S perigo do enfcrn.ginar-»o Iwm coberta» de
JP «ebo, e fazomo» o que nos ftlr possível para
destino
que t>» prelo» chefrtiem a sou
^^W^^t*\.
•1^i-S^'Smm^M
mmmm^Tm^mmm]^MWw^
----—'A^JB Bfc-jH^Li '
piompto» para u»o linmedlato.
^m^^W^m\m^m^SwÊ^S^m^^mmmÊ^^^^^^
0 Prelo '.' Unitbd States."
No. 1, rama, 16 x 9J polg.; pe»o 267 Ib».
O Prelo "Young America.'
15 dollar»
pe»o. 221b».
No. 1, rama, 2| x 4 ihiI'».;
"
" 4 x 6 ' •¦ ••
"8,
45 " 20
"
"
"
"
"3,
35
110
6 x yj
No. 4, rema, 7 x 10 pul'»;.;
1 •• ••pe»o,
" 8 xlí
" 5,
"
"6,
9|xl4j
Chama-se attenção
especial
dos
Composição americana para rolos.
»er refundida muita» veie». Preço, 50 centaEsta compoilçfio conserva-se por annos em qualquer olima e pode
Ib.
vos por
APPARELHO PARA IMPRIMIR.
«neta e m..i» material para imprimir, temo» «empre
Para conveniência daquelle» que não tiverem typo»,
sortidos, que «ervem para qualquer do» prelo».
promptos quatro diverso» apparelhos
345
7(K)
" B0
f>0
90
No. 4, 11.00; No. 5, »'••». «°- •• *l-MAmlríeL."Ho 1 30 tssurni! No. 2, 50centavo»; No.3, 75 centavo»;
. prompta» par» .mbarcar.
encalxotado.
York.
New
em
Oi
prelo,
YmZ* pr%«.MSr.it.mo»)
dollars.
Consta de 4 Jogos de typo», gabinete de caixa»,
tlnctn preta, entrelinhas, regretasornamentaes.componedor, regretas de latão, tarja, galera, pinças,
maço, aplainador, bandulho e guarnição.
30 dollars.
No.
Consta de 8 Jogos tle typo», gabinete de caixa»,
tinotas preta e roxa, entrelinha», rejjreta» ornamentae», componedor, regreta» de latão, tarja, galera,
pinças, maço, aplainador, guarnição, eto,
No. 3.
WaM
—
Am\\V m
Consta de 12 jogos
tinotas preta, roxa,
trellnhas, e»cova de
e o mai» material do
M %jM mm^mjJMMMmtWmm
Con»ta de 20 jogoide typo», caixa» e e»tante para
ella», dou» componedore», trez galera», tinotas de
diversas core», bronze», colla de ouro, entrelinhas,
guarnição eto. em variedade maior ainda.
PAPEL
O Prelo
"Young Ameica."
60 dollars.
de typos, gabinete de caixa»azul e verde, cortador de en,
prova», bronze de ouro e prata
No. 2 em grande variedade.
100 dollars.
No.
80 dollar»
110
175
135 lb». 43 H.ollar»
"
000
200
320
15
No.
LISTA DE PREÇOS.
,
"
United States."
O Prelo
Bi 12
10 x 15
Bordar
de co-tu-ra.
garantido», e.p.oiafment. adaptada 4 Machina,
rffir'
""
para
n.7i-io dn siir>eri.>ri.l.i<le do» seus artigos sobre oi outro» expostos.
gsg&feff^g
A YOUNG AMERICA PRESS CO.
BUCCK880RA
Costura
Machina* de
AMERICANOS.
PRELOS
afe, ^-1'1.-..'
SILK CO.,
DE
IMPRIMIR E CARTÕES
EM BRANCO.
Temos sempre em ser pacotes de papel de Impri
mir. «le divena» e»pecie», a 10, 20 e 30 dollar» po
pacote. Pacote» lortldos de Cartões de annunclo
de endereço e de visita, tanto de phantasia oomo
ordinários, para se imprimirem, contendo oada
pacote 29 diverso» padrõe», a 5 e 10 dollar» por
lote.
Initrurçõea completa» accompanbam cada Prelo
e íortimentu.
A YOUNG AMERICA PRESS CO., 35, MURRAY ST., NEW YORK.
'NovoMundo," 47, rua Primeiro de Março, Rio de Janeiro.
Par. mal. Infonnaçõe. dirijam-., a Agencia do'

Documentos relacionados

1 - Digaai

1 - Digaai Km arregain »e da ezecuofio d'enoomtnendai para qualquer mercadoria, gênero ou artigo de fabrica iimerlonna, \ principalmente para indo ipianto ili/. resjieito a Instriiineiitos para a lavoura, ina...

Leia mais

junho de 1879.

junho de 1879. I.owell, Mhss., E. U. A. FAZENDAS, renda nas principaes drogariate pharmaclaanoDrazIl. OPFICINA8, A W. R. CASSELLS & CIA. ESTAÇÕES DB ESTRADAS DE FEKKO. Aventei geraes no Itrtt7.il

Leia mais