W18. DISCIPULADO Murilo Dantas

Сomentários

Transcrição

W18. DISCIPULADO Murilo Dantas
W18. DISCIPULADO
Murilo Dantas
DISCIPULADO
Murilo Dantas
APRESENTAÇÃO
Na perspectiva cristã sobre a experiência humana, há claramente um propósito definido
e pessoal em Deus ter criado o homem. A compreensão de como podemos desenvolver
nossas potencialidades depende da percepção que temos deste ato criativo de Deus.
O fundamento de nossa concepção acerca da criação está em Hebreus 11.3 (ARA):
“Pela fé entendemos que foi o universo formado pela palavra de Deus, de maneira que
o visível veio a existir das coisas que não aparecem”. Este verso, como todo o texto
bíblico, pressupõe o ser de Deus, nos fazendo crer que Ele é o ser eterno que antecede a toda a criação. Ele não se confunde com a matéria e ela não é sua extensão.
Além disso, este texto nos informa que nossa compreensão sobre a criação é dirigida
pela fé. Sem fé não podemos ter uma compreensão adequada de Deus e é pela fé que
entendemos que a criação foi um ato da vontade livre de Deus: não houve pressões
externas nem necessidades internas ou carências que o impulsionaram a criar.
Deus nos fez à sua imagem, que nos é então intrínseca. Ou seja, só há humanidade
com essa imagem e isso permite um relacionamento pessoal e consciente com Deus.
Desta forma, podemos afirmar que o ser humano é uma criatura criativa, não oriunda
de um processo evolutivo. A existência humana só foi possível pela vontade e pela
intenção divinas.
Assim, compreendemos que a existência humana é dependente de Deus. A própria ideia
de criação nega a independência. Deus desejou e trabalhou para a nossa existência. Isto
significa que não viveríamos sem Ele, já que tudo vem Dele. Não podemos dar para Ele
parte do nosso tempo ou dinheiro, por exemplo, pois tudo é Dele (1 Crônicas 29.14, 17)!
Diante desta revelação, discipular pessoas é conduzi-las à compreensão cristã de vida
plena condicionada à dependência de Deus num processo de crescimento espiritual.
O ponto de partida mais inicial reflete uma tentativa de vida completamente independente de Deus. Compreendemos este ponto como o nível do descompromisso para
com Deus, seja consciente ou inconsciente. Com isso, passando por alguns estados
gradativos e intermediários de compromisso, o objetivo do discipulado é que os
discípulos restaurem sua intimidade com Deus através de sua revelação por meio de
Cristo, num nível de profundo compromisso com Ele.
Todo processo de discipulado cristão precisa atuar na correção da distorção do senso
de independência para a total dependência de Deus. Ser cristão, portanto, implica em
romper com o destino de alienação e morte para com Deus, promovido pelo pecado.
A vida proveniente disso encaminhará o cristão a conduzir outras pessoas de um estado de total descompromisso com Deus numa tentativa desenfreada e inútil de vida
independente, para um compromisso de intimidade, refletindo a intenção original de
Deus ao criar o ser humano.
3
DISCIPULADO
1. IMPORTÂNCIA E APLICAÇÃO DO DISCIPULADO
Cremos que o discipulado é mais do que obtenção de conhecimento, do que um modelo de inspiração, ou de uma busca por mais santidade. Na verdade, para nós cristãos, o discipulado é um lindo e natural relacionamento de amor com nosso Deus.
O relacionamento com Deus tem como fundamento a sua Palavra. É preciso ensinar
através dos princípios bíblicos as pessoas a se tornarem discípulas de Cristo. Cremos
como Josué Campanhã que “discípulos sem ensino se tornam crentes raquíticos; crentes que não são discípulos se tornam membros ativistas; discípulos com ensino bíblico
transformam o mundo!” (CAMPANHÃ, 2012).
O discipulado foca na formação espiritual de pessoas. São oportunidades e estímulos para promover o crescimento que só Cristo pode dar. Isso é crucial para a vida do
cristão. Esse crescimento exige uma mudança de perspectiva e, muitas vezes, que
abramos mão de coisas não prioritárias na vida, do ponto de vista espiritual. Citando a
obra chamada Discipulado do Dietrich Bonhoeffer, Dallas Willard aborda essa necessidade ou “preço a ser pago”, mas enfatiza que “o preço da falta de discipulado é muito
mais alto que o preço pago para andar com Jesus e aprender com ele constantemente” (WILLARD, 2008).
Assim, o objetivo do discipulado é que ele aperfeiçoe a todos em sua integralidade
formando o caráter do discípulo; desenvolvendo uma espiritualidade cristocêntrica
que privilegia o servir; dando conhecimento bíblico e teológico essencial; e moldando
a liderança através da prática. É ajudar as pessoas a se tornarem parecidos com Jesus
levando-as a desenvolverem um estilo de vida ao mesmo tempo dinâmico e dependente de Deus, tendo como produto final pessoas criativas e satisfeitas ao se relacionar com Deus e depender Dele como fonte de vida. Tal discipulado deve acontecer
em três eixos de formação espiritual: pessoal, através de Cristo agindo na pessoa e
gerando experiências espirituais no desenvolvimento de um caráter elevado; educacional, através do ensino de conteúdos relevantes à fé cristã; e relacional, através da
interação e do relacionamento com outras pessoas para a edificação mútua e capacitação ao exercício do ministério.
EIXO PESSOAL
Algo que é fundamental para um líder é o seu caráter. O caráter molda os pensamentos, as motivações e as atitudes das pessoas. A definição do processo de formação
espiritual precisa contemplar instrumentos que confrontem o futuro líder nas áreas
mais obscuras de seu caráter. O líder precisa ser conduzido num processo de autodescoberta, onde possa comparar e corrigir pensamentos, motivações e atitudes através
do modelo de Cristo.
4
DISCIPULADO
Esse processo deve contemplar a integralidade da pessoa. Envolve a sua sexualidade, integridade moral, palavra, autenticidade, suas compulsões, seus relacionamentos
pessoais, sua identidade, seu relacionamento com o dinheiro, sua temperança e seu
domínio próprio, confrontando algumas características negativas como o orgulho, o
desânimo, a procrastinação e a preguiça.
Nesse processo de formação é preciso identificar e desenvolver algumas características de um líder, através do modelo de Cristo. Segundo Paes (2012), um bom líder é:
1. Trabalhador: enfatiza o serviço.
2. Aprendiz: está sempre disposto a mudar estratégias, desenvolver-se e ter
novas ideias.
3. Corajoso: aceita desafios maiores inerentes a um movimento saudável que
cresce.
4. Agregador: entende a importância da equipe e paga o preço pelo trabalho
em conjunto, percebendo que em equipe se vai mais longe.
5. Consciente de suas fraquezas espirituais: tem claro para si qual é a sua
maior luta.
6. Disponível para uma causa: luta por algo maior que ele mesmo.
7. Conhecedor da renúncia: segue o exemplo dos discípulos quando foram convidados por Jesus.
Finalmente, para atingir o objetivo de formar adequadamente o caráter do futuro líder,
podem-se usar instrumentos de ensino com conteúdos específicos tratando desses
assuntos. Além disso, podem ser usadas ministrações específicas gerando oportunidades de crescimento da fé, oportunidades de confrontação individual com um mentor
ou discipulador; e ocasiões de interação com pessoas que já superaram suas deficiências em seu caráter e com pessoas que estão no início do processo, para que ocorra o
estímulo aos outros.
EIXO EDUCACIONAL
Ao decidir ser discípulo de Jesus, a pessoa traz consigo uma história de vida. Algumas
pessoas tiveram um envolvimento com a religiosidade, com pecados escravizadores
ou até com demônios. Outras se envolveram ilicitamente com outras pessoas através
da sexualidade promíscua, alianças comerciais ilegais, conchavos políticos etc. Além
disso, há aquelas pessoas que tiveram um ensino antibíblico ou anticristão.
A formação espiritual do discípulo deve contemplar instrumentos de ensino que abordem o ensino bíblico readequando sua formação espiritual. Assim como na formação
do caráter, é preciso oferecer oportunidades de ministrações em diferentes níveis e o
5
DISCIPULADO
acompanhamento através de seu discipulador. Além disso, é preciso ter instrumentos
que permitam a formação espiritual mútua através da interação com outras pessoas.
A aplicação desses instrumentos para formação espiritual pode ser variada. Retiros
espirituais específicos são excelentes ferramentas para o ensino de maneira mais dinâmica, fortalecendo os conceitos aplicados através de uma programação bem planejada e focada. Outra maneira de aplicar tais instrumentos são os programas de apoio,
onde o discípulo pode ser confrontado e ter um espaço para expor suas lutas e seu
dia-a-dia. Além disso, é possível fazer uso dos Grupos de Discipulado Pessoal (GDP),
que abrem espaço para o discipulado um a um, para o ensino-aprendizagem num nível mais pessoal e para a confrontação e prestação de contas. O discipulado um a um
é uma ferramenta muito eficiente, pois fomenta essa formação no individual e abre
espaço para o desenvolvimento de uma espiritualidade autêntica.
O processo de formação de um discípulo precisa oferecer oportunidades de ensino
bíblico e teológico em diferentes níveis. Desde os primeiros dias na comunidade, o discípulo deve receber um ensino bíblico e sistemático de maneira progressiva. Segundo
Warren (2008), “os cristãos irão crescer mais rápido se você lhes designar uma trilha a
ser por eles percorrida”.
Tal ensino deve conter níveis de aprofundamento adequados a cada estágio do desenvolvimento do discípulo. Precisa contemplar as demandas e as diferenças das faixas-etárias. Quanto ao conteúdo, deve abordar o estudo bíblico sistemático, contemplando as doutrinas da fé cristã, o estudo bíblico panorâmico (por exemplo, na análise de
um livro bíblico ou até mesmo do Antigo ou do Novo Testamento) e o estudo temático específico de acordo com sua relevância e importância.
Além do estudo bíblico, a formação teológica sólida deve fazer parte dessa formação
de discípulos abordando a história da igreja; as técnicas de interpretação da bíblia; as
diferentes teologias, e o treinamento para a reflexão teológica e a prática do ministério.
Este eixo de formação está organizado na prática no que denominamos de Circuito Vida
(CV). Este circuito de ações demarca o avanço das pessoas nos Estados de Compromisso com Deus do cristão e está apresentado em mais detalhes no capítulo a seguir.
EIXO RELACIONAL
O desenvolvimento do discípulo neste eixo se dá principalmente através da célula. A
célula é um grupo de até 10 pessoas que decidem caminhar juntas na fé cristã. São
pessoas que edificam-se mutuamente através de um relacionamento saudável e inspirador, vivendo os cinco propósitos bíblicos como estilo de vida.
Além do contexto da célula, como igreja, o nosso alvo central é o discipulado um a
um. Cremos que discipular é fazer uma transferência da vida de Jesus para alguém e o
discipulador é um instrumento de transferência. O discípulo aprende vendo, ouvindo,
6
DISCIPULADO
perguntando e praticando. O discipulador ensina em todo o tempo, em todo o lugar,
com a vida e com a Palavra de Deus.
A essência do discipulado de Jesus entre os seus discípulos foi uma profunda e completa ministração na vida deles, através de relacionamento, vivência e exemplo. Seguindo o Seu exemplo, queremos proporcionar a vivência dessa experiência entre nós,
debaixo da estrita condução do Espirito Santo de Deus para cada passo.
Na prática, isso acontece em nossa igreja através do Discipulado Pessoal (DP). Todas
as pessoas são estimuladas a serem discípulos e a terem discípulos. Essa ação começa
no membro e no líder de célula sendo estimulados a terem, pelo menos, três discípulos cada um no contexto da própria célula, inclusive inserindo pessoas novas no grupo, fazendo-o crescer. Além disso, essa relação do DP está aplicada na própria estrutura celular em rede. Por exemplo: um líder de célula é naturalmente discípulo de seu
coordenador e é o discipulador de membros de sua célula. Isso está organizado em
toda a rede de célula de modo que todos discipulem e sejam discipulados. O conjunto
de discípulos de alguém neste contexto é o que chamamos de Grupo de Discipulado
Pessoal ou GDP.
Por meio do GDP, promovemos o cuidado pastoral pessoal e intencional, um a um.
Nele, um discípulo é apoiado por um discipulador, que, por sua vez também é acompanhado por outra pessoa. Toda essa ação visa o desenvolvimento natural e sustentável de novos discípulos, conforme Lucas 6.40: “O discípulo não está acima do seu
mestre, mas todo aquele que for bem preparado será como o seu mestre”.
Assim, tanto como discipuladores quanto como discípulos, continuaremos sempre
aprendizes do Mestre Jesus, servos uns dos outros na igreja e missionários na sociedade. Estaremos sempre focados a ter um coração cheio de amor a Deus. Cada um
fazendo sua parte e crescendo em tudo, fortaleceremos nossa rede de células e nos
tornaremos uma grande igreja, que independentemente do número crescente de
membros, será uma igreja saudável em que todos crescem, cuidam e são cuidados!
2.DISCÍPULOS E DISCIPULADORES
Nesta estrutura de discipulado um a um baseado no contexto da rede de células,
tanto os discípulos, quanto os discipuladores possuem características que enfatizam
cada condição. A seguir, apresentamos características esperadas nos discípulos e nos
discipuladores de nossa igreja.
7
DISCIPULADO
CARACTERÍSTICAS DO DISCÍPULO
1. Aceitou a Jesus e foi batizado.
2. Está empenhado em conhecer Jesus por meio da leitura da Palavra de Deus
todos os dias.
3. Ora diariamente ao Senhor Jesus.
4. Busca conhecer o Espírito Santo de Deus e tornar-se seu amigo.
5. Participa ativamente das celebrações da igreja, pelo menos uma por semana,
ouvindo de Deus e, também, retribuindo seu amor com entrega e devoção.
6. Participa ativamente do Circuito Vida, cumprindo as etapas e experiências de
crescimento espiritual.
7. Procura participar das campanhas da igreja, lendo os devocionais e praticando
em unidade com ela as disciplinas espirituais do voto e do jejum.
8. Participa de uma célula de nossa igreja.
9. Recebe a indicação de quem será seu discipulador e inicia um relacionamento
de amizade, vida na vida, com ele.
10.Busca conhecer seu discipulador, ouvi-lo e compreender o que Deus está dizendo por meio da vida dele.
11. Pergunta sempre que tem dúvidas sobre a fé ou sobre algum assunto relacionado à igreja e à vida com Jesus.
12. Procura intencionalmente estar com seu discipulador com regularidade, acompanhando-o em atividades quando for possível e marcando momentos em que
possam orar e conversar.
13.Procura prestar contas de seu viver, buscando ajuda para ouvir a voz de Deus,
entender Sua vontade e cumpri-la.
14.Caso encontre em seu discipulador alguma discordância de conduta ou orientação com o que está na Palavra de Deus, busca falar com o supervisor ou coordenador dele e, se não for possível, com um dos pastores da igreja.
15.Busca ser fiel mordomo das finanças, sendo fiel dizimista e generoso ofertante
na casa de Deus.
8
DISCIPULADO
CARACTERÍSTICAS DO DISCIPULADOR
1. Decide crescer em seu relacionamento com Jesus com empenho.
2. É um líder comprometido com a visão e a missão da igreja.
3. É um discípulo fiel, dizimista, ofertante e primiciador na casa do Senhor.
4. É um exemplo de vida cristã, vivendo como Jesus viveria em todas as
circunstâncias.
5. Continuamente está crescendo em seu relacionamento de amizade e apoio com
seu discípulo.
6. Pratica as disciplinas espirituais e se inclui nos movimentos espirituais que o Senhor traz para a igreja, como campanhas, jejuns e leituras em unidade.
7. Recebe seus discípulos e procura conhecê-los, desenvolvendo um relacionamento de amizade, apoio e crescimento. Aponta sempre para Jesus, para a Sua vida e
Seu modo de viver, orientando o discípulo a sempre agir desta forma, corrigindo-o
em amor, quando necessário.
8. Fornece apoio para o crescimento espiritual de seu discípulo, indicando ferramentas e conduzindo-o por meio do Circuito Vida.
9. Fornece os meios para que o discípulo o encontre sempre que precisar de orientação e oração.
10.Busca a ajuda de seu discipulador ou líder imediato na rede de células para situações que fogem à sua alçada.
11. Está disponível para orientar e apontar para Jesus no que diz respeito ao viver
de seu discípulo, mas não o controla, não abusa de sua autoridade, muito menos
ordena ou exige. O discipulador explica, ensina e aponta para Jesus.
12. Está atento para não causar aparência do mal em nenhuma situação, nem um
mau testemunho público.
13.Ouve a Deus com extremo zelo e perseverança, a fim de orientar sempre de
acordo com o que Deus diz e não de acordo com seu próprio entendimento.
14.Inclui o discípulo em atividades de crescimento espiritual e em liderança junto
consigo.
15.Está atento a sinais de dificuldades ou problemas na vida do discípulo e procura
ajudar com graça, sabedoria e perseverança.
16.Está sempre pronto para servir, com “sua toalha e sua bacia”.
17. Entendeu a orientação bíblica dada pela igreja sobre paternidade espiritual.
18. Está sempre atento a ter sua vida financeira em dia diante de Deus e da sociedade.
9
DISCIPULADO
PRINCÍPIOS DO GDP
A ação do discipulador com seu GDP está sintetizada em quatro grandes princípios,
presentes inclusive no seu logotipo. São elas: cobertura espiritual, encorajamento,
prestação de contas e ministério.
Logo do Grupo de Discipulado Pessoal.
1. Cobertura espiritual: a proteção acontece física, emocional e espiritualmente. Um
discipulador precisa prezar por seu discípulo, antevendo situações perigosas e cercando-o de cuidado e proteção.
2. Encorajamento: precisa haver, da parte do discipulador, esforço para ajudar o discípulo a manter o curso e viver tudo o que Jesus ensina nas diferentes atividades que
envolvem o discípulo sejam em ambientes relacionais, profissionais ou ministeriais.
3. Prestação de contas: entendendo que, como o discípulo terá um nível alto de cuidado, acompanhamento e suporte, este precisará ser o mais sincero e transparente possível, a ponto de confessar seus pecados e pedir ajuda nas tentações, para evitar recaídas.
4. Ministério: um discipulador sempre precisa ter em mente que ele serve a seu discípulo. Ele precisa assim proteger seu coração dos abusos de liderança e evitar que o
discípulo tenha obrigação de prestar um serviço além do que o Espírito Santo direcionar. Assim, o discipulador também dá ao discípulo o exemplo de como proceder com
seus futuros discípulos.
10
DISCIPULADO
3.ESTADOS DE COMPROMISSO COM DEUS
Após compreendermos a importância do discipulado na vida de um cristão e como se
dá a relação entre discipuladores e discípulos no contexto da célula e do GDP, é preciso expor aquilo que entendemos biblicamente como os Estados de Compromisso
com Deus, alcançados através de passos gradativos no processo do discipulado. Cada
estado reflete a condição atual da pessoa em relação a Deus, à igreja e à fé cristã.
Portanto, o objetivo do processo de discipulado é conduzir pessoas de uma condição
de total descompromisso com Deus, para o estado de maior compromisso com Deus,
que é se relacionar com Ele em intimidade. O processo está ilustrado pela Figura 1. Ele
tem o formato de círculos concêntricos imersos na condição de descompromisso para
denotar a ideia de que viver em intimidade deve ser o objetivo de nossa caminhada
de fé, refletindo o centro da vontade de Deus em abandonarmos as trevas e caminharmos em direção à plenitude da verdade. As ferramentas para a execução deste
processo estão contidas no Circuito Vida, apresentado no Capítulo 6.
Figura 1: Estados de Compromisso com Deus.
Conforme abordamos no início do capítulo, a tentativa insana de viver independente
de Deus reflete a realidade vivida por grande parte da sociedade hoje, numa condição
de total descompromisso bíblico com Deus. Tal condição abrange desde pessoas desacreditadas em Deus, pessoas que acreditam em outras “divindades” e ainda pessoas
que possuem uma perspectiva completamente diferente do Deus crido através dos
princípios bíblicos e professado pela fé cristã evangélica.
11
DISCIPULADO
Portanto, consciente ou inconscientemente, há nesta condição uma falta de percepção, seja pelo entendimento e ou pela experiência, acerca da ação e do relacionamento com Deus através do Espírito Santo. Entretanto, como igreja, queremos ser um
povo que é comprometido com Deus até as últimas consequências. Esse compromisso abrange aquilo que Deus ama: sua Igreja e as pessoas.
Assim, nosso papel como igreja é ajudar as pessoas a se relacionarem com Deus num
nível profundo de intimidade com Ele. Em nossa percepção bíblica, esse processo
pode ser organizado em cinco estados de compromisso. Veja a seguir (as ferramentas
oferecidas pelo Circuito Vida em cada estado serão apresentadas no Capítulo 6).
PRIMEIRO ESTADO DE COMPROMISSO COM DEUS: ENCONTRO
Este círculo refere-se a todas as pessoas que, embora estejam em nossa cidade e
circunvizinhança, não estão em uma igreja, nem tomaram nenhum posicionamento espiritual positivo a respeito do Deus que cremos descrito na Bíblia. Mesmo assim, elas
já são alvo de nossas orações e estratégias evangelísticas.
Por causa da presença de Deus e de seu povo é possível que tais pessoas venham
a começar um compromisso, que nasce no conhecimento e no relacionamento com
Deus. Assim, um encontro com Deus acontece e elas vão se deparar com um Deus de
amor que se importa com elas. Sua visão de mundo muda e elas passam para uma
realidade espiritual de vida e de esperança.
Características deste estado:
1.Público-alvo: pessoas sem compromisso declarado com o Deus que cremos revelado plenamente em Cristo.
2.Objetivo: falar do amor de Jesus e fazer a igreja conhecida, como um lugar de fé,
esperança e amor.
3.Estratégias: atingir pessoas sem compromisso, mas que estão ansiando por libertação, cura, paz e conhecimento de Deus, mesmo sem querer estar numa igreja. É preciso apresentar um caminho para que o encontro com Deus aconteça genuinamente. O
propósito mais evidente neste estado é o de Missões.
SEGUNDO ESTADO DE COMPROMISSO COM DEUS: CONVIVÊNCIA
Este nível é formado por pessoas que tomaram alguma decisão por Cristo, foram
impactadas pelo convencimento do Espírito Santo e passaram a ser chamadas de
filhos de Deus. Entretanto, tais pessoas ainda não têm um compromisso com a igreja
local. Elas recebem a essência da família de Cristo, mas apenas frequentam as celebra-
12
DISCIPULADO
ções ou as células. Em geral, participam na adoração, nos louvores e nas intercessões.
Estão interessadas pela paz e pela alegria que experimentamos nos ambientes de
celebração. Também percebem a igreja como um novo lugar para se estar e a cada dia
vão se vendo mais apaixonadas por ela, embora ainda apresente resistências e ressalvas para com um maior envolvimento.
Características deste estado:
1.Público-alvo: pessoas ainda sem compromisso com a Igreja.
2.Objetivo: revelar a importância em ser Igreja de Cristo e como ela é relevante para
cada pessoa.
3.Estratégia: trabalhar para que esta pessoa perceba na igreja um ambiente de cuidado. Para que um convívio passe a acontecer a fim de que ela cresça e se fortaleça,
precisamos considerar os interesses e as necessidades, a fim de que a pessoa seja levada a ligar-se à igreja local. O propósito mais evidente neste estado é o de Adoração.
TERCEIRO ESTADO DE COMPROMISSO COM DEUS: RELACIONAMENTO
Este estágio abrange as pessoas que decidiram ou estão por decidir a se tornar membros da igreja local. Tais pessoas entenderam que esta é a igreja que Deus tem para
elas, se adequaram à visão, ao estilo e ao jeito de ser da igreja, mas ainda não firmaram um compromisso maior de estar em célula ou servir em algum ministério.
Características deste estado:
1.Público-alvo: membros que precisam fortalecer seu compromisso com a igreja local.
2.Objetivo: trazer para o coração desta pessoa que, uma vez que ela faz parte desta
família espiritual, é necessário que ela se permita ser cuidada. Além disso, é importante ressaltar a importância dela quanto a servir e a atuar com seus dons e talentos na
edificação do corpo de Cristo.
3.Estratégia: instruir a pessoa a desenvolver seu papel dentro da igreja e tomar uma
decisão de começar a crescer e ser cuidada. O propósito mais evidente neste estado é
o de Comunhão.
QUARTO ESTADO DE COMPROMISSO COM DEUS: DOAÇÃO
Neste círculo temos pessoas que acabaram por decidir tanto estar em células, quanto
servir em ministérios. Saíram das “arquibancadas” e decidiram “jogar”. Seu compromisso agora está totalmente alinhado com a visão da igreja local e passam do estágio
de membro para discípulo. Há uma demonstração do desejo e do chamado para cuidar de outros, podendo se tornar um líder de ministérios e/ou de células.
13
DISCIPULADO
Características deste estado:
1.Público-alvo: membros que estão se tornando discípulos.
2.Objetivo: que cada membro saiba seu papel no corpo através de cuidado e direcionamentos, preparando-se servir e para cuidar de outros.
3.Estratégia: um cuidado intensivo, específico para solidificar sua identidade em Cristo e sua função no Reino. O propósito mais evidente neste estado é o de Ministério.
QUINTO ESTADO DE COMPROMISSO COM DEUS: INTIMIDADE
Chegamos ao núcleo dos círculos concêntricos. Neste estado perceberemos não só
o grau máximo de compromisso com Deus e com a Igreja, mas também a essência
amplamente entendida da presença do Espírito Santo de Deus. Neste nível, o discípulo
caminha de forma natural para uma profundidade espiritual, chegando cada vez mais
a níveis mais sólidos de maturidade espiritual. Agora ele é discipulado bem de perto e
já tem um grupo de discípulos dos quais cuida.
Características deste estado:
1.Público-alvo: cristãos vivendo o estilo de vida como discípulo.
2.Objetivo: cada membro sendo discipulado, se tornando um discipulador e vivendo com uma linda e profunda intimidade com o Senhor a ponto de poder caminhar
segundo a vontade de Deus.
3.Estratégias: apoiar e potencializar a prática de um caminhar natural de discípulos
maduros com Deus por si só. O propósito mais evidente neste estado é o de Discipulado.
O discipulado é uma caminhada. Em cada etapa conhecemos, recebemos, vencemos
obstáculos e nos tornamos capazes de ajudar a outros a percorrer o mesmo caminho.
Esse percurso nos traz, de maneira muito preciosa, o que precisamos para a próxima
etapa, de modo que a maturidade nos transforma para melhor. A sabedoria da parte de Deus vai se transformando em companheira para cada momento. Deus, na sua
bondade, preparou tudo para que pudéssemos trilhar esse caminho, em nossa igreja,
com suporte. Assim vamos trabalhar para que todos aos quais tivermos acesso o façam e desfrutem de todos esses presentes do Pai para nós.
14
DISCIPULADO
4.INTRODUÇÃO AO CIRCUITO VIDA
O Circuito Vida (CV) é um conjunto de ações propostas como ferramentas para a
igreja com o intuito de motivar o crescimento espiritual às pessoas. Tais ações fornecem a estrutura de ensino e ministração necessária para o desenvolvimento e a
maturidade cristã. Assim, o CV contribui na formação dos discípulos ao longo de sua
caminhada com Cristo, conduzindo-os para serem discipuladores, líderes de célula e
de ministérios, cumprindo cada um saudavelmente seu chamado ministerial.
Portanto, o CV se propõe a oferecer ensino bíblico e ferramentas para a transformação de vidas, de maneira criativa, contextualizada e eficaz. Cremos que os elementos
do CV promovem uma vida integral e saudável formando uma espiritualidade sadia.
Por isso, a expressão “Vida”, pois o objetivo final é que todos tenham vida plena e
abundante. Além disso, acreditamos que aqueles que percorrerem o caminho de alcançar uma vida de intimidade com Deus através do Espírito Santo, continuarão crescendo nesta intimidade ao conduzir pessoas pelo mesmo percurso, além de revisitar
pessoal e eventualmente este caminho. Por isso, a expressão “Circuito”.
Assim, cada pessoa de nossa comunidade é estimulada a cumprir o CV para: ser ministrada conforme a visão de nossa igreja; aprender mais sobre o chamado de Deus em
nossa comunidade; avançar desde o estado de completo descompromisso com Deus
até o estado de compromisso de intimidade com Deus; conhecer mais sobre a Bíblia e a
fé cristã; servir melhor em sua atuação pastoral ou ministerial; e conduzir pessoas pelo
mesmo caminho de crescimento. Para um líder de célula, estar nesse caminho é fundamental, pois o CV pode ser muito útil no acompanhamento de seus discípulos.
Como abordado no capítulo anterior, os conteúdos para a formação espiritual de discípulos são fundamentais em seu processo de discipulado. Tal processo se inicia para uma
pessoa com sua decisão em ser cristão. O novo cristão é tido biblicamente como um
filho recém-nascido que inspira cuidados para seu crescimento. A orientação divina a Israel foi muito enfática na formação dos filhos: “Estas palavras, que hoje te ordeno, estarão no teu coração e tu as inculcarás a teus filhos e dela falarás assentado em tua casa,
e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te” Deuteronômio 6.6, 7 (ARA).
Decidir se tornar cristão implica numa nova vida para quem o faz. A igreja local tem
um papel fundamental no cuidado dos que passaram pelo novo nascimento. Ela precisa investir no crescimento das pessoas através do ensino. De certo modo, a igreja
local está reeducando um povo. Segundo Lawrence Richards (1983), a “comunidade
cristã torna-se um todo dinâmico, transformador, ajudador e educador mútuo”. A
igreja deve, portanto, extrapolar o conceito tradicional de educação, onde o objetivo
é apenas a transferência de informações entre o mestre e o aluno. Todo processo de
formação espiritual precisa incluir conteúdos atitudinais, conceituais, factuais e procedimentais em todas as formas de ensinar (RICHARDS, 1983).
15
DISCIPULADO
A formação espiritual numa igreja saudável que cresce passa inexoravelmente por um
processo de discipulado abrangente. Esse discipulado é a base para a difusão da visão
da igreja, pois ao discipular corretamente um novo decidido ele vai reproduzir com
eficiência esta visão e se tornar apto a expandi-la.
Antes de passar qualquer informação sobre cursos, retiros ou programas, o discipulador deve sempre verificar em qual situação a pessoa está na igreja e qual a sua necessidade imediata. Ela é um novo decidido? Já é membro? Está numa célula? Em qual
estado de compromisso ela se encontra? Além disso, é importante considerar o perfil
da pessoa: sua idade e sua agenda no momento. Quanto mais considerar essas questões, mais assertiva será a ação do discipulador.
É vital que não se tenha pressa no discipulado. Como discipulador é importante apresentar as possibilidades para o discípulo. Mas também é fundamental que o ensine
o valor da disciplina, da perseverança e da paciência. Em geral somos movidos pela
ação. Isso muitas vezes atrapalha o agir de Deus em nós através da solitude e dos processos gradativos. Em qualquer momento é importante sempre falar da célula, que é
o local mais apropriado para ela receber cuidado e orientação em sua caminhada de
relacionamento com Cristo.
Além disso, é preciso evitar o uso de siglas. Pessoas novas na Igreja não conhecem
sua dinâmica e nem a sua linguagem. Não se pode focar no que ela não fez ou em
quanto tempo ela está sem participar de algo. É preciso ser positivo: valorizar a decisão de hoje e o que ela pode aproveitar de agora em diante. É ter sensibilidade ao que
o Espírito Santo está fazendo na vida dela.
Um bom discipulador ou líder jamais deve estimular que a pessoa pule etapas. Tudo
tem seu tempo e seu pré-requisito. Em seu ritmo, o discípulo participará de tudo e
dará muitos frutos. Os pré-requisitos não são impedimentos, mas direcionamentos
dados pela liderança de nossa igreja para que ele se desenvolva da maneira mais saudável e protegida possível. Tudo o que nossa liderança planeja e desenvolve tem por
objetivo disponibilizar o melhor de Deus para a vida de todos que frequentam nossa
igreja. Tudo é feito com muito amor, carinho e cuidado.
5.ESTRUTURA DE APOIO AO DISCIPULADO
Todo o processo de discipulado precisa de uma estrutura de apoio. Promover cursos,
retiros e ministrações específicas requerem o devido planejamento e espaço físico.
A seguir, apresentamos aquilo que Deus foi nos concedendo de modo especial para
viabilizar a visão.
16
DISCIPULADO
ACAMPIB
O Acampamento da PIB ou Acampib é um ambiente natural, familiar e ungido especificamente para nossas ministrações. Ele atualmente possui: um auditório para 300
pessoas totalmente equipado com som e multimídia; uma piscina de médio porte;
uma sauna; um campo de futebol; refeitório para 200 pessoas; cozinha industrial;
churrasqueira; estacionamento e dormitório para 120 pessoas. Além disso, possui um
rio que passa dentro da propriedade permitindo algumas atividades. Sua agenda é
distribuída prioritariamente para os retiros ao longo do ano, servindo também a confraternizações e encontros de grupos específicos.
EDITORA INSPIRE E INSPIRE BOOKSTORE
O Ministério Propósitos Brasil, desde 2001 vem realizando treinamentos e editando
recursos dentro da perspectiva do movimento de vida e igreja com propósitos. Com
isso, sabemos que este ministério tem inspirado milhares de líderes e igrejas em todo
o nosso país.
A nossa Editora Inspire surge a partir deste contexto inspirando a membresia, líderes,
pastores e igrejas locais para viver uma vida equilibrada e saudável. Isso só é possível
pelo fato de a editora estar no contexto e na vivência de uma igreja local muito bem
sucedida em sua missão e um ministério interdenominacional estratégico e visionário.
Nossa meta é fazer uma conexão entre a realidade de uma igreja local e as necessidades da liderança e da membresia de outras igrejas, através dos recursos disponibilizados em sua rede de livrarias (EDITORA, 2015).
COLÉGIO INSPIRE
O Colégio Inspire é uma importante porta de comunicação com a sociedade. Através
dele podemos apresentar o Evangelho já através do seu Projeto Político-Pedagógico
fundamentado na Educação por Princípios Bíblicos. Seus objetivos são: (i) oferecer
formação acadêmica baseada na Educação por Princípios Bíblicos, promovendo o
desenvolvimento cognitivo, emocional, físico, social e espiritual; (ii) proporcionar formação ética e desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico; (iii)
prestar serviços educacionais à comunidade, preparando os educandos para o exercício da cidadania e para o papel que desempenham na sociedade; (iv) proporcionar ao
educando a formação necessária ao desenvolvimento de suas potencialidades, com
vistas à autorrealização e ao prosseguimento nos estudos; e (v) propiciar um ambiente educacional que possibilite o relacionamento cooperativo baseado no respeito
mútuo e na participação criadora (COLÉGIO, 2015).
Além disso, o Colégio expõe a mensagem redentora através de sua excelência na gestão, na condução de suas ações e na infraestrutura disponibilizada. Esta infraestrutura é
17
DISCIPULADO
composta por 4000m2 de área construída; amplas e modernas salas de aula equipadas
com multimídia, lousa digital e ar-condicionado; laboratório de informática; laboratório
de ciências; refeitório para 100 pessoas e complexo poliesportivo com campos e diversas quadras. Todo esse aparelho está disponível para cursos e ações de ensino.
ÁREAS DA IGREJA
A viabilização do Circuito Vida acontece também em função do envolvimento de outros setores da igreja, como:
1.Compras: efetua todo o processo de aquisição de materiais em praticamente
todas as ações.
2.TI: fornece suporte computacional de computadores, impressoras, sistemas e
rede com acesso à Internet.
3.Infraestrutura: age na manutenção e produção de materiais físicos requeridos em aulas e ministrações específicas.
4.Financeiro: viabiliza a organização dos recursos através de sua gestão, além
de recebimentos e pagamentos.
5.Editora: finaliza a produção de livros e apostilas.
6.Livrarias: atua na divulgação e venda de livros e apostilas.
7.RH: conduz a gestão de pessoas contratadas para agir diretamente em ações
relacionadas ao CV, como no IPE, na recepção dos retiros etc.
8.Jurídico: auxilia principalmente na documentação de contratos e dá suporte
à gestão da igreja e suas empresas, como o Colégio, o IPE, a Editora etc.
9.Produtora: colabora na produção e edição de vídeos.
10.House: viabiliza as artes gráficas para divulgação.
11. Multimídia e Som: prepara equipamentos para uso em aulas e ministrações.
SISTEMAS COMPUTACIONAIS
Nas diferentes ações do discipulado, a estrutura computacional é fundamental. Destacamos aqui a estrutura computacional: computadores, rede e impressoras; sistemas
de gestão escolar e acadêmica; aplicativos de escritório, como o Microsoft Office e o
Google Docs. Para tornar o processo mais abrangente e assertivo, é necessário investir em sistemas computacionais que contribuam para a produtividade dos gestores,
colaboradores e voluntários.
18
DISCIPULADO
GESTÃO, PRODUÇÃO E VOLUNTÁRIOS
Toda a ação do Discipulado, inclusive no Circuito Vida demanda a formação de equipes de trabalho. É preciso ter pessoas envolvidas na gestão das ações atuando na
coordenação de cursos, na organização de turmas, na documentação e no direcionamento dos colaboradores e voluntários.
Também é fundamental o desenvolvimento de textos e materiais de apoio para que
todo o processo se desenvolva. A criação de livros e apostilas com bom conteúdo e
correção doutrinária é um trabalho árduo e que exige pessoas dotadas de boa formação teológica com apurada capacidade de escrita e construção de textos. Tais pessoas podem viabilizar a criação com o encaminhamento para a Editora Inspire que atua
na finalização dos materiais.
Além disso, é possível formar um bom grupo com alguns funcionários chaves com
formação específica e um grupo motivado de voluntários interessados que acreditam
na visão da igreja. Essas pessoas são fundamentais no processo, pois se dispõem a
colocar seus dons e habilidades de ensino a favor da educação do povo de Deus.
Uma das ações da Base de Discipulado neste sentido é o de revitalizar o chamado ministerial dos mestres da igreja. Entendemos que eles são essenciais para o desenvolvimento estruturado da igreja local protegendo-a das heresias, como ensino relevante e
de alta qualidade teológica e técnica.
6.ORGANIZAÇÃO DO CIRCUITO VIDA
Todas as ferramentas disponibilizadas no CV estão organizadas em função dos Estados de Compromisso com Deus apresentados no capítulo 3. Essas ferramentas abrangem diferentes metodologias de aplicação de conteúdo, considerando processos
variados no processo de ensino-aprendizagem. Além do formato de aulas e treinamentos, temos a abordagem dos retiros.
Os retiros espirituais são um instrumento maravilhoso dado pelo Senhor para o cuidado, cura, libertação e maturidade de nossa comunidade local. Eles foram desenvolvidos de forma natural ao longo do tempo, tiveram o apoio de nossa liderança e a
aceitação dos membros e frequentadores. Eles acontecem em sua maioria no acampamento da igreja chamado Acampib, apresentado acima.
Nossos retiros proporcionam uma pausa necessária para dedicar tempo a Deus, à sua
Palavra e ao crescimento no relacionamento com Ele. Eles são uma oportunidade de
ensino intensivo, sempre ligado à prática da vida cristã, levando a um entendimento
claro do que Deus espera de cada um de nós e a oportunidade imediata de praticar o
que Ele pede.
19
DISCIPULADO
Nos retiros trazemos foco aos assuntos, criando ambiente temático e ministrações
relevantes; proporcionamos que a pessoa seja separada da agitação de sua rotina e
das atividades estressantes do seu cotidiano; aplicamos uma metodologia de ensino
voltada à vivência; e fornecemos acompanhamento direto da equipe.
Todos os retiros e cursos são ministrados pelos pastores e ministros da igreja ou voluntário sob a devida supervisão. Sendo assim, seguem as ferramentas oferecidas no CV
de formação espiritual, de acordo com o Estado de Compromisso com Deus da pessoa.
ESTADO DO ENCONTRO
1. Retiro Inspiração: é um retiro 100% evangelístico. O objetivo é alcançar os
não-crentes através de um final de semana focado em gerar um encontro com
Deus. A proposta é apresentar Jesus às pessoas de maneira clara, profunda e
impactante com expectativa de salvação e integração ágil na igreja por meio
das células. Neste retiro abordamos temas como nosso relacionamento com
Deus versus religião. Mostramos que há uma separação entre o homem e Deus
através do pecado. Entretanto, apresentamos a graça de Deus e a possibilidade
de um retorno genuíno para Deus através do arrependimento, que precisamos
demonstrar, e do perdão que Deus nos concede através de Jesus. Mostramos
qual o significado de recebermos uma nova vida e perceber que tudo se fez
novo, esclarecendo sobre o Batismo. O retiro dá uma oportunidade muito clara
para se receber Jesus e ser batizado ao final, se assim o participante desejar.
Oferecido pela Base de Missões.
2. Programa de Prevenção às Drogas: atualmente este programa é composto
por ações como palestras e cursos, tanto para vulneráveis, quanto para adictos
e familiares de adictos. As palestras são oferecidas em escolas, fundações e
comunidades com conteúdo específico para três faixas etárias: 08 a 13, 14 a 18 e
acima de 18 anos. Há palestras preventivas, instrutivas ou voltadas para a restauração da pessoa. Além disso, são oferecidas palestras voltadas para as famílias
no que tange à codependência. Dependendo da demanda, as palestras podem
ser únicas ou num contexto de ciclos, contemplando também a formação de
monitores (pessoas com mais de 18 anos) para lidar com um adicto em substância psicoativa. A agenda dessas palestras depende das solicitações, mas a igreja
mantém palestras fixas aos sábados, além de oferecer atendimentos individuais.
O programa pretende oferecer mais cursos voltados para uma formação básica de como orientar, atender e mentorear um adicto e seu familiar no assunto
endêmico das drogas. Oferecido pela Faixa Etária de Adultos.
20
DISCIPULADO
3. Celebrando Recuperação: o Celebrando Recuperação (CR) é um programa
de longo prazo que visa lidar com traumas, maus hábitos e vícios, todos altamente prejudiciais à saúde espiritual e emocional do ser humano. No CR, encontramos apoio e ajuda para vencer essas situações e para viver plenamente a
graça de Cristo. A visão do ministério é: “ver todas as pessoas vivendo de forma
saudável e equilibrada em seus relacionamentos: com Deus, consigo mesmo
e com os outros”. Já a sua missão é: sensibilizar e encorajar as pessoas para o
crescimento espiritual e emocional, oferecendo um ambiente seguro onde as
mesmas possam experimentar da graça curadora de Jesus, livrando-se assim de
todos os tipos de traumas, vícios e maus hábitos. Seus valores são: dependência
de Deus, autenticidade nos relacionamentos, responsabilidade pessoal, encorajamento diário e auto-avaliação continua. Ele acontece como um programa
anual com encontros semanais organizados em dois momentos: a celebração
com a palestra e a partilha em grupo de apoio temático. Nossa igreja tem vivido
o Celebrando Recuperação como estilo de vida. Essa ferramenta é usada por
Jesus para agregar valor à nossa vida e transformar nossas dores, feridas, vícios,
maus hábitos e pecados em ministérios, pois onde Jesus nos curou podemos ser
usados como canal da cura e compartilharmos essa cura em todos os nossos
relacionamentos. Por isso, a importância de todos passarem por esse processo
em suas vidas e serem, assim, agentes de multiplicação, primeiro em si mesmo,
depois em suas células, GDP, família e em todos os relacionamentos. Oferecido
pela Base de Discipulado.
4. Retiro Rendição: é um retiro para os que estão frequentando o Celebrando Recuperação, pois no caminho dos 12 passos, o quarto é: “Farei um minucioso e destemido inventário moral de mim mesmo” (Romanos 12.1). Este inventário reflete
um momento para que a pessoa receba revelação do Espírito Santo para perdoar,
compreender e amar mais. É sua última olhada para o passado para receber cura.
O retiro nasceu em virtude de ser este passo um momento crítico na vida dos
que frequentam o CR, pois até então eles recebem conteúdo e ministrações, sem
movimentação dos participantes. Como o inventário é um trampolim para uma
completa recuperação e muitos desistem ou pulam esta etapa, há uma notável
diminuição nesta fase dos que frequentam o CR. Neste retiro, temos ajuntamentos
esclarecedores com liberação para a escrita de sua história de vida, sempre incentivando, cuidando e orando para que a pessoa sinta-se a vontade para escrever
seu inventário. Para participar é preciso ser, no mínimo, um frequentador da PIB
ou Igreja da Cidade, que esteja fazendo o CR. Oferecido pela Base de Discipulado.
5. Curso de Gestantes: curso livre para fornecer conhecimentos práticos para
pais grávidos, além de ministração ao bebê. Duração de 7 encontros quinzenais
aos domingos. Oferecido pela Faixa Etária dos Adultos.
21
DISCIPULADO
6. Conhecendo mais a Deus: curso livre para apresentar aspectos da vida cristã
para o suporte ao crescimento espiritual do participante. Duração de 12 encontros semanais em diferentes dias da semana. Oferecido pela Base de Discipulado
e pelo Instituto Propósitos de Ensino (IPE).
ESTADO DA CONVIVÊNCIA
1. Aconselhamento Cristão: curso livre para formação de conselheiros cristãos
no contexto da igreja. Duração de dois anos com aulas mensais aos sábados.
Oferecido pelo IPE em parceria com o Instituto Integração da Família (INIF).
2. Aliança com Deus: curso livre que aborda princípios bíblicos para o relacionamento conjugal a namorados ou noivos com vista ao casamento e a casais
casados que desejam investir em seu relacionamento. Duração de 10 encontros
semanais aos domingos. É aberto para casais não evangélicos. Oferecido pela
Faixa Etária dos Adultos.
3. A Rede: é uma ferramenta para que os universitários cristãos possam levar
o Evangelho a seus colegas e professores de maneira contextualizada e criativa. O intuito dos encontros nas faculdades é ajudar os universitários cristãos a
criar um ambiente propício para falarem dos seus valores e estilo de vida, ou
seja, de Cristo. Além disso, o objetivo de aRede é proporcionar a criação de
amizade verdadeira entre os estudantes através de testemunho vivo. E também
para instigar os não cristãos a questionarem sua percepção de verdade e valor.
Os universitários de aRede se reúnem nas universidades uma vez por semana,
geralmente (mas não obrigatoriamente) no horário do intervalo. Oferecido pela
Faixa Etária da Juventude.
4. Casados para sempre: curso livre para casais aprimorarem conhecimentos
sobre o relacionamento conjugal baseado em princípios bíblicos. Duração de 14
encontros em dias e horários variados. Oferecido pela Faixa Etária dos Adultos.
ESTADO DO RELACIONAMENTO
1. Retiro e Curso Satisfação: baseia-se nas metáforas de João 15 e ministra diretamente na identidade do que recebeu a salvação em Cristo Jesus. Percebemos
que há um pensamento norteando a maioria dos crentes, de que é necessário
um grande esforço dos cristãos para chegarem a algum lugar e para crescerem. Entretanto, cremos que uma coisa só é preciso: estar conectados à Videira
para recebermos, regozijarmos e repartirmos. Este retiro foi inspirado nos livros:
A vida que satisfaz (MCCORD, 2008); Discipulado celestial (WELLS, 2007),
22
DISCIPULADO
Problemas, oração e presença de Deus (WELLS, 2004) e Perdido no Deserto
(WELLS, 2008). Para participar a pessoa precisa ser, no mínimo, um frequentador da PIB ou Igreja da Cidade. Oferecido pela Base do Discipulado.
2. Conhecendo mais a igreja: este curso é livre e visa apresentar a igreja de
Cristo e o jeito de ser da PIB para aqueles que já são crentes oriundos de outra
igreja. Ele é pré-requisito para a integração e membresia na PIB. Sua duração é
de 13 encontros com aulas semanais em diferentes dias da semana. Oferecido
pela Base de Comunhão.
3. Conhecendo mais a Bíblia: este curso é livre e visa apresentar um resumo
do panorama bíblico com seus livros e personagens. Duração de 12 encontros
semanais em diferentes dias da semana. Oferecido pela Base de Discipulado e
pelo IPE.
4. Conhecendo mais a Fé Cristã: curso livre com a missão de conduzir a pessoa
ao entendimento das doutrinas mais elementares da fé cristã, sob a perspectiva
de nossa igreja. Duração de 12 encontros semanais em diferentes dias da semana. Oferecido pela Base de Discipulado e pelo IPE.
5. Retiro Feminina: este retiro reforça a ação do gênero em nossa espiritualidade e, através de cura, resgatam a essência da mulher na identidade espiritual.
Oferecido pela Faixa Etária de Adultos.
6. Básico em Teologia: curso livre para formação intermediária em teologia.
Duração de um ano com aulas dois dias na semana. Oferecido pelo IPE.
7. Básico em Missões: curso livre para formação intermediária em missões. Duração de um ano com aulas dois dias na semana. Oferecido pelo IPE.
8. Águas que marcam: curso livre para instruir o participante a respeito dos
assuntos bíblicos relacionados ao batismo. Sua duração é de duas horas e ele
acontece semanalmente em dias variados na semana. Oferecido pela Base de
Comunhão.
9.Forma: ajuda o participante a descobrir o seu próprio ministério e contribuir
no Reino de Deus com seus dons, suas habilidades e suas aptidões. O curso tem
duração de 2 horas e acontece em todo 2º domingo do mês. Oferecido pela
Base de Serviço.
23
DISCIPULADO
ESTADO DA DOAÇÃO
1.Káris: curso livre para formação de ministradores na área de cura e libertação
no contexto da igreja. Sua duração é de um ano e suas aulas são oferecidas aos
domingos quinzenalmente. É necessário ser indicado por um pastor ou pelos
líderes dos ministérios CR, Intercessão, Libertação ou Retiro Restauração.
2. Retiro Restauração: tem como objetivo levar as pessoas a uma autoavaliação
perante Deus, trazendo à mente o passado que ainda é presente. A pessoa é
levada a conhecer a verdade em Cristo, confiar e acreditar no sacrifício de Jesus
de modo que, tanto as pequenas situações, quanto as maiores, estão sob o olhar
atento do Senhor Jesus. Ao reconhecermos tudo isso perante Deus, reconhecemos e identificamos pontos relevantes em nossas vidas que precisam ser tratados. É um retiro de cura interior e libertação no qual abordamos como temas:
arrependimento, orgulho, perdão, vida financeira, paternidade, submissão, contaminação espiritual, pecados escravizadores, herança geracional, Espírito Santo,
e restauração de sonhos. Para participar, a pessoa precisa ser um membro há
mais de 6 meses da PIB ou Igreja da Cidade e ter feito o Retiro Satisfação. Além
disso, precisa estar em uma célula. Organizado pela Base de Discipulado.
3. Retiro Homens de Honra: este retiro reforça a ação do gênero em nossa
espiritualidade e, através de cura, resgatam a essência do homem na identidade
espiritual. Tem como pré-requisito o Retiro Restauração. Oferecido pela Faixa
Etária de Adultos.
4. Liderança de Célula: curso livre para formação de líderes de célula no contexto da igreja. O curso tem duração de 14 semanas e as aulas são semanais.
Oferecido pela Base de Discipulado e pelo IPE.
5. Formação em Teologia: curso livre em formato de graduação em teologia. Duração de três anos com aulas semanais durante toda a semana. Oferecido pelo IPE.
ESTADO DA INTIMIDADE
Este estado é marcado pelo desenvolvimento de hábitos espirituais naturais. Por isso,
são valorizados ambientes de solitude, contemplação, adoração, leitura da Palavra, reflexão teológica, confissão e oração, os quais só são possíveis depois de uma caminhada longa e processual. Nesta caminhada, cremos que é o próprio Espírito Santo quem
forja e cuida de nós, possibilitando um nível de intimidade profundo com Deus. Quando
chegamos a este nível somos Guiados Pelo Senhor (GPS) em nosso pleno potencial
para com Ele. Esta interação com o Espírito Santo acontece também nos outros estados, durante toda a vida do cristão. No estado de intimidade isso é plenamente natural.
Neste ponto cada membro é incentivado a fazer os devocionais da igreja, a participar
das madrugadas de oração, das vigílias, das 24 horas de adoração etc.
24
DISCIPULADO
BIBLIOGRAFIA
BÍBLIA. Português. Bíblia Sagrada. São Paulo: Vida, 2000.
CAMPANHÃ, J. Discipulado que transforma. São Paulo: Hagnos, 2012.
COLÉGIO. Disponível em: http://colegioinspire.com.br/. Acessado em: abr/2015.
EDITORA. Disponível em: http://www.lojainspire.com.br/. Acessado em: abr/2015.
MCCORD, C. A vida que satisfaz. São José dos Campos: Propósitos Treinamentos e
Recursos, 2008.
PAES, C.M. Igreja Brasileira com Propósitos. São Paulo: Vida, 2012.
RICHARDS, L.O. Teologia da Educação Cristã. 2ª edição. São Paulo: Vida Nova, 1983.
WARREN, R. Uma igreja com propósitos. 2ª edição. São Paulo: Vida. 2008.
WELLS, M. Perdido no deserto. 4ª ed. Santo Amaro: Abba Press, 2008.
WELLS, M. Discipulado celestial. Santo Amaro: Abba Press, 2007.
WELLS, M. Problemas, presença de Deus e oração. 3ª ed. Santo Amaro: Abba Press,
2007.
WILLARD, D. A grande omissão. São Paulo: Mundo Cristão, 2008.
25

Documentos relacionados