Marcos Hirai - AD Shopping

Сomentários

Transcrição

Marcos Hirai - AD Shopping
Programação
17 e 18/05 (sexta e sábado)
20/05 (segunda) - 2º dia da RECon
21/05 (terça) – 3º dia da RECon
Visita Técnica Shoppings Los Angeles
Shoppings Visitados: Fashion Island, The Groove,
Santa Monica Place, West Field
09h30 – Reunião Delegação ABRASCE –
Perspectivas para a indústria de shoppings
no Brasil
Palestrante: Marcelo e Marcos Carvalho - Ancar
10h00/12h30 – Shopping Center Marketing in
a Digital World ( Marketing de Shopping Centers
em um Mundo Digital) e Where are We in the
Evolutionary Process? (Fisico & Digital: onde
estamos no processo evolutivo?)
19/05 (domingo) - 1º dia da RECon
10:00h às 13:30h
- Reunião Delegação ABRASCE – Marcas
Internacionais e o mercado Brasileiro
- Palestra Claire’s - Maurice Adene
- Marcas internacionais – com Marcos Hirai
14h00 - Think Like A Freak and freak-out the
compettion (Pense como um louco e enlouqueça
a concorrência)
Palestrante: Steven Levitt
15h00/16h30 – Workshop – Retail: Understanding
the Metrics and Factors Behind Retailer Growth
Strategies (Entendendo as métricas e fatores por
trás das estratégias de crescimento do varejo)
17h - Fim do 1º dia de RECon
11h00 – Clash of Titans (Embate de titãs: os
desafiadores da internet contra as lojas campeãs)
13h00 – A Day in the Life of the Modem Consumer:
The Impact of New or Emerging. Platforms and
Their Influence on Consumer Behavior (Um dia
na vida do consumidor moderno: O impacto das
plataformas novas ou emergentes e sua influência
no comportamento do consumidor)
14h30 – Global Retatil Runway (Varejistas do
mundo todo em busca de expansão global)
16h30 – Tackling the Dramatically Changigng
Dynamics of the Retail Marketplace: Customer/
Tenant/Owner-Centric e Strategies that May Work
for You (Enfrentando as Dramáticas Mudanças
nas Dinâmicas do Mercado de Varejo) /
Estratégias Centradas nos Consumidores/Lojistas/
Proprietários que podem funcionar com você.
17h – fim do 2º dia da RECon
14h00 às 17h00 – Reunião final de síntese
de conteúdo e debate sobre a RECon 2013 –
delegação ABRASCE
17h30 – Final do 3º e último dia RECon
22/05 (quarta) – Visita técnica Shoppings
Las Vegas
Palestra Maurice Ademe da Claire’s
- A Claire’s é uma popular rede
de bijoux e acessórios com 95% de
conhecimento de marca nos EUA;
- Chega ao Brasil com acordo
operacional com a Pink Biju;
- Conceito de lojas em shoppings –
400 lojas franqueadas;
- Atualmente são os maiores furadores
de orelhas do mundo;
- 48% bijoux e 52% acessórios /
cosméticos / capas para celulares /
fones de ouvidos e outros;
- Participação no mercado
55% Claire’s
9% Acessorize
5% Newlook
31% outros
- A Claire’s apresenta lojas populares
e lucrativas;
- Na America do Norte suas lojas
operam com 81 m2 – receita de
13 mil dólares por m2;
- Na Europa 55 m2 – com receita
de 17 mil dólares por m2;
- Ticket médio nos EUA US$ 8,00;
- No Oriente Médio lojas de 40 m2 –
com 77 mil dólares por m2;
- Previsão de ticket médio no Brasil –
R$ 18,00;
- Chega no Brasil em setembro 2013 –
com lojas entre 60 e 90 m2;
- O atendimento da loja é voltado a
tratar o cliente como amigo, oferecendo
diversão e estimulando a criatividade
de seus consumidores;
- Consideram o modelo ideal no
Brasil, lojas com 6,5m de frente X 10
ou 14 m2 de fundo;
- Faixa etária atual de 13 a 18 anos
com foco entre 10 e 14 anos;
- Fará abertura de 200 lojas no Brasil
em 5 anos e estarão presentes na ABF
em Junho 2013.
Palestra Marcos Hirai |
Marcas Internacionais e o Mercado Brasileiro
- 44 marcas de 13 nacionalidades
começaram a ingressar no Brasil
em meados de 2012 com conclusão
de negociações até 2014;
- Estima-se que serão necessárias de
800 a 1.000 novas lojas nos próximos
4 anos para atender a demanda;
- Nunca o mercado de Shopping Center
teve a perspectiva do ingresso de
tantas marcas internacionais no Brasil;
- “O mundo esta de olho no Brasil” –
as regras são respeitadas e produtos
e serviços bem aceitos. Povo aberto
a mudanças;
- 39% da população brasileira
se alimenta fora de casa;
- Com este cenário, grandes redes
de alimentação mundial querem
estar no nosso país.
Algumas das marcas
- Quiznos – Rede Americana
Rede de restaurantes de fast-food,
especializada em sanduíches e
saladas. Com mais de 3.500 lojas
em mais de 30 países. Concorrente
da Subway;
- Not Guilty – Rede Suíça
Comidas naturais com conceito
de alimentação saudável, inovadora,
natural, sustentável e rápida.
Sua primeira operação chegou ao
Brasil em 2008, em São Paulo;
- Quasi Pronti – Rede Portuguesa
de Fast-food com conceito de massa
idêntico ao Spoletto, porém tudo
com preço único;
- Sukiya – Rede Japonesa
1ª no Japão, conta com 1.846 lojas
em todo o Japão – fatura 8 bilhões
de dólares por ano com comida
japonesa a R$ 5,90;
- Hot Dog Stick – Rede Americana
Conceito de combos de hot dog –
tudo por R$ 9,90;
- Companhia das Sandes –
Rede Portuguesa
Sanduíches no mesmo conceito
da Subway. 1ª loja aberta
no aeroporto de Guarulhos;
- Burger Lover –
Grupo norte americano do Fifties
Conceito de hambúrguer Premium
mais caro.
Palestra Marcos Hirai |
Apresentação de marcas internacionais que estão ingressando no País (cont. 1)
Marcas de restaurantes que
retornam ao Brasil
Restaurantes
-Fridays – retorna ao país com
seu conceito original;
- Olive Gardens – Restaurante Italiano
-Chili’s – retorno ao país com cardápio
idêntico ao Outback, com a proposta
de cobrar 10% abaixo do custo
de seu concorrente;
- Red Lobster – Rede americana
especializada em frutos do mar;
- My Swiss Choco – Rede Suíça
O cliente customiza seu chocolate.
Duas lojas já foram abertas no Brasil
em shoppings da BR Malls;
-Benihana – Restaurantes de Grelhados
Abriu sua 1ª operação em São Paulo;
- Cold Stone –
Rede Americana de sorvetes;
- E Atady – Empório Culinária Italiana –
chega em São Paulo no 2º semestre
de 2014 com um espaço de 4.500 m2;
- Booster Juice – Loja de customização
de sucos. Abriu sua 1ª loja em Curitiba,
no Shopping Muller;
- Johnny Rockets – Hamburgueria;
- Dunkin Donut’s – 2ª rede de cafeteria
após a Starbucks, volta ao mercado
para fazer um contra ponto de preços
com a Starbucks;
- B99 – Restaurante de frango –
gigante coreano – com 800 lojas
no mundo – 1ª operação no Brasil
será de loja de rua;
- Le Pain Quotidien – conceito de
padaria e restaurante de Pães Premium;
-Lush – Rede de cosméticos;
-BareMinerals – Rede de maquiagens;
-Rituals – Rede de cosméticos;
Palestra Marcos Hirai |
Apresentação de marcas internacionais que estão ingressando no País (cont. 2)
ÂNCORAS
-GAP
-H&M
MEGALOJAS
-Desigual
1ª loja espanhola no Brasil – roupas;
- Apple – 1ª loja oficial no Brasil
- Zara Home – rede Espanhola
1ª loja no JK;
- Daiso Japan
Rede japonesa com 500 lojas –
vende maquiagem, acessórios e afins.
9 mil itens por US$ 5,99;
- Sansung – loja oficial da marca;
- Claire’s – bijouteria e acessórios
- Sansonite – loja oficial da marca;
- Baby Cottons – rede Peruana –
moda infantil com sua 1ª operação
no Iguatemi SP;
- Benefit – rede de maquiagem
que atualmente opera no Brasil
dentro da Sephora. Chega com
sua loja própria;
- Grupo Alsia
Chega ao Brasil com a nova marca
P.F. Chang’s – Restaurante americano
– prato feito com comida Asiática
sem garçom – é um chinês tradicional
com hospitalidade americana;
1ª loja em São Paulo de rua – abrirá
em novembro 2013; Atendimento
diferenciado; Ticket médio no Brasil
R$ 31,00 – nos Estados Unidos US$ 22;
As lojas tem de 700 a 900 m2,
as primeiras unidades chegarão
com 900 m2 – 200 lugares internos
e 44 externos – o cavalo de concreto
é a marca registrada; Investimento
de 5 milhões de dólares para abrir
o restaurante que tem um nível
sofisticado. Previsão de abrir 30 lojas
em 8 anos.
- The Cheescake Factory –
Rede americanas de cheescake.
O primeiro país fora os EUA para
receber a marca será o México;
Abriram 161 unidades em 2012;
Será aberta a 1ª loja em São Paulo
e Rio em 2013 – foco em shoppings
sofisticados; As lojas tem
aproximadamente 1.500 m2 todas
com boulangerie e serviço de bar.
Palestra Steven Levitt |
Pense como um louco e enlouqueça a concorrência
Steven Levitt é economista, escritor
de dois best sellers Freakonomics e
Superfreakonomics para o próximo nível.
Sua apresentação foi baseada em
como obter insights sobre a resolução
de problemas em suas vidas pessoais
e profissionais. Como transformar
ideias em negócios.
Acredita que todo profissional deve
pensar como um anormal fora do
ambiente competitivo.
Cada idéia apresentada, por uma
história ou um exemplo, proporcionou
aos profissionais de shopping center
com pensamentos iluminação para o
pensamento rentável.
Ele tem a incrível capacidade de peneirar
uma quantidade enorme de dados para
encontrar uma história que ninguém mais
descobriu e inventou formas de medir
um efeito que economistas veteranos
declararam imensurável.
O Wall Street Journal disse: “Se Indiana
Jones fosse um economista, ele seria
Steven Levitt.” Ele apresentou diversos
cases pessoais e entre eles ilustrou como
em 24 horas conseguir transformar 50%
dos americanos vivos em americanos
mortos, ao desenvolver um software para
a Receita Federal Americano, com filtros
suficientes para identificar fraudes
nas declarações.
Palestra exclusiva para delegação ABRASCE
Palestra Marcelo e Marcos Carvalho |
Panorama geral do mundo
- EUA – em 5 anos já produzirá seu
próprio gás.
- Brasil – 45% da água do mundo todo.
- Envelhecimento da população.
“Tsunami de Old People”
- A preocupação com a poluição
no mundo.
- O avanço da robótica – em 30 anos,
75% dos carros não terão motoristas.
No Brasil 24% da população é idosa –
em 20 anos serão 50%.
O que acontece atualmente com a
indústria de shopping nos EUA –
eles estão em plena recuperação,
com crescimento de aluguéis, taxas
e diminuição das vacances.
Ancar - Perspectivas para a indústria de shoppings no Brasil
A inflação foi controlada com juros
em 2% e a economia vem crescendo.
Mesmo assim nos EUA atualmente serão
lançados 2 shoppings, ou seja,
o crescimento neste setor é acanhado.
As grandes redes estão em busca de
novos mercados. Citou a importância
da internet com o canal do futuro.
A importância da comunidade no
dia a dia do empreendimento, citando
o Shopping Parque das bandeiras em
Campinas que utilizou as redes sociais
para que a população escolhesse
o nome do shopping, 28 mil pessoas
enviaram sugestões.
A importância das redes sociais no
mercado de shopping – mencionou
o Rio Design na Barra – onde aconteceu
um desfile que foi filmado com
transmissão online nas redes sociais.
Acredita que as verbas de marketing
serão migradas para redes sociais.
A grande dúvida é: quem vai começar?
Ser o 1º, o inovador. Quem lança
a tendência nem sempre tem
a melhor lucratividade. Ser o 2º que é o
seguidor, que melhora o que foi lançado
ou o 3º que é o que implanta com
melhorias e segurança e que fica sempre
com a melhor fatia do mercado.
Palestra Marcelo e Marcos Carvalho |
A preocupação com a mudança
de geração, ninguém conversa com
quem está ao seu lado, conversa
com quem está distante.
Uma das redes mencionadas foi a
Macy’s – das 800 lojas atuais, 500 já tem
o serviço do consumidor e a internet
oferece entrega em casa. O cliente pode
comprar pela internet e retirar na loja.
Os canais de vendas já estão afinados.
As lojas convencionais estão com
os dias contados.
Ancar (cont.)
A preocupação das vendas por
internet X contratos de locação.
Citou que a loja Americanas foi
despejada do Parque Shopping por
descumprir uma das cláusulas do
contrato com a Multiplan, realizando
vendas na web e não na loja
do shopping.
O mercado de shopping atualmente
é tão complexo que a Ancar aumentou
seu quadro de funcionários de 130
para 200 pessoas.
Muitos empreendedores disputando
espaços pequenos – utilizou Limeira
como exemplo.
Palestra Luiz Fernando Veiga |
Presidente ABRASCE
Mencionou um pouco da nova política
de web nos EUA, a diferenciação
de taxa para compras por internet,
o que gera uma desvantagem para
os shoppings.
O Brasil não tem preocupação no
e-commerce em lojas de vestuário,
exatamente por não existir padronização
de numeração, o que dificulta
a venda online.
No Brasil, tem uma lei em aprovação
para igualar a taxa entre compras
online e nas lojas físicas, padronizando
os dois canais.
Luiz mencionou o grande número
de lojas fechando em shoppings
e acha natural, exatamente pela
profissionalização do grande varejo,
disse que os fracos serão engolidos,
e quem não sabe ganhar dinheiro
na informalidade não permanecerá
no mercado.
Uma das preocupações nas vendas
online é o controle de faturamento para
os empreendimentos.
No caso das lojas de móveis,
a negociação de aluguel já é bem
mais alta considerando o histórico
de venda direta, o que ainda não
é feito nas lojas pequenas.
Palestra Embate de Titãs |
Os desafiadores da internet contra as lojas campeãs
Canto vermelho
Os gigantes da internet – Amazon,
Apple, Google, eBay e Facebook
Canto azul que é de tijolo e argamassa
“centros comerciais” – Walmart, Target,
Home Depot e Costco.
Como os dois lados estão buscando
alternativas para aumentar sua
participação de mercado X vendas
e fidelização de seus clientes.
-Amazon – é uma empresa que
inspira cuidado, pois estão
definindo como será o mercado
daqui a 10 anos. 3% da Amazon
é destinado ao banco de dados
do seus consumidores, assim eles
conseguem determinar o que
o consumidor quer. Enviam aos seus
clientes o que eles querem, quando
e como querem.
Em 2010 o capital da Amazon era
de 17 bilhões, em 2012 de 19 milhões,
atualmente 60 bilhões. Para 2015 a
estimativa é de 100 bilhões, em 2017,
180 bilhões e 2023. Analistas dizem
que eles ultrapassarão o Walmart;
Amazon é dona de 40% dos produtos
comercializados online.
Um dos objetivos é acabar com todas
as livrarias;
Atualmente já é um dos maiores
detentores de dados do mundo,
inclusive a Apple é cliente da Amazon.
A Amazon construirá mais 150 centros
de entrega para atender todos os seus
pedidos no mesmo dia. E a próxima
meta é atender seus clientes em 1 hora.
Desenvolveram uma TV em Hollywood
para exibição de canal próprio
e programas.
Palestra Embate de Titãs |
Os desafiadores da internet contra as lojas campeãs (cont.)
-Apple – nos próximos 5 anos,
não existirão tablets e telefones digitais
sem eles.
-Google – desenvolverá tecnologia
para que seus consumidores andem
com dispositivos para receber dentro
da loja de determinado produto
a melhor oferta.
O mercado vem se preparando
para reter seus consumidores
e exemplificou com uma cafeteria
minúscula que atualmente aceita
6 formas de pagamento
para sobreviver.
E-commerce – compra na internet,
paga na loja por segurança de dados
do seu cartão e recebe em casa.
Desta maneira foi possível aumentar
a participação do e-commerce
no varejo, pois atingiu-se uma nova
gama de consumidores.
Um dos destaques foi a unificação
do marketing com e-commerce –
uma junção complicada e quem
ficou para trás dos grandes Titãs
não conseguirá alcançar.
Como concorrer com os Titãs
com orçamentos limitados?
Na Coréia os consumidores utilizam
os aparelhos de celulares para obter
informação de qualquer produto,
pois a maioria dos pontos de venda
utiliza código de barra.
1ª buscar entender o que seu
consumidor quer realmente
analisando quem é quem.
Amigos ou inimigos eles não sumirão,
portanto existem 4 maneiras:
2ª se associando aos Titãs.
3ª ter uma linguagem digital definida,
com equipe multicanal e sem medo
de investir.
4ª criando vínculo de
responsabilidade social nos seus
produtos – exemplo: ótica – você
compra um armação e eles doam
outra para pessoas carentes.
Palestra Randi Zuckerberg* |
Randi, que iniciou a carreira na área
digital de uma agência, comentou
que esta área não era tão atrativa
e hoje todos querem fazer parte deste
departamento.
Facebook – uma empresa de projetos
convidou usuários de Facebook de outro
país, para ajudar a traduzir o site de sua
empresa, o site inteiro foi traduzido
em menos de 24 horas.
A informalidade do Facebook assusta.
Casais utilizam a mídia para discussão
de relacionamento.
QR-code – empresas nos EUA estão
utilizando para passageiros de avião,
você chega em um determinado lugar
e no avião consegue pelo QR-Code
saber as vagas de emprego
disponíveis nesta empresa.
Nesta palestra foram apresentadas
10 tendências para entender este
novo consumidor.
Um dia na vida do consumidor moderno
1. O luxo – os atuais consumidores
querem ter o prazer de sentir o que
uma marca de luxo pode agregar.
Eles alugam vestidos de designers,
contratam assistentes pessoais por
1 hora, mordomos para organizar suas
residências, viajam em jato particular
por 1 hora pagando 500 dólares...
tudo para ter a sensação de ser
um consumidor de luxo.
2. Tudo móvel – o consumidor quer ter
tudo na palma da mão, abrir seu carro
pelo telefone, abrir a porta da sua casa
para seus filhos mesmo estando no
trabalho, contar história de ninar aos
filhos mesmo estando em outra cidade,
pegar café na Starbucks todos os dias
mesmo sem abrir a carteira.
Já existe uma tecnologia que você tira
a foto de um cheque pelo dispositivo
do seu telefone e o cheque é depositado
em sua conta.
Lojas já estão utilizando o QR-Code
para achar numeração de roupa
na loja.
*diretora de marketing do Facebook e fundadora & CEO da Zuckerberg Media.
3. Incubadora para funcionário –
as empresas estão se especializando
em reter talentos, o Google tem a política
que cada funcionário pode utilizar
20% do seu tempo no trabalho
para fazer o que quiser (pessoal).
Empresários americanos estão
oferecendo dinheiro na contratação
como estímulo para segurar o funcionáro
na empresa por um tempo maior.
Randi concluiu: nada substitui a
experiência de passear em um mall
e a tecnologia pode e melhora esta
experiência nos shopping centers.
Palestra Randi Zuckerberg* |
4. Dados nas Nuvens
Empresas estão armazenando nas
nuvens o maior numero possível
de dados de clientes, assim aumentam
a possibilidade de conhecer e oferecer
muitas opções de compras e serviços
focadas em cada indivíduo.
Buscam entender seus clientes
e enviam para seus celulares o que
estes clientes querem e gostam de ver.
5. Combinar online e offline
sites como Landsbox com amostras
de produtos.
Site como MadCloth – interativo –
muda diariamente sua home page,
oferecendo sempre novos produtos,
fazendo com que 50% de seus clientes
acessem diariamente seu site.
Lojas como Bonobos são showrooms,
mas as vendas acontecem pela internet.
6. O carro é a nova fronteira
Grandes investimentos estão sendo
feitos em tecnologia. Carros que dirigem
sozinhos para você fazer compras.
Um dia na vida do consumidor moderno (cont.)
7. Compras divertidas
Despertador para acordar de manhã,
a cada toque que você dá para dormir
mais 1 minuto, você doa um dólar para
alguma instituição de caridade.
Sites que são programados a te chamar
de preguiçoso quando você não faz
atividade física ou avisa seus amigos
que você foi correr. A cada curtida
de um amigo você ganha um aplauso.
8. 2º emprego online
As pessoas estão procurando o 2º
emprego online. Você tem seu primeiro
emprego fixo e o 2º é virtual, como por
exemplo levar o carro de alguém para
lavar, ou fazer compras de mercado.
A outra novidade são sites que investem
em suas invenções, você cria um
produto, eles produzem e se der certo
te pagam os royates até o final da vida.
9. Digital Detox
Tecnologia afetando a vida
com tecnologia.
A nova modalidade é ter tempo para os
filhos, maridos e vida pessoal.
As empresas estão utilizando a
desintoxicação digital. As lojas oferecem
dinheiro ou descontos se você deixar
seu celular guardado na entrada,
concluíram que com isso as compras
são relaxantes e o cliente gasta mais.
Empresas oferecem um bônus financeiro
se o funcionário não levar seu telefone
ou computador nas férias.
Foi comprovado que eles retornam
muito mais felizes e eficientes.
Já as empresas de tecnologia
desenvolveram aplicativos que desligam
se você estiver digitando um texto
e dirigindo, evitando assim acidentes.
10. Sociality Conscious Retail
A cada sapato comprado um sapato
é doado.
Randi conclui: nada substitui a
experiência de passear em um mall,
e a tecnologia pode e melhora essas
experiências nos shoppings centers.
Palestra Enfrentando as dramáticas mudanças nas dinastias do mercado de varejo
O mercado de varejo de hoje continua
se transformando por tendências novas
e emergentes tendências.
Os desafios estão cada vez mais
complexos e rapidamente acontecem as
mudanças tecnológicas, deixando vários
procedimentos operacionais obsoletos.
Os executivos acompanham estas
mudanças e buscam opções
estratégicas para lidar com isso e
produzir resultados cada vez mais
produtivos.
O grande esforço tem sido buscar
ferramentas e técnicas interativas nas
mídias sociais para construir o tráfego
de clientes e o senso de comunidade
nos seus empreendimentos.
Palestra Marketing de Shopping Centers em um Mundo Digital
- 80% dos consumidores utilizam
aparelhos para serviços. O que fazer
com seus seguidores, que conteúdo
oferecer;
- Apesar das mídias sociais, não
devemos considerar a tradição.
O futuro é a utilizaçao da mídia
de massa + plataforma digital;
- A importância do Twitter para divulgar
ações rápidas;
- O Cuidado que os empreendimentos
devem ter ao lotar seus shoppings
com clientes, evitando uma
experiência negativa;
- Todo departamento de marketing
das grandes empresas tem um
profissional mais jovem que convive
com mídia social, com a ajuda
de secretária e assistentes que buscam
notícias nas mídias para ajudar
no conteúdo;
- Este profissional fica ligado 24 horas
por dia, não cumpre os horários
e muitas vezes nem a política
da empresa. Está sempre preparado
para crises.
- Acompanhar a mudança virtual –
os novos consumidores utilizavam
o Facebook, depois migraram
para o Instagram e atualmente
o Vine. Cada vez que seus pais
aprendem a utilizar uma nova mídia
social, eles mudam em busca
de novidade;
- Lojas virtuais estão utilizando
scanners de corpo para experimentar
roupas e acessórios.
Reunião de conclusão comitiva ABRASCE
- Varejo digital foi o tema mais abordado
(Duas frentes: e-commerce e rede social);
- A importância da internet nos
lançamentos de shoppings;
- A utilização de promoções nos
shoppings brasileiros vem aumentando
na internet;
- Multiplan tem 1 vaga exclusiva
para o Prefeito;
- Utilizar a internet com relacionamento
e aumento do banco de dados;
- Case do Santa Monica – o shopping
seria derrubado para implantar torres
comerciais, a comunidade se juntou
e conseguiu reverter o quadro,
o shopping deixou vencer seus
contratos para paralisar todos
os lojistas e iniciaram as obras
para criar um novo formato
de shopping, open mall;
- Os EUA terão de 2 a 3% de
crescimento do PIB e farão
2 shoppings, o Brasil fará 40;
Outro fator nos EUA é que o mercado
fará 2 shoppings e entrara com
retrofit em vários outros para
abandonar o modelo caixote e criar
espaços abertos;
- Nos EUA os projetos de shoppings
são analisados de 3 a 6 anos para
iniciar a construção, no Brasil
a construção começa e os projetos
são alterados no percurso, isso resulta
em obra cara e atraso;
- Nos EUA os shoppings são grandes
open malls com algumas áreas
fechadas, no Brasil são fechados
com poucas áreas abertas;
- Atualmente o mercado de shopping
no Brasil é composto por 60%
de consumidores que o utilizam
para diversão e alimentação
e 40% para compras;
40%
60%
DI V ERSÃO E AL I M ENTAÇ ÃO
C O M P RAS
Reunião de conclusão comitiva ABRASCE
- O domingo teve um crescimento
elevado (vendas familiares),
transformando-se no 3º dia mais
importante dos shoppings no Brasil,
próximo a sexta-feira;
- As lojas da Macy’s que obtinham seus
retornos financeiros com suas
novas lojas entre 3 e 5 anos, já estão
conscientes que este retorno levará
muito mais tempo, pois seus
investimentos financeiros serão
direcionados a criar experiência
a seus clientes;
- The Grove e Westfield – oferecem
água e ração para cachorros
em cada loja;
- Rever nossas operações de crianças
para agregar experiência junto aos
pais. No Brasil cobramos espaço pelo
deposito de criança, e eles cobram
para as crianças brincarem. Nos EUA
as áreas são oferecidas gratuitamente;
(cont.)
- Pela 1ª vez uma RECon discute formas
de ajudar os lojistas;
- O Shopping Santa Monica oferece
a retirada de bandeja como serviço;
- No Brasil 20% estão em processo
de revitalização e ampliação
e nos próximos 2 anos este número
chegará a 80%;
- Fim do shopping caixote e inicio
do life style (open mall);
- Como modificar a clausula de saída
de um lojistas, para poder oxigenar
o mix dos empreendimentos;
- Investimento em redes sociais
será crescente.
- Nos Estados Unidos um shopping
de 50 mil m2 de ABL conta com
um quadro de 120 funcionários.
- O futuro é digital;
Exposição
Los Angeles
visita técnica | malls
Newport Center
Fashion Island
Newport Center
Fashion Island
401 Newport Center Drive,
Newport Beach 92660
Grande centro de compras em
Newport, LA. Sofisticado Shopping
Center com amplo mix.
Um projeto a céu aberto oferece
a proposta de um open mall com
foco na família proporcionando aos
visitantes um agradável local para
compras e lazer, com direito a lago
com carpas e música ambiente
dos anos 40, diversos pontos com
barulho de água, verde e vista
para o mar. Além de uma praça
de alimentação bem silenciosa e
arejada.
Pelo mall existem vários quiosques
padronizados pelo empreendimento.
Preocupação com o espaço para
passar um ambiente bem tranquilo
“zen” onde se observa diversos
pontos com barulhos de água, verde
e vista para o mar em alguns pontos.
Podemos observar também uma
praça de alimentação bem silenciosa
e arejada.
Newport Center
Fashion Island
The Grove
The Grove
189 The Grove Drive,
Los Angeles 90036 (Central L.A)
Excelente shopping a céu aberto,
clima familiar urbano, com grande
variedade de lojas e restaurantes.
Super charmoso, com Jazz ao vivo,
alamedas limpas e confortáveis,
lojas ótimas, cafés e restaurantes
de primeira.
Para quem vai com crianças, lindo
passeio de trenzinho, uma atração
à parte. No estacionamento aberto
(último andar) podia se observar uma
bela vista para o sign de Hollywood.
Conta com lojas clássicas como
Apple, Abercrombie, Gap, Topshop,
Cheesecake Factory, etc.
Ótimo programa para o fim de tarde
em LA. Conta com um serviço de
Concierge e atendimento aos clientes
com dicas e reservas em shows e
restaurantes.
Os banheiros são impecáveis e
oferecem experiência de hotelaria.
The Grove
Santa Monica Place
Santa Monica Place
Santa Monica Place
395 Santa Monica Place,
Santa Mônica 90401-2372
Shopping a céu aberto, com bom
mix de lojas e cinemas.
Shopping mais popular, porém
totalmente revitalizado após passar
por uma reforma geral de 18 meses
sem operação dos lojistas (mudando
o conceito do Shopping).
Uma competição constante
com lojas de rua (Promenade),
porém com o diferencial
de possuir amplos corredores
e estacionamento coberto, para
dias de chuva.
Santa Monica Place
Las Vegas
visita técnica | malls
Fashion Show
Fashion Show
3200 Las Vegas Blvd. South,
Las Vegas, NV 89109 (Paradise)
Shopping com arquitetura tradicional
(fechado). Uma boa pedida para
quem deseja comprar em Las Vegas.
Localizado em plena Strip, esse
shopping possui várias lojas
interessantes, como Macy’s,
Hollister, Abercrombie, Apple,
lojas de eletrônicos, etc.
Um dos principais pontos de
destaque do shopping é o
investimento em entretenimento,
como por exemplo, desfiles. Eles
mantém um estrutura fixa com luzes
e uma passarela automática, onde
são realizados 4 desfiles por dia.
Fashion Show
Crystal’s
Crystal’s
3720 S Las Vegas Blvd,
Las Vegas, NV 89158
O Shopping Crystal’s mostra seu
cartão de visita logo na entrada,
com uma imensa obra de arte,
anexa à entrada do Hotel Aria.
Desde a entrada se percebe
o clima de sofisticação. A sua
arquitetura sextavada mostra as
nuances de um diamante. Seguindo
este mesmo conceito em sua
sinalização e diretório.
As lojas são de alto padrão, as
vitrines são grandiosas e a impressão
é que você está num lugar único.
Apesar de ser um shopping
fechado, a sensação é de liberdade,
pois sua arquitetura foi
projetada priorizando as entradas
da luz do sol, e com seus corredores
largos o ambiente fica clean
e arejado.
Apesar de ser um shopping
relativamente pequeno em
quantidade de lojas, oferece um mix
interessante, com lojas diferenciadas
da Starbucks (projeto incrível), Dior,
Dolce Gabanna e um ícone de bom
gosto, o restaurante Mastro’s Ocean
Club. Imperdível.
Crystal’s
Crystal’s
Forum Shops at Caesars Palace
Forum Shops at Caesars Palace
3570 Las Vegas Blvd South,
Caesars Palace, Las Vegas, NV 89109
Inaugurado em 1992, o Shopping
de 34 mil m2 de lojas é anexo ao
tradicional hotel Caesars Palace,
e tem decoração da Roma Antiga,
incluindo um arco do triunfo
na entrada, colunas coríntias
e muitas estátuas.
Em 1998, o Forum Shops foi
ampliado com o Roman Hall,
um imenso tanque no qual
acontecem vários shows diários.
Conceituadas lojas de grife como
Louis Vuitton, Christian Dior, Gucci,
Versace e MAC são instaladas em
um diferente e inovador ambiente,
com teto simulando céu aberto, que
clareia e escure durante todo o dia.
Forum Shops at Caesars Palace
Conclusão |
visitas aos shoppings de Los Angeles e Las Vegas
Apenas um empreendimento utilizava
comunicação visual e mesmo assim
muito modesta. Todos os outros não
tinham nada de publicidade interna.
A utilização de web/redes sociais em
campanhas nos grandes centros estará
cada vez mais presente pelo custos das
mídias, o que não vale para pequenas
cidades do interior, considerando
a força da TV.
Todos os empreendimentos tem como
foco principal o lazer, o entretenimento
e as experimentações.
Databasic com monitoramento
de dados – no Brasil estão todos
os empreendimentos observando
o mercado, ninguém tem o caminho
certo, estão todos experimentando.
É de total importância a unificação do
marketing com um profissional de TI
e especialistas em redes sociais.
Nas promoções de sorteio de carros,
o aumento de fluxo é de no máximo 20%.
Os carros expostos em alguns
empreendimentos estavam apresentados
com cenografia local institucional
e apenas um totem com descritivo
do produto.
Se considerarmos que os consumidores
das grandes metrópoles passam mais
tempo nas ruas, a mídia do futuro
é a internet e o rádio.
Se analisarmos o panorama geral
de tudo que foi dito, há 3 anos atrás
o Brasil era a 8ª maravilha do mundo,
hoje já perde mercado para o México,
Colombia e Turquia.
Atualmente tem muitos investidores
olhando o Brasil, porém estes
investimentos serão mais seletivos.
Está difícil construir um produto
adequado para satisfazer este novo
consumidor.
Tem muito shopping para pouco
varejista, o que gera no mercado
muita vacance.
Conclusão |
visitas aos shoppings de Los Angeles e Las Vegas (cont. 1)
Lealdade nos canais de comunicação
em redes sociais – tudo que puder ser
feito para aumentar a lealdade nestes
canais é fundamental.
Os novos consumidores querem clicar
e ter tudo no mesmo lugar, ele muda a
maneira como comprar para rentabilizar
seu tempo.
As gerações X e Y não pensam em
serviços, querem fazer tudo sozinhos e
não dão valor para experiência em loja.
Eles vivem conectados a procura
de novas informações.
Os shoppings terão que criar destinos
interessantes para atrair as pessoas.
As pessoas estão prontas para renunciar
a diversão mas nunca a celulares.
Criar possibilidade de compras por
internet com troca nas lojas físicas.
Antigamente as crianças tinham medo
de perder os dentes, hoje tem medo
de perder seus seguidores no twitter.
Precisamos preparar nossas equipes
e formar núcleo de profissionais de cada
área para acompanhar a velocidade
da mudança, antes das redes sociais
uma experiência negativa era focada
e dividida com poucos, agora é
propriedade do mundo.
Email marketing é ainda um grande
canal de comunicação e a mala direta
impressa ainda é o canal ideal para
conversar com a classe social mais baixa.
Utilizar nossos espaços para ações
com a comunidade, aulas de yoga,
compras com descontos específicos
aos finais de semana é um bom caminho
para a fidelização.
Precisamos nos adaptar a nova geração
do baby boom que são nossos novos
consumidores, que não são fiéis a nada,
eles buscam o tempo todo informação e
novas experiências. Falta adaptação da
nossa geração a este novo consumidor.
Conclusão |
visitas aos shoppings de Los Angeles e Las Vegas (cont. 2)
As mídias sociais ainda não são
uma ameaça para os departamentos
comerciais, a adaptação será mais lenta,
pois ainda é necessário mostrar o local
físico. De qualquer maneira, podemos
utilizar para enviar links de novos
empreendimentos, acompanhamento
de obras e lançamentos futuros que
acontecerão nos próximos 3 anos,
utilizando Facebook e twitter.
Criar ações de compras físicas com
cupons de descontos para compras
no dia seguinte.
Grandes empresas estão seguindo
usuários para descobrir talentos em
mídias sociais e contratá-los.
Adaptar nossos empreendimentos para
suprir a demanda da comunidade com
médicos e serviços. Nos EUA muitos
empreendimentos utilizam 15% dos seus
espaços com consultórios médicos
e 33% com serviços.
Unificar as equipes de marketing,
operações e segurança para agilizar
as decisões e responder a nova
demanda digital.
Todos os shoppings são limpos,
cheirosos e com excelência no
atendimento. Alguns banheiros
oferecem experiência de hotelaria.
O varejo digital foi abordado
em 80% das palestras.
A praça de alimentação é ponto de
preocupação geral e a mão-de-obra
é excelente.
A feira de produtos e serviços para
shopping é totalmente diferente das
feiras realizadas no Brasil, todos os
estandes são grandes, fechados
e nada amigáveis. Não há distribuição
de brindes ou outros atrativos.
Todos os expositores trabalham
com agenda prévia de 6 meses.
Não é uma feira para visitantes e sim
um encontro de negócios pré definido.
Tem estandes que comercializam 400
empreendimentos ao mesmo tempo,
o que realmente faz necessário
agendar horário.
O varejo digital e a importância de
trabalhos em redes sociais foi o tema
de maior relevância neste congresso.

Documentos relacionados