Os benefícios do uso do GNV

Сomentários

Transcrição

Os benefícios do uso do GNV
Publicação mensal do gás veicular do Brasil
Os benefícios
do uso do GNV
JULHO 2008 // Nº88
1- A instalação do gás aumenta a
autonomia e desempenho do seu carro,
pois não anula o combustível original.
2- A vida útil dos equipamentos e cilindros
de GNV é de 10 anos. Se o dono do
veículo quiser vender seu carro, poderá
optar em vendê-lo com o kit incluído ou
retirá-lo e reinstalá-lo em outro veículo.
3- O uso do GNV aumenta a vida útil do
motor.
4- O gás natural para veículos não tem
como ser adulterado como os combustíveis
líquidos.
5- O GNV não polui, mantendo as velas
limpas, não lava as paredes dos cilindros do
motor, permitindo uma melhor lubrificação.
6- O gás natural veicular é mais leve que o
ar. No caso de vazamento, se espalha pela
atmosfera. A quantidade necessária de gás
para se formar uma mistura explosiva, são
maiores que a dos outros combustíveis.
7- Convertendo seu veículo para GNV,
notará uma diferença de 70% com relação
aos outros combustíveis.
8- O uso do GNV implica em uma substancial diminuição ou direta desaparição de
monóxido de carbono, óxidos de nitrogênio
e ozônio a nível do solo.
9- Em 1995 a Conferência Mundial de
Energia celebrada em Tóquio, declarou o
gás natural como combustível alternativo
número 1, devido a sua abundância, baixos
custos de extração, transporte, e distribuição,
baixo nível de contaminação e segurança.
10- O GNV não é o combustível do futuro.
É uma opção para o presente. É uma saída
para os problemas energéticos centrais que
prejudicam atualmente a economia e a
saúde da população. O GNV é a melhor
alternativa.
2
Julho 2008
Momento
do GNV
mercado de gás natural no
Brasil passa mais uma vez
por um momento de turbulência. Alguns especialistas
do setor acreditam que seja uma
crise passageira. Isso acontece devido
a uma falta de política sobre a
questão de leis claras para o gás.
Além de um não grande interesse de
acordo alguns protagonistas do setor,
por parte do governo federal.
O que sempre salvou o GNV no
meio de tudo isso foi o investimento
forte de algumas grandes empresas.
Divulgando suas marcas, investindo
em tecnologia para o setor do gás
natural veicular E buscando o seu
desenvolvimento. E ainda com a
colaboração regional dos governos
estaduais, com alguns incentivos fiscais.
Muitos acreditam na manutenção
do crescimento do mercado de GNV
no Brasil. Apesar das incertezas na
oferta de gás, mas com as descobertas
de reservas da Bacia de Santos, Tupi,
entre outras, se espera um futuro
promissor de abastecimento para os
próximos anos.
O País tem perspectiva de desenvolvimento. Três representantes da
cadeia produtiva do GNV fizeram
comentários em um artigo, com
exclusividade para a Folha do GNV,
sobre seus anseios, visão do mercado
e do governo e suas expectativas.
Confiram a seguir as matérias nesta
edição do jornal, de R.Fernandes, do
IBP; Daniel Turi, da Tury do Brasil e
Sodré, da Forza.
O
O sobe-e-desce do gás
R. Fernandes
Presidente da ALGNV
s recentes abalos ocorridos no
setor de gás natural,
especialmente afetando a área de
GNV, demonstram que ainda não
contamos com um mercado maduro de
gás, em todos os sentidos. O início da fase
atual, na verdade, se deu há menos de 10
anos, em 1999, quando o Brasil começou
a receber o gás da Bolívia. De repente, um
pouco mais adiante, nosso governo se deu
conta que estávamos pagando uma conta,
resultante de um contrato assinado com o
país vizinho, para cobrir uma oferta de gás
natural, para a qual não tínhamos uma
correspondente demanda. Daí, o governo
tomou a decisão de estimular fortemente
o consumo do gás natural no país, em
todas as áreas, para fechar essa conta.
Isso deu início ao chamado “programa de
massificação do uso de gás”. Ao mesmo
tempo, o país desenvolvia um programa
próprio, para produzir e ofertar gás de
origem local.
Mais adiante, com a eleição dos novos
governantes da Bolívia e a ameaça de
confisco de reservas de gás e unidades de
produção naquele país, é interrompido o
programa de investimentos e a expansão
da oferta proveniente do país vizinho.
Surgiram então os planos de
contingenciamento para o uso de gás.
E a prioridade de atendimento da
demanda, foi dada à geração de energia
elétrica, deixando de lado os demais
O
R.Fernandes do IBP
consumidores, que até então vinham
sendo estimulados a consumir o gás
natural.
A falta de uma sólida política
energética, que busque racionalizar o uso
do gás natural, compromete a posição do
governo e a credibilidade conquistada
para o uso desse energético no país. Hoje,
o consumo de gás natural no Brasil, varia
em torno de 50 milhões de metros
cúbicos diários, sendo a indústria e a
geração elétrica, os maiores
consumidores. O GNV hoje representa
uma demanda de somente 13% desse
total. Especialistas no assunto acreditam
que através de estímulos para a
racionalização do uso do gás natural, se
poderia seguramente dividir melhor a
oferta, sem comprometer o crescimento e
o desenvolvimento econômico dos
setores demandantes. Entretanto, isso não
vem sendo feito, por falta de políticas
próprias e motivações adequadas.
Enquanto isso, o preço do petróleo
sobe, a gasolina e o diesel têm seus
preços fortemente controlados, os
biocombustíveis têm suas limitações, e o
Brasil compromete o seu futuro com a
perda de investimentos no segmento,
menor geração de empregos e a
possibilidade de dispor de uma matriz
energética mais diversificada, competitiva
e limpa, especialmente na área de
transportes.
O setor de GNV deve se manter
confiante em defesa de um permanente
crescimento sustentável, especialmente
tendo em vista que o uso de gás natural
em veículos é fundamental para substituir
o uso de combustíveis derivados de
petróleo, e gerar melhores condições
ambientais para nossas cidades.
Estamos praticamente a três meses das
eleições municipais, as quais representam
uma excelente oportunidade para uma
aproximação do setor de GNV.
A comunidade política deve ser alertada
para a defesa de melhores condições
ambientais, estímulos para o uso de
combustíveis mais limpos e geração de
empregos. Isso resultará em significantes
economias para a população e para o
custeio do governo municipal.
Desenvolvemos tecnologia para
você ampliar seus horizontes
Comutadoras
Emuladores
de injetores
Redutores
Simuladores
de sonda
Sistemas
Gerenciadores de gás
Acessórios
Variadores de
avanço
Acessórios de
programação
A Tury oferece a você produtos de alta tecnologia e performance, que garantem o desempenho
excepcional que você precisa. Aliado a um moderno design, oferecemos para você o que há
de mais moderno e sofisticado em soluções de produtos para GNV no mercado.
EMPRESA ASSOCIADA
W W W . T U R Y. C O M . B R
PRODUTOS
CERTIFICADOS
*Fotos meramente ilustrativas.
Linha completa de produtos para GNV
4
Julho 2008
Desabafo do setor
Daniel Turi
Direção – Tury do Brasil
sensação de frustração é enorme
por parte de mais de três
milhões ou mais de brasileiros.
Brasileiros estes que são
proprietários ou familiares de veículos
convertidos para gás natural veicular,
funcionários das empresas do setor que
movimentam indústrias, oficinas,
organismos de inspeção, taxistas,
frentistas e tantos outros. Frustração
também dos pequenos e micro
empresários que juntos investiram mais
de 6 bilhões de reais do setor de GNV.
Frustração da área tecnológica deste
setor que investiu na formação e
capacitação de mão de obra especializada,
que desenvolveu tecnologia adequada
para as questões ambientais e de
qualidade.
Novamente o povo brasileiro é
atacado por uma dura política do
governo nacional e da Petrobras que
estraga todo um investimento feito.
É de se preocupar que o aumento do gás
natural veicular não esteja preocupando o
governo federal no que diz respeito à
inflação de preços na economia. São mais
de um milhão e meio de veículos que
trafegam com o GNV todos os dias
fazendo entregas, na cadeia de serviços e
tantos outros que movimentam a
economia nacional. O aumento
indiscriminado do preço do GNV para o
consumidor final com certeza causou um
A
Investindo em tecnologia para o GNV
enorme impacto na inflação de forma
direta e indireta. Mas estes números não
estão sendo computados nos índices de
inflação do governo.
Como no programa pró-álcool, o
governo brasileiro causa enormes
prejuízos na população brasileira que
acreditou na política de incentivo de um
novo combustível e demonstra enorme
desrespeito para quem acreditou neste
mesmo governo.
Também ficamos frustrados com a
geração termoelétrica à gás natural no
Brasil. Dados mostram que o custo de
energia elétrica ficou muito mais caro
para o brasileiro desde que a Petrobras
começou a gerar eletricidade em suas
usinas termoelétricas a gás natural.
O custo desta energia é muito mais cara
do que a hidroeletricidade.
Outros estudos apontam que não era
necessária esta geração, pois no período
de chuvas entre 2007 e 2008 houve
excesso na precipitação e os
reservatórios até jorraram água para fora
de seus diques. Ou seja: Por que gerar
energia a gás se está sobrando água nos
reservatórios? Isto tudo á custo muito
mais elevado para o povo brasileiro.
Parecendo estar alheio a todos estes
dados, ou então sabendo de coisas que
nós, pobres mortais brasileiros não
ousamos saber, a equipe técnica do
governo vem estimulando a paralisação do
setor do GNV. Em seu lugar se prega o
uso do álcool ou do etanol.
Mas vejam que a Indústria brasileira
montadora de veículos vem registrando
recordes sobre recordes na venda de
veículos e que todos estes são agora
dotados da tecnologia FLEX. O primeiro
semestre de 2008 registrou um recorde
na venda de veículos no Brasil. 2,5 milhões
de novos veículos. 99,98 destes são FLEX.
A considerar uma projeção para o
período 2009-2012 no Brasil, com as
previsões de venda de novos veículos, a
projeção para as exportações do
ETANOL, as projeções da Petrobras para
o aumento na oferta do gás natural no
Brasil (PLANGÁS) e a projeção da
entrada de novas fontes de energia
elétrica sendo principalmente a
bioeletricidade, a eólica, as novas UHE’s da
Amazônia e as usinas nucleares será fácil
constatar o seguinte:
® Não haverá combustível liquido
suficiente para a futura frota de veículos
do Brasil, considerando as exportações do
álcool brasileiro para EUA, Japão e Europa;
® Poderá haver enorme sobra de gás
natural dentro de 5 anos, pois novas
fontes de energia, mais baratas do que a
energia termoelétrica do gás natural, vão
entrar no sistema elétrico nacional,
causando concorrência para a geração
térmica à gás natural;
® Com a relação oferta x demanda do
álcool desfavorável, haverá pressão para a
inflação nos preços dos combustíveis
líquidos, pois os produtores de álcool vão
preferir exportar do que abastecer o
mercado interno;
Diante disto o gás natural veicular
provavelmente será novamente o
combustível mais econômico para o
consumidor brasileiro. Porém o governo
através das declarações de sua equipe
técnica e ministerial e também da política
de preços para o GNV no Brasil, está
demonstrando total incoerência com sua
política passada de estímulo ao uso do gás
para automóveis e também ao cenário
futuro do mercado de combustíveis no Brasil.
A atual ação do governo, além de
incoerente com suas políticas iniciais,
também está conseguindo matar todo o
setor. É muito forte a tendência de
fechamento das oficinas convertedoras
cadastradas no INMETRO e também da
desinstalação dos kit’s por parte dos
usuários. O quebra deste setor, mesmo
que momentânea, representará problemas
caso o governo federal e a Petrobras
voltem a precisar que o GNV seja
utilizado no Brasil, pois a paralisação
representará defasagem tecnológica tanto
na indústria como na mão de obra das
oficinas para o cenário futuro.
É preciso que o governo trate com
maior seriedade o mercado de GNV do
Brasil, pois no futuro novos blecautes ou
gigantescos prejuízos poderão ser
novamente realidade no país. Existem
grandes chances do GNV poder ajudar o
Brasil e ser até indispensável. Ou pela
sobra do Gás Natural no médio prazo ou
pela exportação e aumento do consumo
interno do álcool que certamente
inflacionará estes preços, podendo até a
criar um apagão do setor de combustíveis.
Infelizmente isto tudo descrito acima
são fatos reais e as possibilidades de que
venham a se tornar realidade são grandes.
Também infelizmente o governo federal e
a Petrobras não demonstram grandes
preocupações com isto tudo. Nem com a
quebra do setor do GNV no Brasil e nem
com estes cenários futuros.
E finalmente e infelizmente, novamente
nós, sociedade brasileira é quem iremos
pagar por estes possíveis erros que agora
estão sendo cometidos pelo nosso
governo federal e pela Petrobras.
Inflação futura, desemprego e falência
do setor de GNV e um cenário
imprevisível à curto, médio e longo prazo
dos problemas energéticos e dos
combustíveis.
Com seriedade e respeito, envolvendo
todos os atores do setor, tudo isto
poderia ser resolvido sem que nenhum
brasileiro fosse excluído ou prejudicado.
Mas....
Abraços à todos aqueles que são
pessoas sérias e querem construir um
futuro digno para o Brasil.”
6
Julho 2008
Hora de unir forças
Alecionildo Pererira Sodré
Diretor de Expansão da Forza
assinatura de contratos entre as
distribuidoras e a Petrobras foi
um dos fatores determinantes
para normalizar o setor.
Atualmente o setor está maduro o
suficiente para não sofrer grande abalo
com a flutuação de preços. É fato que
mesmo com a elevação do preço, o GNV
ainda é o combustível mais econômico
para os brasileiros, se comparado ao
álcool, por exemplo.
É primordial que os agentes do setor de
GNV se unam para fornecer informação
relevante sobre o GNV, além de
campanhas de incentivo e conscientização
para os motoristas ressaltando ainda as
vantagens econômicas e ambientais do gás.
Essas ações ainda poderão esclarecer
sobre a segurança do uso deste
combustível.
As autoridades governamentais
deveriam contribuir para criar
mecanismos de fomento ao consumo de
gás natural veicular como: redução de
impostos para usuários, subsídios para
cadeia produtiva, entre outros.
Considerando que a redução de emissões
de poluentes traria economia no
custo/investimento com a saúde pública.
As perspectivas são as melhores e a
descoberta de novos campos de petróleo
em território brasileiro trará, em médio
prazo, uma oferta abundante de GNV. A
A
Sodré, diretor de Expansão
indústria do Gás Natural Veicular será um
canal importante e, inclusive poderá ser
um pilar para o crescimento da economia
nacional através da transferência de renda.
O mercado GNV cresceu bastante e
continua crescendo, é um mercado que
cresce sozinho. Então apesar de toda crise
ele vai continuar tendo crescimento.
Breve histórico da Forza
A Forza foi fundada em 1999, no Rio de
Janeiro. Empresa com capital 100%
brasileiro, com a proposta de ser uma
rede de postos independente, completa e
especializada na revenda de combustíveis
líquidos e gás natural veicular. Atualmente,
a empresa possui 32 pontos-de-venda
próprios que estão estrategicamente
distribuídos pela cidade do Rio de Janeiro
e municípios vizinhos.
7
Julho 2008
Equipamento é de fácil instalação e chega ao mercado com preço altamente competitivo
White Martins lança novo kit de
conversão na NGV 2008
White Martins lança um novo kit
de conversão de motores para
GNV durante a NGV 2008, que
aconteceu entre os dias 3 e 5 de
junho, no Rio de Janeiro. A novidade é a
linha Sequent, um kit de 5ª geração que
traz muitas vantagens para os motoristas.
Entre elas, o tempo de conversão, que
pode ser reduzido em mais de uma hora,
e o preço mais acessível.
A linha Sequent (Plug & Drive e MY07),
proporciona facilidade de instalação e
programação do kit. A programação nos
modelos hoje disponíveis demora, em
média, 1h30. Já o kit da linha Sequent
permite que essa operação seja feita em
apenas 15 minutos.
Os visitantes da NGV 2008, que é o
maior evento mundial do mercado de
GNV, conferiram no estande da empresa
um automóvel Peugeot Partner, já
convertido com o kit Sequent e equipado
com o cilindro da linha Light. Instalado na
parte inferior da carroceria, o cilindro não
ocupa espaço no compartimento de
bagagem do veículo. O kit atende as
principais normas nacionais e
internacionais de controle de emissão de
poluentes.
Além do novo kit de conversão, a
White Martins vai expor ainda todos os
produtos e serviços do segmento de Gás
Natural comercializado no Brasil e no
A
exterior. Entre os produtos do mercado
interno estão os 22 modelos das linhas de
Cilindros Cilbrás — Light, Standard,
Industrial e Composite. A linha Light, que
é exclusiva da White Martins e chega a
ser até 25% mais leve que os modelos
tradicionais de cilindro, será um dos
destaques.
A White Martins exporta regularmente
cilindros para países como Argentina,
Peru, Colômbia, Venezuela, Chile, Bolívia,
México, Paquistão, Malásia, Bulgária,
Bangladesh, Emirados Árabes, Egito,
Singapura e Tailândia. Para o segmento de
Gás Natural Comprimido (GNC), a
empresa apresentará uma linha completa
de equipamentos e serviços específicos
para regiões onde o gás natural ainda não
chega via gasoduto. As
Buscando soluções
soluções apresentadas oferecem garantia
de suprimento para grandes e médios
volumes, aplicadas em indústrias,
comércios e postos de GNV. Entre elas
estão Cesta de Cilindros, Gasoduto
Móvel, Sistema de Recompressão de GNV
e Base de Compressão e Distribuição de
GNC.
Sobre a NGV 2008:
O Brasil é um país de destaque no
cenário mundial de Gás Natural Veicular.
Somente o Estado do Rio de Janeiro possui metade da frota nacional de veículos
movidos a GNV. Esse foi um dos motivos
que levou a cidade a ser escolhida como a
sede do 11º Congresso Mundial de GNV.
Realizado a cada dois anos, o evento é
promovido pela International Association
for Natural Gas Vehicles (IANGN) e foi
organizado no Brasil pelo Instituto
Brasileiro de Petróleo, Gás e
Biocombustíveis (IBP) e pelo NGV
Communications Group.
O congresso é o maior do mundo no
setor e debateu temas como o
desenvolvimento de novas tecnologias de
geração de gás e o mercado de carbono.
Além do congresso, o evento contou com
um pavilhão de exposições e a
apresentação de trabalhos técnicos.
Nos últimos anos, o evento foi realizado
em Washington (USA), em 2002, em
Buenos Aires, em 2004 e na cidade do
Cairo, em 2006.
8
Julho 2008
Demonstração do desempenho do gás natural veicular, álcool e gasolina
Rally do GNV
O setor de GNV do Rio de Janeiro preparou uma Campanha, que aconteceu no final do mês de junho. O 1º Rally do GNV – economia a todo Gás.
Com o objetivo de esclarecer os benefícios econômicos e ambientais do combustível.
largada para o evento aconteceu
no Posto Lobinho (Rio
Comprido). Três carros idênticos
percorreram 700km no circuito
Rio-Itatiaia-Rio-Búzios-Rio para comparar
o desempenho do GNV, álcool e gasolina.
Um modelo de veículo não-convertido em
oficina foi escolhido especialmente para o
rally. - Fiat Siena 1.4 tetra fuel - para que
não existissem interpretações equivocadas
de desempenho ou beneficiamento de
alguma instaladora de kits.
O GNV apresentou menores riscos
ambientais do que outros combustíveis.
No caso de um eventual acidente, o gás
natural se dissipa na atmosfera - em vez
de causar um derramamento no solo -, o
que representa um enorme benefício para
nossas reservas de água e vegetação.
Atualmente a indústria do GNV emprega
cerca de 50 mil pessoas no Brasil.
A
O 1º Rally do GNV provou que o gás
natural é o combustível mais econômico
em relação ao álcool e a gasolina. Durante
o evento promovido pela indústria de Gás
Natural Veicular, estes três carros
idênticos percorreram 712km no circuito
Rio-Itatiaia-Rio-Búzios-Rio para comparar
o desempenho dos três combustíveis.
O resultado foi calculado por especialistas
que acompanharam o trajeto e mostrou
que o carro movido à GNV consumiu
38,07 litros de combustível e gastou 61,05
GNV - mais economia
reais em abastecimento. O carro movido à
álcool teve consumo de 67,01 litros e o
custo foi de 124,13 reais. O carro à
gasolina consumiu no total 47,09 litros e o
custo de seu abastecimento foi 130,40 reais.
Ainda durante o Rally, foram
comprovados os benefícios ambientais do
Gás Natural Veicular. Cada quilômetro
rodado por um veículo movido a gás
natural corresponde a 167g de CO2
liberados na atmosfera, enquanto gasolina
e álcool emitem 207 e 183 gramas,
respectivamente. Traduzindo esses
números para a frota anual de veículos
convertidos, significa que por ano são
mantidas aproximadamente 2.600.000
árvores ao converter o veículo a álcool
para GNV e 6.500.000 árvores ao
converter o veículo a gasolina para o gás.
Demonstrando o desenpenho
10
Julho 2008
Há mais de 40 anos dedicada a produção de cilindros para gases de alta pressão.
Intensificando a presença no mercado
A infra-estrutura, o investimento tecnológico e as melhorias contínuas nos levam a desenvolver cilindros tipo I,
tipo II e tipo III, sendo reconhecida nossa qualidade a nível mundial. Hoje a capacidade produtiva é de
500.000 cilindros anuais e exportamos 80% para 42 países.
Eng. Horacio Corridoni
Inflex do Brasil
ontinuamos intensificando nossa
presença nos mercados mais
destacados e na abertura de
novos mercados. Estamos
trabalhando com projetos grandes e
importantes a nível mundial.
Recentemente foi assinado um “
Joinventure” com Paquistão para
instalação da primeira fábrica de cilindros
no país. Terá uma capacidade produtiva de
260.000 cilindros anuais. Reforçando a
distribuição no Sudeste Asiático e Oriente
Médio. Também estamos com um projeto
de desenvolvimento de uma nova fábrica
na América Latina.
Nos firmamos ao mundo por nossas
exportações, e também de forma direta
com nossas filiais em Dubai (Emirados
Arábes) e Inflex do Brasil em São Paulo
(Brasil).
No Brasil estivemos presentes desde o
início, seguindo o crescimento do GNV, e
desde 2004 trabalhando através de nossa
filial em São Paulo, a Inflex do Brasil.
Dessa forma participamos ativamente
dentro do mercado em diversas regiões
do país.
O mercado brasileiro é sem dúvida, a
C
Grupo Inflex
mais importante da América Latina, se
bem nos últimos meses tivemos uma
baixa devido a crise do GNV, porém
sabemos que é a curto prazo e
solucionando os problemas de
abastecimento de gás, continuará com o
crescimento sustentável ao ritmo dos
anos anteriores. Apoiados em nossa
qualidade e estando presente no Brasil
por meio de nossa estrutura, Oferecemos
serviços de alta qualidade pelo fato de
estarmos próximos aos clientes,
acompanhando o mercado e oferecendo
suporte para um melhor resultado.
E o mais importante, sempre
trabalhando com o compromisso de
melhorar o meio ambiente e a qualidade
de vida.
12
Julho 2008
NGV Turim
Aonde todos os caminhos se cruzam
A
exposição da II Feira Mundial de Gás Natural
Veicular, Biogás e Hidrogênio expressa sua
avançada marcha nos seguintes números:
Superfície coberta:......................................................7.620 m2
Superfície externa:......................................................2.000 m2
Superfície total: ...........................................................9.620 m2
Superfície para estandes:...........................................4.150 m2
Estandes totais: ......................................................................101
Alguns Sponsors
Gold: Fiat Group -Fiat Auto, Iveco, Centro Ricerche Fiat,
Fiat Powertrain Technologies, Magneti-Marelli
Silver: Gruppo Torinese Trasporti, Landi Renzo, Torino
Metano e Safe SRL.
Patrocínios¬: Governo da Região de Piamonte, Governo
da Província de Turim, Governo da Cidade de Turim,
Instituto Politécnico de Turim - Universidade do
Automóvel, NGVA Europa (Associação Européia de Gás
Natural Veicular), Federmetano, Gasföreningen
(Associação Sueca de Gás), Associação Tcheca de Gás,
Associação Portuguesa de Gás Natural Veicular e
Associação Latino-americana de Gás Natural Veicular.
Setores representados: Além da indústria automotora e
dos tradicionais do setor, se destacam mapas e GPS para
postos de abastecimento, cilíndros tipo I, II, III e IV, de
hidrogênio e de GLP, organismos de certificação,
eletrônica, accesórios, entre outros.
Alguns Países presentes¬: Alemanha; Argentina; Armênia;
Áustria; Brasil; Canadá; Coréia; Estados Unidos; França;
Holanda; Índia; Itália; Luxemburgo; Noruega; Peru; Polônia;
Reino Unido; República Tcheca; Suíça; Turquia.
Delegações asiáticas convidadas: Bangladesh; China; Hong
Kong; Indonésia; Malásia; Paquistão.
Veículos em exposição: 21 leves, 8 utilitários e 3 pesados
-movidos a gás natural, biogás, hidrogênio ou GLP.
Postos de abastecimento em exposição em área
descoberta: 4 de GNV e Hidrogênio.
Registros online
Expo: 324 (Europa 34%, Itália 29%, Ásia e Oriente Médio
17%, América 13%, e outros 7%)
Conferências: 73
Tour Técnico: 24
Divulgação: 21 meios e 29 associações e entidades.
Todos estes números podem ser observados detalhadamente em www.ngvworldfair.com
Alguns Expositores
AEB
Agira
Aldesa
Asco
Aspro
Belletti.
Benco
Centro Ric.Fiat
Citroën
Comp Air
Cryostar
Digitar
Dresser W.
Endress+Hauser
ENI
Emer
Emerson
Emmegas
Eugen Seitz
Faro
Fives Cryomec
Fornovogas
Faber
Fiat Auto
Fiat Group
Fiat Powert..
Galileo
GET
Hale Ham.
Idromecc.
Imi-Alpengas
Iveco
KCR Corp.
Krohne
Landi Renzo
Luxfer
Magneti-Marelli
Mesmer&AMA
Metatron
MTM–BRC
OMB Saleri
OMAL
OMVL
OPW
Rail
Rama.
Raufoss
RHPS–RTI
Rotarex
Safe
Sicom
Stako
Tartarini
Tecnocryo
Tenaris
Tescom
TUV Saarl.
Ullit
Valtek
Vanzetti
Vítkovice
Worthington
Xperion
Zavoli
NGV System
NGV Com
14
Julho 2008
Previsto para iniciar operação em 2010
Gasoduto ligará Tupi e Mexilhão
A Petrobras está com licitação aberta para a construção de um gasoduto que ligará o projeto-piloto de Tupi e a
plataforma do campo de Mexilhão. O gasoduto terá 200 quilômetros de extensão e será capaz de
transportar 10 milhões de metros cúbicos de gás por dia.
egundo o gerente-geral da
Unidade de Negócio de
Exploração e Produção da Bacia
de Santos, José Luiz Marcusso, o
projeto-piloto de Tupi, localizado no
pré-sal da Bacia de Santos, iniciará
operação em 2010, produzindo 3 milhões
de metros cúbicos por dia de gás.
S
Ainda de acordo com Marcusso, como a
primeira grande descoberta de gás natural
na Bacia de Santos foi obtida através do
Projeto Mexilhão, está sendo construída
uma plataforma fixa de gás natural, há
aproximadamente 140 km da costa de
Caraguatatuba, em São Paulo.
Com cerca de cinco mil metros
quadrados, esta será a maior plataforma
fixa de gás do país.
Serão produzidos 15 milhões de m3/dia,
sendo que ela estará pronta para operar
no segundo semestre do ano que vem e o
gás será escoado para Caraguatatuba”, diz.
Antes disso, em março de 2009, está
prevista a primeira produção de Tupi,
durante a realização do chamado teste de
longa duração (TLD). Marcusso revelou
ainda que o TLD e o projeto-piloto de
Tupi demandarão investimentos
superiores aos US$ 2 bilhões.
Em operação até 2010
Com a interligação do projeto-piloto de
Tupi e da plataforma de Mexilhão, o
volume de gás a ser escoado pela
estrutura somará 35 milhões de metros
cúbicos por dia. A plataforma irá retirar
15 milhões de metros cúbicos de
Mexilhão e receberá mais 10 milhões dos
campos Tambaú e Uruguá.
16
Julho 2008
Petrobras e Comgás firmam acordo para novos volumes de gás
Já saiu ! Compromisso assinado
L
PRONÓSTICO: 50,000 RODADOS CONVERTIDOS A FIN DE AÑO
A todo ritmo
Al cierre de esta edición, la cantidad de
vehículos circulando a GNV ascendía a 32,000,
mientras que las estaciones de carga llegaban
a 32. El mercado del GNV en el Perú continúa
Tão logo a oferta esteja disponível, nos dispomos a negociar novos volumes', afirma diretora da estatal
afianzándose. Para finales del 2008, además de
las 50,000 unidades convertidas, se aguarda
contar con 50 gasocentros, lo cual permitirá
garantizar una atención segura y sin dificultades
para los usuarios de este próspero mercado.
Año II Nº 11
Lima // República de Perú
Abril de 2008
[email protected] // www.ngvgroup.com
INFORME ESPECIAL SOBRE ESTE ESLABÓN CLAVE DE LA INDUSTRIA DEL GNV
Todo sobre el mercado de los PEC
Este sector ha registrado un marcado crecimiento, impulsado directamente por la escalada en la cantidad de conversiones que se producen cada
mes en el Perú. Las empresas protagonistas de esta actividad dialogaron con PVP sobre la expansión del mercado y los planes que proyectan
implementar en el futuro. Además exponen sus productos.
L
BONO DE CHATARREO
Ya es un hecho
Al cierre de esta edición, se
esperaba el inicio de la
aplicación del “Bono de
Chatarreo”, que permitirá el
retiro de los vehículos
antiguos del mercado
automotor por unidades
nuevas propulsadas a GNV.
En los próximos 12 meses,
serán renovados 20,000
vehículos.
L
NGV 2008
Falta sólo un mes
Del 3 al 5 de junio, el mayor
evento de GNV del mundo se
celebra en Río de Janeiro.
La Exposición y Congreso
Internacional de la
Asociación Internacional de
Vehículos a Gas Natural, ya
es un éxito y quedan pocos
stands para adquirir. Visite
www.ngv2008.com.br.
[email protected]
L
AL CIERRE DE ESTA EDICION, SE INAUGURABA LA NGV 2008
Colombia,
presente en Río
Con la presencia del Cónsul
General de Italia, Ernesto Massimo
Bellelli, entre muchas otras altas
figuras nacionales y extranjeras,
abrió sus puertas la conferencia y
exposición mundial de la IANGV.
Bellelli encabezó un brindis de
honor en el stand que promueve
los eventos World Fair Torino 2008
y NGV 2010 Roma.
www.kioshicompresion.com.ar
Año I Nº 4 - Bogotá // Colombia - Mayo
www.kioshicompresion.com.ar
de 2008
El GNV es la mejor opción:
es económico y ecológico
SOBRETASA
Oposición oficial
El ministro de Minas y Energía,
Hernán Martínez, señaló que
se continuará con las políticas
de “expansión del gas natural”.
Y añadió que por el momento el
Gobierno no está de acuerdo
con la aplicación de una
sobretasa al gas, como
propusieron algunos municipios.
L
El galón de gasolina, que este año ya ha trepado a los 200 pesos, está más caro en Colombia que en Estados
Unidos. Como el gas no es subsidiado, la sustitución anual de 5 millones de barriles de gasolina por gas
implica un ahorro de 55 millones de dólares anuales en subvenciones. Los aproximadamente 250.000
vehículos propulsados a GNV que circulan en el país, economizan unos 450 millones de dólares anuales.
Además, si estos mismos usaran gasolina, generarían un 40 por ciento más de emisiones contaminantes.
En salud, el GNV también representa un ahorro para el país: 25 millones de dólares anuales.
L
FRENTE A LOS ALTOS PRECIOS DE LA GASOLINA, LOS AUTOMOVILISTAS SE VUELCAN AL GAS
ABIN
Refundar el negocio
La opinión y el análisis del
mercado por parte de la firma
importadora y distribuidora de
equipos, pone de relieve las
fortalezas y debilidades del
segmento del GNV colombiano.
“Colombia apunta a ser el
segundo país en cantidad de
vehículos convertidos.”
L
RESERVAS
Inversiones
Colombia posee un gran
potencial en reservas de gas y
petróleo, según sendos
informes que revelan además
que el país se ha convertido en
el más atractivo de América
Latina para la inversión
extranjera en producción de
hidrocarburos.
[email protected]
diretora de Gás e Energia da
Petrobras, Maria das Graça
Foster, revelou que a companhia
firmou uma carta de compromisso
com a Comgás se comprometendo a
fornecer novos volumes de gás natural
assim que a estatal possuir oferta. "Tão
logo os projetos estejam concluídos e a
oferta esteja disponível, nos dispomos a
negociar novos volumes", disse a executiva
durante evento realizado em Santos. A
diretora da Petrobras contou que existe
compromisso semelhante com a
distribuidora CEG, do Rio de Janeiro.
A
De acordo com a executiva, os novos
volumes a serem comercializados com a
Comgás podem chegar até a 5 milhões de
metros cúbicos por dia (m³/d) em 2012. A
executiva ressalta que o número pode
variar, uma vez que se tratar de uma
média ao longo do ano. Pelas informações
da estatal, a partir de 2010 já haveria a
possibilidade de a Comgás receber um
volume adicional de 2,1 milhões de m³/d.
Maria das Graça contou que esse
compromisso foi sinalizado na assinatura
da renovação dos contratos com a
companhia em dezembro de 2007.
A executiva afirmou que, durante as
negociações, a Comgás tentou contratar
novos volumes adicionais junto a
Petrobras, o que não foi possível atender
Maria das Graças Foster, Diretora de Gás e Energia - Petrobras
integralmente. Ainda assim, a executiva
disse que os novos volumes contratados
pela concessionária são superiores aos
definidos no antigo contrato.
Para esses novos contratos, a executiva
afirmou que ainda não está definido se o
gás será comercializado nas modalidades
flexíveis ou se será um volume firme. "Mas
com certeza algum volume será firme.
Para nós, esse tipo de contrato é muito
melhor", garantiu a diretora da Petrobras,
ressaltando que esse é um contrato que
confere maior previsibilidade.
A executiva admitiu que a entrada de
novos volumes de gás a partir de 2009
depende, além da entrada em operação de
novos campos de gás, da conclusão dos
projetos da área de transporte. Entre os
empreendimentos citados estão os
gasodutos Gastau, Gasan e Caraguatatuba
- Taubaté. "Não iremos cometer o erro de
vender o que não temos. As decisões são
tomadas com racionalidade", disse a
executiva.
De acordo com Maria das Graça, a
Petrobras é a principal interessada em
desenvolver o mercado para consumir o
gás que produz, uma vez que isso permite
monetizar as reservas da companhia.
II Feira Mundial de Veículos a
Gás Natural e Hidrogênio
II World Fair of NGVs & H 2 Vs
Sponsor
Gold
Sponsor
Hosted by
Sponsor
Silver
Sponsor
Silver
Supported by
Supported by
Organizzatore
Organizer
Energia limpa para um mundo sustentável
Clean energy for a sustainable world
Esposição - Ciclo de Conferências Magistrais
Exhibition - Master Conferences
De 25 a 27 de setembro de 2008
September 25-27, 2008
Lingotto Fiere, Pavilhão 1 - Turim, Itália
Lingotto Fiere, Pavilion 1 - Turin, Italy
www.ngvworldfair.com
[email protected]
18
Julho 2008
Um panorama sobre alguns dos principais consumidores de GNV no mundo
O estímulo do combustível nos continentes
O incentivo ao GNV varia de um país para
outro, e depende necessariamente de oferta,
procura e legislação. Em diversos países, o
governo estimula ou mesmo exige o uso do
combustível em seus veículos, visando uma
menor agressão ao meio ambiente e levando
em consideração, além do mercado, a
viabilidade econômica do combustível.
A
mérica do Sul
Dentre os países da América do Sul que mais
consomem GNV, encontram-se Brasil, Venezuela,
Bolívia e Argentina. Neles, o uso do GNV cresce
constantemente, em função do crescente número de
descobertas de jazidas petrolíferas e de Gás Natural, e do
incentivo governamental às conversões. A Argentina está
em primeiro lugar no ranking mundial de consumidores
GNV Continental
Hacia una
limpia y sosmteonvilidad
ible
Towards a lea
n and
sustainablecm
obility
17-19
JUNIOJUNE
2009
Feria de Madri
d
Madrid Fair
Pabellón 1 Pavil
ion 1
[email protected]
adrid.com
www.gnv2009m
adrid.com
Un evento de
An event of
Organizado por
Organized by
de Gás Natural em veículos. Pelas estatísticas, o país
possui em circulação mais de 1.698.700 veículos movidos
pelo combustível, com 1.753 postos de abastecimento
disponibilizando GNV. O país importa cerca de 2 milhões
de metros cúbicos por dia do Gás da Bolívia para
abastecimento próprio.
A Bolívia, contando com mais de 84.130 veículos a
GNV, é um dos maiores produtores e exportadores de
Gás Natural do mundo. O país tem disponível cerca de
50 trilhões de metros cúbicos do Gás e, desse volume,
boa parte é comprada pelos brasileiros e argentinos. Um
exemplo de incentivo governamental para as conversões
no país é o que ocorre no departamento de
Cochabamba, região onde mais se utiliza Gás Natural no
país: estava em estudo na Federação Departamental de
Autotransporte "15 de Abril" um decreto de lei
regulamentando a conversão de veículos a GLP ao uso de
GNV. A incorporação obrigatória de Kits de Gás Natural
em automóveis a serem comercializados em território
nacional, que possui cerca de 44,146 veículos a GNV em
circulação (pelas estatísticas de 2007), foi o plano
utilizado na Venezuela. O país tem uma grande reserva de
Gás Natural, mas dedica uma boa parte de sua produção
ao desenvolvimento de campos de petróleo.
Já o Brasil está aproximadamente com 1.532.844
veículos movidos pelo combustível. Parte do Gás Natural
absorvido pelo segmento veicular é proveniente da
Bolívia, fato que tende a ser invertido após 2010, devido
ao início de produção nas jazidas recém-descobertas da
Bacia de Santos. O especialista Julio Bueno, secretário de
Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e
Serviços, acredita que o uso do Gás Natural é promissor
no futuro - o insumo já representa quase 10% da matriz
energética do país. Para Davidson Santos, vice-presidente
da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de
Gás Canalizado (ABEGÁS), "a produção será mais do que
suficiente para atender a crescente demanda local".
Ásia
Na Ásia, entre os maiores consumidores de GNV estão
a Índia, o Irã, a China, a Tailândia e o Paquistão. O
Paquistão, a Índia e o Irã, necessariamente nesta ordem,
são os três países que mais consomem GNV no
continente asiático. O Paquistão possui 1.650.000 veículos
movidos pelo Gás, e o Irã, 730.107 veículos. A Índia, de
acordo com dados deste ano, tem em seu país 821.872
veículos movidos a GNV, com 315.200 postos de
abastecimento. Neste país, por exemplo, a Autoridade
Regional de Transporte da Índia (RTA) determinou que os
operadores de transporte escolar, até este mês (julho),
convertam seus veículos de GLP a GNV .
No começo de 2008, o número de veículos a Gás
Natural na China era de cerca de 200.873. Mês passado, o
país assinou um acordo de exploração conjunta de Gás
Natural com o Japão, que será executada no Mar do
Leste da China.
Na Tailândia, país que já possuía 71.014 veículos a GNV
em 2007, o incentivo ao uso do combustível é notável,
19
Julho 2008
Ásia
América del Norte
mas a recente crise por causa dos custos dos
combustíveis está levando motoristas a alterarem o sistema de alimentação dos motores de seus carros para o
GLP.
Europa
Alguns dos grandes consumidores de GNV da Europa
são a Itália, a Ucrânia, a Alemanha e a Rússia. O foco das
atenções, no que diz respeito a variação nos preços dos
combustíveis, concentra-se atualmente no continente
europeu, mas em especial em Portugal, devido às crescentes instabilidades neste setor.
Em 2007, a Itália vinha em primeiro lugar no grupo,
com 432.900 veículos a GNV, seguida da Ucrânia
(120.000), da Rússia (95.000) e da Alemanha (64.454). Na
Europa, A Itália é o país mais antigo a adotar o GNV.
Portugal, também em 2007, possuía 379 veículos
movidos pelo insumo, valor pequeno em comparação a
outros países. Após os seguidos aumentos nos preços dos
combustíveis, os portugueses irão pagar mais barato pelo
Gás Natural: no dia 01 de julho (Terça), os preços do Gás
Natural vendido no país tiveram uma queda tarifária
global de 1,2 %, e para os consumidores residenciais com
consumos anuais inferiores a 10 mil metros cúbicos, a
queda foi de 3,4%.
América do Norte
No final de 2007, as estatísticas apontavam que os EUA
possuíam cerca de 100.000 veículos movidos a GNV,
seguidos pelo Canadá, com 12.140 veículos. Os EUA
utilizam o GNV inclusive em ônibus escolares, e na cidade
de Nova York é obrigatório.
Europa
20
Julho 2008
Montadora apresenta seu veículo pesado a gás
“Caminhão ecológico”
No final de maio, a Iveco apresentou na Espanha um inédito caminhão
para distribuição urbana de frigorificados movido a GNC
modelo, uma versão do Stralis
que será utilizado pela operadora
logística Acotral no transporte de
produtos da rede de
supermercados Mercadona, ambas
espanholas, atende as diretrizes ambientais
da AECOC (Associação Espanhola de
Codificação Comercial), entidade que
reúne cerca de 24 mil empresas de
transporte daquele país.
O
Modelo - Com 26 toneladas de
capacidade de transporte de carga e
destinado à distribuição de produtos
refrigerados, o Stralis modelo
AD270S27CNG é equipado com motor
Cursor 8 de 270 cavalos de potência
movido a gás natural comprimido.
O caminhão foi encarroçado com um
furgão frigorífico Tecnove para 20
europalets, que possibilitam carga e
descarga traseira, e ganhou terceiro eixo
direcional para melhor manobra nas áreas
de distribuição urbana.
De acordo com a montadora, o seu
“caminhão ecológico” emite níveis de
óxidos de nitrogênio (Nox) inferiores aos
da futura norma Euro 6 para veículos a
diesel, a vigorar somente a partir de 2012.
“Os veículos movidos a gás natural
oferecem alternativa real, econômica,
Mark your agenda!
"Clean energy for a sustainable world"
Exhibition - Master Conferences
September 25-27 2008
Lingotto Fiere, Pavilion 1 - Turin, Italy
www.ngvworldfair.com
[email protected]
"Towards a clean and sustainable mobility"
International Conference & Exhibition
June 17-19 2009
Madrid Fair, Pavilion 1 - Spain
www.gnv2009madrid.com
[email protected]
"Today's solution for a better transport"
12th Conference and Exhibition of the International
Association for Natural Gas Vehicles -IANGV
June 8-10, 2010
New Rome Fair, Pavilions 9, 10 and outdoor area – Italy
www.ngv2010roma.com - [email protected]
viável e imediata aos veículos movidos a
diesel e permitem reduzir as emissões
sonoras e gasosas”, destaca o diretor da
divisão de gás da Iveco, Manuel Lage.
Atuação - Posicionada como líder
mundial na fabricação de veículos movidos
a gás natural, com mais de dez mil
unidades em operação no mundo, a Iveco
destaca que, diariamente, 445 caminhões
deste tipo já realizam o transporte de lixo
na capital espanhola Madri. A AECOC, por
sua vez, tem como uma de suas principais
bandeiras estimular as transportadoras a
reduzir a atual dependência energética e o
impacto ambiental que geram a partir de
suas atividades.
Dados da entidade apontam que o
transporte por carretas representa
atualmente cerca de 80% do consumo
total de energia do setor de transportes
da Espanha, dos quais 50% consumidos
por veículos privados, 47% pelos veículos
de transporte de mercadorias e 3% pelo
transporte coletivo de passageiros.
Do total de emissões de poluentes na
atmosfera, 32% são de dióxido de
carbono resultante da movimentação de
todos os segmentos do transporte - setor
que depende em 98,5% do uso do
petróleo como fonte de energia, segundo
dados do Instituto para Diversidade e
Economia de Energia.
Para o diretor técnico de logística da
AECOC, Enrique Boigues, a aposta por
um transporte de mercadorias realmente
sustentável não consiste em atuar
somente em uma frente e sim em somar
soluções. Para tanto, a entidade propõe
aos seus associados trabalhar na redução
de emissões mediante o emprego de
motores mais limpos, com novos
combustíveis como biocarburantes,
hidrogênio e gás natural, além de otimizar
recursos e compatibilizar a estrada com outros
modais.
www.ngvgroup.com • Acesse o maior portal de GNV do mundo
Julho 2008
21
As estatísticas do gás veicular
Rodando 100Km
Veículo
Gasolina
KM
Popular
Kombi
F000/ C20
S-10/Ranger V6
Astra/Santana
Auto 6 cil
10
7.5
5.5
6
8
5
Álcool
R$
26,50
35,00
48,00
44,00
33,00
53,00
KM
8.5
6.5
4.5
5
7
4
GNV
R$
16,50
21,50
31,10
28,00
20,00
35,00
KM
12
9
7
8
10
6
R$
11,00
15,00
19,00
17,00
13,00
23,00
Rodando 3000 km
Economia com GNV
Gasolina
Álcool
R$
R$
465,00
165,00
600,00
180,00
870,00
363,00
810,00
330,00
600,00
210,00
900,00
360,00
Quantidade de veículos convertidos
1.555.807 (Junho)
Quantidade média de conversões mensais
7.654 (Junho)
Quantidade de Postos de Abastecimento
1.635 (Junho)
Estados Abastecidos com GNV
20 (Junho)
Cidades abastecidas com GNV
257 (Junho)
M³ de gás vendidos por mês
195.372.000 (Junho)
Consumo diário por veículo
4,18 (Junho)
Consumo mensal por veículo
125,4m³ (Junho)
Preço médio nacional do GNV
R$ 1,38 (Junho)
Preço médio nacional da gasolina
R$ 2,65 (Junho)
Preço médio nacional do álcool
R$ 1,40 (Junho)
Preço médio do diesel
R$ 1,83 (Junho)
Fontes consultadas
••Inmetro •• Instituto Brasileiro de Petróleo e Gás
•• Assessoria Comunicação da ABEGÁS
•• Associação Brasileira de GNV •• Companhias Petrolíferas e
Empresas de Bandeira •• Fornecedores de Cilindros •• The Gas
Vehicles Report •• Prensa Vehicular •• Elaboração própria
Associação Brasileira das Distribuidoras de Gás Canalizado
Postos: distribuição
no litoral atlântico
AM
CE
DF
RN
PB
PE
PI
AL
SE
BA
MG
ES
RJ
SP
SC
RS
PR
MT
MS
GO
1
77
1
64
39
67
1
35
28
65
92
27
476
475
96
49
25
5
11
1
Acesse a lista completa e
detalhada de postos em
www.ngvgroup.com
2
2
24
1
1
1
1
2
1
2
6
2
1
9
1
40
3
1
2
4
60
2
1
4
1
1
1
1
1
1
5
1
1
7
1
7
4
1
3
1
1
9
2
2
44
3
1
2
17
10
1
2
Álcool
Gasolina
1.38
1,40
2,65
Gasto por dia (170km) R$
22,00
34,00
56,10
Custo por km R$
Gasto em 25 dias R$
Média de consumo R$
Brasil: cidades com GNV
Alagoas - 35
Arapiraca
Atalaia
Maceió
Maragogi
Palmeira dos Índios
Pilar
Rio Claro
São Miguel dos Campos
Amazonas - 1
Manaus
Bahia - 65
Alagoinhas
Camaçari
Candeias
Catú
Feira de Santana
Itaberaba
Salvador
Simões Filho
Valença
Ceará - 77
Aracati
Caucáia
Fortaleza
Horizonte
Limoeiro do Norte
Maracanau
Pacatuba
Quixada
São Gonçalo do Amarante
Tabuleiro do Norte
Distrito Federal - 1
Brasilia
Espírito Santo - 27
Aracruz
Cariacica
Colatina
Linhares
Serra
Viana
Vila Velha
Vitória
Goiás - 1
Goiânia
Mato Grosso - 5
Cuiabá
Várzea grande
Rondópolis
Mato Grosso do Sul - 11
Campo Grande
Três Lagoas
Minas Gerais - 92
Barbacena
Belo Horizonte
Betim
Confins
Congonhas
Contagem
Juiz de Fora
Matozinhos
Pedro Leopoldo
GNV
Custo por m3 (ou litro) R$
0.13
0,20
0,33
550,00
850,00
1402,50
10 km/m3
7 km/l
8 km/l
...
300,00
852,50
Gasto a mais em 25 dias
Gasolina 1 litro / R$ 2,65 Álcool 1 litro / R$ 1,40 GNV 1m3 / R$ 1,38
GNV
Resumo estatístico nacional
Principais indicadores
Economia de R$ 902,50 /mês
Ribeirão das Neves
Santa Luzia
São Brás do Suacuí
Sete Lagoas
Vespasiano
Paraíba - 39
Bayeux
Cabedelo
Caldas Brandão
Campina Grande
Guarabira
Guarinhém
João Pessoa
Mamanguape
Patos
Remígio
Santa Rita
Paraná - 25
Campo Largo
Curitiba
São José dos Pinhais
Pernambuco - 67
Abreu e Lima
Cabo de Santo Agostinho
Camaragibe
Caruarú
Goiana
Igarassú
Jaboatão dos Guararapes
Olinda
Paulista
Recife
Vitória de Santo Antão
Piauí - 1
Teresina
Rio de Janeiro - 476
Arraial do Cabo
Barra do Piraí
Barra Mansa
Belford Roxo
Cabo Frio
Campos dos Goytacazes
Casemiro de Abreu
Duque de Caxias
Guapimirim
Itaboraí
Itaguaí
Macaé
Mesquita
Magé
Nilópolis
Niterói
Nova Iguaçú
Paracambi
Petrópolis
Piraí
Queimados
Resende
Rio das Ostras
Rio de Janeiro
São Gonçalo
São João de Meriti
São Pedro d'Aldeia
Seropédica
Volta Redonda
Rio Grande do Norte - 64
Caico
Ceará-Mirim
Currais Novos
1
2
1
4
2
5
3
1
3
1
1
20
1
1
1
2
1
22
2
4
5
2
1
2
4
12
4
3
28
2
1
1
4
8
5
10
14
3
30
1
16
5
7
2
1
1
12
17
3
8
1
1
7
2
270
24
11
8
2
2
1
1
1
Goianinha
Itajá
Macaíba
Mossoró
Natal
Parnamirim
São Gonçalo do Amarante
Rio Grande do Sul - 49
Bento Gonçalves
Cachoeirinha
Canoas
Caxias do Sul
Eldorado do Sul
Esteio
Farroupilhas
Garibalde
Gravataí
Igrejinha
Lajeado
Osório
Passo Fundo
Porto Alegre
Santa Cruz do Sul
São Leopoldo do Sul
Sapucaia do Sul
Torres
Santa Catarina - 96
Araranguá
Araquari
Barra Velha
Biguaçu
Blumenau
Braço do Norte
Brusque
Cocal do Sul
Criciúma
Florianópolis
Forquilinha
Gaspar
Guaramirim
Içara
Indaial
Itajaí
Itapema
Jaguaruna
Jaraguá do Sul
Joinvelle
Lajes
Morro da Fumaça
Navegantes
Piçarras
Rio do Sul
Rio Negrinho
Santo Amaro da Imperatriz
São Bento do Sul
São Francisco do Sul
São José
Tijucas
Timbó
Tubarão
Urussanga
São Paulo - 475
Americana
Araçariguama
Araçatuba
Araraquara
Araras
Atibaia
Barueri
Baurú
Boituva
Cabreuva
2
1
6
7
29
10
6
1
2
5
5
1
2
2
1
3
1
1
2
1
13
2
2
3
1
1
3
1
1
10
1
5
1
10
5
1
2
1
1
2
4
1
2
4
8
1
1
2
1
1
1
1
1
1
13
3
2
3
1
2
1
3
3
1
2
1
2
1
1
Caçapava
Caieiras
Cajamar
Campinas
Cesário Lange
Cordeirópolis
Cruzeiro
Cubatão
Diadema
Guaratinguetá
Guarujá
Guarulhos
Hortolândia
Indaiatuba
Itaquaquecetuba
Itatiba
Itú
Itupeva
Jacareí
Jaguariúna
Jundiaí
Laranjal Paulista
Lençóis Paulista
Limeira
Lorena
Louveira
Mairinque
Matão
Mauá
Miracatu
Mogi das Cruzes
Mogi-Guaçú
Mogi-Mirim
Osasco
Pariquera-Açu
Paulínea
Pindamonhangaba
Piracicaba
Poá
Porto Feliz
Porto Ferreira
Praia Grande
Ribeirão Preto
Rio Claro
Salto
Santo André
Santos
São Bernardo do Campo
São Caetano do Sul
São Carlos
São José dos Campos
São Paulo
São Roque
São Vicente
Sorocaba
Sumaré
Suzano
Taboão da Serra
Taubaté
Tatuí
Valinhos
Várzea Paulista
Votorantim
Sergipe - 28
Aracajú
Carmópolis
Estância
Itabaiana
Itaporanga D' Ajuda
Nossa Senhora do Socorro
Propriá
São Cristóvão
2
2
1
16
1
2
1
2
6
3
1
17
1
3
1
3
3
1
4
1
9
1
1
5
1
1
1
1
2
1
6
2
2
13
1
1
3
4
2
1
1
2
3
4
2
12
1
15
6
2
18
227
1
1
15
2
3
1
5
2
4
1
1
17
1
3
1
1
3
1
1
Postos de Abastecimento - Últimos postos inaugurados
N°
TOTAL 1.635
Bandeira Tipo de
Posto
Endereço
Estado
Município
Dist.
Data
operação
1.622 BR
Dual Rod. BR 324 Km 47 S/nº
Bahia
Candeias
02 Mai.2008
1.623 BR
Dual Av. Luiz Viana Filho, S/nº Casa
Bahia
Itaberaba
02 Mai.2008
1.624 IPIRANGA Dual Av. Presidente Kennedy, 5.031
São Paulo
Osasco
08 Mai.2008
1.625 BRANCA Dual Rod. Presidente Dutra Km 133
São Paulo
Caçapava
08 Jun.2008
1.626 IPIRANGA Dual Rua Rubem Alves, S/nº - Esq. Atilio A .
Rio Grande do Sul
Caxias do Sul
21 Jun.2008
1.627 IPIRANGA Dual Rod. BR 101 Km 56 + 900m
Santa Catarina
Araquari
19 Jun.2008
1.628 IPIRANGA Dual Rod. Dom Gabriel Paulino B. Couto Km 63 São Paulo
Jundiaí
08 Jun.2008
1.629 BR
Dual Rod. dos Imigrantes Km 15 S/nº
São Paulo
Diadema
08 Jun.2008
1.630 BR
Dual Av. André Cavalcanti, 388
Minas Gerais
Belo Horizonte
12 Jun.2008
1.631 BR
Dual Rua do Acre, 54
São Paulo
São Paulo
08 Jun.2008
1.632 BR
Dual Av. San Martin, 450
Bahia
Salvador
02 Jun.2008
1.633 BR
Dual Av. Antônio Carlos Magalhães S/nº
Bahia
Valença
02 Jun.2008
1.634 BRANCA Dual Av. D. Pedro II, 1131
Santa Catarina
Lages
19 Jun.2008
1.635 BRANCA Dual Av. Nereu Ramos, 953
Santa Catarina
Timbó
19 Jun.2008
A coluna Distrib. N° indica a empresa distribuidora de gás a que pertence o abastecimento. 1 Algás - 2 Bahiagás - 3 BR - 4 Cebgás - 5 Ceg - 6 Ceg Rio - 7 Cegás
- 8 Comgás - 9 Compagás - 10 Copergás - 11 Gás Brasiliano - 12 Gasmig - 13 Gaspisa -14 Msgás - 15 Mtgás - 16 Pbgás - 17 Potigás 18 São Paulo Sul - 19
Scgás - 20 Sergás - 21 Sulgás. Para maior informação sobre este quadro: (21) 2215-0799 / 2232-6798
www.ngvgroup.com • Acesse o maior portal de GNV do mundo
22
Oficinas de
Conversão
Vendas de gás automotivo das distribuidoras
Últimos seis meses (em mil m3/dia)
Empresas
Algás
Bahiagás
BR-Espírito Santo
Cebgás
Ceg
Ceg Rio
Cegás
Comgás
Compagás
Copergás
Sergás
Gás Brasiliano
Gasmig
Gaspisa
Msgás
Mtgás
Pbgás
Potigás
São Paulo Sul
Scgás
Sulgás
TOTAL
Janeiro-08
Fevereiro-08
126,9
122,2
291,3
287,4
141,6
129,6
0,0
0,0
2457.9
2306.2
459,7
473,1
226,0
205,7
1322.3
1518.9
87,3
90,4
209,3
202,6
124,1
119,5
27,6
28,8
197,5
243,7
1,9
1,7
30,6
31,8
9,7
10,6
386,5
121,9
211,5
211,0
84,7
85,0
349,5
369,4
239,0
226,9
6984.9
6786.4
Março-08
122,5
279,8
130,6
0,0
2344.5
436,2
210,2
1609.6
93,0
210,8
123,8
29,7
194,7
2,2
31,9
16,3
118,5
199,6
83,3
361,6
220,3
6819.1
Abril-08
120,3
284,7
137,6
0,0
2121.9
400,2
201,5
1566.4
94,9
203,5
129,0
29,5
216,1
2,3
32,4
10,6
118,2
194,8
78,3
356,7
223,1
6522.0
Julho 2008
Maio-08
117,4
358,4
141,4
0,0
2272.9
430,0
211,8
1478
96,1
198,1
123,4
29,3
195,2
2,3
31,8
16,0
117,7
195,9
88,4
373,8
221,7
6699.6
Junho-08
117,8
284,2
139,6
0,0
2153.1
403,8
209,0
1506.9
94,1
203,8
126,6
30,6
204,9
2,3
31,4
16,9
122,2
196,2
82,8
366,1
220,1
6512.4
Preços dos combustíveis no mundo
País
Inst. Registradas (RTQ 33
Portaria 102 / 2002)
Alagoas (AL)
Amazonas (AM)
Bahia (BA)
Brasília (DF)
Ceará (CE)
Espírito Santo (ES)
Goiás (GO)
Mato Grosso ( MT)
Mato Grosso do Sul (MS)
Minas Gerais (MG)
Paraíba (PB)
Paraná (PR)
Pernambuco (PE)
Piauí (PI)
Rio de Janeiro (RJ)
Rio Grande do Norte (RN)
Rio Grande do Sul (RS)
Santa Catarina (SC)
São Paulo (SP)
Sergipe (SE)
TOTAL
9
0
34
11
8
9
1
5
8
20
12
14
14
0
221
12
57
82
196
6
719
Frota nacional de GNV
Fonte: IBP - www.ibp.org.br
Conversões Anuais
Argentina
Alemanha
Armênia
Áustria
Bangladesh
Bélgica
Bielorrússia
Bolívia
Bósnia & H.
Brasil
Bulgária
Canadá
Chile
China
Colômbia
Coréia
Croácia
Egito
Eslováquia
Espanha
Estados Unidos
Filipinas
Finlândia
França
Holanda
Índia
Indonésia
Irã
Islândia
Itália
Japão
Latvia
Liechtenstein
Luxemburgo
Malásia
México
Maldova
Noruega
Nova Zelândia
Paquistão
Polônia
Portugal
Reino Unido
República Checa
Rússia
Sérvia & M.
Singapura
Suécia
Suíça
Tailândia
Tajiquistão
Trinidad & Tobago
Turquia
Ucrânia
Venezuela
Gasolina Gasolina Diesel( GNV Economia Economia
GNV
Aditivada Comum litro) (Nm3) GNV/
Diesel %
(litro) U$S (litro) U$S U$S U$S Gasolina
%
0.64
0.61 0.49 0.25
61
50
1.73
1.62 1.43 0.87
50
39
1.02
1.03 0.77 0.34
67
56
1.47
1.32 1.24 0.83
43
39
0.69
0.65 0.45 0.13
81
71
1.79
1.77 1.39 0.66
63
53
0.67 0.54 0.42
37
22
0.69
0.52 0.22
68
58
1.07
0.85 0.98 0.42
61
57
1.39
1.34 0.96 0.71
50
26
1.19
1.10 1.06 0.42
65
60
0.52
0.40 0.26
50
35
0.74
0.74 0.45 0.29
61
35
0.63
0.57 0.53 0.34
46
36
0.67
0.53 0.34 0.28
58
18
1.66
1.66 1.41 0.77
54
45
1.40
1.35 1.23 0.44
69
64
0.25
0.17 0.10 0.08
68
20
1.39 1.41 0.57
55
59
1.47
1.31 1.23 0.74
50
40
0.78
0.79 0.59
24
25
0.82
0.75 0.70 0.32
61
54
1.61
1.57 1.27 0.87
46
31
1.63
1.59 1.36 0.91
44
33
1.89
1.83 1.37 0.57
70
58
1.20
1.24 0.88 0.51
58
42
0.55
0.51 0.47 0.29
47
38
0.12
0.09 0.017 0.022
82
1.96
1.87 1.79 1.29
34
28
1.76
1.61 1.47 0.75
57
49
1.29
1.17 0.88 0.68
47
23
1.05 1.09 0.30
71
72
1.25
1.23 1.25 1.05
16
16
1.44
1.41 1.16 0.76
47
34
0.54
0.53 0.45 0.24
56
47
0.62
0.57 0.45 0.26
58
42
0.66 0.57 0.24
64
58
1.97
1.90 1.76 0.60
69
66
0.89
0.85 0.55 0.49
45
11
1.16
1.04 0.68 0.39
66
43
1.37
1.32 1.23 0.38
72
69
1.49
1.41 1.35 0.72
52
47
1.84
1.71 1.79 0.84
54
53
1.45
1.32 1.32 0.66
54
50
0.74
0.66 0.60 0.24
68
60
1.42
1.26 1.10 0.29
79
74
1.01
1.13 0.70 0.43
57
38
1.59
1.55 1.48 1.37
14
7
1.31
1.26 1.39 1.05
20
24
0.75
0.73 0.67 0.22
71
67
0.72 0.59 0.22
61
52
0.47
0.43 0.24 0.18
62
25
2.19
2.10 1.66 0.99
55
40
0.58
0.53 0.53 0.25
57
53
0.120
0.072 0.002
98
100
Fonte / Source: The GVR
Números de conversões
por estado. Junho 2008
Fonte: IBP - www.ibp.org.br
Consumo de GNV por Região - Março 2008
Fonte: Abegás - www.ibp.org.br
Estado
Alagoas
Amazonas
Bahia
Ceará
Distrito Federal
Espírito Santo
Goiás
Mato Grosso
Mato Grosso do Sul
Minas Gerais
Paraíba
Paraná
Pernambuco
Piauí
Rio de Janeiro
Rio Grande do Norte
Rio Grande do Sul
Santa Catarina
Sergipe
São Paulo
Cilindros Importados
TOTAL
Total
18.261
164
68.209
44.787
219
37.183
466
1.646
5.999
63.240
17.454
27.158
45.816
204
662.859
37.766
37.348
65.306
20.876
379.844
21.002
1.555.807
%
1.2
0
4.2
2.9
0
2.7
0
0.1
0.4
5.3
1.1
1.7
3.3
0
40.5
2.6
2.5
3.7
1.2
24.7
1.8
100
www.ngvgroup.com • Acesse o maior portal de GNV do mundo
Julho 2008
Postos por Bandeira
Estatísticas Mundiais do GNV
Veículos a Gás Natural
País
Total
Alemanha
Argélia
Argentina
Armênia
Austrália
Áustria
Bangladesh
Bélgica
Bielorrússia
Bolívia
Bósnia & H.
Brasil
Bulgária
Burma
Canadá
Chile
China
Colômbia
Coréia
Croácia
Egito
Emirados A. U.
Eslováquia
Espanha
Estados Unidos
Filipinas
Finlândia
França
Grécia
Holanda
Hungria
Índia
Indonésia
Irã
Irlanda
Islândia
Itália
Japão
Kirjiquistão
Latvia
Liechtenstein
Luxemburgo
Macedônia
Malásia
México
Maldova
Nigéria
Noruega
Nova Zelândia
Paquistão
Peru
Polônia
Portugal
Reino Unido
República Checa
Rússia
Sérvia & M.
Singapura
Suécia
Suiça
Tailândia
Taiwan
Tajiquistão
Trinidad & Tobago
Turquia
Ucrânia
Venezuela
Postos de Abastecimento
Média
mensal de
vendas em
Uso
Veículos
Uso
N/m3
Total Público Partic. Mang.
leves Ônibus Caminhões
54.772
53.349 1.423
125
1.445.581 1.445.581
47.688
2.453
130 1.263
1.022
1.020
80.000
300
5.500
64.828
7
7
1.555.807 1.555.807
25.225
25.000
170
10.900
2.902 6.373
20.505
19.505 1.000
8.009
8.009
127.120
66.440 32.369
168.000
12.143
49 11.988
110
110
69.376
58.370 5.367
305
305
286
90
189
1.392
85
697
146.876
36
11
25
150
60
85
10.050
7.500 1.900
400
400
550
165
110
30
80
334.820 315.200 12.000
1.000
229.607 226.954 2.641
81
57
51
2
412.550 410.000 1.950
30.469
12.827 1.268
6.000
310
30
10
41
15
26
51
24
27
50
7
43
24.988
24.908
76
3.037
3.037
5.000
60
147
70
77
281
57
66
1.250.000 1.250.000
6.909
771
360
41
377
34
314
488
101
14
615
400
180
60.000
3.000 8.000
95
93
2
238
224
12
11.515
10.420
757
3.628
3.500
93
29.233
27.818
416
4
4
10.600
4.000
520
396
124
100.000
7.000 30.500
44.146
23
1.060
2
20
100
106
3.356
7
577
5
650
12.200.000 720
3
245.203.522 1.670
15.428.570 128
145
150.000
98
21.361.029 129
9
2.710.000
24
17.375.512
92
3
195.372.000 1.635
7.000.000
37
20
222
3.200.000
14
92.000.000 415
45.000.000 239
109
7.080
1
25.000.000 103
2
510.000
7
2.000.000
35
1.600
3
330.000
8
125
720
11
3
325
12
440
2
1
588
311
6
4
1
4
1
50
3
14
2
4
14
1.300
7
28
5
19
24
218
2
1
95
85
103
1
53
13
6
200
148
385
715 52.000.000
12 32.200.000
4
20.000
600 43.000.000
16.374
100.000
270
100.000
55.450
20.000
4 10.810.000
20.000
1.420.000
138
738.777
760.000
370
29
333
14
300.000
35.000 22.500.000
2
338
35
998
3.800.000
530.000
4.130.000
1.800.000
400.000
29.500 54.840.000
8.152.054
Postos em
construção
Compress.
Capacidade
total (m3/h)
789
8.299 1.654.801
128
127
48
4
5
19
50
5
290
14
49.600
30
13
7
15
6
5
7
130
58
8
60
46
1
37
60
10
80
5
3.694
14
253
1
102
1
226
4
1
95
1
6
1
4
1
1
34
1
6
15
2
2
110
7
4
7
12
6
192
421
19
22
5
13
660
6.760
23
23
1
1
21
3.418
1
5.000
22
20
5
990
2
394
60
3.520
524
185
107
83
73
10
6
1
558
283
6
30
28
1
2.500
309.000
77.800
702
6
1
2
48
3
18
2
1
2
6
148
31.400
1
1
50
28
1
10
22
6
1.300
18
12
206
1
68
80
100
1
13
4
125
5
1
12
8
2
27
5
3
7
5.390
36
3.000
3
3
396
112
11.533
5
5
2
3
5
5
4
1
3
2
1
3
16
2
16
2
1
1
14
2
20
Última
Atualização
Total Público Privado
19
115
22
15
21
95
Mar. '07
Out. '04
Abr. '07
Mar. '07
Mar. '07
Mar. '07
Jan. '07
Nov. '05
Dez. '06
Abr. '07
Fev. '06
Jun. '08
Fev. '07
Dez. '07
Fev. '07
Mar. '07
Jan. '06
Mar. '07
Mar.'07
Dez. '06
Jun. '06
Mar. '07
Abr. '06
Jan. '07
Dez. '04
Fev. '06
Mar. '07
Jan. '07
Dez. '06
Ene. '06
Abr. '06
Out. '06
Out. '06
Jan. '07
Set. '03
Fev. '07
Dez. '06
Dez. '06
Mar. '07
Out. '04
Fev. '07
Jan. '06
Mar. '07
Fev. '07
Out. '05
Dez. '06
Mai. '05
Abr. '05
Dez. '06
Fev. '07
Mar. '07
Abr. '05
Mar. '07
Mar. '07
Mar. '07
Dez. '06
Mar. '06
Jun.'06
Dez. '06
Jan. '07
Fev. '07
Abr. '05
Dez. '06
Jan. '06
Nov. '05
Dez. '06
Dez. '06
(a) O total geral não equivale ao número acumulado de veículos leves+ônibus+caminhões já que alguns países
só registram a população veicular a GNV total. Mesmo assim, posto que outros países/fontes deixaram de contabilizar os
veículos convertidos em base ao tipo de unidade, o total em cada país pode diferir da soma de leves+ônibus+caminhões.
Sem embargo, continuamos publicando as cifras fornecidas com antecedência sobre cada tipo de veículo para oferecer
ao leitor um panorama geral de cada mercado. Isto também é aplicável no caso dos postos de abastecimento.
Empresa
BR
Ipiranga
Texaco
Esso
Forza
Quantidade
439
178
109
87
27
Empresa
Shell
Repsol
Iqara
Alvo
Outros
Total
Quantidade
95
36
38
47
579
1.635
Resumo Latino Americano
Países
Cidades Postos de Gás vendido
com GNV Abast. por m3 mensal
Argentina
Bolivia
Brasil
Colômbia
Chile
México
Peru
Trinidad & Tobago
Venezuela
Total
308
6
257
36
5
2
2
11
26
653
1.734
100
1.635
268
14
3
10
13
148
3.925
veículos
238.338.049
18.263.527
195.372.000
45.000.000
3.200.000
20.000
1.263.000
1.800.000
8.152.054
511.408.630
1.670.570
71.820
1.555.807
188.084
8.009
3.037
11.924
4.000
44.146
3.557.397
148
268
1.635
1.734
100
Peru
Argentina
Uspallata 711
1268 Capital Federal Argentina
Tel: +54 11 43074559/5201/43006137
[email protected]
www.prensavehicular.com
Av. Brasil 3222 Oficina 403
A Magdalena del Mar
RUC: 20513085576 - CP: Lima 17
[email protected]
www.ngvgroup.com
Itália
Coréia
■
Vicolo Gonzaga 13
46045 Marmirolo (Mn) Italia
Tel.: +39 0376 294055
[email protected]
www.thegvr.com
■
300-5 Changchon-Ri Namsan-Myun
Chuncheon-Si Kangwon-Do 200-911
Tel.: (82-33) 260-3419
Fax: (82-33) 260-3419
[email protected]
■
■
■
■
Brasil
Av. Rio Branco, 131 Sala 1.701
CEP: 20040-006 Rio de Janeiro - RJ
Tel: + (55 21) 2215-0799
Tel: + (55 21) 2232-6798
[email protected]
www.folhadognv.com
Folha do GNV é uma publicação da NGV Communications
Group, editora e organizadora de feiras e congressos.
No Brasil publica além do Guia Brasileiro de GNV, mapas,
posters e outros. Na Argentina edita a Prensa Vehicular,
Guia Argentino de GNV, mapas, livros e folhetos.
Na Europa produz The Gas Vehicles Report e Guia de
GNV Europeu. Na Peru edita a Prensa Vehicular Peru.
Na Ásia publica Asian NGV Communications.
Registro de marca (Registry of trade marks) nº 1698214 Registro da propriedade intelectual
(Registry of copy -right) nº 223200.
Os artigos assinados são de exclusiva responsabilidade de seus
autores, assim como os anúncios publicados são de
responsabilidade de suas empresas e agências anunciantes, não
comprometendo a opnião editorial.Fica proibida a reprodução
total ou parcial do material que integra essa edição.

Documentos relacionados

Rio de Janeiro lidera o mercado de GNV

Rio de Janeiro lidera o mercado de GNV Além de oferecer a vantagem de ser abastecido por um combustível até 65% mais barato e apresentar maior rendimento do que os outros combustíveis – cada m3 roda em média de 12 km a 14 km –, o veícul...

Leia mais

Fabricantes de cilindros no ramo nacional e internacional de

Fabricantes de cilindros no ramo nacional e internacional de A companhia afirma que um motorista que incrementou seu veículo com o kit de gás natural veicular desde o início da oferta do produto, em 2001, não apenas recuperou o custo do investimento, como pr...

Leia mais

empresas mostram seu potencial e tecnologias

empresas mostram seu potencial e tecnologias buscando melhores e mais efetivas fontes de Energia. O gás natural veicular é uma ótima energia que em sua utilização consegue-se um rendimento melhor

Leia mais

Especial Fabricantes de cilindros

Especial Fabricantes de cilindros Publicação mensal do gás natural veicular do Brasil

Leia mais

Companhias de gás do sul do Brasil mostram seu crescimento no

Companhias de gás do sul do Brasil mostram seu crescimento no Necessitamos neste cenário, apesar de todas as evidencias de mercado, de uma política séria e mais completa visando o melhor uso desta disponibilidade, quer seja na sua transparência a respeito de ...

Leia mais