Disfunções Sexuais

Сomentários

Transcrição

Disfunções Sexuais
Disfunções
Sexuais
‘Diagnóstico e tratamento
pela TCC’
Daniel Donadio de Mello
Psicólogo Clínico formado pela
Universidade Presbiteriana Mackenzie
•
Extensão em Práticas Clínica
Contemporâneas.
•
•
Diversos trabalhos clínicos e seminários
em Treinamento de Habilidades Sociais e
Sexualidade e suas disfunções.
•
•
•
•
Professor CETCC e CEPPE
•
•
Certificado em Psicomotricidade pela
Atena
Certificado em Neurofeedback pelo SinaPsi
•
Seminários e parceria com Sites de
Relacionamentos
Psicólogo Esportivo formado pelo CEPPE
•
Formado em TCC
Formado em Biofeedback pela Fundação
de Medicina Comportamental dos EUA
•
Certificado em Neuro-engenharia pela
UFMG
Certificado em Neurofisiologia do Controle
Motor pela UFMG
Intr. Psicologia Evolucionista
Transtornos Sexuais
Fisiologia e Sexo
O tratamento pela TCC
Why women have sex?
•Pesquisas
•Por
Universidade do Texas
que as pessoas fazem sexo?
•“Quais
foram os motivos que você já fez sexo?”
•- Why humans have sex
Why women have sex?
•237
motivos diferentes
Queria transmitir uma doença
Queria ficar mais próxima de Deus
Estava com tédio
Queria punir meu marido por ter me traído
Queria que ele se sentisse bem
Por amor
Por tesão
Queria terminar o relacionamento de uma rival,
então transei com o namorado dela
Psicologia Evolucionista?
•Compreender
•Entender
as origens sexuais humanas
as teorias de seleção sexual
•Levar
em conta aspectos sócio-biológicos e não apenas
psíquicos.
•Aprimorar
o conhecimento para melhor instruir pacientes
Psicologia Evolucionista
Sexo é responsável por criar adaptações
Se um de nossos antepassados tivesse falhado em selecionar
um parceiro apropriado ou tivesse falhado em atrair um
parceiro ou de mantê-lo tempo suficiente pra se reproduzirem,
nós não estaríamos aqui
Descendentes de pessoas de sucesso.
“...o sexo está no coração do processo evolutivo...”
David Buss
Psicologia Evolucionista
1.
Seleção de um parceiro fértil
2.
Ganhar a competição de atração dos rivais do mesmo
sexo
3.
Bloquear aqueles que querem roubar seu parceiro
4.
Não deixar o parceiro ir embora
manter todos os comportamentos sexuais e sociais necessários
para a concepção , nascimento e crescimento do bebê.
Psicologia Evolucionista
Teoria da seleção sexual – competição, geralmente entre
machos.
O vitorioso ganha a preferência sexual das fêmeas.
Os perdedores não conseguem se acasalar, então a
qualidade que leva o vencedor ao sucesso é passada para a
próxima geração e as qualidades do perdedor não.
Essas competições não são sempre combate direto. Machos
competem por hierarquia, status, dominância, território.
Psicologia Evolucionista
Teoria do Investimento Parental (Trivers, 1972):
O sexo que investe mais nos filhos que o outro é mais exigente
na escolha do que o que investe menos.
Em espécies onde há gestação interna feminina, quanto maior
o período de gestação, maior a exigência.
Uma gestação de 9 meses é o investimento mínimo necessário
para a mulher para produzir uma criança, enquanto no
homem o investimento mínimo é de uma ejaculação.
Psicologia Evolucionista
Não temos apenas uma estratégia de acasalamento:
Uma delas é o compromisso a longo prazo, em muitas vezes
assumindo um compromisso público (casamento).
Os dois sexos investem pesado em qualquer filho que vier, o
que, pela teoria do investimento parental, torna os dois muito
seletivos na escolha de seus parceiros de longo prazo.
Psicologia Evolucionista
Pássaros arquitetos
caramanchões de 2m de diâmetro
com objetos construídos para seduzir as fêmeas.
As fêmeas inspecionam em grupos cada caramanchão antes
de escolher o parceiro.
Escolhem pela:
Qualidade do caramanchão
Decorações
Objetos e cores
Psicologia Evolucionista
Pássaros atraem fêmes exibindo o corpo colorido, oferecendo
comida
indicadores de bons genes.
Psicologia Evolucionista
Decoram ninhos com pedaços de pele de cobra, giz, tampinhas
objetos decorativos “inúteis”
bons genes se forem difíceis de
obter e conservar
Gazela saltitante
melhores genes, corra atrás das outras
Diamantes? não se pode comê-los
O homem que pode comprar anel de diamentes e não se
prejudica com isso pode sustentar mulher e filhos e possui bons
genes (inteligêcia, persistência, energia, etc) para conservar ou
obter o dinheiro necessário.
Demonstração de desvantagem – tatuagem, cigarro, perigo, etc.
Psicologia Evolucionista
Pontos atuais:
Mulher
diferente papel frente a sociedade e ao sexo.
Mais competitiva e assertiva.
Homem
confusão e conflitos de seus papéis
incerteza quanto a assertividade ou passividade
VIDEO – REPRODUÇÃO
DSM-IV
Uma Disfunção Sexual caracteriza-se
por uma perturbação nos processos
que caracterizam o ciclo de resposta
sexual ou por dor associada com o
intercurso sexual. O ciclo de resposta
sexual pode ser dividido nas
seguintes fases:
Desejo | Excitação | Orgasmo | Resolução.
Transtornos
Sexuais
Transtornos Sexuais
Desejo
Fantasias acerca da atividade sexual e desejo de ter
atividade sexual.
Pode ser dividido:
Impulso - componente biológico, hormonal. Há necessidade
e saciação.
Motivação – ‘Apetite’ despertado por imagem,
comportamento, situação, etc.
Querer – Outros motivos (ex: contentar parceiro, dever)
Transtornos Sexuais
Desejo
Parafilia - anseios, fantasias ou comportamentos sexuais
recorrentes e intensos que envolvem objetos, atividades ou
situações incomuns.
1) objetos não-humanos;
2) sofrimento ou humilhação, próprios ou do parceiro, ou
3) crianças ou outras pessoas sem o seu consentimento, tudo isso
ocorrendo durante um período mínimo de 6 meses (Critério A).
Exibicionismo
Fetichismo
Pedofilia
Masoquismo
Sadismo
Fetichismo Transvéstico
Voyeurismo (…)
Transtornos Sexuais
Parafilia
Transtornos Sexuais
Desejo

Transtornos da Identidade de Gênero - identificação sexual com o
gênero oposto, acompanhada por desconforto persistente com o
próprio sexo atribuído.

Transtorno do desejo sexual hipoativo - deficiência ou ausência
de fantasias sexuais e desejo de ter atividade sexual

Transtorno de Aversão Sexual - sensações de desagrado, de
medo, de "nojo", de repulsa e de perigo iminente.
Transtornos Sexuais
Excitação

Transtorno da Excitação Sexual Feminina
Incapacidade persistente ou recorrente de adquirir ou manter
uma resposta de excitação sexual adequada de lubrificaçãoturgescência até a conclusão da atividade sexual (Critério A).
A resposta de excitação consiste de vasocongestão da pelve,
lubrificação e expansão vaginal e turgescência da genitália
externa. A perturbação deve causar acentuado sofrimento ou
dificuldade interpessoal (Critério B).

Transtorno Erétil Masculino
Incapacidade persistente ou recorrente de obter ou manter
uma ereção adequada até a conclusão da atividade sexual
(Critério A). A perturbação deve causar acentuado sofrimento
ou dificuldade interpessoal (Critério B).
Transtornos Sexuais
Orgasmo

Transtorno Orgásmico Masculino / Feminino
Atraso ou ausência persistente ou recorrente de orgasmo,
após uma fase normal de excitação sexual. Ao julgar se o
orgasmo é atrasado, o clínico deve levar em consideração a
idade do indivíduo e se a estimulação é adequada em termos
de foco, intensidade e duração (Critério A). A perturbação
deve causar acentuado sofrimento ou dificuldade interpessoal
(Critério B).

Ejaculação Precoce
Início persistente ou recorrente de orgasmo e ejaculação com
estimulação mínima antes, durante ou logo após a
penetração e antes que o indivíduo o deseje (Critério A). O
clínico deve levar em consideração fatores que afetam a
duração da fase de excitação, tais como idade, novidade da
parceira sexual ou situação e freqüência recente da atividade
sexual. (...)(Critério B).
Transtornos Sexuais
TRANSTORNOS DE DOR SEXUAL
Dispareunia -
Dor genital associada com o intercurso sexual
O transtorno pode ocorrer tanto em homens quanto em mulheres. Em
mulheres, a dor pode ser descrita como superficial, durante a penetração,
ou profunda, durante as investidas do pênis. A intensidade dos sintomas
pode variar desde um leve desconforto até uma dor aguda.
A perturbação deve provocar acentuado sofrimento ou dificuldade
interpessoal (Critério B).
Vaginismo
Contração involuntária, recorrente ou persistente, dos músculos do períneo
adjacentes ao terço inferior da vagina, quando é tentada a penetração
vaginal com pênis, dedo, tampão ou espéculo (Critério A).
A perturbação deve causar acentuado sofrimento ou dificuldade
interpessoal (Critério B).
Transtornos Sexuais

Todos os transtornos tem como critério exclusivo se ele
for melhor explicado por outro transtorno do Eixo I
(pânico, agorafobia, depressivo recorrente, etc) ou se
deve a algum efeito fisiológico ou medicamentoso.

Para as disfunções sexuais existem subtipos como: ao
longo da vida, adquirido, etc. Consulte o DSM-IV.
Comportamento Sexual
Compulsivo
DSM – IV comportamentos hipersexuais = transtornos sexuais não especificados.
CID – 10 Apetite Sexual Excessivo (F-52) Satiríase e Ninfomania, para homens e
mulheres respectivamente. De qualquer forma, alguns autores requerem que esse
transtorno seja classificado como uma das parafilias ou relacionado a elas.
Critérios de diagnóstico propostos para os transtornos hipersexuais
1. A existência de fantasias sexualmente excitantes recorrentes e intensas,
impulsos ou comportamentos sexuais que persistam durante um período de
pelo menos seis meses e se encaixem na definição de parafilias.
2. As fantasias, impulsos ou comportamentos sexuais causam desconforto
ou comprometimento clinicamente significativo na área social,
ocupacional ou outras áreas importantes.
3. Os sintomas não encontram causa em outros transtornos, como por
exemplo, no Episódio Maníaco.
4. Os sintomas não se devem aos efeitos fisiológicos diretos de uma
substância (abuso de droga ou medicamento) ou à afecção clínica geral.
Black e cols:
92% - estava realmente preocupada com seus desejos
exacerbados e/ou com suas persistentes fantasias sexuais.
72% - tentava resistir ao comportamento sexualizado (s/ sucesso
Grande parte delas experimentava remorso pelas atividades
sexuais exageradas, impulsivas, não resistidas e, muitas vezes,
inconseqüentes
75% - também preenchia os requisitos para diagnóstico de abuso
de substâncias psicoativas
Transtornos Sexuais
Algumas causas psicológicas:
•situações
traumáticas de abuso sexual
•Insegurança quanto ao papel sexual
•mensagens anti-sexuais durante a infância
•Informação sexual inadequada
•comportamento sedutor por parte dos pais
•dificuldade em unir amor com sexo na mesma pessoa (esposa
X prostituta)
•culpas,raivas entre o casal,
•competição temida com o pai ou mãe,
•Repressão religiosa
A fisiologia do sexo
A ereção e o viagra
Como as drogas influenciam na vida sexual
Como acontece a reprodução
Drogas
Viagra
Tratamento pela TCC
Desejo
Transtornos da Identidade de Gênero
Parafilias
Transtorno de Aversão Sexual
Transtorno do desejo sexual hipoativo
Excitação
Transtorno da Excitação Sexual Feminina
Transtorno Erétil Masculino
Orgasmo
Transtorno Orgásmico Masculino / Feminino
Ejaculação Precoce
1. Exame Psicossexual
2. Instrução e Educação Sexual
3. Trabalho Cognitivo
4. Trabalho Comportamental
O que aproxima um do outro?
O que afasta um do outro?
Quais são as fantasias, desejos e temores de cada um?
A sexualidade se desenvolveu normalmente?
Quando e como teve a primeira vez sensações eróticas?
A sexualidade infantil foi reprimida?
Esteve ou foi associada a contingências negativas?
Qual foi atitude da família a respeito da masturbação?
Como foi a primeira experiência?
Excitante? Culpa?
Como ele e ela experimentam o orgasmo?
Fantasias
Sensações/estimulação do clitóris/sexo oral
(...)
Além de minimizar a ansiedade, instrui o indivíduo sobre
as práticas sexuais.
-Qual é a questão do indivíduo? E o nível de instrução
sexual?
Focar na experiência, prazer. Não no resultado.
Tirar o foco do ato (ou ereção) em sí.
Poder falar de sexo
Rotina sexual – Que momento em que ocorre o sexo
(cansaço, etc)
Drogas (álcool, remédios, drogas ilícitas, anabolizantes,
viagra)
instruir sobre os efeitos que causa no
desejo ou excitação do indivíduo
Ressaltar a Importância das preliminares.
Modificar estilo de vida destrutivo.
RPD
Seta Descendente
Questionamento Socrático
Identificar os pensamentos automáticos disfuncionais que
possam influenciar nos transtornos sexuais.
Treinamento de respiração e relaxamento muscular
progressivo – para os casos em que há ansiedade
envolvida.
Exposição-Gradual
Fazer com colega um RPD fictício de um personagem com
alguma queixa de disfunção sexual.
Desejo
Transtornos da Identidade de Gênero
Parafilias
Transtorno de Aversão Sexual
Transtorno do desejo sexual hipoativo
Dor
Vaginismo
Dispareunia
Excitação
Transtorno da Excitação Sexual Feminina
Transtorno Erétil Masculino
Comportamento Sexual Compulsivo
Orgasmo
Transtorno Orgásmico Masculino / Feminino
Ejaculação Precoce
Outro?
Técnicas Eróticas:
Foco sensível I – Pleasuring
Recomendações principais: ejaculação precoce, mulher anorgástica e vaginismo.
Normalmente no início do tratamento.
“Em primeiro lugar, eu quero que vocês não tenham relação sexual nem tenham
orgasmo durante um certo tempo. Como se sentem a esse respeito?”(Kaplan,
1978)
Explicar que eles terão um contato físico de um tipo muito especial. A noite, depois do
jantar, depois de liberados de todas as responsabilidades. Após o banho, ambos vão a
cama completamente nus. Primeiro o homem fica deitado de bruços e a mulher o
acaricia suavemente, começando na parte de trás da cabeça até os pés, passando
pelo pescoço, costas, interior das coxas.
O homem somente se concentra em suas sensações e dar feedback (muito rápido,
muito devagar, mais forte, mais fraco, etc). Quando for suficiente, o homem virará de
frente e se repete o procedimento. Após finalizar, se inverte o exercício. O casal tem
que evitar os mamilos da mulher, a vagina e o pênis.
Foco sensível II
Estimulação do corpo como no Foco Sensível I
+ área genital – sem estimulação rítmica. Não direcionado ao orgasmo
Coito Não-exigente
Pede-se que o casal se acaricie até o homem ter uma boa ereção e a mulher
alguma lubrificação (ao contrário pedir o uso de lubrificante).
Posição: Mulher em cima e coloca o pênis do companheiro dentro da vagina.
Deixa-o alí até senti-lo completamente. Contrai os músculos pubococcígeos
contra o pênis para se inteirar das sensações.
Após isso, a mulher realiza movimentos de forma que sinta prazer, ignorando
temporariamente o prazer do companheiro. Pode-se interromper diversas vezes,
e estimular o clitóris durante as interrupções.
Exercícios do músculo Pubococcígeo
Mulheres – desuso do músculo pode
dificultar o orgasmo.

Homens – o seu treinamento auxilia
no retardamento da ejaculação





Para tomar consciência do músculo:
Iniciar e parar de urinar.
Exercício:
Contrair e soltar – 3 séries de 10. Duas vezes ao dia.
Exercícios para Impotência:

Causas Diádicas – lutas por poder, decepção, transferências infantis, entre
outras.

Fatores emocionais – ansiedade de desempenho, medo de rejeição,
antecipação da impotência, preocupação exagerada com o prazer da mulher,
culpa.
-
-
Foco Sensível I e II
Ereção sem orgasmo
Orgasmo Extravaginal (estimulação manual ou oral)
Coito

Estrangulamento – pode reobter uma ereção ‘perdida’

Mulher estrangula o pênis logo abaixo da glande até retrair a ereção.

Faz isso repetidas vezes.
-
-
Exercícios para mulheres anorgásticas:
1.
2.
3.


Orgasmo sozinha (masturbação)
Orgasmo com parceiro – estimulação do clitóris
Orgasmo no coito (ou manobra da ponte)
O que pensam que acontecerá quando chegarem ao orgasmo?
Fantasias?

Medos comuns: “ficarei louca”, “perderei o controle”, “vou me machucar”,
“vou me tornar promíscua”, “preciso estar apaixonada”

Literatura erótica, vibradores, etc
Caso Mona e Harry (Leiblum, 2012)
1.
2.
3.
4.
5.
6.
Mona 46, Harry 56
Queixa: Relações Sexuais Infrequentes = 1x por mês.
s/ preliminares – Mona pensa em trabalho
Pede para marido não fazer barulho para filho (10anos) não ouvir
Comunicação boa, exceto com relação a sexo
Mona não tem fantasias sexuais
Tratamento
1. RPD=Pensamentos automáticos: filho vai ouvir, não pode se masturbar, não
pode ser tocada no orgão sexual.
2. Explorar uva-passa
3. Prestar atenção na toalha no corpo
4. Exploração corporal + respiração diafragmática
5. Se observar no espelho / toque com dedos
6. Fantasias: filmes / livros / vibrador
7. Excitação por livro + exploração = sincronia de excitação mente X corpo
Daniel Donadio de Mello
[email protected]
(11) 8266-5693
OBRIGADO PELA ATENÇÃO

Documentos relacionados

Comportamentos sexuais alternativos na clínica

Comportamentos sexuais alternativos na clínica tornem séries de problemas.  processo deverá incluir o relacionamento a dois

Leia mais

Aparelho reprodutor masculino File

Aparelho reprodutor masculino File gonadal e fenotípica o sexo pode ser visto sob outras vertentes: Legal - Homem ou mulher que figura no registo civil Psicológica – Que se expressa pelo comportamento psico-sexual que é fruto de uma...

Leia mais