www.duratex.com.br

Сomentários

Transcrição

www.duratex.com.br
www.duratex.com.br
08 / Novembro / 2005
1
¾ Índice
ƒ Introdução
ƒ Destaques do período
ƒ Vantagens competitivas e concorrência
ƒ Posicionamento
ƒ Melhora operacional
2
¾ Duratex S.A. (Set/2005)
ƒ Total de Ações: 59 milhões
Ordinárias
37%
Preferenciais 63%
ƒ Market Capitalization: R$ 1.531,7 M
Composição Acionária - PN
Fundos de Pensão
19%
3
Itaúsa
24%
Inv. Estrangeiros
29%
Outros
28%
¾ Mercado de Capitais e Governança Corporativa
Preço máximo em 52 semanas: R$26,00 em 10/03/2005
Preço mínimo em 52 semanas: R$18,00 em 07/11/2005
Volume médio diário: R$1,1 milhões
4
Preço da ação
Preço
Volume
Volume negociado
1/11/2005
2005
9/9/2005
20/12/2004
2004
27/10/2004
3/9/2004
15/7/2004
24/5/2004
31/3/2004
6/2/2004
12/12/2003
2003
23/10/2003
3/9/2003
15/7/2003
22/5/2003
28/3/2003
4/2/2003
10/12/2002
2002
18/10/2002
29/8/2002
10/7/2002
17/5/2002
26/3/2002
31/1/2002
5/12/2001
2001
11/10/2001
21/8/2001
29/6/2001
9/5/2001
16/3/2001
22/1/2001
28/11/2000
2000
20/9/2000
31/7/2000
8/6/2000
17/4/2000
23/2/2000
3/1/2000
11,40
20/7/2005
. Adesão ao
Nível I de
Governança
Corporativa;
. Agrupamento
de ações.
31/5/2005
. Tag-Along
de 80% para
PN.
7/4/2005
. Prêmio
Platina
ABAMEC.
15/2/2005
. Criação da
Área de RI;
. Emissão de
R$ 191M em
ações;
. Lançamento
website
corporativo.
25,35
. Eliminação das
Partes
Beneficiárias;
. Dividendo
mínimo de 30%;
. Pagamento de
um dividendo
extraordinário;
. 2o. Lugar 5o.
Prêmio ABRASCA
melhor Relatório
Anual.
. Divulgação
trimestral de
resultados por
teleconferência.
¾ Áreas de Atuação
Madeira
ƒ Chapa de Fibra
ƒ Aglomerado
ƒ MDF/HDF/SDF
ƒ Piso Laminado
ƒ Revestimento para teto e parede
ƒ Metais Sanitários
ƒ Louças Sanitárias
ƒ Acessórios
5
¾ Mix de Venda
Quebra da Receita Líquida
MDF / HDF / SDF
22%
Segmentos Atendidos
Piso
Laminado
6%
Indústria Moveleira
32%
Aglomerado
16%
Metais
22%
Chapa de
Fibra
24%
6
Construção Civil
48%
Louças
10%
• Deca;
• Capa de porta;
• Piso laminado;
• Revestimentos de teto e parede
• Divisórias.
Outros
20%
• Embalagens;
• Automobilística;
• Varejo.
¾ Índice
ƒ Introdução
ƒ Destaques do período
ƒ Vantagens competitivas e concorrência
ƒ Posicionamento
ƒ Melhora operacional
7
¾ Ambiente e Desempenho no Período
Manutenção da política
monetária restritiva com
altas taxas de juros e
valorização do Real em
16% entre jan e set / 2005
Aprofundamento nas
ações visando melhora
de desempenho
Fatores climáticos
diversos
8
¾ Redução da receita em Reais das exportações;
¾ Redução das expedições:
¾ Madeira: - 4%;
¾ Deca: - 10%;
¾ Parada de fábrica.
¾ Aumento da receita;
¾ Redução de custos na Deca;
¾ Ações em implantação na Deca e Madeira;
¾ Melhoria das margens bruta e de EBITDA;
¾ Melhoria do ROE e ROIC;
¾ Novos produtos;
¾ Melhoria na geração de caixa e administração
do capital de giro.
¾ Inundação Deca;
¾ Vendaval na área florestal;
¾ Furacão Katrina.
¾ Desempenho Últimos Nove Meses (em R$M)
Janeiro a Setembro
2005
2004
2003
EXPEDIÇÃO
3
Madeira (em 1.000 m )
Deca (em 1.000 peças)
RECEITA LÍQUIDA
CPV
LUCRO BRUTO
% Margem Bruta
RESULTADO OPERACIONAL
EBITDA
% Margem EBITDA
LUCRO LÍQUIDO
ROE
9
765,1
9.435
793,0
10.444
652,6
9.829
2005
940,3
543,6
396,7
42%
210,2
269,9
29%
105,8
14%
2004
883,4
541,7
341,7
39%
184,4
240,8
27%
92,7
13%
2003
710,4
451,4
259,0
36%
115,6
159,5
22%
41,6
6%
¾ Desempenho por Divisão (em R$M)
Janeiro a Setembro / 2005
Divisão Madeira
R$ M
AV%
R$ M
Consolidado
AV%
R$ M
AV%
636,2
100%
304,1
100%
940,3
100%
(319,9)
50%
(164,1)
54%
(484,0)
51%
Depreciação
(43,7)
7%
(15,9)
5%
(59,6)
6%
Lucro Bruto
272,6
43%
124,1
41%
396,7
42%
EBITDA 9m05
195,6
31%
74,3
24%
269,9
29%
EBITDA 9m04
193,6
32%
47,2
17%
240,8
27%
EBITDA 9m03
118,9
25%
40,6
17%
159,5
22%
Receita Líquida
CPV
10
Divisão Deca
¾ Desempenho Trimestral (em R$M)
3T05
Expedição
Madeira (mil m³)
Deca (mil peças)
(Valores em R$ M)
Receita Líquida
CPV
LUCRO BRUTO
% Margem Bruta
RESULTADO OPERACIONAL
EBITDA
% Margem EBITDA
LUCRO LÍQUIDO
ROE (anualizado)
11
2T05
1T05
3T04
254,5
3.376
262,5
2.855
248,1
3.204
280,0
3.740
3T05
317,8
190,4
127,4
40,1%
62,4
82,4
25,9%
33,1
13,4%
2T05
316,1
179,5
136,6
43,2%
75,7
96,4
30,5%
32,6
13,5%
1T05
306,3
173,6
132,7
43,3%
72,1
91,1
29,7%
40,1
16,9%
3T04
331,4
189,6
141,9
42,8%
80,3
99,4
30,0%
43,6
18,7%
¾ Retorno sobre o Capital Investido (ROIC)
p.
.
p
+3,3
9,0%
2003
12
12,3%
10,2%
2004
2005 *
* Setembro de 2005 anualizado
¾ Desempenho (Janeiro a Setembro)
(em R$M)
993,5 12,6%
923,7
6,0%
1.035,4 13,8%
105,8
92,7
41,6
2003
2004
PL
13
L u c r o L íqu ido
2005
RO E an u alizado
¾ Geração Operacional de Caixa (em R$M)
7,5%
+
:
R
G
CA
+
159,3
0%
4
1
273,3
184,1
143,8
113,7
2002
2003
2004
9m04
9m05
Geração Operacional de Caixa = Lucro Líquido + Despesas que não implicam na saída de caixa +/- Investimento em Capital de Giro
14
¾ Dividendos na Competência (em R$ M)
CA G
24,6
,7%
3
5
+
R:
58,1
+
25,7
2%
,
4
6
24,8
15,1
2002
15
2003
2004
9m04
9m05
¾ EBITDA (R$M) & Margem (%)
Madeira
ƒ Ganho de escala com inauguração
de nova fábrica de MDF / HDF / SDF
em Botucatu (SP);
ƒ Implantação de novas linhas de
revestimento;
ƒ Redução de custos devido a
verticalização da operação;
26%
ƒ Recomposição de preços.
32%
31%
193,6
195,6
2004
2005
118,9
2003
16
Janeiro a Setembro
¾ EBITDA (R$M) & Margem (%)
ƒ Redução de custos e despesas
operacionais;
ƒ Automação de importantes
processos produtivos;
ƒ Adequação do portfolio de
produtos;
ƒ Recomposição de preços.
24%
17%
17
17%
40,6
47,2
2003
2004
Janeiro a Setembro
74,3
2005
¾ EBITDA (R$M) & Margem (%)
Madeira
36,4%
31,5%
33,6%
28,0%
27,1%
26,3%
23,4%
83,7
57,0
3T04
18
4T04
64,4
1T05
15,4%
74,0
57,2
2T05
3T05
23,6%
13,5%
15,7
13,6
3T04
4T04
26,7
22,4
25,2
1T05
2T05
3T05
¾ Índice
ƒ Introdução
ƒ Destaques do período
ƒ Vantagens competitivas e concorrência
ƒ Posicionamento
ƒ Melhora operacional
19
¾ Vantagem Competitiva - Localização
Agudos (MDF e Piso Laminado)
Botucatu (MDF/HDF/SDF e Chapa de Fibra)
Itapetininga (Aglomerado)
Jundiaí (Chapa de Fibra, Metais e Louças)
São Paulo (Metais Sanitários)
São Leopoldo (Louças)
Fábricas da Divisão Madeira
90.000 ha de terras e florestas
Fábricas da Divisão Deca
20
¾ Vantagens Competitivas
Madeira
ƒ Auto-suficiência florestal;
ƒ Escala de produção;
ƒ Liderança Î Market Share;
ƒ Ampla linha de produtos;
ƒ Linhas de revestimento próprias (pintura, FF e BP);
ƒ Capacidade de customização (acabamento e dimensão);
ƒ Preocupação ecológica e ambiental Î ISO 14.001 e “Selo Verde”.
21
¾ Vantagem Competitiva – Área Florestal
90 mil hectares
Auto-suficiente
Alto grau de mecanização
Redução de custos
FSC – Forest
Stewardship Council
ISO 14.001
22
Sustentabilidade ambiental
¾ Indústria de Painéis de Madeira
Chapa de
Fibra
Cru Pintada
Duratex
Berneck
Eucatex
Isdra
Masisa
Arauco
Satipel
Tafisa
23
Aglomerado
Cru
BP
FF
MDF/HDF
Cru
BP
FF
SDF
Piso
Laminado
Wall
Paneling
¾ Vantagens Competitivas
ƒ Força das marcas Î Deca e Hydra;
ƒ Referência em design e qualidade;
ƒ Liderança de mercado, com predomínio nos segmentos Luxo e Alto
Luxo Î lifestyle;
ƒ Política ativa de desenvolvimento de produtos;
ƒ Alcance nacional;
ƒ Composto mercadológico;
ƒ Padrão em assistência técnica.
24
¾ Vantagem Competitiva – Lançamento de Produtos
Chuveiro Quadrado
Chuveiro Cromoterapia
Linha Stick
Lavatório
Ele com cuba oval
Cuba L107
25
¾ Mercado de Metais e Louças Sanitárias
Metais Sanitários:
ƒ Market share estimado da Deca: 38%
ƒ Principais concorrentes:
ƒ Docol;
ƒ Fabrimar.
Louças Sanitárias:
ƒ Market share estimado da Deca: 18%
ƒ Principais concorrentes:
ƒ Roca;
ƒ Icasa;
ƒ Ideal Standard;
26
ƒ Hervy.
¾ Índice
ƒ Introdução
ƒ Destaques do período
ƒ Vantagens competitivas e concorrência
ƒ Posicionamento
ƒ Melhora operacional
27
¾ Exportações (em US$ M)
,7%
7
1
+
R:
G
A
C
41,5
28
2002
57,5
46,5
2003
9Aumento de 13%, em média, no
preço das chapas de fibra;
9Aumento das exportações de louças
sanitárias em 39%, para 240 mil peças.
,9%
+ 12
41,8
2004
9m04
47,2
9m05
¾ Exportações
Madeira
91%
Chapas
71%
MDF/HDF/
SDF
14%
Flooring 2%
Deca
9%
InterD+ 4%
Louças
Metais 7%
2%
ƒPrincipais Mercados
Estados Unidos
Europa
Ásia / Oriente Médio
América do Sul / Central
Outros
29
52%
19%
7%
14%
8%
¾ Endividamento & Cronograma de Amortização
(Valores em R$M)
Cronograma de Amortização
606,5
Moeda
Estrangeira
61,8
50,8
114,4
242,2
Moeda
Nacional
544,6
52,8
146,3
Dívida Total
2005
2006
ƒ Caixa
R$ 218,3 M
ƒ Dívida Líquida R$ 388,2 M
30
2007
2008
2009 & Além
ƒ Dívida Líquida / PL
37,5%
ƒ Dívida Líquida / EBITDA* 1,08
* EBITDA Anualizado
¾ Capacidade Industrial & Taxa de Ocupação
JAN – SET / 2005
94%
Chapa de Fibra
Aglomerado
31
3
360.000
3
360.000mm/ano
/ano
3
500.000
3
500.000mm/ano
/ano
72%
MDF/HDF/SDF
69%
3
640.000
3
640.000mm/ano
/ano
Metais Sanitários
68%
14.400
14.400mil
mil
peças/ano
peças/ano
Louças Sanitárias
70%
*
4.200
4.200mil
mil****
peças/ano
peças/ano
*Î calculado sobre capacidade operacional de 3.800 mil peças/ano
** Î capacidade nominal dos fornos instalados
¾ Posicionamento Estratégico
28%
27%
28%
27%
26%
24%
27%
26% 26%
26%
25%
25%
24% 24%
24% 24%
24%
311
349 357
340
306
23%
181
200
190 199
194
23%
188 186 185
185
23% 23% 23%
268
22%
200
210
220
2000
. Expansão da
fábrica de
louças
sanitárias
(Jundiaí, SP).
2001
. Nova linha de
revestimento
(Itapetininga,
SP);
. Aquisição de
4.400 ha de
florestas.
2002
2003
EBITDA 12 meses (em R$M)
32
220 225
. Nova linha de
painéis
(Botucatu, SP);
. Unificação da
produção de
louças (Jundiaí,
SP);
. Aquisição de
6.400 ha de
florestas.
165
. Nova linha de
madeira
aglomerada
(Itapetininga,
SP).
217
223
. Nova linha de
revestimento
Baixa Pressão
(Botucatu, SP);
. Aquisição de
4.100 ha de
florestas.
Margem EBITDA
2004
. Melhoria na
linha de pintura
(Botucatu,SP);
. Aquisição de
equipamentos
complementares
(Botucatu, SP).
2005
¾ Índice
ƒ Introdução
ƒ Destaques do período
ƒ Vantagens competitivas e concorrência
ƒ Posicionamento
ƒ Melhora operacional
33
¾ Comitês Itaúsa Industrial
¾ Inteligência Corporativa
¾ Riscos e Ética
¾ Governança Corporativa
¾ Gestão de Talentos
¾ Excelência Operacional
¾ Excelência Comercial
34
Objetivo: difundir melhores
práticas entre as empresas
industriais do Grupo Itaúsa,
promovendo a captura de
sinergias, permitindo a
maior criação de valor.
¾ Ações em Andamento e Implantação
Madeira
ƒ Implantação de sistema informatizado de administração de fretes e
revisão da logística de expedição com redução de R$ 6M em custos
anuais;
ƒ Lançamento do Eco Panel em 2006, com redução de 15% nos custos
de produção;
ƒ Implantação de ações que objetivam:
ƒ aumento de velocidade da linha de pintura em 60%;
ƒ economia no processo de recebimento de resina.
35
¾ Ações em Andamento e Implantação
ƒ Redução efetiva de custos e despesas:
ƒ industrial: R$ 6M / ano
ƒ comercial: R$ 9M / ano
ƒ redução de quadro: 147
ƒ Redução de custos a serem implementados:
ƒ revisão de processos: R$ 5M / ano
ƒ Fechamento de contrato de OEM voltado à exportação:
ƒ incremento de receitas: US$ 10M anuais até 2007.
36
¾ Taxa Selic Média Anual
23,1%
19,5%
17,5%
19,4%
17,6%
18,0%
16,4%
14,5%
5,70%
2,10%
2000
1,95%
2001
-2,60%
2002
2003
2004
set-05 dez/05
-2,50%
-8,60%
PIB Construção Civil
37
Taxa de Juros Média Anual
* Taxa de Juros final de 2005 e 2006: média das Estimativas
elaboradas pelas corretoras do Itaú e Santander.
2006
¾ Construção Civil – Casos de Sucesso*
TAXA DE JUROS
ESPANHA
38
Redução das
Taxas de Juros:
1990 a 2001:
15% para 5% aa
Atual: 2,40%aa
MÉXICO
Redução das Taxas
de Juros:
1998 a 2002:
30% para 8,15% aa
Atual: 8,90%aa
CHILE
Redução das Taxa
de Juros:
2001 a 2004:
12% para 7% aa
Atual: 7% aa
FINANCIAMENTO IMOBILIÁRIO
SETOR IMOBILIÁRIO
Extensão dos prazos e
introdução de taxas de
incentivos para os
financiamentos
Crescimento da Carteira
Hipotecária média anual
entre 1991 e 2001:
+ 21,6%
Financiamento Imobiliário:
Prazos de 15 a 30 anos a taxa
aproximada de 13% aa.
Desde 2002, volume de
financiamento cresce a uma
taxa média 30% aa.
Número de contratos de
financiamento junto a
Infonavit:
1998: 108 mil;
2004: 306 mil;
Até Set 2005: 248 mil
(meta no ano de 375 mil).
Financiamento Imobiliário:
Prazos de 3 a 12 anos a taxa
de 6,9% a 10,0% aa.
Número de novas
habitações ao ano
passou de 3,3 M p/ 4.1 M
entre 1992 e 2002.
Empréstimo Hipotecário:
Dez / 1997: US$ 7,2 bi;
Mai / 2005: US$ 13,7 bi.
* Fonte: LATAM Banks, Housing &
Construction Report de 26/Ago/2005 do
CSFB, Bloomberg e Site da Infonavit
www.infonavit.gob.mx
¾ Ambiente Favorável para Construção Civil
Carteira Hipotecária como % do PIB em 2004 *
(apenas financiamento privado)
15,7%
Chile
39
2,1%
0,1%
México
Brasil
* Fonte: LATAM Banks, Housing
& Construction Report de
26/Ago/2005 do CSFB
¾ Resumo
ƒ Destacadas vantagens competitivas;
ƒ Liderança nos segmentos de atuação;
ƒ Forte ação voltada a redução de custos;
ƒ Melhoria nas práticas de governança corporativa.
40
¾ Ressalva
Essa apresentação foi baseada em dados relativos
ao terceiro trimestre de 2005 e a DURATEX não se
responsabiliza em atualizá-los mediante novas
informações ou acontecimentos posteriores a essa
data.
A DURATEX não se responsabiliza por decisões de
investimento em valores mobiliários de sua
emissão tomadas com base no presente material.
Expressões e termos que remetam a expectativas
futuras, assim como projeções, são sujeitos a
elevado grau de incerteza e que portanto, a
DURATEX não se responsabiliza por sua efetiva
realização.
41
08/11/2005
www.duratex.com.br
08 / Novembro / 2005
42

Documentos relacionados

Divulgação de Resultados 2004

Divulgação de Resultados 2004 anuais ƒ Nova linha de revestimento em BP - Botucatu/SP ƒ Produção de painéis de madeira aglomerada com superfície superfina ƒ Aquisição de 4.100 hectares de terras – Botucatu e Itapetininga

Leia mais

faturamento ( mmr$ )

faturamento ( mmr$ ) dos quais R$ 47,1 milhões referentes a equipamentos e início de montagem da nova linha de produção de madeira aglomerada em Itapetininga, que deverá entrar em operação no quarto trimestre/2000. Os ...

Leia mais

4 - Duratex

4 - Duratex ¾ Aproveitar o excelente momento econômico, ¾ Fortalecer liderança de mercado, ¾ Ampliar vantagens competitivas, ¾ Criar valor aos acionistas.

Leia mais

Microsoft PowerPoint - Apresenta\347\343o - Fato

Microsoft PowerPoint - Apresenta\347\343o - Fato (Florestas, Resinas, Impregnação, Impressão, ...) • Diversidade de Produtos (MDP, MDF, Chapa Fibra, Durafloor, Revestidos BP e FF, Pintados, Acessórios, Componentes, metais, louças, produtos econom...

Leia mais