corrimento uretral

Сomentários

Transcrição

corrimento uretral
Aconselhamento e Manejo Básico das Infecções
Sexualmente Transmissíveis
Corrimentos uretrais
Gonorréia /UNG
Roberto Dias Fontes
Sociedade Brasileira de DST – Regional Bahia
[email protected]
(71) 9974-7424
CORRIMENTO URETRAL
PACIENTE COM QUEIXA DE CORRIMENTO
URETRAL
Prevalência (%) de DST em industriários e
intervalo de confiança de 95%.
DST
%
N
IC 95%
Herpes genital
28,4
933
25,5 – 31,3
Hepatite B
0,97
1813
0,52 – 1,42
Hepatite C
0,41
1142
0,04 – 0,77
Gonorréia
0,38
2232
0,12 – 0,63
Clamídia
3,2
2232
2,5 – 3,9
Sífilis
2,1
2425
1,6 – 2,7
Fonte: Estudo de Prevalência e Freqüências Relativas das Doenças Sexualmente Transmissíveis no Brasil.
CORRIMENTO URETRAL
PACIENTE COM QUEIXA DE CORRIMENTO
URETRAL
ANAMNESE E EXAME FÍSICO
BACTERIOSCOPIA DISPONÍVEL NA
CONSULTA?
NÃO
Tratar GONORRÉIA E CLAMÍDIA
CORRIMENTO URETRAL
ANAMNESE E EXAME FÍSICO
BACTERIOSCOPIA DISPONÍVEL NA CONSULTA?
SIM
DIPLOCOCOS GRAM NEGATIVOS
INTRACELULARES PRESENTES?
SIM
FLUXOGRAMA PARA CORRIMENTO URETRAL
ANAMNESE E EXAME FÍSICO
BACTERIOSCOPIA DISPONÍVEL NA CONSULTA?
SIM
DIPLOCOCOS GRAM NEGATIVOS
INTRACELULARES PRESENTES?
SIM
TRATAR GONORRÉIA E CLAMÍDIA
ACONSELHAMENTO
SOLICITAR VDRL, OFERECER ANTIHIV, ANTI-HCV, HBSAg E ANTI-HBC
AGENDAR RETORNO
CONVOCAR PARCEIRO(S)
NOTIFICAÇÃO
FLUXOGRAMA PARA CORRIMENTO URETRAL
ANAMNESE E EXAME FÍSICO
BACTERIOSCOPIA DISPONÍVEL NA CONSULTA?
SIM
DIPLOCOCOS GRAM NEGATIVOS
INTRACELULARES PRESENTES?
NÃO
TRATAR CLAMÍDIA
ACONSELHAMENTO
VDRL E OFERECER ANTI-HIV
AGENDAR RETORNO
CONVOCAR PARCEIRO(S)
NOTIFICAÇÃO
CORRIMENTO URETRAL
•
Neisseriae
gonorrhoeae
•
Chlamydia
trachomatis
•
T.vaginalis,
U.urealiticum,
M.genitalium,
herpes, outros
Gonorréia
Sinonímia
Blenorragia, doença gonocócica, pingadeira,
gota militar, gota matinal, estrela da manhã,
esquentamento,
escorrimento,
“fogagem”,
“torneira”, “gozo eterno”, “urinou contra o
vento”
Transmissão
Venérea, excepcional contaminação acidental
Período de incubação
2 a 10 dias, em média 5 dias
Neisseria gonorrhoeae, Neisser 1879
Cocos Gram negativos
Reniformes
Agrupados dois a dois e faces côncavas adjacentes
Aeróbios e imóveis
Bactéria fastidiosa
Exige meio enriquecido, umidade e atmosfera rica em CO2
Risco de contágio 20% para o sexo masculino em único
contato , no caso de reexposição 90%
Risco de contágio - 90% para o sexo feminino
Piogênica Eptopo imunogênico – migração de PMN com
mensagem específica de fagocitose
BIER, Otto. Bacteriologia e Imunologia. 19. ed. São Paulo: Melhoramentos, 1978.
-
Placa VCNT – LACEN - 06/05/09
WJN – 222 - SEMAE 06/05/09
Colônias sugestivas na placa
Avaliação da susceptibilidade da
Neisseria gonorrhoeae aos
antimicrobianos, para implantação de
rede de vigilância
Projeto SenGono
Avaliação da susceptibilidade da Neisseria
gonorrhoeae aos antimicrobianos, para
implantação de rede de vigilância
DIAGNÓSTICO LABORATORIAL
Antibióticos utilizados no estudo:
Penicilina
Ceftriaxona
Tetraciclina
Ciprofloxacina
Azitromicina
Cloranfenicol
Ofloxacina
Gentamicina
Gonorréia
• Quadro clínico
• Homem (quadro agudo)
• Disúria, formigamento ou prurido
uretral
• Fluxo uretral mucoso → purulento
• Edema do meato uretral e eritema da
mucosa vizinha
• Diagnóstico fácil
Gonorréia
• Complicações
Balanopostites
Tissonites
Litrites
Cowperites
Prostatites
Epididimites
Estenoses da uretra
Conjuntivite
Anorretite
Faringite gonocócica
Septicemia (0,3 a 3,0%)
Dermatite
Artrite (tipo mais freqüente de artrite
no adulto jovem sexualmente ativo)
• Meningite
• Endocardite
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
UNG
• Sinonímia
• Uretrites inespecíficas, “gota matinal”,
“estrela da manhã”
• Epidemiologia
•
•
•
•
•
•
Homens → quase totalidade
Incidência maior que a UNG → viés epidemiológico
Alta incidência em urologia e serviços de IST
Clientes assíduos → freqüentadores do serviço
Uso desordenado de antibióticos
RN – conjuntivite, nasofaringite e pneumonia
• Período de incubação
• 1 a 3 semanas, pode ultrapassar meses
UNG
Agente Etioló
Etiológico:
Bacterianas:
Chlamidia trachomatis (*)
(*) Muito freqü
freqüêntes
Ureaplasma urealyticum (*)
Micoplasma hominis (*)
Hemophilus vaginalis (gardnerella)
Streptococcus
Enterococos
Parasitá
Parasitárias:
Trichomonas vaginalis (*)
Viró
Virótica:
Herpes ví
vírus
Micó
Micótica:
Cândida albicans
Quí
Químicas:
Introduç
Introdução de substâncias irritantes na uretra com
finalidade profilá
profiláticas ou curativas.
Metabó
Metabólicas:
Diabetes
Traumá
Traumáticas:
Pelo há
hábito comum de expressão de glande para
evidenciar secreç
secreção (“
(“ordenha”
ordenha”).
Pós-gonocó
gonocócica:
Surge apó
após o tratamento da gonorré
gonorréia, sendo
geralmente causada pela Chlamydia trachomatis.
Indeterminadas
PASSOS, Mauro Romero Leal. DST. 4. ed. Rio de Janeiro: Cultura Mé
Médica, 1995.
Chlamidia trachomatis
A
C. trachomatis
é uma bactéria intracelular
obrigatória que infecta o aparelho geniturinário,
naso – faringe ou conjuntiva.
No homem causam uretrites
não gonocócicas,
podendo vir a causar epidimite e prostatite.
Em mulheres pode causar salpingite, doenças
inflamatória Pélvica (DPI) e gravidez ectópica.
No inato, pneumonia e conjuntivite
Chlamidia tracomatis
Ordem
Chlamydiales
Famí
Família
Chlamdiaceae
Gênero
Espé
Espécie
Chlamydia
C. Trachomatis
subgrupo A
C. Psittaci subgrupo B
↓
Modo de
transmissão
↓
Trachoma
endêmico
Cepas oculogenitais
LGV
Agente da Psittacose
↓
↓
↓
↓
Ocular
genital
genital
variá
variável
↓
↓
↓
D, E, F, G, H, I, J, K
L1, L2, L3
Indeterminado
↓
sorotipos
A, B, Ba, C
PASSOS, Mauro Romero Leal. DST. 4. ed. Rio de Janeiro: Cultura Mé
Médica, 1995.
Ciclo biológico
UNG
• Quadro clínico
• Uretrite discreta
• Raramente secreção purulenta
• Secreção uretral moderada ou escassa, clara ou
leitosa, fina ou mucóide
• Secreção matutina, após expressão do pênis ou
longos períodos sem micção
• Disúria menos intensa que na gonorréia
urgência miccional, polaciúria e irritação do
meato e da uretra
30/09/2009- SEMAE – 307 – RFSN - UNG
UNG
• Complicações
• Infertilidade
• Estenoses inflamatórias
• Alterações dos movimentos e
direção dos espermatozóides
• Proctite
• Artrite
• Síndrome de Reiter → dermatite,
artrite e conjuntivite
CORRIMENTO URETRAL
Orientações
azitromicina - absorção com o estômago vazio
abstinência
alcoólica
(efeito
antabuse
metronidazol) e sexual (cicatrizar a uretra)
evitar a ordenha da uretra como hábito
evitar condimentos
aumentar a ingestão de líquidos
higiene íntima e cuidado com as mãos
convocar parcerias
do
No caso de doença aguda
repetir o VDRL após 45 dias janela imunológica
Uretrites complicadas orquites, epididimites
e formas extra genitais
não usar dose única